ORIENTAÇÕES SOBRE BOAS E MÁS
PRÁTICAS DE TRABALHOS
ACADÊMICOS: DO PLÁGIO À
NORMALIZAÇÃO
ANA PAULA GRISOTO
FELIPE AUGUSTO A...
PROGRAMAÇÃO
Módulo 1: Más práticas!: o plágio, falsificação e fabricação de dados
Módulo 2: Onde buscar informação?
Módulo...
FELIPE AUGUSTO ARAKAKI
ANA PAULA GRISOTO
DR.ª RACHEL CRISTINA VESU ALVES
Informação e documentação –
Citações em documento...
O QUE É CITAÇÃO? SEUS TIPOS:
•CITAÇÃO:
•Menção de uma informação extraída de outra
fonte.
(ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS...
CITAÇÕES DIRETAS:
CITAÇÃO DIRETA (literal ou textual)
Transcrição textual de parte da obra do autor consultado.
(ASSOCIAÇÃ...
Citações Diretas - curtas: com até 3 linhas são inseridas
no texto, encerradas entre aspas duplas; aspas simples
devem ser...
Citações Diretas - longas (mais de três linhas): devem
constituir um parágrafo independente, recuado com mais de
4 cm da m...
CITAÇÕES INDIRETAS:
Texto baseado na obra do autor consultado. (ASSOCIAÇÃO
BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS, 2002, p. 1).
(SA...
CITAÇÃO DE CITAÇÃO:
“Nossa capacidade para produzir e compreender tal linguagem falada é,
na verdade, um subproduto do fat...
SOBRENOMES DOS AUTORES:
Utilizar caixa alta dentro do parênteses. Ex.:
“As crianças que aprendem a ler freqüentemente iden...
Para indicar supressão: usam-se reticências
entre colchetes. Ex.:
“As Ciências empíricas dividem-se por sua vez
em Ciência...
Para realizar comentários, interpolações ou
acréscimos: colocar as informações entre colchetes.
Ex.:
“A teleconferência pe...
Para dar ênfase ou destaque: usar negrito, itálico ou
sublinhado, indicando esta alteração com a expressão “grifo
nosso” e...
Para citação de textos em língua estrangeira:
deve-se incluir, após a chamada de citação a
expressão “tradução nossa” entr...
SISTEMA DE CHAMADA AUTOR-DATA
Ex.: (SILVA, 1976, p. 54) ou Silva (1976, p. 54);
quando houver coincidência de sobrenomes d...
NOTAS DE RODAPÉ:
Localização mais adequada: é na margem inferior da mesma
página onde ocorre a chamada numérica recebida n...
Dica de leitura:
OLIVEIRA, A. L.; RODRIGUES, M. C. Manual de citação para
Trabalho Científico.Ribeirão Preto: UNAERP, 2008...
REFERÊNCIAS
Módulo 3
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 10520:
informação e documentação: citações em documento...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Orientações sobre boas e más práticas de trabalhos acadêmicos: do plágio à normalização: Módulo 3: Informação e documentação – Citações em documentos

663 views

Published on

A oficina: Orientações sobre boas e más práticas de trabalhos acadêmicos: do plágio à normalização foi elaborada com o propósito de orientações para disciplina de Catalogação

Possui um conjunto de 5 módulos, estes slides referem-se ao Módulo 3: Norma 10520:2002 de citações

Outros módulos:
Módulo 1: Más práticas!: o plágio, falsificação e fabricação de dados
Módulo 2: Onde buscar informação?
Módulo 3: Norma 10520:2002 de citações
Módulo 4: Referências 6023:2002
Módulo 5: Principais tópicos de um trabalho acadêmico 14724:2011

Published in: Science
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
663
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
16
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Orientações sobre boas e más práticas de trabalhos acadêmicos: do plágio à normalização: Módulo 3: Informação e documentação – Citações em documentos

  1. 1. ORIENTAÇÕES SOBRE BOAS E MÁS PRÁTICAS DE TRABALHOS ACADÊMICOS: DO PLÁGIO À NORMALIZAÇÃO ANA PAULA GRISOTO FELIPE AUGUSTO ARAKAKI DRª RACHEL C. VESU ALVES Marília, 2014 Orientações para a disciplina de Catalogação
  2. 2. PROGRAMAÇÃO Módulo 1: Más práticas!: o plágio, falsificação e fabricação de dados Módulo 2: Onde buscar informação? Módulo 3: Norma 10520:2002 de citações Módulo 4: Referências 6023:2002 Módulo 5: Principais tópicos de um trabalho acadêmico 14724:2011
  3. 3. FELIPE AUGUSTO ARAKAKI ANA PAULA GRISOTO DR.ª RACHEL CRISTINA VESU ALVES Informação e documentação – Citações em documentos NBR 10520:2002 Marília, 2014 Módulo 3
  4. 4. O QUE É CITAÇÃO? SEUS TIPOS: •CITAÇÃO: •Menção de uma informação extraída de outra fonte. (ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS, 2002, p. 1) CITAÇÃO DIRETA CITAÇÃO INDIRETA CITAÇÃO DE CITAÇÃO Módulo 3
  5. 5. CITAÇÕES DIRETAS: CITAÇÃO DIRETA (literal ou textual) Transcrição textual de parte da obra do autor consultado. (ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS, 2002, p. 2) Dois tipos: Citações Diretas - curtas Citações Diretas – longas Módulo 3
  6. 6. Citações Diretas - curtas: com até 3 linhas são inseridas no texto, encerradas entre aspas duplas; aspas simples devem ser utilizadas para indicar citação no interior da citação. (ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS, 2002, p. 1) (SANTOS; SIMIONATO; ARAKAKI, 2014, p. 151, grifo nosso) Módulo 3
  7. 7. Citações Diretas - longas (mais de três linhas): devem constituir um parágrafo independente, recuado com mais de 4 cm da margem esquerda, com letra menor que a do texto, espaço entre linhas simples e sem aspas. (ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS, 2002, p. 1) (SANTOS; SIMIONATO; ARAKAKI, 2014, p. 148, grifo nosso) Módulo 3
  8. 8. CITAÇÕES INDIRETAS: Texto baseado na obra do autor consultado. (ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS, 2002, p. 1). (SANTOS; SIMIONATO; ARAKAKI, 2014, p. 151, grifo nosso). (SANTOS; SIMIONATO; ARAKAKI, 2014, p. 151, grifo nosso). Módulo 3
  9. 9. CITAÇÃO DE CITAÇÃO: “Nossa capacidade para produzir e compreender tal linguagem falada é, na verdade, um subproduto do fato de sermos alfabetizados.” (OLSON, 1977, p. 273 apud SMITH, 1991, p. 86). Olson (1977 apud SMITH, 1991, p. 86), afirma que para produzir e compreender a linguagem falada é preciso, sermos alfabetizados. Módulo 3 Citação direta ou indireta de um texto em que não se teve acesso ao original. Deve-se incluir nas referências as informações sobre o documento efetivamente citado e o não citado: OLSON, D. R. From utterance to text: the bias of language in speech and writing. Harvard Educational Review, v. 47, n. 3, p. 257-81, 1977. SMITH, F. Compreendendo a leitura: uma análise psicolinguística da leitura e do aprender a ler. 2.ed.rev. Tradução Daise Batista. Porto Alegre: Artes Médicas, 1991. Tradução de: Understanding reading. 234 p.
  10. 10. SOBRENOMES DOS AUTORES: Utilizar caixa alta dentro do parênteses. Ex.: “As crianças que aprendem a ler freqüentemente identificam palavras no contexto que não podem identificar isoladamente.” (STUDT, 1975, p. 87). Utilizar caixa alta e baixa no texto. Ex.: No México, León et al. (1986, p. 56) isolaram Corynebacterium suis do divertículo.... Módulo 3 Documento elaborado por até 3 autores 1 Autor: (RUDIO, 2000) ou Rudio (2000) 2 Autores: (CAMPOS; MAGALHÃES, 1998) ou Campos, Magalhães, 1998 3 Autores: (SOUZA; REIS; PEBERDY, 1999) ou Souza, Reis e Peberdy (1999) Documento elaborado por mais de 3 autores: (BACCAN et al., 1987) ou Baccan et al. (1987)
  11. 11. Para indicar supressão: usam-se reticências entre colchetes. Ex.: “As Ciências empíricas dividem-se por sua vez em Ciências Naturais e Ciências Sociais. [...] É costume incluir nas Ciências Naturais a Física, a Química, a Biologia [...]” (HEMPEL, 1974, p. 20). De acordo com Smith (1991, p. 83) “[...] a palavra informação é amplamente abusada e mal utilizada. A informação pode ser considera como redução da incerteza [...]”. Módulo 3
  12. 12. Para realizar comentários, interpolações ou acréscimos: colocar as informações entre colchetes. Ex.: “A teleconferência permite ao indivíduo participar de um encontro nacional ou regional sem a necessidade de deixar seu local de origem [e nem mesmo seu próprio computador].” (STEFANI, 1993, p. 14). Módulo 3
  13. 13. Para dar ênfase ou destaque: usar negrito, itálico ou sublinhado, indicando esta alteração com a expressão “grifo nosso” entre parênteses após a citação; caso o destaque seja do autor consultado, usar a expressão “grifo do autor”. Ex.: “[...] para que não tenha lugar a producção de degenerados, quer physicos quer moraes, misérias, verdadeiras ameaças à sociedade.” (SOUTO, 1916, p. 46, grifo nosso). “[...] b) desejo de criar uma literatura independente, diversa, de vez que, aparecendo o classicismo como manifestação de passado colonial [...]” (CANDIDO, 1993, v. 2, p. 12, grifo do autor). Módulo 3
  14. 14. Para citação de textos em língua estrangeira: deve-se incluir, após a chamada de citação a expressão “tradução nossa” entre parênteses: “A situação mundial, hoje, é de conflito e estabilidade, gerando diversos confrontos[...]” (KIRBY, 1986, p.12, tradução nossa). Módulo 3
  15. 15. SISTEMA DE CHAMADA AUTOR-DATA Ex.: (SILVA, 1976, p. 54) ou Silva (1976, p. 54); quando houver coincidência de sobrenomes de autores, acrescentar as iniciais de seus prenomes, se mesmo assim houver coincidência, colocam-se os prenomes por extenso: (SILVA, A., 1976, p. 54) (SILVA, F., 1985, p. 23) (AZEVEDO, Cândido, 1957) (AZEVEDO, Carlos, 1957) Módulo 3 para a citação de vários trabalhos de um mesmo autor com a mesma data, usam-se letras minúsculas acompanhando a data: SMITH (1981a) SMITH (1981b) ou SMITH (1981a, b)
  16. 16. NOTAS DE RODAPÉ: Localização mais adequada: é na margem inferior da mesma página onde ocorre a chamada numérica recebida no texto; são separadas do texto por um traço contínuo com caracteres menores do que o usado para o texto; deve-se usar o sistema autor-data para as citações no texto e o numérico para notas explicativas; Módulo 3
  17. 17. Dica de leitura: OLIVEIRA, A. L.; RODRIGUES, M. C. Manual de citação para Trabalho Científico.Ribeirão Preto: UNAERP, 2008. Disponível em: <http://www.unaerp.br/arquivos/manual_citacaotc.pdf>. Acesso em: 14 abr. 2014.
  18. 18. REFERÊNCIAS Módulo 3 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 10520: informação e documentação: citações em documentos: apresentação. Rio de Janeiro, 2002. SANTOS, Plácida Leopoldina Ventura Amorim da Costa; SIMIONATO, Ana Carolina; ARAKAKI, Felipe Augusto. Definição de metadados para recursos informacionais: apresentação da metodologia BEAM. Informação & Informação, Londrina, v. 19, n. 1, p. 146–163, fev. 2014. ISSN 1981-8920. Disponível em: <http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/informacao/article/view/15251>. Acesso em: 13 Abr. 2014. doi:10.5433/1981-8920.2014v19n1p146.

×