Tarefa3

299 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
299
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
2
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Tarefa3

  1. 1. Escola Secundária de D. Dinis – Santo Tirso<br />Apresentação ao Conselho Pedagógico o Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares (MABE)<br />12 de Novembro<br />Dora Freitass<br />
  2. 2. A biblioteca escolar de ontem e de hoje<br />A Biblioteca já não é só:<br /><ul><li> Um espaço agradável e bem apetrechado que oferece recursos e actividades à comunidade educativa.
  3. 3. A Biblioteca passa a ser um espaço:
  4. 4. Organizado em função das competências da literacia;
  5. 5. Interactivo, que oferece recursos e informações em </li></ul> diversos suportes;<br /><ul><li> De aprendizagem que permite transformar informação </li></ul> em conhecimento;<br /><ul><li> Privilegiado para o trabalho articulado com todos os </li></ul> professores.<br />
  6. 6.
  7. 7. Auto-Avaliacão da BE para quê?<br /><ul><li> Para que a escola conheça o impacto que as actividades realizadas pela e com a BE têm no processo de ensino e na aprendizagem;
  8. 8. para medir o grau de eficiência e de eficácia dos serviços prestados e de satisfação dos seus utilizadores;
  9. 9. Para identificar práticas que têm sucesso e pontos fracos que importa melhorar;
  10. 10. Para determinar até que ponto a missão e os objectivos estabelecidos no RI, para a BE, estão a ser alcançados.</li></li></ul><li>O Processo de Auto-Avaliação implica:<br /><ul><li>Aferição da qualidade e eficiência da BE (não depende do desempenho individual do professor bibliotecário e dos elementos da equipa);
  11. 11. Envolvimento de toda a comunidade escolar.</li></li></ul><li>Algumas notas sobre o Processo de avaliação<br /><ul><li>A avaliação processa-se num ciclo de 4 anos
  12. 12. São objecto de avaliação 4 domínios/1 por ano;
  13. 13. É um processo regulador que envolve toda a escola;</li></li></ul><li>Domínios e subdomínios<br />A- Apoio ao Desenvolvimento Curricular<br />A1. Articulação curricular da BE com as Estruturas Pedagógicas e os Docentes<br /> A2. Desenvolvimento da Literacia da Informação<br />B - Leitura e Literacias<br />C – Projectos, Parcerias e Actividades<br />C1. Apoio a Actividades Livres, Extra-curriculares e de Enriquecimento Curricular<br /> C2. Projectos e Parcerias<br />D – Gestão da BE<br />D1. Articulação da BE com a Escola/Agrupamento<br /> Acesso e serviços prestados pela BE<br /> D2. Condições humanas e materiais para a prestação dos serviços<br /> D3. Gestão da Colecção<br />
  14. 14. Cadadomínioinclui:<br />Indicadores – apontamas zonas nucleares de intervenção em cada domínio; permitem a aplicação de elementos de medição.<br /><ul><li> Factores críticos de sucesso - exemplos de situações, ocorrências, acções que operacionalizam o indicador; guia orientador para a recolha de evidências.
  15. 15. Recolha de evidências – fontes e instrumentos de recolha de dados.
  16. 16. Acções de melhoria – sugestões de acções com vista à melhoria.</li></li></ul><li>Recursos humanos envolvidos na avaliação <br /><ul><li>Professor Bibliotecário
  17. 17. Equipa BE
  18. 18. Docentes da Escola
  19. 19. Departamentos
  20. 20. Directores de Turma
  21. 21. Alunos da Escola
  22. 22. Conselho Pedagógico
  23. 23. Direcção da Escola
  24. 24. Encarregados de Educação</li></li></ul><li>etapas do processo de avaliação <br /><ul><li> Escolha de um domínio a avaliar;
  25. 25. Recolha de evidências;</li></ul> (Questionários a alunos, professores e encarregados de educação)<br /><ul><li> Gestão e interpretação da informação recolhida;
  26. 26. Inclusão da escola num perfil de desempenho;
  27. 27. Comunicação dos resultados no Relatório Final de Auto-Avaliação </li></ul> BE à Direcção da escola e ao Conselho Pedagógico;<br /><ul><li> Divulgação dos resultados;
  28. 28. Inclusão do relatório da BE no Relatório de Auto- Avaliação da Escola.</li></li></ul><li>Onde vamos buscar as evidências?<br /><ul><li> PEE
  29. 29. RI
  30. 30. PAA
  31. 31. Registo de actas
  32. 32. Relatos de actividades
  33. 33. Estatísticas internas
  34. 34. Questionários e grelhas de observação
  35. 35. Materiais produzidos pela BE ou em colaboração com os Departamentos.</li></li></ul><li>Perfis de desempenho<br />
  36. 36. Impacto esperado<br /><ul><li> Melhorar o desempenho da BE;
  37. 37. Estreitar a cooperação entre os docentes e a BE;
  38. 38. Um maior conhecimento e uma maior rentabilização dos recursos da BE por parte de toda a comunidade educativa;
  39. 39. Haja uma tomada de consciência da importância da BE para a concretização da Missão da nossa escola: “Educar cidadãos que desenvolvam as competências essenciais ao sucesso profissional e pessoal, com vista à integração numa Sociedade em permanente mudança.” (PEE, pág 30)</li></li></ul><li>“ Está comprovado que quando os bibliotecários e os professores trabalham em conjunto os alunos atingem níveis mais elevados de literacia, de leitura, de aprendizagem, de resolução de problemas e competências no domínio das tecnologias da informação e comunicação.” (IFLA/UNESCO, 1999)<br />

×