Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

001 movimentos migratórios e urbanização unidade 13

1,302 views

Published on

  • Be the first to comment

001 movimentos migratórios e urbanização unidade 13

  1. 1. Prof. Fernando A. Machniewicz Knapik Movimentos Migratórios e Urbanização
  2. 2. Migrantes, deslocados e refugiados ambientais Embora a figura do refugiado ambiental ainda não seja reconhecida pela Organização das Nações Unidas, calcula-se que existam hoje 50 milhões de pessoas obrigadas a deixar suas casas por problemas decorrentes de desastres naturais ou mudanças climáticas. Enquanto alguns especialistas propõem que o termo seja aplicado a todos que perderam seus lares devido a alterações do meio ambiente, outros acreditam que o melhor é fazer a distinção entre quem se desloca dentro do próprio país e os que são obrigados a cruzar fronteiras internacionais. Caso se concretizem as previsões de elevação do nível dos oceanos, também há o risco de algumas nações desaparecerem. Estimativas da ONU indicam que, em 2050, o número de refugiados ambientais estará entre 250 milhões e 1 bilhão de seres humanos.
  3. 3. A relevância atual da migração urbano-urbano pouco dinamismo das cidades pequenas que geram fluxos dessas para as cidades médias; fuga dos problemas urbanos nas metrópoles; deslocamento das indústrias para as cidades médias atraindo trabalhadores; deslocamento de parte da população jovem das pequenas cidades para as médias ou grandes em busca de oportunidades de estudos. a) Fatores que explicam a migração urbano-urbano:
  4. 4. A migração pendular ou diária crescimento das metrópoles e/ou das regiões metropolitanas; desenvolvimento de atividades terciárias e quaternárias nos espaços urbanos; distância espacial entre os locais de moradia, estudo e trabalho; aumento no tempo de deslocamento entre os pontos de circulação; deslocamento diário de trabalhadores do espaço urbano para o rural. b) causa para o aumento atual da migração pendular
  5. 5. a) Por que houve o incentivo ao processo imigratório de nordestinos para São Paulo? baixo preço da mão de obra desses trabalhadores, fundamentais para o notável crescimento econômico da capital e de sua Região Metropolitana. Ou seja, foi incentivado pela necessidade de maior contingente de trabalhadores para as diversas atividades econômicas em São Paulo. O impacto sobre São Paulo dos migrantes nordestinos
  6. 6. b) determinantes sociais e econômicas do processo migratório de nordestinos fragilidade econômica da região intensificação da concentração fundiária, às dificuldades climáticas para a prática da agropecuária. Por outro lado, no que concerne ao local de destino influenciado, em grande medida, pela oportunidade de empregos gerados, sobretudo, pela indústria e pela construção civil, além do setor de serviços e de comércio, E pela esperança de melhores condições de vida. Em resumo o processo migratório foi motivado pelas desigualdades regionais. O impacto sobre São Paulo dos migrantes nordestinos
  7. 7. http://noticias.uol.com.br/ultnot/multi/?hashId=bolivianos-preferem-jornadas- escravas-no-brasil-a-voltar-04028D1C3162E0892326&mediaId=12181186
  8. 8. Cidadão Zé Ramalho Composição: Lucio Barbosa Tá vendo aquele edifício moço Ajudei a levantar Foi um tempo de aflição Eram quatro condução Duas prá ir, duas prá voltar Hoje depois dele pronto Olho prá cima e fico tonto Mas me vem um cidadão E me diz desconfiado "Tu tá aí admirado? Ou tá querendo roubar?" Meu domingo tá perdido Vou prá casa entristecido Dá vontade de beber E prá aumentar meu tédio Eu nem posso olhar pro prédio Que eu ajudei a fazer... Tá vendo aquele colégio moço Eu também trabalhei lá Lá eu quase me arrebento Fiz a massa, pus cimento Ajudei a rebocar Minha filha inocente Vem prá mim toda contente "Pai vou me matricular" Mas me diz um cidadão: "Criança de pé no chão Aqui não pode estudar" Essa dor doeu mais forte Por que é que eu deixei o norte Eu me pus a me dizer Lá a seca castigava Mas o pouco que eu plantava Tinha direito a comer... Tá vendo aquela igreja moço Onde o padre diz amém Pus o sino e o badalo Enchi minha mão de calo Lá eu trabalhei também Lá foi que valeu a pena Tem quermesse, tem novena E o padre me deixa entrar Foi lá que Cristo me disse: "Rapaz deixe de tolice Não se deixe amedrontar Fui eu quem criou a terra Enchi o rio, fiz a serra Não deixei nada faltar Hoje o homem criou asa E na maioria das casas Eu também não posso entrar Fui eu quem criou a terra Enchi o rio, fiz a serra Não deixei nada faltar Hoje o homem criou asas E na maioria das casas Eu também não posso entrar" Hié! Hié! Hié! Hié! youtube - CIDADÃO - ZÉ RAMALHO
  9. 9. a) do que decorre cada um desses saldos? Saldo migratório positivo e de saldo migratório negativo Saldo positivo indica que o número de imigrantes é superior ao de emigrantes. O saldo migratório negativo ocorre quando o número de imigrantes é inferior ao de emigrantes. O saldo positivo decorre de fatores de atração, como a oferta de terras, na Amazônia, e de empregos, em São Paulo e Rio de Janeiro. O saldo negativo indica a existência de fatores de repulsão, como a estagnação econômica e o aumento da concentração fundiária.
  10. 10. b) Diferencie as causas do saldo migratório negativo das regiões Nordeste e Sul e aponte os respectivos destinos predominantes dos migrantes oriundos dessas duas regiões. Saldo migratório positivo e de saldo migratório negativo R. O saldo negativo no Nordeste relaciona-se à estagnação econômica no período anterior a 2000 e à busca de melhores condições de vida. Esta migração tem como principais destinos o Sudeste e as áreas de frentes pioneiras. O saldo negativo no Sul resulta da pressão demográfica no campo, o que obriga a busca de novas terras na Amazônia e no Centro- Oeste.
  11. 11. c) Justifique, à luz do momento histórico e do processo de ocupação do território brasileiro, o predomínio de saldos migratórios positivos no Centro-Oeste e Norte do país Saldo migratório positivo e de saldo migratório negativo R. Trata-se de áreas de ocupação recente, que receberam incentivos governamentais, a partir dos anos 70, tornando-se regiões de expansão da fronteira agrícola e de forte atração para populações oriundas, principalmente, da região Sul.
  12. 12. Enquanto um povo se uniu em 1989 sobre as ruínas de um muro que ia de Dresden a Berlim, outros muros são levantados na atualidade para separar os homens, tornando-os estrangeiros, inimigos. Observe as imagens
  13. 13. a) construído no ano de 1961, no contexto da Guerra Fria, caracterizada pela bipolarização política, ideológica e militar entre os blocos socialista e capitalista. Tornou-se símbolo da separação alemã e da Guerra Fria. a) CARACTERIZE o contexto histórico em que foi construído o muro de Berlim.
  14. 14. b)- atraídos pelas possibilidades de trabalho. - “maquiladoras”, instalaram-se nos últimos anos na fronteira com o objetivo de utilizar a mão-de-obra barata - O imigrante ao cruzar a fronteira pode sofrer prisões, conflitos com fazendeiros, fome ou afogamento. - imigrantes sem documentação gerou um maior controle nas fronteiras e a imposição de penalidades contra aqueles que empregam pessoas sem documentação. - com o reforço da fronteira californiana, a tensão maior encontra-se atualmente na fronteira do Arizona, onde o controle é menor; - O policiamento desta fronteira, é feita pelos fazendeiros da região gerando aumento da violência e das tensões. - Há protestos por parte de organizações não governamentais e de defensores dos direitos humanos. - a fronteira é também um lugar de tensão devido ao tráfico de drogas e armas. - As diferenças culturais e linguísticas também provocam o aumento de tensões étnicas e culturais na fronteira. b) aspectos relativos às tensões vividas na fronteira entre Estados Unidos e México, na atualidade.
  15. 15. Observe o mapa abaixo sobre os grandes fluxos migratórios no Brasil a partir de 1950.
  16. 16. 1. Fluxo 1: Nordeste (principalmente das áreas rurais) para os grandes centros urbanos do Sudeste (em especial São Paulo e Rio de Janeiro). 2. Teve sua maior expressão a partir da década de 1950. 3. Fluxo 2: Nordeste (principalmente áreas rurais) para a Amazônia. 4. Teve sua maior expressão a partir do final da década de 1960 e ao longo dos anos de 1970. 5. Fluxo 3: Nordeste e Sudeste (em especial Minas Gerais) para o Centro-Oeste, em decorrência do processo de ocupação desta região. 6. Teve início no final de década de 1950. 7. Fluxo 4: Dos estados da Região Sul e Sudeste (especialmente São Paulo e Minas Gerais) em direção aos estados do Centro-Oeste e Norte. 8. Teve sua expansão inicial a partir da década de 1960 para a região Centro-Oeste e da década de 1970 para a região Norte. a) Áreas envolvidas e década de início do fluxo.
  17. 17. 1. Fluxo 1: A busca por melhores condições de emprego e subsistência, com a transferência de população de uma região deprimida economicamente (sobretudo as áreas rurais do sertão nordestino) para uma região de grande crescimento econômico (SP e RJ), decorrente da expansão dos processos de industrialização e consolidação como centro do capitalismo nacional, no sudeste e da concentração fundiária no Nordeste 2. Fluxo 2: ocorreu em busca de ocupação econômica, seja na forma de mão-de-obra (garimpos, exploração madeireira, projetos agropecuários etc.) seja como no assentamento e ocupação de áreas rurais na condição de pequeno produtor familiar. A concentração fundiária no Nordeste foi fator que, também, contribuiu também para este fluxo migratório. b) Fator principal para ocorrência do fluxo migratório.
  18. 18. 3. Fluxo 3: gerado pelos programas de incentivo à ocupação do Centro-Oeste brasileiro, tendo como principal motor a construção de Brasília. Caracterizado pela migração de mão-de-obra ocupada nas obras de expansão da infra- estrutura (estradas, ferrovias, instalação de novas cidades) e como mão-de-obra agrícola. 4. Fluxo 4: representou a expansão da fronteira agrícola para as regiões Centro-Oeste e Norte do Brasil. Neste processo, podem se diferenciar, sobretudo, dois tipos de migrantes: os pequenos e médios produtores rurais do Sul e Sudeste . As dificuldades de desmembramento das propriedades agrícolas, por herança, na segunda e terceira geração foi fator que estimulou a diáspora* dos sulistas em direção ao Centro Oeste e Norte. b) Fator principal para ocorrência do fluxo migratório. * Dispersão de povos por motivos políticos ou religiosos
  19. 19. SPANGLISH O diário “El País” de 02/10/2000 publicou uma entrevista com Ilan Stavans, escritor e filólogo mexicano, autor do primeiro dicionário de spanglish, uma língua com origens nos subúrbios hispânicos de Miami, Los Angeles e Nova Iorque. Com cerca de 6000 palavras, esta língua nasceu do choque do Espanhol com o Inglês e é, segundo aquele filólogo, “uma nova maneira de ser hispânico nos Estados Unidos”. A entrevista termina com uma lista de algumas palavras a incluir no dicionário; por ex., culísimo =muito frio (do inglês cool). Fonte: Lexicon, Vocabulário de Filosofia, (http://ocanto.esenviseu.net/lexs.htm).
  20. 20. Com base no texto, a) explique qual é o fenômeno geográfico responsável por essa fusão de línguas, nos EUA. b) cite e explique uma conseqüência possível desse fenômeno geográfico. a) O fenômeno geográfico responsável por essa fusão é o intenso fluxo migratório internacional para os EUA. b) Entre as conseqüências possíveis pode-se destacar: 1. O aumento do desemprego e da informalidade principalmente nos setores econômicos de mão-de-obra menos qualificada e mais barata. 2. Aumento do dinamismo econômico a partir de duas situações: o crescimento do mercado interno e a remessa de divisas para o país de origem do imigrante. 3. Possíveis alterações no quadro político-eleitoral do país, devido à maior participação numérica dos imigrantes. 4. O crescimento da xenofobia da população nacional em relação aos estrangeiros, por enxergá-los como concorrentes diretos às poucas vagas de empregos e por responsabilizá-los pela queda na qualidade de vida.

×