Gasometria Arterial- Distúrbios do Equilíbrio Ácido-base

32,137 views

Published on

Aula expositiva
Tema: Distúrbios do equilíbrio ácido-base. Gasometria Arterial.

Published in: Health & Medicine
2 Comments
84 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
32,137
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
487
Actions
Shares
0
Downloads
2
Comments
2
Likes
84
Embeds 0
No embeds

No notes for slide
  • Afinidade 240 vezes maior que o oxigênio
  • Gasometria Arterial- Distúrbios do Equilíbrio Ácido-base

    1. 1. UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS DEPARTAMENTO DE CLÍNICA MÉDICA DISCIPLINA DE PNEUMOLOGIA ETISIOLOGIA
    2. 2. Regulação do Equilíbrio Ácido – Básico Moléculas capazes de liberar íons H(+) = Ácidos Moléculas capazes de receber /consumir íons H(+) = Bases
    3. 3.  1909  Soren Peter Lauritz  Bioquímico Dinarmaquês (Cervejaria)  “p” – Potenz = Poder de concentração.  “H”- Refere-se ao íon Hidrogênio
    4. 4.  Conjunto de substâncias que impedem grandes variações do pH.  Ácido fraco + base fraca.
    5. 5. ÁCIDO BASE RESPIRATÓRIO METABÓLICO
    6. 6. 1) Tampões Plasmáticos - Tendem a se opor à mudanças de pH - ↓ o efeito de ácidos ou bases adicionados nos liquidos corporais - Atuação imediata 2) Sistema Pulmonar - elimina ou retém CO2 (Hiperventilação ou Hipoventilação) - atuação em minutos a horas 3) Sistema Renal - Filtração de Bicarbonato, filtração de cloreto de sódio, excreção de bicarbonato de sódio (Alcalose) = excreção de urina ácida ou alcalina, reajustando a concentração de íons hidrogênio do líquido extracelular normal durante a acidose ou alcalose - atuação em horas ou dias
    7. 7.  Utilizada para cálculo do pH em uma solução tampão
    8. 8.  Exprime a eficácia das trocas gasosas através da membrana alveolocapilar  Valores normais: de 80 a 100 mmhg  ↓ 60 mmhg = hipoxemia significativa  Relacionar PaO2 com fiO2 ofertada  PaO2 diminuida:  Insuficiência ventilatória isolada  Insuficiência Respiratória Hpoxêmica SHUNT DISTÚRBIO V/Q
    9. 9.  Eficácia da ventilação alveolar  Valores normais: de 35 a 45 mmhg  Reflete distúrbios respiratórios do pH  ↓PaCO2 = hiperventilação = Alcalose respiratória  ↑PaCO2 = hipoventilação = Acidose respiratória
    10. 10.  Concentração depende da função renal  Valores normais: de 22 a 24mMol/l  Reflete distúrbios metabólicos  ↓HCO3 = pH = acidose metabólica↓  ↑HCO3 = pH = alcalose metabólica↑
    11. 11.  Nos indica se o organismo perdeu ou ganhou bases.  Quando baixo indica perda de bases  Quando alto indica ganho de bases  Nos ajuda a distinguir distúrbios agudos dos distúrbios crônicos  Nos auxília a avaliar a gravidade  Ex: > + 10 = Alcalose grave; < -10 = Acidose grave
    12. 12.  É o volume de ar que entra e sai dos alvéolos  Conceitos relacionados: ▪ Hiperventilação: Aumento da taxa de ventilação alveolar ▪ Hipoventilação: Diminuição da taxa de ventilação alveolar
    13. 13.  Incapacidade dos pulmões de realizarem a troca gasosa.  Mecanismos:  Distúrbios Respiratórios relacionados ao meio ambiente  Insuficiência ventilatória  Distúrbios da Troca gasosa
    14. 14.  Exposição ao ar rarefeito (Altas altitudes) ▪ Hipóxia  Hiperventilação reativa  Intoxicação por monóxido de carbono ▪ Alta afinidade de ligação à hemoglobina
    15. 15.  A renovação do ar alveolar se torna reduzida  Aumento da PACO2 - Retenção de CO2 (hipercapnia) - Acidose respiratória.  Quando instalação lenta: Compensação renal (HCO3)  Reflexo: BE elevado.  Ex: pH 7.34, PaCO2 80,HCO3 40, BE + 10
    16. 16.  Perda do drive respiratório bulbar  Lesão medular ou neuropatia periférica comprometendo nervo frênico  Doença muscular ou da placa motora  Obstrução de vias aéreas superiores (obst. Alta)  Fadiga da musculatura respiratória  Comprometimento da expansibilidade toracica  PCR
    17. 17.  Distúrbio da V/Q ▪ Crise asmática ▪ Atelectasias ▪ DPOC ▪ TEP ▪ Congestão pulmonar ▪ SDRA ▪ Pneumonia  Shunt pulmonar (relação V/Q= Zero) ▪ Edema pulmonar cardiogênico ▪ SDRA ▪ Malformações arteriovenosas ▪ Síndrome hepatopulmonar
    18. 18. VALORES NORMAIS DE GASOMETRIA ARTERIAL pH = 7,35 – 7,45 pCO2 = 35 – 45 mmHg pO2 = 80 – 100 mmHg SO2 = 96 – 98 % BE= -2 /+2 HCO3 = 22 – 26 mEq/l
    19. 19.  Acidose respiratória  Alcalose respiratória  Acidose metabólica  Alcalose metabólica  Acidose mista  Alcalose mista
    20. 20. OLHE PARA O PH ATENÇÃO: o pH pode estar normal na presença de um distúrbio misto, particularmente se outros parâmetros da gasometria estiverem anormais.
    21. 21. OLHE PARA A PACO2 E PARA O HCO3 Que processo AB (alcalose,acidose) está contribuindo para o pH anormal? Nos distúrbios AB simples, ambos os valores são anormais e a direção da alteração anormal é a mesma para ambos os parâmetros. -um valor anormal será a alteração inicial e o outro será a resposta compensatória.
    22. 22. A alteração inicial será o valor anormal que se correlaciona com o pH anormal. Se alcalose: Pco2 - estará BAIXA ou HCO3- estará ALTO Se acidose: pCO2 - estará ALTO ou HCO3- estará BAIXO Achou a alteração inicial? Ótimo! Então o outro parâmetro anormal será a resposta compensatória.
    23. 23. Se o pCO2 é a alteração química inicial,então, o processo é respiratório Se o HCO3- é alteração química inicial, então, o processo é metabólico
    24. 24.  Ph= 7.32  pCO2=52  HCO3 - =24 Acidose Alto = Ácido Normal ACIDOSE RESPIRATÓRIA pH = 7,35 – 7,45 pCO2 = 35 – 45 mmHg pO2 = 80 – 100 mmHg SO2 = 96 – 98 % BE= -2 /+2 HCO3 = 22 – 26 mEq/l
    25. 25.  pH = 7.32  pCO2=42  HCO3 - =19 Acidose Normal Baixo = Ácido pH = 7,35 – 7,45 pCO2 = 35 – 45 mmHg pO2 = 80 – 100 mmHg SO2 = 96 – 98 % BE= -2 /+2 HCO3 = 22 – 26 mEq/l ACIDOSE METABÓLICA
    26. 26.  pH= 7.49  PCO2 = 33  HCO3 - = 23 pH = 7,35 – 7,45 pCO2 = 35 – 45 mmHg pO2 = 80 – 100 mmHg SO2 = 96 – 98 % BE= -2 /+2 HCO3 = 22 – 26 mEq/l Alcalose Baixo = Alcalino Normal ALCALOSE RESPIRATÓRIA
    27. 27.  pH = 7.49  Pco2= 44  HCO3 -= 32 pH = 7,35 – 7,45 pCO2 = 35 – 45 mmHg pO2 = 80 – 100 mmHg SO2 = 96 – 98 % BE= -2 /+2 HCO3 = 22 – 26 mEq/l Alcalose Normal Alto = Alcalino ALCALOSE METABÓLICA
    28. 28. 1. Respiratória  Variação do pH por distúrbio metabólico  estimulo do centro respiratório (SNC)  Alteração do drive respiratório. 1. Metabólica (renal)  Variação do pH por distúrbio respiratório  Estímulo para os rins ajustarem HCO3 (lenta).
    29. 29.  Acidose Metabólica  Hiperventilação  PaCO2  Como saber se a regulação está dentro do esperado?  Alcalose Metabólica  Hipoventilação  Como saber se a regulação está dentro do esperado? pCO2 esperada = (HCO3 x 1,5) + 8 (+/- 2) pCO2 esperada = HCO3 + 15 (+/- 2)
    30. 30.  Na Alcalose Respiratória  Aguda: HCO3 esperado = (40 - PCO2) ÷ 5 + 24  Crônica: HCO3 esperado = (40 - PCO2) ÷ 2 + 24  Na Acidose Respiratória  Aguda: HCO3 esperado = (PCO2 -40) ÷ 10 + 24  Crônica: HCO3 esperado = (PCO2 -40) ÷ 3.5 + 24. ATENÇÃO: RESPOSTA LENTA!!!!!
    31. 31.  pH = 7.05  Pco2= 55  HCO3 -= 8 pH = 7,35 – 7,45 pCO2 = 35 – 45 mmHg pO2 = 80 – 100 mmHg SO2 = 96 – 98 % BE= -2 /+2 HCO3 = 22 – 26 mEq/l Baixo Alto= Acido Baixo = Ácido Acidose Mista
    32. 32.  pH=7.31  Pco2= 52  pO2=80  HCO3 - = 19  EB = -4  spO2 = 95% Acidose Alto = Ácido Baixo = Ácido pH = 7,35 – 7,45 pCO2 = 35 – 45 mmHg pO2 = 80 – 100 mmHg SO2 = 96 – 98 % BE= -2 /+2 HCO3 = 22 – 26 mEq/l Duas alterações de sistemas diferentes que diminuem o pH! ACIDOSE MISTA
    33. 33.  Ph=7.49  PCO2=31  HCO3 = 32 Alcalose Baixo = Alcalino Alto = Alcalino pH = 7,35 – 7,45 pCO2 = 35 – 45 mmHg pO2 = 80 – 100 mmHg SO2 = 96 – 98 % BE= -2 /+2 HCO3 = 22 – 26 mEq/l Duas alterações de sistemas diferentes que diminuem o pH! ALCALOSE MISTA
    34. 34.  pH = 7.42  Pco2= 15  HCO3 -= 9 pH = 7,35 – 7,45 pCO2 = 35 – 45 mmHg pO2 = 80 – 100 mmHg SO2 = 96 – 98 % BE= -2 /+2 HCO3 = 22 – 24 mEq/l Normal Baixo= Alcalino Muito Baixo = Ácido E AGORA??? O pH normal não exclui nesse caso que não haja nenhum distúrbio ácido-básico. Mas e então.... Estamos diante do que? Distúrbio Misto: Acidose Metabólica + Alcalose Respiratória?? Um compensando o outro? Quem está compensando quem?
    35. 35.  Alteração 1 - Acidose Metabólica  PCO2 esperada = (9x1,5) + 8 = 21.5 (bem longe do 15)  Alteração 2- Alcalose Respiratória  Aguda: HCO3 esperado = (40 - PCO2) ÷ 5 + 24 ▪ = (40 – 15) ÷ 5 + 24  29 (Bem longe do 9)  Crônica: HCO3 esperado = (40 - PCO2) ÷ 2 + 24 ▪ = (40 – 15) ÷ 2 + 24  36,5 (Bem longe do 9) pCO2 esperada = (HCO3 x 1,5) + 8 (+/- 2) NESSE CONTEXTO, RESPOSTA COMPENSATÓRIA NÃO ESPERADA EM NENHUM = DISTÚRBIO MISTO SE HOUVESSE RESPOSTA ESPERADA EM UM DELES CONSIDERARIA-SE COMO DISTÚRBIO PRIMÁRIO O QUE NÃO ACOMPANHOU E O COMPENSADO COMO SENDO A RESPOSTA AO DISTÚRBIO PRIMÁRIO.
    36. 36.  Ajuda a identificar qual o tipo de acidose metabólica  Quando alto = acrescimo de outros ácidos (normoclorêmicas) ▪ Ex: acidose lática, cetoacidose diabética, síndrome urêmica, intoxicações exógenas, rabdomiólise maciça.  Quando normal= Hiperclorêmicas. Não houve acréscimo de outros ácidos. ▪ Perdas GI, acidose tubular, hipoaldo, IRC em fase não avançada. AG = NA- (CL + HCO3) VR: < 15
    37. 37. a) Perda renal de bicarbonato b) Acidose Lática c) Cetoacidose diabética d) Rabdomiólise maciça e) Intoxicação por salicito Um paciente com acidose metabólica grave tem os seguintes eletrólitos: Na- 132; K- 6,5; Cl- 113 e HCO3- 9. Qual alternativa apresenta uma possível causa da acidemia deste paciente? AG = NA- (CL + HCO3) VR: < 15 AG = 132 – (113 + 9) = 10. Anion GAP normal = (40 – 15) ÷ 5 + 24  29
    38. 38.  É uma estimativa da diferença de concentração de oxigênio no alvéolo e na artéria.  A-a aumentado = Insuficiência respiratória hipoxêmica ▪ Distúrbios V/Q – responde ao O2 ▪ Shunt – não responde ao O2 A-a = (pAtm – pH2O) x FiO2 – pO2 – pCO2/Resp Q* *Resp Q = 0,8 sem em ar ambiente e 1,0 c/O2 suplementar
    39. 39.  pH = 7.23  pCO2 = 22  HCO3 - = 10  Está compensado?  = 10x1,5 + 8 = 23 Acidose Baixo = Alcalino Baixo = Ácido pH = 7,35 – 7,45 pCO2 = 35 – 45 mmHg pO2 = 80 – 100 mmHg SO2 = 96 – 98 % BE= -2 /+2 HCO3 = 22 – 24 mEq/l ACIDOSE METABÓLICA compensada pCO2 esperada = (HCO3 x 1,5) + 8 (+/- 2)
    40. 40.  Qual a causa da acidose metabólica desse paciente?  Cetoacidose diabética (normoclorêmica)?  Perdas gastrointestinais (hiperclorêmica)?  PARA DESCOBRIR, CALCULE O ÂNION GAP!  AG = 135 – (83+10) = 42  NORMOCLORÊMICA  Logo, a acidose é secundária a cetoacidose diabética. AG = NA- (CL + HCO3) VR: < 15
    41. 41.  pH = 7.20  pCO2 = 82  HCO3 - = 29  Trata-se de uma acidose respiratória aguda ou crônica?  AGUDA = 28.2  CRÔNICA: 36 Acidose Alta= Ácido Alto= Básico ACIDOSE RESPIRATÓRIA AGUDA Aguda: HCO3 esperado = (PCO2 -40) ÷ 10 + 24 Crônica: HCO3 esperado = (PCO2 -40) ÷ 3.5 + 24.

    ×