Juventudes e Relações
Étnico-Raciais
Fernanda Vasconcelos Dias
Pedagoga, Mestranda em Educação pela
FaE/UFMG
Observatório ...
O que nós acabamos de ver?
Trechos de falas de estudantes – Grupos de Discussão – Pesquisa de Campo - Dados parciais (DIAS...
Juventudes
• Categoria social (socialmente construída);
• Agrupa sujeitos que compartilham a mesma fase da vida;
• Multipl...
Raça
• Construção social;
• Relações muitas vezes simuladas como harmoniosas;
• Não remete ao conceito biológico cunhado n...
Étnico
• Termo usado para marcar que as relações tensas
devidas aos traços fisionômicos o são também
devido à raiz cultura...
Das relações étnico-raciais…
Deste cenário e sua relação com o
passado…
• a ideologia do branqueamento físico e cultural da
nação por meio da imigração...
Desafios em números…
92.120.000 pessoas
brancas e 91.231.000 pessoas negras (11.563.000
pessoas pretas e 79.668.000 pessoa...
em 2005, a taxa líquida de
matrícula entre jovens negros de 11 a 14 anos era de
68%. Os outros 32% já haviam desistido ou
...
Alguns desafios que ultrapassam os
números…
• A cultura geral brasileira dissemina e aceita a
ideia de hierarquia racial, ...
A educação das relações étnico-
raciais e a desconstrução de alguns
equívocos
• Ser negro no Brasil não se limita às carac...
Dos sujeitos jovens, das relações
étnico-raciais e da diversidade…
• Olhar sobre as juventudes numa perspectiva que
valori...
Referência bibliográfica
MEC/SEPPIR. Diretrizes Curriculares Nacionais para a
Educação das Relações Étnico-Racias e para o...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Juventudes e relações etnico raciais - projeto juventudes em debate - 2010

1,988 views

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
1,988
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
56
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Juventudes e relações etnico raciais - projeto juventudes em debate - 2010

  1. 1. Juventudes e Relações Étnico-Raciais Fernanda Vasconcelos Dias Pedagoga, Mestranda em Educação pela FaE/UFMG Observatório da Juventude da UFMG E-mail: dias.fernandav@gmail.com www.fae.ufmg.br/objuventude Juventude(s) em Debate – Programa Observatório da Juventude da UFMG
  2. 2. O que nós acabamos de ver? Trechos de falas de estudantes – Grupos de Discussão – Pesquisa de Campo - Dados parciais (DIAS,2009- 2011)
  3. 3. Juventudes • Categoria social (socialmente construída); • Agrupa sujeitos que compartilham a mesma fase da vida; • Multiplicidade de experiências marcadas pelas distintas variáveis econômicas, étnicas-raciais, de gênero, regionais, etc; • Além de ser marcada pela DIVERSIDADE a juventude é uma categoria dinâmica. Não há juventude e sim JOVENS enquanto sujeitos.
  4. 4. Raça • Construção social; • Relações muitas vezes simuladas como harmoniosas; • Não remete ao conceito biológico cunhado no século XVIII – XIX; • Uso do termo informa determinadas características físicas; • Influência (ou determina) o lugar social dos sujeitos.
  5. 5. Étnico • Termo usado para marcar que as relações tensas devidas aos traços fisionômicos o são também devido à raiz cultural plantada na ancestralidade africana.
  6. 6. Das relações étnico-raciais…
  7. 7. Deste cenário e sua relação com o passado… • a ideologia do branqueamento físico e cultural da nação por meio da imigração européia. • o mito da democracia racial deu base para a construção do discurso da unidade entre brancos, negros e índios • o ressurgimento de reivindicações a partir do Movimento Negro • o reconhecimento por parte do Estado da existência do racismos e suas repercussões
  8. 8. Desafios em números… 92.120.000 pessoas brancas e 91.231.000 pessoas negras (11.563.000 pessoas pretas e 79.668.000 pessoas pardas) (IBGE/PNAD, 2006). as pessoas negras constituem a maioria das que estão fora da escola em todas as faixas etárias. os negros com 15 anos ou mais tinham em 2006, em média, 1,7 ano de estudo a menos que os brancos, 6,4 anos e 8,1 anos, respectivamente. (Observatório da Equidade, 2006). População Brasileira Acesso à educação Anos de Estudos
  9. 9. em 2005, a taxa líquida de matrícula entre jovens negros de 11 a 14 anos era de 68%. Os outros 32% já haviam desistido ou encontravam-se ainda no primeiro ciclo do ensino fundamental enfrentando a repetência.(Ipea, 2006) a desigualdade é ainda acentuada no ensino médio e ensino superior. entre os jovens e adultos pretos e pardos de 15 anos ou mais idade, 14,6% não sabem ler e escrever, para 6,5% entre brancos (Observatório da Equidade, 2006). Desafios em números… Freqüência escolar Taxa de escolarização em idade correta Taxa de Analfabetismo
  10. 10. Alguns desafios que ultrapassam os números… • A cultura geral brasileira dissemina e aceita a ideia de hierarquia racial, naturalização; • Estereótipos de negros, no Brasil, são geralmente negativos; • Humor e sutileza do racismo no Brasil; • Classificação racial.
  11. 11. A educação das relações étnico- raciais e a desconstrução de alguns equívocos • Ser negro no Brasil não se limita às características físicas; • Conhecer a complexidade que envolve o processo de construção de identidade negra em nosso país; • Afirmação de que negros se discriminam entre si e que são racistas também; • Crença de que a discussão sobre a questão racial se limita ao Movimento Negro e a estudiosos do tema; • O racismo, o mito da democracia racial e a ideologia do branqueamento só atingem os negros.
  12. 12. Dos sujeitos jovens, das relações étnico-raciais e da diversidade… • Olhar sobre as juventudes numa perspectiva que valoriza e considera a relevância (individual, social e acadêmica) de atentar para a dimensão étnico- racial na constituição/experimentação da condição juvenil dos sujeitos.
  13. 13. Referência bibliográfica MEC/SEPPIR. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Racias e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana. Brasília: Seppir/MEC, 2004. MEC/SEPPIR/MJ.Contribuições para Implementação da Lei 10.639/2003. Grupo de Trabalho Interministerial Instituído por Meio da Portaria Interministerial Mec/mj/seppir.No 605 de 20 de Maio de 2008. Novembro, 2008. TELLES, E. Racismo à Brasileira: Uma Nova Perspectiva Sociológica. Rio de Janeiro: Relume Dumará 2003.

×