Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Controle de autoridade e RDA (UFG)

274 views

Published on

Apresentação realizada aos alunos de Biblioteconomia da UFG em 1. de dezembro de 2017. Vídeo da apresentação: https://www.youtube.com/watch?v=W1OBGq7d2pg

Published in: Education
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Controle de autoridade e RDA (UFG)

  1. 1. Controle de autoridade & RDA Fabrício Assumpção fabricioassumpcao.com | assumpcao.f@gmail.com 01 de dezembro de 2017 Universidade Federal de Goiás (UFG) Faculdade de Informação e Comunicação (FIC)
  2. 2. Conteúdo  Pontos de acesso  Necessidade do controle de autoridade  Registros e arquivos de autoridade  Uso dos registros de autoridade  Criação de registros de autoridade com o RDA  Novas possibilidades
  3. 3. Pontos de acesso  Catálogos digitais atuais: qualquer dado do registro bibliográfico pode ser utilizado na busca (teoricamente).  Ao longo da história: restrições de ordem prática e tecnológica limitaram esses dados.  Título  Nomes dos principais responsáveis  Termos que representam os “assuntos” Cabeçalhos Entradas Pontos de acesso
  4. 4. Entidades e seus nomes Uma entidade conhecida por mais de um nome Daenerys Targaryen, Filha da Tormenta, a Não Queimada, Mãe de Dragões, Rainha de Mereen, Rainha dos Ândalos e dos Primeiros Homens, Quebradora de Correntes, Senhora dos Sete Reinos, Khaleesi dos Dothraki, a Primeira de Seu Nome
  5. 5. Nomes e suas entidades Um nome que se refere a mais de uma entidade Depressão Cruzeiro
  6. 6. Problemas na recuperação da informação  Recuperação de documentos irrelevantes para o usuário, nos casos em que o nome se refere a várias entidades.  Dificuldade em recuperar todos os documentos associados a uma entidade, nos casos em que a entidade é conhecida por mais de um nome.
  7. 7. Uma solução...  Padronizar os pontos de acesso! Escolher um nome padrão Registrar o nome padrão Registrar as variações do nome Registrar os nomes relacionados  Controle de autoridade
  8. 8. Controle de autoridade  “[...] o controle de autoridade consiste em um estado em que os pontos de acesso utilizados para identificar as entidades em um catálogo ou arquivo bibliográfico estão consistentes. Tal consistência implica em uma entidade ser identificada por apenas um ponto de acesso autorizado e em um ponto de acesso autorizado identificar somente uma entidade.” (ASSUMPÇÃO; SANTOS, 2012, p. 6, grifo nosso)
  9. 9. Controle de autoridade Escolher um nome padrão Registrar o nome padrão Registrar as variações do nome Registrar os nomes relacionados Registro de autoridade Ponto de acesso autorizado Remissivas “Ver” Remissivas “Ver também” Fontes consultadas Dados administrativos Arquivo de autoridade
  10. 10. Arquivos de autoridade acervo.bn.br
  11. 11. Arquivos de autoridade acervo.bn.br
  12. 12. Arquivos de autoridade acervo.bn.br
  13. 13. Arquivos de autoridade authorities.loc.gov
  14. 14. Arquivos de autoridade decs.bvs.br
  15. 15. Arquivos de autoridade decs.bvs.br
  16. 16. Arquivos de autoridade RVBI
  17. 17. Arquivos de autoridade acervo.ufpr.br
  18. 18. Arquivos de autoridade pergamum.ufsc.br
  19. 19. Quem utiliza os registros de autoridade? Catalogadores Usuários do catálogo
  20. 20. Catalogador
  21. 21. Catalogador
  22. 22. Catalogador
  23. 23. Catalogador
  24. 24. Catalogador
  25. 25. Usuário do catálogo  Uso direto do registro de autoridade  Consulta direta ao arquivo de autoridade  Uso indireto do registro de autoridade  O arquivo de autoridade é utilizado pelo sistema para melhorar os resultados da busca
  26. 26. Usuário do catálogo Uso direto
  27. 27. Usuário do catálogo Uso direto
  28. 28. Usuário do catálogo Uso indireto World Health Organization
  29. 29. Remissivas Ver: World Health Organization WHO OMS Organisation Mondiale de la Santé Organización Mundial de la Salud Organização Mundial da Saúde Registros bibliográficos com o ponto de acesso autorizado “Organização Mundial da Saúde” Registro de autoridade
  30. 30. Resource Description and Access (RDA)  Substituto do AACR2r  Voltado ao ambiente digital  Baseado nos modelos conceituais FRBR e FRAD
  31. 31. Seções do RDA 1. Manifestação e item 2. Obra e expressão 3. Agentes (Pessoa, família e entidade coletiva) 4. Conceito, objeto, evento e lugar 5. Relacionamentos principais 6. Agentes e o recurso 7. Assuntos 8. Obras, expressões, manifestações e itens 9. Agentes 10. Conceitos, objetos, eventos e lugares Registro dos Atributos Registro dos relacionamentos
  32. 32. Elementos do RDA 8.8 Scope of Usage 8.9 Date of Usage 8.10 Status of Identification 8.11 Undifferentiated Name Indicator 8.12 Source Consulted 8.13 Cataloguer's Note
  33. 33. Elementos do RDA Pessoas 9.2.2 Preferred Name for Person 9.2.3 Variant Name for Person 9.3.2 Date of Birth 9.3.3 Date of Death 9.3.4 Period of Activity of Person 9.4 Title of Person 9.5 Fuller Form of Name 9.6 Other Designation Associated with Person 9.7 Gender 9.8 Place of Birth 9.9 Place of Death 9.10 Country Associated with Person 9.11 Place of Residence, Etc. 9.12 Address of Person 9.13 Affiliation 9.14 Language of Person 9.15 Field of Activity of Person 9.16 Profession or Occupation 9.17 Biographical Information 9.18 Identifier for Person
  34. 34. Elementos do RDA Famílias 10.2.2 Preferred Name for Family 10.2.3 Variant Name for Family 10.3 Type of Family 10.4 Date Associated with Family 10.5 Place Associated with Family 10.6 Prominent Member of Family 10.7 Hereditary Title 10.8 Language of Family 10.9 Family History 10.10 Identifier for Family
  35. 35. Elementos do RDA Entidade coletivas 11.2.2 Preferred Name for Corporate Body 11.2.3 Variant Name for Corporate Body 11.3.2 Location of Conference, Etc. 11.3.3 Other Place Associated with Corporate Body 11.4.2 Date of Conference, Etc. 11.4.3 Date of Establishment 11.4.4 Date of Termination 11.4.5 Period of Activity of Corporate Body 11.5 Associated Institution 11.6 Number of Conference, Etc. 11.7 Other Designation Associated with Corporate Body 11.8 Language of Corporate Body 11.9 Address of Corporate Body 11.10 Field of Activity of Corporate Body 11.11 Corporate History 11.12 Identifier for Corporate Body
  36. 36. Exemplos  J. K. Rowling  https://lccn.loc.gov/n97108433  Machado de Assis  https://lccn.loc.gov/n80002329  Alexandre Dumas  http://data.bnf.fr/11901062/alexandre_dumas/
  37. 37. Criação de registros de autoridade (1) Objetivo:  Escolher os nomes que servirão de base para os pontos de acesso.  Construir os pontos de acesso.  Registrar os pontos de acesso. Objetivo:  Registrar dados que identificam a entidade.  Escolher os nomes que servirão de base para os pontos de acesso.  Construir os pontos de acesso.  Registrar os pontos de acesso.  Registrar dados que auxiliam no uso e na revisão dos dados de autoridade. AACR2r RDA
  38. 38. Criação de registros de autoridade (2) Atributos:  Os atributos são registrados apenas como parte dos pontos de acesso.  Não há atributos para a entidade família. Atributos:  Os atributos podem ser registrados no nível de elementos de dados e/ou como parte dos pontos de acesso.  Maior quantidade de atributos em relação ao AACR2r. AACR2r RDA
  39. 39. Criação de registros de autoridade (3) Relacionamentos:  Por meio da remissiva “Ver também” não há explicação sobre a natureza dos relacionamentos entre as entidades.  Designadores de relacionamentos apenas para indicar o relacionamento entre a entidade e o recurso. Relacionamentos:  A utilização de listas de designadores de relacionamentos para explicitar a natureza dos relacionamentos entre os agentes (Apêndice K) e entre os agentes e o recurso (Apêndice I).  Os relacionamentos podem ser indicados por meio dos pontos de acesso autorizados ou dos identificadores. AACR2r RDA
  40. 40. Designadores de relacionamento https://lccn.loc.gov/2012655519
  41. 41. http://lccn.loc.gov/2013335260 “Regra dos três”
  42. 42. Novas possibilidades para os catálogos  Com os dados (atributos e relacionamentos) dos agentes, podemos pensar em novas formas de apresentação e de recuperação nos catálogos:  Autores desse país ou dessa cidade, desse período, dessa área e atuação ou profissão, desse gênero, etc.  Relacionamentos entre os agentes, etc.  Links para outros sistemas e serviços.
  43. 43. data.bnf.fr Ver também: http://data.bnf.fr/11901062/alexandre_dumas/
  44. 44. Referências  ASSUMPÇÃO, Fabrício Silva; SANTOS, Plácida Leopoldina Ventura Amorim da Costa. A utilização do Resource Description and Access (RDA) na criação de registros de autoridade para pessoas, famílias e entidades coletivas. Encontros Bibli: Revista Eletrônica de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Florianópolis, v. 18, n. 37, p. 203-226, 2013.  RDA Toolkit. [S.n.: s.l], 2017. Disponível em: <http://access.rdatoolkit.org/>.  Bibliografia Brasileira sobre RDA: http://fabricioassumpcao.com/bibliografia-rda
  45. 45. Obrigado! Fabrício Assumpção fabricioassumpcao.com | assumpcao.f@gmail.com 01 de dezembro de 2017 Universidade Federal de Goiás (UFG) Faculdade de Informação e Comunicação (FIC)

×