FGV / IBRE – Seminário "Eleições 2014: Panoramas Político e Eleitoral" - Panorama Eleitoral em 2014

438 views

Published on

FGV/IBRE - Seminário "Eleições 2014: Panoramas Político e Eleitoral" - 25 de julho de 2014 - Apresentação de Alexandre Rands, da Datamétrica Consultoria, Pesquisa e Telemarketing

A proximidade das eleições de outubro deste ano abre uma oportunidade única para debater o panorama político e eleitoral do país. Neste
sentido, o Instituto Brasileiro de Economia, da Fundação Getúlio Vargas (FGV/IBRE), promoveu, no dia 25 de julho, um encontro com especialistas da área de Ciência Política. Confira a apresentação de Alexandre Rands, da Datamétrica Consultoria, Pesquisa e Telemarketing.

Published in: Education
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

FGV / IBRE – Seminário "Eleições 2014: Panoramas Político e Eleitoral" - Panorama Eleitoral em 2014

  1. 1. Eleições 2014 Alexandre Rands Barros | 2014 ELEIÇÕES2014Panoramas Político e Eleitoral Panorama Eleitoral em 2014 e a crítica à representação política?
  2. 2. Panorama Eleitoral em 2014 Alexandre Rands Barros Datamétrica
  3. 3. O que decide uma eleição? Como o eleitor vota?
  4. 4. O problema do eleitor. Eleitores defrontam-se com candidatos que vão tomar um conjunto  de decisões por ele.  é um conjunto com n elementos, i, onde cada elemento é um decisão a ser tomada em nome do eleitor. Apesar de n ser finito, tende a ser um número muito grande. Nenhum eleitor conhece todos os elementos i de . Chamemos PA, PB ... os conjuntos de posições dos candidatos A , B, ..., respectivamente, sobre os temas contidos em . Nenhum eleitor conhece PA, PB ... completos. Entretanto, ele conhece PA´, PB’ ... a posição de alguns candidatos sobre ’A, ’B, .... Sendo mv o número de elementos de ’v, mv<n. O número de mv tende a ser muito pequeno em relação a n. Os subconjuntos para cada candidato contém correspondências com subconjuntos de elementos distintos de .
  5. 5. Conjuntos definindo confiança nas posições também são relevantes para decisão do eleitor. Esse conjunto para o eleitor j e candidato A é CjA em que cada elemento desse conjunto define um nível de confiança (ou probabilidade subjetiva) de que a posição conhecida esteja correta. Há mV elementos em CjA. Essa informação pode ser explícita do candidato. Mas também pode ser defendida por alguma outra pessoa. • Seja político (vereador, prefeito, deputado, etc.). • Ou líder qualquer (família, religioso, amigo, etc.). A sua credibilidade pode estar relacionada com a fonte da informação. A partir de CjA, PA´, ’A, o indivíduo forma um outro conjunto iA de identidade ideológica do candidato. Esse conjunto é usado para estimar uma outra parte de  complementar a ’A.
  6. 6. Visão que o eleitor tem dos candidatos. PEduardo PAécio PDilma P’Eduardo P’Aécio P’Dilma Conjuntos de posições dos candidatos Conjuntos de posições conhecidas dos candidatos  Conjuntos de decisões que serão tomadas em nome do eleitor ’ ’ ’ CEduardo CAécio CDilma Conjuntos de níveis de confiança em cada uma das posições conhecidas
  7. 7. O eleitor maximiza uma função em que considera as suas prioridades. As prioridades imediatas, que estão relacionadas com seu benefício direto. As prioridades para seu futuro individual e para os que gosta. Pessoais direto (aposentadoria) Pessoais por causa da evolução esperada da sociedade. • Crescimento econômico e nível de emprego. • Divórcio, segurança, respeito a seu patrimônio, etc. • Acesso a novas tecnologias. Essas prioridades são ordenadas pela utilidade que trazem para ele.
  8. 8. Como ele define sua preferência? O candidato escolhido é o de maior nota nesse exercício praticado pelo eleitor. Parte das posições são deduzidas por estimativas a partir da noção de ideologia formada. Ordenação e nota subjetiva da relevância da decisão. Avaliação da posição de Dilma Avaliação da posição de Aécio Avaliação da posição de Eduardo Na linha abaixo calcula-se a nota do candidato multiplicando nota de relevância pela nota obtida no item por cada candidato. Nota geral do candidato Essas avaliações são preenchidas multiplicando- se notas subjetivas dadas às posições no conjunto P’ pela probabilidade de estarem corretas (conjunto C)
  9. 9. Desempenho do candidato é composto por vários determinantes. Posições esperadas que ele virá a ter diante de momentos de decisões. Interessa quanto elas coincidem com o que é dominante na sociedade. Credibilidade de que as posições reveladas são efetivas. Imagem ideológica que ele constrói entre os eleitores. Serve para prever decisões desconhecidas. Conformidade de sua imagem ideológica e posições reconhecidas com as prioridades da maioria da população.
  10. 10. Situação eleitoral no Brasil hoje Eleição presidencial
  11. 11. Uma análise das prioridades dos eleitores e a visão que têm dos candidatos. Prioridades de todos os eleitores % Dilma Aécio Eduardo Prioridades de todos os eleitores % Dilma Aécio Eduardo Melhorar os serviços de saúde 49% 5,1 5,4 6,0 Ampliar os programas de habitação/moradia popular 8% 7,0 5,6 6,5 Combater a violência e a criminalidade 31% 4,9 5,1 5,9 Ampliar os programas sociais, como Bolsa Família, etc 7% 7,4 5,4 6,2 Melhorar a qualidade da educação 28% 5,1 5,6 6,2 Aumentar investimentos em estradas e rodovias 4% 4,6 5,1 5,4 Aumentar o combate às drogas 23% 4,4 4,5 4,5 Promover a reforma política 3% 3,0 3,9 4,0 Aumentar o salário mínimo 23% 5,3 5,0 5,2 Promover mais investimentos em transporte urbano 3% 4,8 5,2 6,1 Combater a corrupção 20% 3,6 4,5 4,7 Promover programas de saneamento básico 3% 4,6 5,0 5,0 Promover a geração de empregos 18% 6,0 5,7 6,4 Reduzir a burocracia 3% 3,6 4,2 4,0 Reduzir os impostos 17% 3,6 4,2 4,1 Ampliar as linhas de crédito para pequenos negócios 2% 4,9 4,4 5,2 Controlar a inflação 14% 4,6 5,4 5,6 Promover políticas de proteção ao meio ambiente 2% 4,0 4,5 5,1 Reduzir os gastos públicos 14% 3,5 4,5 4,1 Investir na ampliação da produção de energia 1% 4,6 5,1 5,0 Ampliar os programas de combate à pobreza 9% 6,8 5,3 6,1 Nota geral do candidato 101,3 103,5 111,4 Fonte: Pesquisa Retratos da Sociedade Brasileira: Problemas e Prioridades do Brasil para 2014, CNI/Ibope, 23/11 a 02/12/2013 e Datamétrica, Julho /2014.
  12. 12. Normalizando avaliações por candidato. Prioridades de todos os eleitores Dilma Aécio Eduardo Prioridades de todos os eleitoresDilma Aécio Eduardo Melhorar os serviços de saúde 5,02 5,21 5,39 Ampliar os programas de habitação/moradia popular 6,88 5,44 5,85 Combater a violência e a criminalidade 4,85 4,94 5,28 Ampliar os programas sociais, como Bolsa Família, etc 7,26 5,18 5,59 Melhorar a qualidade da educação 5,07 5,37 5,57 Aumentar investimentos em estradas e rodovias 4,52 4,91 4,87 Aumentar o combate às drogas 4,30 4,32 4,03Promover a reforma política 2,99 3,78 3,57 Aumentar o salário mínimo 5,24 4,86 4,64Reduzir a burocracia 4,74 4,99 5,51 Combater a corrupção 3,56 4,35 4,26 Promover mais investimentos em transporte urbano 4,50 4,80 4,49 Promover a geração de empregos 5,95 5,53 5,77 Promover programas de saneamento básico 3,59 4,05 3,57 Reduzir os impostos 3,54 4,05 3,69 Ampliar as linhas de crédito para pequenos negócios 4,80 4,24 4,64 Reduzir os gastos públicos 4,50 5,18 5,03 Promover políticas de proteção ao meio ambiente 3,97 4,38 4,57 Controlar a inflação 3,43 4,35 3,72 Investir na ampliação da produção de energia 4,58 4,97 4,46 Ampliar os programas de combate à pobreza 6,72 5,10 5,51Nota geral do candidato 100 100 100 Fonte: Pesquisa Retratos da Sociedade Brasileira: Problemas e Prioridades do Brasil para 2014, CNI/Ibope, 23/11 a 02/12/2013 e Datamétrica, Julho /2014.
  13. 13. Criando indicador de aderência através de ponderação. Prioridades de todos os eleitores %Dilma AécioEduardo Prioridades de todos os eleitores %Dilma AécioEduardo Melhorar os serviços de saúde 49% 2,46 2,55 2,64 Ampliar os programas de habitação/moradia popular 8%0,55 0,44 0,47 Combater a violência e a criminalidade 31% 1,50 1,53 1,64 Ampliar os programas sociais, como Bolsa Família, etc 7%0,51 0,36 0,39 Melhorar a qualidade da educação 28% 1,42 1,50 1,56 Aumentar investimentos em estradas e rodovias 4%0,18 0,20 0,19 Aumentar o combate às drogas 23% 0,99 0,99 0,93 Promover a reforma política 3%0,09 0,11 0,11 Aumentar o salário mínimo 23% 1,20 1,12 1,07 Reduzir a burocracia 3%0,14 0,15 0,17 Combater a corrupção 20% 0,71 0,87 0,85 Promover mais investimentos em transporte urbano 3%0,13 0,14 0,13 Promover a geração de empregos 18% 1,07 1,00 1,04 Promover programas de saneamento básico 3%0,11 0,12 0,11 Reduzir os impostos 17% 0,60 0,69 0,63 Ampliar as linhas de crédito para pequenos negócios 2%0,10 0,08 0,09 Reduzir os gastos públicos 14% 0,63 0,73 0,70 Promover políticas de proteção ao meio ambiente 2%0,08 0,09 0,09 Controlar a inflação 14% 0,48 0,61 0,52 Investir na ampliação da produção de energia 1%0,05 0,05 0,04 Ampliar os programas de combate à pobreza 9% 0,60 0,46 0,50 Nota geral do candidato 13,61 13,79 13,87 Fonte: Pesquisa Retratos da Sociedade Brasileira: Problemas e Prioridades do Brasil para 2014, CNI/Ibope, 23/11 a 02/12/2013 e Datamétrica, Julho /2014..
  14. 14. Esses cálculos mostram a ordem de aderência dos candidatos aos anseios dos eleitores. O eleitor quer: Manutenção dos avanços sociais. Melhores perspectivas de desempenho econômico para assegurar mais oportunidades de crescimento pessoal. Maior eficiência do Governo. • Melhores resultados nos serviços básicos de Governo. • Menores custos (impostos) desses resultados. Eduardo possui maior conformidade com essas demandas. Maior preocupação social do que Aécio, porém, menor do que Dilma. Menor eficiência do Governo do que Aécio e maior do que Dilma.
  15. 15. Por que a decisão de voto não está repercutindo essa aderência? Conhecimento dos candidatos. Dilma 99%; Aécio 81% e Eduardo 59% (Datafolha). Conhece muito bem: Dilma 53%; Aécio 17%, Eduardo 7%. Confiança na imagem criada entre os eleitores que conhecem os candidatos. Pouca exposição. Pouco relacionamento no establishment político. Eduardo Aécio Dilma Proporção dos votos entre os eleitores que o conhecem bem 46,8% 11,3% 13,2% Proporção dos votos entre os eleitores que o conhecem um pouco 21,1% 12,2% 10,9% Calculado com base em dados de pesquisa do Datafolha, 15 e 16/07/2014 com 5377 questionários.
  16. 16. Quem ganha as eleições? Dilma tem menor chance entre os três. Vai ao segundo turno na frente. Perde no segundo turno para qualquer um dos dois outros. • Mais provavelmente para Eduardo. • Pode vencer Aécio se Eduardo sair forte no primeiro turno e apoiá-la. Eduardo enfrenta potencial de acesso a informação sobre ele e ainda baixa credibilidade. Ainda assim é melhor aposta. Se superar problema ganha no segundo turno. Aécio ganha no segundo turno principalmente se Eduardo o apoiar.
  17. 17. Fim

×