Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Introdução a sistemas operacionais 002

565 views

Published on

Tipos de sistemas operacionais

Published in: Technology
  • Be the first to comment

Introdução a sistemas operacionais 002

  1. 1. TIPOS DE SISTEMAS OPERACIONAIS Prof. Ewerton
  2. 2. TIPOS DE SISTEMAS OPERACIONAIS  Os diferentes tipos de sistemas operacionais são basicamente classificados de acordo com:  o número de processos do usuário que o SO pode executar .  o número de processadores que o sistema possui.
  3. 3. SISTEMAS MONOPROGRAMÁVEIS/MONOTAREFA  Os primeiros sistemas operacionais eram voltados tipicamente para a execução de um único programa.  Qualquer outra aplicação, para ser executada, deveria aguardar o término do programa corrente.  Neste tipo de sistema, o processador, a memória e os periféricos permanecem exclusivamente dedicados à execução de um único programa.
  4. 4. SISTEMAS MULTIPROGRAMÁVEIS/MULTITAREFA  Neste tipo o sistema operacional se incumbe de gerenciar o acesso aos seus diversos recursos, como processador, memória e periféricos, entre os diversos programas.  As vantagens do uso deste tipo de sistema são a redução do tempo de resposta das aplicações, além dos custos reduzidos devido ao compartilhamento dos recursos do sistema entre as diferentes aplicações.
  5. 5. SISTEMAS MULTIPROGRAMÁVEIS/MULTITAREFA  Os sistemas multiprogramáveis/multitarefa podem ser classificados de acordo com a forma com que suas aplicações são gerenciadas, podendo ser divididos em sistemas:  Sistemas BATCH  Sistemas de Tempo Compartilhado  Sistemas de Tempo Real  Sistemas com Múltiplos Processadores
  6. 6. SISTEMAS BATCH  Nesta modalidade, os programas eram submetidos para execução através de cartões perfurados e armazenados em disco ou fita, para posterior execução. Vem daí o nome batch (lote de cartões).  O processamento em batch tem como característica não exigir interação do usuário com o sistema ou com a aplicação.  Todas as entradas ou saídas são implementadas por meio de algum tipo de memória secundária, geralmente disco ou fita.
  7. 7. SISTEMAS BATCH  Leitor de cartões  Leitor de fitas
  8. 8. SISTEMAS DE TEMPO COMPARTILHADO  Também chamados sistemas de time- sharing, permitem que diversos programas sejam executados a partir da divisão de tempo do processador em pequenos intervalos, denominados fatia de tempo (ou time-slice).
  9. 9. SISTEMAS DE TEMPO COMPARTILHADO  Normalmente, o sistema responde em apenas alguns segundos, o que se levou a chamá-los também de sistemas on-line.
  10. 10. SISTEMAS DE TEMPO REAL  No sistema de tempo real não existe a ideia de fatia de tempo como nos sistemas de tempo compartilhado. Um programa ocupa o processador o tempo que for necessário ou até que apareça outro com um nível de prioridade maior.
  11. 11. SISTEMAS DE TEMPO REAL  Estes sistemas são utilizados em aplicações de controle de processos, como monitoramento de refinarias de petróleo, controle de tráfego aéreo, de usinas, ou em qualquer aplicação onde o tempo de processamento é fator fundamental.
  12. 12. SISTEMAS COM MÚLTIPLOS PROCESSADORES  Os sistemas com múltiplos processadores caracterizam-se por possuir duas ou mais CPUs interligadas e trabalhando em conjunto.  A vantagem deste tipo de sistema é permitir que vários  programas sejam executados ao mesmo tempo ou que um mesmo programa seja subdividido em várias partes para serem executadas simultaneamente em mais de um processador.
  13. 13. SISTEMAS COM MÚLTIPLOS PROCESSADORES  Um fator chave no desenvolvimento dos sistemas multiprocessados é a forma de comunicação entre as CPUs e o grau de compartilhamento da memória e dos dispositivos de E/S.  Em função destes fatores, podemos classificar os sistemas multiprocessados em dois tipos:  Fortemente Acoplados  Fracamente Acoplados
  14. 14. TIPOS DE SISTEMAS COM MÚLTIPLOS PROCESSADORES  Sistemas Fortemente Acoplados  Sistemas fortemente acoplados existe apenas uma memória a ser compartilhada pelos processadores do conjunto.  Fracamente Acoplados  Fracamente acoplados cada sistema tem sua própria memória individual.
  15. 15. SISTEMAS FORTEMENTE ACOPLADOS.  Nos sistemas fortemente acoplados a memória principal e os dispositivos de E/S são gerenciados por um único sistema operacional.  A taxa de transferência entre processadores e memória em sistemas fortemente acoplados é muito maior que nos fracamente acoplados.
  16. 16. SISTEMAS FORTEMENTE ACOPLADOS. - SIMÉTRICOS  Quando todos os processadores na arquitetura são iguais, diz-se que o sistema é simétrico.
  17. 17. SISTEMAS FORTEMENTE ACOPLADOS. - ASSIMÉTRICOS  Quando os processadores são diferentes, dá-se à arquitetura a denominação assimétrica.
  18. 18. SISTEMAS FRACAMENTE ACOPLADOS.  Nos sistemas fracamente acoplados, como os processadores estão em arquiteturas diferentes, somente interligados por cabos de interconexão, cada CPU constitui uma máquina independente, com memória própria, dispositivos de E/S e sistemas operacionais independentes.
  19. 19. SISTEMAS FRACAMENTE ACOPLADOS. - REDE  No ambiente de rede, existem dois ou mais sistemas independentes ou hosts (host é qualquer máquina ou computador conectado a uma rede), interligados por linhas telefônicas, que oferecem algum tipo de serviço aos demais, permitindo que um host compartilhe seus recursos, como impressora e diretórios, com os outros hosts da rede.
  20. 20. SISTEMAS FRACAMENTE ACOPLADOS. - DISTRIBUÍDOS  Nos sistemas distribuídos os sistema operacional esconde os detalhes dos hosts individuais e passa a tratá-los como um conjunto único, como se fosse um sistema só, fortemente acoplado. Os sistemas distribuídos permitem, por exemplo, que uma aplicação seja dividida em partes e que cada parte seja executada por hosts diferentes na rede.

×