Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

26 mateus

1,435 views

Published on

  • I have done a couple of papers through ⇒⇒⇒WRITE-MY-PAPER.net ⇐⇐⇐ they have always been great! They are always in touch with you to let you know the status of paper and always meet the deadline!
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here

26 mateus

  1. 1. Toda a Bíblia em um ano ESCOLA BÍBLICA VIRTUAL CLASSE: A BÍBLIA EM UM ANO PROF.: FRANCISCO TUDELA PIBPENHA –SP – 2017 ESTUDO 2
  2. 2. Linha do tempoLinha do tempo JesusJesus Patriarcas (ABRAÃO / ISAAC / JACÓ) 1850 1250 Êxodo 1030-931 Reis (SAUL / DAVI / SALOMÃO Profetas (NATÃ / GADE / AÍAS) 587-538 Exílio da Babilônia (ISAIAS / EZEQUIEL AGEU) 333-63 Período Grego Ptolomeus/Selêucidas (MACABEUS) 63 Período Romano 538-333 Período Persa (ISAIAS / NEEMIAS ESDRAS) Origem do Universo: 12 a 20 bilhões de anos atrás 931-587 Reino de Judá Babilônia (ISAÍAS / MIQUÉIAS JEREMIAS) Reino de Israel Assíria (ELIAS / ELISEU AMÓS / OSÉIAS) 931-722 Juízes 1200-1030
  3. 3. O AT compreende milhares de anos, já o Nttrata de um período aprox. de 100 anos O primeiro livro do NT foi escrito aprox. em 45 dC. e o último em 95 dC. Nesse período temos o cumprir da promessa da vinda do Messias (Cristo em grego), o início da Igreja e do Cristianismo. Um acrônimo
  4. 4. TERMINOLOGIATERMINOLOGIA Testamento = aliança ou acordo EVANGELHO “EUANGGELION” EvangelhoEvangelho, do grego euanggélion ou do latim evangelium, significa boa nova, boa notícia (que o rei enviava ao povo através de seus mensageiros). “eu” = indica algo bom “anggélion” = o que é próprio do “ângelos”= mensageiro= noticia.
  5. 5. At 21.8 – Os que ANUNCIAM O EVANGELHO são chamados de EVANGELISTAS. A PARTIR DO SÉCULO II A palavra “EVANGELHO” foi aplicada aos livros que contém a mensagem de Jesus. EVANGELISTA passou a indicar aquele que REDIGIU o EVANGELHO.
  6. 6. Existe um único Evangelho escrito por 4 evangelistas em 4 livros diferentes. Evangelho segundo (escrito por) Marcos, Mateus, Lucas, João.
  7. 7. MATEUS Era do grupo dos doze MARCOS Não era do grupo dos doze LUCAS Não era do grupo dos doze MATEUS – MARCOS - LUCAS SÃO CHAMADOS EVANGELHOS SINÓTICOS – tratam do Jesus histórico “de uma perspectiva comum”, quando comparados dizem as mesmas coisas com algumas diferenças nos pormenores JOÃO era do grupo dos doze Trata do Jesus divino
  8. 8. 8
  9. 9. Evangelho segundo Mateus Autor: É historicamente atribuído ao apóstolo Mateus. Os cristãos nesta época ainda se consideravam judeus e, como tais, adoravam no Templo, reverenciavam a Lei dada por Deus a Moisés, bem como a Torah (tradição oral que interpretava a lei escrita). Nesse contexto religioso Jesus nos dá a tradição oral cristã: uma mensagem (evangelios) transmitida oralmente. Quando o segundo Templo foi destruído em 70 d.C., esta tradição oral não era mais viável e foi necessário escrevê-la, o que ocorreu na Mishnah (parte do que seria posteriormente o Talmude).
  10. 10. Acredita-se que Mateus escreveu a "tradição oral cristã“ em aramaico (texto perdido, o que temos está em grego). Local: Antioquia da Síria ou Fenícia ou Galiléia Destinatários: Comunidades cristãs vindas do judaísmo (judeus da Síria e da Palestina). A data mais aceita é entre os anos 60 e 70 d.C. Seu nome verdadeiro era Levi e Mateus (“Presente de Deus” em hebraico) era seu nome apostólico.
  11. 11. Publicano=fiscal ou cobrador de impostos do comércio que cruzava do mar da Galiléia para Damasco e Egito em Cafarnaum. O uso de certos vocábulos para dinheiro indicam que o autor era um publicano: tributo no lugar de denário (Mt. 22.19 e Mc.12.15).
  12. 12. ERA RICO “Para celebrar e agradecer a sua chamada deu um grande banquete para Jesus” (Lc 5.29). Mateus deixou seu emprego público para servir a Jesus. O mais intelectual dos 12 apóstolos, falava aramaico e grego. Segundo a tradição, depois da morte de Jesus, pregou do norte da África até a Etiópia e foi morto por espada.
  13. 13. Propósito Criar um elo entre os dois Testamentos, para mostrar aos judeus que Jesus era Cristo, o Messias prometido no AT. Mt 2.23 “E foi habitar numa cidade chamada Nazaré, para que se cumprisse o que fora dito por intermédio dos profetas: Ele será chamado Nazareno” “Para que se cumprisse”, frase que ocorre 10 vezes.
  14. 14. Esboço de Mateus 1. A genealogia e o nascimento de Jesus – Cap. 1 2. Os primeiros anos de Jesus – Cap. 2 3. João Batista e o batismo de Jesus – Cap. 3 4. A tentação de Jesus – Cap. 4 5. O sermão do monte – Cap. 5 a 7 6. Os milagres de Jesus – Cap. 8 e 9 7. A proclamação do reino – Cap. 10 e 11 8. Os opositores do reino – Cap. 12 a 16 9. Jesus prepara seus discípulos – Cap. 16 a 17 10. Jesus instrui seus discípulos – Cap. 18 a 20 11. A apresentação e a rejeição de Jesus – Cap. 21 a 23 12. Jesus no Monte das Oliveiras – Cap. 24 - 25 13. O sofrimento e a morte de Jesus – Cap. 26 a 27 14. O triunfo de Jesus – Cap. 28
  15. 15. Apresentação de Jesus 1. 1-17 Mateus traça a descendência de Jesus como Rei de Israel. Inicia com Abraão (aliança da promessa Hb 11.17-19); Segue a linhagem por Davi (aliança da soberania 2 Sm 7.8-16), por Salomão, e a encerra com José, de quem é filho legal. Já Lucas traça a descendência de Jesus como filho de Davi. Segue a linhagem sanguínea através de outro filho, Natã; Rastreia os ancestrais de Maria, de quem Jesus é filho carnal. Mateus mostrará aos judeus, que estavam examinando a mensagem de Jesus Cristo, que Ele era o rei messiânico, o rei davidico das profecias do AT. Emanuel, Deus conosco. Abraão (1850 a.C.) – Davi (1010 a.C.) 14 gerações Davi – Exílio da Babilônia (598 – 538 a.C.) 14 gerações Exílio da Babilônia – Jesus (8 – 6 a.C.) 14 gerações Total 42 gerações
  16. 16. Apresentação de Jesus 1.23 ao 2.23 Relata a concepção milagrosa de Jesus em Belém (nascer de uma virgem), a visita dos astrólogos, a fúria de Herodes ao matar os meninos com menos de 2 anos em Belém, a fuga de José e Maria para o Egito com Jesus e o retorno para Nazaré. Mateus chama a atenção para o cumprimento de profecias que mostram ser Jesus o Messias anunciado, o Cristo. Mat. 1.23 — Is. 7.14; Mat. 2.1-6 — Mq. 5.2; Mat. 2.13-18 — Os. 11.1 e Jr. 31.15; Mat. 2.23 — Is. 11.1 – em hebraico renovo tem a mesma raiz e fonética de nazareno. 2.11 Os magos estrangeiros deram 3 presentes que associam ser Jesus rei (ouro), sacerdote (incenso) e que morreria em favor da humanidade (mirra usada para embalsamar). 2.16,19 Herodes morre após matar o menores de 2 anos - 4aC em Jericó.
  17. 17. INÍCIO DO MINISTÉRIO Mateus dá então um salto de quase 30 anos. 3.3 João Batista (Is 40.3) anuncia a chegada do Reino; O batismo não foi uma invenção de João, os judeus realizavam rituais de lavação como símbolo de purificação e conversão. Batismo, do grego baptizo, significa imergir, imersão total e não por aspersão ou derramamento, representava o lavar dos pecados e o abandono da vida anterior. Daí não batizar bebês, mas quem possa decidir por si mesmo. 3.11 Batismo com o Espírito Santo para os que O aceitarem e fogo para os que O rejeitarem. 3.15 Jesus é batizado (era um rito de iniciação que demonstra arrependimento 3.11) e começa o ministério; 3.16,17 A trindade está presente: o Espirito Santo, como pomba, Deus Pai, quando fala ao Deus Filho, e Jesus.
  18. 18. Com o propósito de minar o plano de Deus Jesus é tentado: 4.3.4 No aspecto físico: Jesus cita a Bíblia - Dt 8.3; Sl 91.11,12 4.6,7 No orgulho: o diabo cita a Bíblia Sl 91 e Jesus Dt 6.16 4.9,10 Do caminho fácil – Jesus cita a Bíblia - Dt 6.13 A IMPORTÂNCIA DE SABER CITAR TRECHOS BÍBLICOS. 4.12,16 Inicia a pregação em Cafarnaum conf. Is 9.1,2 4.18 Inicia a formação do grupo de 12 discípulos. Todos nasceram na Galiléia, exceto Judas Iscariotes (da Judéia).
  19. 19. AS BEM-AVENTURANÇAS mostram quem é feliz aos olhos de Deus (aventurado = que se aventura, se arrisca) Em sua pregação mais longa, Jesus não trata de como alcançar a salvação, mas qual o comportamento ético esperado daquele que O aceita e segue. São descrições das qualidades a serem encontradas, em vários graus, na vida do que aceita o domínio de Deus. Quando Jesus utiliza a Bem-aventurança não está declarando como as pessoas se sentirão “felizes”, mas sim o que Deus pensa delas e por este motivo são felizes. Não se vingar, não fazer a justiça própria, disposto a perder, amar o inimigo, não ceder as tentações... Padrões éticos que Jesus apresenta para confrontá-los com os valores que a pessoa estabelece para seus relacionamentos. Uma ética ideal que o homem não tem e não consegue realizar se suas escolhas não forem dirigidas pelo E. S.escolhas não forem dirigidas pelo E. S.
  20. 20. Bem-aventurança Para o Cristão Para o Mundo 5.3 Pobre de espírito Seu “eu” não é o centro, mas Jesus Auto-suficiência, orgulho, egoísmo, ... 5.4 Os que choram Confissão sincera do pecado Não entendem as implicações do pecado 5.5 Os humildes Humilde: obedece a Palavra de Deus Entende mansidão como fraqueza 5.6 Fome e sede de Justiça Supre suas necessidades através de Cristo Alcançada pelo seu esforço e próprio merecimento 5.7 Misericordiosos As pessoas devem ser amadas e as coisas usadas As pessoas devem ser usadas e as coisas amadas 5.13,14 Ser sal e luz implica em não ficar apático à injustiça.
  21. 21. 21 6.9 Jesus orava de modo diferente Conhecer a Todos o conheçam e obedeçam Confiar que Deus tem o melhor para mim Dívida= fruto do pecado Sabedoria nas decisõesDá o que preciso Porque Teu é o Reino, o poder e a glória para sempre. Amém’.
  22. 22. 22 6.25 Todos devem se organizar para comer e vestir, o problema é a ansiedade que surge ao achar que se é autossuficiente e pode resolver tudo. 7.1,2 Não impede julgar mas julgar pelos padrões corretos. 7.22 Pessoa que diz fazer milagres pode não ser de Deus 7.26 A religiosidade aparente é não seguir a Jesus. 11.13 João Batista é o último profeta da velha aliança. 11.18,19 Mostra a política de oposição dos religiosos. 12.31 A blasfêmia contra o Espírito Santo é imperdoável; fariseus depois de verem os milagres atribuem-nos a satanás. Dt 29.19,20 13.55 A família de Jesus.
  23. 23. 23 16.16-18 ...você é Pedro - Jesus mudara o nome de Simão para Pedro (Mc 3.16), que significa pedra, e agora o justifica: O Pai revelara a Pedro que Jesus é o Cristo filho do Deus vivo, e sobre esta pedra, isto é, esta convicção de que “Tu és o Cristo”, será edificada a igreja. O início da construção da igreja de Jesus se dá dentro de cada homem que crê tal como Pedro creu. 16.28;17.1-3 Alguns discípulos antes de morrer tem um relance do reino do céu, para mostrar que a missão tem origem noutro mundo. Moisés pisa a terra prometida. 17.20 A fé não obriga Deus a funcionar movendo montes. 18.3,14 Ser como criança é ser dependente de Deus. 18.8 Não deve ser interpretado literalmente; seríamos os tetraplégicos de Cristo; refere-se a ser radical com o pecado. 18.35 Irmão que perdoa irmão demonstra humildade. 19.3-6 Jesus muda o foco do divórcio para o casamento.
  24. 24. 24 19.16-26 Trata do rico que se considera uma pessoa boa e o que mais ama é o dinheiro, pois nele se sente em segurança. “E lhes digo ainda: é mais fácil passar um camelo pelo fundo de uma agulha do que um rico entrar no Reino de Deus". A MENSAGEM É: A ESTE TIPO DE HOMEM É IMPOSSÍVEL SE SALVAR.
  25. 25. 25 Os cristãos desta época ainda se consideravam judeus e, como tais, adoravam no Templo. 21.13 Para alguns, ainda hoje, Templo é dinheiro. 21.33-42 O povo e lideres ao rejeitarem o Filho estão rejeitando os profetas. (Sl 118) 22.21 O governo tem legitimidade e não será por meio de uma revolução política que se instalará o reino de Deus. 22.30 No céu não há procriação. (e as 12 virgens do Alcorão?) 23.5 A hipocrisia na religião; querem ser vistos para serem aprovados pelos outros. 23.19-24 A religião perversa e destruidora é hipócrita, se interessa pelo dinheiro e é legalista. 23.23 “...devem praticar estas coisas...”: observar a justiça, a misericórdia e a fidelidade. ““sem omitir aquelas...”: continuar recolhendo os dízimos.sem omitir aquelas...”: continuar recolhendo os dízimos.
  26. 26. 26 25.18 Um talento era uma peça de prata de 35 Kgf (1 Denário valia um dia de trabalho). 25.24-30 No dia do julgamento serão cobrados os resultados da graça de Deus na nossa vida. 25.40 Neste dia os aprovados por Deus são os que repartiram com os necessitados e tiveram boa atitude com o próximo. Não se trata de quanto mais contribuo mais pontos ganho no céu, não há salvação pelas obras, trata-se de obras decorrentes da salvação (quem tem fé deve manifestá-la). Quem faz para Deus não contabiliza. Mede-se uma pessoa não pelos bens que tem, mas pelo bem que tem feito. 27.3 Judas não se arrependeu verdadeiramente, não se voltou para Jesus, diferente do arrependimento de Pedro. 27.19 Deus está no controle de tudo, até da esposa de Pilatos.
  27. 27. 27 27.46 Neste momento Deus se afasta e nossos pecados caem sobre Jesus. Jesus está citando o início do Salmo 22. 27.51 Quando o véu do templo se rasga finda a separação entre Deus e o homem. “Coincidentemente” há um terremoto. 27.52,53 Momento de terror: ressuscitados vagam na cidade. 27.54 Até os romanos declararam que Jesus é o Filho de Deus. 28.19 Nossa responsabilidade: FAZER DISCÍPULOS E ENSINAR O EVANGELHO.FAZER DISCÍPULOS E ENSINAR O EVANGELHO.
  28. 28. Toda a Bíblia em um ano: Ester a Malaquias; Dusilek, Darci; 10ª Ed. Rio de Janeiro; Ed. Horizonal, 2011 Manual Bíblico SBB; trad. Noronha, Lailah; São Paulo; Ed. Sociedade Bíblica do Brasil; 2008 Textos Bíblicos extraídos: Bíblia Sagrada Nova Versão Internacional; São Paulo; Ed. Vida; 2001 BRUCCE, F. F. Comentário Bíblico NVI. São Paulo, Ed. Vida, 1ª edição, 2008 http://bibliotecabiblica.blogspot.com/2009/07/resumo-do- evangelho-de-mateus.html Reflexões extraídas da World Wide Web Programa ROTA 66 – Sayão, Luiz – Rádio transmundial 28
  29. 29. FIM
  30. 30. 30
  31. 31. A Genealogia de Jesus Cristo Direitos de propriedade Os Judeus mantinham registros genealógicos com muito cuidado. Faziam isto principalmente porque os direitos de propriedade em Israel estavam ligados à herança de família. Quando os Judeus se instalaram em Israel, as tribos receberam partes da terra como sua herança (Josué 14 a 21). As famílias dentro de cada tribo receberam partes dessa terra, que poderia ser cultivada, desenvolvida ou vendida. A cada 50 anos uma família sem posses poderia requisitar de volta a parte da terra que seus ancestrais tinham recebido na distribuição original (Lv 25.10). Pessoas que não pudessem descrever sua linha familiar não possuíam herança na nação de Israel, sendo tratados como estrangeiros sem posses. Dai a grande preocupação dos Judeus com genealogias.
  32. 32. A Genealogia de Jesus Cristo Profecias Profecias também contribuíam para o interesse dos Judeus em genealogias. Deus havia prometido a vários indivíduos que o Messias haveria de ser um de seus descendentes. Para provar a descendência do Messias era importante manter registros genealógicos com precisão.
  33. 33. O uso da palavra “Filho” Os Judeus não usavam a palavra filho num sentido limitado como hoje: Mt 1.1 declara que Jesus era o “filho de Davi, o filho de Abraão”. À primeira vista poderia se entender que Davi era o pai de Jesus e que Abraão era o seu avô. Para um Judeu Mateus estava declarando que Jesus era descendente de Davi, que por sua vez era descendente de Abraão. Para o Judeu a palavra filho poderia ser utilizada para designar um descendente, numa geração arbitrariamente distante. Filho também poderia ser usado para descrever parentesco, sem filiação. Embora Zorobabel fosse sobrinho de Sealtiel ( 1Cr 3.17-19), foi chamado o filho de Sealtiel (Ed 3.2, Nm 12.1, Ag 1.12). Jair era um parente, não consanguineo, distante de Manassés ( 1 Cr 2.21-23 e 7.14- 15), no entanto foi chamado “filho de Manassés” (Nm 32.41, Dt 3.14, 1 Rs 4.13).
  34. 34. Resumos genealógicos Resumos genealógicos, ou saltos de gerações, aparecem não apenas em Mt 1.1, mas também em vários pontos do Velho Testamento. Comparando-se Ed 7.3 com 1 Cr 6.7-10, verifica-se que Esdras deliberadamente pulou seis gerações, de Meraiote a Azarias (filho de Joanã).
  35. 35. Quem era o pai de José? À primeira vista , Mateus e Lucas parecem discordar quanto ao pai de José. Mateus declara que ele era o filho de Jacó, enquanto que Lucas declara que ele era o filho de Heli. Felizmente uma fonte de informação inesperada ajudou os estudiosos a esclarecer este mistério. O Talmude de Jerusalém indica que Maria era a filha de Heli (Haggigah, Livro 77. 4). José era genro de Heli, portanto Lucas poderia chamar José de “filho de Heli”, pois isto estava de acordo com o uso costumeiro da palavra “filho” nessa época, conforme precedentes bíblicos citados anteriormente.
  36. 36. A maldição de Jeoaquim e Jeconias Jeoaquim foi um rei de Judá que ofendeu a Deus queimando um rolo que o profeta Jeremias havia escrito. Deus o castigou, indicando que “não teria quem se assentasse no trono de Davi” (Jr 36.30). O filho de Jeoaquim, Joaquim, assumiu o reinado depois da morte de seu pai (2 Rs 24.6) só por 3 meses, quando a cidade foi conquistada por Nabucodonosor, que o levou cativo para a Babilônia, de onde não retornou (2 Rs 24.8-15; 25.27,30). O sentido hebraico da frase “não terá quem se assente no trono” é de uma permanência mais duradoura. Joaquim também chamado Conias (Jr 37.1), ou Jeconias (Jr 22.24, 24.1 e 27.20) foi também castigado por sua desobediência a Deus (Jr 22.21 e 22.30): “nenhum de seus filhos prosperará, para se assentar no trono de Davi, e ainda reinar em Judá”.
  37. 37. O problema José, o pai de Jesus, era descendente de Jeoaquim e Jeconias. Portanto a descendência física de José não poderia aspirar ao trono de Davi em virtude do castigo imposto a ambos. Jesus era herdeiro do trono de Davi, conforme declarado em Lc 1.32, At 2.30 e Hb 12.2. Além disso Deus havia prometido a Davi que um de seus descendentes físicos haveria de reinar em seu trono para sempre (2 Sm 7.12,13). Se Jesus tivesse nascido de José a profecia seria contraditória. Era portanto impossível satisfazer à promessa e à profecia de forma natural. Este problema exigiria portanto uma solução de natureza divina.
  38. 38. A solução Deus criou a solução através do milagre do nascimento virginal. Embora José fosse um descendente de Joaquim e Jeoaquim (através de Salomão), Maria não era. Ela era descendente de Natã (Lc 3.31) um dos outros filhos de Davi. A promessa feita a Davi foi cumprida pois Maria era a mãe biológica de Jesus. O nascimento virginal também resolveu o problema do castigo imposto a Jeoaquim e Joaquim, dando a Jesus o direito legal ao trono, através de José.
  39. 39. BIBLIOGRAFIA Igreja Batista do Morumbi Visão Panorâmica dos Evangelhos – 2003 http://www.jacinto- mendes.eti.br/estudosbiblicos/evangelhos/aulas/A %20Genealogia%20de%20Jesus%20Cristo.pdf
  40. 40. Quem foram e o que fizeram os 12 ap stolos originais?� Os 12 participaram da Última Ceia. Pedro - Pescador, seu nome original era Simão. André - Pescador, irmão de Pedro, foi o primeiro convocado. Pregou pelas regiões que hoje correspondem à Turquia, à Grécia e à Rússia. É o patrono da igreja ortodoxa grega. Tiago, o Maior - Pescador, filho de Zebedeu, foi um dos primeiros a abandonar tudo para seguir Jesus. Permaneceu em Jerusalém, junto a Pedro, e depois foi até a Espanha. 40
  41. 41. João - Irmão de Tiago, o Maior, era o mais novo dos apóstolos e único a morrer de causas naturais - todos os outros foram executados. Tiago, o Menor - Filho de Alfeu, é identificado às vezes como o irmão de Jesus, às vezes como primo. Foi o principal líder da comunidade cristã de Jerusalém, e escreveu uma das cartas do NT. Mateus - Coletor de impostos e se chamava Levi. Abandonou os negócios e distribuiu seus bens entre os pobres para seguir Jesus. Filipe - Não há informações. Tomé - Não há informações. 41
  42. 42. Bartolomeu - Chamado de Natanael era descrito como alguém leal. Pregou na Índia e na Armênia. Judas Tadeu - Nascido em Nazaré era irmão de Tiago, o Menor. Simão - Conhecido por Simão, o zelote. Judas Iscariotes - Não há informação. 42
  43. 43. 43
  44. 44. Império Romano 550 400500 350450 300 250 100200 50150 0 50 Herodes, o grande, era o governador da região quando Jesus nasceu.
  45. 45. Os 5 discursos Mateus registra os ensinos de Jesus de modo organizado e pedagógico. – O sermão do monte 5.3-7.27 – O apostolado cristão 10.5-42 – O reino dos céus 13.3-52 – A vida da comunidade cristã 18.3-35 – O final dos tempos 24.4-25.46
  46. 46. O Começo do Ministério de Jesus 50
  47. 47. 51
  48. 48. Principais Acontecimentos da Vida Terrestre de Jesus — O Grande Ministério de Jesus na Galileia (Parte 1)) 52
  49. 49. 53
  50. 50. 54
  51. 51. Principais Acontecimen tos da Vida Terrestre de Jesus — O Grande Ministério de Jesus na Galileia (Parte 2) 55
  52. 52. 56
  53. 53. 57
  54. 54. Principais Acontecimentos da Vida Terrestre de Jesus — O Grande Ministério de Jesus na Galileia (Parte 3) e na Judeia 58
  55. 55. 59
  56. 56. Mini stéri ode Jesu sna Jude ia 60
  57. 57. Principais Acontecimentos da Vida Terrestre de Jesus — Ministério de Jesus a Leste do Jordão 61
  58. 58. 62
  59. 59. 63
  60. 60. Principais Acontecimentos da Vida Terrestre de Jesus — Últimos Dias do Ministério de Jesus em Jerusalém (Parte 1) 64
  61. 61. 65
  62. 62. 66
  63. 63. Principais Aconteciment os da Vida Terrestre de Jesus — Últimos Dias do Ministério de Jesus em Jerusalém (Parte 2) 67
  64. 64. 68
  65. 65. 69

×