Aula 2

918 views

Published on

Informatica para concurso

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
918
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
27
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Aula 2

  1. 1. CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIO AULA DOIS: HARDWARE II – ESPECIFICIDADES DAS MEMÓRIAS E DISPOSITIVOS DE ARMAZENAGEMOlá a todos.Hoje vamos completar o estudo dos dispositivos de memória doscomputadores analisando questões específicas do tema.Pessoalmente, um edital que exige noções básicas de hardware nãodeveria cobrar o conteúdo que veremos nesta aula, mas infelizmentenão é isso que acontece. Nos exercícios de fixação teremos umanoção de como esses detalhes são cobrados. Sem mais enrolação,vamos ao trabalho.1 - Tipos de memória RAMEssa é uma parte um pouco cansativa devido à similaridade denomenclaturas. É, no entanto, importante termos noções dos tipos dememória RAM.Existem dois tipos básicos de memória RAM: a DRAM (RAMdinâmica), e a SRAM (RAM estática).1.1 - SRAM (Static RAM)O que precisamos saber sobre a SRAM é basicamente que ela é muitomais veloz e cara que a DRAM. Além disso, ao contrário da DRAM, elanão necessita do chamado Refresh. Refresh é um processo de“Reforço” que as memórias do tipo DRAM utilizam, de tempos emtempos, para manterem seus dados, como veremos logo a seguir.Por sua performance elevada, a SRAM é o tipo de memória utilizadona memória cache e, principalmente por seu preço igualmenteelevado, não é o tipo utilizado na memória RAM.1.2 - DRAM (Dynamic RAM)Como vimos, a DRAM é mais barata e lenta quando comparada àSRAM. A memória RAM dinâmica utiliza transistores e capacitorespara o armazenamento de dados. Os capacitores têm ofuncionamento similar a uma bateria e, portanto, se descarregamcom o tempo, ou seja, o sinal elétrico que representa o dadoarmazenado vai diminuindo. Para que os dados fiquem armazenados, WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 1
  2. 2. CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOas memórias DRAM possuem circuitos especiais (circuitos de refresh),que acessam milhares de vezes por segundo todas as células damemória e atualizam o seu conteúdo (aumentando novamente o sinalelétrico). Por isso são chamadas de dinâmicas.Como é mais barata que a SRAM, a DRAM é a memória queutilizamos como memória principal do computador, já quenecessitamos de maior capacidade de armazenamento. Quando nosreferimos de forma direta ou genérica à memória RAM, estamostratando de DRAM.Existem vários tipos de DRAM. A variação ocorre principalmente emfunção da época em que determinado tipo foi desenvolvido e emfunção de fatores de mercado. Geralmente um micro suportasomente um tipo de DRAM, mas há exceções e algumas questões decompatibilidade a se considerar. Atualmente, os principais tipos deDRAM são: • SDRAM • DDR • DDR21.2.1 - SDRAM (DRAM síncrona)A SDRAM foi muito utilizada entre 1997 e 2002 e caíram em desusosendo substituídas pelas DDR. São chamadas de síncronas porconseguirem trabalhar em sincronia (na mesma freqüência) com aplaca mãe do computador.Para entendermos a diferença entre as memórias do tipo SDRAM eDDR, precisamos conhecer o conceito de freqüência de trabalho damemória. Essa freqüência de trabalho (também conhecida comoclock) é medida em ciclos por segundo e é da ordem de milhões deciclos por segundo (MHz).As memórias SDRAM trabalham transportando (lendo ou escrevendo)64 bits de dados a cada ciclo de trabalho. Encontramos módulos deSDRAM que podem operar com 66 (PC66), 100(PC100) ou133(PC133) MHz. Como transportam 64 bits a cada ciclo de trabalho,basta multiplicarmos a quantidade de bits pela freqüência de trabalhopara sabermos a quantidade de dados que podem ser transportados acada segundo, ou seja, sua taxa de transferência.Vamos entender:64 bits transferidos a cada ciclo = 8 bytes a cada ciclo (64÷8)Então, em uma SDRAM PC100 100 milhões de ciclos por segundo X8 bytes (64 bits) = 800 milhões de bytes por segundo = 800 MB/s. WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 2
  3. 3. CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIO Tipo de SDRAM Clock Taxa de transferência PC66 66MHz 533 MB/s PC100 100MHz 800 MB/s PC133 133MHz 1066 MB/s1.2.2 - DDR (Double Data Rate)A diferença entre a DDR e a SDRAM é que a DDR utiliza cada ciclo detrabalho da memória duas vezes, dobrando sua velocidade, enquantoque a SDRAM utiliza o ciclo apenas uma vez. Quer dizer, aocompararmos uma memória do tipo SDRAM que trabalhe a 100 MHz euma DDR que trabalhe nessa mesma freqüência, a DDR terá umataxa de transferência duas vezes superior à da SDRAM. Daí o motivode receber o nome Double Data Rate.Isso gera certa confusão quanto à nomenclatura das memórias DDR.Uma memória DDR400, por exemplo, faz em um segundo, 400milhões de transferências, cada uma delas com 8 bytes (64 bits),transferindo, assim, 3.200 MB/s. Por isso, os módulos DDR400 sãochamados de PC3200.Os tipos de chips de memória DDR são: Tipo de Nome do Taxa de transferência chip móduloDDR200 PC1600 200 X 8 bytes 1,6KB X 1.000.000 = = 1,6 KB 1600 GB/sDDR266 PC2100 266 X 8 bytes 2,1KB X 1.000.000 = =2,1KB 2100 GB/sDDR333 PC2700 333 X 8 bytes 2,7KB X 1.000.000 = = 2,7KB 2700 GB/sDDR400 PC3200 400 X 8 bytes 3,2KB X 1.000.000 = = 3,2KB 3200 GB/sMas de onde vem a confusão na nomenclatura das DDR? Simples:como elas transportam duas vezes mais dados que uma SDRAM demesma freqüência, sua nomenclatura utiliza um valor nominal aoinvés do valor real das freqüências. Quer dizer, uma memóriaDDR200 não trabalha a 200MHz, mas apenas a 100MHz, comopodemos ver na tabela seguinte: WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 3
  4. 4. CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOTipo Clock Nome do módulo Taxa de transferênciaDDR200 100MHz PC1600 1,6 GB/sDDR266 133MHz PC2100 2,1 GB/sDDR333 166MHz PC2700 2,7 GB/sDDR400 200MHz PC3200 3,2 GB/sMuita atenção aqui! O termo PC100 indica uma SDRAM que trabalha a 100MHz e que,portanto, pode transferir 800MB/s (100 milhões X 8 bytes). O termo PC1600 indica uma DDR que pode transferir 1.600MB/s.Ou seja, em uma SDRAM o termo PCxxx relaciona-se com o seuclock, enquanto que em uma DDR o termo relaciona-se com a suataxa de transferência.1.2.3 - DDR2Tenham calma, a confusão já passou. A DDR2 é apenas umaevolução da DDR, lançada em 2004. A menor versão desses módulosde memória é a DDR2/400. Tanto a DDR400 quanto a DDR2/400possuem a mesma velocidade de transferência de dados (3,2 GB/s).Já podemos encontrar módulos DDR2/667, DDR2/800 e DDR2/1060.Nunca é demais lembrar: essas freqüências são nominais. O valor dasfreqüências reais é metade do das nominais. Esquema simplificado de tipos de memória RAM2 – Outras características de memória RAM2.1 - Tipos de encaixe de memórias RAMExiste uma nomenclatura que identifica o formato físico de ummódulo de memória RAM. Nos micros atuais, esses módulos WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 4
  5. 5. CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOobedecem ao formato DIMM (Dual In-line Memory Module). Esseformato utiliza o nome DIMM seguido do número de vias (contatoselétricos) do módulo: SDRAM DIMM/168 DDR DIMM/184 DDR2 DIMM/240É importante sabermos disso, porque as memórias SDRAM são vulgare erradamente conhecidas como memória DIMM. Agora sabemos queessa associação não é correta.Uma conseqüência dos diferentes tipos de módulo utilizados é queum não se encaixa no slot do outro. Slot é o nome dado à fenda ondeencaixamos um módulo de memória.Portanto, um módulo de memória DDR2 não pode ser utilizado emum micro que só possua slots de memória DDR ou SDRAM. Muitasvezes, entretanto, os fabricantes de micro produzem placas com maisde um tipo de slot de memória RAM. Isso é comum nos períodos detransição entre os formatos e ajuda a reduzir os custos de atualizaçãotecnológica (upgrade) dos micros. Dois módulos DIMM Os encaixes são diferentes impedindo erros de instalaçãoOutros formatos de módulos de memória são o SIMM (Single In-lineMemory) e o RIMM.O padrão SIMM era utilizado em módulos de memória antigos, atéaproximadamente 1997. Essas memórias, anteriores às SDRAM,utilizavam as tecnologias FPM (Fast Page Mode) e EDO (ExtendedData Out), hoje completamente defasadas. Vale ressaltar que FPM e WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 5
  6. 6. CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOEDO também são tipos de memória RAM dinâmica (FPM DRAM e EDODRAM). Dois módulos SIMMO segundo era o módulo adotado em um tipo de memória RAMchamado RDRAM (Rambus DRAM). A RDRAM foi uma tecnologia quesurgiu para suprir uma necessidade de performance na época dolançamento do Pentium 4, por volta dos anos 2000 e 2001. Devido aoseu alto custo, ela não “pegou”, tendo sido rapidamente substituídapela geração das primeiras memórias DDR.Há também módulos utilizados por alguns notebooks, como osmódulos SODIMM ou os MicroDIMM. Módulo de memória SODIMM, utilizado em alguns notebooksÉ importante notar que as tecnologias adotadas nos diversos tipos dememória RAM surgem e desaparecem em função da necessidadecrescente de performance nos microcomputadores. Fatores demercado também exercem forte influência e acabam por determinaro fracasso ou sucesso de uma ou outra tecnologia. Por isso, é comuma convivência de várias dessas tecnologias em um dado período.Em termos de concursos públicos, já sabemos que as bancasexaminadoras costumam cobrar, com maior freqüência eprofundidade, as tecnologias mais recentes. No entanto, é sempreimportante lembrarmos ao menos das nomenclaturas das tecnologiasultrapassadas. Isso é bastante útil quando resolvemos questõeseliminando as alternativas erradas.Por exemplo, ao nos depararmos com uma questão que afirma que amemória RAM do tipo EDO é a mais rápida das memórias, sesoubermos que EDO é um tipo de memória ultrapassado, saberemos WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 6
  7. 7. CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOque a afirmação está errada, mesmo desconhecendo a velocidadedeste tipo de memória.Evolução cronológica dos diferentes tipos de memória RAM, com seusrespectivos tipos de módulo: FPM EDO SDRAM SIMM/30-72 SIMM/72 ou DIMM/168 DIMM/168 RDRAM DDR DDR2 RIMM/184 DIMM/184 DIMM/240Não é demais lembrar que uma tecnologia não substituiimediatamente outra, pois há períodos em que convivem no mercadomais de um tipo de RAM. Observação: os módulos de memória RAM aqui apresentados, bem como os tipos de memória RAM a eles associados não constituem um rol exaustivo. Alguns fabricantes como Apple ou Dell podem exigir determinadas características em seus módulos. Além disso, há uma diversidade de equipamentos, como celulares e PDAs, que usam módulos de memória RAM muito específicos. Em termos objetivos, o que precisamos é de uma noção geral dos tipos de memória RAM e dos módulos mais importantes, lembrando, principalmente, que os módulos não são compatíveis entre si, ou seja, não podem ser substituídos uns pelos outros. Outra observação importante é que há certos módulos de memória, desenvolvidos para nichos de mercado, que possuem desempenho superior aos dos módulos padrão. Essas exceções não costumam ser cobradas, mas é bom sabermos que elas existem. Um exemplo dessas exceções é a existência de módulos de memória do tipo DDR superiores às DDR400(PC3200). São módulos mais caros e, como disse, voltados a nichos de mercado, como os usuários de jogos eletrônicos de ponta e praticantes de overclock (estudaremos o que é overclock na próxima aula).2.2 - Tempo de acesso de memórias RAMO tempo de acesso das memórias RAM é da ordem de poucos (porvolta de dez) milionésimos de segundo (nanossegundos ou ns). WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 7
  8. 8. CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOVamos relembrar a diferença entre taxa de transferência e tempo deacesso: a primeira medida diz respeito à capacidade de transferênciade dados do dispositivo com o restante do computador. A segundarepresenta o tempo médio que o dispositivo leva para ler ou gravarum dado na memória. Quanto maior a taxa de transferência, melhor.Quanto menor o tempo de acesso, melhor.3 – Discos ópticos e leitores3.1 – Capacidade de armazenamento e tipos de CD(ROM/R/RW)A capacidade de armazenamento dos CD-R/RW pode variar emfunção de alguns fatores. Um desses fatores é o diâmetro dos discos.O diâmetro mais popular é o utilizado nos CDs de música tradicionais.Nessa dimensão, o CD pode armazenar 700MB. Existem CDs demenor diâmetro e, portanto, com menor capacidade dearmazenamento. Também já houve o desenvolvimento de CDs comcapacidade maior que 700MB, mas não se costuma cobrar isso emprova. A propósito, questões de concursos que cobram conhecimentode capacidades de armazenamento, geralmente o fazem tomandocomo referência produtos padrão de mercado. Dessa forma, fiquemoscom esse valor para a capacidade de armazenamento de um CD:700MB.Já que estamos falando de CDs, vejamos os tipos existentes quanto àcapacidade de leitura e/ou escrita de dados. Há basicamente trêstipos de CD que nos interessam: • CD-ROM: (read only memory) só pode ser lido, pois já vem gravado de fábrica, como CDs de instalação de softwares, por exemplo. • CD-R: só pode ser gravado (escrita de dados) uma vez, mas lido inúmeras vezes. Existe um termo em inglês para esse tipo de memória que é “Write Once, Read Many - WORM”. Na verdade, podemos gravar um CD-R várias vezes, mas nunca podemos sobrescrever ou apagar algum dado previamente gravado. Vamos entender melhor isso: Quando gravamos arquivos em um CD-R, temos a opção de não finalizá-lo. Optando por não finalizá-lo, podemos gravar outros arquivos posteriormente, mas somente na área que ainda não recebeu dados, na área livre. Uma vez gravado um arquivo em um CD-R, ele não pode mais ser apagado. • CD-RW: distingue-se do CD-R pela possibilidade de ter o seu conteúdo apagado para posteriormente receber novos dados. Antes de finalizá-lo, o comportamento é igual ao de um CD-R, WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 8
  9. 9. CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIO entretanto, podemos apagar todo o seu conteúdo a qualquer momento deixando-o pronto para receber dados novamente.Essas observações são válidas também para a classificação de DVDs.Assim, um DVD-ROM pode apenas ser lido, um DVD-R pode sergravado uma vez e lido diversas vezes e um DVD-RW pode ser tantogravado como lido diversas vezes.3.2 – Capacidade de armazenamento e tipos de DVDDVDs possuem dois padrões distintos de gravação, o DVD- e o DVD+.Não existe nenhuma diferença significativa entre eles, mas é bomsaber que um DVD- só pode ser gravado/lido em umagravadora/leitora compatível. O mesmo raciocínio é válido para oDVD+. As gravadoras modernas, bem como os aparelhos domésticosde DVD podem manipular os dois formatos, tornando essasdiferenças transparentes para o usuário.Quanto à capacidade de armazenamento, vale o aplicado aos CDs, ouseja, também variam em função do diâmetro. No diâmetro maispopular, que é o mesmo do CD, um DVD armazena 4,7 GB. Presteatenção às unidades de medida de bytes nos CDs e nos DVDs.Nestes, o armazenamento é da ordem de BILHÕES de bytes (GB),naqueles, é da ordem de MILHÕES de bytes (MB).No caso dos DVDs, ainda há outro fator que exerce influência na suacapacidade de armazenamento: a densidade. Existem DVDs de dupladensidade (ou dupla camada/double layer), que, portanto, podemarmazenar mais dados na mesma área útil dos DVDs normais .Os DVDs podem ainda conter dados nos dois lados do disco, comonos antigos LPs (alguém se lembra deles?). A desvantagem desseúltimo tipo de mídia é a necessidade de virarmos o disco para gravarou ler no outro lado, já que os tocadores só conseguem ler um lado.Em resumo, podemos ter DVDs com as seguintes capacidades: Padrão Capacidade N° de camadas N° de lados DVD 5 4.7 GB 1 1 DVD10 9.4 GB 1 2 DVD 9 8.5 GB 2 1 DVD 18 17 GB 2 2Atentem para o fato de que um DVD de dupla densidade não tem odobro da capacidade de um de densidade simples. O dobro dacapacidade é alcançado pelo DVD de dupla face, não pelo de dupladensidade. Isso ocorre porque a segunda camada de um DVD de WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 9
  10. 10. CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOdupla camada (ou densidade) armazena menos dados que a primeiracamada.As especificações das mídias de armazenamento óptico variam muitocom o passar do tempo. A cada momento surgem novos padrões etecnologias, assim como outras são esquecidas. Por exemplo, jáhouve o lançamento de CDs de dupla densidade, com capacidade de1,3GB, mas o formato não “pegou”. As mídias de DVD-/+R maispopulares são as de 4.7 GB, que custam aproximadamente R$ 3,00,enquanto que uma mídia de dupla camada custa aproximadamenteR$ 15,00. É possível que essa última nunca seja popular para osusuários de PC e que seja substituída por novos formatos.De fato, esses novos formatos já existem. Falo das tecnologiasBlu-ray e HD DVD. Este último pode armazenar até 15GB em umaúnica camada. O Blu-ray, por sua vez, armazena 25 GB por camada.No momento, os dois formatos estão travando uma batalha pelapreferência do mercado. Recentemente vi anúncios de aparelhosdomésticos de Blu-Ray.Para efeito de concurso público, creio ser suficiente conhecer acapacidade desses dois formatos. Não relevem essa informação, jáque as bancas costumam cobrar com freqüência as novidades etendências do mercado de informática e tecnologia.3.3 – Drives de leitura e gravação de discos ópticosChamamos de drive de CD o equipamento que lê e/ou grava dadosem CDs. Os drives de CD podem ser classificados segundo sua taxamáxima de transferência de dados com o computador. Essaclassificação utiliza a velocidade de um reprodutor padrão,representada com a letra “X” estabelecendo múltiplos desse valor. Avelocidade tida como padrão para os drives de CD é de 150KBps(Kilobytes por segundo). Portanto: Drives de CD 1X 150KB/s ... 52X 7,8MB/sOs drives de CD utilizam uma nomenclatura padrão para indicar suavelocidade para tarefas distintas. Um drive gravador/leitor de CDtípico possui uma indicação como: CDRW 24x10x40x.A maior velocidade é sempre a de leitura de CD. A menor é a deregravação (CD-RW) e a velocidade intermediária é de gravação (CD-R). No exemplo, o drive pode ler um CD a 40x, gravar um CD-R a24x e gravar um CD-RW a 10x. WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 10
  11. 11. CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIODrives ópticos modernos podem trabalhar somente com CDs ou comCDs e DVDs. As combinações possíveis são: • Drives leitores de CD • Drives leitores/gravadores de CD Comentário: Isso existe? • Drives leitores de DVD e de CD • Drives leitores de DVD e leitores/gravadores de CD (Combo drives) • Drives leitores/gravadores de DVD e CDA lógica é simples: um drive que lê DVDs, também lê CDs. Um driveque grava DVDs, também grava CDs. A recíproca, no entanto, não éverdadeira. Atenção ao chamado drive combo, pois ele não gravaDVDs, apesar de gravar CDs.As medidas de velocidade dos drives de DVD são diferentesdas dos drives de CD. A velocidade padrão (1x) dos drives de DVDé de cerca de 1350KB/s. Portanto: Drives de DVD 1X 1350KB/s ... 12X 16,2MB/sA velocidade 1x de um DVD equivale à velocidade 9x de um CD. Unidade leitora de CD 52X (7,8MB/s) WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 11
  12. 12. CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIO Unidade leitora/gravadora de CD 52x32x52x4 - Discos rígidos4.1 – Anatomia de um disco rígidoO disco rígido é uma pilha de pratos de metal (normalmentealumínio, revestidos de óxido de ferro), que gira sobre um eixo. Aleitura ou gravação é feita por um braço com diversas cabeças que semovem simultaneamente, de forma que possam acessar qualquerparte dos discos. Tudo isso é fechado dentro de uma câmara a vácuoe selada.Discos rígidos são equipamentos de construção e funcionamentomuito precisos. Para se ter uma idéia, a distância que separa ocabeçote de leitura/gravação da superfície do disco é muito menorque um fio de cabelo.Cada um dos discos que compõem uma unidade de disco rígidopossui, obviamente, duas faces. O que importa é que ambas as facessão utilizadas, e para cada uma delas há uma cabeça deleitura/gravação de dados. WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 12
  13. 13. CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOInterior de um disco rígido, com seus diversos discos e braços de leitura/gravação Braços de leitura/gravação em detalheCada face de um disco de um HD é dividida em uma série de círculosconcêntricos chamados de trilha. Trilhas parecem-se muito com asfaixas de um disco de áudio LP. A diferença é que em um LP oscírculos formam uma espiral contínua enquanto que no disco rígidoeles são separados. Discos modernos possuem milhares de trilhas emcada face.Cada trilha, por sua vez, é dividida em setores. Pense num disco, jádividido em trilhas, sendo fatiado como se fatia uma pizza. Cadapedaço resultante dessa divisão é um setor. Ainda sobre setores: • o setor é a menor unidade com a qual o disco trabalha, portanto deve ser gravado ou lido sempre inteiro. Quer dizer, se for necessário alterar apenas um byte dos 512 bytes de um setor, todo o setor é regravado. • cada setor armazena 512 bytes (meio KB). • discos rígidos antigos possuíam um número de setores igual em todas as trilhas. • discos modernos possuem mais setores nas trilhas mais externas. WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 13
  14. 14. CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIO Esquema de um disco rígido (HD) Ilustração do interior de um disco rígido4.2 – Capacidade de armazenamentoOs discos rígidos mais comuns no mercado brasileiro de PC são osque armazenam de 60GB a 120GB. No entanto, existem discos com WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 14
  15. 15. CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOmaior capacidade. Pelo que pude levantar, hoje, o maior disco rígidointerno possui capacidade de armazenar 500GB.Discos rígidos externos podem ser maiores porque não possuemlimitação de tamanho. Os discos rígidos internos têm tamanhopadrão, já que devem encaixar-se perfeitamente nos gabinetes dosPC, que também obedecem a um padrão. A propósito, discos rígidosdestinados a notebooks são menores que os destinados a desktops.Não por acaso, são bem mais caros.4.3 – Velocidade dos discos rígidos4.3.1 – Padrão do discoA velocidade dos discos rígidos varia em função de vários fatores,dentre eles o padrão adotado. Os mais comuns hoje em dia são os dopadrão IDE, cuja taxa de transferência máxima é de 133MB/s.Atualmente o mercado está migrando para o padrão SATA, cujamenor velocidade é de 150 MB/s. Há também os discos rígidos SCSI.Estes últimos são discos de alto custo e desempenho, usadosprincipalmente pelo mercado corporativo. Há discos SCSI que operama mais de 300MB/s. Voltaremos a falar desse assunto quandoestudarmos o assunto referente a barramentos.4.3.2 – Velocidade de rotaçãoOutro fator que influencia de modo indireto na velocidade dos discosrígidos é a velocidade de rotação dos discos. Discos voltados aomercado doméstico (SATA ou IDE) podem ser encontrados emvelocidades de rotação de 5400, 7200 ou 10.000 RPM (rotações porminuto). Os discos SCSI mais velozes operam a 12.000 e 15.000RPM.Internamente, do ponto de vista mecânico (discos, braços, motores),discos IDE, SATA e SCSI são semelhantes. A principal diferença entreeles está nos seus circuitos controladores e no tipo de interface queutilizam.4.3.3 – Tempo médio de acessoO tempo de acesso do disco rígido é o tempo que ele leva paraposicionar os cabeçotes de leitura/gravação sobre um determinadoponto do disco. Como os tempos de acesso variam bastante emfunção da distância de um ponto a outro, uma medida aproximada éconseguida medindo-se o tempo que ele leva do início até o meio dodisco. O tempo de acesso resulta, portanto, da combinação davelocidade de rotação do disco (RPM) e o tempo necessário paramover os cabeçotes de uma trilha para outra. WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 15
  16. 16. CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOO tempo médio de acesso dos discos rígidos modernos varia de 5 a15ms (milissegundos, 1/1.000 de segundo).Cabe lembrar que o tempo médio de acesso das memórias RAM ficaem torno de 10 milionésimos de segundo (10/1.000.000 de segundo)4.3.4 – Taxa de transferência interna e externaQuando falamos que a velocidade de um HD é de 150MB/s estamosfalando de taxa de transferência externa. Essa é a velocidade com aqual o disco rígido se comunica com o restante do computador, maisespecificamente com a placa-mãe do computador.Entretanto, os discos rígidos possuem também uma taxa detransferência interna. Essa taxa indica a velocidade com a qual odisco se comunica com uma memória interna que possui. A funçãodessa memória interna, conhecida como buffer, é a de serintermediária entre o disco e o restante do computador. Em geral, ataxa de transferência interna é bem menor que a externa.Não precisamos nos preocupar com valores de transferência interna,mas é bom saber, e importante lembrar, que quando nos referimos àtaxa de transferência de um HD, estamos falando da taxa detransferência externa. Também é comum referir-se à taxa detransferência externa como velocidade de um HD:– Qual a velocidade desse HD?– 133 MB/s!5 - Memórias FlashSem dúvida, a tecnologia disponibilizada por meio das modernasmemórias Flash representa uma revolução nos dispositivos portáteisde armazenamento de dados. Até pouco tempo atrás, a única opçãoque dispúnhamos era o disquete de 3 ½ polegadas, com seus míseros1,44MB de capacidade, além de uma confiabilidade baixíssima.Como estão cada vez mais presentes no dia-a-dia dos usuários dePCs, é provável que fiquem também mais freqüentes nas questões deconcurso. Vamos destacar alguns detalhes desses dispositivos.5.1 – Capacidade de armazenamento de memórias FlashAs memórias Flash estão em franco desenvolvimento, ficando cadavez mais populares. Por isso, sua capacidade de armazenamento temcrescido bastante em um curto espaço de tempo. Atualmente, essacapacidade pode variar de alguns poucos megabytes (16, 32, 64) aincríveis 4GB ou mesmo 8GB. WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 16
  17. 17. CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOLembro a todos que esse é um tipo muito caro de memória. Porexemplo, por R$350,00 pode-se comprar um disco rígido de 200 GBem um site de leilões brasileiro, o que dá R$1,75 por GB. No mesmosite, encontramos um pen-drive (memória flash) de 4GB porR$500,00. Nesse caso, o preço por GB pula para R$ 125,00!! Muitocaro, não acham?5.2 – Tipos comuns de memórias FlashPode ser útil conhecermos os tipos mais comuns dessas memórias.Os dispositivos de memória flash que são integrados a um conectorUSB são conhecidos como pen-drive. Veremos mais sobre conectorese USB nas próximas aulas. Pen-drive = memória Flash com conector USB integradoOs cartões de memória, que também são tipos de memória Flash,existem em diversos formatos, principalmente em função de fatoresde marca e mercado. Os mais comuns são: • Compact Flash – o maior da turma: WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 17
  18. 18. CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIO• Secure Digital (SD), MiniSD e MicroSD/TransFlash – muito populares em máquinas fotográficas digitais menores e PDAs:• MMC e MMC mobile – relativamente compatíveis com o SD:• xD-Picture Card:• SmartMedia – em desuso: WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 18
  19. 19. CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIO • Memory Stick:Existem leitores/gravadores de cartões de memória externos ouinternos. Os externos geralmente conectam-se ao computadoratravés de um conector USB. Os internos costumam utilizar uma áreado gabinete idêntica à destinada aos drives de disquetes. Em minhaopinião, a tendência que se verifica é a de substituição dos drives dedisquete por leitores de cartões.Há também alguns periféricos, como mouses e impressoras, que vêmcom leitor de cartões embutido, o que também acontece comfreqüência nos notebooks mais equipados.Os leitores atuais costumam ser capazes de ler praticamente todos ostipos de cartão do mercado. No entanto, é bom sabermos que oscartões não são compatíveis entre si, salvo algumas exceções. O queos fabricantes de leitores fazem é fabricá-los com encaixes para osdiversos tipos de cartão. Leitor externo de cartões de memória com conector USB WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 19
  20. 20. CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIO Leitor interno de cartões de memória Encaixa-se no gabinete do computador No detalhe, leitor de cartões integrado a uma impressora Leitor de cartões integrado a um notebook6 - Fitas magnéticasAs fitas magnéticas são muito utilizadas para backup de dados.Existem vários formatos desse tipo de mídia. Como são voltadas paraum mercado mais corporativo, é comum que existam soluções quaseque personalizadas de formatos e equipamentos de gravação e leiturade fitas. No entanto, um formato muito popular é o da chamada fitaDAT. Inicialmente projetada para áudio, foi adotada paraarmazenamento de dados e pode guardar de 1,3 a 72GB em fitas de WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 20
  21. 21. CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIO60 a 170 metros, dependendo do formato em que são gravados osdados.Podemos lembrar de outros formatos como o DLT (digital linear tape)e o LTO (Linear tape-open). Este último é um formato aberto emoposição ao caráter proprietário do primeiro. Uma fita LTO podeguardar até 800GB.Vale lembrar que fitas são dispositivos de armazenamentoseqüencial, isto é, para se ler um dado que está no final da fita,tem-se que passar por toda sua extensão, obrigatoriamente. Por essemotivo, seu uso é praticamente limitado ao backup.7 - Discos flexíveisUm disco flexível de 3 e ½ polegadas armazena até 1,44 MB (atençãoao M!). Apesar de ultrapassado, ainda encontramos unidades de discoflexível, o famoso disquete, em praticamente qualquer PC atual. Umaobservação: o drive que lê e grava dados em disquetes muitas vezesaparece apenas com a sigla FDD, de Floppy Drive Disk. Fiquematentos.Os discos flexíveis existiram em tamanhos variados. Atualmente édifícil encontrarmos um disquete que não seja o de 3 e ½". Há algunsanos, entretanto, era comum termos computadores com duasunidades de disquete: um de 3 e ½" e outro de 5 e ¼".A maioria dos leitores/gravadores de disquetes são embutidos nogabinete do computador. Entretanto, existem unidades externas,principalmente para uso com notebooks.7.1 – Zip Drive e Jaz DriveZip drive é um tipo especial de disquete com capacidade dearmazenamento muito superior (geralmente 100 e 250 MB). O nichode mercado desse disquete era o transporte de arquivos muitograndes, que não cabiam em disquetes convencionais. Apopularização dos gravadores de CD com a conseqüente diminuiçãono preço das mídias, bem como o surgimento das memórias Flash emforma de Pen-drives e cartões de memória acabaram por fazer comque o Zip Drive não decolasse como previsto.Sei que um dia serei surpreendido, mas acho difícil imaginar umamaneira mais simples de transportar dados do que utilizando umpen-drive. Estou, logicamente, me referindo ao transporte físico,manual, de dados. WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 21
  22. 22. CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIO Zip driveOutro tipo de disquete, semelhante ao Zip Drive, é o Jaz Drive. Estesúltimos foram construídos com capacidade de 1 ou 2GB. Ambos sãocriação de uma empresa chamada Iomega. Jaz DriveEXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO - ESPECIFICIDADES DAS MEMÓRIASE DISPOSITIVOS DE ARMAZENAMENTO1) (FCC) A capacidade de armazenamento de um CD é equivalente àcapacidade de cerca de:A) 40 disquetes.B) 500 disquetes.C) 230 disquetes.D) 20 disquetes.E) 3000 disquetes.Comentário: WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 22
  23. 23. CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOPara sabermos a capacidade de armazenamento de um CD emnúmeros de disquetes, basta dividir 700MB por 1,44MB. Atenção!Sempre que nos depararmos com questões desse tipo, o primeiropasso para a resolução é colocarmos as capacidades dos dispositivosnas mesmas unidades de memória. Quer dizer, devemos dividir 700Megabytes por 1,44 (Megabytes) e não por 1.440 (Kilobytes). Tudobem, isso parece óbvio, mas, na hora do nervosismo, garanto queessa precaução vale a pena.A resposta para a questão é a alternativa “B”, já que o resultado dadivisão dá 486 ou cerca de 500.Gabarito: alternativa B.2) (CESPE) Um disco rígido de 80 GB permite armazenar umaquantidade de bytes superior à quantidade que 100 discos do tipomais popular de CD-ROM permitem armazenar.Comentário:O tipo mais comum de CD-ROM, como vimos, armazena 700MB.Portanto, 100 CDs podem armazenar aproximadamente 70.000MB ou70GB. Assim, um disco rígido de 80GB pode armazenar mais bytes doque 100 CDs comuns. Podemos perceber que o examinador tomou ocuidado de reportar-se a CDs “do tipo mais popular” não deixandomargens a questionamentos acerca de outros formatos de CD, comoo de dupla densidade de 1,3GB de capacidade. Portanto, a questãoestá correta.De qualquer forma, mesmo que a questão não deixasse explícito quese tratam de “discos do tipo mais popular”, devemos sempre partirdessa premissa, quando o comando não citar algo diferente.Gabarito: assertiva correta.3) (ESAF – Auditor Fiscal do Trabalho – 2003)Analise as seguintes afirmações relacionadas a processamento dedados, hardware, software e periféricos.I. A memória DDR usa circuitos de sincronização que aumentam asua velocidade. A memória DDR é, basicamente, duas vezes maisrápida que a SDRAM, sem aumentar a velocidade nominal em MHz.II. A cache é uma memória intermediária, com a mesma velocidadeque a RAM, que é utilizada para mediar a troca de dados entre oprocessador e a memória RAM.III. A memória EDO é aproximadamente 50% mais rápida que aSDRAM, com ganhos reais ao redor de 25%. WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 23
  24. 24. CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOComentário:Item I. A principal característica da DDR é utilizar a sua freqüência detrabalho de forma duplicada em relação à SDRAM. Por isso possuemo dobro da taxa de transferência quando comparadas a uma SDRAMde mesma freqüência (freqüência nominal).Item correto.Item II. De fato a cache é uma memória intermediária e é utilizadapara mediar a troca de dados entre o processador e a memória RAM.No entanto a velocidade da cache é muito maior que a da RAM.Item errado.Item III. A memória EDO é um tipo de DRAM (RAM dinâmica) antigoe atualmente ultrapassado. A SDRAM é uma memória mais recente,embora também já esteja ultrapassada. Analisando a evolução dastecnologias de memórias RAM podemos notar que sempre há umganho de velocidade nos tipos mais recentes. Portanto, mesmo semsaber os valores das respectivas taxas de transferência, podemosverificar que o item está errado apenas lembrado da evoluçãocronológica dos tipos de memória RAM.Item errado.Gabarito: apenas o item I está correto.4) (FCC – 2004 – TRT PR – com adaptações) Em relação aoscomponentes básicos de um microcomputador padrão PC, é corretoafirmar que:A) a memória RAM armazena dados que são preservados, ainda queo microcomputador seja desligado.B) os programas armazenados em memória ROM recebem o nome defirmware.Comentário:Alternativa A. A memória RAM é uma memória do tipo volátil,portanto perde seus dados quando o computador é desligado.Alternativa falsa.Alternativa B.Como vimos, firmware é o software básico dos equipamentos dehardware e vem previamente gravado na memória ROM. Essa é aalternativa certa. WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 24
  25. 25. CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOGabarito: alternativa B.5) (FCC) – (com adaptações) Com relação ao hardware daplataforma IBM-PC, a:A) RAM, ao contrário da memória ROM, é uma memória dearmazenamento definitivo e seu conteúdo somente é alterado ouapagado através de comandos específicos.B) RAM é uma memória de armazenamento temporário, enquanto amemória ROM é um tipo de memória que não perde informações,mesmo quando a energia é desligada.C) ordem de busca realizada pela CPU para alocar os dados paraprocessamento inicia-se na memória principal, em seguida na CacheL1 e por último na Cache L2.Comentário:Alternativa A. A RAM é uma memória de armazenamento temporário,enquanto a ROM possui caráter definitivo. Houve uma inversão.Alternativa Falsa.Alternativa B.Essa é a alternativa correta.Alternativa C. A ordem de busca que a CPU realiza é: cache L1, cacheL2, cache L3 (se houver) e finalmente memória principal (RAM).Alternativa Falsa.Gabarito: alternativa B.6) (CESPE – Policia Federal – Escrivão - 2002) Entre os meios dearmazenamento que podem ser utilizados por um usuário que preciserealizar o backup de informações obtidas na Internet, incluem-sewinchester, CD-ROM e fita magnética.Comentário:Esse é o tipo de questão que derruba o candidato mais apressado ouaquele que dispensa uma preparação para as provas de informáticaconfiando em seus conhecimentos corriqueiros da matéria. Digo issoporque o termo CD-ROM é comumente e inadequadamente utilizadopelos leigos para indicar genericamente qualquer tipo de CD. WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 25
  26. 26. CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOEm uma lida rápida e despretensiosa podemos esquecer que o CD-ROM, não permite gravações, já que vem previamente gravado defábrica.Gabarito: item errado.7) (CESPE – agente de tributos MT – 2004) Para a realização debackup, existem vários procedimentos que vão desde a aquisição deequipamentos e computadores específicos até procedimentos maissimples como, por exemplo, a gravação de dados em CD-ROM. Umavantagem dos CD-ROMs é que todas as variedades dessa mídiapermitem um número ilimitado de operações de leitura e escrita,possibilitando que qualquer tipo de CD-ROM seja utilizado inúmerasvezes para operações de backup.Como vimos, um CD-ROM é um CD que já vem com o conteúdogravado de fábrica e não pode ser alterado. A questão estaria certase se referisse a CD-RW, que é o tipo de mídia apropriado paragravações e regravações sucessivas.Gabarito: item errado.8) (CESPE – TJBA 2003) Caso a unidade de CD-ROM 56× de umcomputador seja trocada por uma de 50×, a velocidade de leitura emCDs irá aumentar, apesar de a quantidade de memória contida no CDdiminuir.Comentário:Uma unidade de CD-ROM 56x é um leitor (somente) de CDs. O 56xindica que ela pode ler o CD a uma velocidade de aproximadamente8,4MB/s. Se for trocada por uma de 50x, só se poderá ler dados aaproximadamente 7,8MB/s, portanto, diminuindo a velocidade deleitura.A quantidade de memória do CD não possui nenhuma relação com avelocidade do drive, apenas com as características da mídia (CD).Gabarito: item errado.9) (ESAF - AFRF 2002) Analise as seguintes afirmações relativas asistemas de armazenamento:I. O acesso aos registradores é mais rápido que o acesso à memóriacache.II. O tempo de acesso à memória RAM e aos discos magnéticos épraticamente o mesmo. WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 26
  27. 27. CURSOS ON-LINE - INFORMÁTICA - CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO BONIFÁCIOIII. As unidades de fita DAT são muito utilizadas para efetuar cópiasde segurança.IV. Quando um disco magnético é utilizado como memória virtual, otempo de acesso é inferior ao da memória cache.Indique a opção que contenha todas as afirmações verdadeiras.a) I e IIb) II e IIIc) III e IVd) I e IIIe) II e IVComentários:Item I. Falaremos de registradores na próxima aula. Por hora, bastasaber que o tempo de acesso dos registradores é o menor queencontrado no computador.Item II. O tempo de acesso da memória RAM (+/-10ns,nanossegundos) é quase mil vezes menor que o dos discos rígidos(+/- 15ms, milissegundos).Item III. A maior vocação das fitas magnéticas, principalmente porconseqüência de sua forma de acesso de dados seqüencial, semprefoi a realização de cópia de segurança, o famoso backup.Item IV. O fato de um disco rígido ser utilizado como memória virtualnão tem o poder de alterar suas características físicas, dentre elas, otempo médio de acesso. Esse tempo é característica intrínseca decada dispositivo.Gabarito: itens I e III estão corretos, alternativa D.Por hoje é só.Abraços a todos e até a próxima aula, quando falaremos deprocessadores. WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 27

×