Energia geotérmica

9,320 views

Published on

Ao longo deste trabalho iremos abordar o tema da energia geotérmica, temos por objectivos definir, o que é a energia geotérmica, como pode ser aproveitada, as suas vantagens e desvantagens e a energia geotérmica em Portugal e no Mundo.

Published in: Education, Business, Technology
1 Comment
3 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
9,320
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
5
Actions
Shares
0
Downloads
209
Comments
1
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Energia geotérmica

  1. 1. Professor Paulo Favas Geologia Ambiental Energia Geotérmica Cristiana Valente nº33708 Filipe Marinho nº33706 Gabriela Barros nº35292
  2. 2. Geologia Ambiental 2011-2012 Índice Introdução..................................................................................................................... 2 Energia geotérmica ....................................................................................................... 3 Tipos de energia geotérmica ..................................................................................... 3 De baixa entalpia ................................................................................................... 3 De alta entalpia ...................................................................................................... 3 Formas de aproveitamento ........................................................................................... 4 Utilizações directas ................................................................................................... 4  Aquecimento ambiente e aquecimento comunitário ........................................ 4  Piscicultura, agricultura e estufas ................................................................... 4  Águas termais (termas, SPA’s, piscinas) ........................................................ 5  Outras aplicações ........................................................................................... 5 Bombas de calor geotérmicas (BCG) ........................................................................ 5 Centrais geotérmicas ................................................................................................ 6  Centrais Geotérmicas de Vapor Seco ............................................................. 7  Centrais geotérmicas de Vapor Flash ............................................................. 7  Centrais geotérmicas de Ciclo Binário ............................................................ 8 Vantagens e desvantagens da Energia Geotérmica ..................................................... 8 Vantagens ................................................................................................................. 8 Desvantagens ........................................................................................................... 9 Energia Geotérmica em Portugal ................................................................................ 10 Energia Geotérmica no Mundo ................................................................................... 13 Conclusão................................................................................................................... 17 Referências Bibliográficas .......................................................................................... 17 1
  3. 3. Geologia Ambiental 2011-2012 Introdução A Terra é constituída por núcleo, manto e crosta, sendo o núcleo a camada mais profunda e a crosta a mais superficial. À medida que a profundidade aumenta a temperatura também aumenta, verificando-se em termos médios que a temperatura aumenta 33 oC por km. Porém, devido à heterogeneidade da crusta terrestre, existem zonas anómalas, isto é, zonas onde a variação da temperatura com a profundidade (gradiente) é inferior ou superior ao valor médio. (11 e 12) O manto superior juntamente com parte da crosta constitui a litosfera, esta camada é constituída por rochas, sendo por isso, sólida e rígida. Esta encontra-se imediatamente acima da astenosfera, camada sólida, mas plástica pertencente ao manto. A litosfera está dividida em porções designadas placas litosféricas, estas mantêm-nos isolados do interior da Terra, as placas litosféricas movem-se devido a correntes de convecção na astenosfera. (10 e 13) Por baixo da superfície terrestre existe calor, estando numas regiões mais próximo desta do que noutras. No manto encontramos magma, que é constituído basicamente por rochas no estado líquido. Como já foi referido, com o aumento da profundidade a temperatura dessas rochas vai aumentando progressivamente. Esse magma pode formar intrusões, onde a temperatura é muito elevada. As intrusões magmáticas juntamente com o calor do centro da terra aquecem as rochas do subsolo. A água meteórica que se infiltra no subsolo através de rochas porosas e falhas, pode ficar retida entre camadas de uma rocha impermeável. A água quando perto da rocha quente, aquece e pode mesmo evaporar, criando bolsas de vapor entre as camadas impermeáveis, formando-se assim, um reservatório geotérmico, cujas temperaturas podem atingir os 400oC. O vapor gerado pode atingir a superfície de forma natural ou de forma artificial através de perfurações, estes dois tipos de fontes podem ser utilizados para aproveitamentos geotérmicos. (9 e 14) 2
  4. 4. Geologia Ambiental 2011-2012 As zonas de elevado gradiente, isto é, as de maior temperatura a menores profundidades, são de interesse prioritário para a geotermia, como é o caso das zonas afectadas por vulcanismo. Porém, as zonas de gradiente normal ou mesmo inferior ao normal podem também ser interessantes, com base numa análise de custos/benefícios. Ao longo deste trabalho iremos abordar o tema da energia geotérmica, temos por objectivos definir, o que é a energia geotérmica, como pode ser aproveitada, as suas vantagens e desvantagens e a energia geotérmica em Portugal e no Mundo. Energia geotérmica A energia geotérmica ou energia geotermal é a energia obtida a partir do calor interno terrestre. Esta energia pode ter várias aplicações como vamos referir mais a frente, mas para tal ela tem de ser extraída do subsolo. O calor do interior da terra pode ser recuperado directamente caso exista vapor ou fluído no reservatório, ou através da injecção de água nas rochas. (9 e 15) Tipos de energia geotérmica De baixa entalpia (de baixa temperatura) – se a temperatura do fluído é inferior a 150oC. A energia de baixa entalpia está associada “acidentes” tectónicos, como é o caso de uma falha. Este tipo de energia é utilizado, por exemplo, em termas, no aquecimento de piscinas e águas de hotéis, na agricultura, na piscicultura e em alguns processos industriais. De alta entalpia (de alta temperatura) – se a temperatura do fluído é superior a 150oC. Esta energia pode ser utilizada para a produção de energia eléctrica e, pode ainda, ter aproveitamento para aquecimento de edifícios. (15) 3
  5. 5. Geologia Ambiental 2011-2012 Formas de aproveitamento As diferentes formas de aproveitamento da energia geotérmica ou diferentes sistemas geotérmicos, dependem da quantidade de água existente no reservatório geológico e da sua temperatura. Utilizações directas - o aproveitamento do calor geotérmico pode ser feito directamente da água recolhida em reservatórios, quando as temperaturas são baixas ou moderadas (20oC a 150oC).  Aquecimento ambiente e aquecimento comunitário (“district heating”) – quando estes géneros de aquecimento são feitos através do calor geotérmico podem reduzir-se até 50% o uso dos combustíveis fósseis, por exemplo, em Chaves o hotel próximo das termas usufrui da energia geotérmica para aquecimento ambiente (Figura 1). Figura 1 - Aquecimento  Piscicultura, agricultura e estufas – a utilização do calor geotérmico permite fornecer até 80% do consumo energético da piscicultura, agricultura e estufas (Figura 2). Figura 2 – Estufa à esquerda e Aquacultura à direita 4
  6. 6. Geologia Ambiental 2011-2012  Águas termais (termas, SPA’s, piscinas) – nestas situações as águas geotérmicas, são aproveitadas para fins medicinais ou recreativos, devido à sua temperatura e composição mineralógica (Figura 3). Figura 3 – Termas  Outras aplicações: piscinas municipais, desidratação de alimentos, indústria alimentar, indústria farmacêutica, etc. (1) Bombas de calor geotérmicas (BCG) Este método de aproveitamento de energia geotérmica usufruiu do facto da temperatura do subsolo permanecer relativamente constante todo o ano, sendo superior a temperatura do ar no Inverno e inferior no Verão, para aquecer águas sanitárias e aquecer ou arrefecer edifícios (Figura 4). (1) No inverno, a bomba de calor transfere o calor do subsolo ou de águas subterrâneas, Figura 4– Esquema de BCG para o interior do edifício. No verão, realiza o processo inverso, retirando do interior do edifício calor e transferindo-o para o subsolo. Deste modo, o subsolo funciona como fonte de calor no Inverno e como depósito no Verão. (1 e 2) O funcionamento desta tecnologia consiste no armazenamento do calor a pouca profundidade, sendo recuperado pelos tubos subterrâneos. A energia 5
  7. 7. Geologia Ambiental 2011-2012 térmica é armazenada posteriormente no chão da casa, e aquece o líquido que circula nos tubos, a bomba de calor geotérmico recupera esse calor e utiliza-o para aquecer a água e toda a casa. (3) Os dois processos (aquecimento e arrefecimento) ocorrem no mesmo sistema de canos, o que facilita a troca de um sistema para o outro. Deste modo, basta carregar no botão existente no termóstato interior para fazer alterar o sentido da transferência de calor. (5) Esta tecnologia é composta por três partes: ligação ao subsolo, bomba de calor e sistema de distribuição. A ligação ao subsolo é constituída por uma série de tubos com água com anticongelante, que são enterrados na horizontal ou na vertical em relação ao subsolo. A função da bomba de calor já foi referida, no Inverno remove calor do subsolo e transfere-o ao edifício, e no Verão realiza o processo inverso. O sistema de distribuição é compreendido por um sistema de canalizações que serve para conduzir o calor ou o frio no interior dos edifícios. (1) Centrais geotérmicas O vapor, o calor ou a água quente dos reservatórios geotérmicos fornecem a energia necessária para movimentar geradores de turbina e produzir electricidade nas centrais geotérmicas. A água geotérmica que é utilizada pela central, é posteriormente devolvida ao reservatório através de um poço de injecção, onde volta a ser reaquecida, restabelece a pressão e assegura o reservatório geotérmico. (7) As centrais geotérmicas são construídas em locais onde existam reservatórios de água subterrânea a elevada temperatura. São abertos poços até chegar aos reservatórios, a água e o vapor aí existentes são drenados até à superfície através de tubos e canos apropriados. Posteriormente, o vapor é conduzido até à central eléctrica geotérmica por tubos. Na central o vapor faz girar as lâminas da turbina, produzindo deste modo energia mecânica, esta é transformada em energia eléctrica pelo gerador. Após passar pela turbina o vapor é transportado para um tanque onde vai ser arrefecido e condensar 6
  8. 8. Geologia Ambiental 2011-2012 (formar água). Tal como já foi referido, a água é devolvida ao reservatório subterrâneo onde será aquecida pelas rochas quentes envolventes, de forma a sustentar a produção. (8) Há três tipos de centrais geotérmicas (que dependem da temperatura e da pressão no reservatório): (4)  Centrais Geotérmicas de Vapor Seco – o vapor retirado do subsolo, produção, pelo vai poço de directamente para a uma turbina. A turbina está ligada a um gerador, e transforma a energia mecânica em energia eléctrica. Posteriormente, o vapor arrefece e condensa sendo Figura 5 – Mecanismos de uma central a vapor seco reencaminhado ao subsolo, pelo poço de injecção. A central emite vapor em excesso, e uma pequena quantidade de outros gases (Figura 5).  Centrais geotérmicas de Vapor Flash (reevaporação) – nestas centrais, fluidos geotérmicos acima dos 182oC, a pressões elevadas, são pulverizados num tanque com menor pressão, causando a sua rápida vaporização (“flash”). O vapor resultante (de baixa pressão) passa por uma Figura 6 – Mecanismos de uma central de vapor flash turbina que está ligada a um gerador, que transforma a energia 7
  9. 9. Geologia Ambiental 2011-2012 mecânica em energia eléctrica. O vapor condensado é reencaminhado ao subsolo, pelo poço de injecção (Figura 6).  Centrais geotérmicas de Ciclo Binário – estas centrais usam águas provenientes de reservatórios geotérmicos com temperaturas inferiores a 200oC. O fluido passa por um permutador de calor onde existe um fluido secundário com ponto de ebulição inferior ao da água, evaporando Figura 7 – Mecanismos de uma central de ciclo binário rapidamente é injectado na turbina, que move o gerador. Este género de aproveitamento dos recursos geotérmicos é o mais aplicado nas centrais geotérmicas (Figura 7). Vantagens e desvantagens da Energia Geotérmica Vantagens (3 e 5)  Permitem poupar energia, pois substituem aquecedores eléctricos e ar condicionado (75% de electricidade numa casa);  São muito flexíveis, podendo ser facilmente subdivididos ou expandidos para um melhor enquadramento e aproveitamento de energia num edifício, sendo relativamente baratos;  A área necessária para a central geotérmica é mais pequena do que a da maioria das restantes centrais. Este tipo de instalações não precisam obstruir rios ou destruir florestas, e também não há necessidade de 8
  10. 10. Geologia Ambiental 2011-2012 cabos de minas, túneis, covas abertas, pilhas de lixo ou derramamento de óleo;  É fiável, pois funcionam 24h por dia, o ano todo; é resistente a interrupções de geração de energia devido a condições atmosféricas, catástrofes naturais etc.  Liberta menos gases poluentes para a atmosfera comparado com outras fontes de energia não renováveis;  Não é necessário gastar dinheiro em transporte para combustível para as centrais geotérmicas, pois estas encontram-se sempre nas imediações dos reservatórios geotérmicos (“combustível”);  Ajuda países em Desenvolvimento, uma vez que, os projectos geotérmicos podem ajudar estes países a crescer sem poluição e, a melhorar a qualidade de vida, trazendo electricidade à população longe de centros demográficos “electrificados”. Desvantagens (5 e 6)  Se não forem usados em zonas onde o calor geotérmico vem à superfície (como géisers e vulcões), a perfuração do solo para a introdução de canos é dispendiosa;  Os anticongelantes utilizados nas zonas mais frias são poluentes, apesar de terem baixa toxicidade, alguns produzem CFCs e HCFCs;  Alguns gases libertados são poluentes e possuem um odor desagradável, por exemplo, o ácido sulfídrico (H2S) tem odor desagradável, natureza corrosiva e propriedades nocivas, que podem causar sérios problemas de saúde e até mesmo a morte por asfixia;  O sistema de Bombas de calor geotérmico têm um custo inicial elevado, e a manutenção dos canos também elevada (a água corrói e deposita minerais), no entanto, a manutenção da bomba é barata (por estar localizada no interior da Terra ou no edifício, não está sujeita ao mau tempo);  Perigo de subsidência, quando grande quantidade de água é retirada dos reservatórios, como aconteceu numa usina geotérmica em Wairaki na Nova Zelândia; 9
  11. 11. Geologia Ambiental 2011-2012  Poluição sonora resultante da perfuração de poços.  O calor perdido das centrais geotérmicas é maior que de outras, o que leva a um aumento da temperatura do ambiente próximo à mesma. Energia Geotérmica em Portugal Uma complexa e diversificada geologia dotou o País de um apreciável potencial geotérmico, evidenciado pelo elevado número de ocorrências com temperaturas superiores a 20ºC (Figura 8) (1). Figura 8Áreas com potencialidades geotérmicas em Portugal continental Em Portugal continental existem essencialmente aproveitamentos de baixa temperatura ou termais. Este pode ser dividido em duas vias (2): - Aproveitamento de pólos termais existentes (temperaturas entre 20 e 76 ºC): exemplos disso são os aproveitamentos em Chaves e S. Pedro do Sul com cerca de 3 MWt a temperaturas de cerca de 75 ºC a funcionar desde a década de oitenta (2); - Aproveitamento de aquíferos profundos das bacias sedimentares: caso do projecto geotérmico do Hospital da Força Aérea do Lumiar, em Lisboa, obtida a partir de um furo com 1.500 m de profundidade com temperaturas superiores a 50 ºC, a funcionar desde 1992 (2); 10
  12. 12. Geologia Ambiental 2011-2012 No primeiro caso temos em funcionamento, desde meados dos anos 80, pequenos aproveitamentos em Chaves e S. Pedro do Sul, como foi referido. Outros pólos interessantes, conjugando a disponibilidade de recurso e mercado, situam-se em Alcafache, Manteigas, Monção, Vizela, Carvalhal, etc (Figura 9) (1). Figura 9- Mapa de Portugal com as termas existentes. De entre os aproveitamentos de baixa entalpia salienta-se os relacionados com a balneoterapia, praticada desde há longos anos, e mais recentemente o aquecimento ambiental e de estufas, existindo potencialidades para uso da energia geotérmica em piscicultura. Estas utilizações podem e devem ser feitas de forma integrada e sucessiva a fim de ser obtido o melhor aproveitamento do recurso (1). Em Portugal continental o aproveitamento de pólos termais já existentes e das aplicações directas nas orlas sedimentares podem representar um potencial de cerca de 20 MWt (3). Uma outra aplicação futura poderá ser a aplicação de Bombas de Calor Geotérmicas (BCG) reversíveis, que aproveitam o calor a partir de aquíferos ou das formações geológicas através de permutadores instalados no subsolo, permitindo utilizações de aquecimento e climatização, que poderá representar um potencial de 12 MWt (3). 11
  13. 13. Geologia Ambiental 2011-2012 Os aproveitamentos mais interessantes na área da geotermia são os realizados nas ilhas dos Açores (2). A energia geotérmica, entre as renováveis é aquela que apresenta um maior potencial em consequência do processo de formação do arquipélago e da sua localização junto da Crista Médio Atlântica, na confluência de três placas tectónicas - Americana, Africana e Eurasiática, região com um enquadramento geoestrutural que proporciona uma intensa actividade vulcânica, bem como de outras manifestações superficiais indicadoras da enorme quantidade de energia endógena existente no subsolo em muitos locais do arquipélago (4). A prospecção geotérmica, iniciada na segunda metade da década de 70 na vertente norte do Vulcão da Lagoa do Fogo culminou em 1980 com a construção da Central Geotérmica Piloto de Pico Vermelho (Figura 10) (4). Figura 10 - Central Geotérmica Piloto do Pico Vermelho (3MW) Actualmente estão inventariados 235,5 MWt distribuídos da seguinte forma representada na seguinte tabela (2): 12
  14. 14. Geologia Ambiental 2011-2012 Ilha Potência Instalada S. Miguel Terceira Faial Pico S. Jorge Graciosa Flores Corvo [MWt] 173,0 25,0 8,9 12,0 8,0 5,0 2,5 1,1 235,5 Total Só em S. Miguel (Centrais Geotérmicas de Ribeira Grande com 13 MWe e Pico Vermelho com 3 MWe) a energia produzida por esta fonte representou em 2003 cerca de 25% da electricidade consumida na Ilha, contribuindo a Central Geotérmica da Ribeira Grande com 85,4 GWh e a Central Geotérmica do Pico Vermelho com 3,5 GWh. A contribuição máxima atingida pela fonte geotérmica foi de 35% durante o ano 2001 (2). A energia geotérmica constitui um recurso endógeno muito importante para os Açores, podendo ser atingidos nos próximos dez anos mais 30 MWe. Existe também algum potencial de aproveitamento a baixa temperatura no Funchal, Ilha da Madeira (3). Mesmo apenas tendo uma grande representatividade nos Açores a energia geotérmica tem um potencial bastante interessante a nível nacional, sendo necessário no futuro uma série de acções de informação, regulamentação e apoio desta fonte renovável de energia (3). Energia Geotérmica no Mundo Tudo começou em 1904, o príncipe italiano Piero Ginori se tornou a primeira pessoa a usar energia geotérmica para acender cerca de 5 luzes. Agora, mais de um século depois de seu experimento, 24 países a utilizam. Os 13
  15. 15. Geologia Ambiental 2011-2012 cerca de 10.715 kilowatts de capacidade instalada no mundo geram energia renovável suficiente para alimentar mais de 6 milhões de lares só nos EUA (5). O crescimento do sector tem sido de 3% ao ano na última décadas, mas o ritmo vem crescendo – até 2015, serão mais instalados 9.000 gigawatts. Há 350 projectos em desenvolvimento em dezenas de países (5). As empresas perfuram para chegar a rochas porosas e permeáveis contendo reservatórios de água quente ou vapor, que são então trazidos à superfície para fazer girar uma turbina e produzir electricidade. Historicamente, isto requer temperatura de 150 graus centígrados ou mais, o que é encontrado em abundância no chamado Anel de Fogo do Pacífico – que inclui Chile, Indonésia, Japão e Estados Unidos, assim como na região do Vale da Grande Falha na África (Figura 11). Mas tecnologias recentes permitiram a geração de energia com temperaturas mais baixas, permitindo que Alemanha, Hungria e outros países começassem a explorar este potencial (5 e 6). Figura 11- O mapa mostra a capacidade instalada de energia geotérmica no mundo (10.715 MWno total) e a sua distribuição. 14
  16. 16. Geologia Ambiental Projectos 2011-2012 de energia geotérmica requerem altos investimentos, especialmente na exploração, perfuração e construção de centrais, mas o baixo custo típico de operação – incluindo um custo zero de combustível tornando-os competitivos com os combustíveis fósseis ou energia nuclear (Figura 12). Há ainda outra vantagem, pois as centrais geotérmicas podem fornecer energia 24 horas por dia, sem depender de backup não renovável. Há 3.100 megawatts instalados nos EUA, metade deles no complexo de 17 centrais conhecido como “The Geysers”, no norte da Califórnia, o maior do mundo. Nos últimos anos, menos de 330 megawatts de energia geotérmica foram instalados no país, mas com recentes incentivos governamentais a panorâmica começa a mudar. Há mais de 120 projectos confirmados em 14 estados, representando perto de 1.400 megawatts (5 e 7). Figura 12- Centrais geotérmicas em todo o mundo. Os EUA têm uma produção importante, mas em nenhum lugar a energia geotérmica é tão presente como na Islândia. Os seus 575 MW de capacidade instalada, número que pode dobrar até 2015, fornecem um quarto da electricidade do país. Em Reykjavik, capital da Islândia, cerca de 95% das casas são aquecidas por este processo, sendo, por isso, considerada uma das 15
  17. 17. Geologia Ambiental 2011-2012 cidades menos poluídas do mundo. O governo do país está a equacionar a construção de um cabo submarino de 1.170 quilómetros para exportar a energia para a Escócia. No Pacífico, as Filipinas aproveitam os seus recursos geotérmicos, e ocupam o segundo lugar do mundo em capacidade instalada, de 1.900 MW. Mas os planos mais ambiciosos do mundo estão na Indonésia. O país, que ocupa o terceiro lugar, com 1.200 MW, planeja mais que triplicar sua capacidade até 2015 – e chegar a 12.000 MW em 2025, suprindo 75% da eletricidade do país (5 e 8). O México ocupa o quarto lugar, com 958 MW, o Japão corre principalmente depois do desastre de Fukushima (tem menos de 540 MW) e a Associação de Energia Geotérmica, baseada nos EUA, calcula que 39 países podem ter toda sua energia gerada por fonte geotérmica. Nove deles estão nas Américas Central e do Sul, e 13 se encontram na África (5). País 1990 MWe 1995 MWe Argentina 0.7 0.6 0 0 0 Austrália 0 0.2 0.2 0.2 1.1 Áustria 0 0 0 1 1.4 19.2 28.8 29.2 28 24 China 2000 MWe 2005 MWe 2010 MWe Costa Rica 0 55 142.5 163 166 El Salvador 95 105 161 151 204 Etiópia 0 0 8.5 7 7.3 4.2 4.2 4.2 15 16 France (Guadalupe) Alemanha 0 0 0 0.2 6.6 Guatemala 0 33.4 33.4 33 52 Islândia 44.6 50 170 322 575 Indonésia 144.8 309.8 589.5 797 1197 Itália 545 631.7 785 790 843 Japão 214.6 413.7 546.9 535 536 Quénia 45 45 45 127 167 México 700 753 755 953 958 Zelândia 283.2 286 437 435 628 Nicarágua 35 70 70 77 88 Papua New Guine 0 0 0 39 56 891 1227 1909 1931 1904 Filipinas Portugal (Açores) 3 5 16 16 29 Rússia (Kamchatka) 11 11 23 79 82 Tailândia 0.3 0.3 0.3 0.3 0.3 Turquia 20.6 20.4 20.4 20.4 82 2774.6 2816.7 2228 2544 3093 USA 16
  18. 18. Geologia Ambiental Total 2011-2012 5831.7 6866.8 7974.1 9064.1 10716.7 Tabela 1Capacidade de produção de produção de electricidade geotérmica globalmente, discriminando cada país. (dados da Associação Internacional de Geotermia). Conclusão No decurso deste trabalho tentámos abordar o tema da energia geotérmica de modo a demonstrar todos os seus benefícios e defeitos, bem como a sua distribuição no nosso país e mundialmente. É possível também consultar dados que relatam a evolução do aproveitamento geotérmico mundial através das diversas formas de aproveitamento e aplicação. Com este trabalho foi nos possível constatar que a energia possui muita importância, nuns países mais que outros, e que é uma energia que em termos do seu aproveitamento está em pleno crescimento. No futuro, com a impossibilidade da utilização de petróleo devido ao seu esgotamento, a energia geotérmica, juntamento com outras energias renováveis, apesar de ainda precisar de melhoramentos, perfila como sendo uma das principais soluções. Referências Bibliográficas (1) http://e-geo.ineti.pt/bds/recursos_geotermicos/intro.htm (2) http://aproveitarenergia.no.sapo.pt/em%20portugal.htm (3) http://www.portal-energia.com/energia-geotermica-funcionamento-etecnologia/ (4) http://siaram.azores.gov.pt/energia-recursoshidricos/geotermia/_texto.html (5) http://planetasustentavel.abril.com.br/blog/planeta-urgente/energiageotermica-avanca-mundo-293220/ 17
  19. 19. Geologia Ambiental 2011-2012 (6) http://cienciahoje.uol.com.br/noticias/2010/11/imagens/energiageotermic a.jpg/view (7) http://biogilmendes.blogspot.com/2011/04/o-uso-da-energiageotermica.html (8) http://aproveitarenergia.no.sapo.pt/curiusidade.htm (9) http://pt.wikipedia.org/wiki/Energia_geot%C3%A9rmica (10) http://pt.wikipedia.org/wiki/Litosfera (11) http://domingos.home.sapo.pt/estruterra_4.html (12) http://www.slideshare.net/guest47596c16b/metodos-estudo- interior-geosfera-meu (13) http://www.slideshare.net/mmattos/movimentos-das-placas- litosfericas-presentation (14) http://www.energiasrenovaveis.com/images/upload/flash/anima_c omo_funciona/geo18.swf (15) http://www.infopedia.pt/$energia-geotermica Figura 8http://cozinheiro-a.blogspot.com/2009/07/energia-geotermica-em-portugal.html Figura 9- http://www.termasdeportugal.pt/ Figura 10- http://siaram.azores.gov.pt/energia-recursos- hidricos/geotermia/_texto.html Figura 11http://cienciahoje.uol.com.br/noticias/2010/11/imagens/energiageotermica.jpg Figura 12- http://www.eepe.murdoch.edu.au/resources/info/Tech/geo/index.html Tabela energy.org/226,installed_generating_capacity.html 18 1-http://www.geothermal-

×