Bauman Sociedade de Consumo

27,445 views

Published on

Apresentação desenvolvida por Raquel, Paulo e Ricardo na turma 2010 do Mestrado em Design da EDU

Published in: Design
1 Comment
18 Likes
Statistics
Notes
  • Ola, preciso salvar esse slide em emu computador, para apresentar na escola, como faço_ eu nao o recebi como anexo, tem como me enviar
    sirlanexwz@yahoo.com.br. obrigada
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
No Downloads
Views
Total views
27,445
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
496
Actions
Shares
0
Downloads
770
Comments
1
Likes
18
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Bauman Sociedade de Consumo

  1. 1. ZYGMUNT BAUMAN Raquel Pisetta : Ricardo Maffazioli : Paulo Bittencurt Clique para editar o estilo do subtítulo mestre 24/03/10
  2. 2. ZYGMUNT BAUMAN Nasceu na Polônia em 1925 Fugiu com sua família para a Rússia em 1939 para escapar da perseguição aos judeus De lá voltou após a guerra, quando se filiou ao partido comunista Estudou na Universidade de Varsóvia e conheceu Janina, com quem está casado há 55 anos e com quem teve três filhas Clique para editar o estilo do subtítulo mestre Em 1968, depois ter alguns artigos e livros censurados e foi afastado da Universidade Após passar pelo Israel, Canadá, Estados Unidos e Austrália, assume em 1971 o cargo de chefe do departamento e de sociologia da Universidade de Lees, na Inglaterra, onde vive até hoje Aposentou-se em 1990. A partir daí, escreveu 29 dos seus 54 livros
  3. 3. ZYGMUNT BAUMAN Nasceu na cidade de Millau (sudoeste francês) em 1944 Formado em filosofia pela Sorbonne Atuou, primeiramente, como professor de filosofia tradicional (Platão, Kant, Hegel) Seus interesses se voltaram para compreensão da história e vida social “Distanciei-me, porém, do marxismo, sobretudo no que diziapara editar o estilo do subtítulo mestre Clique respeito à noção de alienação, pois toda cultura de massas era vista como algo alienado” (Lipovetsky, Revista Cult, 2008) Nos anos 80 desenvolveu conceitos como a hipermodernidade, o individualismo performático, o deslizamento, a vaga e a era do vazio. Professor de filosofia da Universidade de Grenoble
  4. 4. ZYGMUNT BAUMAN Modernidade Líquida Passagem da modernidade “pesada” e “sólida” para a modernidade “leve” e “líquida” e como essa transição afetou os mais variados Clique da vida. editar aspectos para o estilo do subtítulo mestre 24/03/10
  5. 5. ZYGMUNT BAUMAN Vida para o consumo Como a sociedade moderna de produtores foi gradualmente se transformando em uma sociedade de consumidores. Nessa nova organização social, os indivíduoseditar o Clique para se tornam estilo do subtítulo mestre ao mesmo tempo promotores e também suas próprias mercadorias que promovem – e todos habitam o espaço social descrito como o 'mercado'. 24/03/10
  6. 6. ZYGMUNT BAUMAN Líquidos Não mantêm sua forma com facilidade. Não fixam espaço nem prendem o tempo; Não se atêm muito a qualquer forma e estão constantemente prontos (e propensos) a mudá-la; O tempo importa mais que o espaço queo estilo Clique para editar ocupam do subtítulo mestre (afinal, o espaço é preenchido apenas por um momento) Movem-se facilmente - fluem, escorrem, respingam, transbordam, vazam, inundam, borrifam, pingam... Não são facilmente contidos – contornam certos obstáculos, dissolvem outros, invadem, inundam Sua extraordinária mobilidade faz com que seja associado à leveza 24/03/10
  7. 7. ZYGMUNT BAUMAN Instituições zumbis Poder de derretimento da modernidade desmancha as instituições existentes, as configurações, os padrões. Clique para editar o estilo do subtítulo mestre A família: meus filhos, nossos filhos. Desintegração no divórcio. Avôs e avós são incluídos e excluídos sem meios de participar das decisões de seus filhos e filhas. “Pergunte-se o que é realmente a família hoje em dia? O que significa?” 24/03/10
  8. 8. ZYGMUNT BAUMAN “Hoje os padrões e configurações não são mais ‘dados’, e menos ainda ‘auto-evidentes’.” Clique para editar o estilo do subtítulo mestre 24/03/10
  9. 9. ZYGMUNT BAUMAN Clique para editar o estilo do subtítulo mestre 24/03/10
  10. 10. ZYGMUNT BAUMAN Clique para editar o estilo do subtítulo mestre 24/03/10
  11. 11. ZYGMUNT BAUMAN Tempo e espaço Quando a distância percorrida passou a depender da tecnologia, de meios artificiais de transporte, todos os limites à velocidade do movimento passarampara editar Clique a poder ser o estilo do subtítulo mestre transgredidos. 24/03/10
  12. 12. ZYGMUNT BAUMAN Velocidade Quanto mais leve viajamos, com maior rapidez nos Clique para editar o estilo do subtítulo mestre movemos. 24/03/10
  13. 13. ZYGMUNT BAUMAN Poder + leveza = O poder pode se mover com a velocidade do sinal eletrônico. O poder se tornou extraterritorial , não mais limitado pela resistência do Clique o telefone celular o estilo espaço – para editar foi do subtítulo mestre o golpe de misericórdia. + poder Não importa mais onde está quem dá a ordem. 24/03/10
  14. 14. ZYGMUNT BAUMAN Movimento “ Te n h o c a r r o , Os hábitos nômades na era moderna eram mal vistos. Já no estágio fluido da modernidade, a maioria assentada é p o s s o v i a j a r.” Clique para dominada pela elite nômade e editar o estilo do subtítulo mestre extraterritorial. Alguns dos habitantes do mundo estão em movimento. Para os demais, é o mundo que se recusa a ficar parado. 24/03/10
  15. 15. ZYGMUNT BAUMAN A guerra Na modernidade líquida está em jogo um novo tipo de guerra: não a conquista de novo território, mas a destruição das muralhas que impediam para editar o estilo e fluidos poderes globais. Clique o fluxo de novos do subtítulo mestre A guerra parece, cada vez mais, uma promoção do livre comércio por outros meios. 24/03/10
  16. 16. ZYGMUNT BAUMAN Clique para editar o estilo do subtítulo mestre Capitalismo Capitalismo PESADO O capital estava tão fixado ao solo quanto os o capital viaja leve (apenas com uma bagagem de trabalhadores que empregava. 24/03/10 mão, um computador e um celular).
  17. 17. ZYGMUNT BAUMAN Múltiplas possibilidades Clique para editar o estilo do subtítulo mestre O mundo está cheio de oportunidades – cada uma mais atraente que a anterior. Para que as possibilidades continuem infinitas, nenhuma deve ser capaz de petrificar-se em realidade para sempre. Melhor que permaneçam líquidas e fluidas e tenham 'data de validade', caso contrário poderiam excluir oportunidades remanescentes e abortar a próxima aventura. 24/03/10
  18. 18. ZYGMUNT BAUMAN A infelicidade dos consumidores deriva do oexcesso mestre da falta Clique para editar estilo do subtítulo e não da escolha. 24/03/10
  19. 19. ZYGMUNT BAUMAN Uma corrida sem fim Na corrida dos consumidores, a linha de chegada sempre se move mais veloz que o mais veloz dos corredores. E assim como numa maratona, pode- Clique para editar o estilo do subtítulo mestre se elogiar os vencedores, mas o que realmente importa é permanecer na corrida até o fim. O arquétipo (modelo) dessa corrida em que cada membro da sociedade de consumo está correndo é a atividade de comprar. 24/03/10
  20. 20. ZYGMUNT BAUMAN Necessidades X Desejos X Querer O consumismo de hoje não diz mais respeito à satisfação das necessidades, mas o desejo. Clique para editar o estilo do subtítulo mestre O desejo é muito mais volátil e efêmero. O 'querer' é agora o substituto do desejo: ele completa a libertação do princípio do prazer, limpando e dispondo dos últimos resíduos dos impedimentos do 'princípio da realidade 24/03/10
  21. 21. ZYGMUNT BAUMAN Só o desejar é desejável. Nuncamestre satisfação. Clique para editar o estilo do subtítulo a sua 24/03/10
  22. 22. ZYGMUNT BAUMAN A cultura consumista é o modo peculiar pelo qual membros de uma sociedade de consumidores pensam em seus comportamentos ou pelo qual Clique para editar o estilo do subtítulo mestre se comportam 'de forma irrefletida' 24/03/10
  23. 23. ZYGMUNT BAUMAN A TRANSFORMAÇÃO Sociedade de consumidores DOS CONSUMIDORES EM MERCADORIA A sociedade de consumidores representa o tipo de sociedade É A PRINCIPAL que promove, encoraja ou Clique para editar o estilo do subtítulo mestre CARACTERÍSTICA reforça a escolha de um estilo de vida e uma estratégia DA SOCIEDADE existencial consumistas, e rejeita toas as opções culturais DE CONSUMIDORES. alternativas. 24/03/10
  24. 24. ZYGMUNT BAUMAN Soc. Produtores x Soc. Consumidores Desvalorização do agora Presente tinha em segundo plano em favor do futuro, A felicidade Clique para no futuro, sempre do subtítulo mestre estava sempre editar o estilo 'ainda não'. Sacrifício das recompensas imediatas em nome de benefícios futuros imprecisos. Preferência do longo prazo sobre o curto prazo. As necessidades do todo tinham prioridades em relação às necessidades de suas partes. Os valores eternos e supra-individuais eram superiores aos efêmeros elevos individuais. A coletividade acima da sorte dos poucos 24/03/10
  25. 25. ZYGMUNT BAUMAN Crianças na sociedade de consumidores O envolvimento daspara editar oas coisas subtítulo mestre Clique crianças com estilo do materiais, a mídia, as imagens e os significados que surgem se referem e se emaranham como o mundo do comércio, são aspectos centrais na construção de pessoas e de posições morais na vida contemporânea. 24/03/10
  26. 26. ZYGMUNT BAUMAN Consumo é direito e dever. O consumo é ao mesmo tempo um direito e um dever humano universal que não conhece Clique para editar o estilo do subtítulo mestre exceção, nem idade, nem gênero. Tampouco reconhece (de modo gritante) distinções de classe. 24/03/10
  27. 27. ZYGMUNT BAUMAN Os excluídos Na sociedade de consumidores, os 'inválidos' marcados pela exclusão são 'consumidores falhos'. Clique para editar o estilo do subtítulo mestre É no mercado que se realiza todos os dias a seleção e separação entre condenados e salvos, incluídos e excluídos (ou para ser mais exatos, consumidores adequados e defeituosos). 24/03/10 .
  28. 28. ZYGMUNT BAUMAN Quanto mais escolha parecem ter os ricos, tanto mais a vida Clique para editar o estilo do subtítulo mestre sem escolha parece insuportável para todos. .
  29. 29. ZYGMUNT BAUMAN Mercadorias Consumir, portanto, significa investir na afiliação social de si próprio, o que, numa sociedade de consumidores, traduz-se em 'vendabilidade': obter Clique para editar o estilo do subtítulo mestre qualidades para as quais já existe uma demanda de mercado, ou reciclar as que já possui, transformando-as em mercadorias para as quais a demanda pode continuar sendo criada. 24/03/10
  30. 30. ZYGMUNT BAUMAN O CONSUMO É UM INVESTIMENTO Clique para editar o estilo do subtítulo mestre EM TUDO QUE SERVE PARA O 'VALOR SOCIAL' E A AUTO-ESTIMA DO INDIVÍDUO. 24/03/10
  31. 31. ZYGMUNT BAUMAN Shopping Centers Dentro desses templos, tanto os objetos de adoração como seus adoradores são mercadorias. Os membros da sociedade de consumidores são obrigados a seguirem os mesmos padrões de comportamento que gostariam de ver nos objetos de seu consumo. Clique para editar o estilo do subtítulo mestre 24/03/10
  32. 32. ZYGMUNT BAUMAN Enxames X Grupos Em uma sociedade líquido-moderna de consumidores, o enxame tende a substituir o grupo – com seus líderes, hierarquia de autoridade e estrutura de poder. Um enxame se reúne, se dispersa e se junta novamente, de uma ocasião para outra, guiado cada vez por relevâncias diferentes, invariavelmente mutáveis, e atraído por alvos mutantes e móveis. Clique para editar o estilo do subtítulo mestre Os enxames não tem um líder formal, lá em cima; é apenas a atual direção do voo que coloca algumas unidades do enxame autopropelente na posição de líderes que são seguidos – durante determinado voo ou parte dele, mas dificilmente por mais tempo. Num enxame não há intercâmbio, cooperação ou complementariedade – apenas a proximidade física e a direção toscamente coordenada do movimento atual. Quando a confiança e a segurança se vão, os movimentos milagrosamente coordenados de um enxame são o melhor substituto para a autoridade dos líderes de grupos – e não menos eficazes. 24/03/10
  33. 33. ZYGMUNT BAUMAN Solidão O consumo é uma atividade solitária, mesmo quando realizada com alguém. Da atividade de consumo não emergem vínculos duradouros. Clique para editar o estilo do subtítulo mestre A 'fast food' está aí para proteger a solidão dos consumidores solitários. 24/03/10
  34. 34. ZYGMUNT BAUMAN Sociedade de Espaço consumidores Cultura consumista Instituições Zumbis Derretimentos dos sólidos Tempo Identidade Consumo Pessoas como mercadorias Valor social Múltiplas Modernidade possibilidades Líquida Auto-estima Clique para editar o estilo do subtítulo mestre Velocidade Leveza Capitalismo insatisfação Leve desejos Movimento Invalidez Poder social Individualidade querer solidão enxames 24/03/10
  35. 35. ZYGMUNT BAUMAN Lipovetsky x Bauman Clique para editar o estilo do subtítulo mestre 24/03/10

×