Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Uso do grid_tipografico

674 views

Published on

Uma breve apresentação da evolução do design moderno e do grid tipográfico.

Published in: Design
  • Be the first to comment

Uso do grid_tipografico

  1. 1. MOCINHO OU BANDIDO? O uso do grid tipográfico em projetos editoriais CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA DIRETORIA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA, PESQUISA E EXTENSÃO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PROJETOS EDITORIAIS IMPRESSOS E MULTIMÍDIA Aluno: Flávio José Vargas Pinheiro Professsora orientadora: Luciana Andrade Gomes
  2. 2. 1. JUSTIFICATIVA O uso de grids em projetos editoriais é amplamente difundi- do há muito tempo, e quase nunca questionado. Mas estariam a praticidade e a agilidade, atributos decorren- tes do uso do grid, fazendo o designer optar por uma zona de conforto ao invés do desafio de um processo criativo novo a cada trabalho? Seu uso poderia ser encarado como uma muleta? Esta pesquisa pretende as razões que levaram à soberania do grid e se ele permanece uma opção válida nos dias de hoje. MOCINHO OU BANDIDO? O uso do grid tipográfico em projetos editoriais 02
  3. 3. 2. PROBLEMA O uso do grid tipográfico é realmente essencial para a realização de bons projetos editoriais? 3. OBJETIVO GERAL Analisar o uso de grids em projetos editoriais. 4. OBJETIVOS ESPECÍFICOS 4.1. Levantar os benefícios do uso de grids. 4.2. Identificar as vantagens do não-uso de grids. 4.3. Analisar exemplos de trabalhos de Victor Burton de David Carson. MOCINHO OU BANDIDO? O uso do grid tipográfico em projetos editoriais 03
  4. 4. 5. ALGUMAS DEFINIÇÕES Grids são estruturas que dividem o espaço ou tempo em unidades regulares - Ellen Lupton O grid tipográfico baseia-se em um sistema de planejamento quedivideainformaçãoempartesmanuseáveis-Timothy Samara Organizar informações de maneira lógica, agrupando elementos parecidos de forma parecida, ajuda o receptor a decodificar a mensagem - Timothy Samara MOCINHO OU BANDIDO? O uso do grid tipográfico em projetos editoriais 04
  5. 5. 6. TIPOS MAIS USUAIS DE GRID MOCINHO OU BANDIDO? O uso do grid tipográfico em projetos editoriais 05
  6. 6. 7. FUNDAMENTOS Necessidade humana de ordem, de orga- nização, de dar um sentido às suas ações. Os eixos ortogonais, base do grid, repre- sentariam o cruzamento do céu e da terra. Povos antigos, como romanos, incas e egípcios, já utilizavam o sistemas seme- lhantes ao grid. MOCINHO OU BANDIDO? O uso do grid tipográfico em projetos editoriais 06
  7. 7. / Hieróglifos egípcios / MOCINHO OU BANDIDO? O uso do grid tipográfico em projetos editoriais 07
  8. 8. A busca da regularidade também existiu nas artes. / A Divina Proporção, de Luca Pacioli, e o Homem Vitruviano, de Leonardo DaVinci / MOCINHO OU BANDIDO? O uso do grid tipográfico em projetos editoriais 08
  9. 9. / Livros antigos / MOCINHO OU BANDIDO? O uso do grid tipográfico em projetos editoriais 09
  10. 10. SÉCULO XVIII: SÉCULO XX: Guerras mundiais - o período pós-guerra levou a uma necessidadedeordem,emmeioàdesordem, queserefletiu também no design. MOCINHO OU BANDIDO? O uso do grid tipográfico em projetos editoriais 10 Design como ferramenta para tornar os produtos mais atrativos Maquina a vapor Revolução industrial Maior produtividade
  11. 11. Evolução das tendências artísticas. MOCINHO OU BANDIDO? O uso do grid tipográfico em projetos editoriais 11
  12. 12. Caminhando rumo ao design /por exemplo, uso de tipos como imagem/ Caminhando em direção à simplicidade /eliminando o ornamental/ / Picasso / / Mondrian / MOCINHO OU BANDIDO? O uso do grid tipográfico em projetos editoriais 12
  13. 13. GESTALT Segundo a Gestalt, o ser humano não vê partes isoladas mas, sim, as relações entre as partes. Em ou- tras palavras, as coisas que se vê são interpretadas e entendidas de acordo com as relações que esta- belece com outros elementos no seu entorno. MOCINHO OU BANDIDO? O uso do grid tipográfico em projetos editoriais 13 • Proximidade • Semelhança • Fechamento
  14. 14. 8. O ESTILO INTERNACIONAL SUIÇO: Nos anos 60 e 70 o Estilo Interna- cional Suiço, oriundo, principal- mente de Bauhaus, na Alemanha se consolida como tendência do- minante no design moderno. MOCINHO OU BANDIDO? O uso do grid tipográfico em projetos editoriais 14
  15. 15. 9. OS DESCONSTRUTORES: Guerras mundiais + Freud > busca pelo individual e onírico; Dadaismo e Surrealismo > contraponto ao racionalismo; Comunidade jovem do design oriunda principalmente da Cranbrook School of Arts é muito critica ao Estilo Inter- nacional Suiço. Os principais expoentes de Cranbrook foram Jeffery Keedy e Edward Fella. Keedy condenava a obsessão pela regularidade e clareza e Ed Fella criticava e soluções visuais estéreis do modernismo. MOCINHO OU BANDIDO? O uso do grid tipográfico em projetos editoriais 15
  16. 16. David Carson, sociólogo e surfista, foi um ícone da contracultura no design gráfico. Seus trabalhos, segundo ele mesmo, eram focados na experimentação e no leitor. Eis que, na década de 1980, acontece uma nova revolução, tão impactante quanto a de 1789: o lançamento do computador pessoal da Apple revolucionou o design gráfico e possibilitou a entrada de não-profissionais no mercado. Como por exemplo... MOCINHO OU BANDIDO? O uso do grid tipográfico em projetos editoriais 16
  17. 17. “Nunca aprendi o que deve e não se deve fazer; só crio o que parece fazer sentido.” David Carson MOCINHO OU BANDIDO? O uso do grid tipográfico em projetos editoriais 17
  18. 18. 10_a. pontos positivos de se trabalhar com grid: > Do ponto de vista do designer: eficiência, economia, agilidade na produção, facilita o trabalho em grupo. > Do ponto de vista do usuário: clareza, agilidade na leitura, facilidade na assimilação do conteúdo. 10_B. pontos positivos de se trabalhar sem grid: > Do ponto de vista do designer: maior liberdade para para criar, projetos mais originais. > Do ponto de vista do usuário: leitor não é apenas consumidor, mas co-autor, construtor do significado. MOCINHO OU BANDIDO? O uso do grid tipográfico em projetos editoriais 18
  19. 19. 11. ANÁLISE DE CASO: USO DO GRID /VICTOR BURTON/ MOCINHO OU BANDIDO? O uso do grid tipográfico em projetos editoriais 19
  20. 20. 11. ANÁLISE DE CASO: USO DO GRID /VICTOR BURTON/ MOCINHO OU BANDIDO? O uso do grid tipográfico em projetos editoriais 20
  21. 21. 12. ANÁLISE DE CASO: DESCONSTRUÇÃO /DAVID CARSON/ MOCINHO OU BANDIDO? O uso do grid tipográfico em projetos editoriais 21
  22. 22. 12. ANÁLISE DE CASO: DESCONSTRUÇÃO /DAVID CARSON/ MOCINHO OU BANDIDO? O uso do grid tipográfico em projetos editoriais 22
  23. 23. 12. ANÁLISE DE CASO: DESCONSTRUÇÃO /DAVID CARSON/ / Revista TRIP / MOCINHO OU BANDIDO? O uso do grid tipográfico em projetos editoriais 23
  24. 24. 13. Mas, enfim, o grid é mesmo indispensável para se executar um bom projeto gráfico? Não necessariamente. Há espaço pra ambos os tipos de trabalho. Mais importante é adequação do projeto. Importante: A falta de regras não faz de qualquer designer um David Carson, assim como o uso do grid não faz de qualquer pessoa um Victor Burton. MOCINHO OU BANDIDO? O uso do grid tipográfico em projetos editoriais 24
  25. 25. 14. CONSIDERAÇÕES FINAIS • A pesquisa atingiu seus objetivos; • Recomenda-se estudos aprofundados sobre o uso do grid em tempos liquidos e dispositivos digitais; • Recomenda-se novos estudos sobre leitor/usuário como produtor de conhecimento/significado. MOCINHO OU BANDIDO? O uso do grid tipográfico em projetos editoriais 25
  26. 26. 15. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS AMBROSE, Gavin; HARRIS, Pail. Grid. 1. ed. Porto Alegre: Bookman, 2009. 176 p. BLACKWELL, Lewis. The end of print: the grafik design of David Carson. 2. ed. London: Laurence King Publishing, 2012. FILHO, João Gomes. Gestalt do objeto: sistema de leitura visual da forma. 7. ed. São Paulo: Escrituras Editora, 2006. 128 p. HELLER,Steven;VIENNE,Véronique.100ideasthatchangedgraphicdesign.1.ed.London:Laurence King Publishing, 2014. 216 p. HURLBURT, Allen. Layout: o design da página impressa. 1. ed. São Paulo: Nobel, 2002. 240 p. LUPTON, Ellen. Pensar com tipos: guia para designers, escritores, editores e estudantes. 2. ed. São Paulo: Cosac Naify, 2013. 224 p. POYNOR, Rick. Abaixo as regras: design gráfico e pós modernismo. Porto Alegre: Bookman, 2010. 192 p. SAMARA, Timothy. Grid: construção e desconstrução. 1. ed. São Paulo: Cosac Naify, 2007. 208 p. _______________. Guia de design editorial: manual prático para o design de publicações. 1. ed. Porto Alegre: Bookman, 2011. 160 p. VICTOR BURTON. São Paulo: J. J. Carol, 2005. 80 p. MOCINHO OU BANDIDO? O uso do grid tipográfico em projetos editoriais 26

×