Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
SUPERINTENDÊNCIA DE INTELIGÊNCIA PEDAGÓGICA E FORMAÇÃO 
NÚCLEO DA ESCOLA DE FORMAÇÃO 
GERÊNCIA DE FORMAÇÃO CENTRAL 
3ª AVA...
(A) Baralho. 
(B) Borracha. 
(C) Barraca. 
(D) Bolacha. 
H2. Ler palavras com estrutura silábica não canônica. 
Nesta habi...
adversária. Se a bola atingir um jogador e cair no chão, ele é queimado e considerado "morto". Mas, se ele conseguir segur...
Em circunstâncias normais, é impossível dormir por tantas horas seguidas, pois depois de um tempo de repouso, o organismo ...
(A) acompanhado. 
(B) abandonado. 
(C) assustado. 
(D) apavorado. 
H5. Compreender os sentidos de palavras e expressões em...
Gilles Eduar. Diálogos, interessantíssimos. São Paulo: Companhia das letras. 2013. 
ITEM 6 
No texto, Ambrósio é um 
(A) c...
ANÁLISE DO ITEM 
O estudante pode identificar o assunto do texto por meio de sua leitura completa e perceber que todas as ...
Cantiga 
Para a Isabela Malta Cardoso Ferro 
Que bela, a Isabela! 
O sol, todo dia, 
Acorda com ela. 
A lua, toda noite, 
...
ANÁLISE DO ITEM 
O estudante deve perceber que a palavra ―Isabela‖ foi substituída no texto e para isso, o escritor utiliz...
Página de diário pessoal 
Leia a página do diário de uma minhoca 
Diário de uma minhoca 
15 de abril 
Hoje me esqueci de l...
________________________________________________________________ _________________________________________________________...
SUPERINTENDÊNCIA DE INTELIGÊNCIA PEDAGÓGICA E FORMAÇÃO 
NÚCLEO DA ESCOLA DE FORMAÇÃO 
GERÊNCIA DE FORMAÇÃO CENTRAL 
2ª AVA...
ANÁLISE DO ITEM 
Para responder ao item, é necessário observar a linguagem verbal e não-verbal. Com isso, os alunos podem ...
As borboletas botam os ovos que se transformam em lagartas. As lagartas comem folhas e trocam de pele várias vezes e ficam...
solicitado, de forma direta, que o aluno identifique o tema ou o assunto principal do texto. O tema é o eixo sobre o qual ...
D2 - Estabelecer relações entre partes de um texto, identificando repetições ou substituições que contribuem para a contin...
(D) a cobra deixou a menina pegar muitas maçãs. 
Descritor 14 -Identificar o efeito de sentido decorrente do uso da pontua...
pelo autor ou, ainda, pela utilização de pontuação e notações. No caso desse item, o que se pretende é que o aluno reconhe...
informal, incluindo também as linguagens relacionadas a determinados domínios sociais, como, por exemplo, cerimônias relig...
As informações implícitas no texto são aquelas que não estão presentes claramente na base textual, mas podem ser construíd...
Severino José ( Baseado na fábula de Esopo ) 
Aquele que trabalha 
e guarda para o futuro, 
quando chega o tempo ruim, 
nu...
A Lebre e a Tartaruga (Fábula) 
Esopo 
Um dia, uma Lebre ridicularizou as pernas curtas e a lentidão da Tartaruga. 
A Tart...
– O senhor riu da simples ideia de que eu seria capaz, um dia, de retribuir seu favor. Mas agora sabe, que mesmo um pequen...
______________________________________________________________________ ___________________________________________________...
SUPERINTENDÊNCIA DE INTELIGÊNCIA PEDAGÓGICA E FORMAÇÃO 
NÚCLEO DA ESCOLA DE FORMAÇÃO 
GERÊNCIA DE FORMAÇÃO CENTRAL 
2ª AVA...
ITEM 1 
No verso: “Que seu corpo todo enroscava”, a palavra destacada significa 
(A) dançava. 
(B) enrolava. 
(C) passeava...
Por meio desse descritor, pode-se avaliar a habilidade de o aluno localizar, no percurso do texto, uma informação que, exp...
ANÁLISE DO ITEM 
Para identificar o tema do texto em análise é necessário identificar a principal informação dada pelo aut...
Texto 2 
http://elicaespanhol.blogspot.com.br/2011/09/personajes-del-mundo-hispano.htm, acesso em 11/03/2014 
ITEM 5 
Os d...
Ziraldo. Curta o Menino Maluquinho... em histórias rapidinhas! São Paulo: Globo, 2006, p. 35. 
ITEM 6 
No último quadrinho...
 Interpretar textos com o auxílio de elementos não-verbais (Matriz Curricular 2º ano; p.238. Eixo: Prática de leitura – s...
textual e na transposição do que seja real para o imaginário. É importante que o aluno apreenda o texto como um todo, para...
 Identificar a função dos sinais de pontuação na produção de sentidos. (Matriz Curricular do 3º ano; p.241. Eixo: prática...
 Ler com diferentes objetivos: entretenimento, consulta, busca de informação e outros. (Matriz curricular 5º ano, 1°, 2° ...
PRODUÇÃO DE TEXTO 
Releia o texto ―Corrida dos Sapinhos‖ de Monteiro Lobato, no item 4, ele é uma fábula, gênero textual q...
SUPERINTENDÊNCIA DE INTELIGÊNCIA PEDAGÓGICA E FORMAÇÃO 
NÚCLEO DA ESCOLA DE FORMAÇÃO 
GERÊNCIA DE FORMAÇÃO CENTRAL 
2ª AVA...
ITEM 1 
A tese defendida pelo autor é a de que o amor resulta 
(A) de demandas românticas. 
(B) de processos puramente fis...
Disponível em http://jataovaqueiro.blogspot.com.br/2012/11/a-seca-do-nordeste-por- adnael.html.Acesso em 18/03/2014. 
Text...
 Identificar diferentes formas de tratar uma informação na comparação de textos que tratam do mesmo tema 
ANÁLISE DO ITEM...
representação, fazendo demandas de leitura de elementos não verbais para o entendimento global do texto exposto. 
EXPECTAT...
a avaliação dessa habilidade deve levar o aluno a distinguir, entre uma série de segmentos, aqueles que constituem element...
No trecho, ''te deixará pasmo, surpreso, perplexo...', a ordem em que as palavras destacadas aparecem nesse texto sugere 
...
Leia o texto abaixo e, a seguir, responda ao item 6. Disponível em http://bancodeaulas.blogspot.com.br/2013/08/atividade-s...
EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM  Identificar na leitura de um texto de propaganda os efeitos de sentido, a capacidade de sed...
O item relacionado a esse descritor deve levar o aluno a identificar, em uma passagem de caráter argumentativo, as razões ...
D-2 Estabelecer relações entre partes de um texto, identificando repetições ou substituições que contribuem para a continu...
Leia os textos abaixo e, a seguir, responda ao item 10. 
Limites ao fumo 
Texto I 
''Países desenvolvidos estão tentando l...
 Identificar em textos diferentes, pontos de vista semelhantes ou contraditórios, ambíguas, distintas ou complementares s...
telefone para contato e/ou o local para a coleta de alimentos. Use a imaginação, você é capaz. Bom trabalho. 
____________...
SUPERINTENDÊNCIA DE INTELIGÊNCIA PEDAGÓGICA E FORMAÇÃO 
NÚCLEO DA ESCOLA DE FORMAÇÃO 
GERÊNCIA DE FORMAÇÃO CENTRAL 
2ª AVA...
CAZUZA "MOSTRA SUA CARA": PRIMEIRA EXPOSIÇÃO DO MUSEU DA LÍNGUA PORTUGUESA A HOMENAGEAR UM POETA-CANTOR. 
―Eu vejo o futur...
marcaram a história da música brasileira e vêm influenciando gerações até hoje, vinte e três anos após sua morte. 
Fico im...
(D) alarmado. 
(E) perturbado. 
D3- Inferir o sentido de uma palavra ou expressão. 
Por meio deste descritor, pode-se aval...
Disponível em: https://www.google.com.br/search?q=tirinhas+do+mauricio+ricardo&espv=2&es_sm=93&tbm=isch&tbo=u&source=univ&...
Leia o texto abaixo e, a seguir, responda aos itens 5, 6,7 e 8. 
Texto 1 
A VIOLÊNCIA NÃO É UMA FANTASIA 
Lya Luft 
A viol...
irresponsabilidade. E é bom lembrar que, com shoppings fechando ainda que por algumas horas, os empregados perdem bonifica...
Adcp3
Adcp3
Adcp3
Adcp3
Adcp3
Adcp3
Adcp3
Adcp3
Adcp3
Adcp3
Adcp3
Adcp3
Adcp3
Adcp3
Adcp3
Adcp3
Adcp3
Adcp3
Adcp3
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Adcp3

  • Login to see the comments

Adcp3

  1. 1. SUPERINTENDÊNCIA DE INTELIGÊNCIA PEDAGÓGICA E FORMAÇÃO NÚCLEO DA ESCOLA DE FORMAÇÃO GERÊNCIA DE FORMAÇÃO CENTRAL 3ª AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 2014 LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL ITEM 1 Faça um “X” no quadradinho em que aparece o nome da figura que você está vendo. (A) Xícara (B) Xarada (C) xarope (D) Xerife H1. Ler palavras com estrutura silábica canônica. Neste descritor, a habilidade avaliada é a capacidade de o estudante ler palavras formadas por sílabas canônicas, ou seja, sílabas formadas por consoante-vogal e, que nas palavras, aparecem sempre nessa ordem: consoante, vogal, consoante, vogal. EXPECTATIVA DE APRENDIZAGEM  Conhecer o alfabeto e os diferentes tipos de letras. (Currículo Referência 1º ano; p.5. Eixo: prática de leitura). ANÁLISE DO ITEM O estudante deve identificar, entre as opções apresentadas, aquela em que alternativa correspondente à imagem. Essa atividade pode sinalizar a real capacidade de leitura do estudante e não a mera adivinhação da palavra escrita. ITEM 2 Marque um X no quadradinho onde está escrito o nome da figura abaixo.
  2. 2. (A) Baralho. (B) Borracha. (C) Barraca. (D) Bolacha. H2. Ler palavras com estrutura silábica não canônica. Nesta habilidade há uma complexidade um pouco maior que a do item anterior, pois as sílabas não canônicas são as que fogem do modelo consoante seguida de vogal. São as formadas, geralmente, por dígrafos e grupos consonantais, como por exemplos: seta/esta, secola/escola. EXPECTATIVA DE APRENDIZAGEM  Conhecer o alfabeto e os diferentes tipos de letras. (Currículo Referência 1º ano; p.5. Eixo: prática de leitura). ANÁLISE DO ITEM Este item exige uma maior capacidade de leitura, pois o estudante deverá conhecer a estrutura de sílabas não canônicas. O item exige a leitura de palavras formadas por dígrafos e por encontros consonantais. O gabarito é a palavra ―bolacha‖, que é formada por dígrafo, ou seja, a reunião de duas letras que representam um só fonema. Leia o texto abaixo e, a seguir, responda ao item 3. Queimada Objetivo Os integrantes de cada uma das duas equipes devem tentar acertar a bola nos integrantes do time adversário. Quantos jogam Dez ou mais Material Bola, giz ou corda. Como jogar As crianças são agrupadas em duas equipes e cada uma delas deve enviar um jogador para trás do campo adversário. Esse jogador é chamado de "morto voluntário", ele volta ao campo do seu time quando um de seus companheiros se tornar "morto". Os jogadores devem permanecer nos limites do seu campo. A partida começa com a bola na posse de um dos times. Um jogador a lança tentando acertar alguém da equipe
  3. 3. adversária. Se a bola atingir um jogador e cair no chão, ele é queimado e considerado "morto". Mas, se ele conseguir segurar a bola ou ela acertar em sua cabeça, ele continua "vivo". Ao "morrer", o jogador deve ir para trás da linha de fundo do campo oposto e lançar a bola, com o objetivo de queimar alguém do time adversário. Se conseguir, ele se salva e volta ao seu campo. O jogo acaba quando todos os integrantes de uma equipe estiverem "mortos" e o último a "morrer" tem o direito de realizar três arremessos para tentar se salvar e continuar jogando Disponível em http://revistaescola.abril.com.br/educacao-infantil/4-a-6-anos/regras- brincadeiras-bola-599756.shtml. Acesso em 14.04.2014. ITEM 3 Este texto serve para (A) anunciar um produto. (B) ensinar uma brincadeira. (C) convidar para uma festa. (D) divulgar notícias do dia a dia. H3. Reconhecer a finalidade do texto. Por meio deste descritor pode-se avaliar a habilidade de o aluno compreender qual é a função social do texto: informar, convencer, advertir, instruir, explicar, comentar, divertir, solicitar, recomendar etc. A partir da leitura do texto como um todo, ele deve perceber a intencionalidade do autor, isto é, seus propósitos. Elementos linguísticos e outros contextuais funcionam como pistas para a identificação da finalidade pretendida pelo texto. ANÁLISE DO ITEM Todo texto possui uma função social, seu conteúdo, seu estilo e sua forma estão sujeitos a essa função. Para que os alunos consigam identificar a finalidade do texto em questão, é necessário que no processo de aprendizagem eles possam discutir qual a finalidade dos diversos textos lidos dentro e fora da sala de aula. O texto Queimada tem como objetivo ensinar uma brincadeira. Assim, o gabarito é a letra B. Leia o texto abaixo e, a seguir, responda ao item 4. Alguém pode dormir 24h por dia?
  4. 4. Em circunstâncias normais, é impossível dormir por tantas horas seguidas, pois depois de um tempo de repouso, o organismo sente necessidade de água e de alimento. Quando uma pessoa fica acordada por muito tempo, ela costuma dormir no Maximo 17 horas. Mais tempo de sono pode ser sinal de algum tipo de doença, a menos que nesse período a pessoa desperte algumas vezes. Disponível em Disponível: Revista Recreio, nº 265. Acesso em 18/04/2014. ITEM 4 De acordo com o texto, é (A) impossível dormir 24 horas por dia. (B) normal dormir mais de 24 horas por dia. (C) normal ficar acordado 24 horas por dia. (D) impossível ficar acordado 24 horas por dia. H4. Localizar informações explícitas em textos. Por meio desse descritor, pode-se avaliar a habilidade de o aluno localizar, no percurso do texto, uma informação que, explicitamente, consta na sua superfície. EXPECTATIVA DE APRENDIZAGEM  Localizar informações explícitas em pequeno texto. (Currículo Referência - 2º ano; p. 238. Eixo: prática de leitura - 2º Bimestre); ANÁLISE DO ITEM O item solicita a habilidade de localizar informações explícitas em um texto. Questões desse tipo oferecem diferentes graus de complexidade, pois os dados solicitados podem vir expressos literalmente no texto. Para responder corretamente, é preciso ter a habilidade de seguir as pistas fornecidas. No texto ―Alguém pode dormir 24h por dia?”, o estudante deve reconhecer a informação que se encontra na primeira linha do texto. Leia o texto abaixo e, a seguir, responda ao item 5. Eu Tatiana Belinky - Ninguém quer saber de mim, Triste reclama o Joaquim, - As minhas noites são chatas, Estou ―entregue as baratas‖! Disponível em O livro das tantianices. São Paulo: Salamandra, 2004. P. 28. ITEM 5 No texto, a expressão entregue as baratas significa
  5. 5. (A) acompanhado. (B) abandonado. (C) assustado. (D) apavorado. H5. Compreender os sentidos de palavras e expressões em textos. Por meio deste descritor, pode-se avaliar a habilidade de o aluno relacionar informações, compreendendo o sentido de uma palavra ou expressão no texto, ou seja, dando a determinadas palavras seu sentido conotativo. Com esse descritor, pretende-se verificar se o leitor é capaz de compreender o significado de uma palavra ou expressão que ele desconhece. Essa habilidade é avaliada por meio de um texto no qual o aluno, ao compreender o sentido da palavra ou expressão, seleciona informações também presentes na superfície textual e estabelece relações entre essas informações e seus conhecimentos prévios. ANÁLISE DO ITEM Nesta questão, os alunos deverão acionar o seu repertório linguístico para compreender o sentido da expressão entregue às baratas que no contexto do texto em questão significa que o personagem Joaquim está abandonado. Para que os alunos consigam compreender o sentido de palavras e expressões em textos de gêneros variados, é necessário que haja um trabalho com a polissemia das palavras e o significado que podem ter no seu sentido conotativo ou denotativo. Leia o texto abaixo e, a seguir, responda aos itens 6 e 7. O telefone Triiim...Triiim... Triiim... _Au? _Alô? É você, Rex? _Au! Au! _Ambrósio está? _Au. _ Vá chamá-lo, por favor. _Au... _Alô, Ambrósio? _Miau. _Ambrósio não esqueça de tomar o seu remédio. _Miau. _ Então um beijo, até já. Bip,bip,bip,bip...
  6. 6. Gilles Eduar. Diálogos, interessantíssimos. São Paulo: Companhia das letras. 2013. ITEM 6 No texto, Ambrósio é um (A) cachorro. (B) papagaio. (C) coelho. (D) gato. H6. Realizar inferências a partir da leitura de textos verbais Inferir significa realizar um raciocínio com base em informações já conhecidas, a fim de se chegar a informações novas, que não estejam explicitamente marcadas no texto. EXPECTATIVA DE APRENDIZAGEM  Inferir sobre o sentido das palavras de acordo com o contexto. (Currículo Referência - 3º ano; p. 12. Eixo: prática de leitura - 1º Bimestre); ANÁLISE DO ITEM A habilidade avaliada neste item é a de inferir informação. Para realizar a inferência solicitada pelo item e identificar a resposta correta, o estudante precisa recorrer a conhecimentos prévios sobre a temática tratada. Não é necessário conhecer os personagens, mas inferir informações baseadas no contexto da história, ou seja, com base nas informações, concluir que Ambrósio no texto é um gato. ITEM 7 O assunto desse texto é (A) lembrar o cachorro de tomar o remédio. (B) lembrar o gato de tomar o remédio. (C) conversar com o cachorro. (D) saber se o Ambrósio está. H8. Identificar o assunto de um texto. Por meio desse descritor, pode-se avaliar a habilidade de o aluno reconhecer o assunto principal do texto. Para que o aluno identifique o assunto, é necessário relacionar as diferentes informações para construir o sentido global do texto. Essa habilidade é avaliada por meio de um texto para o qual é solicitado, de forma direta, que o aluno identifique o tema ou o assunto principal. EXPECTATIVA DE APRENDIZAGEM  Identificar o assunto do texto (Currículo Referência - 3º ano; p. 13. Eixo: prática de leitura - 1º Bimestre).
  7. 7. ANÁLISE DO ITEM O estudante pode identificar o assunto do texto por meio de sua leitura completa e perceber que todas as informações presentes se referem ao fato de uma pessoa ligar para lembrar o gato de tomar o remédio. Gabarito letra B. Leia o texto abaixo e, a seguir, responda ao item 8. ITEM 8 No último quadrinho, as letras grandes e a expressão do menino indicam que ele está (A) chorando. (B) sorrindo. (C) gritando. (D) cochichando. H7. Realizar inferências a partir da leitura de textos que articulem a linguagem verbal e não verbal. Por meio deste descritor pode-se avaliar a habilidade de o aluno reconhecer a utilização de elementos gráficos (não verbais) como apoio na construção do sentido e de interpretar textos que utilizam linguagem verbal e não verbal (textos multissemióticos). Essa habilidade pode ser avaliada por meio de textos compostos por gráficos, desenhos, fotos, tirinhas, charges. ANÁLISE DO ITEM O estudante deve observar a articulação entre a linguagem não verbal e a verbal para chegar à resposta correta. Ao observar a imagem, percebe-se pela expressão facial da personagem e pelos elementos gráficos presentes ( letras em caixa alta, forma do quadrinho) no texto que ela está gritando. Dessa foram, a alternativa correta é a letra C. Leia o texto abaixo e, a seguir, responda ao item 9.
  8. 8. Cantiga Para a Isabela Malta Cardoso Ferro Que bela, a Isabela! O sol, todo dia, Acorda com ela. A lua, toda noite, Vai dormir com ela. Que bela, a Isabela! Quando ela fala, Cantam os passarinhos. Quando ela cala, Voltam para os ninhos. Que Bela, a Isabela! Que anjo não gostaria De ser igual a ela? ITEM 9 Nesse poema, quem é ela? (A) A lua. (B) A Bela. (C) A noite. (D) A Isabela. H9. Estabelecer relações entre partes de um texto marcadas por elementos coesivos. Para a compreensão textual, o leitor deve ser capaz de (re)construir o caminho traçado pelo escritor e estabelecer as relações que foram marcadas no texto. Nesse sentido, o leitor deve ter habilidade de perceber como os referentes foram introduzidos e retomados no texto. Pretende-se, com esse descritor, verificar a capacidade de os estudantes relacionarem uma informação dada a outra informação nova, introduzida por meio e uma repetição, de uma elipse ou do uso de um pronome.
  9. 9. ANÁLISE DO ITEM O estudante deve perceber que a palavra ―Isabela‖ foi substituída no texto e para isso, o escritor utilizou um recurso linguístico a fim de não repetir a mesma palavra várias vezes. Neste caso, o pronome ―ela‖ substitui o nome ―Isabela‖. Gabarito letra D. ITEM 10 Leia o texto e, a seguir, responda ao item 10 Você sabia? Existem sete espécies de tartarugas marinhas e cinco delas são encontradas no Brasil. A maior parte vive em regiões de clima quente, pois depende do calor externo para equilibrar a temperatura do corpo. Só as fêmeas saem da água para colocar seus ovos na areia.As tartarugas, ao nascer, saem dos ovos, escavam até chegar à superfície da areia e correm em direção ao mar. As tartarugas - de- couro são as maiores. Elas alcançam até 800 quilos e 1 metro e 80 centímetros de comprimento. Revista recreio. Ano 7, nº 358.18 de janeiro de 2007. O assunto do texto é (A) as regiões quentes (B) o mar (C) a tartaruga marinha (D) o Brasil H8. Identificar o assunto de um texto Por meio deste descritor, pode-se avaliar a habilidade de o aluno reconhecer o assunto principal do texto. Para que o aluno identifique o assunto, é necessário relacionar as diferentes informações para construir o sentido global do texto. Essa habilidade é avaliada por meio de um texto para o qual é solicitado, de forma direta, que o aluno identifique o tema ou o assunto principal. EXPECTATIVA DE APRENDIZAGEM  Identificar o assunto do texto (Currículo Referência - 3º ano; p. 13. Eixo: prática de leitura - 1º Bimestre); ANÁLISE DO ITEM O estudante pode identificar o assunto do texto por meio de sua leitura completa e perceber que todas as informações presentes se referem tartaruga marinha. PRODUÇÃO DE TEXTO
  10. 10. Página de diário pessoal Leia a página do diário de uma minhoca Diário de uma minhoca 15 de abril Hoje me esqueci de levar lanche, fiquei com tanta fome que comi o dever de casa. A professora me mandou escrever dez vezes: ‗‘lição de casa não é comida!‘‘ Quando terminei, comi o castigo também. Lição de casa não é comida! Lição de casa não é comida! Lição de casa não é comida! Lição de casa não é comida! Que tal agora você também produzir uma página de diário pessoal? Você poderá fazer como a minhoca falar de si mesmo. Siga estas instruções: - No início da página, coloque a data e escolha uma forma de se dirigir ao diário; - Pense e decida o que vai contar; - Não se esqueça de contar também os pensamentos e as emoções que acompanharam o fato contado. -Se quiser, faça desenhos, pinte. Mãos à obra! ___________________________________ ________________________________________________________________ ________________________________________________________________ ________________________________________________________________ ________________________________________________________________ ________________________________________________________________ ________________________________________________________________ ________________________________________________________________ ________________________________________________________________
  11. 11. ________________________________________________________________ ________________________________________________________________ ________________________________________________________________
  12. 12. SUPERINTENDÊNCIA DE INTELIGÊNCIA PEDAGÓGICA E FORMAÇÃO NÚCLEO DA ESCOLA DE FORMAÇÃO GERÊNCIA DE FORMAÇÃO CENTRAL 2ª AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 2014 LÍNGUA PORTUGUESA 4º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL Leia o texto abaixo e, a seguir, responda ao item 1. ITEM 1 O segundo quadrinho mostra que o quarto do menino está (A) limpo. (B) arrumado. (C) impecável. (D) desorganizado Descritor 5 – Interpretar texto com auxílio de material gráfico diverso (propaganda, quadrinhos, fotos, etc.) Por meio deste descritor, pode-se avaliar a habilidade de o aluno reconhecer a utilização de elementos gráficos (não-verbais) como apoio na construção do sentido e de interpretar textos que utilizam linguagem verbal e não-verbal (textos multissemióticos). Essa habilidade pode ser avaliada por meio de textos compostos por gráficos, desenhos, fotos, tirinhas, charges. EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM  Interpretar textos com o auxílio de elementos não-verbais (Matriz Curricular 2º ano; p.238. Eixo: prática de leitura).  Utilizar estratégias de leitura com apoio de imagens, significado, informações não- verbais e conhecimento prévio (Matriz Curricular 2º ano; p.238. Eixo: prática de leitura).
  13. 13. ANÁLISE DO ITEM Para responder ao item, é necessário observar a linguagem verbal e não-verbal. Com isso, os alunos podem chegar à resposta correta, letra D, ao observarem que no segundo quadrinho, o quarto do menino está desorganizado. Leia os textos abaixo e, a seguir, responda aos itens 2, 3, 4 e 5. Texto I Disponível em http://bibocaambiental.blogspot.com.br/2012/10/borboletas-e-suas-maquiagens.html. Acesso em 06 de maio de 2014. Texto II A BORBOLETA A borboleta é o mais belo dos insetos. As borboletas voam de flor em flor, bebendo seu líquido doce, o néctar. Ao mesmo tempo, ajudam as flores a se transformar em frutos, porque carregam pólen de uma flor a outra.
  14. 14. As borboletas botam os ovos que se transformam em lagartas. As lagartas comem folhas e trocam de pele várias vezes e ficam de cabeça para baixo, depois elas se transformam em casulos ou pupas. Uma ou duas semanas depois, o casulo se abre e sai uma linda borboleta. Algumas espécies vivem apenas algumas semanas, outras chegam a viver quase um ano. Disponível em http://paraisodosprofessores.blogspot.com.br/2011/10/as-borboletas-texto-informativo.html. Acesso em 06 de maio de 2014. ITEM 2 Os dois textos falam (A) da morte rápida das borboletas. (B) da importância das lagartas para a flores. (C) do casulo que se transforma em lagarta. (D) da transformação da lagarta em borboleta. Descritor 15 - Reconhecer diferentes formas de tratar uma informação na comparação de textos que tratam do mesmo tema em função das condições em que eles foram produzidos e daqueles em que serão recebidos. Por meio deste descritor, pode-se avaliar a habilidade de o aluno reconhecer as diferenças entre textos que tratam do mesmo assunto, em função do leitor-alvo, da ideologia, da época em que foi produzido e das suas intenções comunicativas. Diante disso, espera-se que o leitor seja capaz de detectar qual é o tipo de relação que existe entre os textos. EXPECTATIVA DE APRENDIZAGEM  Comparar textos, quanto à forma e o conteúdo (Matriz Curricular 2º ano; p.238 Eixo: prática de leitura). ANÁLISE DO ITEM Neste item, comparando as informações veiculadas pelos dois textos, os alunos podem perceber que ambos falam da transformação da lagarta em borboleta. O gabarito é a letra D. ITEM 3 O texto II fala da importância (A) das flores. (B) das folhas. (C) da lagarta (D) da borboleta. Descritor 6 - Identificar o tema de um texto. Por meio deste descritor pode-se avaliar a habilidade de o aluno reconhecer o assunto principal do texto, ou seja, à identificação do que trata o texto. Para que o aluno identifique o tema, é necessário relacionar as diferentes informações para construir o sentido global do texto. Essa habilidade é avaliada por meio de um texto para o qual é
  15. 15. solicitado, de forma direta, que o aluno identifique o tema ou o assunto principal do texto. O tema é o eixo sobre o qual o texto se estrutura. A percepção do tema responde a uma questão essencial para a leitura: ―O texto trata de quê?‖ Em muitos textos, o tema não vem explicitamente marcado, mas deve ser percebido pelo leitor quando identifica a função dos recursos utilizados, como o uso de figuras de linguagem, de exemplos, de uma determinada organização argumentativa, entre outros. EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM  Reconhecer a unidade temática do texto (matriz curricular 4º ano; p.244. Eixo: leitura). ANÁLISE DO ITEM Este item avalia a capacidade de identificar o tema de um texto, assim é preciso observar que ―As Borboletas‖ (texto II) é um texto que apresenta várias informações sobre a importância da borboleta e isso pode ser comprovado no texto como um todo. ITEM 4 Qual das frases abaixo expressa uma opinião do autor do texto II? (A) ―As borboletas voam de flor em flor...‖ (B) “A borboleta é o mais belo dos insetos.” (C) ―As lagartas comem folhas e trocam de pele várias vezes.‖ (D) ―Algumas espécies vivem apenas algumas semanas...‖ Descritor 11 - Distinguir um fato da opinião relativa a esse fato. A habilidade avaliada neste item é a capacidade de o aluno identificar, no texto, um fato relatado e diferenciá-lo do comentário que o autor, ou o personagem fazem sobre esse fato. Essa habilidade é avaliada por meio de um texto, no qual o aluno é solicitado a distinguir as partes dele referentes a um fato e as relativas a uma opinião ao fato apresentado, expressa pelo autor, narrador ou por algum personagem. EXPECTATIVA DE APRENDIZAGEM:  Reconhecer uma opinião e distingui-la de um fato apresentado no texto. ANÁLISE DO ITEM Para responder este item o aluno deve entender que as alternativas A, C, e D apresentam informações (fatos) sobre a borboleta e que a alternativa B é a correta, pois apresenta uma opinião: “A borboleta é o mais belo dos insetos.” Para entender que a alternativa b é a correta, os estudantes precisam analisar se todos consideram a borboleta o mais belo dos insetos. Há pessoas que podem ter uma opinião diferente e não considerar a borboleta o mais belo dos insetos. ITEM 5 No trecho ―...depois elas se transformam em casulos ou pupas.‖, a palavra destacada se refere às (A) flores. (B) folhas. (C) lagartas. (D) borboletas
  16. 16. D2 - Estabelecer relações entre partes de um texto, identificando repetições ou substituições que contribuem para a continuidade de um texto. As habilidades que podem ser avaliadas por este descritor relacionam-se ao reconhecimento da função dos elementos que dão coesão ao texto. Dessa forma, eles poderão identificar quais palavras estão sendo substituídas e/ou repetidas para facilitar a continuidade do texto e a compreensão do sentido. Trata-se, portanto, do reconhecimento, por parte do aluno, das relações estabelecidas entre as partes do texto. EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM  Identificar elementos coesivos de textos. (Matriz curricular 4º ano, 1º bimestre -Eixo: Prática de leitura).  Refletir sobre o valor de pronomes relativos e conjunções empregadas como elementos coesivos nos gêneros em estudo. (Matriz curricular, 4º ano, 1º bimestre- Eixo Prática de análise da língua).  Refletir sobre o emprego de preposições, conjunções, pronomes relativos como elementos que garantem a clareza, a coerência e a coesão nas regras de jogos. (Matriz curricular 5º ano, 2º bimestre – Eixo: Prática de análise da língua). ANÁLISE DO ITEM Neste item, o estudante deve compreender que para facilitar a continuidade do texto e garantir sua coesão, o(a) autor(a), ao invés de repetir a palavra lagartas , preferiu substituí-la por outro termo, nesse caso o pronome elas que tem essa função. Ao perceber esta relação, o estudante compreenderá de forma funcional porque e como o pronome substitui o nome. Leia o texto abaixo e, a seguir, responda ao item 6. Disponível em: http://www.monica.com.br/comics/tirinhas/tira100.htm. Acesso em 21/03/2014. ITEM 6 Na frase ―Ei! Eu disse que você podia pegar UMA maçã!” A palavra UMA no texto indica que (A) a cobra alegrou-se com a menina. (B) a menina ouviu o que a cobra disse. (C) a menina ignorou o que a cobra disse.
  17. 17. (D) a cobra deixou a menina pegar muitas maçãs. Descritor 14 -Identificar o efeito de sentido decorrente do uso da pontuação e de outras notações. Por meio deste descritor, pretende-se avaliar a habilidade de o aluno identificar o efeito provocado no texto, com primazia aos efeitos discursivos produzidos por notações como itálico, negrito, caixa alta etc. e pelo uso dos sinais do que, simplesmente, a identificação de suas funções na sintaxe da frase. EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM  Reconhecer o valor expressivo dos sinais de pontuação. (Matriz Curricular do 2º ano; p.238. Eixo: prática de leitura).  Identificar a função dos sinais de pontuação na produção de sentidos. (Matriz Curricular do 3º ano; p.241. Eixo: prática de leitura). ANÁLISE DO ITEM O estudante deve reconhecer que os recursos linguísticos, tais como negrito, letras maiúsculas, em caixa alta, itálico, etc. são expressivos e ultrapassam os aspectos puramente gramaticais. No trecho destacado fica evidente a ênfase dada à palavra UMA escrita em caixa alta para evidenciar e dar ênfase ao fato de a menina ignorar o que a cobra disse. Leia o texto abaixo e, a seguir, responda ao item 7. Disponível em http://3.bp.blogspot.com/- VX17RVeNaUE/T_jocZaph7I/AAAAAAAAJ64/UK4f9MphFzU/s1600/tirinha+turma+da+monica5.gif. Acesso em 14/03/2014. ITEM 7 O que torna a tirinha engraçada é (A) o menino só pedir um saco de pipoca. (B) o menino oferecer pipoca para a menina. (C) a menina querer todo o restante da pipoca. (D) a menina gostar menos de pipoca do que o menino. Descritor 13 – Identificar o efeito de ironia e humor em textos variados. Por meio deste descritor, pode-se avaliar a habilidade de o aluno reconhecer os efeitos de ironia ou humor causados por expressões diferenciadas utilizadas no texto
  18. 18. pelo autor ou, ainda, pela utilização de pontuação e notações. No caso desse item, o que se pretende é que o aluno reconheça qual o fato que provocou efeito de humor no texto. EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM  Identificar os efeitos de sentido e humor decorrentes do uso dos sentidos literal e conotativos das palavras e notações gráficas. (Matriz Curricular 4º ano, p.244. Eixo: prática de leitura) ANÁLISE DO ITEM Neste item, os estudantes são solicitados a identificar que o efeito de humor, presente na tirinha, ocorre pelo fato de a menina querer todo o restante da pipoca. Leia o texto abaixo e, a seguir, responda ao item 8. Conto popular Dizem que João havia saído da Paraíba em busca de melhores condições de vida. Quando chegou ao Rio de Janeiro, encontrou um carioca vendendo melancia e perguntou: - Posso pegar um pedaço? - Corta essa, meu irmão! – disse o carioca. Ouvindo isso, o retirante paraibano cortou a melancia que lhe pareceu mais saborosa. O vendedor, não acreditando no que havia feito aquele nordestino, impacientou-se. - Qual é a tua, meu irmão? Desconhecendo a linguagem usada pelo carioca, o paraibano agradeceu: - É o pedaço maior! – e se retirou saboreando a fruta. (Adaptado de histórias populares) RIBEIRO, Volney da Silva, ARRAIS, Belarmina Monteiro. Produção Textual – 6º ano do ensino fundamental. Editora Construir, Recife, 2013 ITEM 8 Os dois personagens que conversam nesse texto são (A) do mesmo Estado. (B) de países diferentes (C) de Estados diferentes. (D) de uma mesma cidade. Descritor 10 – Identificar as marcas linguísticas que evidenciam o locutor e o interlocutor de um texto. Por meio deste descritor, pode-se avaliar a habilidade de o aluno identificar quem fala no texto e a quem ele se destina, essencialmente, por meio da presença de marcas linguísticas (o tipo de vocabulário, o assunto, etc.), evidenciando, também, a importância do domínio das variações linguísticas que estão presentes na nossa sociedade. Essa habilidade é avaliada em textos nos quais o aluno é solicitado a identificar o locutor e o interlocutor do texto nos diversos domínios sociais, como também são exploradas as possíveis variações da fala: linguagem rural, urbana, formal,
  19. 19. informal, incluindo também as linguagens relacionadas a determinados domínios sociais, como, por exemplo, cerimônias religiosas, escola, clube etc. EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM  Reconhecer as variedades de uso da língua (coloquial, padrão, regional) (matriz curricular 4º ano; p. 244 - Eixo: prática de leitura). ANÁLISE DO ITEM Neste item, é preciso identificar o locutor e o interlocutor do texto, assim, o estudante deve observar as marcas textuais que evidenciam que os dois personagens que estão conversando são de Estados diferentes. Isto pode ser comprovado com as seguintes citações: ―Dizem que João havia saído da Paraíba em busca de melhores condições de vida. Quando chegou ao Rio de Janeiro, encontrou um carioca vendendo melancia...‖ Soma-se a isso o fato de João não compreender o que o vendedor carioca estava lhe dizendo, já que esse utilizou gírias que não eram comuns a João. Leia o texto abaixo e, a seguir, responda aos itens 9 e 10. Juquinha levou a maior sova da mãe e ficou chorando muito em um canto da sala. Chegou a tia e se comoveu: _Juquinha, querido, por que você está chorando desse jeito? _ Porque eu não sei chorar de outro, ora. ITEM 9 A intenção da tia ao perguntar a Juquinha por que ele estava chorando daquele jeito foi (A) ajudá-lo a parar de chorar. (B) saber o motivo do choro. (C) ajudá-lo a chorar. (D) criticar o choro. Descritor 4 - Inferir uma informação implícita em um texto. Por meio desse descritor, pode-se avaliar a habilidade de o aluno reconhecer uma ideia implícita no texto, seja por meio da identificação de sentimentos que dominam as ações externas dos personagens, em um nível básico, seja com base na identificação do gênero textual e na transposição do que seja real para o imaginário. É importante que o aluno apreenda o texto como um todo, para dele retirar as informações solicitadas. Essa habilidade é avaliada por meio de um texto, no qual o aluno deve buscar informações que vão além do que está explícito, mas que, à medida que ele vá atribuindo sentido ao que está enunciado no texto, ele vá deduzindo o que lhe foi solicitado. Ao realizar esse movimento, são estabelecidas relações entre o texto e o seu contexto pessoal. EXPECTATIVA DE APRENDIZAGEM  Interpretar e inferir ideia implícita em pequeno texto. (Matriz Curricular 2º ano; p.238. Eixo: prática de leitura). ANÁLISE DO ITEM
  20. 20. As informações implícitas no texto são aquelas que não estão presentes claramente na base textual, mas podem ser construídas pelo leitor por meio da realização de inferências que as marcas do texto permitem. Nesse texto, o estudante deve observar as marcas textuais como: '' Chegou a tia e se comoveu: - Juquinha, querido, por que você está chorando desse jeito?‖ Assim o estudante chegará à conclusão que a resposta correta é a letra A, ou seja, que a intenção da tia de Juquinha era ajudá-lo a parar de chorar. ITEM 10 No trecho: ―Juquinha levou a maior sova da mãe e ficou chorando muito em um canto da sala‖. A expressão sublinhada dá ideia de (A) tempo. (B) modo. (C) lugar. (D) causa. D12 – Estabelecer relações lógico-discursivas presentes no texto, marcadas por conjunções, advérbios etc. Por meio deste descritor, pode-se avaliar a habilidade de o aluno reconhecer as relações de coerência no texto em busca de uma concatenação perfeita entre as partes do texto, as quais são marcadas pelas conjunções, advérbios, etc., formando uma unidade de sentido. Essa habilidade é avaliada por meio de um texto no qual é solicitado ao estudante, a percepção de uma determinada relação lógico-discursiva, enfatizada, muitas vezes, pelas expressões de tempo, de lugar, de comparação, de oposição, de causalidade, de anterioridade, de posteridade, entre outros e, quando necessário, a identificação dos elementos que explicam essa relação. EXPECTATIVA DE APRENDIZAGEM  Reconhecer e utilizar advérbios na produção textual. ANÁLISE DO ITEM Há palavras e/ou expressões que marcam a relação entre duas ideias próximas, que dão coerência ao texto, sinalizando a progressão do conteúdo. No caso, o estudante precisa, ao analisar o fragmento descrito no enunciado deste item, perceber que a expressão canto da sala estabelece a ideia de lugar. PRODUÇÃO DE TEXTO GÊNERO POEMA DE CORDEL Estudante, no bimestre anterior você aprendeu sobre vários gêneros. Dentre eles, poema de cordel. Reveja um poema deste tipo e o observe bem. A cigarra e a formiga
  21. 21. Severino José ( Baseado na fábula de Esopo ) Aquele que trabalha e guarda para o futuro, quando chega o tempo ruim, nunca fica no escuro. Durante todo o verão, a cigarra só cantava. Nem percebeu que, ligeiro, o inverno já chegava. E, quando abriu os olhos, a fome já lhe esperava. E, com toda a humildade, à casa da formiga foi ter. Pediu-lhe, com voz sumida, alguma coisa para comer, porque a situação estava dura de roer. A formiga, e só então lhe disse com um arzinho sorridente: ----Se no verão só cantavas com sua voz estridente, agora aproveitas o ritmo e dance um samba bem quente. JOSÉ, Severino. A cigarra e a formiga. São Paulo: Hedra, 2001. p. 97. Agora que você reviu este gênero, que tal produzir um poema de cordel? O autor Severino José escreveu a fábula “A cigarra e a formiga” em forma de cordel. Escolha uma das fábulas apresentadas abaixo e escreva-a em forma de poema (cordel). Verifique se, no seu poema, as palavras rimam e se elas dão impressão de cantoria. Crie ilustrações para o seu poema de cordel. Não se esqueça de criar um título para seu poema!
  22. 22. A Lebre e a Tartaruga (Fábula) Esopo Um dia, uma Lebre ridicularizou as pernas curtas e a lentidão da Tartaruga. A Tartaruga sorriu e disse: ―Pensa você ser rápida como o vento; Mas eu a venceria numa corrida.‖ A Lebre, claro, considerou sua afirmação algo impossível de acontecer, e aceitou o desafio na hora. Convidaram então a Raposa, para servir de juiz, escolher o trajeto e o ponto de chegada. E no dia marcado, do ponto inicial, partiram juntas. A Tartaruga, com seu passo lento, mas firme, determinada, concentrada, em momento algum, parou de caminhar rumo ao seu objetivo. Mas a Lebre, confiante de sua velocidade, despreocupada com a corrida, deitou à margem da estrada para um rápido cochilo. Ao despertar, embora corresse o mais rápido que pudesse, não mais conseguiu alcançar a Tartaruga, que já cruzara a linha de chegada, e agora descansava tranquila num canto. Moral da história: Devagar se vai longe. Disponível em: http://sitededicas.ne10.uol.com.br/ fabula_lebre_tartaruga.htm. Acesso em 4/12/2012. O leão e o rato (Fábula) Esopo Um Leão dormia sossegado, quando foi despertado por um Rato, que passou correndo sobre seu rosto. Com um bote ágil, ele o pegou, e estava pronto para matá-lo, ao que o Rato suplicou: – Ora, se o senhor me poupasse, tenho certeza que um dia poderia retribuir sua bondade. Rindo por achar ridícula a ideia, assim mesmo, ele resolveu libertá-lo. Aconteceu que, pouco tempo depois, o Leão caiu numa armadilha colocada por caçadores. Preso ao chão, amarrado por fortes cordas, sequer podia mexer-se. O Rato, reconhecendo seu rugido, se aproximou e roeu as cordas até deixá-lo livre. Então disse:
  23. 23. – O senhor riu da simples ideia de que eu seria capaz, um dia, de retribuir seu favor. Mas agora sabe, que mesmo um pequeno Rato, é capaz de fazer um favor a um poderoso Leão. Moral da história: Nenhum ato de gentileza é coisa vã. Disponível em: http://sitededicas.ne10.uol.com.br/ fabula3a.htm. Acesso em 04.12.2012. _________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________
  24. 24. ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________
  25. 25. SUPERINTENDÊNCIA DE INTELIGÊNCIA PEDAGÓGICA E FORMAÇÃO NÚCLEO DA ESCOLA DE FORMAÇÃO GERÊNCIA DE FORMAÇÃO CENTRAL 2ª AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA LÍNGUA PORTUGUESA - 2014 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL Leia o texto abaixo e, a seguir responda aos itens 1, 2 e 3. COMÉDIA ENTRE OS BICHOS DUDA MACHADO Bigode era o nome de um gato, Molhado era o nome de um pato. Trompete era o do elefante E o do boi era Ruminante Bigode ia sempre ao barbeiro, Um bode de nome estrangeiro, Que não fazia o cavanhaque E só falava com sotaque. Molhado era amigo de um cão, Um mastim chamado Lobão. Que tinha um latido bem triste E era fã de mel com alpiste. Trompete gostava de Rosa, Uma cobra muito dengosa. Que seu corpo todo enroscava Sempre que Trompete passava. Ruminante era um boi sabido Que adorava a vaca Rosada, Por isso soltava um mugido Ao ver o leiteiro na estrada Disponível em http://www.antoniomiranda.com.br/poesia_infantil/duda_machado.html, acesso em 10/03/2014
  26. 26. ITEM 1 No verso: “Que seu corpo todo enroscava”, a palavra destacada significa (A) dançava. (B) enrolava. (C) passeava. (D) cantava. Descritor 3 – inferir o sentido de uma palavra ou expressão Por meio deste descritor, pode-se avaliar a habilidade de o aluno relacionar informações, inferindo quanto ao sentido de uma palavra ou expressão no texto, ou seja, dando a determinadas palavras seu sentido conotativo. EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM:  Inferir o sentido de uma palavra ou expressão a partir do contexto. ANÁLISE DO ITEM Espera-se que o aluno consiga pela leitura do texto, dentro do contexto, perceber o significado da palavra enroscava, como sendo o enrolar do corpo da cobra toda vez que Trompete tocava. Letra B. ITEM 2 O verso do texto que expressa uma opinião é (A) ―Bigode era o nome de um gato‖ (B) ―Bigode ia sempre ao barbeiro‖ (C) ―Molhado era amigo de um cão‖ (D) “Que tinha um latido bem triste” Descritor 11- Distinguir um fato da opinião relativa a esse fato. A habilidade avaliada é a capacidade do aluno de identificar uma opinião sobre um fato apresentado, de localizar a referência aos fatos, distinguindo-a das opiniões relacionadas a eles. ANÁLISE DO ITEM As alternativas trazem frases retiradas do texto, mas apenas uma expressa opinião, as outras apresentam fatos concretos em que não cabe o ―achar‖ pessoal. Letra D. ITEM 3 Lobão era o nome do (A) gato. (B) elefante. (C) cão. (D) bode. Descritor 1 – Localizar informações explícitas em um texto
  27. 27. Por meio desse descritor, pode-se avaliar a habilidade de o aluno localizar, no percurso do texto, uma informação que, explicitamente, consta na sua superfície. EXPECTATIVA DE APRENDIZAGEM  Localizar informações explícitas em textos narrativos ANÁLISE DO ITEM Nesse item, os alunos deverão verificar uma informação que está explícita no texto, ou seja, voltando ao texto recuperar a informação de que o nome do cão da raça mastim é Lobão. Alternativa correta letra C. Leia o texto abaixo e, a seguir responda ao item 4. Corrida dos Sapinhos Monteiro Lobato Era uma vez uma corrida de sapinhos. Eles tinham que subir uma grande ladeira e, do lado havia uma grande multidão, muita gente que vibrava com eles. Começou a competição. A multidão dizia:- Não vão conseguir! Não vão conseguir! Os sapinhos iam desistindo um a um, menos um deles que continuava subindo. E a multidão a aclamar:- Não vão conseguir! Não vão conseguir! E os sapinhos iam desistindo, menos um, que subia tranquilo, sem esforço. No final da competição, todos os sapinhos desistiram, menos aquele. Todos queriam saber o que aconteceu, e quando foram perguntar ao sapinho como ele conseguiu chegar até o fim, descobriram que ele era SURDO! Moral: Quando queremos fazer alguma coisa que precise de coragem não devemos escutar as pessoas que falam que você não vai conseguir. Seja surdo aos apelos negativos. Disponível em http://www.historias-infantis.com/search/fabulas-pequenas-com-moral-de-monteiro-lobato/. Acesso em 10/03/2014 ITEM 4 O assunto desse texto é (A) as conquistas obtidas durante nossas vidas. (B) a opinião ruim das pessoas sobre nossas ações. (C) a necessidade de ouvir mais a opinião das pessoas. (D) os problemas enfrentados com a ajuda dos amigos. Descritor 6 - Identificar o tema de um texto. Por meio deste descritor pode-se avaliar a habilidade de o aluno reconhecer o assunto principal do texto, ou seja, à identificação do que trata o texto. Para que o aluno identifique o tema, é necessário relacionar as diferentes informações para construir o sentido global do texto EXPECTATIVA DE APRENDIZAGEM  Reconhecer a unidade temática do texto.
  28. 28. ANÁLISE DO ITEM Para identificar o tema do texto em análise é necessário identificar a principal informação dada pelo autor do texto, no caso da fábula, sendo correta a alternativa B. Leia os textos abaixo e, a seguir, responda ao item 5. Texto 1 Esse Pequeno Mundo Pedro Bandeira Sei que o mundo é mais que a casa, Mais que a rua, mais que a escola, Mais que a mãe e mais que o pai. Vai além do horizonte, Que eu desenhei no caderno, Como linha reta e preta, Que separa azul de verde. Sei que é muito, sei que é grande, Sei que é cheio, sei que é vasto. Me disseram que é uma bola, Que flutua pelo espaço, Atirada pelo espaço, Atirada pelo chute De um gigante poderoso; Vai direto para um gol, Que ninguém sabe onde é. Mas para mim o que mais conta É este mundo que eu conheço E que cabe direitinho Bem debaixo do meu pé. Disponível em: http://beija-flor-beija-flor.blogspot.com.br/2009/10/por-enquanto-sou-pequeno-por-enquanto.html, acesso em 11/03/2014.
  29. 29. Texto 2 http://elicaespanhol.blogspot.com.br/2011/09/personajes-del-mundo-hispano.htm, acesso em 11/03/2014 ITEM 5 Os dois textos falam sobre (A) a bola (B) a criança (C) o mundo (D) o brinquedo Descritor 15 -reconhecer diferentes formas de tratar uma informação na comparação de textos que tratam do mesmo tema, em função das condições em que ele foi produzido e daquelas em que serão recebidos. Essa habilidade é avaliada por meio da leitura de dois ou mais textos, de mesmo gênero ou de gêneros diferentes, tendo em comum o mesmo tema, para os quais é solicitado o reconhecimento das formas distintas de abordagem. EXPECTATIVA DE APRENDIZAGEM:  Comparar textos, quanto à forma e ao conteúdo. ANÁLISE DO ITEM Espera-se que o aluno perceba que não há somente uma maneira de expressar uma ideia ou tema; no caso o mesmo tema é apresentado em um poema e em uma tirinha. Sendo correta a alternativa C. Leia o texto abaixo e, a seguir, responda ao item 6.
  30. 30. Ziraldo. Curta o Menino Maluquinho... em histórias rapidinhas! São Paulo: Globo, 2006, p. 35. ITEM 6 No último quadrinho, o pai está (A) cansado. (B) animado. (C) chateado. (D) triste. Descritor 5 - Interpretar texto com o auxílio de material gráfico diverso (propagandas, quadrinhos, fotos etc). Por meio desse descritor, pode-se avaliar a habilidade de o aluno reconhecer a utilização de elementos gráficos (não-verbais) como apoio na construção do sentido e de interpretar textos que utilizam linguagem verbal e não-verbal (textos multissemióticos). Essa habilidade pode ser avaliada por meio de textos compostos por gráficos, desenhos, fotos, tirinhas, charges. EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM
  31. 31.  Interpretar textos com o auxílio de elementos não-verbais (Matriz Curricular 2º ano; p.238. Eixo: Prática de leitura – significado, informações não-verbais e conhecimento prévio (matriz curricular 2º ano; p.238. Eixo: prática de leitura – 2º Bimestre).  Inferir informações em textos não-verbais - gravuras, charges, telas, texto publicitário (Matriz Curricular 4º ano; p.244. Eixo: Prática de leitura – 1º Bimestre). ANÁLISE DO ITEM Para se chegar à resposta correta nesse item, é preciso que o aluno faça uma leitura das duas linguagens verbal e não-verbal. No último quadrinho, a fala do pai ―Acontece que ainda são duas da tarde!‖, juntamente com a posição do seu corpo, quase se arrastando, e sua expressão facial indicam que ele já está cansado de ter feito tanta coisa com o filho durante o dia de domingo. Logo, a resposta correta é a letra A. Leia o texto abaixo e, a seguir, responda aos itens 7 e 8. Elefantinho colorido Participantes: No mínimo 3 crianças. Local adequado: Ambiente amplo, como quadra ou pátio. Regras do jogo: Uma criança é escolhida para comandar. Ela fica à frente das demais e diz: ―Elefantinho colorido!‖. Todos os jogadores respondem: ―Que cor?‖. O comandante escolhe uma cor bem diferente, que não esteja num local de fácil acesso. Em seguida, todos os jogadores saem correndo para tocar em algo que tenha aquela cor. Vale se a cor pedida estiver na roupa de um dos participantes. Se o participante, que é o comandante, encostar em outro participante antes que ele chegue à cor, esse jogador é capturado. O primeiro capturado vira o próximo comandante.Vence a brincadeira quem ficar por último. Disponível em http://www.qdivertido.com.br/verbrincadeira.php?codigo=53. Texto adaptado. Acesso em 20/03/2014. ITEM 7 O comandante do jogo escolhe uma cor diferente porque quer (A) tornar a brincadeira mais fácil. (B) tornar a brincadeira mais colorida. (C) dificultar o trabalho do comandante. (D) dificultar o trabalho dos jogadores. Descritor 4 - Inferir uma informação implícita em um texto. Por meio deste descritor, pode-se avaliar a habilidade de o aluno reconhecer uma ideia implícita no texto, seja por meio da identificação de sentimentos que dominam as ações externas dos personagens, em um nível básico, seja com base na identificação do gênero
  32. 32. textual e na transposição do que seja real para o imaginário. É importante que o aluno apreenda o texto como um todo, para dele retirar as informações solicitadas. As informações implícitas no texto são aquelas que não estão presentes claramente na base textual, mas podem ser construídas pelo leitor por meio da realização de inferências que as marcas do texto permitem. Essa habilidade é avaliada por meio de um texto, no qual o aluno deve buscar informações que vão além do que está explícito, mas que à medida que ele vá atribuindo sentido ao que está enunciado no texto, ele vá deduzindo o que lhe foi solicitado. Ao realizar esse movimento, são estabelecidas relações entre o texto e o seu contexto pessoal. EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM  Ler com fluência, construindo significados, inferindo informações implícitas e explícitas nos gêneros em estudo. (Matriz curricular 2º ano, 3º bimestre - Eixo: Prática de leitura).  Ler, utilizando diferentes estratégias de leitura como mecanismos de interpretação de textos:  Formulação de hipóteses (antecipação e inferência);  Verificação de hipóteses (seleção e checagem). (Matriz curricular 4º ano, 2º bimestre- Eixo: Prática de leitura).  Ler com fluência e autonomia, construindo significados. (Matriz curricular 4º ano, 3º bimestre – Eixo: Prática de leitura).  Identificar informações implícitas e explícitas para a compreensão de textos. (Matriz curricular 5º ano, 2º bimestre – Eixo: Prática de leitura). ANÁLISE DO ITEM Ao ler a regra do jogo ―Elefantinho Colorido‖, o leitor perceberá algumas pistas que lhe proporcionarão deduzir que ao escolher cores que não estão por perto dos jogadores, eles terão mais dificuldade de encontrá-las, o que dará mais trabalho, como menciona a alternativa correta, letra D. ITEM 8 No trecho“Uma criança é escolhida para comandar. Ela fica à frente das demais e diz: “Elefantinho colorido!”, o uso do ponto de exclamação indica (A) dúvida. (B) surpresa. (C) pergunta. (D) entusiasmo. Descritor 14 – Identificar o efeito de sentido decorrente do uso da pontuação e de outras notações. Por meio desse descritor pretende-se avaliar a habilidade de o aluno identificar o efeito provocado no texto com primazia aos efeitos discursivos produzidos por notações como itálico, negrito, caixa alta etc. e pelo uso dos sinais do que, simplesmente, a identificação de suas funções na sintaxe da frase. EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM  Reconhecer o valor expressivo dos sinais de pontuação. (Matriz Curricular do 2º ano; p.238. Eixo: prática de leitura).
  33. 33.  Identificar a função dos sinais de pontuação na produção de sentidos. (Matriz Curricular do 3º ano; p.241. Eixo: prática de leitura). ANÁLISE DO ITEM Os recursos de pontuação (travessão, aspas, reticências, interrogação, exclamação etc.) são expressivos e ultrapassam os aspectos puramente gramaticais. No trecho destacado na questão, o ponto de exclamação indica um entusiasmo na fala da criança que está comandando a brincadeira, alternativa correta letra D. Leia o texto abaixo e, a seguir, responda aos itens 9 e 10. Disponível em https://www.google.com.br/search?q=garfield+1993&tbm=isch&tbo=u&source=univ&sa=X&ei=n_YqU8j4K86NkAfomIC4Dg&ved=0CDQQsAQ&biw=1024&bih=599. Acesso em 17/03/2014. ITEM 9 O texto serve para (A) avisar. (B) divertir. (C) convidar. (D) convencer. D9- Identificar a finalidade de textos de diferentes gêneros. A habilidade que pode ser avaliada por este descritor refere-se ao reconhecimento, por parte do aluno, do gênero ao qual se refere o texto-base, identificando, dessa forma, qual o objetivo do texto: informar, convencer, advertir, instruir, explicar, comentar, divertir, solicitar, recomendar etc. Essa habilidade é avaliada por meio da leitura de textos integrais ou de fragmentos de textos de diferentes gêneros, como notícias, fábulas, avisos, anúncios,cartas, convites, instruções, propagandas, entre outros, solicitando ao aluno a identificação explícita de sua finalidade. EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM  Desenvolver habilidades de leitura com diferentes objetivos: entretenimento, consulta, busca de informações etc. (Matriz curricular 4º ano, 3º bimestre - Eixo: Prática de leitura).
  34. 34.  Ler com diferentes objetivos: entretenimento, consulta, busca de informação e outros. (Matriz curricular 5º ano, 1°, 2° e 3º bimestres – Eixo: Prática de leitura) ANÁLISE DO ITEM Nesta questão, o aluno deverá perceber que este gênero textual, tirinha, tem por finalidade entreter e divertir o leitor. Sendo a alternativa B a correta. ITEM 10 Essa tirinha é engraçada por que (A) o gato ignorou a placa e foi atacado pelos cães. (B) o gato leu a placa e ficou de fora da casa. (C) os cães são muito pequenos e inofensivos. (D) a placa alerta para ter cuidado com os pequenos cães. Descritor13- Identificar efeitos de ironia ou humor em textos variados. Por meio deste descritor pode-se avaliar a habilidade do aluno em reconhecer os efeitos de ironia ou humor causados por expressões diferenciadas, utilizadas no texto pelo autor, ou, ainda, pela utilização de pontuação e notações. Essa habilidade é avaliada por meio de textos verbais e não verbais, sendo muito valorizado, nesse descritor, atividades com textos de gêneros variados sobre temas atuais, com espaço para várias possibilidades de leitura, como os textos publicitários, as charges, os textos de humor ou as letras de músicas, levando o aluno a perceber o sentido irônico ou humorístico do texto, que pode estar representado tanto por uma expressão verbal inusitada, quanto por uma expressão facial da personagem. EXPECTATIVA DE APRENDIZAGEM  Refletir sobre os efeitos de humor decorrentes do uso de linguagem figurada, ironia, gírias, interjeições e onomatopeias etc.. (Matriz curricular 3° ano, 2º e 3° bimestres - Eixo: Prática de leitura).  Ler piadas, utilizando diferentes estratégias de leitura como mecanismos de interpretação de textos:  Formulação de hipóteses (antecipação e inferência)  Verificação de hipóteses (seleção e checagem). (Matriz curricular 3° ano, 4° bimestre - Eixo: Prática de análise da língua) ANÁLISE DO ITEM Aqui, o (a) estudante precisa perceber que o gato ignorou a placa que o alertava para a presença dos cães por causa da palavra ―pequenos‖, o que o levou a imaginar que seriam inofensivos, como podemos perceber em seu pensamento ―Tá certo.‖. Contudo, ao ser atacado por inúmeros pequenos cães a cena se torna engraçada. Ao fazer tal inferência, o estudante, facilmente, localizará o humor do texto no fato de ogato não ter se importado com a placa e por isso ter sido atacado pelos pequenos cães. Sendo correta a alternativa (A).
  35. 35. PRODUÇÃO DE TEXTO Releia o texto ―Corrida dos Sapinhos‖ de Monteiro Lobato, no item 4, ele é uma fábula, gênero textual que você estudou no semestre passado. Agora observe a figura abaixo Escreva uma fábula com os personagens da gravura e não se esqueça de criar uma Moral para ela. http://blogs.oregional.net/crianca/?p=1151Produção de texto ___________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ Moral:________________________________________________________________ ______________________________________________________________________
  36. 36. SUPERINTENDÊNCIA DE INTELIGÊNCIA PEDAGÓGICA E FORMAÇÃO NÚCLEO DA ESCOLA DE FORMAÇÃO GERÊNCIA DE FORMAÇÃO CENTRAL 2ª AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 2014 LÍNGUA PORTUGUESA 9º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL Leia o texto abaixo e, a seguir, responda ao item 1. A química do amor '[...] Embora seja agradável pensar que seguimos o coração, a verdade é que a ciência tem explicações menos poéticas para as demandas românticas. Saiba como ela explica as questões amorosas, resultado de mecanismos puramente fisiológicos, que envolvem hormônios e receptores cerebrais. [...]E por que nada disso vai importar quando você estiver apaixonado? O que é o amor? Esqueça todo o romantismo, Shakespeare e Vinícius de Moraes. O amor pode até bater lá pelas bandas do coração, mas ele é resultado de complexas reações químicas que acontecem no cérebro — e nada mais são do que resultado do processo evolutivo humano. Para economizar a gastança de energia e tempo usados no processo da corte, fomos selecionados para concentrar nossa atenção em uma só pessoa — e, assim, criar com sucesso nossos descendentes. Nesse processo estão envolvidos, basicamente, três neurotransmissores: a dopamina, a norepinefrina e a serotonina, todos produzidos por áreas ligadas ao sistema de recompensa e prazer do cérebro. As mãos tremem e o coração e a respiração aceleram quando o ser amado está por perto? Não acuse o cupido. Estão em ação a dopamina e a norepinefrina, substâncias que levam à alegria excessiva, à falta de sono e o sentimento de que o amado é único, e de que é quase impossível compará-lo com alguém. Já aquela compulsão e obsessão pelo parceiro são causadas por baixos níveis de serotonina. [...]. Disponível em http://veja.abril.com.br/noticia/ciencia/a-quimica-do-amor.Acesso em 12/02/2014.
  37. 37. ITEM 1 A tese defendida pelo autor é a de que o amor resulta (A) de demandas românticas. (B) de processos puramente fisiológicos. (C) da alegria excessiva ao se aproximar do amado. (D) do romantismo de Shakespeare e Vinícius de Moraes. D7- Identificar a tese de um texto. Em geral, um texto dissertativo expõe uma tese, isto é, defende um determinado posicionamento do autor em relação a uma ideia, a uma concepção ou a um fato. Um item que avalia essa habilidade deve ter como base um texto dissertativo- argumentativo, no qual uma determinada posição ou ponto de vista são defendidos e propostos como válidos para o leitor. O leitor precisa reconhecer a tese defendida pelo autor, bem como os argumentos que a comprovam, ou seja, precisa reconhecer os elementos que constituem o texto. EXPECTATIVA DE APRENDIZAGEM  Inferir informações explícitas relativas ao tom de convencimento e a utilização de diferentes argumentos para defender uma posição. ANÁLISE DO ITEM Para responder este item, é necessário considerar os argumentos que a autor utiliza para defender o seu ponto de vista. Todas as considerações feitas pelo autor levam o leitor/estudante à tese do seu texto: as questões amorosas são resultados puramente fisiológicos. Portanto o gabarito é a letra B. Leia os dois textos e, a seguir, responda ao item 2 Texto I
  38. 38. Disponível em http://jataovaqueiro.blogspot.com.br/2012/11/a-seca-do-nordeste-por- adnael.html.Acesso em 18/03/2014. Texto II Por trás do que lembro, ouvi de uma terra desertada, vaziada, não vazia, mais que seca, calcinada. De onde tudo fugia, onde só pedra é que ficava, pedras e poucos homens com raízes de pedra, ou de cabra. Lá o céu perdia as nuvens, derradeiras de suas aves; as árvores, a sombra, que nelas já não pousava. Tudo o que não fugia, gaviões, urubus, plantas bravas, a terra devastada ainda mais fundo devastava. João Cabral de Melo Neto Disponível em http://pensador.uol.com.br/poema_sobre_a_seca/.Acesso em 13/02/2014. ITEM 2 Comparando os dois textos, percebe-se que eles tratam o tema da seca de forma (A) idêntica. (B) contrária. (C) divergente. (D) complementar. D20 Reconhecer as diferentes formas de tratar uma informação na comparação de textos que tratem do mesmo tema, em função das condições em que ele foi produzido e daqueles em que será recebido. Os textos podem ser vistos na relação de uns com os outros. Isto é, podem ser comparados, podem ser confrontados, com diferentes objetivos. É comum, por exemplo, relacionar textos que tratam do mesmo tema para procurar perceber a convergência de ideias ou de formas, de pontos de vista acerca desse tema. Este item propõe a comparação entre dois textos diferentes que tratam do mesmo tema. EXPECTATIVA DE APRENDIZAGEM
  39. 39.  Identificar diferentes formas de tratar uma informação na comparação de textos que tratam do mesmo tema ANÁLISE DO ITEM O item avalia a habilidade de reconhecer de que forma textos diferentes tratam do mesmo tema. O tema da seca é tratado nos dois textos de forma complementar, uma vez que o texto I, de forma humorística, destaca que a sonda que descobriu água em marte poderia ajudar a população das regiões áridas do país a descobrirem vestígios de água nessas regiões. Já o poema, retrata o sofrimento e a miséria do povo que sofre com a seca. Portanto o gabarito é a letra D. Leia o texto abaixo e, a seguir, responda ao item 3. ITEM 3 De acordo com o texto, podemos afirmar que os animais estão (A) aprovando as ações do ser humano. (B) criticando a atitude do ser humano. (C) contemplando as ações do ser humano. (D) sofrendo com a atitude do ser humano. D5- Interpretar texto com o auxílio de material gráfico diverso ( propagandas, quadrinhos, fotos,etc.). Além do material especificamente linguístico, muitos textos lançam mão de signos ou sinais de outros códigos, de outras linguagens, que, de muitas formas, concorrem para o entendimento global de seu sentido. Articular esses diferentes sinais representa uma habilidade de compreensão de grande significação, sobretudo atualmente, pois são muitos os textos que misturam tais tipos de
  40. 40. representação, fazendo demandas de leitura de elementos não verbais para o entendimento global do texto exposto. EXPECTATIVA DE APRENDIZAGEM  Analisar os efeitos de sentido, com base no emprego de elementos verbais e não verbais para a construção do sentido global do texto. ANÁLISE DO ITEM Este item se destina a avaliar a habilidade de o estudante associar as linguagens verbal e não verbal para a compreensão do texto. Para tanto, não basta apenas decodificar sinais e símbolos, mas ter a capacidade de perceber a interação entre a imagem e o texto escrito. A integração de imagens e palavras contribui para a formação de novos sentidos do texto. O estudante deve compreender o sentido global observando a crítica que a imagem e o texto provoca. Portanto o gabarito é a letra B. Leia o texto abaixo e, a seguir, responda ao item 4. O fim de sapos, rãs e pererecas. ''Para muita gente, sapos, rãs pererecas podem lá não ter graça. Mas os anfíbios são essenciais à vida de florestas, restingas e lagoas, só para citar alguns ambientes. E o problema é que estão desaparecendo sem que cientistas saibam explicar o porquê. O fenômeno é conhecido há anos, mas tem-se agravado muito. Sobram explicações - vírus, redução de habitat e mudanças climáticas, por exemplo - mas ainda não há resposta para o mistério, cuja consequência é o aumento do desequilíbrio ambiental. Para tentar encontrar uma solução, cientistas começam a se reunir no Rio.'' O Globo. Rio de Janeiro.23/06/2003. Disponível em http://www.anossaescola.com/cr/testes/dulcilene/SIMULADOSPAECE_PORTUG. Acesso em 14/02/2014. ITEM 4 A informação principal do texto é (A) a importância dos anfíbios para a vida na floresta. (B) o misterioso desaparecimento dos anfíbios. (C) o aumento do desequilíbrio ambiental. (D) a reunião dos cientistas no Rio. D9-Diferenciar as partes principais das secundárias em um texto. Neste item, objetiva-se verificar se o aluno consegue diferenciar as partes principais das secundárias na leitura e compreensão de um texto. Um item voltado para
  41. 41. a avaliação dessa habilidade deve levar o aluno a distinguir, entre uma série de segmentos, aqueles que constituem elementos principais ou secundários do texto. É comum, entre os alunos, confundir ―partes secundárias‖ do texto com a ―parte principal‖. A construção dessa competência é muito importante para desenvolver a habilidade de resumir textos. EXPECTATIVA DE APRENDIZAGEM  Distinguir as informações mais relevantes daquelas que apresentam-se como secundárias no texto. ANÁLISE DO ITEM Espera-se que o estudante seja capaz de distinguir as informações mais relevantes daquelas que, nesse texto, apresentam-se como secundárias, observando que o assunto principal é o misterioso desaparecimento dos anfíbios. Portanto, o gabarito é a letra B. Leia o texto abaixo e, a seguir, responda ao item 5. Poeminha Amoroso Cora Coralina Este é um poema de amor tão meigo, tão terno, tão teu... É uma oferenda aos teus momentos de luta e de brisa e de céu... E eu, quero te servir a poesia numa concha azul do mar ou numa cesta de flores do campo. Talvez tu possas entender o meu amor. Mas se isso não acontecer, não importa. Já está declarado e estampado nas linhas e entrelinhas deste pequeno poema, o verso; o tão famoso e inesperado verso que te deixará pasmo, surpreso, perplexo... eu te amo, perdoa-me, eu te amo... "Poeminha Amoroso" Disponível em http://pensador.uol.com.br/autor/cora_coralina/.Acesso em 20/03/2014. ITEM 5
  42. 42. No trecho, ''te deixará pasmo, surpreso, perplexo...', a ordem em que as palavras destacadas aparecem nesse texto sugere (A) exagero. (B) oposição. (C) repetição. (D) gradação. D19-Reconhecer o efeito de sentido decorrente da exploração de recursos ortográficos e morfossintático. Um item relativo a essa habilidade deve, pois, conceder primazia aos efeitos discursivos produzidos pela escolha de determinada estrutura morfológica ou sintática. Incide, portanto, sobre os motivos de uma escolha conseguir alcançar certos efeitos. Com este item, pretende-se avaliar a habilidade do estudante identificar o efeito de sentido decorrente das variações relativas aos padrões gramaticais da língua. EXPECTATIVA DE APRENDIZAGEM  Refletir sobre as expressões e recursos linguísticos empregados no texto. ANÁLISE DO ITEM Com este item, pretende-se avaliar a habilidade do estudante identificar o efeito de sentido decorrente das variações relativas aos padrões gramaticais da língua e à exploração de recursos ortográficos e morfossintáticos. O texto explora como recurso expressivo a gradação com o propósito de sugerir intensidade. Assim, este é um item por meio do qual se pode avaliar se o aluno sabe identificar a função textual do recurso em foco, sabendo diferenciá-la de outras que também seriam possíveis pelo uso do mesmo recurso expressivo. Os alunos que marcarem a letra D souberam estabelecer essa diferença.
  43. 43. Leia o texto abaixo e, a seguir, responda ao item 6. Disponível em http://bancodeaulas.blogspot.com.br/2013/08/atividade-sobre-figuras-de-linguagem-i.html (Folha do Povo de Mato Grosso do Sul, 20/9/2001.)Vinicius de Moraes e Toquinho ITEM 6 No texto, a expressão, ''Ignorância é fogo. E cinzas.'' sugere (A) prejuízo à natureza. (B) benefício à natureza. (C) vigor às pastagens. (D) força à terra. D-18 Reconhecer o efeito de sentido decorrente da escolha de uma determinada palavra ou expressão. A seleção lexical usada na construção do texto diz muito sobre as intenções comunicativas de quem o produziu. A escolha de determinadas palavras ou expressões, bem como o uso de figuras de linguagem devem ser percebidas pelo leitor como mais uma maneira de o autor manifestar suas intenções comunicativas. Esse descritor visa a verificar a capacidade de o leitor refletir sobre a forma do texto e perceber sutilezas da linguagem que interferem na construção dos sentidos.
  44. 44. EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM  Identificar na leitura de um texto de propaganda os efeitos de sentido, a capacidade de sedução, produzidos pela linguagem própria do gênero.  Analisar os recursos linguísticos, gráficos e visuais empregados na propaganda. ANÁLISE DO ITEM Para responder esse item, o estudante deve compreender, com que intenção o autor usou a expressão ''Ignorância é fogo. E cinzas‖, e que, a escolha desta expressão determina o sentido do texto. Aqui o estudante deve observar que o autor fez uso de uma figura de linguagem com a intenção de interferir na construção do sentido. Além disso, o estudante também deve perceber a linguagem não verbal e associá-la com a linguagem verbal , próprias da propaganda. Portanto o gabarito é a letra A. Leia o texto abaixo e, a seguir, responda ao item 7. Não somos tão especiais Todas as características tidas como exclusivas dos humanos são compartilhadas por outros animais, ainda que em menor grau. INTELIGÊNCIA A ideia de que somos os únicos animais racionais tem sido destruída desde os anos 40. A maioria das aves e mamíferos tem algum tipo de raciocínio. AMOR O amor, tido com o mais elevado dos sentimentos, é parecido em várias espécies, como os corvos, que também criam laços duradouros, se preocupam com o ente querido e ficam de luto depois de sua morte. CONSCIÊNCIA os Chimpanzés se reconhecem no espelho. Orangotangos observam e enganam humanos distraídos. Sinais de que sabem quem são e se distinguem dos outros. Ou seja, são conscientes. CULTURA O primatologista Frans de Waal juntou vários exemplos de cetáceos e primatas que são capazes de aprender novos hábitos e de transmiti-los para as gerações seguintes. O que é cultura se não isso? BURGIERMAN, D. Superinteressante, n. 190, jul. 2003. ITEM 7 O argumento que apoia a tese defendida pelo autor de que não somos tão especiais é (A) ''... as características tidas como exclusivas dos humanos são compartilhadas por outros animais,...'' (B) ''A ideia de que somos os únicos animais racionais tem sido destruída desde os anos 40.'' (C) '' Orangotangos observam e enganam humanos distraídos.'' (D) ''Chimpanzés se reconhecem no espelho.'' D8-Estabelecer relação entre a tese e os argumentos oferecidos para sustentá-los
  45. 45. O item relacionado a esse descritor deve levar o aluno a identificar, em uma passagem de caráter argumentativo, as razões oferecidas em defesa do posicionamento assumido pelo autor. Pretende-se com este item, que o leitor identifique os argumentos utilizados pelo autor na construção de um texto argumentativo. Essa tarefa exige que o leitor, primeiramente, reconheça o ponto de vista que está sendo defendido e relacione os argumentos usados para sustentá-lo. EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM.  Analisar criticamente a posição defendida pelo articulista diante do assunto do texto.  Observar o uso da linguagem no texto e a utilização de diferentes argumentos para defender uma posição.  Analisar e refletir sobre o emprego de preposições, conjunções, pronomes relativos como elementos articuladores. ANÁLISE DO ITEM O estudante deve observar nesse texto, entre argumentos apresentados e retomados nas diversas opções, aquele que reforça a ideia da dinamicidade da língua, já apresentada no título. O que se espera nesse item é que o (a) estudante perceba a relação estabelecida entre a tese defendida pelo texto e o principal argumento que a comprova, no caso, a tese é ―não somos tão especial‖ e o argumento principal é a de que ―as características tidas como exclusivas dos humanos são compartilhadas por outros animais‖, mesmo que em menor grau. Portanto o gabarito é a letra A. Leia o texto abaixo e, a seguir, responda aos itens 8 e 9. A moda do futuro Ninguém pode prever se vamos continuar a usar jeans ou se vai aparecer uma nova moda viral por aí. Mas dá para apostar que as roupas do futuro vão ser funcionais. É possível que as calças jeans não tenham mais tamanhos pré-definidos. A empresa londrina Bodymetrics já escaneia o corpo do cliente e faz o jeans perfeito para ele. Sua calça também poderá esquentar sozinha quando estiver frio. Ou realizar truques tecnológicos. Quer um exemplo? Japoneses já lançaram um tecido que transforma você em um homem invisível. A ideia até que é simples. Do lado de trás, ele é feito de microcâmeras. Na frente, é uma tela. As câmeras enviam a imagem que está atrás da pessoa para a tela que está na frente, tornando-a ―transparente‖. Quem sabe a invisibilidade se torne o novo pretinho básico. Superinteressante , julho de 2009. ITEM 8 No trecho "Do lado de trás, ele é feito de microcâmeras", o termo destacado se refere a (A) jeans. (B) corpo. (C) cliente. (D) tecido.
  46. 46. D-2 Estabelecer relações entre partes de um texto, identificando repetições ou substituições que contribuem para a continuidade de um texto. Por meio desse descritor, pode-se avaliar a habilidade de o aluno reconhecer as relações de coerência no texto em busca de uma concatenação perfeita entre suas partes, as quais são marcadas pelas conjunções, pronomes, advérbios, formando uma unidade de sentido. Essa habilidade é avaliada por meio de um texto no qual é solicitada, ao aluno, a percepção de uma determinada relação lógico-discursiva, enfatizada, muitas vezes, pelas expressões de tempo, de lugar, de comparação, de oposição, de causalidade, de anterioridade, de posteridade, entre outros e, quando necessário, a identificação dos elementos que explicam essa relação. EXPECTATIVA DE APRENDIZAGEM  Identificar as marcas línguísticas ou recursos utilizados para a progressão do texto  Refletir sobre o uso dos recursos gramaticais tais como: pronomes,advébios e desinências verbais. ANÁLISE DO ITEM O estudante deve compreeder que na expressão, ''ele'' é usado como pronome pessoal que tem, a função aqui de substituir nomes, no caso deste texto, substituindo a palavra tecido. Dessa forma, ele consegue estabelecer uma relação de coerência entre as partes do texto, além de contribuir para a unidade de sentido do mesmo. Portanto o gabarito é a letra D. ITEM 9 É possível que as calças jeans não tenham mais tamanho pré-definidos, porque (A) o tecido é feito de microcâmeras. (B) as roupas do futuro serão funcionais. (C) há empresas que já escaneiam o corpo do cliente. (D) elas também poderão esquentar sozinhas quando estiver frio. D-11 Estabelecer relação de causa / consequência entre partes e elementos do texto. Por meio deste descritor pode-se avaliar a habilidade do aluno em identificar o motivo pelo qual os fatos são apresentados no texto, ou seja, o reconhecimento de como as relações entre os elementos organizam-se de forma que um torna-se o resultado do outro. EXPECTATIVA DE APRENDIZAGEM  Reconhecer as relações de problema e solução estabelecida entre os elementos do texto ANÁLISE DO ITEM Neste item, é solicitado ao aluno identificar entre as opções, a que estabelece uma relação com a oração ―É possível que as calças jeans não tenham mais tamanhos pré-definidos‖. Para responder corretamente, o aluno precisa seguir as pistas deixadas pelo autor e reconhecer as relações estabelecidas entre os elementos, fatos do texto em que uma é resultado da outra. O gabarito é a letra C.
  47. 47. Leia os textos abaixo e, a seguir, responda ao item 10. Limites ao fumo Texto I ''Países desenvolvidos estão tentando limitar o fumo até no meio da rua, pois isso afeta os não fumantes.Mas no Rio de Janeiro nem as leis que proíbem o fumo em Shopping Centers e supermercados ( até nas seções de hortifruti) são respeitadas, obrigando quem não fuma ao convívio com essa poluição.Parte da responsabilidade da desobediência deve ser creditada aos donos dos estabelecimentos,que não orientam clientes e funcionários''. Disponível em http://blog-institutoauxiliadora.blogspot.com.br/2012/03/aula-3-carta-do-leitor.html. MARCOS DE LUCA ROTHEN. ( por e-mail,( 13/11),Niteroi, Rio de Janeiro.Acesso em 24/03/2014. Texto II ''A proposta de incluir no Código de Trânsito a proibição de dirigir fumando só pode ser mais uma tentativa de obter mais dinheiro com multas.Dirijo a quase 30 anos e nunca fui responsável por uma batida. Muitas vezes o cigarro é que mantém o motorista desperto, principalmente quando dirigindo em estrada. Em vez de propor tal absurdo digno de colégio interno, por que não se cuida de meios ou de solução para desenvolver o país. Disponível em http://blog-institutoauxiliadora.blogspot.com.br/2012/03/aula-3-carta-do-leitor.. CARLOS ROCQUE DA MOTTA (por e-mail,14/ 11),Rio.Acesso em 24/03/2014. ITEM 10 Nesses textos, em relação à proibição do uso do cigarro, as opiniões expressas são (A) complementares. (B) divergentes. (C) ambíguas. (D) distintas. D-21 Reconhecer posições distintas entre duas ou mais opiniões relativas ao mesmo fato ou ao mesmo tema. A habilidade avaliada por meio deste descritor relaciona-se, pois, à identificação, pelo aluno, das diferentes opiniões emitidas sobre um mesmo fato ou tema. A construção desse conhecimento é um dos principais balizadores de um dos objetivos do ensino da língua Portuguesa, qual seja o de capacitar o estudante a analisar criticamente os diferentes discursos, inclusive o próprio, desenvolvendo a capacidade de avaliação dos textos. O item que se destina a avaliar essa habilidade deve apoiar-se em um, dois ou mais textos diferentes e focalizar os pontos em que esses textos divergem. EXPECTATIVA DE APRENDIZAGEM
  48. 48.  Identificar em textos diferentes, pontos de vista semelhantes ou contraditórios, ambíguas, distintas ou complementares sobre determinado tema. ANÁLISE DO ITEM Para responder este item o estudante deve ter a capacidade de inferir as possíveis intenções do autor marcadas no texto e identificar as referências intertextuais. Estas marcas o ajudará a entender que, os dois textos tratam do mesmo tema, mas trás opiniões diferentes em relação às leis que proíbem o fumo. Portanto o gabarito é a letra D. PRODUÇÃO DE TEXTO A propaganda é um gênero textual dissertativo-expositivo no qual há o intuito de propagar informações sobre algo, buscando sempre atingir, influenciar e apresentar, na maioria das vezes, mensagens que despertam as emoções e a sensibilidade do leitor. Uma mensagem publicitária divulga produtos, ideias ou serviço. Para isso, ela utiliza dois elementos fundamentais: a imagem e o texto. A imagem deve produzir forte impacto visual, e o texto deve ter frases curtas e linguagem convincente para chamar a atenção do leitor, despertar o interesse e convencê-lo a adquirir o produto ou o serviço. No bimestre anterior você já estudou sobre propagandas. Agora chegou a hora de rever este Gênero. Releia o item 6 e o texto a seguir, para produzir uma propaganda. Disponível em, http://euqueroajudarcuritiba.com/tag/campanha-o-que-voce-tem-para-doar/.Acesso 04/03/2014. Imagine que você irá participar de uma campanha desenvolvida na escola e na comunidade com a finalidade de arrecadar alimentos para pessoas carentes. Elabore uma propaganda que divulgue essa campanha. Para isso, siga as seguintes instruções: pense na imagem e no texto, lembrando que esses elementos devem se complementar.Utilize a linguagem adequada. Crie um logotipo (imagem com ou sem palavras) identificando o grupo ou a entidade (escola e comunidade). Indique um
  49. 49. telefone para contato e/ou o local para a coleta de alimentos. Use a imaginação, você é capaz. Bom trabalho. _____________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________
  50. 50. SUPERINTENDÊNCIA DE INTELIGÊNCIA PEDAGÓGICA E FORMAÇÃO NÚCLEO DA ESCOLA DE FORMAÇÃO GERÊNCIA DE FORMAÇÃO CENTRAL 2ª AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA LÍNGUA PORTUGUESA 2ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO – 2014 Leia o texto abaixo e, a seguir, responda ao item 1. Clarice Lispector ―Então, escrever é o modo de quem tem a palavra como isca: a palavra pescando o que não é palavra. Quando essa não-palavra – a entrelinha – morde a isca, alguma coisa se escreveu.‖ Revista Na Ponta do Lápis, Olimpíada de Língua Portuguesa – Escrevendo o Futuro, nº 23, dezembro de 2013, p. 3. ITEM 1 Nesse contexto, a palavra isca sugere (A) iniciação. (B) mediação. (C) finalização. (D) interrupção. (E) continuação. D18- Reconhecer o efeito de sentido decorrente da escolha de uma determinada palavra ou expressão Por meio deste descritor, pode-se avaliar a habilidade do aluno em reconhecer a alteração de significado decorrente da escolha de uma determinada palavra ou expressão, dependendo da intenção do autor, a qual pode assumir sentidos diferentes do seu sentido literal. Essa habilidade é avaliada por meio de um texto no qual o aluno é solicitado a perceber os efeitos de sentido que o autor quis imprimir ao texto a partir da escolha de uma linguagem figurada ou da ordem das palavras, do vocabulário, entre outros. ANÁLISE DO ITEM Com esta atividade espera-se verificar a capacidade de o leitor/estudante refletir sobre a forma do texto e perceber as sutilezas da linguagem que interferem na construção de sentidos do texto. Assim, neste item o estudante deve identificar o que sugere a palavra ‗‘isca‘‘ a partir do sentido geral do texto e do contexto em que foi empregada. Portanto o gabarito é a letra A. Leia o texto abaixo e, a seguir, responda aos itens 2 e 3.
  51. 51. CAZUZA "MOSTRA SUA CARA": PRIMEIRA EXPOSIÇÃO DO MUSEU DA LÍNGUA PORTUGUESA A HOMENAGEAR UM POETA-CANTOR. ―Eu vejo o futuro repetir o passado /Eu vejo um museu de grandes novidades/ O tempo não para‖ Escrito por Gil Neto Sex, 06 de Dezembro de 2013 15:21 Chego cedo. Sol forte brilhando tudo. Antes de entrar no Museu, a exposição antecipa-se. Há desconhecidos mostrando suas caras nos muros. Tenho sentimento fluido de que cada um deles carrega algo de crítica e amor nascido do homenageado. Logo de cara, música ao fundo como se estivesse na fila de um show já iniciado. Deparo-me com uma galeria de rostos e ideias: retratos gigantes, do tipo 3x4, dependurados, feito banners estampando mais tantos anônimos rostos. Cada um traz impresso na face um fragmento poético do artista. Uma floresta de versos a pulsar na emoção leitora. Somos fisgados por letras gigantes, vermelhíssimas. Salpicam nos olhos buscadores e formam o nome do homenageado: CAZUZA. Leio rápido no espalhado assimétrico das letras como objetos únicos. Algo me tinge de melodia a emoção e a expectativa. Ouço sons, palavras libertas voando aos meus ouvidos como se cantassem todas as irreverências acalantadas nos poemas do compositor. Sigo o corredor de espelhos (―Mergulho na mente do poeta‖) com trechos de músicas do artista projetados em leds, com efeitos que formam ambiente sensorial e emocional. Entro no espaço que nos conta pelas páginas de um álbum ilustrado dançando no escuro e na nossa imaginação todas as influências recebidas por Cazuza no seu fazer literário. Estarreço-me de encanto em saber que chegou a ler 112 vezes o Água Viva, de Clarice. Isso é mais que leitura. É revestir-se de toda emoção e sentimento perpassado pelas linhas e entrelinhas da escritora tão amada como se quisesse ser o próprio dizer vivo de Lispector. Depois a sala ―Cazuza, Juventude e Rock'n roll‖. Nela entramos em contato com depoimentos de personalidades e amigos de Cazuza que falam sobre questões relacionadas à juventude: a rebeldia, a transgressão e a universalização do comportamento inconformado dos jovens. Logo mais um corredor, das ―Palavras flutuantes‖, com cartazes parecidos com os das manifestações de rua, com palavras-chaves das canções de Cazuza. Respiro toda uma atmosfera transformadora de que a música é capaz de criar. Este feito é de Cazuza. Seu lirismo é rocha na MPB. O rock ganha nova tradição. Seu dizer faz algo novo nascer na nossa música popular. O poeta nos concede seu vislumbre de uma nova lógica social almejada, querida, forjada em versos e palavras e música. Cazuza e suas palavras compõem o cenário de sua época a impulsionar o tempo. Busca amor sem saber ao certo onde encontrá-lo, sabendo-o ser necessário eficaz. Rebelde e contestador, Cazuza encarnou a figura do jovem de sua época: vivia de forma intensa e queria mudar o mundo. Entretanto, soube como poucos transformar sentimentos e paixões em poesia. Seus versos fortes e sua personalidade irreverente
  52. 52. marcaram a história da música brasileira e vêm influenciando gerações até hoje, vinte e três anos após sua morte. Fico imaginando o que andará pela cabeça e coração de tantos visitantes adolescentes que aqui circulam. Sinto-os mais que visitantes. Embarcam na viagem pela obra e vida do artista. Saem do eixo cotidiano, envolvem-se e se emocionam. Como eu. Que julgo ter um coração sem idades. Percebo que a face política de Cazuza ganha espaço fecundo na exposição. Perpassa durante a visita toda a geração do artista que vivenciou o período da ditadura e participou intensamente do processo de abertura política do país. Por esse viés político a exposição conecta, por certo, o compositor com a juventude do agora. Podemos curtir a sala ―Poesia e Música‖ dedicada à intensa relação entre poesia e canção. Por meio de recursos da computação gráfica, pílulas de conteúdo contextualizam esse ―casamento‖ e também mostram como Cazuza traz o cenário político brasileiro para as composições. Na sala ―O Tempo não para‖, através de animações vislumbramos um paralelo entre seis momentos da vida de Cazuza e da história brasileira: os grandes marcos da trajetória política e social do país. Há espaços interativos: na sala ―Cante com Cazuza‖ há pedestal, microfone, telão e som. Quem se aventurar escolhe entre ―Ideologia‖ e ―Exagerado‖ e canta com Cazuza, num descontraído e íntimo karaokê. Os banheiros ganham status de ―Altar‖. Recebem luzes e projeções dos shows e da irreverência do artista. Do lado de fora vivemos um momento quase íntimo: os óculos escuros, escova de dentes, par de tênis, um manuscrito em papel amassado e outros objetos pessoais. Ainda há a sala ―A arte de escrever canções‖, pedagogicamente muito interessante. Nela há estações individuais com monitores touchscreen que desvendam a estrutura poética das músicas, mostram o que são versos e refrões e como as rimas e assonâncias são construídas por Cazuza. Podemos ouvi-lo cantando a música analisada. Na sala ―Cazuza por Cazuza‖, composta por grandes livros cenográficos, são projetadas palavras-chave. E por meio de um sensor em cada livro, podemos escolher uma delas e ouvir o que Cazuza nos diz sobre o tema. É ali que os olhos da gente se encantam com fotos gigantes e expressivas do artista cobrindo o ambiente. Percebo que a exposição não é totalmente biográfica. Há um intento sutil e importante que é a maneira com que Cazuza faz poesia em música. Saio cantando alguns dos versos impregnados de viver e relembranças da vida que vai e de Cazuza. Reconheço-me nos seus versos ainda ecoando na boca do mundo. Sinto-me como ele por alguns instantes: romântico e despudorado. Disponível em: http://www.escrevendoofuturo.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=1517:gil- neto&catid=4:blog-do-gil&Itemid=41. Acesso em 04 de abril de 2014. ITEM 2 No trecho ―Estarreço-me de encanto em saber que chegou a ler 112 vezes o Água Viva, de Clarice. ‖ (5º parágrafo) o termo sublinhado indica que o autor ficou (A) paralisado. (B) espantado. (C) fascinado.
  53. 53. (D) alarmado. (E) perturbado. D3- Inferir o sentido de uma palavra ou expressão. Por meio deste descritor, pode-se avaliar a habilidade de o aluno relacionar informações, inferindo quanto ao sentido de uma palavra ou expressão no texto, ou seja, dando a determinadas palavras seu sentido conotativo. Inferir significa realizar um raciocínio com base em informações já conhecidas, a fim de se chegar a informações novas, que não estejam explicitamente marcadas no texto. Com este descritor, pretende-se verificar se o leitor é capaz de inferir um significado para uma palavra ou expressão que ele desconhece. ANÁLISE DO ITEM Com esse item espera-se que o estudante infira o sentido da palavra estarrecer de acordo com o sentido contextualizado no fragmento dado como um todo. ―Estarreço-me de encanto‖. Portanto o gabarito é a letra C. ITEM 3 Pode-se afirmar que a exposição sobre Cazuza descrita pelo autor causou-lhe (A) admiração. (B) intimidação. (C) fortalecimento. (D) inconformismo. (E) desapontamento. D4- Inferir uma informação implícita em um texto Por meio deste descritor, pode-se avaliar a habilidade de o aluno reconhecer uma ideia implícita no texto, seja por meio da identificação de sentimentos que dominam as ações externas dos personagens, em um nível básico, seja com base na identificação do gênero textual e na transposição do que seja real para o imaginário. É importante que o aluno apreenda o texto como um todo, para dele retirar as informações solicitadas. ANÁLISE DO ITEM Esse item visa aferir se o estudante é capaz de identificar que ao longo do texto, o autor, ao visitar a exposição sobre Cazuza, nos deixa entender sua emoção e admiração ao descrevê-la. Portanto o gabarito é a letra A. Leia o texto abaixo e, a seguir, responda ao item 4.
  54. 54. Disponível em: https://www.google.com.br/search?q=tirinhas+do+mauricio+ricardo&espv=2&es_sm=93&tbm=isch&tbo=u&source=univ&sa=X&ei=_nxFU_faGaqT0QHB1oCABw&ved ITEM 4 Na expressão ― é a mesma frase que sua mãe usa pra você não ir pra balada!‖ As palavras destacadas revelam um locutor que faz uso da linguagem (A) formal. (B) coloquial. (C) científica. (D) jornalística. (E) acadêmica. D13- Identificar as marcas linguísticas que evidenciam o locutor e o interlocutor de um texto. Por meio desse descritor pode-se avaliar a habilidade de o aluno identificar quem fala no texto e a quem ele se destina, essencialmente, por meio da presença de marcas linguísticas (o tipo de vocabulário, o assunto, etc.), evidenciando, também, a importância do domínio das variações linguísticas que estão presentes na nossa sociedade. Essa habilidade é avaliada em textos nos quais o aluno é solicitado a identificar, o locutor e o interlocutor do texto nos diversos domínios sociais, como também são exploradas as possíveis variações da fala: linguagem rural, urbana, formal, informal, incluindo também as linguagens relacionadas a determinados domínio sociais, como, por exemplo, cerimônias religiosas, escola, clube etc. ANÁLISE DO ITEM O gabarito do item é a letra (B), no qual é avaliada a capacidade de o aluno reconhecer o uso da linguagem informal nas palavras destacadas na expressão ―é a mesma frase que sua mãe usa pra você não ir pra balada!‖. Caso o locutor tivesse feito uso de linguagem formal, o termo pra deveria ter sido grafado como para.
  55. 55. Leia o texto abaixo e, a seguir, responda aos itens 5, 6,7 e 8. Texto 1 A VIOLÊNCIA NÃO É UMA FANTASIA Lya Luft A violência nasce conosco. Faz parte da nossa bagagem psíquica, do nosso DNA, assim como a capacidade de cuidar, de ser solidário e pacífico. Somos esse novelo de dons. O equilíbrio ou desequilíbrio depende do ambiente familiar, educação, exemplos, tendência pessoal, circunstâncias concretas, algumas escolhas individuais. Vivemos numa época violenta. Temos medo de sair às ruas, temos medo de sair à noite, temos medo de ficar em casa sem grades, alarmes e câmeras, ou bons e treinados porteiros. As notícias da imprensa nos dão medo em geral. Não são medos fantasiosos: são reais. E, se não tivermos nenhum medo, estaremos sendo perigosamente alienados. A segurança, como tantas coisas, parece ter fugido ao controle de instituições e autoridades. Nestes dias começamos a ter medo também dentro dos shoppings, onde, aliás, há mais tempo aqui e ali vêm ocorrendo furtos, às vezes assaltos, raramente noticiados. O que preocupa são movimentos adolescentes que reivindicam acesso aos shoppings para seus grupos, em geral organizados na internet. É natural e bom que grupos de jovens queiram se distrair: passear pelos corredores, alegres e divertidos, ir ao cinema, tomar um lanche, fazer compras. Porém correr, saltar pelas escadas rolantes, eventualmente assumir posturas agressivas ou provocadoras e bradar palavras de ordem não é engraçado. Derrubar crianças ou outros jovens, empurrar velhas e grávidas, não medindo consequência de suas atitudes, não é brincadeira. Shoppings são lugares fechados, com grande número de pessoas, e, portanto, podem facilmente virar perigosos túneis de pânico. Juventude não é sinônimo de grossura e violência (nem de inocência e ingenuidade). Neste caso, os que perturbam são jovens mal-educados (a meninada endinheirada também não é sempre refinada…) ou revoltados. Culpa deles? Possivelmente da sociedade, que por um lado lhes aponta algumas vantagens materiais, por outro não lhes oferece boas escolas, com muito esporte também em fins de semana, nem locais públicos de prática esportiva com qualidade (esportistas famosas como as tenistas irmãs Williams, meninas pobres, começaram em quadras públicas americanas). Parece que ainda não se sabe como agir: alguns jornalistas ou psicólogos e antropólogos de plantão, e gente de direitos humanos às vezes tão úteis, acham interessante e natural o novo fenômeno, recorrendo ao jargão tão gasto de que ―as elites‖ se assustam por nada, ou ―as elites não querem que os pobres se divirtam‖, e ―os adultos não entendem a juventude‖. Pior: falam em preconceito racial ou social, palavrório vazio e inadequado, que instiga rancores. As elites, meus caros, não estão nos nossos shoppings; estão em seus iates e aviões pelo mundo. No momento em que as manifestações violentas de junho estão aparentemente calmas (pois queimam-se ônibus e crianças, há permanentes protestos menores pelo Brasil), achar irrestritamente bonito ou engraçado um movimento juvenil é
  56. 56. irresponsabilidade. E é bom lembrar que, com shoppings fechando ainda que por algumas horas, os empregados perdem bonificações, talvez o emprego. As autoridades (afinal, quem são os responsáveis?) às vezes parecem recear uma postura mais firme e o exercício de autoridade: como pode ocorrer na família e na escola, onde reinam confusão e liberalismo negativo. Queremos ser bonzinhos, para desamparo dessa meninada. Todos devem poder se divertir, conviver. Mas cuidado: exatamente por serem jovens, os jovens podem virar massa de manobra. Os aproveitadores de variadas ideologias, ou simplesmente os anarquistas, os violentos, estão sempre à espreita: já começam a se insinuar entre esses adolescentes ou a organizar grupos de apoio a eles — certamente sem serem por eles convidados. Bandeiras, faixas, punhos erguidos e cerrados e palavras de ordem não são divertimento, e nada têm a ver com juventude. Não precisamos de mais violência por aqui. É bom abrir os olhos e descobrir o que fazer enquanto é tempo. Disponível em: http://veja.abril.com.br/blog/ricardo-setti/politica-cia/lya-luft-a-violencia-nao-e-uma-fantasia. Acessado em 09/04/2014. ITEM 5 A tese defendida pela autora do texto é de que (A) a violência é uma realidade advinda das manifestações de junho. (B) a violência causada nos shoppings não tem nada a ver com juventude. (C) o combate à violência provocada por jovens que fazem parte de grupos organizados é uma necessidade. (D) os grupos de adolescentes defendem e apoiam atos de violência nas manifestações. (E) a violência provocada pelos jovens foge ao controle das instituições e autoridades. D7-Identificar a tese de um texto Em um texto argumentativo, seu autor procura convencer ou persuadir alguém daquilo em que ele, o produtor, acredita. Por isso, defende uma tese, utilizando vários recursos lógicos e linguísticos para atingir sua intenção persuasiva ou de convencimento. Pretende-se, com essa habilidade, que o leitor identifique a ideia defendida pelo autor. ANÁLISE DO ITEM Para responder esse item o estudante deverá identificar os recursos linguísticos e os argumentos que o autor utiliza para defender o seu ponto de vista, nesse caso a tese defendida por ele é a de que ―o combate à violência provocada por jovens que fazem parte de grupos organizados é uma necessidade.‖ O gabarito é a letra C. ITEM 6 O argumento que melhor defende a tese da autora do texto é de que:

×