Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Efeitos da expansão do setor de celulose para a dinâmica regional do Estado - Darci Antônio Tartari

129 views

Published on

Palestra realizada em lançamento da publicação FEE Setorial, analisando o segmento de Celulose de Mercado.

Apresentação: Fernanda Queiroz Sperotto (Economista da FEE)
Palestrantes:
- Walter Lídio Nunes (Presidente da Celulose Riograndense), com o tema “Perspectivas do setor de celulose para a economia gaúcha e brasileira”.
- Darci Antônio Tartari (Diretor Técnico da Superintendência do Porto de Rio Grande), com o tema “Efeitos da expansão do setor de celulose para a dinâmica regional do Estado”
Local: auditório da FEE
Data: 08/11/2016

Published in: News & Politics
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Efeitos da expansão do setor de celulose para a dinâmica regional do Estado - Darci Antônio Tartari

  1. 1. Superintendência do Porto do Rio Grande Novembro/2016 Expectativas e Resultados da Expansão da Celulose na Movimentação Hidroviária e Marítima Eng. Darci Tartari Diretor Técnico da SUPRG
  2. 2. Localização
  3. 3. Superporto 40’ / 47’ - 14m / 16m Porto Novo 31’ / 40’ - 10,5m / 14m São José do Norte 31’ / 40 – 10,5m / 14m Porto Velho 17’ - 5,5m Áreas de Operação Portuária
  4. 4. • 9 Terminais Portuários • 20 Terminais Retro Portuários • 15 Berços de Atracação • 2 Estaleiros (ERG1 e ERG2) Área Superporto
  5. 5. Estatísticas
  6. 6. Estatísticas
  7. 7. Estatísticas Movimentação total (tons) – Porto do Rio Grande Mês 2015 2016 Variação Janeiro 1.849.252 2.158.724 16,73% Fevereiro 2.008.271 2.229.489 11,02% Março 2.548.084 2.740.384 7,55% Abril 4.023.039 3.699.878 -8,03% Maio 3.407.739 4.254.203 24,84% Junho 3.956.993 4.272.812 7,98% Julho 3.985.081 3.892.764 -2,37% Agosto 4.067.423 3.917.734 3,82% Setembro 3.280.520 3.279.615 0,02% Outubro 3.318.896 Novembro 3.099.326 Dezembro 2.124.578 Peso bruto (t) 37.669.202 30.445.603
  8. 8. Estatísticas MOVIMENTAÇÃO TOTAL DE CONTEINERES ANO QUANTIDADE TEU 2011 382.946 618.059 2012 374.563 611.160 2013 387.359 626.112 2014 413.080 678.765 2015 434.219 726.781 0 100.000 200.000 300.000 400.000 500.000 600.000 700.000 800.000 2011 2012 2013 2014 2015 QUANTIDADE TEU
  9. 9. Estatísticas TRANSBORDO CONTEINERES ANO QUANTIDADE TEU 2011 49.360 76.589 2012 45.288 68.195 2013 47.135 70.191 2014 90.761 153.115 2015 90.629 157.234 0 20.000 40.000 60.000 80.000 100.000 120.000 140.000 160.000 2011 2012 2013 2014 2015 QUANTIDADE TEU
  10. 10. Estatísticas PRINCIPAIS MERCADORIAS IMPORTADAS ACIMA DE 100 MIL TONELADAS ANO: 2015 MERCADORIA PESO (T) CLORETO DE POTÁSSIO 1.211.776 FOSFATO MONOAMONICO 807.646 URÉIA 752.657 FOSFATO DE CÁLCIO NATURAL 395.107 SUPERFOSFATO (SIMPLES E TRIPLO) 382.905 ÁCIDO SULFÚRICO 244.911 TRIGO 141.915 NPK 112.290 METANOL/ALCOOL METÍLICO 106.606 DEMAIS MERCADORIAS 1.698.918 IMPORTAÇÕES 2015 (t) 5.854.731 PRINCIPAIS MERCADORIAS EXPORTADAS ACIMA DE 100 MIL TONELADAS ANO: 2015 MERCADORIA PESO (T) SOJA EM GRÃO 11.443.092 FARELO DE SOJA 2.585.214 TRIGO 1.456.960 CAVACOS DE MADEIRA 821.388 CELULOSE 701.872 ARROZ 621.760 MILHO 378.875 FUMO NÃO MANUFATURADO 291.644 ÓLEO DE SOJA 260.744 POLIETILENO 256.816 QUEBRADOS DE ARRO 256.664 FRANGO 224.797 DEMAIS MERCADORIAS 2.390.694 EXPORTAÇÕES 2015 (t) 21.690.519
  11. 11. Estatísticas EXPORTAÇÃO E DESEMBARQUES DE CELULOSE ÁREA PORTO NOVO 2014 ANO EXPORTAÇÃO (LONGO CURSO) DESEMBARQUES (Barcaças) PESO (T) N° PESO (T) N° JANEIRO 0 0 18.511 6 FEVEREIRO 32.051 2 21.129 7 MARÇO 0 0 20.093 7 ABRIL 36.037 2 22.715 8 MAIO 18.519 1 23.795 9 JUNHO 0 0 14.475 5 JULHO 13.010 1 24.667 7 AGOSTO 24.523 2 21.202 8 SETEMBRO 18.018 1 18.650 9 OUTUBRO 0 0 17.540 10 NOVEMBRO 30.031 3 21.065 9 DEZEMBRO 15.011 1 18.584 7 TOTAL 187.200 13 242.426 92 * N° = N° de embarcações * NCM= 47032900
  12. 12. Estatísticas EXPORTAÇÃO E DESEMBARQUES DE CELULOSE ÁREA PORTO NOVO 2015 ANO EXPORTAÇÃO (LONGO CURSO) DESEMBARQUES (Barcaças) PESO (T) N° PESO (T) N° JANEIRO 0 0 16.088 6 FEVEREIRO 10.411 1 17.225 8 MARÇO 11.433 1 8.176 3 ABRIL 0 0 1.981 2 MAIO 10.210 1 14.809 6 JUNHO 31.021 1 48.506 17 JULHO 74.748 5 97.465 28 AGOSTO 81.422 4 116.496 33 SETEMBRO 57.329 3 82.927 23 OUTUBRO 85.483 4 114.246 32 NOVEMBRO 86.555 5 86.685 23 DEZEMBRO 56.121 3 85.372 25 TOTAL 504.733 28 689.976 206 * N° = N° de embarcações * NCM= 47032900
  13. 13. Estatísticas EXPORTAÇÃO E DESEMBARQUES DE CELULOSE ÁREA PORTO NOVO Janeiro à Setembro de 2016 ANO EXPORTAÇÃO (LONGO CURSO) DESEMBARQUES PESO (T) N° PESO (T) N° JANEIRO 113.029 5 123.920 36 FEVEREIRO 46.338 5 96.202 27 MARÇO 92.122 5 90.683 24 ABRIL 94.813 6 110.474 33 MAIO 90.592 5 136.444 34 JUNHO 90.189 5 112.468 28 JULHO 143.053 9 104.875 30 AGOSTO 57.622 5 72.641 18 SETEMBRO 57.034 5 140.639 38 TOTAL 784.792 50 988.346 268 * N° = N° de embarcações * NCM= 47032900
  14. 14. CALADO: 9,45 metros CAIS: 1.950 metros ÁREA: 48.200 m² de áreas cobertas e pátio. O cais do Porto Novo conta com 03 guindastes de grande porte em operação, sendo 01 com capacidade de 100 toneladas Área Porto Novo – Cais Público Movimentação 2015: 4.706.096 toneladas
  15. 15. Área Porto Novo – Cais Público Movimentação de Toras de Madeira - Fibria
  16. 16. Porto Novo – Cais Público CALADO: 9.45 metros CAIS: 1.950 metros ÁREA: 48.200 m² de áreas cobertas e pátio.
  17. 17. Movimentação de Celulose na Hidrovia • Aproximadamente 95% da celulose produzida é movimentada e exportada pela hidrovia; • O projeto aproveita o retorno das barcaças que descarregam celulose em Rio Grande e passam vazias por Pelotas; • O projeto elimina o impacto dos caminhões na rodovia, reduzindo a distância percorrida, em média, em 450km por caminhão e por viagem;
  18. 18. Movimentação de Celulose na Hidrovia • O projeto elimina o impacto dos caminhões na rodovia, reduzindo a distância percorrida, em média, em 450km por caminhão e por viagem; • Redução da poluição ambiental, diminuição do impacto nas estradas, diminuição de acidentes;
  19. 19. Movimentação de Celulose na Hidrovia Reforma dos Armazéns Obras já realizadas - SUPRG: 6 armazéns disponibilizados (B2, B3, B4, B6, C4 e C5); - SUPRG: Regras de Especialização para Uso dos Armazéns; - SUPRG: Aprovação de tarifa competitiva/atrativa da carga; - CMPC: Reformas de piso, telhado, portões, rotas de fuga, sistema de proteção de incêndio e PPCI; - SAGRES: Operador Portuário e interveniente na realização das obras; - CMPC: Investimento de R$ 6,4 milhões.
  20. 20. Movimentação de Celulose na Hidrovia Reforma dos Armazéns Armazém B6 - antes e depois das obras
  21. 21. Movimentação de Celulose na Hidrovia Reforma dos Armazéns Armazém C4 - antes e depois das obras
  22. 22. Movimentação de Celulose na Hidrovia Reforma dos Armazéns Armazém C5 - antes e depois das obras
  23. 23. Movimentação de Celulose na Hidrovia O projeto aproveita o retorno das barcaças que descarregam celulose em Rio Grande e passam vazias por Pelotas; Dados do Projeto: • Investimento de aproximadamente R$ 35.000.000 em Pelotas, incluindo infraestrutura e equipamentos; • Geração de 800 empregos diretos na região; • Transporte de 1.200.000 toneladas de toras de madeira por ano; • Início dos testes operacionais: out/2016
  24. 24. • De Porto Alegre a Charqueadas – 46 km com calado de 3,50m • De Porto Alegre ao Porto de Estrela - 145 km com calado de 2,50m • De Porto Alegre a Rio Grande – 315 km com calado de 5,18m • De Porto Alegre ao Porto de Cachoeira do Sul – 227 km com calado de 2,50m • De Porto Alegre ao Pólo Petroquímico – 26km com calado de 5,18m • De Pelotas a Rio Grande – 55km com calado de 5,18m • De Pelotas a Porto Alegre – 278 km com calado de 5,18m Acesso aos Portos e Terminais Interiores
  25. 25. Estatísticas Percentual da Navegação Interior na Movimentação Total Porto do Rio Grande ANO PESO (T) NAVEGAÇÃO INTERIOR % 2011 30.494.684 4.179.889 13,71% 2012 27.744.975 3.744.710 13,50% 2013 33.248.729 4.153.288 12,49% 2014 34.576.405 4.297.468 12,43% 2015 37.669.202 4.410.078 11,71% **2016 30.462.622 3.858.593 12,67% * Na movimentação da coluna Navegação interior foram excluídos os abastecimentos (Consumos de bordo). ** Ano de 2016 = Janeiro a setembro
  26. 26. Estatísticas Percentual da Navegação Interior na Movimentação Total Porto do Rio Grande ANO PESO (T) NAVEGAÇÃO INTERIOR % 1990 11.641.582 3.380.181 29,04% 1991 9.211.751 2.684.862 29,15% 1992 10.289.545 2.422.286 23,54% 1993 10.846.899 2.442.088 22,51% 1994 11.397.136 2.614.048 22,94% 1995 11.032.129 2.599.565 23,56% Fonte: Anuário impresso: Comparativo Mensal da movimentação de mercadorias Páginas: 15, 16 e 18. Data de Emissão do anuário: 29/02/96. * Navegação interior = Navegação Fluvial + Lacustre.
  27. 27. Movimentação de Celulose na Hidrovia Vantagens do Modelo: - Armazéns em uso público, com pagamento de tarifa pública, gerando receita a SUPRG; - Tarifa competitiva à Celulose; - Melhoria na Infraestrutura da SUPRG; - Qualificação das Operações Portuárias da Celulose; - Consolidação das Operações de Celulose em larga escala no Porto do Rio Grande.
  28. 28. 1ª etapa: 450 m (dois berços) já construídos com 40’ de calado projetado Modernização do Cais do Porto Novo
  29. 29. 1ª etapa: 450 m (dois berços) já construídos com 40’ de calado projetado 2ª etapa: 1.125 m Em andamento Modernização do Cais do Porto Novo
  30. 30. Modernização do Cais do Porto Novo 2ª etapa: 1.125 m Em andamento (Primeiros 375 m já operando)
  31. 31. Modernização do Cais do Porto Novo
  32. 32. Recuperação da Bacia do Porto Novo de 200m para 300 m Aprofundamento do Canal de Acesso e Bacia de Evolução do Porto Novo de 31’ para 40’ Atual bacia e canal Área Porto Novo – Projeto de Aprofundamento
  33. 33. Obrigado dtartari@portoriogrande.com.br

×