Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
A vereadora Carla Pimentel acusa o vereador Professor Galdino
2
Diretor: Adilson da Costa Moreira - Fones 9894-1462 e 3328-0176
Dep. comercial: Sharon Simão Zunino
Rua Guilherme Ihlenf...
3
A morte do ator Domingos
Montagner, vítima de afogamento no rio
São Francisco, em Sergipe, afetou até
os índios que grav...
4
EmvisitaaoConjuntodaCohabdo
bairroSantaCândida,overeadorJairo
Marcelino foi esclarecer e informar
comopodeserencaminhado...
5
9894.1462
Rafael Greca pode vencer
no primeiro turno, revela pesquisa Ibope
O desempenhodocandidatoRafael
Greca (PMN) na...
6
ANUNCIE
NOS BAIRROS DA SUA REGIÃO
9894-1462
João Belo, por que você é candidato a
vereador de Curitiba?
João Belo - Sou ...
7
Em votação unânime na Câmara de
Vereadores, no dia 5 de setembro, pro-
moveu a carne de onça – “uma comida
típica dos bo...
8
9
Pelo de rato mosca e barata por que
a Anvisa tolera bichos nas comidas Re-
centemente, a Anvisa (Agência Nacio-
nal deVi...
10
PAPELARIA COLORIR
LAN HOUSE
XEROX - IMPRESSÃO COLORIDA
ENCADERNAÇÃO - PLASTIFICAÇÃO
MATERIAL ESCOLAR E PRESENTES
SUPRIM...
11
Uma mulher passava as compras no
caixa de supermercado e percebeu
que um bêbado examinava
detalhadamente seus itens de ...
12
R$ 400,00 CNPJ 12.698306.0001-42
CNPJ 25.919.668/0001-68 Coligação Corrente do Bem - psc/psd/pen/ptc/ppl/pc do b/psl
No...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

GAZETA SANTA CÂNDIDA, SETEMBRO 2016

197 views

Published on

JORNAL QUE TEM O QUE FALAR

Published in: News & Politics
  • Holistic Candida Secrets, Eliminate Yeast Infection Fast. Candida cure e-book reveals all ●●● https://tinyurl.com/y3flbeje
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
  • Be the first to like this

GAZETA SANTA CÂNDIDA, SETEMBRO 2016

  1. 1. A vereadora Carla Pimentel acusa o vereador Professor Galdino
  2. 2. 2 Diretor: Adilson da Costa Moreira - Fones 9894-1462 e 3328-0176 Dep. comercial: Sharon Simão Zunino Rua Guilherme Ihlenfelt, 765 -Apartamento 4 - Tingui - Curitiba E-mail: gazetasantacandida@gmail.com Tiragem: 10.000 exemplares www.gazetasantacandida.com.br / www.gazetasantacandida.blogspot.com As matérias assinadas não refletem necessariamente a opinião do jornal. EXPEDIENTE ESCRITÓRIO CONTÁBIL JC – ONLINE ASSESSORIA. - ABERTURA DE EMPRESA - CONTABILIDADE E FISCAL - FOLHA DE PAGAMENTO– RH - CONTABILIDADE RURAL - IMPOSTOS - ENCERRAMENTO DE EMPRESA Estamos atendendo NA CIDADE DE ADRIANÓPOLIS, PROCURAR INFORMAÇÃO NO SINDICATO RURAL Sede: Rua João Reboli, 215 – Santa Cândida – Curitiba Fone: 3019-3369 - Falar com Claudio ou Joceli www.jconlineassessoria.com.br A vereadora Carla Pimentel (PSC) afirmou ter sido agredida pelo verea- dor Professor Galdino (PSDB) dentro de uma sala da Câmara Municipal na semana passada.Aviolência teria sido praticadaapósumapequenadiscussão entre os dois e foi confirmada por cin- cooutrosvereadoresquepresenciaram a cena. Depois de ser levado dentro de um carro da Guarda Municipal ao 1º DistritoPolicialdeCuritiba,Galdinofoi encaminhado para a Delegacia da Mu- lher, onde prestou esclarecimentos so- bre o caso. Segundo informações da Polícia Civil, ele foi ouvido ao longo da tar- de. Os vereadores Bruno Pessuti (PSD), Jhonny Stica (PDT), Rogério Campos (PSC) - que viram Carla ser agredida - também prestaram depoi- mento. “Fui agredida física e sexualmente por um louco”, afirmou à Gazeta do Povo. “Estávamos na sala anexa dos vereadores. Começamos a falar de material de campanha das eleições e de repente ele se joga em cima de mim e me agride. Bati na parede. Se os vereadores não tivessem segura- do, não sei o que seria de mim”, com- pletou. Segundo a corregedora da CMC, Vereadora afirma que foi agredida física e sexualmente na Câmara dos Vereadores vereadora Noemia Rocha (PMDB), a denúncia de Carla Pimentel será ane- xada a representação da Direção de Comunicação contra Galdino. Há se- manas,overeadorseenvolveuemcaso de assédio contra uma assessora de imprensa da Câmara. VEREADOR BRUNO PESSUTI MANIFESTA SOLIDARIEDADE A CARLA PIMENTEL Em sua página no facebook o vere- ador Bruno Pessuti escreveu: "Acabei de presenciar uma das piores situações em minha vida pública e pessoal. Hoje em sessão da Câmara a vereadora Carla Pimentel foi agredida por outro vereador como citado na matéria da GazetadoPovo.Agressões,sejamelas verbais ou físicas não devem ser tole- radas em qualquer situação. Mas agre- dir uma vereadora em uma casa desti- nada a discutir o melhor para o povo é um completo absurdo! Quero deixar bem claro meu repúdio ao acontecido e qualquer forma de agressão! GaldinoficoudetidonaDelegaciada Mulher e eu estou aqui pra prestar de- poimentocomotestemunha." VEREADOR GALDINO SE DEFENDE Em coletiva à imprensa o vereador Professor Galdino se defendeu das acusações da vereadora Carla Pimentel. Segundo ele, houve um escorregão ao tentar pegar um santinho, motivo pelo qual ele teria caído sobre o corpo da vereadora. “Outras acusações não tem provas.” R$ 400,00 CNPJ 12.698306.0001-42
  3. 3. 3 A morte do ator Domingos Montagner, vítima de afogamento no rio São Francisco, em Sergipe, afetou até os índios que gravaram cenas com o ator em "Velho Chico". Eles afirmaram que estão de luto e fizeram um ritual. Para os índios do rio São Francisco, ficou uma indagação, entre tantas:“Por que estão querendo trazer a alma dele Índios do Rio São Francisco homenagearam o ator Domingos Montagner de volta? Ele nasceu de novo, ao morrer se tornou um novo protetor do rio São Francisco, que estava tão esquecido, porque esse rio não pode morrer”. A novela contou mistérios do rio e esse foi mais um desses. Mas ele se tornou um ser de luz, pois a água não tira a vida, dá a vida e fiquem felizes pela alma dele, pois quando ele entrou no rio, se despe- diu do corpo e da alma, nasceu em um mundo melhor. Algum dia, os brancos irão entender isso, então temos que fa- zer um ritual para que os brancos enten- dam, que ele está bem, que ele, agora, é um protetor do rio São Francisco”, dis- seramosíndios,emtextoenviadoaopro- grama "Encontro com Fátima Bernardes", da Globo. O roteiro da novela acabou produzin- do uma infeliz coincidência, Santo, per- sonagem de Montagner em "Velho Chico", chegou a ser dado como morto na novela após sofrer um atentando e desaparecer no rio São Francisco. Na trama, ele foi encontrado por índios e “ressuscitado” com um beijo da amada, Tereza (Camila Pitanga). Domingos Montagner, que interpre- tava Santo na novela "Velho Chico", morreu afogado nesta quinta-feira (15) após um mergulho no rio São Francis- co, que serve de cenário para a trama, informou a TV Globo. O ator de 54 anos estava desaparecido desde as 14h30 e teve o corpo encontrado por volta das 18h, preso nas pedras a 18 metros de profundidade, perto da Usi- na de Xingó, em Sergipe. Montagner havia gravado cenas da novela pela manhã e como tinha o dia de folga foi com a colega Camila Pitanga almoçar na cidade de Canindé do São Francisco. Segundo o delegado de Canindé,Antônio Francisco Olivei- ra Filho, Pitanga revelou em depoimen- to que, depois de almoçar, ela e Montagner resolveram mergulhar no rio, num local conhecido como prainha do Canindé, e encontraram fortes cor- rentezas. O ator conquistou como poucos os brasileiros, talvez por ter iniciado sua carreira no circo, e não nas escolas de teatro e cinema do eixo Rio-São Paulo que produzem atores - na maioria - afeminados.
  4. 4. 4 EmvisitaaoConjuntodaCohabdo bairroSantaCândida,overeadorJairo Marcelino foi esclarecer e informar comopodeserencaminhadooutrasrei- vindicaçõesdosmoradores. JairoMarcelinoafirmaqueduasde suasemendasgarantemacanchasinté- ticaeacademiaaoarlivrenosconjun- tosAroeiras e Imbuias, são valores de repasse para contemplar esta comuni- dade e “irei cobrar sobre a falta de infraestrutura na região dos conjuntos residenciais”disseovereadoremreu- nião.ElepediuaopresidentedaAsso- ciação dos Moradores dos Conjuntos que pudesse estar acompanhando e mais moradores, que também podem ircomeleemreuniõescomórgãospú- blicos na cobrança da creche, escola municipaleestadualealémdaunidade básica de saúde da região. O Jornal Gazeta do Santa Cândida ERRATA- 1 Comunicamos que na edição 178, 2ª quinzena de agosto deste Jornal, não foi publicado o cnpj 25919668/00001- 68, referente a Campanha Politica do candidato a Vereador Jairo Marcelino de Curitiba, sendo a tiragem de 12 mil exemplares ao custo de R$ 300.00. Nesta reparamos o nosso erro. Adilson da Costa Moreira Jornal Gazeta do Santa Cândida ERRATA- 2 Comunicamos que na edição 178, 2ª quinzena de agosto deste Jornal, não foi publicado o cnpj: 25917090/0001- 00 referente a Campanha Politica do candidato a Vereador Bruno Pessuti de Curitiba, sendo a tiragem de 12 mil exemplares ao custo de R$ 900.00 em edição de capa. Nesta reparamos o nosso erro. Adilson da Costa Moreira Jornal Gazeta do Santa Cândida Paraná inverte tendência e tem saldo positivo no emprego em agosto VEREADOR CONFIRMA AS OBRAS DE SUAS EMENDAS EM REUNIÃO COM MORADORES DOS RESIDENCIAIS AROEIRAS E IMBUIAS. perguntou ao vereador sobre as dúvi- das que os moradores tem para a con- clusão destas duas obras nos Conjun- tosResidenciais. Em resposta disse, que é um dos motivos que o faz estar aqui, “jamais estariaaquiparacontarmentiras”eque para ele, o cumprimento dos três pila- resfundamentaisdapolíticaéosegre- do de estar 34 anos de vida parlamen- tar. ''O primeiro é não prometer; o se- gundo é não mentir, não fazer propos- tas de coisas que nunca vai conseguir fazer; o terceiro, e mais importante de todos, é honrar os votos recebidos". Para Marcelino o contato'' corpo a corpo''comeleitoréessencialparaou- vir as demandas e dar resposta da pos- sibilidades. "Eu estou sempre onde a comunidademaisnecessitadaprecisade meuapoioparlamentar",finalizou. O Paraná registrou um saldo positivo de emprego em agosto, de acordo com dados do Cadastro Geral de Emprega- dos e Desempregados (Caged) divulga- dos pelo Ministério do Trabalho. Adife- rença entre admissões e demissões no mês ficou positiva em 533 vagas, inver- tendo a sequência de seis meses de sal- dos negativos no Estado. O resultado de agosto representa tam- bém uma melhora em relação ao mes- mo período do ano passado, quando as demissões haviam superado as admissões em 8.194 empregos. O desempenho do Paraná contrasta com o do Brasil, que fechou agosto com a eliminação de 33.953 postos de trabalho. “O resultado de agosto no Estado foi puxado, sobretudo, pelos setores de ser- viços e comércio, o que indica uma me- lhora no consumo e uma recuperação da atividade no mercado interno no Paraná”, diz Julio Suzuki Júnior, diretor presidente do Instituto Paranaense de Desenvolvi- mento Econômico Social (Ipardes). COMÉRCIO E SERVIÇOS - O se- tor de serviços liderou a geração de va- gas no Estado em agosto, com saldo de 1.102 empregos. O comércio ficou em segundo lugar, com 385 novas vagas, seguido pelos serviços de utilidade públi- ca, com 24, e a extrativa mineral, com 20 vagas. A agropecuária, com o fim do perío- do da safra, foi a que mais eliminou va- gas em agosto, com saldo negativo de 588vagas,seguidapelaindústriadatrans- formação, com corte de 229 vagas. O setor de administração pública registrou saldo negativo de 151 vagas e a constru- ção civil, de 30 empregos. NO ANO - No acumulado do ano, o saldo de emprego ficou negativo em 21.807 vagas, mas a tendência é de me- lhora nos próximos meses. “Isso deve ocorrer principalmente nas atividades de comércio e serviços, por conta das contratações de fim de ano” diz Suelen Glinski Rodrigues dos Santos, economis- ta do Observatório do Trabalho, da Se- cretaria da Justiça, Trabalho e Direitos Humanos. SUBSETORES - Um outro dado que chama atenção, de acordo com a econo- mista, é a melhora na geração de vagas de alguns subsetores da indústria da trans- formação.Dos12segmentospesquisados, sete tiveram saldos positivos, com desta- que para a indústria têxtil, do vestuário e artefatos de tecidos (848) e indústria quí- mica, de produtos farmacêuticos, veteri- nários e perfumaria (606). “Apesar do saldo negativo geral, é da indústria da transformação a atividade que, isolada- mente, mais gerou vagas no Estado”, lem- bra Suelen. A atividade de confecção de peças de vestuário registrou um saldo de 777 empregos em agosto.
  5. 5. 5 9894.1462 Rafael Greca pode vencer no primeiro turno, revela pesquisa Ibope O desempenhodocandidatoRafael Greca (PMN) na reta final desta cam- panha eleitoral surpreendeu os marqueteirosmaisrenomadosaodispa- rarnapreferênciadoeleitoradonosúlti- mosdias,apontodeprojetarvitóriano primeiroturno,casoatendênciaseman- tenha. SegundopesquisadoIbopedivulgada pela RPC na semana passada, sobre a corrida eleitoral em Curitiba, Rafael Greca alcançou 45% das intenções de voto e se a eleição fosse hoje venceria noprimeiroturno. Emsegundolugar,oprefeitoGustavo Fruet, do PDT, despencou na pesquisa e aparece com apenas 16% das inten- çõesdevotos.Emterceiro,Requião,do PMDB, com 8%. Em quarto, Ney Leprevost, do PSD, com 6%, empata- do com Maria Vitória, do PP, também com6%.TadeuVeneri,doPT,temape- nas 4%. Ademar Pereira, do PROS, e Xênia Mello, do PSOL, têm 1% cada. NapenúltimapesquisaRafaelGreca, GustavoFrueteRequiãoFilhoestavam tecnicamente empatados. Nas últimas semanas,porém,atendênciadoeleito- radomudouradicalmente,comorevela a pesquisa Ibope, obrigando os demais candidatos a rever todas as estratégias decampanhaeleitoral,masotemponão ajuda: estamos há apenas pouco mais de uma semana do pleito. PAULO MEIRALIMAtem 50 anos de idade, casado pai de 2 filhos, morador do Bairro Santa Cândida há 29 anos, for- mado em 2008 pela UNINTER em PROCESSOS GERENCIAIS, atual- mente cursando faculdade de Direito na ESTÁCIO RADIAL. Foi Sargento do Exército Brasileiro (atualmente na reser- va), também trabalhando como promo- tor de eventos. QUAIS SUAS EXPECTATIVA CASO ELEITO? Sei que a função de vereador é de legislar e fiscalizar, mas temos um gran- de compromisso com nossa comunida- de, de cobrar melhorias para nosso bair- ro. Temos 399 Municípios no Paraná e somente o Bairro Santa Cândida em po- pulação é maior que 364 municípios do Paraná, mas totalmente sem infraestruturas. QUAIS SÃO AS SUAS PROPOS- TAS PARAO BAIRRO SANTACÂN- DIDA? Entrevista com o candidato a vereador Paulo Meira 01 - Revitalização total das linhas de ônibus do São Benedito e JardimAlian- ça, com travessia elevada e faixa de pe- destres na frente do Colégio Santa Cân- dida e ColégioAugusto Cezar Sandino. 02 - Mudança do itinerário do ônibus São Benedito para ir até os Conjuntos PAINEIRAS e PINHEIROS. 03 - 03 academias ao ar livre, 04 - Ginásio de esportes. 05 - Temos enchentes nas Ruas Antonio C. Miolino e IsidioIsidoroKalinowski.So- licitaremos drenagem nesse rio e bolsão de contenção para enchentes. 06 - Mais Escolas e cre- ches na nossa região. 07 - Temos 28 ruas em saibro,sempavimentaçãode- finitiva. 08 - Módulo móvel da Guarda Muni- cipalcom3duplasdemotosfazendoron- das pelos bairros. 09 - Não temos agências bancárias na região. QUAL O PONTO POSITIVO DES- TE BAIRRO? O bairro é formado por famílias tra- dicionais e famílias vinda de outros lo- cais, gente simples e trabalhadores que acordam às 5 da manhã e voltam as 21 horas em busca de seus sustentos e so- nhos. Um bairro com força de município que merece total atenção, principalmen- te pela grande área geográfica de re- serva ambiental. QUANTO TEMPO VEM ATUAN- DO NO BAIRRO SANTA CÂNDI- DA? Desde 2011 estamos atuantes no bairro, buscando melhorias para nossa população. Com vários ofícios protocolados junto a Regional Boa Vis- ta. São diversas solicitações tais como , ruas esburacadas por falta de manuten- ção adequada, muitas ruas sem asfaltamento, falta de creche, unidade de saúde, falta de segurança dentre outros. Eu tenho caráter, humildade, respon- sabilidadeeprincipalmentemuitorespeito pelos amigos e moradores deste bairro.
  6. 6. 6 ANUNCIE NOS BAIRROS DA SUA REGIÃO 9894-1462 João Belo, por que você é candidato a vereador de Curitiba? João Belo - Sou candidato a vereador para trabalhar em uma nova forma de fazer política em Curitiba, uma democracia participativa. Eu sinto que as ruas dizem, as pessoas não querem somente votar, elas querem participar. Existem mecanismos legais através da Constituição Federal que permitem isso, sejam projetos de iniciativa popular – composto por 45% de pessoas de município, cidade ou bairro – ou através daquilo que já existe, que são os 21 Conselhos Municipais. Muitas vezes estes conselhos deliberam, mas não são respeitados nas suas deliberações. Estes seriam os dois focos principais, então eu desencadeio por áreas. Eu particularmente sou um artista popular, e para ter uma ideia, nos últimos anos foram liberados 63 milhões para cultura e somente 1 milhão destes 63 milhões foram para periferia. Então é importante focar na descentralização no processo das verbas da cultura para que cheguem às comunidades mais carentes, mais distantes. Para mim este é um dos projetos principais. Na cultura também, existe um olhar muito diferenciado em questão à literatura. Pretendo como projeto inicial já colocar a regulamentação do profissional de contação de histórias, eu creio que existem muitos em Curitiba, e que nossas crianças nos Centros de Educação Infantil não merecem ouvir histórias uma vez por mês, uma vez por ano. Com estes profissionais regulamentados poderia ser feito isso três vezes por semana. Eu acho que isso será maravilhoso não só para a educação infantil, mas na educação fundamental também. Na área do meio ambiente, aquilo que sempre bati em toda a minha vida. Os 21 rios de Curitiba estão poluídos. O que menos está é o Rio Bacacheri, porque nós desenvolvemos um trabalho há 30 anos, hoje ele consegue inclusive ter vida, ter peixe em alguns lugares. Nós precisamos ver com muito carinho a questão ambiental, não somente a questão da hídrica, mas a questão da qualidade do ar, a questão dos nossos parques, das nossas árvores, enfim, dar qualidade de vida para a nossa população. Eu, também como educador popular, tenho um carinho especial e vejo que na educação nós precisamos ter uma revolução. Não só você pagar bem os nossos professores e funcionários de escola, mas fundamentalmente também mexer com a base da escola. Entender que a escola não é maior que a comunidade, entender que a escola é parte da comunidade, e portanto, deve atuar em João Belo, militante das causas sociais e ativista cultural, é candidato a vereador conjunto com os pais e professores ouvindo também os educandos, que apesar de serem crianças, têm muito a nos dizer. Qual tem sido a sua atuação cultural em Curitiba? João Belo - Na realidade eu viajo o Brasil inteiro, foram muitos quilômetros viajados nos últimos 17 anos. Eu dou muita formação lúdica no processo de aprendizagem para professores. Então dificilmente tem um professor hoje em Curitiba que não conheça a nossa atuação, que não tenha passado por nosso trabalho. Se não passou, tem algum amigo ou conhecido que sabe. Nós trabalhamos muito o respeito que devemos ter com o profissional. O mundo capitalista diz que a pessoa tem que ser fragmentada, que os problemas pessoais tem que ser deixados em casa, como se isso pudesse acontecer, mas isso não pode na realidade. O ser humano, principalmente na educação, precisa ser tratado como ser humano integrado, e entender que existe o equilíbrio entre a razão e a emoção, e que nós somos movidos a isso. Então a essência do nosso trabalho é humanizar a escola, humanizar a nossa sociedade, as nossas relações humanas. É importante que a não formemos educandos e crianças para o mundo ter e sim para ser, ser humano! Precisamos esquecer um pouquinho a estrutura do consumismo exacerbado em que o ter prevalece. Quais seriam os seus principais trabalhos na câmara municipal, se eleito? João Belo - Bem, o primeiro passo já como proposta nossa seria a política em 4 dimensões: democracia, o primeiro deles, direta, à distância e diária. Ela pode se dar através de uma criação de uma plataforma digital e um aplicativo. Este aplicativo é possível de implementar, antes de me eleger ele já está funcionando. Você acessar através do site www.joaobelo.com.br. Lá é possível baixar o aplicativo na playstore, e assim nós teremos o contato durante os 4 anos, para que todos possam exercitar esta democracia participativa. Eu não quero ser um vereador de mim mesmo, nem uma pessoa que está eleita mas simplesmente cumpre tabela, cumpre mandato. Eu não quero uma procuração em branco, até porque eu acho um crime você dar uma procuração em branco para quem têm o dever de fiscalizar o orçamento de 8,7 bilhões anuais. Você faria isso, eu pergunto, acredito que não! As propostas principais são o aplicativo e a plataforma digital. QUAIS SÃO OS SEU PROJE- TOS COMO VEREADOR DE CURITIBA? Primeiro,tenhoacertezaqueaprin- cipal função será fiscalizar os projetos e obras da nossa cidade, fazer leis que de fato possam trazer benefícios e re- conhecimentodosdireitosedeveresdo cidadão, irei consultar a as comunida- des para elaborar projetos de acordo com as necessidades de cada bairro. Programas e projetos serão pautados emmelhoriasaeducação,cultura,saú- de, segurança, lazer, e incentivo ao es- porte. COMO ATUARÁ NOS BAIR- ROS? Pelaminhaexperiênciacomospro- jetosquevenhoatuandoematividades e ações sociais tais como: Dia das cri- anças, Natal e Páscoa nas comunida- des que já conheço, irei ampliar e me- ENTREVISTA COM O CANDIDATO ALEX RATO lhorar.Promovereievoufortalecerpro- jetos e eventos esportivos, por exem- plo: torneios de futebol nas modalida- des juvenis e adultos; eventos de artes marciais,culturaistambémnasescolas municipais. QUALSERÁADIFERENÇADE SEUMANDATOCOMOSDEMAIS CANDIDATOS? Conheço diversas localidades de Curitiba com obras públicas paradas, praças destruídas e abandonadas, ruas esburacadaseumagrandeinsatisfação das pessoas com atendimento da saú- de e segurança nos bairros. Quero ter a união com as comuni- dades na participação das pessoas em forma de audiência pública com um conselho de acompanhamento do meu mandato para oferecer resposta e so- lução com compromisso e responsabi- lidade.
  7. 7. 7 Em votação unânime na Câmara de Vereadores, no dia 5 de setembro, pro- moveu a carne de onça – “uma comida típica dos botecos” – a patrimônio cultu- ral imaterial de Curitiba. “É uma forma de reconhecer as nossas tradições, in- tensificar o turismo e incentivar a gastronomia local, que gera renda e em- pregos na cidade”, comemorou o autor da proposição. “Mais de 100 bares e res- taurantes da capital têm a carne de onça em seus cardápios”, apontou o parlamen- tar. O prato, cuja origem remonta à dé- cada de 1940, é feito com carne bovina crua, sobre broa escura, com bastante cheiro verde, cebola picada, condimen- tos e azeite. Foram 25 votos favoráveis, numa vo- tação acompanhada por NilcéiaAlmeida e Sérgio Medeiros, da Casa Curitiba Ho- nesta, e pelo empresário Fábio Aguayo, “Típica dos botecos”, carne de onça vira patrimônio de Curitiba da Abrabar (Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas). “É de uma importância enorme [a aprovação desse projeto de lei]”, comentou Medeiros, que em 2014 organizou o 1º Festival de Car- ne de Onça de Curitiba, formalizando um circuito que hoje conta com 34 estabele- cimentos. “A gastronomia é um setor importantíssimo, pois é o segundo que mais “O projeto de lei”, disse o autor da proposição, “foi um pedido da população com o qual nós concordamos, pois temos atuação voltada ao empreendedorismo”. “Alguém mais desinformado pode achar que tornar a carne de onça patrimônio cultural da cidade não seja relevan- te, mas medidas como essas tra- zem emprego, renda e turismo para Curitiba”, insistiu. Mais sete vere- adores usaram da palavra para elo- giar a medida, relatando suas ex- periências pessoais com o prato e qual lugar, na opinião deles, serve a me- lhor carne de onça da cidade. O jornalista Dante Mendonça, um dos memorialistas da boêmia curitibana, já relatou no jornal Tribuna do Paraná a his- tória do bar Buraco do Tatu, de Cristiano Schimidt, onde a lendária iguaria teria se adaptado ao paladar curitibano. “No Buraco era servida a mais legítima car- ne de onça, a grande atração da casa que décadas depois virou moda em Curitiba: carne crua com cheiro verde bem picadinho, sobre broa preta. Nada mais, nada menos”, diz, em reportagem publicada em abril de 2013. Schimidt, ou “Tatu”, era presidente do time de fute- bol Britânia, cujas vitórias eram atribuí- das à carne de onça servida por ele aos jogadores. Deacordocomaleimunicipal14.794/ 2016, o patrimônio cultural é constituído pelo conjunto de bens de natureza mate- rial e imaterial, públicos ou privados, que façam referência à identidade, à ação e à memória dos diferentes grupos forma- dores sociedade. Em seis anos, Estado destinou R$ 8,3 bilhões para Curitiba Desde 2011, o Governo do Estado já destinou R$ 8,3 bilhões para a prefeitura de Curitiba. Os recursos são do tesouro estadual, investimentos de estatais, trans- ferências obrigatórias e financiamentos do Estado para o município. Desse valor, R$ 2,8 bilhões foram destinados especi- ficamente para investimentos na capital. As áreas que receberam mais recursos foram ciência e tecnologia (R$ 524 mi- lhões), Copel (R$ 301 milhões), desen- volvimento urbano (R$ 285 milhões) e saúde pública (R$229 milhões). Confira AQUI o detalhamento de todos os inves- timentos realizados pelo governo estadu- al desde 2011. O governador Beto Richa destaca que o Estado atende a todos os 399 municípi- os, resguardando sempre os preceitos da legalidade, da moralidade e da ética. “Te- mos compromisso com todos os municí- pios. Não fazemos distinção política para os investimentos. É um critério técnico”, afirma Richa. AJUSTE FISCAL - As transferênci- as obrigatórias de recursos do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Ser- viços (ICMS) e Imposto sobre Serviço (ISS), aumentaram nos últimos dois anos. Com as medidas do ajuste fiscal feito pelo governo estadual, os repasses das recei- tas do ICMS e do ISS para a prefeitura de Curitiba aumentaram 45%. A comparação é dos primeiros cinco meses de 2014 com o mesmo período de 2016. Isso representa aumento de receita de R$ 260 milhões. Desde 2011, foram repassados ao município cerca de R$ 5,5 bi- lhões. Essas são as transferên- cias obrigatórias. PAVIMENTAÇÃO – O Go- verno do Estado disponibilizou financiamentos de R$ 77 mi- lhões para Curitiba, recursos que a prefeitura usou para pa- vimentação de ruas e construiu calçadas em mais de 60 quilô- metros. As obras incluem a revitalização da Avenida Agamenon Magalhães e da Rua Raul Pompéia, uma reivindicação de mais de 20 anos dos moradores. Outras vias revitalizadas com recursos do financi- amento feito pelo Estado foram: Aveni- da Batel, Senador Salgado Filho, Victor Ferreira do Amaral, São Francisco, Ala- meda Doutor Carlos de Carvalho, Augusto Stresser, Fagundes Varella e Bispo Dom José. Parte do montante foi aplicado em obras do Anel Viário. O Estado garantiu recursos, ainda, para construção do Centro da Juventude Vila Audi União e do Jardim Eucaliptos, do bairro Boqueirão, e o Centro de Convivên- cia do bairro Tatuquara. A estrutura tem piscina semi-olímpica aquecida e coberta e piscina para hidroginástica. TRANSPORTE - Desde 2013, o Go- verno do Estado isenta as empresas de ôni- bus da Região Metropolitana de Curitiba de pagar o ICMS sobre o óleo diesel, o que possibilita a desoneração dos custos e a redução do valor da passagem. De 2013 a janeiro de 2016, o subsídio significou isenção de R$ 38,52 milhões para as em- presas em Curitiba. Ao todo, o subsídio para o transporta da RMC chegou a R$ 176 milhões. SAÚDE – O Governo do Estado fi- nanciou R$ 5,2 milhões para compra de equipamentos para os postos de saúde da capital. Além disso, o Estado investiu R$ 6,2 milhões na construção cinco unidades de Saúde – nos bairros Xaxim, Coquei- ros, Vila Sabará, Campo Alegre (CIC) e Jardim Aliança, no Santa Cândida. Foram destinados, também, recursos para com- pra de 46 ambulâncias para Curitiba. O secretário da Saúde, Michele Caputo Neto, afirma que essa é a pri- meira vez na história que uma administração municipal recebe recursos do Estado para contra- tar cirurgias eletivas e exames. “Nunca foi feito isto antes. Essa gestão é a primeira a rece- ber esses recursos. Na semana passada, foram R$ 3 milhões para o teto das cirurgias eletivas e exames. É a primeira vez que o Estaco coloca dinheiro”, afir- mou Caputo. Além disso, ele ci- tou ajuda de R$ 900 mil por mês para compra de medicamentos. HOSPITAIS - O Governo do Estado também destina R$ 36,7 milhões anuais para a ampliação de serviços à população em hospitais de Curitiba. Os recursos são transferidos ao Fundo Municipal da Saú- de de Curitiba para serem repassados aos 10 hospitais de média e alta complexidade da capital que atendem pelo SUS. São eles: Hospital de Clínicas, Hospital do Traba- lhador, Erasto Gaetner, Evangélico, Santa Casa de Curitiba, Cajuru, Hospital do ido- so Zilda Arns, Cruz Vermelha, Pequeno Príncipe e São Vicente. MAIS AÇÕES - Na área social os in- vestimentos do Estado em Curitiba, nos últimos, foram de R$ 27 milhões; na se- gurança R$82 milhões e na habitação R$ 67 milhões. Desde 2011, os projetos habitacionais com participação do Gover- no do Paraná beneficiaram 2.307 famílias curitibanas. No período, foram entregues 1.505 casas populares na cidade e outras 556 estão em obras. Outra ação impor- tante é o programa de regularização fundiária, que garantiu a entrega de 246 títulos de propriedade em Curitiba. Tel: 3357-3601, Celular 8462-3354 - 99105354 Rua Ilda C. Manasczuk, 4444 - Jd Aliança - Santa Cândida Contador: Sandro da Silva Constituição e Encerramento de Empresas Imposto de Renda Assessoria Contábil, Empresarial, Financeira, RH
  8. 8. 8
  9. 9. 9 Pelo de rato mosca e barata por que a Anvisa tolera bichos nas comidas Re- centemente, a Anvisa (Agência Nacio- nal deVigilância Sanitária) proibiu a ven- da de cinco marcas de extrato e molho de tomate com pelo de roedor acima da média permitida pelo órgão. Muitos internautas então pergunta- ram: "Quer dizer que um pouco de pelo de rato é tolerado?". A resposta é sim. A legislação brasileira tolera a pre- sença não só de pelo de ratos, mas tam- bém de pedaços de moscas, baratas, ara- nhas, formigas, areia, pelo humano, teias e até excrementos animais -desde que estejam dentro do limite estabelecido por lei. Quem determina este limite é o RDC-14, um conjunto de leis criado em 2014 que determina quanta "sujeira" é aceita num alimento sem que isso cause problemas de saúde para o consumidor. Ali diz quantos fragmentos -ou seja, partes visíveis ou não a olho nu- de ma- téria estranha (insetos, excrementos, animais e pelos) pode haver no alimen- to.Antes, não havia regulamentação para os limites de tolerância. "Os fragmentos podem ser macros ou microscópicos. Ou seja, podemos en- contrar um pelo de rato inteiro ou em fragmentos tão pequenos que não seja possível visualizá-los a olho nu". Para se ter uma ideia, 100 gramas de molho de tomate podem ter até dez fragmentos de insetos (como formigas e moscas) e/ou um fragmento de pelo de roedor. Pelos de rato também são toleráveis em frutas desidratadas (1 em cada 225 g de uva passa), chás (2 em cada 25 g), especiarias (1 em cada 50 g de pimenta do reino) e achocolatados (1 em cada 100 gramas). Veja alguns exemplos: Molho e extrato de tomate, catchup e outros derivados: um fragmento de pelo de roedor a cada 100 g, dez fragmentos de insetos (como moscas e aranhas) a cada 100 g Doces em pasta e geleia de frutas: Pelo de rato, mosca e barata: por que a Anvisa 'tolera' bichos nas comidas? 25 fragmentos de insetos a cada 100 g Farinha de trigo: 75 fragmentos de insetos a cada 50 g Biscoitos, produtos de panificação e confeitaria: 225 fragmentos de insetos a cada 225 g Café torrado e moído: 60 fragmentos de insetos a cada 25 g Chá de menta ou hortelã: 300 frag- mentos de insetos em 25 g, cinco insetos inteiros mortos em 25 g, dois fragmentos de pelos de roedor em 25 g Orégano: 20 fragmentos de insetos em 10 g Mas isso é normal? Para a especialista em legislação (IngridSchmidt-Hebbel,coordenadorado Tecnologia em Gastronomia do Centro Universitário Senac-Santo Amaro), a produção de alimentos industrializados totalmente isenta de fragmentos de in- setos e outros animais é inviável: "Isso se deve ao fato dos insetos e outros animais habitarem as lavouras e serem 'carregados' no momento da co- lheita". Além disso, os animais podem entrar em contato com os alimentos no trans- porte e no armazenamento, antes de sua transformação na indústria. "Esta legis- lação tolera as matérias estranhas inevi- táveis, que ocorrem mesmo com adição de boas práticas e em alguns alimentos especificamente", explica. Não é só no Brasil que é assim. Nos Estados Unidos, por exemplo, o FDA (Food and Drug Administration), órgão responsável pelo controle dos alimentos no país, aceita fragmentos de animais em alimentos industrializados em níveis bem próximos aos nossos. E faz mal? A existência de pelo de rato e outros insetos nos alimentos, desde que dentro dos limites estabelecidos pelaAnvisa, não faz mal para a saúde. Segundo Schmidt- Hebbel, saber da existência do pelo de rato no molho de tomate, por exemplo, causa repulsa, mas não dano. "Os alimentos industrializados são submetidos a processos que elevam sua temperatura, o que ajuda a matar a mai- oria dos micro-organismos", explica. O que acontece com as empresas reprovadas? Quando o lote de um alimento é re- provado pela Vigilância Sanitária, a em- presa é notificada e deve, obrigatoria- mente, recolher os produtos. O descumprimento da regra carac- teriza infração à legislação sanitária, e a empresa pode ser punida com interdição, cancelamento de autorização e multa de R$ 2 mil a R$ 1,5 milhão. Já o consumidor que adquiriu um pro- duto reprovado tem direito a fazer a tro- ca ou ter o seu dinheiro de volta. Para isso, é preciso entrar em contato com o serviço de atendimento ao cliente do fa- bricante e/ou um advogado. Não existe uma periodicidade padrão para que a fiscalização nos alimentos seja feita. As vigilâncias sanitárias dos Esta- dos e municípios costumam realizar os testes. Quando há irregularidade, a Anvisa é notifica e proíbe o consumo. Fonte: Uol Gabriel Francisco Ceccon Enebelo, Advogado Fomento Paraná abre crédito para apoiar empreendedores da área da cultura O programa Fomento Cultura ofertará crédito acessível, com juros baixos e prazos adequados, para apoiar empreendedores de micro e pequeno porte em todo o estado que necessitem de recursos para fortalecer atividades da economia criativa. O Governo do Estado lançou nesta segunda-feira, por meio da Fomento Paraná e da Secretaria de Estado da Cul- tura, o programa Fomento Cultura. O lan- çamento foi feito pelo presidente da Fo- mento Paraná, Juraci Barbosa, e pelo secretário de Estado da Cultura, João Luiz Fiani, em evento no Palácio Iguaçu, em Curitiba, com a presença de produ- tores culturais, artistas e representantes de entidades do setor. O programa consiste na oferta de li- nhas de crédito da Fomento Paraná para financiar empreendedores de micro e pe- queno porte, em todo o Estado, que ne- cessitem de recursos para alavancar ati- vidades desenvolvidas na chamada eco- nomia criativa. “O governador Beto Richa criou o conceito de Banco do Empreen- dedor, que é um leque de opções de fi- nanciamento gerenciado pela Fomento Paraná com muito sucesso e com pre- sença em todo o estado”, explicou Juraci Barbosa.“Agora queremos que também os empreendimentos da economia criativa possam aproveitar o crédito para fortale- cer suas atividades, comprando equipa- mentos, reformando de instalações ou usando capital de giro”, afirmou. “Vamos ofertar o crédito para apoiar desde aquele empreendedor individual da área cultu- ral, que é um músico, um artista plásti- co, iluminador, ou um grupo teatral, uma produtora de cinema ou empreendimen- tos de maior porte, que precisam de re- cursos para equipamentos e instalações em suas atividades.”
  10. 10. 10 PAPELARIA COLORIR LAN HOUSE XEROX - IMPRESSÃO COLORIDA ENCADERNAÇÃO - PLASTIFICAÇÃO MATERIAL ESCOLAR E PRESENTES SUPRIMENTOS DE INFORMÁTICA - ASSISTÊNCIA TÉCNICA EM COMPUTADORES E NOTEBOOK FONE: (41) 3049.6615 - papelariaanjoazul@gmail.com RUA FERNANDO DE NORONHA, 390 - LOJA 1 - SANTA CANDIDA A Procuradoria-Geral do Município vai analisar o relatório final da CPI da Vila Domitila, estudar o histórico do de- creto 520/1994 e verificar se há possibi- lidade de anulação desse documento. A afirmação foi feita pelo prefeito de Curitiba a moradores da Vila Domitila e integrantes da comissão da Câmara Municipal. O parecer foi entregue a ele no dia 15 de setembro, com mais 3 volu- mes, que totalizam 1.353 páginas – que reúnem informações como atas das reu- niões, mapas e depoimentos. A revogação do decreto de 1994, que substituiu uma antiga planta da região, é uma das seis recomendações aprovadas pelo colegiado e que já foram entregues aos ministérios públicos estadual e fede- ral. Se anulado pela prefeitura, passará a valer uma planta de 1959. “O prefeito da época [que assinou o decreto 250] não se atentou que após a promulgação do decreto, as famílias ficaram totalmente desamparadas, tendo em vista que o INSS conseguiu regularizar toda a área em seu nome, não dando chance de ne- gociação com os moradores que ali se encontravam. Dessa forma, os vereado- res membros dessa CPI requerem com urgência a revogação do Decreto 520/ 1994”, pede o documento. “Esperamos que o Município faça bom uso da documentação. Foi um tra- balho árduo para levantar todas as infor- mações, ouvir todos os envolvidos. O momento é histórico e precisa ficar nos anais da prefeitura. Se as famílias tive- Existem algumas maneiras de encon- trar soluções para nossos problemas, e uma delas é a oração. O UOL Ciência divulgou a notícia so- bre uma pesquisa realizada no Reino Uni- do e nos EUA, na qual os cientistas obti- veram a "visão inédita de inicio da vida em embriões”, mas o mistério da vida huma- na nos primeiros estágios ainda per- manece, conclui o artigo. Na segunda metade do sé- culo XIX, Mary Baker Eddy escreveu o livro Ciência e Saú- de, em parte motivada por um médico, que ficou curioso com a cura instantânea por meio da oração que Eddy realizara em sua pa- ciente desenganada. As ideias que o livro Ciência e Saúde apresenta levam-nos a pensar sobre a ori- gem da vida: “Quem é que alguma vez constatou que a vida finita ou o amor finito sejam suficientes para atender às carênci- as e aflições humanas – para fazer calar os desejos e satisfazer as aspirações? ... Daí o insatisfeito anseio humano por algo melhor, mais elevado, mais sagrado do que o propiciado pela crença material em um Vila Domitila: prefeitura vai estudar anulação do decreto de 1994 rem realmente que sair, que elas sejam ao menos indenizadas porque se trata de dezenas de vidas dedicadas à Vila Domitila”, disse a presidente da CPI. “O decreto foi fundamental para se- lar o destino das famílias e a sua anula- ção pode ajudar os moradores. A prefei- tura precisa se manifestar, porque se houver base legal, o decreto pode ser anulado. Famílias que moram há 50 anos no local estão sendo despejadas”, com- pletou outro integrante da comissão. Os moradores presentes defenderam que a revogação do documento pode tirar os direitos do INSS sobre a área e evitar os despejos. Conforme o prefeito, a PGM vai es- tudar toda a documentação relacionada ao decreto municipal para identificar se há base legal para revogar o decreto. Ele solicitou aos moradores e vereadores a formação de um grupo para ajudar nes- te estudo, tirando todas as dúvidas que vierem a surgir a partir da documenta- ção apresentada. A entrega do relatório à prefeitura encerra os trabalhos da CPI da Vila Domitila. Instalação da CPI Após o pedido de moradores realiza- do no fim de 2015 , em maio deste ano a Câmara de Curitiba instalou a CPI para investigar a disputa deles com o INSS por uma área de 191.480m² na Vila Domitila.Aproximadamente 250 famíli- as brigam na Justiça pela posse, sendo que mais de 40 já foram despejadas. É a origem da vida um mistério? Deus físico e em um homem físico. O fato de que essa crença é insuficiente para proporcionar a ideia verdadeira prova que a crença material é errônea. ” Muitas pessoas no mundo leem esse livro em busca de respostas para di- versas questões, e uma delas é a origem da vida. Ao descobrir e compreender que a fonte espiri- tual da vida é Deus e voltando- se a Ele, cada um pode experi- mentar como esse anseio por respostas pode ser satisfeito. A conscientização de fatos espirituais elimina o medo, a dúvida, a insegurança e estabelece uma base mais firme para a sa- tisfação, para a saúde e para a harmonia. Meu amigo Mário tinha o desejo de ter filhos desde muito jovem, mas quando adulto recebeu um diagnóstico médico de que não os poderia ter. Dedicou-se a estu- dar o livro Ciência e Saúde e compreen- deu que se o Princípio de todas as coisas é perfeito, ele só poderia expressar essa perfeição. Depois de alguns anos, os filhos vie- ram, apesar de serem de casamentos dife- rentes. Em seu primeiro casamento a deci- são foi pela adoção de uma linda menina, mas em seu segundo casamento sua espo- sa engravidou sem tratamento médico. Sua segunda esposa relata que, como estava habituada a estudar esse livro, en- controu uma mensagem que a fez pensar na gravidez a partir do ponto de vista de que Deus é o Pai de todos. Essa leitura trouxe muita paz ao casal e em pouco tem- po, ela estava grávida. Na Vida, que é Deus, não há mistério, mas sim clareza; a resposta é previsível, pois é sempre aquela que mais abençoa. Existem algumas maneiras de encontrar soluções para nossos problemas, e uma delas é por meio da oração. Ana Carla Vicencio é do Comitê de Pu- blicação da Ciência Cristã e escreve sobre bem-estar, saúde e espiritualidade.
  11. 11. 11 Uma mulher passava as compras no caixa de supermercado e percebeu que um bêbado examinava detalhadamente seus itens de compra: 2 caixas de leite integral, 1 dúzia de ovos, 1 litro de suco de laranja, 1 alface, 1 kg de café e 1 pacote de bacon fatiado. Enquanto o caixa registrava, o bêbado dirigiu-se a ela e disse: - Você deve ser solteira. A mulher ficou um pouco espantada com a declaração, e intrigada com a intuição do bêbado, já que, de fato, era solteira. Ela olhou os seis itens sobre a esteira e nada viu de particular, em sua seleção, que pudesse sugerir ao bêbado seu estado civil. Com a curiosidade aguçada, ela disse: - O senhor está absolutamente correto. Mas como o senhor conseguiu descobrir isso? E o bêbado respondeu: - É porque você é feia pra caramba! -o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o- Jacó vai a uma delegacia de polícia para relatar que sua esposa Rebeca está sumida. - Eu perdi minha esposa. Ela foi às compras ontem e ainda não voltou para casa. Policial: - Qual é a altura dela? Jacó: - Eu acho que ela tem 1,60 e mais alguma coisa. Policial: - E quanto a sua forma física? Jacó: - Ela não é magra, mas nem é muito gorda. Policial: - De que cor são seus olhos, senhor? Jacó: - Eu não sei, eu nunca notei realmente. Policial: - E o que dizer da cor de seu cabelo? Jacó: - Ela muda conforme a época e sempre que ela vai ao cabeleireiro. Policial: - Que roupa que ela estava usando quando você a viu pela última vez? Jacó: - Eu acho que ela estava usando um vestido ou calça jeans azul ou outra coisa que eu não me lembro. Policial: - Será que ela foi às compras de carro? Jacó: - Sim, ela foi. Policial: - E qual é a marca do carro? Jacó: - É um de alta performance, Audi com uma pintura metálica cinza prata muito especial. Câmbio automático de 8 velocidades de última geração com motor V12, e pelo menos 460 HP. Ele tem rodas especiais de titânio com Super Performance Z51; são maiores do que as rodas normais de liga GT. Navegação por satélite com cobertura mundial, e injeção direta. E também, infelizmente, tem um arranhão muito fino na porta dianteira esquerda. E... Neste ponto, Jacó começa a chorar. Policial: - Não se preocupe senhor... Vamos encontrar o seu carro. -o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o- No balcão da Alfandega: - Seu nome ? - Abu Abdalah Sarafi. - Sexo? - Quatro vezes por semana. - Não, não, não! Homem ou mulher? - Homem, mulher, e algumas vezes camelo. -o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o- O bêbado entrou na contramão e o guarda o deteve: - Onde é que o senhor pensa que vai? -Bom. . . eu ia a uma festa, mas parece que ela já acabou... Tá todo mundo voltando. -o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o- Galileu, quando afirmou que o mundo apenas girava, confirmou o que os bêbados já sabiam há muito tempo. Ao sair do boteco, todo embriagado, consegue chegar em casa com muito custo. Abre a porta e vai correndo para o banheiro. Assustado, corre para o quarto e acorda a mulher: - Ô mulher.... Essa casa tá mal assombrada! Eu abri a porta do banheiro e a luz acendeu sozinha. Depois, fechei a porta e a luz apagou sozinha.... Amulher, louca da vida, grita: - Filho da pu*a! Você mijou na geladeira de novo! -o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o- O dono do bar já estava de saco cheio com o bêbado, que todo dia vinha ali encher a cara. Numa daquelas, quando o bêbado pediu “Bota mais uma”, ele despejou ácido no copo. O bêbado tomou, fez uma careta, disse “esta é forte, hein?” e saiu, cambaleando. Passaram-se vários dias e o bêbado não apareceu mais. O dono do bar até ficou preocupado, pensando que tinha matado o infeliz. Uma noite, o bêbado reaparece, já trocando as pernas, e pede uma pinga. O dono do bar serve a cachaça, o bêbado toma, faz careta, e diz: - Esta não, eu quero aquela que quando a gente faz xixi, enche a calça de buraquinho. -o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o- Um bêbado na parte de trás do ônibus, grita: - Desse banco pra frente todo mundo é corno! E daqui pra trás todo mundo é viado! Ao ouvir isto, levantam-se alguns dos passageiros, xingando o bêbado e ameaçando cobri-lo de porrada. O motorista, para evitar confusão, freia bruscamente e todos caem. Um deles se levanta, pega o bêbado pelo colarinho e pergunta: - Fala de novo, safado. Quem é corno e quem é viado? - Agora eu não sei. Misturou tudo!
  12. 12. 12 R$ 400,00 CNPJ 12.698306.0001-42 CNPJ 25.919.668/0001-68 Coligação Corrente do Bem - psc/psd/pen/ptc/ppl/pc do b/psl No dia 17 de setembro a Associação passou a ter uma sede para reuniões com a comunidade. Nesta primeira reunião recebeu candidatos à câmara de Curitiba, lideranças do esporte, representantes do comércio e prestadores de serviços, além do pastor Robson que também agrade- ceu pelo espaço que recebeu do Sr. Ivan (Presidente da AMAI), um espaço para a construção da sede da Igreja Pentecostal Senhor dos Exércitos ao lado da Associação dos Moradores. “Precisamos cuidar também de nos- sa saúde espiritual e nada melhor es- tarmos junto do grupo de pessoas que No dia 28 de agosto, a Igreja Presbiteriana do Brasil fez um culto em comemoração de um ano do gru- po de voluntários da Igreja que par- ticipam motivando aos usuários so- bre práticas de mudanças comportamentais e sociais voltadas para o desenvolvimento espiritual. Percebendo a necessidade de oferecer tratamento digno aos que esperam na fila para atendimento jun- to a Unidade de Saúde Tingui, toma- ram a decisão de fazer acolhimento ESPERA SOLIDÁRIA NA UNIDADE DE SAÚDE TINGUI aos usuários no Espaço Saúde, uma sala confortável e devidamente estruturada com o nome de Espaço Saúde Tingui. No local, todas as manhãs a par- tir das 6 horas, os usuários recebem informações concernentes ao dia-a- dia da Unidade de Saúde, além de ouvirem uma mensagem de fé e encorajamento. Parabéns aos voluntários que se dispõe a esse trabalho para o bem de toda a equipe de saúde Tingui. A.M.A.I TEM A 1ª REUNIÃO EM SUA NOVA SEDE estão em ação para o desenvolvimento de nossa comunidade e necessitando de uma sede também” diz, Ivan Tavares. “O local onde tem a sede da Associa- ção e da Igreja tem aval da Cohab, até definição da construção do CMEI – Centro Municipal de Educação Infan- til’’, afirma Ivan. O presidente da Associação dos Mo- radores disse que a entidade é voltada e direcionada a ações sociais e não se con- funde com condomínio. Sua função é ex- clusivamente pleitear perante os órgão públicos melhorias para a comunidade à qual está designada a representar.

×