Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Protocolo Intubação Sequência Rápida HCPA

46,929 views

Published on

Rapid sequence intubation; incubação de sequência rápida

Published in: Health & Medicine
  • Login to see the comments

Protocolo Intubação Sequência Rápida HCPA

  1. 1. Apresentação de protocolo: INTUBAÇÃO DE SEQÜÊNCIA RÁPIDA Fabiano Nagel Médico Intensivista - SMI/HCPA Serviço de Medicina IntensivaServiço de Medicina Intensiva
  2. 2. Implementação de Protocolos • A produção de conhecimentos é custosa.
  3. 3. • Diversas intervenções benéficas não são oferecidas a pacientes, que potencialmente seriam beneficiados por elas JAMA 2001, 286:2578-2585 • Pior: Muitos pacientes recebem intervenções desnecessárias ou mesmo potencialmente maléficas.
  4. 4. Segurança do Paciente
  5. 5. www.patientsafetyfirst.nhs.uk Segurança do Paciente
  6. 6. www.amib.com.br G U T I S Segurança do Paciente
  7. 7. Segurança do Paciente
  8. 8. Na avaliação inicial do paciente crítico, na Emergência ou na UTI, o manejo da via aérea para garantir uma ventilação e oxigenação adequada é essencial ISR - ContextoISR - Contexto
  9. 9. Apesar dos esforços iniciais serem direcionados a garantir ventilação/oxigenação do paciente sem a necessidade de intubação, essas intervenções podem não ser suficientes ISR - ContextoISR - Contexto
  10. 10. É um processo no qual agentes farmacológicos, a saber um sedativo e um BNM, são administrados de forma rápida e sequencial para facilitar a intubação Intubação por Sequência RápidaIntubação por Sequência Rápida Originalmente descrita para as intubações eletivas realizadas para cirurgias RSI no contexto do paciente anestesiado é utilizada com o objetivo de reduzir o risco de aspiração por ser um procedimento mais rápido RSI no contexto do pcte crítico é utilizada para facilitar a intubação ( agitação, instabilidade, jejum) com o beneficio adicional de reduzir o risco de aspiração
  11. 11. • Cerca de 60-70% dos pacientes não recebem avaliação adequada das condições para intubação • O ato de intubar pode causar alterações fisiológicas deletérias e inclusive fatais • Hipoxemia grave durante intubação de pacientes críticos ocorre em até 1/3 dos casos • ISR aumenta a chance de sucesso na intubação para 98% Intubação por Sequência RápidaIntubação por Sequência Rápida CHEST 2005; 127:1397–1412 Anesthesiology 1995; 82:367–376 Air Med J 1994;13:475–478 Anesth Analg. 2004;99:607-613
  12. 12. Intensive Care Med (2010) 36:248–255
  13. 13. VantagensVantagens ⇒Prevenir aspiração e suas consequencias ⇒Evitar picos hipertensivos ( ↑FC ↑PIC ↑PIO) ⇒Reduz reflexo de tosse ⇒Maior mobilização cervical ⇒Reduz traumatismo de via aérea DesvantagensDesvantagens ⇒Efeitos colaterais dos medicamentos ⇒Intubação prolongada com necessidade de via aérea cirurgica ISRISR
  14. 14. ⇒PreparaçãoPreparação ⇒ Pré-oxigenação ⇒Pré-tratamento ⇒Indução com paralisia ⇒ Proteção e posicionamento ⇒Posicionamento do TOT ⇒Cuidados pós intubação ISRISR
  15. 15. ISRISR
  16. 16. • PreparaçãoPreparação ⇒Material disponível ⇒ O2, ambu com máscara, laringoscópio e lâminas,TOT, guia, equipamento de PCR e de resgate ( máscara laringea, via aérea cirurgica) ⇒ Acesso venoso, monitorização, aspiração ⇒ SOAP MESOAP ME (suction, oxygen, airway, pharmacology,(suction, oxygen, airway, pharmacology, monitoring, equipment)monitoring, equipment) ISRISR
  17. 17. Eixos cilíndricos "oro-faríngeo" e "faringo-traqueal", por onde um tubo endotraqueal deverá passar para atingir seu destino, ou seja, a laringe e traquéia, se encontram praticamente em ângulo reto, uma posição claramente desfavorável à intubação por laringoscopia direta ● Proteção e posicionamento
  18. 18. A coluna cervical é fletida em direção anterior (ventral), com a elevação da cabeça em aproximadamente 8-10 cm com auxílio de um suporte firme; ao mesmo tempo em que a cabeça é estendida (dorso-flexão), a nível da articulação atlanto-occipital, torna a visualização das estruturas laríngeas mais fácil, uma vez que os eixos oro-faríngeo e faringo-traqueal estarão melhor alinhados.
  19. 19. MallampatiMallampati
  20. 20. • Pré-oxigenaçãoPré-oxigenação ⇒O propósito é substituir o nitrogênio da CRF do paciente e substituir por oxigênio ⇒ 3 a 5 minutos ventilando com O2 a 100% ⇒ Permite um período de 3 a 5 minutos em apnéia sem hipoxia significativa no paciente normoxêmico ISRISR
  21. 21. •Pré-tratamentoPré-tratamento ⇒Deveria ser iniciado 3 minutos antes da intubação ⇒Lidocaina 1,5mg/kg, Fentanil 2 a 3mcg/kg e Atropina 0,02mg/kg ⇒Indicações: ↑PIC e perda da autoregulação ( L + F) Cardiopatia isquêmica ( F ) Hiper reatividade brônquica ( L + F) Crianças ( A ) ISRISR
  22. 22. ●● Indução e paralisiaIndução e paralisia ⇒Agente indutor seguido do bloqueador neuromuscular ⇒Indutores: barbitúricos , opióides, agentes dissociativos, não barbitúricos ⇒BNM: succinilcolina ISRISR
  23. 23. ISRISR
  24. 24. ISRISR
  25. 25. ⇒Posicionamento do TOT ⇒Cuidados pós intubação ISRISR
  26. 26. ISRISR
  27. 27. Airway Management of the Critically Ill Patient * : Rapid-Sequence Intubation

×