Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
Olá	
  a	
  todos,	
  meu	
  nome	
  é	
  Mariana	
  Louza,	
  sou	
  aluna	
  de	
  mestrado	
  do	
  Prof.	
  José	
  Ga...
documento	
  difícil	
  de	
  conseguir	
  as	
  pressas...	
  Vale	
  a	
  pena	
  ir	
  se	
  inscrevendo	
  aos	
  pouc...
se	
  deslocar	
  para	
  outras	
  cidades.	
  A	
  prova	
  consiste	
  em	
  4	
  sessões:	
  reading,	
  listening,	
 ...
No	
  site	
  da	
  aplicação	
  irão	
  te	
  pedir	
  as	
  pontuações	
  que	
  obtiveram	
  nas	
  provas,	
  assim	
 ...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Dica-Doutorado Nos Eua

4,856 views

Published on

Dica sobre o processo pra doutoramento com bolsa dos EUA

Published in: Technology, Business
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Dica-Doutorado Nos Eua

  1. 1. Olá  a  todos,  meu  nome  é  Mariana  Louza,  sou  aluna  de  mestrado  do  Prof.  José  Garcia  Abreu  pelo   Programa  de  Ciências  Morfológicas  do  ICB  na  UFRJ.  Durante  o  ano  passado  eu  estive  envolvida  em   pedidos  de  bolsa  para  realizar  meu  doutorado  pleno  no  exterior,  e  foi  justamente  em  busca  de   informações  que  conheci  o  Rodrigo  e  o  Igor,  que  me  convidaram  pra  escrever  no  blog  dando  dicas  aos   alunos  que  estejam  interessados  em  estudar  fora  do  país  também.   Resolvi  dividir  minhas  dicas  em  tópicos,  então  além  da  visão  geral,  gostaria  de  falar  mais  sobre  o   processo  de  escolha  das  universidades,  os  contatos  com  os  pesquisadores,  a  aplicação  em  si  -­‐  requisitos,     inscrições  nos  sites,  taxas,  documentos  e  cartas-­‐,  as  provas  de  proeficiência  e  enfim,  o  resultado.   Pra  começar,  o  mais  importante  dessa  decisão  é  a  determinação,  você  tem  que  ter  certeza  do  que  quer,   pois  o  processo  é  muito  difícil,  longo  e  caro  também,  então  o  melhor  é  preparar  a  cabeça  e  o  bolso  pro   que  vem  por  aí.  A  escolha  da  universidade  é  muito  pessoal,  depende  da  sua  área  de  interesse,  e   primeiramente  deve-­‐se  definir  o  país  (ou  os  países)  onde  irá  aplicar.  Cada  um  tem  suas  vantagens  e   desvantagens,  os  Estados  Unidos,  por  exemplo,  apesar  de  muito  atrativo  é  um  país  de  difícil  aceitação  a   estrageiros,  já  os  países  europeus  são  muito  abertos  a  receberem  alunos  de  fora,  além  da   disponibilidade  de  bolsas.  Eu  decidi  aplicar  pra  universidades  americanas  primeiramente,  e  caso  não   obtivesse  nenhum  resultado  positivo  iria  em  busca  das  européias,  então  essas  dicas  são  todas  voltadas   ao  processo  americano  de  admissão.     Optei  por  buscar  nos  sites  das  revistas  de  Biologia  do  Desenvolvimento  os  nomes  dos  orientadores  que   estivessem  publicando  bem,  e  em  temas  do  meu  interesse,  fiz  uma  lista  enorme  primeiramente,  e   depois  fui  olhando  um  a  um.  Cheguei  a  uma  lista  final,  e  então  fui  atrás  das  universidades  de  cada  um,   vendo  o  nivel  da  Pós,  a  estrutura  do  departamento,  e  a  possibilidade  de  receber  estrangeiros.  A  internet   é  a  base  da  sua  busca,  pois  você  encontra  facilmente  os  sites  das  universidades,  com  todas  a   informações  dos  programas  de  Pós-­‐Graduação:  grade  curricular,  professores  envolvidos  em  orientação  e   aplicação  online.   Um  passo  importante  é  você  iniciar  o  contato  com  esses  pesquisadores,  um  simples  e-­‐mail  pode  abrir   muitas  portas.  É  legal  dizer  além  de  quem  você  é,    onde  estuda,  experiência  que  possui  em  laboratório,   o  que  faz  atualmente  no  seu  projeto,  e  por  fim  explicar  porque  seu  interesse  em  estudar  fora  do  seu   país  e  deixar  claro  quais  os  pontos  desse  professor  e  da  pesquisa  desenvolvida  que  mais  te  atraíram.  Aí  é   só  aguardar!  Por  experiência  própria,  nem  precisa  esperar  muito,  a  maioria  deles  responde  dias  depois,   mesmo  que  seja  só  pra  dizer  que  infelizmente  não  tem  uma  vaga  disponivel,  mas  eles  sempre  te  dão   algum  tipo  de  feedback.     Outra  dica  é  entrar  em  contato  e  pesquisar  sobre  o  dia  de  visitas  que  quase  todas  as  universidades   oferecem  uma  vez  por  período,  onde  os  aspirantes  podem  fazer  visitas  aos  campi  e  conhecer  a   universidade.  É  uma  ótima  oportunidade  para  se  falar  com  possíveis  orientadores  e  com  os  membros  da   seleção  do  PhD.   Voltando  a  sua  lista  agora,  o  próximo  passo  é  entrar  no  site  de  cada  Universidade  e  ir  conferir  quais  os   documentos,  provas  e  cartas  que  eles  pedem.  Faça  isso  com  antecedência  e  anote  o  deadline  para   submissão!!  A  pior  coisa  que  pode  acontecer  é  você  descobrir  em  cima  da  hora  que  eles  pediam  algum  
  2. 2. documento  difícil  de  conseguir  as  pressas...  Vale  a  pena  ir  se  inscrevendo  aos  poucos  nos  sites  e  dar  uma   conferida  até  a  última  página  da  aplicação  para  não  ter  nenhuma  surpresa  depois.  No  geral  o  que  eles   pedem  são:  informações  básicas,  históricos  da  faculdade  e  mestrado  (se  tiver)  TRADUZIDOS,  cartas  de   recomendação,    personal  statement,  curriculo,  resultados  das  provas  de  inglês  e  uma  taxa.   As  informações  iniciais  incluem,  endereço,  telefone  para  contato,  e-­‐mail,  e  então  as  perguntas  entram   na  sua  vida  acadêmica,  pedindo  nome  das  universidades  e  endereços,  e  dependendo  da  aplicação  você   precisa  dizer  seu  Coeficiente  de  Rendimento  total,  que  eles  chamam  de  GPA  e  vai  de  0  a  4  (onde  uma   regrinha  de  3  resolve  o  problema  da  conversão).     O  que  eles  chamam  de  transcripts,  são  os  históricos  da  faculdade  e  do  mestrado,  e  eles  têm  que  ser   traduzidos  por  um  tradutor  juramentado,  você  pode  buscar  no  site   (http://www.atprio.com.br/pages/menu.htm),  e  se  preparar  pra  facada  pois  é  muito  cara,  a  minha   tradução  de  duas  páginas  de  histórico  foi  250  reais,  incluindo  6  cópias  que  foram  todas  carimbadas  e   assinadas.  Uma  vez  traduzido  seu  histórico,  você  deve  pedir  com  antecedência  de  um  mês  pelo  menos   para  a  sua  universidade  enviar  ao  admissions  office  esse  documento  em  envelope  selado  e  carimbado.     As  cartas  de  recomendação  devem  ser  escritas  em  inglês  por  pessoas  que  tenham  um  contato  com   você,  normalmente  pedem  3  cartas,  e  uma  deve  ser  do  seu  orientador,  aquele  que  mais  vai  poder  falar   sobre  você  e  o  trabalho  que  você  desenvolve  no  laboratório,  as  outras  duas  ficam  ao  seu  critério.   Dependendo  da  universidade  essas  cartas  devem  ser  enviadas  pelo  correio  (que  demora  cerca  de  10   dias  úteis)  ou  submetidas  online,  e  é  importante  anotar  com  atenção  o  endereço  de  envio  que  o  próprio   site  indica.     O  personal  statement  é  uma  carta  que  você  escreve  falando  sobre  toda  sua  vida  escolar,  é  algo  muito   pessoal,  mas  é  de  ótima  ajuda  ter  alguém  safo  em  inglês  pra  te  ajudar  a  escrever.  Tópicos  a  serem   abordados  são:  motivos  para  escolha  da  sua  carreira,  pontos  importantes  da  graduação,  experiência  em   laboratório  durante  a  graduação,  congressos  e  jornadas  em  que  você  participou,  incluir  qualquer  tipo  de   prêmio  e  menção  honrosa  que  tenha  recebido,  publicações  ou  artigos  que  estão  pra  sair,  experiência   em  pós-­‐graduação  (caso  tenha)  e  por  fim  falar  sobre  a  universidade  escolhida  e  todas  as  qualidades  que   te  atraíram.     O  currículo  é  opcional,  mas  é  uma  boa  oportunidade  de  mostrar  de  forma  sucinta  seu  passado  na   ciência,  liste  os  congressos,  os  cursos,  as  publicações  (caso  tenha),  e  qualquer  tipo  de  experiência  que   tenha  sido  importante  pra  sua  careira.     As  provas  de  proeficiência  são  as  primeiras  preocupações  que  vocês  terão,  pois  como  é  preciso  sentar   pra  estudar,  é  melhor  fazer  com  bastante  antecedência  para  não  perder  os  deadlines  depois.  Se   tratando  de  universidade  americana,  todas  elas  (sem  exceção)  irão  pedir  o  GRE  general  e  o  TOEFL.  Então   vamos  lá,  qual  a  diferença  entre  eles?  O  TOEFL  será  feito  por  todos  aqueles  que  não  tem  inglês  como   língua  nativa,  e  o  GRE  será  feito  por  todos  os  candidatos,  inclusive  os  nativos.     A  prova  do  TOEFL  custa  em  torno  de  150  dólares,  e  é  preciso  agendar  com  cerca  de  2  meses  de   antecedência  para  que  você  encontre  a  data  que  quiser  em  um  centro  próximo,  caso  contrário  terá  que  
  3. 3. se  deslocar  para  outras  cidades.  A  prova  consiste  em  4  sessões:  reading,  listening,  speaking  and  writing,   e  cada  uma  vale  30  pontos,  somando  no  total  120  pontos.  A  pontuação  mínima  depende  de  cada   universidade,  mas  eu  diria  que  acima  de  90  pontos  é  uma  boa  nota.    Como  a  prova  é  toda  no   computador,  vale  a  pena  treinar  o  seu  tempo  com  os  cds  de  exercícios,  eu  daria  a  dica  do  livro  Longman   Preparation  Course  for  the  TOEFL  Test  (cerca  de  30  dólares  na  amazon),  ele  me  ajudou  muito  e  é  todo   baseado  em  exercícios.  Existem  também  cursos  preparatórios  pro  TOEFL,  alguns  são  bem  caros,  e  talvez   não  seja  tão  necessário,  pois  é  uma  prova  que  se  você  se  dedicar  em  casa  dá  pra  ir  bem  .    O  resultado   oficial  demora  30  dias  para  ser  disponibilizado  no  site  do  TOEFL,  e  nesse  mesmo  tempo  eles  enviam  para   as  4  universidades  que  você  listou  no  ato  de  inscrição  da  prova.  Há  a  possibilidade  de  pedir  para  enviar   seus  scores  para  outras  universidades  além  dessas  4,  é  só  fazer  o  pedido  na  hora  da  prova  ou  online,  e   pagar  a  taxa  de  17  dólares  por  universidade,  após  esse  pedido  a  demora  é  entre  7-­‐10  para  que  o  envio   seja  feito.   Bom,  agora  falando  em  dificuldades  reais,  tenho  que  adverti-­‐los  sobre  o  GRE   (http://www.ets.org/gre/general/about/index.html),  eu  diria  que  foi  minha  grande  dor  de  cabeça,  pois  a   prova  possui  3  sessões:  verbal,  maths  e  writing.  Não  se  preocupem  tanto  assim  com  a  parte  de  maths,   pois  com  certeza  irão  ter  dor  de  cabeça  suficiente  com  a  parte  do  verbal,  que  nada  mais  é  do  que  uma   prova  de  memória:  decore  quantas  palavras  puder  e  vá  fazer  a  prova,  se  tiver  uma  memória  de  elefante   você  irá  bem,  caso  contrário,  terá  que  sofrer  como  eu  inventando  formas  mirabolantes  de  decorar   palavrinhas  que  você  nunca  viu  e  nunca  verá  em  sua  vida...  Como  esse  é  um  mal  de  que  não  se  pode   fugir,  o  GRE  general  terá  que  ser  levado  bem  a  sério,  pois  como  eu  disse,  os  americanos  também  irão   fazer,  assim  essa  provinha  será  usada  como  critério  de  comparação  entre  os  candidatos.  O  livro  que  eu   usei  não  foi  bom,  pois  tinha  muito  texto  e  pouco  exercício,  aconselho  que  vocês  busquem  em  fóruns  na   internet  os  livros  que  os  alunos  têm  indicado  para  estudar  pra  prova,  e  não  esqueça  que  é  necessário   fazer  muito  exercício  pra  se  preparar.  O  GRE  custa  uns  170  dólares  e  é  feito  em  centros  específicos   assim  como  o  TOEFL,  porém  é  aplicado  diariamente  e  em  mais  de  um  horário  por  dia,  então  pra  agendar   essa  prova  não  é  preciso  tanta  antecedência.  Assim  que  você  terminar,  o  computador  irá  te  dar  o   resultado  das  sessões  verbal  e  math,  ficando  pendente  somente  a  sua  nota  das  redações.  O  resultado   oficial  demora    15  dias  para  ser  disponibilizado  no  site  do  GRE,  e  nesse  mesmo  tempo  eles  enviam  para   as  4  universidades  que  você  listou  no  computador  logo  após  a  prova.  Há  a  possibilidade  de  pedir  para   enviar  seus  scores  para  outras  universidades  além  dessas  4,  é  só  fazer  o  pedido  online  e  pagar  a  taxa  de   23  dólares  por  universidade  listada.   Algumas  universidades  pedem  o  GRE  subject  (http://www.ets.org/gre/subject/about/index.html)  que   pode  ser  feito  no  tema  a  sua  escolha,  eu  fiz  o  de  Bioquímica,  Biologia  Celular  e  Molecular.  A  taxa  é   próxima  a  do  GRE  general  e  a  inscrição  é  feita  online,  assim  como  todas  as  outras  provas  que  citei   anteriormente.  Essa  prova  foi  no  papel,  e  toda  em  múltipla  escolha,  cerca  de  180  questões  para  serem   respondidas  em  pouco  tempo,  o  que  me  fez  deixar  várias  em  branco  por  não  ter  sequer  conseguido  ler.   A  prova  é  daquelas  que  descontam  questão  errada  na  sua  pontuação,  então  é  importante  ler  o  manual   que  tem  disponível  no  site  para  maiores  informações.  A  dica  que  eu  deixo  é  que  por  possuir  somente  3   datas  ao  longo  do  ano,  essa  prova  exige  um  planejamento  muito  adiantado.    
  4. 4. No  site  da  aplicação  irão  te  pedir  as  pontuações  que  obtiveram  nas  provas,  assim  como  as  datas  de   realização  das  mesmas.  Caso  você  não  saiba  ainda  o  resultado,  escreva  a  data  de  realização,  e  deixe  em   branco  o  espaço  pras  notas,  ou  se  der  escreva  algo  do  tipo  pending  só  pra  eles  saberem  que  está  em   processo  de  envio.  Você  pode  acompanhar  a  lista  de  universidades  que  receberam  seu  GRE  pelo  próprio   site,  assim  como  as  notas  que  obteve  nas  provas.  O  TOEFL  não  oferece  esse  serviço  online.   Voltando  a  aplicação  no  site,  a  taxa  de  inscrição  varia  de  acordo  com  a  universidade,  mas  fica  na  faixa  de   70  a  110  dólares,  dentre  todas  que  eu  pesquisei.  O  pagamento  é  a  última  etapa  da  aplicação  e  é  feito   com  cartão  de  crédito.   A  última  etapa  são  os  resultados,  muitas  universidades  permitem  que  você  veja  o  sistema  deles  online   de  recebimento  da  documentação,  e  você  pode  acompanhar  se  ainda  há  resultados  de  testes  pra  chegar   ou  documentos  pendentes.  Outras  fornecem  telefones  e  e-­‐mails  para  que  o  aluno  possa  confirmar  isso.   Uma  vez  finalizada  a  aplicação,  só  resta  aguardar  a  resposta,  que  pode  vir  por  e-­‐mail  ou  por  correio.  Eles   podem  te  chamar  pra  uma  entrevista  por  telefone  ou  por  skype,  onde  você  terá  que  contar  um  pouco   sobre  seu  projeto  e  comentar  sobre  seu  currículo  e  experiências  adquiridas.  Outro  ponto  importante  da   entrevista  é  focado  na  discussão  do  programa  deles,  onde  você  terá  que  justificar  a  sua  escolha  por  tal   universidade  e  demonstrar  conhecimento  sobre  a  estrutura  da  pós  que  eles  oferecem.  O  resultado  final   será  bem  demorado,  mas  é  uma  espera  longa  que  no  final  com  certeza  valerá  a  pena.   Uma  Boa  Sorte  para  todos!!!  

×