Receitas Bela

1,915 views

Published on

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Receitas Bela

  1. 1. ANO1-Nº2-Junho/07 REVISTA by Amigos imaginários GRÁVIDA E BELA Eles são invisíveis, mas são bem reais na imaginação do seu filho Aproveite esse momento único e mantenha-se bela Lanchinho saudável Dicas para seu filho ter boa saúde, mesmo durante o lanchinho
  2. 2. bcscomunicação conheça nossa linha completa no site www.dican.com.br As melhores lembranças são aquelas com gostinho de infância. E que tal proporcionar ao seu filho momentos inesquecíveis como esses? Com os brinquedos Dican a fase mais gostosa da vida do seu filho ficará guardada para sempre na memória. E o mais importante, Além de alegria e diversão os brinquedos Dican ajudam no desenvolvimento da criança. Garanta a seu filho uma infância inesquecível. Dê a ele brinquedos Dican. à venda nas melhores lojas de brinquedos do brasil. Guitarras sonoras que ajudam a criança A desenvolver habilidades auditivas. Emitem vários tipos de sons. agora o astro é seu filho!
  3. 3. EDITORIAL EXPEDIENTE Parece que foi ontem que a primeira edição da revista Primeiros Passos estava saindo do forno! Nos últimos três meses tivemos o prazer de saborear os elogios à publicação, que vieram de todos os cantos do Brasil. Como é gostoso perceber que nosso objetivo, que é ajudar mamães e papais a cuidar bem de seus bebês, educando-os com carinho, amor e muita brincadeira, está sendo alcançado. Recebemos muitas cartas e e-mails com dúvidas, dicas e sugestões. Esperamos que daqui pra frente possamos criar uma corrente a favor da educação desses pequenos seres, que são a alegria e a esperança de um futuro bom. Na segunda edição da Primeiros Passos você encontrará uma série de informações que certamente contribuirão para o desenvolvimento ideal do seu baixinho ou baixinha. Como assunto principal trazemos uma matéria sobre beleza e gravidez, com dicas essenciais para que as mamães passem pelos nove meses de gestação com tranqüilidade e muitos elogios! Seguimos com a segunda parte da série de fascículos “Brincar para Crescer”, que indica brincadeiras para bebês de 6 a 12 meses. Além disso, você também encontrará uma matéria muito interessante sobre amigo imaginário e sobre o nascimento do primeiro dentinho! E ainda tem muito mais! Mamães, aproveitem as duas promoções que trazemos nessa edição e concorram a kits de prêmios especiais para vocês e seus bebês! E não se esqueçam: mandem suas dúvidas, dicas e sugestões. Afinal, são vocês que decidem os assuntos que estarão aqui! Acompanhe também no site da Dican (www.dican.com.br) os nossos lançamentos, as dicas para cuidados com o bebê etc. E se você perdeu a primeira edição, baixe no site e veja o que trouxemos até agora! Nos encontramos em setembro! Até lá! Índice Notinhas.................................................................4 Lanchinho saudável................................................6 Encarte: Brincar para Crescer................................9 No mundo da imaginação.....................................11 Capa: Grávida e Bela...........................................14 Promoção Grávida e Bela....................................18 Chegada dos Dentinhos.......................................19 Alta temperatura...................................................23 Serviços................................................................26 Revista Publicada pela Dican Brinquedos Ano 1 - nº 2 - junho de 2007 Conselho Editorial Gerência de Marketing Dican Brinquedos e BCS Comunicação Idealização BCS Comunicação Coordenação do projeto gráfico e editorial BCS Comunicação www.bcscomunicacao.com.br Jornalista responsável Vanessa Cicatti - MTb 39843/SP redacao@bcscomunicacao.com.br Direção de Arte Djan Marsiglia Revisão Roberto Carlessi Impressão Laborprint Indústria Gráfica Ltda. Fotos BCS Comunicação e Dican Brinquedos Permitida a reprodução, desde que citada a fonte. Escritório Central Rua Henrique Ongari, 322 Cep 05037-150 - São Paulo - SP Tel.: 11 3611-8080 www.dican.com.br REVISTA by
  4. 4. NOTINHAS Enjôo é proteção à mulher grávida Um estudo realizado pela Universidade de Liverpool, Inglaterra, e publicado pela revista médica Royal Society’s Biological Journal, afirma que os enjôos comuns nos três primeiros meses de gravidez podem ser um mecanismo da natureza para evitar que mulheres grávidas comam alimentos pouco saudáveis. Os enjôos ocorrem durante os três primeiros meses em 80% das gestações. Até pouco tempo atrás, pensava-se que eles eram conseqüência das dramáticas mudanças hormonais durante o início da gravidez. No entanto, os cientistas encontraram evidências de que a náusea e os vômitos durante a gravidez estão associados ao alto consumo de açúcar, álcool, óleos e carne. Os pesquisadores acreditam que é possível que o corpo das grávidas tenha desenvolvido uma aversão aos alimentos com altos níveis de toxinas, e que esta evolução estaria presente até hoje. A pesquisa indica que os enjôos podem ter conseqüências positivas, como a redução do risco de abortos naturais. Pode ser que a náusea que as mulheres sentem em relação a algumas comidas seja útil, e que apesar de ser inconveniente, esta náusea pode ser o modo de a natureza evitar problemas na gravidez, tanto para a mãe como para o feto. Fonte: BBC Brasil. Chocolate na gravidez pode gerar bebês mais felizes Um estudo realizado por cientistas da Universidade de Helsinque, na Finlândia, publicado na revista New Scientist, afirma que consumir chocolate durante a gravidez pode resultar em bebês mais felizes. A pesquisa realizada com 300 mulheres antes e depois do parto de cada uma descobriu que as mulheres que comeram chocolate regularmente durante a gravidez falavam que seus filhos sorriam mais, eram mais alegres e ativos. Apesar de não descartarem outros fatores, os cientistas acreditam que elementos químicos que alteram o humor presentes no chocolate podem ser os responsáveis, uma vez que os elementos químicos do chocolate podem ser passados das mães para os bebês ainda no ventre. Embora o chocolate possa gerar bebês mais felizes, os pesquisadores lembram que as mulheres devem aumentar de peso de acordo com as recomendações normais durante a gravidez; como o chocolate tem muitas calorias, comer demais pode levar a um aumento de peso indesejável. Portanto, deve-se ter o cuidado de consumi-lo moderadamente. Fonte: BBC Brasil.
  5. 5. Após analisar várias pesquisas sobre o assunto, um estudo do hospital canadense Mount Sinai chegou à conclusão de que amamentar os bebês pode ser o analgésico mais eficiente para recém-nascidos. O estudo se baseou em dados relativos a mil bebês e concluiu que amamentar os recém-nascidos no peito ajuda, por exemplo, a aliviar a dor da agulhada dada no teste do pezinho usado para examinar o sangue dos bebês logo após o nascimento. A equipe do Hospital Mount Sinai avaliou a dor medindo mudanças nos batimentos cardíacos, no ritmo da respiração e também na duração do choro de um bebê depois da agulhada do teste do pezinho. Os pesquisadores perceberam que os bebês amamentados no peito também pareciam sentir menos dor do que os que eram embalados, receberam uma chupeta ou um placebo. Para os cientistas, o conforto proveniente da presença da mãe pode ser a chave do efeito. A outra opção é que a amamentação distrairia os bebês na hora da dor. A pesquisa ainda afirma que a amamentação pode ajudar a diminuir a dor de bebês prematuros que passam por várias intervenções quando em cuidado intensivo. Entretanto, ressaltam que o estudo não testou o impacto da amamentação sobre a dor associada à repetição de procedimentos. Fonte: BBC Brasil. Nutrição pesa mais que genética em crescimento Amamentar pode diminuir dor em bebês Um estudo divulgado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) revelou que uma vida saudável nos cinco primeiros anos é mais relevante para o crescimento do que características étnicas ou genéticas. Para chegar a essa conclusão, a entidade acompanhou mais de 8 mil crianças no Brasil, Gana, Índia, Noruega, Omã e Estados Unidos, durante os cinco primeiros anos de suas vidas. Para participar do estudo, a OMS selecionou crianças que vivessem num ambiente adequado para o crescimento, tendo aleitamento materno garantido, boas condições de nutrição e saúde e mães não-fumantes. Segundo a entidade, os problemas mais comuns que afetam o crescimento – como subnutrição e obesidade – podem ser detectados e corrigidos ainda nos primeiros anos de vida. O resultado prático do estudo foi a elaboração de uma série de padrões alimentares e de saúde, que darão a médicos, pais e encarregados de estabelecer políticas públicas de saúde referências exatas para notar quando as condições ideais de crescimento não estão sendo atingidas. Estes novos padrões garantem que toda criança possa se desenvolver bem durante este período fundamental, além de ser uma ferramenta importante para reduzir as taxas de mortalidade infantil no mundo. Fonte: BBC Brasil.
  6. 6. O mundo inteiro tem sofrido com o aumento considerável de crianças gordinhas. Embora à primeira vista seja bonitinho ter um bebê fofinho, é importante que os pais saibam que a obesidade pode causar várias doenças, que muitas vezes só irão se manifestar na idade adulta, como o diabetes e as doenças cardíacas. E por que não cortar esse mal pela raiz?! Mas mamãe, não sofra logo de cara com a possibilidade de poupar seu anjinho das gostosuras da infância, como bolos e lanches. É possível garantir uma alimentação saudável e saborosa e ainda garantir que seu filho cresça forte e com uma saúde de ferro! Vamos ver como? Lanchinho saudável é possível sim! Embora o mercado esteja recheado de guloseimas irresistíveis, é possível garantir que o lanchinho do seu filho seja saudável. É muito importante que na lancheira, ou mesmo no lanche em casa, a criança esteja se alimentando bem. Afinal de contas, estamos falando da saúde dos seus príncipes e princesinhas! A nutricionista Katia Gavranich Camargo explica a importância do lanche saudável, afirmando que “a saúde começa pela alimentação equilibrada e adequada, ou seja, que atenda às necessidades físicas e metabólicas da criança em desenvolvimento. Fazendo o uso de alimentos saudáveis, como frutas, legumes, verduras, pães integrais e sucos naturais ao invés de refrigerantes e outras guloseimas, pode-se garantir o fornecimento adequado de vitaminas, sais minerais e nutrientes importantes para a promoção da saúde, não só da crianças, mas de toda a família”. Um lanche saudável, além de contribuir para a manutenção da saúde do seu anjinho, ainda ajuda a evitar doenças. Afinal, é composto de alimentos que geralmente possuem baixas calorias e são ricos em fibras, como, por exemplo, as frutas. Kátia Camargo faz uma comparação muito interessante para mostrar essa diferença: “100g de biscoito recheado de chocolate possuem 472 calorias, enquanto a mesma quantidade de abacate fornece 96 calorias. Logo, estamos reduzindo a ingestão de energia e substituindo por alimentos que contêm mais nutrientes importantes, como vitaminas, sais minerais, entre outros”. Criatividade e variedade: o segredo de um lanchinho saudável Muitos pais não sabem, mas o lanche das crianças deve conter entre 10% e 15% das calorias ingeridas diariamente. “O lanche deve ser em torno disso, mas não precisa ser uma medida estanque ou uma meta a ser atingida. É preciso conhecer a alimentação da criança como um todo LANCHE SAUDÁVEL NA LUTA CONTRA A OBESIDADE ALIMENTAÇÃO “a saúde começa pela alimentação equilibrada e adequada”
  7. 7. para chegarmos a um consenso. A alimentação ideal deve ser composta por seis refeições diárias: desjejum, lanche da manhã, almoço, lanche da tarde, jantar e ceia. As maiores concentrações de energia devem ser no desjejum, almoço e no jantar. Mas uma parcela importante cabe aos lanches, que devem ser leves e saudáveis”, explica a nutricionista. Para evitar que o lanchinho tenha mais calorias que o recomendado, é essencial pensar na variedade e na qualidade de alimentos. É interessante que os pais usem a Pirâmide de Alimentos como base, ou seja, cada refeição deve conter pelo menos um alimento de cada grupo. Dessa forma, variam- se os nutrientes (carboidratos, proteínas, lipídios, vitaminas, sais minerais e fibras) e o lanchinho se torna mais gostoso! O difícil é fazê-los comer legumes e verduras, não? Kátia Camargo explica que “esse é um mito muito comum. Conheço muitas crianças que adoram saladas, verduras, legumes e, principalmente, frutas. O exemplo deve vir sempre dos pais. Existe realmente uma fase em que a criança se nega a comer ou experimentar os alimentos, por volta dos 3 a 4 anos. Nesta fase, os pais devem estar atentos para estimular o apetite por todos os tipos de alimentos, sem chantagens ou ansiedade, e, principalmente, não ceder às birras tão comuns nesta faixa etária” Por isso, a criatividade dos pais na hora de fazer o lanche é essencial para combater a má alimentação e a obesidade infantil. Para a nutricionista, “ser criativo é usar todas as possibilidades que o alimento dá: frutas na forma in natura, sucos, vitaminas. O pão pode e deve ser oferecido de formas variadas: pão francês, pão de fôrma integral, entre outros. As verduras e hortaliças podem vir na forma de tortas salgadas, bolos doces etc. A criatividade não tem limites, desde que usada com bom senso”. Hábitos saudáveis desde cedo! Adquirir hábitos saudáveis desde cedo é importante para que seu bebê se desenvolva com saúde e não tenha seu crescimento comprometido pela obesidade infantil. Dessa forma, um lanche saudável deve fazer parte de um modo de vida saudável, que inclui alimentação saudável e a prática de atividade física, que pode ser uma brincadeira de esconde- esconde até natação, balé etc., desde que seja uma atividade prazerosa para a criança e compartilhada com a família. “O sedentarismo, infelizmente, já chegou às mais tenras faixas etárias. Temos crianças com 4 ou 5 anos que não saem da frente da televisão ou do videogame. A inatividade física também contribui, e muito, para o aumento dos índices de obesidade infantil”, explica Kátia Camargo. Por isso, mamães e papais, estimulem seus filhos! Vocês são o exemplo. Comecem pelo lanchinho saudável…quem sabe do seu ninho não sai um campeão olímpico? Katia Gavranich Camargo é nutricionista formada pela Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo. É especialista em Nutrição Hospitalar pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Realiza atendimento gratuito individualizado na Clínica de Saúde Integrada UNINOVE. “a criatividade dos pais na hora de fazer o lanche é essencial para combater a má alimentação e a obesidade infantil” Pirâmide nutricional
  8. 8. A Universidade Nove de Julho desenvolveu a cartilha “Lanche Gostoso” com 23 receitas de doces e salgados que podem ser incorporados ao lanchinho da garotada. Veja a seguir duas opções que você pode adotar para garantir ao seu filho as gostosuras da infância com muita saúde! Bolo do Dragão Ingredientes 3 xícaras (chá) de folhas de espinafre lavadas e higienizadas 3 ovos 1 xícara (chá) de óleo de canola 1 e 1/2 xícara (chá) de açúcar 1/2 xícara (chá) de amido de milho 1 e 1/2 xícara (chá) de farinha de trigo 1 colher (sopa) de fermento em pó Ingredientes para cobertura 6 colheres (sopa) de leite 4 colheres (sopa) de achocolatado em pó 6 colheres (sopa) de açúcar Modo de preparo do bolo Bata no liqüidificador as folhas de espinafre, os ovos e o óleo de canola. Em seguida, despeje em um recipiente e vá acrescentando o restante dos ingredientes, mexa à mão até ficarem bem misturados. Coloque em fôrma untada para assar, por volta de 20 a 30 minutos. Modo de preparo da cobertura Misture todos os ingredientes e leve ao fogo. Assim que o bolo assar, despeje a cobertura em cima do bolo ainda quente. Valor calórico por porção: 167 kcal Rendimento: 16 pedaços Rolinho de Frango Ingredientes 8 fatias de pão de fôrma integral 4 colheres (sopa) de requeijão light 2 colheres de catchup light 1 peito de frango cozido e desfiado 250 g de ricota 1 dente de alho 1/4 de uma cebola pequena 2 colheres (sopa) de óleo 1 colher (sopa) de salsinha picada Temperos a gosto Modo de preparo Cozinhe o frango, desfie e refogue com o alho, a cebola e o óleo. Após o cozimento, desligue o fogo e acrescente a salsinha. Abra o pão de fôrma integral com o auxílio de um rolo. Amasse a ricota com um garfo e reserve. Misture o requeijão com o catchup, espalhe sobre as fatias de pão, coloque o peito de frango adicionado à ricota e aos temperos, enrole e mantenha-o enrolado com a ajuda de palitos. Coloque numa assadeira untada e asse por 15 minutos até ficarem quebradiços. Retire os palitos e corte cada rolinho em 3 pedaços. Valor calórico por porção: 223 kcal Rendimento: 8 porções As fotos e as receitas são parte da cartilha “Lanche Gostoso”, desenvolvida pela Uninove. Para conhecer as outras receitas, acesse: http://www.portal.uninove.br/marketing/downloads/ cartilha_lanche_gostoso07.pdf Sugestões de Lanchinhos saudáveis
  9. 9. Brincar para crescer! Parte 2 Cada idade tem suas descobertas. É por isso que os bebês necessitam dos estímulos ideais para se desenvolverem adequadamente. Entre os 6 e os 12 meses, período de crescimento rápido, seu bebê conseguirá se sentar, engatinhar e andar. Essa é a fase de desenvolvimento da motricidade. Para aumentar a confiança do bebê nessas novas capacidades, incentive-o a se deslocar até você e aos brinquedos. Como o bebê usa cada vez mais as mãos e tem mais domínio para pegar os objetos, é nessa fase que começa a empilhar seus brinquedos. Dessa forma, cubos, quebra-cabeças e jogos de atividades são perfeitamente indicados para despertar seu interesse pelas descobertas. Fascículos para você colecionar! De 6 a 12 meses Curiosidade a mil! Nessa fase os bebês adoram surpresas. Por isso, estimule sua curiosidade com brinquedos multifuncionais que têm peças para encaixar, girar e que toquem música. Para estimular a curiosidade do seu bebê, o Bloquitos da Playskool by Dican é ideal, pois conta com blocos coloridos que se encaixam e podem ser empilhados. Sentindo o mundo Com dois ou três meses a criança já enxerga cores. Ajude seu filho a desenvolver os outros sentidos para conhecer melhor o mundo que o cerca. Para isso, coloque em suas mãozinhas uma bolinha macia e de cores vibrantes para que ao mesmo tempo desenvolva ainda mais a visão e o tato. Para essa atividade você conta com as Playhands, que são bolinhas que, além de contar com cores vibrantes e várias texturas, ainda emitem sons. Certamente fornecerão ao seu filho um mundo de descobertas. PLAYHANDS BLOQUITOS
  10. 10. 10 Pra lá e pra cá A partir dos 4 meses o bebê usa cada vez mais as mãos e tem mais domínio para pegar os objetos. Ajude seu filho nessa tarefa, ajudando-o a passar um brinquedo de uma mão para a outra. Lembre-se de dar a ele brinquedos que caibam em sua mãozinha e não sejam pesados. Para essa brincadeira você pode usar o Chocalho João-Bobo Animal, que além de fofinho toca música quando é balançado, encantando ainda mais o seu bebê. CHOCALHO JOÃO BOBO ANIMAL Banhinho Feliz A hora do banho é motivo de alegria para os bebês. Para animar ainda mais essa hora de total interação da criança com a água, leve brinquedos para que o bebê se divirta. Uma ótima idéia são os Polvos Amigos, uma ilha com a mãe-polvo, que serve como duchinha, e 8 filhotes, que se transformam em esguichadores. O banho será uma festa com essa turminha! POLVOS AMIGOS Gugu dadá A idade certa para estimular a fala do bebê é a partir dos 9 meses. Dê a seu filho brinquedos que imitem telefone e peça para ele conversar com você enquanto segura um telefone de verdade. Um brinquedo ideal para essa atividade é o Baby Fone, que toca sons de telefone e música. BABY FONE Primeiros Passos Por volta de 1 ano a criança começa a dar os primeiros passos. Então, dê a seu filho brinquedos que têm a função de andador. Além de se divertir, ele será estimulado a andar e, em breve, estará correndo pela casa! Use o Andador com Atividades 3 x 1, que, além de andador, se transforma num triciclo e numa mesa de atividades... Com todas essas brincadeiras, seu filho vai andar brincando! ANDADOR COM ATIVIDADES 3 X 1 revista by Os produtos Dican são encontrados nas principais lojas de brinquedos em todo o Brasil. Para saber o endereço mais próximo de você, ligue para (11) 3611-8080. Conheça a linha completa de brinquedos no site www.dican.com.br
  11. 11. 11Amigo imaginário? Como assim? Por volta dos 2 ou 3 anos algumas crianças começam a falar com personagens que existem apenas em sua imaginação ou com bichinhos de pelúcia, bonecos e até mesmo com super-heróis de seus programas favoritos. No mundo da imaginação esse amiguinho faz companhia e compartilha com a criança os momentos de tristeza e alegria, fazendo-se presente em inúmeras situações de seu cotidiano. Algumas crianças contam aos pais sobre a existência desses amigos imaginários e pedem que os adultos tratem o “amigo invisível” como alguém da família. Com certeza muitos pais estão se perguntando: Por que crianças criam amigos imaginários? A psicóloga Juliana Morillo explica que, “à medida que a criança vai se desenvolvendo, adquire mais condições físicas e emocionais para lidar com o mundo dos adultos. Como tudo isso acontece de uma forma gradativa, a fase da imaginação funciona como um treinamento para sua convivência no mundo real.  Aos 2 ou 3 anos de idade, a criança já é capaz de andar e falar, o que promove sua socialização. No entanto, não é fácil fazer amiguinhos, lidar com pessoas “estranhas”, sentir medos e frustrações. Por isso, muitas vezes, é por meio da imaginação que a criança encontra segurança em seu crescimento. É neste ponto que acontece a criação dos amigos imaginários. Nada melhor do que ter “alguém” ao lado no momento ESPECIAL 11 N ão se espante se de repente seu baixinho começar a falar com personagens que só existem na imaginação dele. Fique tranqüila, mamãe! Seu filho não está sofrendo de nenhum distúrbio psicológico. Ele simplesmente tem um amigo imaginário! NO MUNDO DA IMAGINAÇÃO “É por meio da imaginação que a criança encontra segurança em seu crescimento.”
  12. 12. 1212 em que a criança precisa, “alguém” que seja companheiro dela, com quem possa falar sobre seus temores, brincar e explicar sobre seus aprendizados da vida. Dessa forma, os “amiguinhos” têm uma grande importância no desenvolvimento infantil, permitindo que a criança experimente situações novas na vida sem que precise ficar “grudada” aos pais o tempo todo”. Geralmente, o amigo imaginário surge por volta dos 2 anos de idade e, normalmente, perdura até os 6 / 7 anos. “Esta fase é cheia de encantos e fantasias, na qual predomina o pensamento mágico. Portanto, é normal crianças nessa faixa etária possuírem amiguinhos imaginários. Eles podem ser de dois tipos: os amigos invisíveis, ou seja, aqueles que ninguém pode ver, ou objetos personificados, como, por exemplo, bichos de pelúcia, bonecos ou paninhos”, explica a psicóloga. É importante ressaltar que nem todas as crianças criam amigos imaginários, pois isso depende muito da personalidade e das vivências de cada uma delas.   Como lidar com o amigo imaginário! Na maioria das vezes os amigos imaginários surgem quando ocorrem mudanças no dia-a-dia do baixinho, exigindo o desprendimento de alguns hábitos e o desenvolvimento de novas habilidades rumo ao seu crescimento e autonomia, como, por exemplo, largar a mamadeira, a fralda ou a chupeta, bem como adquirir controle de sua higiene ou mesmo ir à escolinha. Além disso, a chegada de um irmãozinho, a perda de um dos avós e a mudança da creche para a escolinha podem ser vivenciados com sentimentos de ansiedade e desamparo pela criança. “Apesar de ser natural a criação de um amigo imaginário, é mais comum que esses “amiguinhos” apareçam entre as crianças que possuem pouca convivência social ou que estejam passando por situações estressantes em sua vida. A perda de um parente querido, separação dos pais, mudanças de residência ou de escola, sentimentos de rejeição, nascimento de um irmãozinho, timidez excessiva etc., são alguns exemplos de situações de estresse pelas quais as crianças podem passar e que possibilitam a criação dos amigos imaginários”, ressalta a psicóloga. Disponíveis a qualquer hora do dia, os amigos imaginários servem como exercício para as crianças compartilharem seus segredos e suas vivências no dia-a-dia. E para a criança esse amiguinho invisível tem algumas vantagens: não divide com ela os brinquedos e ainda pode ser apontado como “responsável” pelas suas travessuras! “Os amigos imaginários “auxiliam” as crianças a lidar com sentimentos e estimulam sua criatividade.”
  13. 13. 1313 Se para as crianças o amigo imaginário é algo que faz parte de seu cotidiano, como os pais devem agir quando seu filho possui um amigo imaginário? Juliana Morillo explica que, “primeiramente, os pais devem entender como normal a idéia de que seu filho tem um amigo imaginário, isso se ele estiver na faixa dos 2 aos 7 anos. Assim sendo, deve-se tratar desse acontecimento com muita naturalidade. O importante é não se esquecer de que se trata de um amigo imaginário, que deve ser tratado como tal, e nunca como uma pessoa real. É importante permitir, no entanto, que a criança fantasie e crie, e que os pais participem de toda essa “brincadeira”, que dá muitas pistas de quais são os temores e as vontades da criança”. Até que ponto ter um amigo imaginário é saudável? Pais, é importante que saibam que o amigo imaginário é algo muito saudável, pois ajuda a criança a lidar com as situações difíceis e com seus temores diante do mundo. Com esse amiguinho invisível ao seu lado, a criança pode se sentir segura, confiante e até especial, como talvez não se sinta em seu ambiente familiar ou social. Os amigos imaginários “auxiliam” as crianças a lidar com sentimentos de raiva, tristeza, solidão e, ainda, “estimulam” sua criatividade, “proporcionando” uma espécie de treinamento ao seu convívio social. É por isso que ele tem um tempo determinado para conviver com seu filho. Como explica a psicóloga, “é esperado que essa fase perdure no máximo até os sete anos de idade, mas os pais não devem “forçar” o desaparecimento desse amiguinho. É bom permitir que a criança escolha o momento da despedida dele, que acontecerá quando ela se sentir mais fortalecida para lidar com o mundo”. Entretanto, quando ocorre de o baixinho passar dos 7 anos e ainda contar com um amiguinho imaginário, pode ser um sinal de que está trocando a realidade pelo mundo da fantasia. Nesse caso, é importante que os pais observem como está o desenvolvimento social da criança: se tem amigos reais e se consegue se relacionar bem com eles.  Se isso não estiver acontecendo, pode ser sinal de que algo não está bem no seu desenvolvimento. “É importante que os pais sempre estimulem e ajudem seus filhos em seu desenvolvimento social. Além de estimulá-los a brincar com outras crianças e a freqüentar ambientes sociais como festas, os pais de crianças que têm dificuldades de socialização precisam estar mais próximos delas nesses ambientes sociais, como, por exemplo, participar de brincadeiras nas quais haja a interação dos pais, dos filhos e de outras crianças. É preciso também ter o cuidado para não valorizar a “existência” do amigo imaginário e, sim, trazer a criança cada vez mais perto de pessoas reais. Caso a dificuldade de socialização perdure, deve-se buscar a ajuda de um psicólogo”, explica Juliana Morillo. Juliana Morillo é psicóloga formada pela Universidade Mackenzie e pós-graduada em Terapia de Casais e Família pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Agradecemos ao canal Cartoon Network pela concessão das imagens do desenho “Mansão Foster para amigos imaginários”. Não “converse” com o amigo imaginário do seu filho! A psicóloga alerta os pais para que não tratem o amigo imaginário como se ele fosse uma pessoa real. Afinal, “o mundo mágico da criança é tão intenso que algumas delas podem ter dificuldade em distingüir aquilo que é real do que é imaginário. Cabe aos adultos a função de orientá- la nesta distinção. Respeitar o amigo imaginário e participar dessa grande brincadeira com o filho é de extrema importância para o desenvolvimento dele, mas os pais devem ter o cuidado em não tratar o amiguinho como real, para não promover certa confusão na cabecinha da criança”.
  14. 14. 14 O sonho de 99% das mulheres é ser mãe. Quando chega esse momento, marcado por fortes emoções, afinal dentro de você há uma vida, também surgem os fantasmas que assombram a vaidade: celulite, estrias, excesso de peso etc. Mas será que dá para ficar grávida e se manter bela, curtindo esse momento sem preocupações, a não ser a espera para ver a carinha do seu bebê? Claro que sim! Veja a seguir as dicas que uma especialista no assunto deu à revista Primeiros Passos e que chega agora a você em primeira mão, pois, além de se preocupar com o desenvolvimento do seu bebê, queremos ver mamães belas e felizes. Nove meses de pura beleza A primeira preocupação de uma mulher quando descobre que está grávida é imaginar que irá perder sua beleza. E a pergunta que não sai da cabeça das futuras mamães é: dá para passar pela gravidez e se manter bela? A Dra. Carla Góes Sallet, autora do livro “Grávida e bela”, responde que sim. “Eu acho a mulher grávida deslumbrante. Quando ela souber usar essa nova beleza, irá se sentir ainda mais poderosa. É uma nova fase, principalmente, com a chegada do primeiro filho e, além disso, muitas dúvidas chegam nesse momento. Mas, com cuidados diários, CAPA 14 GRÁVIDA E BELA
  15. 15. 15 alimentação saudável e atividades físicas, as gestantes podem usufruir desse momento com muita tranqüilidade e beleza”. As estrias e a celulite são uns dos principais fantasmas das gestantes. De acordo com a médica, as estrias assustam muito a gestante, especialmente na região do abdome. Por isso, “é muito importante o uso de óleos em gel em todo o corpo durante o banho, mas sem esquecer de usar um hidratante de rápida absorção após o banho, repetindo duas vezes ao dia”. Nessa fase, o abdome e as mamas pedem o uso de um produto mais concentrado, como um bálsamo, que proporcionará a hidratação e a nutrição mais adequadas para essas regiões, evitando assim as temidas estrias. Manchas e gordurinhas extras. Como lidar com isso? Outra preocupação que ronda a cabeça das futuras mamães são as manchas gravídicas e os quilinhos extras que podem vir com a gravidez. Carla Sallet explica que “as gestantes estão sujeitas ao aumento da produção de melanina, que podem causar manchas marrons no rosto, conhecidas como melasmas ou cloasmas”. As manchas gravídicas atingem de 50% a 70% das gestantes e costumam aparecer no segundo trimestre da gravidez. “Em algumas mulheres um pouco mais privilegiadas o cloasma pode desaparecer depois do parto, período em que os hormônios femininos começam a retornar à normalidade. Mas se esse não é o seu caso, existem tratamentos capazes de suavizar ou eliminar as manchas”, afirma a médica. É importante ressaltar que alguns desses tratamentos podem ser realizados logo após o parto, porém, a maioria só pode ser realizada ao término da fase de amamentação, com acompanhamento de um médico especializado, pois as substâncias serão indicadas de acordo com a tonalidade e tipo de pele. Entretanto, a médica alerta: “mamães, jamais usem o creme “clareador” da amiga, pois o estrago pode ser maior. E lembrem-se: durante e após o tratamento, o protetor solar deverá ser rigorosamente aplicado no rosto, senão as manchas poderão retornar”. Para as gestantes que sofrem com o aumento da acne, Carla Sallet afirma que “é importante o uso de um sabonete líquido específico, que equilibre o pH da pele, além de manter o uso contínuo do filtro solar para que não fiquem com a marcas da acne”. A médica afirma que, em razão disso, a limpeza de pele é importante e deve ser feita a cada 40 dias. “Durante a gravidez alguns tipos de tratamento são recomendados, como a microdermoabrasão, que pode ser feita durante a gravidez e mesmo na amamentação, e a esfoliação com algas pardas, que deve ser feita durante a gravidez e pode continuar durante a amamentação”, informa Carla Sallet. Engordar demais, além de ser um problema para a saúde da gestante, é uma questão estética que preocupa muito as gestantes. É por isso que o cuidado com a alimentação e com o ganho de peso são essenciais para “Com cuidados diários, alimentação saudável e atividades físicas, as gestantes podem usufruir desse momento com muita tranqüilidade.” 15
  16. 16. 16 evitar os problemas de saúde – que também podem afetar o bebê – e o ganho daquelas gordurinhas extras que fazem as futuras mamães perderem o sono. A médica explica que a gestação e a lactação são dois períodos da vida que necessitam de uma orientação nutricional especial. Os alimentos devem ser fornecidos em qualidade e quantidade necessárias para garantir um desenvolvimento adequado e uma boa manutenção da saúde e bem-estar em ambas as fases. Carla Sallet dá uma dica superimportante para as gestantes que desejam manter a forma e a saúde: “Para manter o ganho do peso ideal durante a gestação, devem ser ingeridos alimentos que garantam energia suficiente para a produção de um novo tecido e para o gasto metabólico diário, que na gestação está aumentando. O gasto energético aumenta, aproximadamente, 300 calorias diárias, mas o número de calorias ingeridas durante o dia varia de acordo com a idade, peso, estatura, atividades físicas etc. A prática de atividades físicas é muito importante, pois, além de relaxar e manter a mulher saudável, ajuda a evitar o ganho excessivo de peso”. Gravidez não é doença: movimente-se! Muitas pessoas tratam a gravidez como doença e evitam que as mulheres se exercitem durante esse período. Mas como quase todas sabemos, gravidez não é doença, e praticar atividade física contribui para uma boa gestação e para a manutenção da boa forma. Como ressalta a médica, “a gravidez não é uma doença e, sim, um sinal de saúde. Então, é importante a mamãe aproveitar esse momento por meio de cuidados especiais com ela mesma e com seu bebê. Movimentar-se e ser uma grávida saudável e ativa é muito bom”. Carla Sallet indica algumas atividades que podem ser realizadas pelas futuras mamães e que trarão muitos benefícios, como por exemplo, ioga, natação, hidroginástica, pilates, exercícios clínicos orientados, esteira e musculação. Mas, é claro, sempre com a orientação de um profissional e com o aval do seu obstetra. Outro fator importante para manter a beleza da gestantes é a manutenção de uma alimentação balanceada. “São fundamentais para a saúde e beleza da gestante as frutas, os legumes, as fibras, as proteínas, muita água e pouco sal. Tudo isso manterá a sua digestão em dia, com a pele menos congestionada e com menor poder de retenção”, afirma Carla Sallet. O mito dos seios flácidos e dos cabelos sem vida Há um mito muito difundido que afirma que a amamentação causa flacidez nos seios. Muito pelo contrário, a amamentação, além de oferecer saúde 16
  17. 17. 17 e proteção ao bebê, ainda ajuda a mamãe a emagrecer. Como explica a médica, “amamentar não deixa os seios flácidos, o que ocorre é que, geralmente, após o segundo filho, pode acontecer uma diminuição do tecido adiposo da mama e, com a idade, uma diminuição das glândulas mamárias. Amamentar ajuda a mulher a emagrecer, além de ter a sucção do bebê, que estimula a liberação de um hormônio que contrai o útero, fazendo assim com que ele volte ao tamanho normal dele, diminuindo rapidamente o abdome”. Outro mito recorrente é a impossibilidade de as gestantes tingirem os cabelos. Segundo Carla Sallet, “alguns obstetras indicam que até o terceiro mês as grávidas não usem tinturas nem façam luzes. Já outros não gostam que usem nada em toda a gestação. Hoje já existem vários produtos no mercado sem amônia, como xampus e tintas. A henna também é uma ótima opção para cabelos brancos, por ser uma tinta natural”. Viu como dá para continuar bela na fase mais bonita da sua vida? Basta seguir essas dicas e juntamente com seu obstetra escolher quais tratamentos irão ajudá-la a ficar bela e garantir que seu bebê se desenvolva com muita saúde! Para obter mais informações sobre o assunto, leia o livro “Grávida e Bela”, de Carla Sallet, publicado pela Editora Senac. Carla Góes Sallet é médica pós-graduada em medicina estética pela Universidade John F. Kennedy, de Buenos Aires. É membro da Sociedade de Medicina Estética e da Sociedade de Laser e autora de várias publicações na área de beleza. O seu mais recente livro é o “Belíssima aos 40, 50, 60, 70...”. Também assina as obras “Grávida e Bela” e “Mãe... e agora?”Atualmente ministra palestras e atende em sua clínica em São Paulo. O produto certo e a garantia de uma gravidez bela em todos os sentidos! É fato que durante a gestação alguns produtos não devem ser utilizados devido a ingredientes que podem afetar a saúde do bebê. Dessa forma, é importante saber do obstetra o que você pode ou não usar. Carla Sallet explica que “a grávida deve usar os produtos elaborados especialmente para as gestantes, pois contêm a nutrição e a hidratação ideal para a pele nessa fase da vida. Além disso, é necessário que seja mantida uma rotina diária com os cuidados com a pele, com o uso de óleos em gel, ricos em bioflavonóides e Vitamina E, além do hidratante diário duas vezes ao dia. O abdome e as mamas precisam de cuidados especiais, sendo necessária uma concentração maior de princípios ativos hidratantes da pele. A gestante nunca deve usar hidratante nos mamilos, pois eles precisam estar fortes para a amamentação”. “Gravidez não é doença, e sim, um sinal de saúde.” 17
  18. 18. 1818 PROMOÇÃO Y Primeiro lugar: livro “Grávida e bela” + um kit puericultura: 1 prato térmico (Cód.: 4120), 1 jogo de talheres (Cód.: 4123), 1 copo (Cód.: 4122), 1 babador (Cód.: 4133), 1 porta-leite em pó (Cód.: 4105), 1 copo com alça multifunções (Cód.: 4129), 1 protetor de chupeta (Cód.: 4109) e 1 termômetro de banho tartaruga (Cód.: 4135). Y Segundo lugar: livro “Mãe, e agora? + um kit puericultura: 1 prato térmico (Cód.: 4120), 1 jogo de talheres (Cód.: 4123), 1 copo (Cód.: 4122), 1 babador (Cód.: 4133), 1 termômetro de banho tartaruga (Cód.: 4135) e 1 copo com alça multifunções (Cód.: 4129). Y Terceiro lugar: um kit puericultura: 1 prato térmico (Cód.: 4120), 1 jogo de talheres (Cód.: 4123), 1 copo (Cód.: 4122), 1 babador (Cód.: 4133) e 1 copo com alça multifunções (Cód.: 4129). Promoção Grávida e Bela Participe e seja escolhida a grávida mais bela Dican! A Dican, em parceria com a Dra. Carla Góes Sallet, premiarão três futuras mamães com os livros “Grávida e Bela” e “Mãe... e agora?” e Kits da nova linha de puericultura Dican. Para participar desta promoção, basta enviar uma foto que traduza a beleza da gravidez na sua vida. Envie sua foto até o dia 15 de agosto de 2007 para a revista Primeiros Passos, Caixa Postal 42019, CEP 04082-970 - São Paulo - SP, ou por e-mail para primeirospassos@bcscomunicacao.com.br, escrevendo no envelope “Grávida e Bela”. Não se esqueça de colocar seu nome e endereço completo, com e-mail e telefone para contato. As ganhadoras serão notificadas por um dos contatos fornecidos com a foto e terão suas fotos publicadas na revista Primeiros Passos de setembro. Confira o regulamento completo no site da Dican: www.dican.com.br/ As três mais belas grávidas receberão os seguintes prêmios:
  19. 19. 19 CHEGADA DOS DENTINHOS 19 CRESCER E xiste coisa mais linda que aquele sorriso sem dentes de um bebê? À primeira vista não, mas como não se encantar com o nascimento do primeiro dentinho? Bastante aguardado, o primeiro dentinho traz consigo o orgulho de ver o bebê se desenvolver e o início de mais uma preocupação para os pais: a garantia de um sorriso bonito e saudável. É nesse momento de descobertas e alegrias que também surgem muitas dúvidas: Em que idade começam a nascer os dentes de leite? Chupar o dedo pode prejudicar? Quando ir ao dentista? Como fazer a higiene adequada? Quando os dentinhos começam a cair? Vamos mergulhar juntas nessa aventura no mundo dos dentinhos? Vem comigo! Tudo começa na amamentação A preocupação dos pais com a saúde bucal da criança é justificada. Afinal de contas, sabe-se que cerca de 98% da população brasileira tem ou já teve cáries, e a principal causa é a falta de cuidados preventivos. Por isso, é importante que saibam que a prevenção deve começar muito antes de a criança ter seu primeiro dente. E mais uma vez a amamentação é fator importante de proteção, pois, além dos benefícios para a sua saúde, a sucção estimula o crescimento dos ossos da face, a formação da arcada dentária e o perfeito posicionamento da língua. É muito importante que esse desenvolvimento seja bastante harmonioso para que seu filho não apresente problemas de fala nem precise usar aparelho para correção dos dentes. A odontopediatra Ursula Stöckl Simão Travassos ressalta que “a posição correta para a amamentação é a oblíqua, na qual o bebê realiza a sucção e a deglutição de forma fisiologicamente normal, levando desta forma a um bom relacionamento entre os dentes que irão nascer”. Mas, se por algum motivo o bebê for alimentado na mamadeira, “o bico mais recomendado
  20. 20. 20 é o ortodôntico de silicone, pois o tamanho da abertura do orifício deste tipo de bico e a sua posição fazem com que o bebê realize a sucção com quase a mesma intensidade da sucção no seio; e o silicone é o material mais adequado pela sua menor deformação e facilidade de higienização, acumulando menos restos alimentares e microorganismos. É válido lembrar que a posição correta do bebê que utiliza a mamadeira é a mesma do bebê que mama no seio”, explica a odontopediatra. Higiene mesmo sem os dentinhos! A higiene da boca do bebê que mama no peito ou na mamadeira deve ser feita desde o nascimento. Ursula Travassos explica que antes da erupção do primeiro dente a higiene da boca do bebê deve ser realizada com uma gaze enrolada firmemente no dedo da pessoa que realiza a higienização, de preferência no dedo indicador. A gaze deve ser umedecida em água mineral ou filtrada e ela deve percorrer os rodetes gengivais, ou seja, o local em que os dentes irão nascer, a região entre rodetes e bochecha, entre rodetes e língua, língua e palato. Se a mamãe preferir, pode utilizar uma “dedeira”, que é um aparato de silicone com pequenas elevações imitando as cerdas de uma escova de dentes, que você encaixa no dedo como se fosse um dedal e passa nas gengivas da criança. Certamente muitas mamães e papais devem estar se perguntando qual a importância dessa higienização bucal nos bebês mesmo sem os dentes. E a resposta é muito simples: “na nossa vida muitas das atitudes que tomamos são simplesmente hábitos adquiridos. Desta forma, a introdução da higienização da boca ainda nos primeiros meses de vida é um hábito que deve perdurar pelo resto da vida. O ato de introduzir algo na boca é desconfortável para a criança. Se isso for realizado somente após a erupção dos primeiros dentes, a criança um pouco maior possivelmente oferecerá maior resistência, muitas vezes evitando a escovação dental”, afirma a odontopediatra. O primeiro dentinho… o começo de tudo! O nascimento dos primeiros dentinhos varia de 4 meses até 1 ano, dependendo da criança. Quando os dentinhos demorarem mais de 8 meses para nascer a odontopediatra afirma que vale a pena investigar, através de radiografias, para verificar se eles já estão próximos da erupção. Os sintomas de que o primeiro dentinho está chegando são fáceis de detectar: o bebê fica muito com a mão na boca, baba bastante e fica muito irritado. “Como ele leva à boca a mão e tudo o que encontra pela frente, pode ser comum ter diarréias. É um período em que o organismo todo sofre baixa de sua resistência e, assim, podem surgir sintomas gerais, além da diarréia, como febre”, afirma Ursula Travassos. Dessa forma, o papai e a mamãe devem procurar um pediatra para evitar maiores complicações. 20 “A higiene da boca do bebê deve ser realizada antes da erupção do primeiro dente.”
  21. 21. 21 Geralmente os bebês ficam muito irritados durante essa fase. Por isso, a odontopediatra dá algumas dicas para os pais driblarem essa fase da vida de seus anjinhos: quando o bebê apresenta pouca irritabilidade, geralmente os mordedores aliviam os sintomas que causam esta irritabilidade, e também uma alimentação mais fria e com alguns pedacinhos de alimentos. “Os mordedores ajudam bastante a aliviar a “coceira” que a erupção dos dentes provoca. Aqueles que contêm líquido no seu interior, quando levados previamente à geladeira, produzem um benefício ainda maior, através da ação do frio na inflamação gengival provocada pela erupção dental”, explica Ursula Travassos. Entretanto, quando a irritabilidade é exacerbada, às vezes é necessária a prescrição médica de analgésicos para diminuir a sintomatologia e, conseqüentemente, a irritabilidade. Dentinho no pedaço, cuidados redobrados Após a erupção do primeiro dentinho, inicia- se uma nova fase da higienização bucal da criança com o uso de escova dental adequada. Atualmente, existem no mercado várias marcas destinadas a esta fase. A odontopediatra alerta para o fato de que “como o bebê ingere tudo que está na sua boca, deve-se ter atenção com o tipo de pasta dental utilizada, se é com ou sem flúor. O flúor em excesso pode causar fluorose dental, uma doença caracterizada por deixar manchas nos dentes. No entanto, o flúor é um grande aliado, pois, quando usado de forma adequada, ajuda na prevenção da cárie dental”. Outro fator importante é a alimentação do bebê, pois é através dela que a criança absorverá os nutrientes necessários para um ótima saúde bucal. Ursula Travassos afirma que são indicados todos os alimentos que a nutricionista também recomenda, como frutas e verduras, evitando-se os industrializados. E alerta: “É muito importante também ficar atento à freqüência com que os alimentos são ingeridos, pois balas, pirulitos e chicletes entre as refeições são desaconselhados, já que provocam uma incidência maior de cárie”. A hora certa para a primeira visita ao dentista A visita ao dentista pode ser feita durante a gravidez pela mãe. Afinal, é nesse período que a futura mamãe está mais receptiva às informações sobre higienização, dieta e cárie Chupeta e dedo na boca fazem mal mesmo? A odontopediatra responde às duas principais dúvidas dos pais sobre a dentição dos bebês. Veja a seguir: Chupar o dedo pode prejudicar a dentição? Sim. A sucção digital pode levar ao aparecimento da mordida aberta, assim como provocar a atresia de toda a maxila. Se o hábito não for removido e suas conseqüências tratadas precocemente, a mordida aberta pode afetar também a dentição permanente. A chupeta causa problemas à saúde dental do bebê? O uso da chupeta é uma prática comum para tentar acalmar o bebê e suprir sua necessidade de sucção. Mas seu uso deve ser limitado aos primeiros 3 anos de vida, aproximadamente, dependendo da intensidade, freqüência e tempo de uso. O seu uso pode provocar o aparecimento da mordida aberta, da mesma forma que a sucção digital. “Os mordedores ajudam bastante a aliviar a ‘coceira’ que a erupção dos dentes provoca.”
  22. 22. 22 dentária, que é uma doença infecciosa e transmissível. “Após o nascimento do bebê o ideal é que a primeira visita ao dentista ocorra antes da erupção dos primeiros dentinhos, para avaliação dos rodetes gengivais. Mas, depois da erupção dos dentes, o bebê e os pais devem fazer uma consulta para tirar suas dúvidas sobre higiene, pasta e escova dental, uso do flúor, ou seja, tudo que estiver relacionado com a saúde bucal do bebê e para o odontopediatra fazer um exame clínico”, finaliza Ursula Travassos. Dra. Ursula Stöckl SimãoTravassos é odontopediatra, especialista em Ortopedia Funcional dos Maxilares. Não existe uma regra para o surgimento dos dentinhos do bebê. Veja neste quadro a ordem e a idade mais comuns para sua formação. De 6 a 8 meses: aparecem os primeiros dentinhos De 7 a 9 meses: surgem os incisivos superiores De 9 a 13 meses: seu bebê já tem oito dentinhos De 1 a 1 ano e meio: seu filho ganha os primeiros molares e agora só faltam os caninos e os segundos molares. De 1 ano e meio a 2 anos e meio: a dentição está completa, com os 20 dentinhos. A festa dos dentinhos Para participar desta promoção, basta enviar uma foto do primeiro dentinho do seu bebê. Envie sua foto até o dia 15 de agosto de 2007 para a revista Primeiros Passos, Caixa Postal 42019, CEP 04082-970 - São Paulo - SP, ou por e-mail, para primeirospassos@bcscomunicacao.com.br, escrevendo no envelope ou assunto: “Meu primeiro dentinho”. Não se esqueça de colocar seu nome e endereço completo, com e-mail e telefone para contato. O responsável pela foto escolhida será notificado por um dos contatos fornecidos e a foto publicada na revista Primeiros Passos de setembro. Confira o regulamento completo no site da Dican: www.dican.com.br/ Prêmio: 1 livro “Um sorriso feliz para o seu filho”, 1 par de Dedeira (Cód.: 4141), 1 Chocalho barrigudo (Cód.: 2352) e 1 Chocalho vamos viajar (Cód.: 2360). Promoção “Meu primeiro dentinho” revista by
  23. 23. 23 B astou o termômetro mostrar um início de febre para que a intranqüilidade domine os pais, principalmente se o filho é pequeno e eles ainda não se familiarizaram com as reações da criança para se sentirem mais seguros e não acharem que qualquer alteração da temperatura é sinal de doença. Afinal, muitos não sabem que em 70% a 80% dos casos a febre é sinal de saúde, indicando boa defesa do organismo. A febre em crianças, mesmo alta, raramente significa algo grave. Na maioria das vezes, é causada por viroses, como a gripe, que nem exigem uma ida ao médico. Para que os pais fiquem mais sossegados, a Primeiros Passos consultou um pediatra sobre o assunto para que daqui pra frente saibam identificar quando a febre não passa de um sinal das defesas agindo no organismo dos baixinhos. Os primeiros sinais da febre A febre corresponde ao aumento da temperatura corporal, acima do limite fisiológico, ou seja, a presença de temperatura axilar maior do que 37,8 o C. A febre pode ser acompanhada ou não de tremores de frio, alterações evidentes do apetite e do comportamento, entre outros. ALTA TEMPERATURA! SAÚDE
  24. 24. 24 De acordo com o Dr. Francis Albert Fujii, a média de temperatura considerada normal para uma criança é de 35,6 a 37,5 graus. No recém-nascido as oscilações de temperatura são mais freqüentes por conta da imaturidade de suas funções orgânicas. Dessa forma, o bebê pode apresentar sintomas de febre apenas por estar agasalhado demais. Entretanto, após o primeiro mês, o bebê começa a perder a imunidade herdada da mãe para formar a sua própria e fica mais sujeito a doenças cujo único sintoma muitas vezes é a febre. Por isso, é aconselhável comunicar ao pediatra qualquer alteração de temperatura nos bebês com até 6 meses. Quando uma criança está com febre é muito importante os pais avaliarem seu comportamento, “porque quanto mais apático e pior o estado da criança, geralmente mais grave é o estado de saúde. Geralmente, um estado toxêmico ou infeccioso pode estar associado a aspecto abatido, inapetência, irritabilidade, sonolência, letargia, choro inconsolável e gemência”, explica Dr. Francis Albert Fujii. Febre em bebês pode ser sinal de saúde Embora isso não seja muito claro para os pais, a febre pode ser um sinal de saúde. O pediatra explica que “a febre geralmente é reflexo de um reajuste no “termostato” de controle da temperatura corporal. Quando há liberação de pirógenos endógenos, altera-se o termostato e ocorre a febre em resposta a uma situação de agressão, geralmente, em resposta a agentes infecciosos, tóxicos, drogas, antígenos, mas também em situações fisiológicas, como excesso de calor ambiental (excesso de agasalho), exercício físico intenso e desidratação”. A febre cria as condições ideais para o organismo combater os agentes agressores, como os vírus, bactérias e outros microorganismos, pois a elevação da temperatura acelera as funções orgânicas, levando, por exemplo, mais oxigênio e glicose às células, fazendo com que estas consigam produzir mais substâncias de defesa. Por isso, a febre indica que o organismo está cumprindo bem sua função. Certamente surgiu uma dúvida na sua cabeça, não? Se a febre pode ser sinal de saúde, então, por que é necessário baixá-la? O médico afirma que “a decisão de se tratar ou não a febre depende do estado clínico e da situação em que a criança se encontra. Como explicado, a febre pode estimular as defesas do organismo, auxiliando na melhora clínica. Mas a decisão cabe ao médico que acompanha a criança, devendo o tratamento sempre ser individualizado. Algumas crianças predispostas podem ter convulsão em vigência de febre, mas nem toda criança apresentará convulsão, somente as predispostas”. Medindo a temperatura Os primeiros sinais de febre são mãos e pés frios. Em algumas ocasiões, a criança pode ter calafrios, rosto avermelhado, suor, olhos brilhantes e irritação. Se você suspeita que o baixinho está com febre, verifique a temperatura com a ajuda de um termômetro. Importante: mantenha a criança quieta para medir a temperatura. O Dr. Francis Albert Fujii explica que “o ideal para se aferir a temperatura é enxugar a axila, colocar o termômetro na axila e manter o braço firmemente apertado no tórax por 4 minutos”. Seguindo esses passos você terá certeza da existência da febre e poderá tomar as medidas corretas para tratar do seu bebê. “A febre cria as condições ideais para o organismo combater os agentes agressores.”
  25. 25. 25 Geralmente, procura-se baixar a febre porque o corpo gasta muita energia para se defender e o uso de antitérmicos ajuda a economizar essa energia durante o combate a uma doença. Além disso, o comportamento da criança é importante num diagnóstico e com a diminuição da febre pode-se observar melhor suas reações. Febre alta e as doenças ligadas à febre Nem sempre a febre alta é sinal de um problema mais grave. Muitas vezes os pais imaginam que uma febre de 39 graus é pior que uma de 38, mas a criança pode ter 40 graus com uma simples gripe e 37,7 com pneumonia. Às vezes, uma febre baixa e constante é mais preocupante. Não há um padrão que determine a gravidade de uma doença. A capacidade de defesa de uma criança não é determinada pela temperatura da febre. Segundo Dr. Francis Albert Fujii, as doenças que costumam dar febre são as infecções virais, mais comuns nesta faixa etária, como também as infecções bacterianas. Entretanto, a febre pode estar associada a outros processos inflamatórios, auto-imunes e às vezes neoplásicos. Quando a criança está com febre muito alta, a principal preocupação dos pais é a ocorrência de convulsões ou a possibilidade de meningite. O médico tranqüiliza os pais, explicando que “não é possível afirmar que a criança não tenha uma das duas condições descritas, afinal, a ocorrência de convulsão febril geralmente está associada a uma predisposição da criança, sendo necessário somente o acompanhamento médico, muitas vezes sem uso de medicação específica. A ocorrência de meningite, somente o histórico, o exame físico e alguns exames complementares podem dar o diagnóstico final”. Dr. Francis Albert Fujii desaconselha os pais a medicarem os filhos quando eles estão com febre, pois “o uso de medicação pode “mascarar” a febre, ocultando para o médico o real estado clínico, como também pode postergar a procura ao médico, conseqüentemente adiando de forma irreversível o tratamento a ser proposto”. Por isso, evite medicar seu bebê sem indicação do pediatra! Procure sempre seu médico antes de aplicar qualquer medicamento na criança! Dr. Francis Albert Fujii é médico formado pela Faculdade de Medicina de Marília – FAMEMA. Fez especialização no Programa Multiprofissional Saúde de Família e Comunidade pela Faculdade de Medicina de Marília – FAMEMA, residência médica em Patologia Clínica pelo Hospital das Clínicas - Faculdade Medicina Universidade São Paulo e especialização em Administração Hospitalar e Sistemas de Saúde pela Escola de Administração de Empresas de São Paulo/ Fundação Getúlio Vargas. É médico da Diagnósticos do Brasil. Febre com… é sinal de: • Febre com dor de barriga e às vezes vômito e/ou diarréia: pode ser infecção viral. • Febre com rouquidão e dificuldade de engolir: pode indicar inflamação de garganta ou de faringite. • Febre com tosse persistente, respiração difícil e dor no peito: pode ser pneumonia. • Febre com dor de ouvido: pode indicar infecção no ouvido. “A febre indica que o organismo está cumprindo bem sua função.”
  26. 26. 26 NUTRIÇÃO Katia Gavranich Camargo Clínica de Saúde Integrada UNINOVE R. Dr. Adolfo Pinto, 109. Tel.: (11) 3665-9752 R. Bom Pastor, 1199 São Paulo – SP – Tel.: (11) 6169-7184 PEDIATRIA Dra. Maria Aparecida de Próspero Av. dos Eucaliptos, 300 Moema - São Paulo – SP Tel.: (11) 5533-6755 Dr. Braz Roberto Bussadori Hospital Edmundo Vasconcelos R. Borges Lagoa, 1450 Vila Clementino - São Paulo - SP. Tel.: (11) 5080-4300 Dr. Francis Albert Fujii Canal do Médico da Diagnósticos da América Tel.: (11) 3047-4484 PSICOLOGIA Juliana Morillo Aiôn Clínica de Psicologia R. Padre Estevão Pernet, 346 São Paulo – SP – Tel.: (11) 6193-9534 SAÚDE Dra. Carla Góes Sallet R. Bento de Andrade, 503 Jd. Paulista – São Paulo-SP Tel.: (11) 3057-2127 / Qual a idade certa para tirar a fralda da criança? Não existe uma idade “certa”, pois varia de criança para criança. Mas, com certeza, será sempre após os 18 meses de idade (um ano e meio), que é quando a criança está apta fisicamente (tem controle dos esfincteres). Após essa idade, pode ser iniciado um treinamento para tirar a fralda. Dica: a criança sempre nos dá uma “dica”, ou seja, um indício de que é o momento, pois ela própria começa a “incomodar-se” com a fralda. / Por que alguns bebês demoram mais para andar? Todo o desenvolvimento neurológico evolutivo no primeiro ano de vida segue parâmetros de uma escala. Considera-se normal até os 15 meses. Algumas crianças, por terem este desenvolvimento um pouco atrasado, podem demorar mais para andar. Entretanto, isso é muito variável e depende tanto de fatores genéticos (individuais) como fatores externos (estímulos externos). Mas sempre devemos respeitar o “tempo” da criança e evitar comparações entre uma criança e outra. / Meu filho chupa o dedo. Existe alguma maneira eficaz de impedi-lo? Como pediatra vemos diariamente famílias tentando impedir tal ato, porém só vemos um reforço por parte do comportamento infantil. Um bebê chupando o dedo é achado freqüente em ultra-som gestacional, portanto é algo tão instintivo quanto precoce e necessário para relaxar a criança. As tentativas de tirar o dedo da boca, colocar produtos com sabor ruim, junto com a ansiedade da família agravam o fato. Uma postura familiar tentando reduzir a ansiedade, desviar a atenção para outro foco, valorizar outras qualidades da criança e aguardar o amadurecimento da mesma e avaliações com o pediatra e odontopediatra são mais produtivas. / Qual o tempo ideal entre uma gravidez e outra? É difícil dizer qual o tempo ideal, já que se trata acima de tudo de situação específica de um casal, com suas possibilidades econômicas, época da primeira gravidez, trabalho materno etc. porém acho que abaixo de 24 meses de intervalo há um desgaste importante dos pais. Dra. Maria Aparecida de Próspero é pediatra formada pela Faculdade de Medicina de Taubaté. Dr. Braz Roberto Bussadori é pediatra formado pela Universidade Estadual de Londrina, Paraná. É pediatra do Hospital Edmundo Vasconcelos, em São Paulo. É comum mãe e pais terem uma série de dúvidas sobre saúde, nutrição, educação e desenvolvimento de seus filhos. Nessa seção você encontrará respostas para essas perguntas que tiram o sono de muitos pais. SERVIÇOS Se você não encontrou aqui a resposta para sua dúvida, escreva para a Revista Primeiros Passos! Em breve, ela estará aqui. DÚVIDAS FREQÜENTES 26 Gostou da revista? Gostaria de continuar a recebê-la gratuitamente? Basta enviar um e-mail com o assunto “Cadastro” para primeirospassos@bcscomunicacao.com.br com seu nome, endereço completo, nome e idade do(s) seu(s) filho(s).
  27. 27. 27 LEVE SEU FILHO PARA SE DIVERTIR DE 9 A 15 DE JULHO NO ESPAÇO DICAN NO MORUMBI SHOPPING! PRÓXIMAS AÇÕES: 6 A 12 DE AGOSTO - SHOPPING ELDORADO 6 A 12 DE OUTUBRO - MORUMBI SHOPPING 17 A 23 DE DEZEMBRO - SHOPPING ANÁLIA FRANCO DICANNOMORUMBISHOPPING LOCAL:MORUMBISHOPPING PISOSUPERIOR ENDEREÇO:AV.ROQUEPETRONI JÚNIOR,1.089-SÃOPAULO - SP HORÁRIO:DAS10HÀS22 H ENTRADAFRANCA. SORTEIO DIÁRIO DE BRINQUEDOS! FÉRIAS DIVERTIDAS FÉRIAs DIVERTIDAs COMADICAN! COMADICAN!
  28. 28. 28 bcscomunicação As melhores lembranças são aquelas com gostinho de infância. E que tal proporcionar ao seu filho momentos inesquecíveis como esses? Com os brinquedos Dican a fase mais gostosa da vida do seu filho ficará guardada para sempre na memória. E o mais importante, Além de alegria e diversão os brinquedos Dican ajudam no desenvolvimento da criança. Garanta a seu filho uma infância inesquecível. Dê a ele brinquedos Dican. à venda nas melhores lojas de brinquedos do brasil. Apertando os diversos botões a criança pode se divertir com muita música, sons e luzes. muita música e diversão para seu filho! conheça nossa linha completa no site www.dican.com.br

×