Apresentação metodologia qualitativa

23,467 views

Published on

Apresentação feita no curso de mestrado em Gestão do Conhecimento e da TI da Universidade Católica de Brasília

Published in: Education
0 Comments
16 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
23,467
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
9,779
Actions
Shares
0
Downloads
36
Comments
0
Likes
16
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Apresentação metodologia qualitativa

  1. 1. Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa Stricto Sensu em Gestão do Conhecimento e Tecnologia da Informação Pesquisa QualitativaCreswell, John W (2003, Cáp. 10, p. 184-210); Moura, Ferreira (2005 Cáp. 2 p. 49-88) Autores: Fernando Santos Dantas Rodrigo Azeredo Professores: Dra. Helga Cristina Hedler Dr. Rosalvo E. Streit Brasília - DF Outubro de 2011
  2. 2. AgendaMOMENTO 1 MOMENTO 2 Procedimentos Qualitativos  Demonstração de Pesquisa As características da Pesquisa QualitativaQualitativa  Definição de Metodologia do Projeto Estratégias de Investigação  Definição da Amostra ou Grupo de O papel do pesquisador Participantes Procedimentos de coleta de dados  Escolha daTécnica de Coleta de Procedimentos de registro de dados Dados Análise e interpretação de dados  Definição da Técnica de Análise de Validar os resultados Dados A narrativa qualitativa  Dinâmica em grupo Vídeo 2
  3. 3. Procedimentos QualitativosOs procedimentos qualitativos representam um mosaico que descrevecomo um fenômeno complexo a ser compreendido é fácil de entender. Entretanto, as peças individuais apresentam um grande contraste com os métodos de pesquisa quantitativa. 3
  4. 4. Procedimentos QualitativosAdaptado de: CRESWELL, John W. Projeto de pesquisa: métodos 4 qualitativo, quantitativo e misto. 2.ed. Port Alegre: Artmed, 2007.
  5. 5. Características da pesquisa qualitativa Baseadas nas idéias de Rossman e Rallis (1998): •Ocorre em um cenário natural • Usa métodos múltiplos que são interativos e humanísticos • É emergente em vez de estritamente pré-configurada • É fundamentalmente interpretativa • O pesquisador vê os fenômenos sociais holisticamente • O Pesquisador reflete sistematicamente sobre quem é ele na investigação e é sensível a sua biografia pessoal e a maneira como ela molda o estudo • O Pesquisador usa o raciocínio complexo multifacetado, interativo e simultâneo • O Pesquisador adota e usa mais ou mais estratégias de investigação como um guia para os procedimentos no estudo qualitativoAdaptado de: CRESWELL, John W. Projeto de pesquisa: métodos 5 qualitativo, quantitativo e misto. 2.ed. Port Alegre: Artmed, 2007.
  6. 6. Estratégias de investigaçãoAdaptado de: CRESWELL, John W. Projeto de pesquisa: métodos 6 qualitativo, quantitativo e misto. 2.ed. Port Alegre: Artmed, 2007.
  7. 7. Estratégias de investigação Creswell recomenda 5 possibilidades: • Narrativa • Fenomenologia • Etnografia • Estudo de caso • Teoria Baseada na realidadeAdaptado de: CRESWELL, John W. Projeto de pesquisa: métodos 7 qualitativo, quantitativo e misto. 2.ed. Port Alegre: Artmed, 2007.
  8. 8. O papel do pesquisador "O homem precisa persistir na crença de que o inconcebível é concebível; sem isto ele não pesquisaria" - J. W. Goethe Preocupação com questões: - Estratégicas; - Éticas; e - Pessoais. Dicas: -Inclua declarações sobre experiências passadas; - Comente as conexões entre o pesquisador e os participantes; - Indique os passos dados para obter permissão da Institutional Review Board; - Discuta os passos dados; - Comente sobre questões éticas delicadas que podem surgir.Adaptado de: CRESWELL, John W. Projeto de pesquisa: métodos 8 qualitativo, quantitativo e misto. 2.ed. Port Alegre: Artmed, 2007.
  9. 9. Procedimentos de coleta de dados Qual a necessidade de reduzir o fenômeno em seus aspectos mais relevantes e conhecer as possibilidades metodológicas para abordar a realidade pesquisada? 9
  10. 10. Procedimentos de coleta de dados Envolve quatro tipos básicos: 1 – Observações 2 – Entrevistas 3 – Documentos 4 – Materiais audiovisuaisAdaptado de: CRESWELL, John W. Projeto de pesquisa: métodos 10 qualitativo, quantitativo e misto. 2.ed. Port Alegre: Artmed, 2007.
  11. 11. Procedimentos de registro de dados Use um protocolo observacional Use um protocolo de entrevista (cabeçalho, instruções, questões, etc.) As informações são registradas usando notas manuscritas, gravação em áudio ou em vídeo Pode ser baseado na estrutura do pesquisador para tomar notasAdaptado de: CRESWELL, John W. Projeto de pesquisa: métodos 11 qualitativo, quantitativo e misto. 2.ed. Port Alegre: Artmed, 2007.
  12. 12. Análise e interpretação de dados Passo 1: Organizar e preprar os dados para análise Passo 2: Ler todos os dados Passo3: Faça uma análise detalhada com um processo de codificação Passo 4: Use o processo de codificação para gerar uma descrição do cenário ou das pessoas Passo 5: Faça uma previsão de como a descrição e os temas serão representados na narrativa qualitativa Passo 6: Faça uma interpretação ou extração do significado dos dados. “Quais foram as lições aprendidas”Adaptado de: CRESWELL, John W. Projeto de pesquisa: métodos 12 qualitativo, quantitativo e misto. 2.ed. Port Alegre: Artmed, 2007.
  13. 13. Validar os Resuldados • Ocorre em todo o processo de pesquisa • Tem as mesmas conotações da quantitativa • A confiabilidade e generalização desempenham um papel menor na investigação qualitativa Existem oito estratégias primárias: 1)Faça uma triangulação de diferentes fontes; 2)Use conferência de membros para determinar a precisão dos resulados; 3)Use descrição rica e densa para transmitir os resultados; 4)Esclareça os vieses que o pesquisador traz para o estudo 5)Apresente informações negativas ou discrepantes que vão contra os temas; 6)Passe um tempo prolongado no campo; 7)Use interrogatório de pares para aumentar a precisão do relato; 8)Use um auditor para rever o projeto todo.Adaptado de: CRESWELL, John W. Projeto de pesquisa: métodos 13 qualitativo, quantitativo e misto. 2.ed. Port Alegre: Artmed, 2007.
  14. 14. A narrativa qualitativa • “O plano para um procedimento qualitativo deve terminar com alguns comentários sobre a narrativa que surge da análise de dados. ” • “Primeiro, indique as formas a serem usadas na narrativa. Podem ser um relato objetivo, experiências de campo, uma cronologia, um modelo de processo, uma história ampliada, uma análise de casos ou entre casos ou um retrato descritivo detalhado.” • Em um nível específico, as convenções podem ser: • Intercalar o uso de citações longas, curtas e inseridas no texto • Preparar um roteiro da conversa e relatá-la em diferentes linguagens para refletir sensibilidade cultural • Apresentar informações de texto em forma tabular • Usar o vocabulário dos participantes • Intercalar citações com interpretações (do autor) • Usar tabulações ou outra formatação especial no manuscrito para chamar a atenção dos participantes • Usar a primeira pessoa “eu” ou o coletivo “nós” na forma narrativa • Usar metáforas • Usar a técnica narrativa geralmente utilizada dentro da estratégia de investigaçãoAdaptado de: CRESWELL, John W. Projeto de pesquisa: métodos 14 qualitativo, quantitativo e misto. 2.ed. Port Alegre: Artmed, 2007.
  15. 15. Definição da Metodologia do Projeto O que fazer? Como fazer? Objetivos, Problemas, Questões, Hipóteses... Regra da Replicabilidade tempoCone, Foster (1993):A metodologia do projeto deve ser exposta de modo suficientemente claro e detalhado, para quequalquer pessoa que a leia seja capaz de reproduzir os aspectos essenciais do estudo.  Definir a amostra ou grupo de participantes  Técnica de coleta  Análise de dados 15
  16. 16. Definição da Amostra ou grupo de participantes.Estudos de natureza Qualitativa Procedimentos de Vantagens seleção de amostra + econômica; - trabalhosa;Caracterização, compreensão e Descrição dosinterpretação dos fenômenos participantes doobservados em um grupo estudo;específico. Procedimentos adotados na seleção; previsão do tamanho do erro na estimativa; Estrato + sorteio sorteio voluntárioslista por característica específicaConglom. estratificada + acidental 16
  17. 17. Escolha da Técnica de Coleta de Dados Objetivo: Obter instrumentos capazes de fornecer informações úteis a respeito dos indicadores explicitados na definição prévia dos constructos (p. 54)Grau de exatidão dos dados fornecidos, isto é, doquanto constituem uma reprodução fiel dascaracterísticas dos participantes da pesquisa; Fidedignidade x Validade O instrumento estar realmente avaliando aquilo que se pretende avaliar;  Observação;  Entrevista; Técnicas  Questionários;  Escalas;  Testes psicológicos; 17
  18. 18. ObservaçãoConceito: pode ser considerada uma técnica para colher impressões e registros sobre um fenômeno pormeio do contato direto com as pessoas a serem observadas ou de instrumentos auxiliares (câmeras devideo, filmadoras etc.), de modo a abstraí-lo de seu contexto para que possa ser analisado em suasdiferentes dimensões• Pesquisa Experimental; Artificial • Ambiente real;• Intervenção do pesquisador;• Manipulação de variáveis independentes; e • Sem qualquer tipo de intervenção do Naturalista pesquisador;• Observação de variáveis dependentes;• Grande interação entre o observador e os Participanteparticipantes da pesquisa; e • Não envolvimento do observador com o• Pesquisados devem sentir-se à vontade;• Grau de participação; Não-participante contexto a ser observado;• Sistemática, Padronizada ou Estruturada;• Decisões prévias sobre os elementos,observações e forma de registro dos dados; Sistemática •Assistemática, não estruturada ou livre;• Atenção apenas aos aspectos e •Sem critérios prévios de registro;pré-especificados; Assistemática •Liberdade para decidir o tipo de informação• Deixa de lado aqueles considerados a ser registrada;Irrelevantes aos seus objetivos; •Ganha-se em profundidade e abrangência;• Ganho de validade e fidedignidade; 18
  19. 19. Observação – Premissas, Vantagens e Desvantagens •Descrição clara dos objetivos da pesquisa; •Das categorias que compõem o sistema de observação;Premissas •Treinamento adequado dos observadores; •Observações prévias; •Utilização de dois ou mais observadores independentes; Vantagens • Diretas; • Vê e escuta o que elas dizem; Desvantagens • Erros provenientes de interpretações subjetivas das situações; • Idéias preconcebidas do observador; • Elevado consumo de tempo; 19
  20. 20. EntrevistaConceito: Contato face a face entre a pessoa que recolhe e a que fornece as informações.Estruturadas Fases:Formulário prévio de perguntas;Limitação de opções de resposta;Consomem menos tempo;Menos exige do entrevistador; • Fornecer informações bemInestruturadas ou livres Vantagens detalhadas sobre os tópicos deSem roteiro prévio de perguntas; interesse;Entrevistado livre para conduzir • Sem possibilidade de responder poro processo; escrito (analfabeto) ou respostasSem conhecimento teórico complexas;ou empírico suficiente a respeitodo estudo (estudos exploratórios); • Fácil de responder (opiniões); DesvantagensSemi-estruturadas • Pode consumir elevado tempo ePonto intermediário; apresentar alto custo;Roteiro preliminar de perguntas; • A presença do entrevistador podeLiberdade p/ acrescentar questões; inibir a resposta ou fornecer respostas distorcidas, masAprofundar pontos relevantes socialmente desejáveis;aos propósitos do estudo; 20
  21. 21. Entrevista – Grupo FocalConceito: Entrevista em profundidade com pequeno grupo de pessoas cuidadosamente selecionadaspara discussão de determinado assuntoCaracterísticas Composição por pessoas com interesses, experiências ou características demográficas similares; Vantagens Discussões mais produtivas; • Reunir grande qtde de informações Moderador deve manter o foco e assegurar em pequeno espaço de tempo; discussão rica e proveitosa; • Moderador pode explorar assuntos Grupos de 06 a 12 pessoas; não contemplados previamente no roteiro; Desvantagens • Qualidade dos dados fornecidos depende das habilidades do moderador; • Moderador sem habilidade e treinamento pode afastar-se do objetivo estabelecido; 21
  22. 22. QuestionárioConceito: Conjunto de perguntas com o intuito de reunir informações. Pessoal Telefônica Grupo de Pessoas Correio Postal Meios Eletrônicos Vantagens -Flexibilidade - Pesquisas - Esclarecimento pelo - Gde qtde de - Popularidade de respostas; norte-americanas; pesquisador; respondentes de com pesquisadores; forma rápida; - Maior garantia - Clarificar - Alto número de - Baixo custo e alta de anonimato; perguntas; respondentes; taxa de resposta; - Garantia de - Grande número de anonimato; respondentes; - Respostas - Baixa taxa de - Entrevistados no - Curto tempo e completas; não-resposta; local de aplicação; baixo custo;Desvantagens - Custo mais alto - Impróprio para - Erro de - Taxa baixa Introduzir que demais; analfabetos e pessoas de retorno; - Impedir que uma idéias; com dificuldade de mesma pessoa -Limitações na leitura; responda mais de - Inibição nas extensão; uma vez o respostas; questionário; - perguntas abertas; Tipos de Perguntas 22
  23. 23. Elaboração do Questionário Identificar os diferentes tópicos de interesse para a investigação bem como os dados geográficos a respeito da coleta de dados;Desejabilidade social; Número de questões a seremMotivar os sujeitos a dar elaboradas, conforme asinformações exatas e usar dimensões para os objetivosperguntas claras e específicas; da pesquisa; Questões curtas, palavras simples; Perguntas claras e compreensíveis; Identificar problemas antes da Questões referente a único tema; sua utilização; Evitar perguntas tendenciosas; Pré-teste feito por informantes- Evitar perguntas com carga chave; emocional; Evitar construções negativas; As instruções devem explicitar os objetivos do questionário e a garantia de confidencialidade quanto às respostas; Sequência lógica, das mais gerais para as mais específicas; 23
  24. 24. Escalas e Testes PsicológicosEscalasConceito: Pessoas são solicitadas a assinalar o grau em que determinada situação se aplica a elas ou aterceiros.Testes PsicológicosConceito: Instrumento de medida padronizado, ou seja, possibilita a comparação de resultados obtidosem amostras que apresentem características distintas;  Procedimentos de construção mais rigorosos e sistemáticos que a escala;  Não é comum elaborar testes originais para sua pesquisa; 24
  25. 25. Definição da Técnica de Análise de DadosConceito: Operações a serem empreendidas com o objetivo de fornecer respostas às questões de pesquisa. 25
  26. 26. Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa Stricto Sensu em Gestão do Conhecimento e Tecnologia da Informação Pesquisa QualitativaCreswell, John W (2003, Cáp. 10, p. 184-210); Moura, Ferreira (2005 Cáp. 2 p. 49-88) Autores: Fernando Santos Dantas Rodrigo Azeredo Professores: Dra. Helga Cristina Hedler Dr. Rosalvo E. Streit Brasília - DF Outubro de 2011 26

×