CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR                 PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOAULA  TRÊS: HARDWARE              I...
CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR                PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOpossui partes móveis e com grande po...
CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR                PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOprocessador, medida em hertz (ciclos...
CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR                PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOfreqüência para aumentar a performan...
CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR                 PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIObásico de instruções desse tipo de ...
CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR                  PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIO  •    Retirar roda de Volkswagen ...
CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR                PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOA seguir, veremos características de...
CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR                PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOprocessadores Celeron foram lançados...
CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR                PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOCentrino mobile technology é uma esp...
CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR                PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIO2.4 - Comparando modelosQuando mostr...
CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR                PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOC)                     Modelo       ...
CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR                PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOUm processador comum só pode executa...
CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR                PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOO ganho de desempenho, ao contrário ...
CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR                PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOAntes que algum de vocês pergunte, j...
CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR                 PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOLista-resumo de processadores comer...
CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR              PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIO      o   Processador Intel® Core™ Sol...
CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR                 PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIO                              Intel...
CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR                  PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIO                                 A...
CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR                PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOUma característica importante de um ...
CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR                PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIO         Esquema simplificado das co...
CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR                PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOcomporta 32 bits paralelamente. O ba...
CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR                 PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOque, portanto, podem transportar 32...
CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR                 PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOponte norte será mais bem estudado ...
CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR               PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIO   Observação:   Veremos que nas ques...
CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR                PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOMuitas vezes as questões envolvendo ...
CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR                  PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIO•   256 MB de RAM•   HD de 40 GB• ...
CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR                PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOComentário:Sabemos que os valores 75...
CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR                PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOExistem modelos de Pentium 4 com vel...
CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR                PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOComentário:Não importa se o processa...
CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR                PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOdeve-se utilizar um computador com u...
CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR                PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOGabarito: alternativa B.13) (ESAF – ...
CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR                 PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOe) a capacidade de equipar uma plac...
CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR                  PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIO(E) fazer conexão entre o processa...
CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR                  PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOPor hoje, ficamos por aqui.Até a p...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Aula 3

1,028 views

Published on

Informatica para concurso

  • Be the first to comment

Aula 3

  1. 1. CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOAULA TRÊS: HARDWARE III – PROCESSADORES EBARRAMENTOSOlá a todos.Hoje vamos aprofundar o conhecimento acerca do principalcomponente de um computador, o processador. Na aulademonstrativa, tivemos a oportunidade de conhecer a arquiteturabásica dos computadores e vimos, de forma esquemática, como oprocessador interage com o restante do computador.Nesta aula, iremos detalhar um pouco o processador, expondoalgumas de suas características físicas e funcionamento interno. Alémdisso, veremos também de que forma o processador se comunicacom os demais componentes do micro.1 - Arquitetura e características de um processador1.1 - Componentes básicosJá sabemos que um processador é composto de uma UC (unidade decontrole) e de uma ULA (unidade lógico-aritmética). Enquanto a UCexerce funções de controle das operações, a ULA é responsável peloscálculos e operações de lógica. Como nem a UC nem a ULA sãocapazes de guardar informações, os processadores contam com umtipo especializado de memória, conhecido como registrador.Registradores são, portanto, posições de memória da CPU. São asmemórias mais rápidas de um computador e sua função é oarmazenamento local e temporário dos dados que estão sendoprocessados.Quando a CPU, por exemplo, precisa fazer a soma de dois valoresque estão na memória principal, ela armazena esses valores nosregistradores, efetua a soma, armazena o resultado novamente nosregistradores e finalmente o envia de volta à memória principal.Processadores são peças eletrônicas especializadas emprocessamento de dados. Para isso, possuem dezenas de milhões detransistores.O transistor é a evolução dos relés e das válvulas. A função básicadesses três componentes – relé, válvula e transistor – é similar:possibilitar a indicação de dois estados diametralmente opostos(ligado ou desligado). Por possuírem partes móveis, os relés tinham ofuncionamento lento. As válvulas, por sua vez, eram grandes, caras epouco duráveis. Finalmente, o transistor é um componente eletrônicofabricado com materiais semicondutores – como o silício –, que não WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 1
  2. 2. CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOpossui partes móveis e com grande possibilidade de miniaturização.Essas características propiciaram o desenvolvimento dosprocessadores dos computadores modernos, cada vez mais velozes ebaratos.1.2 - Quantidade de transistores e a Lei de MooreOs transistores atuais são peças microscópicas. À medida que otempo passa, os fabricantes têm conseguido diminuir o tamanho dostransistores utilizados nos processadores. Quanto menores ficam ostransistores, mais deles podem ser colocados nos processadores, oque faz com que estes fiquem cada vez mais sofisticados.Gordon Moore, co-fundador da fabricante de chips Intel, afirmou, em1965, que a densidade de transistores em chips dobraria a cada 18meses, o que ficou conhecido como Lei de Moore. O impressionanteé que sua previsão, baseada em observações empíricas, tem seconfirmado durante as últimas décadas. Analistas da Intel especulamque a lei de Moore continuará válida pelos próximos 10 ou 15 anos(fonte: www.cnet.com).O tamanho do transistor utilizado no processador é utilizado parareferir-se à tecnologia deste processador. Por isso, diz-se, porexemplo, que determinado processador possui tecnologia de “tantos”nanômetros (nm). Um nanômetro equivale a um milionésimo demilímetro. Outra unidade utilizada para medir-se um transistor é omícron (µ), que equivale a um milésimo de milímetro, ou seja, milnanômetros. -91 nm = 0,001 µ = 0,000001 mm = 10 m1 mm = 1.000 µ = 1.000.000 nmOs processadores Pentium mais atuais utilizam tecnologia de 65 nm.Já houve processadores de 1.000 nm, 800 nm, 600 nm e outros.Considero interessante lembrar o tamanho atual dos processadoresmais modernos, ou seja, 65 nm. Para se ter uma idéia do que issorepresenta, o vírus da gripe tem 100 nm de diâmetro!Existe um limite físico para a miniaturização de transistores. Aresposta a esse limite está no estudo da nanotecnologia, que procurameios de atuar diretamente em moléculas. Isso não é ficçãocientífica, mas ciência real. Recentemente a IBM divulgou resultadosde uma pesquisa em miniaturização de discos rígidos utilizandonanotecnologia. O problema, no momento, é que os dadosarmazenados são muito instáveis.1.3 - ClockEste é um termo muitíssimo utilizado quando nos referimos a umprocessador. O clock é a freqüência interna de trabalho do WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 2
  3. 3. CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOprocessador, medida em hertz (ciclos por segundo). O clock é tãosignificativo, que costumamos nos referir a um computador completoindicando somente o clock do seu processador:– Comprei um Pentium4 2,8 GHz!– Vendo Celeron 1,3 GHz.A freqüência indica a quantidade de operações por segundo que oprocessador é capaz de executar. Atualmente os processadores estãona casa dos bilhões de operações por segundo (GHz). Quer dizer, umprocessador cujo clock seja 2,8 GHz, pode executar 2,8 bilhões deoperações em um segundo. Isso é realmente impressionante!1.3.1 - Clock e desempenhoA freqüência do processador é normalmente associada de formadireta ao desempenho do microcomputador, especialmente pelopúblico mais leigo. Apesar de ser um forte indicativo de performancede um computador, a freqüência é apenas um dos fatores queexercem influência nesse sentido.Processadores de freqüência igual podem ter desempenhos distintosem função de fatores relacionados à sua arquitetura e construção.Além disso, como já estudamos, o desempenho do micro como umtodo, ainda é influenciado por fatores como a quantidade de memóriacache, o tipo e a quantidade de memória RAM, a velocidade do discorígido, dentre outros fatores.A comparação de processadores distintos para se aferir qual delespossui melhor desempenho não é uma tarefa simples. Normalmenteum processador apresenta desempenho superior em certa tarefa,quando comparado diretamente a outro processador, e, ao mesmotempo, demonstra desempenho pior em outras tarefas.Essas comparações são tarefas geralmente realizadas utilizando-sesoftwares específicos. Alguns desses softwares, por exemplo,simulam o desempenho do processador para uso em jogos 3D, outrosfazem simulações de cálculos de planilhas e programas de escritório.Assim, fica claro que não é tarefa fácil indicar se este ou aqueleprocessador é mais ou menos potente que outro. Podemos, noentanto, ter algumas indicações de diferenças de performance aocompararmos processadores de “famílias” similares. Mais adiante,quando analisarmos as características de alguns processadorescomerciais, veremos mais alguns detalhes sobre desempenho.1.3.2 - OverclockProcessadores são projetados para trabalhar em determinadafreqüência. Entretanto, existe a possibilidade de aumentarmos essa WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 3
  4. 4. CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOfreqüência para aumentar a performance do processador. Isso échamado de overclock. Nas palavras de Laércio Vasconcelos:“Overclock é uma espécie de ‘envenenamento’ do computador,fazendo com que o processador opere com velocidade acima daespecificada pelo fabricante.”Alguns modelos de processador possuem maior vocação paraoverclock que outros. De fato, existe toda uma linha de produtos paramontagem de PCs turbinados que incluem placas, memórias,adaptadores de vídeo etc.Uma conseqüência de se fazer overclock no processador é que atemperatura de trabalho deste componente aumenta, o que podeocasionar até mesmo a inutilização do chip (ele “queima”). Osaficcionados por overclock chegam a desenvolver sistemas derefrigeração com dutos de água, bombas e radiadores, tudo isso pararesfriar o processador.Analisar se compensa ou não fazer o overclock de um processador éalgo complicado. Quando feito de forma modesta, costuma não sermuito trabalhoso, mas também não surte muito efeito. Quando feitode forma mais contundente, geralmente está mais associado a umhobby do que a uma análise racional de custo-benefício.1.3.3 - Clock interno X Clock externoOs processadores possuem dois clocks, um interno e um externo. Ointerno é aquele que acaba por denominá-lo. Assim, um Pentium4 de2,8 GHz, tem o clock interno de igual valor.O clock externo, por sua vez, é a freqüência com a qual oprocessador comunica-se com o resto do computador. Estudaremosisso quando falarmos da placa-mãe.1.4 - InstruçõesProcessadores podem realizar tarefas distintas baseadas eminstruções lidas em um programa. Para isso, eles possueminternamente um conjunto de outras instruções que já vêm definidaspelo fabricante. Essas instruções são “fixas”, quer dizer, sãoestabelecidas no nível físico, no hardware do processador.Analogamente, instruções são ordens que os processadoresconseguem entender, como ler, gravar, somar etc. Os programas decomputadores são escritos tendo-se como base o conjunto deinstruções (ou set de instruções) que o processador entende. O setde instruções é, portanto, o conjunto de comandos que osprocessadores reconhecem e são capazes de executar.Computadores baseados na arquitetura IBM-PC devemobrigatoriamente utilizar processadores que possam executar o set WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 4
  5. 5. CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIObásico de instruções desse tipo de computador. Por isso, umprograma desenvolvido para ser executado em um PC, não funcionaem um computador Macintosh, por exemplo, que utilizaprocessadores com set de instruções distinto.Em outras palavras, para que dois processadores sejam compatíveis,eles precisam entender o mesmo conjunto de instruções básicas.Conforme passa o tempo, os fabricantes desenvolvem sets deinstrução adicionais nos seus processadores, buscando melhorias deprocessamento específicas, como melhor desempenho multimídia oumelhoria de performance em jogos 3D, por exemplo.É interessante saber que, num primeiro momento, esse set adicionalnão é aproveitado, já que os programas existentes não foramdesenvolvidos para as novas instruções. Também é importante notarque, ao lançar novos conjuntos de instruções, o conjunto básicoantigo não pode ser suprimido, sob o risco de se ter incompatibilidadedos programas existentes.1.4.1 - CISC X RISCExistem duas correntes, ou filosofias, na construção deprocessadores. Uma delas baseia-se em um processador com umconjunto de instruções complexas (CISC) e outra em processadorcom um conjunto de instruções simples (RISC).Os processadores CISC (Complex Instruction Set Computer)baseiam-se na utilização de instruções mais complexas, enquantoque um processador RISC (Reduced Instruction Set Computer)baseia-se na utilização de instruções mais simples.Mas qual a diferença entre uma instrução complexa e uma instruçãosimples? Vamos fazer uma analogia para entender isso. Vamos suporque exista uma máquina que seja capaz de trocar a roda de várioscarros diferentes, de marcas e modelos diferentes. Se essa máquinafuncionasse com um processador RISC, o programa responsável pelatroca utilizaria instruções como: • Afrouxar parafusos • Suspender o veículo • Retirar parafusos • Retirar roda • Colocar roda • Colocar parafusos • Descer o veículo • Apertar parafusosCaso a máquina tivesse um processador CISC, teríamos umprograma utilizando instruções como: WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 5
  6. 6. CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIO • Retirar roda de Volkswagen Gol • Colocar roda de Volkswagen GolCada uma dessas instruções complexas tem em si todas as etapasnecessárias, como afrouxar e retirar parafusos.Apesar de ter utilizado somente duas instruções para executar amesma tarefa, o processador CISC deve possuir um conjunto deinstruções maior para conseguir trocar as rodas de outros carros. Sefor lançado um novo modelo de carro, o processador terá que incluiruma nova instrução em seu set de instruções.O processador RISC por sua vez, por possuir instruções mais simplese genéricas, pode adaptar-se mais facilmente ao surgimento denovos modelos de carros, bastando para isso que o programa sejaalterado.Por conter instruções mais complexas, os processadores CISCpoupam trabalho dos programadores, que podem escrever programasmenores para fazer a mesma tarefa. Entretanto, instruções maiscomplexas são mais lentas, pois podem necessitar de vários ciclos doprocessador para serem executadas.Em síntese:CISC • Instruções mais complexas. Podem levar vários ciclos do processador para serem executadas; • Conjunto de instruções maior; • Programas menores e mais simples. Menos trabalho para os programadores e menos espaço utilizado nas memórias.RISC • Instruções mais simples. São executadas mais rapidamente; • Conjunto de instruções menor; • Exige programas maiores, que ocupam mais espaço na memória e requerem mais mão-de-obra por parte dos programadores.Os processadores modernos, na realidade, utilizam as duas filosofiasem sua construção, quer dizer, são híbridos. Tanto os processadoresRISC utilizam alguma quantidade de instruções complexas, como osprocessadores CISC fazem uso de instruções simples.Exemplos de processadores CISC são Pentium e Celeron da Intel eAtlhon e Semprom da AMD. Exemplos de RISC são PowerPC, daIBM/Motorola e Sparc da Sun Microsystems.2 – Processadores comerciais WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 6
  7. 7. CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOA seguir, veremos características de alguns processadores comerciaisda atualidade. Os fabricantes de processadores vivem em umacorrida pelo lançamento de produtos mais potentes. Por isso, osprocessadores estão em constante desenvolvimento, o que ocasionao surgimento de novidades a todo momento. Além disso, cadamodelo possui variações (de quantidade de memória cache, porexemplo), desdobrando-se em vários outros chips.Provavelmente devido a esse dinamismo do mercado deprocessadores, as bancas não costumam cobrar conhecimentosavançados nessa área. De qualquer forma, é bom termos algumanoção das principais linhas de processadores para PCs.No mercado de computadores IBM-PC, dois fabricantes deprocessadores se destacam: A Intel e a AMD.As provas de concurso cobram quase que exclusivamenteconhecimentos de processadores da Intel.2.1 - IntelOs principais processadores da Intel, voltados ao mercado domésticoou de pequenas corporações, são o Pentium 4 e o Celeron.O Pentium 4 é o principal processador da Intel para PCs desktop.Existem diversos modelos de Pentium 4, cada qual com seus própriosvalores de clock externo e interno, quantidade de memória cache,dentre outros detalhes. Vamos analisar a tabela seguinte, ondeencontramos diferentes modelos de Pentium 4: Exemplos de modelos de Pentium 4 Clock Interno Clock Externo Cache L2 2,4 GHz 533 MHz 512 KB 2,4 GHz 533 MHz 1MB 2,4 GHz 800 MHz 512 KB 2,8 GHz 533 MHz 512 KB 2,8 GHz 533 MHz 1MB 2,8 GHz 800 MHz 512 KB 2,8 GHz 800 MHz 1MB 3,0 GHz 800 MHz 1MB 3,0 GHz 800 MHz 2MBAntes de verificarmos o que podemos extrair dessa confusão, vamosconhecer a família de processadores Celeron. Ela diferencia-se doPentium 4 especialmente por ser uma linha de baixo custo. Os WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 7
  8. 8. CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOprocessadores Celeron foram lançados em 1998 e desde então seapresentaram em várias versões, sempre como uma alternativa aoPentium, só que mais baratos e com desempenho inferior.Ao contrário da linha Pentium que à medida que evoluía mudava suanumeração (Pentium, Pentium II, Pentium III e Pentium IV), a linhaCeleron veio preservando sempre o mesmo nome.Uma das principais características do Celeron, quando comparado aum Pentium “equivalente” é possuir menor quantidade de memóriacache e, eventualmente, menor clock externo. Também ocorre asituação de termos um Celeron que não possui determinado conjuntode instruções presente no Pentium equivalente.2.2 - AMDOs principais modelos de processadores da AMD são o Atlhon 64 e oSemprom. O primeiro é concorrente direto do Pentium 4, enquantoque o segundo concorre com o Celeron.Modelos antigos de AMD incluem K6, Duron, Athlon e Athlon XP.Um detalhe sobre a nomenclatura dos processadores AMD é quealguns de seus modelos exibem clocks não reais para que sejamdireta e facilmente comparados aos seus concorrentes da Intel.Funciona assim: um Athlon XP com clock interno de 1,7GHz possui,segundo o fabricante, desempenho igual ou superior a um Pentium 4de 2,1GHz. Assim, esse Athlon recebe o nome de Atlhon XP 2100+.Em outras palavras, o nome do modelo de Atlhon XP não indica o seuclock real, mas um clock nominal, comparativo aos modelos similaresde Pentium 4.2.3 - Processadores especializadosTanto a Intel como a AMD produzem outras linhas de processadoresvoltadas a outros tipos de computadores. Duas linhas importantessão as voltadas a notebooks e as voltadas a servidores e estações detrabalho.2.3.1 - NotebooksNo campo dos notebooks, existem o Pentium M, o Celeron M e oMobile Atlhon XP, por exemplo. Esses processadores geralmenteincluem características como baixo consumo de energia e memóriacache de grande capacidade (512KB, 1MB), mesmo emprocessadores com clocks menores. Essa é uma forma de aumentar odesempenho geral do processador, sem que se aumente o seuconsumo de energia.Tecnologia Centrino WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 8
  9. 9. CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOCentrino mobile technology é uma espécie de selo que determinadoscomputadores portáteis podem estampar. Para poder exibi-lo, ocomputador, seja de que fabricante for, precisa ter três componentes,obrigatoriamente da Intel, compatíveis com essa tecnologia: oprocessador, o chipset da placa-mãe (falaremos mais sobre chipset) esuporte à rede sem fio (wi-fi). Dizer que certo notebook temprocessador Centrino, apesar de comum, não é correto. Tecnologia Centrino – Processador, chipest e adaptador de rede sem fio2.3.2 - Servidores e estações de trabalho (workstations)Já na área de processadores para servidores e estações de trabalho,encontramos os modelos Intel Xeon e Itanium e AMD Opteron.Workstations são PCs de alto desempenho destinados a trabalhosespecíficos, como por exemplo, edição e geração de animações 3D.Uma característica comum dessa linha de processadores é apossibilidade de serem instalados vários deles em um únicocomputador, o que chamamos de multiprocessamento. Sãoprocessadores de altíssimo desempenho e custo. Infelizmente nãoestão ao alcance de nós, meros mortais. Costumam ter altacapacidade de memória cache, sendo que alguns possuem umterceiro nível dessa memória (cache L3). Xeon e Itanium são processadores destinados a servidores e estações de trabalho WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 9
  10. 10. CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIO2.4 - Comparando modelosQuando mostrei um quadro com exemplos de processadores Pentium,disse que extrairíamos algo daquela confusão. Pois bem, a enormevariedade de modelos de processadores, de certa forma, inviabilizaque sejam cobrados conhecimentos detalhados desses modelos nosconcursos. O que ocorre com certa freqüência, são questõescomparando configurações diferentes de micros e solicitando umaanálise de alteração nos custo ou na performance.Certamente já assimilamos o fato de que não se compara facilmentedois micros com características muito diferentes. Para que se possafazer uma comparação com certo nível de certeza, o que é razoávelexigir em uma prova de concurso, precisamos ter itens ou muitosimilares, ou muito diferentes.Assim, uma questão não pode exigir que se compare um Pentium 4de 2,0 GHz com um Athlon XP 2000+. Isso já é uma tarefanaturalmente polêmica entre os próprios fabricantes. Não precisamosopinar sobre uma comparação dessas.Vejamos outros exemplos de comparações, possíveis ou não:A) Modelo Clock Interno Clock Externo Cache L2 Pentium 4 2,8 GHz 533 MHz 1MB X Pentium 4 2,8 GHz 800 MHz 512 KBDá pra dizer qual processador terá melhor desempenho? Dificilmente.Os dois possuem clock interno igual, mas um deles possui clockexterno superior e quantidade de memória cache inferior. Umacomparação aqui só é válida quando analisa o uso em uma aplicaçãoespecífica e utilizando softwares de comparação (benchmark) paraisso.B) Modelo Clock Interno Pentium 4 2,8 GHz Celeron 2,8 GHzAqui temos uma situação mais clara. Na ausência de outros dados,como o clock externo e a quantidade de cache, e tratando-se demodelos com clock interno iguais, podemos afirmar que o Pentium 4tem melhor performance. WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 10
  11. 11. CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOC) Modelo Clock Interno Pentium 4 2,2 GHz Pentium 4 3,0 GHzSituação semelhante à anterior. Diante de processadores de modelosiguais e na ausência de outros dados, podemos afirmar que o modelode maior clock (3,0GHz) possui desempenho superior.3 - Tecnologias de processamento3.1 – PipeliningProcessadores conseguem executar fases diferentes de váriasinstruções ao mesmo tempo. Para entender melhor isso, vamos fazeruma analogia.Imagine uma linha de produção de uma fábrica de sapatos.Provavelmente, encontraremos várias fases distintas nessa linha deprodução, como corte do couro, confecção do solado, confecção dapalmilha etc. Como essas fases são separadas, pode-se ter váriossapatos sendo fabricados ao mesmo tempo, cada um em uma fasediferente.Imagine agora, uma outra linha de produção que só permite amontagem de um novo sapato, quando o sapato que está sendomontado no momento for finalizado, ou seja, só pode montar umsapato de cada vez.Pois bem, a primeira linha de montagem, que permite a montagemde sapatos em vários estágios diferentes ao mesmo tempo, equivalea um processador com pipeline. A segunda é equivalente a umprocessador sem pipeline.Processadores antigos não trabalhavam com pipelining. Esse processofoi adotado nos processadores modernos para otimizar o uso doprocessador, para que ele fique com menos áreas ociosas enquantoexecuta instruções.É comum encontrarmos menção a pipeline ou pipelining. Os termossão equivalentes.3.2 – Hyper-ThreadingHyper-Threading é uma tecnologia introduzida pela Intel nosprocessadores Pentium 4 no final de 2002. Ela permite que váriaspartes de um mesmo programa sejam executadas simultaneamentepelo processador. Programas podem ser feitos para rodar em partesseparadas, as quais chamamos de thread. WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 11
  12. 12. CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOUm processador comum só pode executar uma thread de cadaprograma por vez. Quando executamos vários programas ao mesmotempo, temos a ilusão de que todos eles estão sendo executadossimultaneamente. Na verdade, o que ocorre é que o processadoralterna entre a execução dos programas. Como isso é feito emfrações de segundos, para nós, usuários, é como se estivessem defato sendo executados simultaneamente.Portanto, processadores comuns precisam esperar o término daexecução de uma thread para iniciar outra. Processadores equipadoscom Hyper-Threading permitem que antes do fim de uma thread sejainiciada a execução de outra thread.Isso é conseguido simulando-se a presença de mais processadores. Oprocessador com Hyper-Threading “finge” ser dois processadores,quando na realidade, fisicamente é um só.Para o Hyper-Threading funcionar, tanto a placa-mãe como o BIOS eo sistema operacional do computador devem ser compatíveis. Ossistemas operacionais compatíveis são o Windows XP e algumasversões de Linux.Cabe ressaltar que um único processador com HT é visto pelo sistemaoperacional como se fossem dois processadores, como podemosverificar na imagem seguinte: WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 12
  13. 13. CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOO ganho de desempenho, ao contrário do que possa parecer, não éde 100%. Esse ganho fica em torno de 10 a 20% e dependerá do tipode programa que estiver sendo executado.Para ilustrar a diferença entre processadores com e sem a tecnologiaHT, vejamos as figuras seguintes (fonte: www.intel.com): Funcionamento de processador comum (single-threaded) Funcionamento de processador com Tecnologia Hyper- Threading (HT)3.3 - Dual Core (núcleo duplo)Enquanto o Hyper-Threading simula a presença de doisprocessadores físicos, quando na verdade há apenas um, osprocessadores Dual Core são processadores que possuem,fisicamente, um núcleo duplo. Assim, eles podem trabalhar como doisprocessadores distintos, apesar de dividirem entre si os demaisrecursos, como, em alguns casos, a memória cache.Na prática, isso quer dizer que é possível executar mais de umathread de forma realmente paralela. É possível iniciar a execução deduas threads ao mesmo tempo. Funcionamento de processador de núcleo duplo (Dual Core) WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 13
  14. 14. CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOAntes que algum de vocês pergunte, já vou me antecipar. Existemprocessadores da Intel com núcleo duplo e tecnologia HT. A lógica sesegue e determina que cada núcleo vai poder trabalhar com mais deuma thread ao mesmo tempo. Dessa forma, poderá haver quatrothreads sendo executadas simultaneamente. Funcionamento de processador de núcleo duplo e compatível com tecnologia HT Pentium D – Processador com tecnologia Dual Core Pentium Extreme Edition - Processador com tecnologia Dual Core e HT WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 14
  15. 15. CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOLista-resumo de processadores comerciaisA seguir, uma lista ordenada, não exaustiva, de modelos deprocessadores da Intel e da AMD atualmente produzidos. Não hánecessidade de memorizá-la. Utilizem-na para fixar o que foi ditosobre os processadores comerciais e tecnologias de processamento.Observem que a destinação de um processador não é algo rígido. Porexemplo, um Pentium 4 pode ser usado tanto em desktops, como emnotebooks, servidores ou workstations.Intel (fonte: www.intel.com) • Desktops o Processador Intel® Core™2 Duo * o Processador Intel® Pentium® Extreme Edition * o Processador Intel® Pentium® D * o Processador Intel® Pentium® 4 Extreme Edition suportando a Tecnologia Hyper-Threading o Processador Intel® Pentium® 4 com suporte para a tecnologia Hyper-Threading o Processador Intel® Pentium® 4 o Processador Intel® Celeron® D o Processador Intel® Celeron® • Laptops o Processador Intel® Core™2 Duo * o Processador Intel® Core™ Duo * WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 15
  16. 16. CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIO o Processador Intel® Core™ Solo o Processador Intel® Pentium® M o Processador Intel® Pentium® 4 para portáteis o Processador Intel® Celeron® M Intel Celeron M• Servidores o Processador Intel® Itanium® 2 * o Processador Intel® Xeon® * o Processador Intel® Xeon® MP * o Processador Intel® Pentium® D* o Processador Intel® Pentium® 4 com suporte para a tecnologia Hyper-Threading o Processador Intel® Pentium® 4 Intel Itanium2• Workstations o Processador Intel® Xeon® * o Processador Intel® Pentium® D * o Processador Intel® Pentium® 4 com suporte para a tecnologia Hyper-Threading o Processador Intel® Pentium® 4 WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 16
  17. 17. CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIO Intel Xeon* processadores com tecnologia de núcleo duploProcessadores AMD (fonte: www.amd.com) • Desktops: o AMD Athlon™ 64 o AMD Athlon™ 64 X2 * o AMD Sempron™ AMD Athlon 64 e Sempron • Notebooks: o Mobile AMD Sempron™ o Mobile AMD Athlon™ 64 o Tecnologia Móvel AMD Turion™ 64 o Tecnologia Móvel AMD Turion™ 64 X2 * WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 17
  18. 18. CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIO AMD Turion 64 • Servidores e workstations: o AMD Opteron™ * AMD Opteron* processadores com tecnologia de núcleo duplo3 – Barramento3.1 - IntroduçãoQuando estudamos o modelo de von Neumann, vimos quecomputadores são formados basicamente de processador, memória edispositivos de entrada e saída (E/S). De fato, um computador é umarede de componentes básicos, e dessa maneira, devem existircaminhos de conexão entre esses módulos (STALLINGS, 2002).Para que esses módulos possam se comunicar, devem existircaminhos físicos apropriados e com características próprias para cadaconexão que queira se estabelecer. Esses caminhos são osbarramentos.Assim, barramento é um conjunto de linhas condutoras utilizadaspara transferência de dados entre componentes de um computador. WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 18
  19. 19. CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOUma característica importante de um barramento é que ele é ummeio de transmissão compartilhado, no qual diversos dispositivospodem se conectar. Um sinal pode ser transmitido por qualquercomponente a ele conectado e ser recebido pelos demais. Entretanto,apenas um desses componentes pode transmitir sinais a cada vez.Os tipos de comunicação que podem existir entre os componentesbásicos de um computador são:- Memória CPU: processador lendo dados ou instruções damemória ou CPU escrevendo dados na memória.- E/S CPU: CPU recebendo dados de um dispositivo de E/S ouCPU enviando dados para um dispositivo de E/S.Na comunicação entre os dispositivos de E/S e a CPU há anecessidade da presença de circuitos intermediários, que sãochamados de interfaces. Assim, um teclado, ao enviar dados para aCPU, o faz através de uma interface de teclado (localizada na placa-mãe). Da mesma forma, a CPU, ao enviar dados para umaimpressora, utiliza uma interface.- E/S Memória: envio ou recebimento de dados entredispositivos de E/S e a memória, sem o uso da CPU. Aqui ocorre ochamado acesso direto à memória, também chamado de entrada esaída por DMA (direct memory access). WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 19
  20. 20. CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIO Esquema simplificado das comunicações em um computadorUm barramento é composto por grupos especializados de linhas quetransportam tipos diferentes de informação. Um barramento típicocontém grupos de linhas especializados de forma que um transportadados, outro transporta endereços de memória onde os dados devemser encontrados e outro transporta sinais de controle. Esses gruposde linhas são comumente conhecidos como barramento (ou linhas) dedados, barramento (ou linhas) de endereços e barramento(ou linhas)de controle, respectivamente. Falaremos mais disso logo adiante.Antes, vamos ver duas importantes características de barramentos.3.2 - Largura de barramentoUma característica chave de um barramento é a quantidade de bitsque ele pode transportar ao mesmo tempo, o que chamamos delargura do barramento.Para entender a largura de um barramento, basta fazermos umaanalogia com uma estrada na qual os carros sejam obrigados atrafegar sempre paralelamente. Quanto mais faixas essa estradativer, mais carros poderão trafegar simultaneamente. No caso dobarramento, quanto mais linhas ele tiver, mais bits poderátransportar ao mesmo tempo. Assim, um barramento cuja larguraseja de 32 bits, pode transportar 32 bits de cada vez, ou seja, 4bytes paralelamente.3.3 - Taxa de transferênciaA velocidade do barramento está relacionada a algo que já nosacostumamos a estudar: a freqüência de trabalho ou clock. De umaforma simplificada, dado o clock de um barramento e sabendo-se sualargura, podemos obter sua taxa de transferência.A lógica é a mesma que já vimos quando estudamos as taxas detransferências de memórias RAM. Dessa forma, um barramento cujoclock seja de 33MHz e cuja largura seja de 32 bits (32/8 = 4 bytes),poderá transportar 4 X 33 milhões de bytes por segundo ouaproximadamente 133MBps.3.4 - Barramento de dadosComo já sabemos, um barramento é formado por barramentosespecializados (dados, endereço e controle). Quando nos referimos àlargura de um barramento estamos falando da largura do barramentode dados, ou seja, quando dizemos que um barramento possuilargura de 32 bits, queremos dizer que o seu barramento de dados WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 20
  21. 21. CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOcomporta 32 bits paralelamente. O barramento de dados, conforme onome indica, é o responsável pelo trânsito dos dados durante acomunicação dos componentes. É por ele que os dados, de fato,transitam.3.5 - Barramento de endereçosO barramento de endereços é bastante significativo, pois sua larguraindica a capacidade máxima de memória que o computador podeendereçar. É nesse barramento que trafegam os endereços de ondeos dados vêm ou para onde eles vão. Vamos entender isso melhor.Vamos imaginar uma situação esdrúxula, porém ilustrativa.Imaginemos, então, um porteiro de um prédio de apartamentos.Todos os números de apartamentos do prédio são formados porcombinações de zeros e uns (é um prédio de fanáticos porcomputador!). Vamos supor que o porteiro tenha a tarefa de colocara correspondência nas caixas de correios dos apartamentos, mascomo ele não consegue decorar os números dos apartamentos, utilizaos dedos pra saber qual o destino da correspondência. Dedo esticadoé UM, dedo encolhido é ZERO. Ainda não acabou! O coitado doporteiro leva apenas uma correspondência de cada vez.Supondo então, que o porteiro utilize apenas um dos dedos de suamão para memorizar o destino da correspondência, ele poderáentregá-la apenas a dois apartamentos: o de número zero ou o denúmero um. Entretanto, se ele utilizar dois dedos para amemorização do número do apartamento, poderá entregar acorrespondência a quatro apartamentos distintos, que é o número decombinações possíveis de se fazer com os dois dedos.Neste ponto, creio que vocês já entenderam o restante do raciocínio.O número total de apartamentos que o porteiro poderá memorizar éigual a 2n, onde n é o número de dedos que ele vai utilizar.Transportando esse raciocínio para o computador, temos que onúmero total de endereçamentos será igual a 2n, onde n é a largurado barramento (o número de bits que trafegam ao mesmo tempo).Dessa forma, um computador cujo barramento de endereços tenha alargura de 32 bits, pode endereçar aproximadamente 4,3 bilhões deespaços de memória.Certo, mas qual a importância disso? Simples, um computador combarramento de endereços de 32 bits pode ter até aproximadamente4GB de memória RAM.As larguras dos barramentos de endereços e de dados não precisamser iguais. Um computador pode, por exemplo, ter um barramento deendereços de 32 bits e um barramento de dados de 16 bits.Atualmente, no entanto, encontramos com mais facilidadecomputadores com barramento de endereços e de dados com 32 bits, WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 21
  22. 22. CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOque, portanto, podem transportar 32 bits de dados simultaneamentee endereçar aproximadamente 4GB de memória.3.6 - Barramento de controleEsse é o barramento responsável por conduzir sinais de sincronia econtrole das operações do computador.Os sinais de sincronia ajustam o trânsito de dados de acordo com oclock do sistema, garantindo que os dados carregados sejamutilizados no momento certo.Os sinais de controle especificam as operações a serem executadas,como, por exemplo: escrever na memória, ler da memória, escreverno dispositivo de E/S, solicitar controle do barramento, entre outros.Variedade de barramentosUm PC moderno possui vários barramentos distintos, cada qual comsua velocidade, largura e outras características. Há barramentos quenecessitam ser mais velozes, pois interagem diretamente com oprocessador. Por outro lado, há outros que não necessitam de muitodesempenho, como um barramento responsável por conectar ummodem ao computador, por exemplo.A necessidade de se ter vários barramentos diferentes em umcomputador vem da evolução natural dos seus diversoscomponentes. À medida que esses componentes evoluem, seu podercomputacional cresce e eles passam a necessitar de barramentosmais velozes. Como os fabricantes de computadores precisam mantera compatibilidade dos sistemas mais modernos com componentesmais antigos, torna-se inevitável a presença de barramentos variadosem um mesmo computador. Por isso, computadores mais antigospossuíam menos barramentos, enquanto que computadoresmodernos possuem mais barramentos.Barramento localUm PC possui alguns barramentos que obedecem a padrõesindustriais e outros que mudam juntamente com mudanças nosprocessadores. Quanto a esses últimos, há certa confusão no tocanteà sua nomenclatura e classificação. Essa confusão deve-seprincipalmente à constante mudança na arquitetura dos PCsmodernos.Por exemplo, Gabriel Torres exemplifica barramento local de duasformas: uma analisando um “micro básico” e outra analisando um PCmoderno. No primeiro caso, barramento local seria aqueleresponsável pela comunicação do processador com a memória RAM ecom um chip da placa-mãe conhecido como ponte norte (o circuito WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 22
  23. 23. CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOponte norte será mais bem estudado na próxima aula). No segundocaso, o barramento local é responsável por conectar o processadorao chip Ponte Norte. Ainda nesse segundo caso, a comunicação dochip Ponte Norte com a memória RAM recebe um nome específico:barramento de memória (ver próximo esquema).William Stallings, por sua vez, dispõe sobre o barramento local deforma relativa à arquitetura do computador. Para ele, o denominadobarramento local conecta dispositivos diferentes conforme esteja emuma arquitetura tradicional ou em uma arquitetura de altodesempenho.Já para Laércio Vasconcelos, barramento do processador, barramentolocal ou barramento de sistema é aquele através do qual oprocessador faz contato direto com o chipset da placa-mãe (ondeestá o circuito ponte norte), e a partir daí, com os demaisbarramentos.Poderia citar outros tantos exemplos de classificações distintas de umbarramento local, mas esse não é o nosso foco. Como o nossoobjetivo é acertar questões de concursos, podemos tirar algumasconclusões sobre o chamado barramento local: • Barramento local, barramento do sistema, barramento do processador ou barramento do micro refere-se ao barramento que dá acesso direto ao processador. É através dele que o processador se comunica com os demais componentes; • Analisando a arquitetura de um PC moderno, o barramento local é conectado a um chip da placa-mãe conhecido como Ponte Norte; • Os demais barramentos do PC, para se comunicarem com o processador precisam, em algum momento, se conectar ao barramento local, para isso utilizam circuitos chamados de pontes (bridges);Por hora, fiquemos com o esquema simplificado abaixo para ilustrar obarramento local em um PC moderno. Quando estudarmos a placa-mãe, esse esquema será aumentado. WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 23
  24. 24. CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIO Observação: Veremos que nas questões de concurso, a utilização dessa nomenclatura não é crítica. Mesmo nas provas para cargos da área de informática, não se costuma cobrar distinções rígidas dessas nomenclaturas. Há duas formas mais comuns de cobrança de conhecimentos de barramentos nas provas. A primeira é questionando-se a função dos barramentos de dados, endereços e controle de forma direta. Para responder a elas, basta-nos não confundi-los entre si, diferenciando corretamente suas funções. A segunda é exigindo-se conhecimento dos barramentos que conectam dispositivos externos, unidades de disco e placas de expansão ao restante do computador. Neste caso, os barramentos seguem padrões industriais de compatibilidade e possuem nomenclatura certa. Esses barramentos serão estudados juntamente com outros componentes da placa- mãe. Portanto, devemos nos concentrar, agora, nas características dos barramentos de endereço, dados e controle e, a partir da próxima aula, quando estudaremos placa-mãe e outros componentes internos do computador, daremos atenção às características que dos outros barramentos. Certamente será suficiente.EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO - PROCESSADORES WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 24
  25. 25. CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOMuitas vezes as questões envolvendo processadores abordam outrosaspectos de hardware, especialmente memória. Por isso, vamosaproveitar os exercícios relativos aos processadores para relembrartambém os conceitos de memória que já vimos.1) (Cespe – Polícia Federal – Operador de computador – 2004)Computador desktop, Pentium 4 - 2.6 GHz, RAM 512 MB, HD de 80GB, DVD-ROM/CD-RW Combo drive, 8X AGP card, modem, unidadede disco de 3½", mouse, teclado, Windows XP.Um usuário adquiriu, pela Internet, um computador com asespecificações listadas acima. Com relação a essas especificações e aconceitos de hardware e software de computadores pessoais, julgueos itens seguintes.I) O microprocessador utilizado no computador é um Pentium 4, oqual realiza, no máximo, 2,7 milhões de operações por minuto.Comentário:Um Pentium 4 2,6 GHz pode executar algo em torno de 2,6 bilhõesde operações por segundo e não 2,7 milhões por minuto. Apropósito, as questões desse tipo, nas quais se pergunta acapacidade de processamento de uma CPU, têm por costume exibiras características dessa CPU no enunciado. Não é necessário saber,por exemplo, quais são os clocks dos diversos modelos de Pentium 4.Gabarito: item errado.II) Para aumentar a velocidade de processamento e melhorar odesempenho do sistema, é recomendável diminuir a quantidade dememória RAM para 256 MB, o que liberará mais o microprocessadorpara as tarefas de processamento. Embora essa ação cause oaumento da velocidade do computador, ocorrerá a diminuição dacapacidade de armazenamento em memória de massa do mesmo.Comentário:Diminuir a quantidade de memória RAM de um computador estálonge de ser algo capaz de aumentar sua velocidade deprocessamento. Além disso, a memória RAM não é um dispositivo dememória de massa, como afirmado na questão.Gabarito: item errado.2) (Cespe – Policia Rodoviária Federal – 2004)• Pentium 4, de 1,8 GHz WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 25
  26. 26. CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIO• 256 MB de RAM• HD de 40 GB• gravador de CD 52ו fax/modem de 56 kbps• gabinete ATX• Windows XP-professionalI) Para o funcionamento adequado do computador, a quantidade dememória RAM a ser instalada deve ser dimensionada em função dotipo de operações/processamento que ele deverá executar. Oconteúdo armazenado na memória RAM é perdido quando ocomputador é desligado.Comentário:A quantidade de memória RAM ideal em um computador depende dautilização que se fará dele. Já vimos, ao estudar memória, que umagrande quantidade de memória RAM nem sempre significa aumentode performance do computador. Além disso, por ser volátil, a RAMperde seu conteúdo quando o computador é desligado.Gabarito: item correto.II) O microprocessador Pentium 4 especificado possui tecnologiaexclusivamente RISC, que, comparada à tecnologia CISC, utilizadaprincipalmente em workstations, permite um número de instruçõesmuito superior, o que o torna muito mais rápido e poderoso que osmicroprocessadores CISC.Comentário:Há vários erros nesse item. O Pentium 4 é predominantemente CISC.Predominantemente, pois, como sabemos, os processadores dos PCsmodernos são híbridos, ou seja, possuem algumas característicasRISC. A tecnologia mais utilizada em workstations, as estações detrabalho, é a RISC, devido a características de especializaçãopresentes nesse tipo de computador. Um número de instruções maiornão torna um processador mais rápido, normalmente ocorre ocontrário, mas isso depende da aplicação que estiver sendo utilizada.Gabarito: item errado.3) (Cespe – Secretaria da Fazenda de Alagoas - 2002)Um computador que utiliza o processador Pentium III de 750 MHztem uma capacidade de memória necessariamente maior que umcomputador que utiliza um processador Pentium III de 600 MHz. WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 26
  27. 27. CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOComentário:Sabemos que os valores 750MHz e 600MHz referem-se ao clockinterno do processador, ou seja, é a freqüência de trabalho doprocessador. Isso não tem nenhuma relação com a quantidade dememória que pode ser instalada no computador. Essa questão doCespe apenas tentou confundir o candidato levando-o a crer que osvalores de clock são capacidades de memória.Gabarito: item errado.4) (Cespe – TJ Acre – 2002) Para aumentar a capacidade detrabalho de aplicativos de edição e planilha eletrônica, como o Word2000 e o Excel 2000, é conveniente, em muitos casos, a troca doprocessador do computador. A melhor alternativa é substituir oprocessador por outro de uma classe acima, como, por exemplo, deum chip Pentium III para um Celeron.Comentário:Essa questão ilustra bem a forma com a qual as bancas costumamcobrar conhecimentos de processadores comerciais. Aqui, exige-seapenas uma noção das famílias de processadores Pentium e Celeronda Intel. Apesar de tratar da comparação entre um Pentium III e umCeleron (já que é uma questão de 2002), a lógica permaneceria igualse ela tratasse de um Pentium 4. Em condições similares(processadores contemporâneos), o Pentium possui melhorperformance que o Celeron.Se os processadores não fossem contemporâneos, não poderíamoscompará-los facilmente. Por exemplo, não podemos afirmar que umPentium III é mais rápido que um Celeron atual. Lembremos que oCeleron manteve seu nome, enquanto os Pentium foram ganhandonúmeros (I, II, III e 4) com o passar do tempo.Gabarito: questão errada.5) (Cespe – TJAP – 2004) Um processador típico Pentium IV possuivelocidade de até 2,4 GHz. Processadores Pentium IV com velocidadeacima de 2,4 GHz são considerados como de arquitetura XeonCentrino.Comentário:Aqui temos mais uma questão explorando noções de processadorescomeciais. O item tentou confundir o candidato menos preparado. WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 27
  28. 28. CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOExistem modelos de Pentium 4 com velocidades maiores que 3 GHz enem por isso eles são considerados como outros modelos deprocessadores. Além disso, sabemos que Xeon é uma linha deprocessadores para servidores e workstations, enquanto que Centrinoé uma tecnologia de processadores e chips para notebooks.Gabarito: item errado.6) (Cespe – TJAP – 2004) Um processador Intel Pentium IV podeser instalado em uma placa-mãe Intel Pentium III, desde que sejaaumentada a sua quantidade de memória RAM, para suportar avelocidade do clock do processador.Comentário:Normalmente os encaixes dos processadores nas placas da CPU(placa-mãe) mudam de acordo com a evolução dos processadorespara se adequar à maior velocidade e performance apresentada pelosmodelos novos. Eventualmente encontramos modelos diferentes deprocessadores que utilizam o mesmo encaixe, mas são poucos oscasos e nunca de uma linha para outra (Pentium III para Pentium 4,por exemplo).Mesmo que o encaixe (que chamamos de socket) fosse o mesmo, aquantidade de memória RAM não tem nenhuma relação com o clockdo processador.Gabarito: item errado.7) (Cespe – TJRR – 2002)configuração X configuração Y • processador Intel Pentium 4 • processador Intel Celeron 1,5 GHz 500MHz • 128 MB de RAM • 64 MB de RAM • HD de 9 GB • HD de 30 GB • placa de rede de 10/100 • placa de fax/modem 56 kbps • CD-ROM 52× • CD-ROM 24× • placa de vídeo de 4 MB • placa de vídeo de 32 MB • controladora SCSI • DVD 8×Com base nas configurações de microcomputadores X e Y mostradasacima, julgue os itens a seguir.I) Apesar de 1,5 GHz ser maior que 500 MHz, a freqüência de clockdo computador da configuração Y é maior que aquela da configuraçãoX, devido ao fato de o processador da configuração Y ser do tipoCeleron e o da configuração X ser do tipo Pentium. WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 28
  29. 29. CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOComentário:Não importa se o processador é Pentium ou Celeron. A freqüênciaindicada pelo processador nos dois casos é o clock interno. Aqui,portanto, o Celeron possui o clock menor. Situação diferente poderiahaver se houvesse a comparação dos clocks de processadores Intel eAMD, já que alguns modelos deste fabricante estampam um clocknominal, não real, para que se possa compará-los aos processadoresdo concorrente. Por isso, é muitíssimo improvável nos depararmoscom uma comparação dessas em uma prova.Gabarito: item errado.8) (Cespe – TER AL - 2004) O microprocessador mais comumenteutilizado atualmente é o 80486, que surgiu para substituir a linhaPentium.Comentário:Os primeiros processadores populares da Intel, fabricados para omercado de PCs, foram os da chamada família 8086. Nessa linha,houve o 80286, o 80386 e o 80486, também conhecidos como 286(lê-se dois oito meia), 386 e 486. A seguir, surgiu a famosa famíliaPentium.Gabarito: item errado.9) (Cespe – TER AL - 2004) Em um computador cujomicroprocessador é o Pentium III de 750 MHz, o termo “750 MHz”quantifica a quantidade de memória RAM instalada no computador.Comentário:Neste ponto da aula, já estamos carecas de saber que o termo750MHz refere-se ao clock interno do processador e não temnenhuma relação com a quantidade de memória RAM instalada.Acho que muitos de vocês já notaram, que é muito comum asquestões de concurso limitarem-se a explorar a confusão de númerose unidades de uma configuração de PC. Trocar MB por KB, MHz porGHz, clock do processador com capacidade da memória etc. Para umleigo esses números são incrivelmente confusos. No entanto, paranós, tenho certeza, já são extremamente familiares.Gabarito: item errado.10) (ESAF – MPU – Analista de informática – 2004) Atualmente,para um aproveitamento máximo da Tecnologia Hyper-Threading, WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 29
  30. 30. CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOdeve-se utilizar um computador com um processador Intel®Pentium® 4 com a Tecnologia Hyper-Threading, um chipset e umaBIOS que utilizem esta tecnologia, além de um sistema operacionalque inclui otimizações para esta tecnologia.Comentário:Essa questão não exige maiores comentários. Como já estudamos,para que a tecnologia Hyper-Threading seja efetiva, o computadordeve ter o chipset da placa-mãe, o BIOS e um sistema operacionalcompatíveis.Gabarito: item correto.11) (ESAF – MPU – Analista de informática – 2004) ATecnologia Hyper-Threading surgiu com os processadores Intel®Pentium® 200 MMX, que apresentavam uma grande evolução nodesempenho para aplicativos multimídia.Comentário:Os processadores Pentium 200 são processadores antigos (1995) ehá muito descontinuados. Fazem parte da primeira família dePentium. O número 200 diz respeito ao seu clock (200 MHz) e MMX éum set de instruções voltado à aplicações multimídia. A tecnologiaHyper-Threading é bem mais recente tendo surgido com osprocessadores Pentium 4.Gabarito: item errado.12) (ESAF – MPU – Técnico – 2004) A arquitetura dosprocessadores INTEL até o Pentium MMX é do tipoa) RISC - Reduced Instruction Set Computer.b) CISC - Complex Instruction Set Computer.c) PCI - Peripheral Component Interconnect.d) API - Application Programming Interface.e) CGI - Common Gateway Interface.Comentário:MMX é um conjunto de instruções voltadas a aplicações multimídia.Esse conjunto (set) de instruções foi incorporado aos processadoresda Intel há alguns anos. Processadores Pentium são, desde o seuinício, do tipo CISC. WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 30
  31. 31. CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOGabarito: alternativa B.13) (ESAF – MPU – Analista Informática – 2004) Uma CPU, emrelação ao número de instruções de processamento que podereconhecer, pode ser classificada em CISC ou RISC. Com relação aessa classificação é correto afirmar que um processador RISCreconhece um número limitado de instruções que são otimizadas paraque sejam executadas com mais rapidez.Comentário:Sabemos que os processadores de arquitetura RISC contêm umnúmero menor de instruções. Essas instruções são mais simples e,por isso, executadas mais rapidamente.Gabarito: item correto.14) (ESAF – MPU – Analista Informática – 2004) Uma CPU, emrelação ao número de instruções de processamento que podereconhecer, pode ser classificada em CISC ou RISC. Com relação aessa classificação é correto afirmar que programas direcionados paramáquinas CISC são naturalmente mais extensos e complexos.Comentário:Como os processadores de arquitetura CISC contêm instruções maiscomplexas, os programas fabricados para esses processadores podemser mais simples e menores, já que boa parte da complexidade jáestá presente nas instruções do processador. Já os processadoresRISC, por conterem um número menor de instruções, exigemprogramas maiores e mais complexos.Gabarito: item errado.15) (ESAF – AFRF - 2003) Uma das características do processadorIntel Xeon é:a) a semelhança de arquitetura com os processadores Intel Celeron,principalmente na velocidade de acesso à memória cache L1 e L2.b) a ausência das memórias cache L1 e L2.c) o seu alto desempenho, sendo normalmente utilizado para equiparservidores.d) a semelhança de arquitetura com processadores AMD Duron,principalmente na velocidade de acesso à memória cache L1 e L2. WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 31
  32. 32. CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOe) a capacidade de equipar uma placa-mãe para quatroprocessadores, sendo que os outros três podem ser Pentium IIIcomum ou Intel Celeron.Comentário:Alternativa A: os processadores Xeon e Celeron estão praticamenteem pólos opostos em uma comparação dos processadores da Intel. OXeon é voltado a computadores de alto desempenho e o Celeron acomputadores de baixo custo.Alternativa errada.Alternativa B: todos os processadores modernos têm cache L1 e L2.Alguns processadores mais potentes possuem também cache L3.Alternativa errada.Alternativa C: essa é a alternativa correta. O Xeon é voltado parasistemas de alto desempenho, como servidores e workstations.Alternativa corretaAlternativa D: Duron é um processador da AMD que já saiu de linha.O fato de serem de fabricantes diferentes já basta para sabermos quesuas arquiteturas não são semelhantes, como afirmado.Alternativa errada.Alternativa E: Apesar de o Xeon poder equipar computadoresmultiprocessados, essa não é uma característica dos Pentium eCeleron.Alternativa errada.Gabarito: alternativa C.EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO – BARRAMENTOS16) (FCC – TRE AM – Técnico Judiciário - 2003) O barramentode endereço dos microcomputadores tem a função de(A) estabelecer conexão entre todos os componentes do computador.(B) fazer conexão entre a impressora e a placa-mãe.(C) transferir dados à placa de vídeo.(D) interpretar comandos obtidos do teclado. WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 32
  33. 33. CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIO(E) fazer conexão entre o processador e a memória.Comentário:Não gostei muito dessa questão, mas a trouxe para ilustrar algo quenão canso de repetir: nem sempre precisamos concordar com aquestão para respondê-la corretamente.Analisemos a alternativa “E”, que é a correta: o barramento deendereços, obviamente faz conexão entre o processador e amemória, mas não é correto afirmar que essa é a função dele. Afinal,o principal objetivo do barramento de endereços, é transportar oendereço de memória que contém o dado ou instrução que deve serlido da memória ou escrito nela. Apesar disso, analisando as outrasalternativas, não nos resta melhor opção do que marcar essaalternativa como a correta. Além disso, sem dúvida o barramento deendereço conecta o processador à memória.Gabarito: alternativa E.17) (ESAF – IRB – Analista de informática – 2004) Um endereçode memória identifica um local onde os dados serão armazenados namemória. Durante uma operação de leitura ou escrita, o barramentode endereços contém o endereço da localização de memória onde osdados deverão ser lidos ou escritos.Comentário:Essa questão da ESAF, ao contrário da anterior da FCC, trouxe comprecisão e simplicidade a função do barramento de endereços:transportar o endereço da localização de memória onde os dadosdeverão ser lidos ou escritos.Gabarito: item correto.18) (FCC – TRT PR – Técnico de informática – 2004) Obarramento local pode ser dividido em três grupos: dados, endereçoe entrada/saída.Comentário:Como sabemos, o barramento local é formado por um barramento dedados, um de endereços e um de controle e não de entrada/saída,como afirmado no item.Gabarito: item errado.É isso. WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 33
  34. 34. CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOPor hoje, ficamos por aqui.Até a próxima aula, quando falaremos de placa-mãe, placas deexpansão, mais barramentos e outros tópicos avulsos.Na próxima aula, finalizaremos o conteúdo relacionado a hardwareestudando a placa-mãe, placas de expansão, diversos tipos debarramentos e alguns outros tópicos avulsos.Até lá! WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 34

×