Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

10a aula

2,357 views

Published on

  • Be the first to comment

10a aula

  1. 1. Princípios e Técnicas da Propagaçao de Plantas Profa. Luciane Vilela Resende DAG/UFLA 10ª Aula: Propagaçao Assexuada: Enxertia 2a Parte: Tipos de enxertia
  2. 2. Princípios e Técnicas da Propagaçao de Plantas Profa. Luciane Vilela Resende DAG/UFLA Obtenção do Porta-Enxerto Sementes Propagação assexuada Sementes Facilidade de obtenção de um grande número de plantas Plantas sadias e vigorosas Tipo de sistema radicular Pouca exigencia em tratos culturais Baixo Custo Desvantagem: Grande desuniformidade (Por que?)
  3. 3. Princípios e Técnicas da Propagaçao de Plantas Profa. Luciane Vilela Resende DAG/UFLA Propagação Assexuada Mantem as características genéticas da planta-matriz Plantas uniformes Custo elevado Estaquia, mergulhia, microestacas A escolha depende: Facilidade de obtenção das sementes Capacidade de enraizamento Variabilidade genética custo sucetibilidade a pragas e doenças
  4. 4. Princípios e Técnicas da Propagaçao de Plantas Profa. Luciane Vilela Resende DAG/UFLA Tipos de enxertia: Borbulhia: T Normal T Invertido Placa ou escudo Anel Gema com lenho Garfagem Fenda cheia Fenda simples Fenda dupla Encostia Lateral simples Lingueta ou lateral inglesa Topo
  5. 5. Princípios e Técnicas da Propagaçao de Plantas Profa. Luciane Vilela Resende DAG/UFLA Borbulhia Borbulha: gema com pedaço de casca T Normal; diâmetro porta-enxerto: 6 a 8 mm incisão na forma de T altura do corte: 5 a 23 cm do solo corte so da casca que será desprendida do lenho gema com a casca sem o lenho Cuidados com a oxidação e desidratação no corte do porta enxerto
  6. 6. Princípios e Técnicas da Propagaçao de Plantas Profa. Luciane Vilela Resende DAG/UFLA Borbulhia em T normal Retirada da borbulha Corte em T Abertura da janela Encaixe da borbulha Amarrio do enxerto
  7. 7. Princípios e Técnicas da Propagaçao de Plantas Profa. Luciane Vilela Resende DAG/UFLA Borbulhia em T invertido: Difere da anterior apenas na posição do corte horizontal
  8. 8. Princípios e Técnicas da Propagaçao de Plantas Profa. Luciane Vilela Resende DAG/UFLA Borbulhia em placa ou escudo Utilizado em espécies que apresentam casca grossa ( goiabeira) Porta enxerto com diâmetro de 15 a 25 mm
  9. 9. Princípios e Técnicas da Propagaçao de Plantas Profa. Luciane Vilela Resende DAG/UFLA Borbulhia em anel Borbulhia de gema com lenho Utilizada quando a casca não se desprende facilmente, dificultando a enxertia em T. Retira-se a gema com uma porção de lenho, a qual é introduzida no porta-enxerto em uma incisão de mesmo tamanho da borbulha .
  10. 10. Princípios e Técnicas da Propagaçao de Plantas Profa. Luciane Vilela Resende DAG/UFLA Enxertia por garfagem Quando o enxerto consiste em um garfo, ou segmento de ramo contendo duas ou mais gemas. Tipos: Fenda cheia:
  11. 11. Princípios e Técnicas da Propagaçao de Plantas Profa. Luciane Vilela Resende DAG/UFLA Fenda Simples ou ingles simples
  12. 12. Princípios e Técnicas da Propagaçao de Plantas Profa. Luciane Vilela Resende DAG/UFLA Fenda dupla ou ingles complicado
  13. 13. Princípios e Técnicas da Propagaçao de Plantas Profa. Luciane Vilela Resende DAG/UFLA Enxertia Por Encostia União lateral de plantas com sistemas radiculares diferentes, Após a união do enxerto, separar uma das plantas do seu sistema radicular e a outra, da sua parte aérea Tem pouco uso em nível comercial .T ipos: Encostia Lateral
  14. 14. Princípios e Técnicas da Propagaçao de Plantas Profa. Luciane Vilela Resende DAG/UFLA Encostia em lingüeta Encostia de topo:
  15. 15. Princípios e Técnicas da Propagaçao de Plantas Profa. Luciane Vilela Resende DAG/UFLA Tipos de Enxertia quanto a época de realização Enxertia de inverno: Plantas estão no período de repouso vegetativo, característico em espécies de clima temperado. Mais comum garfagem, embora possa também ser utilizada a borbulhia em placa. Por se trabalhar, normalmente, com tecidos mais lignificados, o risco de desidratação é menor, ocasionando bons índices de pegamento Enxertia de primavera-verão: Realizada no período de crescimento vegetativo intenso. Como as células estão em plena atividade metabólica e . mitótica, os tecidos cicatrizam com mais facilidade Bom e rápido pegamento. Maior facilidade em se desprender a casca para introdução da gema.
  16. 16. Princípios e Técnicas da Propagaçao de Plantas Profa. Luciane Vilela Resende DAG/UFLA Enxertia de verão-outono: Enxertia de gema dormente Este tipo de enxertia é adotado quando os porta-enxertos não atingem diâmetro suficiente para a enxertia de primavera-verão.
  17. 17. Princípios e Técnicas da Propagaçao de Plantas Profa. Luciane Vilela Resende DAG/UFLA Formas especiais de enxertia Sobre-enxertia, porta-enxerto é uma planta adulta, útil em casos em que a copa foi seriamente danificada por pragas ou doenças, necessidade de troca da cultivar-copa falta de plantas polinizadoras em um pomar. Normalmente é feita por garfagem (fenda cheia ou fenda dupla), substituindo total ou parcialmente a copa. é possível produzir em uma mesma planta, diferentes cultivares
  18. 18. Princípios e Técnicas da Propagaçao de Plantas Profa. Luciane Vilela Resende DAG/UFLA Formas especiais de enxertia Interenxertia enxerto intermediário entre o porta-enxerto e o enxerto, garfagem. Usado quando enxerto e o porta-enxerto são incompatíveis entre si, devendo-se utilizar um interenxerto compatível com ambos, E quando há necessidade de controlar o vigor da copa devido ao porta-enxerto induzir elevado vigor
  19. 19. Princípios e Técnicas da Propagaçao de Plantas Profa. Luciane Vilela Resende DAG/UFLA Formas especiais de enxertia Sub-enxertia, Realizada quando houve um dano significativo no sistema radicular da planta. Consiste em se enxertar, na copa, um novo porta-enxerto, Garfagem, especialmente de fenda dupla, é o sistema mais adotado neste caso.
  20. 20. Princípios e Técnicas da Propagaçao de Plantas Profa. Luciane Vilela Resende DAG/UFLA

×