Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Colonização brasileira 'revisão 2014

799 views

Published on

Período colonial Brasileiro
revisão para o terceiro ano

Published in: Education
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Colonização brasileira 'revisão 2014

  1. 1. Brasil Colônia Revisão para o 3º ano
  2. 2. Navegações e descobrimentos NAVEGAÇÕES E DESCOBRIMENTOS • As descobertas científicas contribuíram para o desenvolvimento da navegação. • Influência do Mercantilismo: Balança Comercial Favorável. POR QUE PORTUGAL FOI PIONEIRO? • localização geográfica • centralização política • necessidade de ampliar ganhos com novas rotas comerciais • utilização dos avanços tecnológicos
  3. 3. A CHEGADA DE CABRAL AO “BRASIL” • Apenas em 1500 os portugueses encontraram as novas terras. • Expedições para a Índia, como a de Vasco da Gama, em 1498, aumentaram a expectativa de que havia terras dentro do domínio marítimo de Portugal. • As teorias mais difundidas e aceitas dão conta que houve “presciência” e “causalidade” na descoberta do Brasil. Navegações e descobrimentos
  4. 4. FORMAS DE ADMINISTRAÇÃO DO BRASIL • Capitanias Hereditárias (1530-1548) • Governo Geral (1548-1711) Centralização administrativa provedor mor ouvidor mor capitão mor • Vice Reino (1711-1808) – representação da Coroa Portuguesa Administração Colonial
  5. 5. Sociedade colonial da América portuguesa A CARTA DE CAMINHA: O PRIMEIRO DOCUMENTO SOBRE NOSSO TERRITÓRIO E OS JUÍZOS DOS PORTUGUESES SOBRE OS INDÍGENAS • Não tinham fé. • Não lavravam. • Não criavam animais. • As terras eram boas e com águas infindas. • Prática do escambo.
  6. 6. • A escravidão de indígenas não foi usada oficialmente, pois a população nativa era considerada “súdita” do rei de Portugal e deveria ser convertida ao cristianismo. ESCRAVOS: MÃOS E PÉS DO SENHOR Sociedade colonial da América portuguesa • Escravidão negra; alternativa mais rentável. • Tipos de escravos: produção, domésticos, de ganho • “Brecha Camponesa” Uso de terras para produção.
  7. 7. SOCIEDADE CANAVIEIRA • O papel da família (sociedade patriarcal). • Sociedade colonial da América portuguesa • Desclassificados e Agregados • O papel da mulher.
  8. 8. INVASÕES ESTRANGEIRAS • Invasões Francesas: Liderados por Nicolas Villegaignon, os franceses fundaram a França Antártica no Rio de Janeiro, em 1555. Foram expulsos pelos portugueses, com a ajuda de tribos indígenas do litoral, somente em 1567. Em 1612, sob o comando do capitão Daniel de La Touche, os franceses fundaram a cidade de São Luis (Maranhão), criando a França Equinocial. Foram expulsos três anos depois. Sociedade colonial da América portuguesa • Invasões holandesas: As cidades do Rio de Janeiro, Salvador e Santos foram atacadas pelos holandeses no ano de 1599. Em 1603 a Bahia foi atacada. Os portugueses expulsam os holandeses da Bahia em 1625. Em 1630 os holandeses invadem a região do litoral de Pernambuco. Ocupam áreas no litoral do Maranhão, Paraíba, Sergipe e Rio Grande do Norte. Em 1645 teve início a Insurreição Pernambucana. As tropas holandesas foram vencidas, em 1648, na Batalha dos Guararapes. Porém, a expulsão definitiva dos holandeses ocorreu no ano de 1654.
  9. 9. EXPEDIÇÕES BANDEIRANTES • Ocorrem, prioritariamente em São Paulo, dada a decadência da Cana de Açúcar. • Apresamento ou Caça ao índio. Captura de Índios para venda no Nordeste. Área de captura as missões jesuíticas no sul do país. • Mineradora. Busca de metais e pedras preciosas no interior • Drogas do Sertão. Extrativismo vegetal na Amazônia. • Consequências: Descoberta do ouro e expansão territorial para além de Tordesilhas Expedições Bandeirantes
  10. 10. A DESCOBERTA DO OURO • Apenas no final do séc. XVII a Coroa portuguesa conseguiu encontrar ouro em suas terras. • Minas era o principal centro de exploração de metais e pedras preciosas. • Houve um surto migratório para Minas Gerais. • Para evitar o despovoamento de outras regiões o governo criou regras para conter o fluxo migratório. A exploração do ouro e a sociedade mineradora colonial
  11. 11. O CONTROLE DAS MINAS • Regimento de 1702: o estabelecimento de lotes (datas) a serem explorados. O descobridor ficava com 2 partes e a 3.ª parte era da Coroa, que a repassava em um leilão. A exploração do ouro e a sociedade mineradora colonial • Apenas quem possuía escravos podia concorrer a uma data. • Poucos tinham os recursos suficientes para explorar as datas. • Os exploradores mais pobres eram chamados de faiscadores.
  12. 12. TRIBUTOS • Quinto: 20% de todo o ouro extraído deveria ser pago à Coroa. A exploração do ouro e a sociedade mineradora colonial • Capitação: cobrado de toda atividade (comércio, hospedaria, transporte, criação de animais, plantação) na área de mineração. • Derrama: Inicialmente era cobrado como complemento do Quinto, após a criação das Casas de Fundição mudou de característica sendo a cobrança sobre o total previsto e não arrecadado. ‘
  13. 13. CONSEQUÊNCIAS DA DESCOBERTA DO OURO E DOS DIAMANTES • abertura da Estrada Real, ligando Minas aos portos A exploração do ouro e a sociedade mineradora colonial • urbanização de Minas Gerais • desigualdade econômica • intensificação do comércio em Minas • aumento do número de escravos para explorarem as riquezas
  14. 14. Período Pombalino • Manifestação do Despotismo Esclarecido: • Reformas Pombalinas: Redução de poder dos Jesuítas e apoio aos “cristãos-novos” Reforma educacional. O Estado como responsável pela educação, substituindo os jesuítas. Alteração da cobrança do Quinto. Estabelecendo o mínimo de 100 arrobas. Fortalecimento da Derrama. Diversificação da economia colonial.
  15. 15. Rebeliões Coloniais • Dois tipos Rebeliões Nativistas e de Libertação Nacional • Rebeliões Nativistas, de caráter regional não tratam de questões Nacionais nem de independência. Revolta de Beckman (MA), Guerra dos Emboabas (MG/SP), Guerra dos Mascates (PE), Revolta de Felipe dos Santos (MG). • Rebeliões de Libertação Nacional, de caráter separatista, influenciados por movimentos liberais estrangeiros. Inconfidência Mineira e Conjuração Baiana

×