Urinálise 2013

39,127 views

Published on

4 Comments
31 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
39,127
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
70
Actions
Shares
0
Downloads
1,440
Comments
4
Likes
31
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Urinálise 2013

  1. 1. UrináliseUrinálise SedimentoscopiaSedimentoscopia Profa. Dra. Jane Maciel Almeida Baptista Faculdade de Farmácia da UFMG
  2. 2. Urinálise ABNT NBR 15268:2005 Laboratório Clínico – Requisitos e recomendações para exame de urina Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista 1. Objetivo 2. Referências Normativas 3. Definições 4. Exame de urina 5. Procedimento para a determinação do sedimento urinário 6. Exame de urina automatizado 7. Coletas das amostras - Anexo A: Tipos, identificação e aceitação/rejeição de amostras - Anexo B: Bibliografia
  3. 3. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Sedimentoscopia Urina  Aplicação: – auxiliar no diagnóstico de uma doença; – triagem de uma população quanto a doenças assintomáticas, congênitas ou hereditárias; – monitorar a evolução de doença; – monitorar a efetividade ou as complicações de terapias.  O estudo da urina avalia alterações do trato urinário, da função renal, de doenças metabólicas, hemolíticas e hepáticas, além de possibilitar a identificação de condições e patologias raras.
  4. 4. Análise Microscópica ABNT NBR 15268:2005 SEDIMENTOSCOPIA INDISPENSÁVEL  Laboratório Clínico – Procedimentos de qualidade documentados e atualizados – Uniformidade de execução do sedimento – Avaliação do sedimento pelo mesmo procedimento – Investigação dos mesmos elementos – Usando mesmos critérios de avaliação Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista
  5. 5. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise  Padronização da Coleta – Primeira urina da manhã – Após assepsia da área genital – Desprezar o primeiro jato – Coletar o jato médio – Analisar no prazo de 1 a 2 horas após coleta – A amostra que não puder ser analisada neste prazo deve ser refrigerada a 4ºC  Coletas Especiais – aleatória – dismorfismo eritrocitário
  6. 6. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise – Segunda urina da manhã – Após assepsia da área genital – Desprezar o primeiro jato – Coletar o jato médio – Analisar no prazo de 1 a 2 horas após coleta – A amostra que não puder ser analisada neste prazo deve ser rejeitada Coleta para pesquisa de dismorfismo eritrocitário
  7. 7. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista  Material de Laboratório Padronizado Urinálise Análise Microscópica
  8. 8. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Utilização da lâmina K-Cell  Amostra homogeneizada em tubo de centrífuga de 12mL;  Centrifugar por 5 minutos a 1.500 rpm;  Eliminar 11mL do sobrenadante;  Ressuspender e homogeneizar o precipitado;  Encher o poço da lâmina;  Observar no aumento de 400x;  Multiplicar por 1.200 o número de elementos encontrados nos 9 círculos;  Valor encontrado indica o número de elementos em 1mL de urina. Urinálise Análise Microscópica
  9. 9. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica  Material de Laboratório Padronizado
  10. 10. Urinálise Análise Microscópica Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Material de laboratório padronizado
  11. 11. Urinálise Análise Microscópica Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista CenSlide 2000 – Urinalysis Sistem
  12. 12. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista ABNT NBR 15268:2005 Padronização do exame microscópico  Amostra: jato médio  Volume urinário mínimo: 10 mL  Tempo de centrifugação: 5 minutos  Velocidade de centrifugação: 400 FCR (1.500-2.000 rpm)  Volume de sedimento: 0,20 mL (200 µL)  Volume de sedimento observado: 0,02 mL (20 µL)  Lamínula padrão: 22 × 22 mm  Ocular: 10×  Objetivas : 10× e 40×  Número de campos observados: 10 campos
  13. 13. ABNT NBR 15268:2005 Padronização do exame do sedimento urinário  Homogeneizar e transferir 10 mL para tubo de centrífuga;  Centrifugar a 1.500 - 2.000 rpm por 5 minutos;  Retirar 9,8 mL do sobrenadante, deixando 0,20 mL no tubo;  Ressuspender com leves batidas no fundo do tubo;  Transferir 0,020 mL (20 µL) para uma lâmina de microscopia;  Colocar uma lamínula padrão (22x22 mm);  Avaliar no mínimo, 10 campos microscópicos;  Calcular a média;  Expressar os resultados padronizados pelo LC. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista
  14. 14. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica  Elementos observados  Hemácias  Leucócitos  Células Epiteliais  Cilindros  Cristais  Muco  Flora bacteriana  Diversos
  15. 15. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise
  16. 16. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica  Hemácias: 0 a 3 hemácias por campo – Isomórficas
  17. 17. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Sangue Hemácias Urina isotônica : hemácias aspecto usual Urina diluída (hipotônica): hemácias maiores, (sombras) Urina concentrada (hipertônica): hemácias crenadas Hemácias Isomórficas Urinálise Análise Microscópica Normal
  18. 18. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica  Hemácias Isomórficas
  19. 19. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Hemácias Isomórficas
  20. 20. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica  Hemácias Isomórficas
  21. 21. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Aglomerado de Hemácias
  22. 22. Urinálise Análise Microscópica  Alterações da morfologia das hemácias Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Isomorfia Dismorfia normal septada fantasma crenada grande monodiverticular anular vazia espiculada Mistura destas monodiverticular polidiverticular
  23. 23. Urinálise Análise Microscópica  Morfologia das hemácias na urina (CF) – Classificação de Bessis (1972, 1977) Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Discócitos Equinócitos Anulócito “Fantasma” Esquisócitos Estomatócito Codócito Knisócito Acantócito
  24. 24. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista  Dismorfismo eritrocitário  Características: – Alterações da membrana celular – Presença de bulbos – Ruptura da membrana celular – Perda do conteúdo de hemoglobina – Perda do citoplasma – Presença de extrusões citoplasmáticas – Depósito de material fase-denso na região da membrana celular Urinálise Análise Microscópica
  25. 25. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica  Dismorfismo eritrocitário  Fisiopatogênia:  Estresse mecânico: passagem pela membrana basal do glomérulo
  26. 26. Urinálise Análise Microscópica Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Estresse mecânico
  27. 27. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica  Fisiopatogênia:  Alteração osmótica por exposição ao filtrado hipotônico durante passagem ao longo dos néfrons  Exposição à urina ácida e concentrada  Influência de enzimas lisossomiais de células inflamatórias  Tentativa de fagocitose por células epiteliais tubulares Dismorfismo eritrocitário
  28. 28. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Hemácias Dismórficas
  29. 29. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Hemácias Dismórficas: microscopia normal
  30. 30. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Hemácias Dismórficas: microscopia normal
  31. 31. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Hemácias Dismórficas: microscopia de contraste de fase Urinálise Análise Microscópica
  32. 32. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica  Hemácias Dismórficas Codócito Codócito Acantócito Acantócito 1.000 X imersão
  33. 33. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica  Hemácias Dismórficas: Steinheimer-Malbin
  34. 34. Urinálise Análise Microscópica Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Hemácias Dismórficas: Papanicolaou
  35. 35. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica  Eletron micrografia Isomórficas
  36. 36. Urinálise Análise Microscópica  Eletron micrografia Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Dismórficas
  37. 37. Urinálise Análise Microscópica - A microscopia de contraste de fase é indispensável. - Ela gera um fino halo irisado em torno da hemácia, o que facilita sua identificação. Sensibilidade = 96% Especificidade: 98,10% (1 tipo) 98,40% (2 tipos) 99,95% (3 tipos) Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista
  38. 38. Urinálise Análise Microscópica  Hemácias isomórficas: contraste de fase Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista
  39. 39. Urinálise Análise Microscópica  Hemácias: contraste de fase Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista isomórficas dismórficas
  40. 40. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica  Hemácias Dismórficas: contraste de fase
  41. 41. Urinálise Análise Microscópica Hemácias: Contraste de fase Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Nomenclatura Internacional Isomórficas Células G1 Acantócitos Dismórficas Células G Glomerulares
  42. 42. Urinálise Análise Microscópica Hemácias dismórficas: Tipos Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Células G1 Hematúria Glomerular A= Acantócito B= Perda de Hb central Codócito C= Anel Seta= Isomórficas
  43. 43. Urinálise Análise Microscópica  Hemácias Dismórficas: contraste de fase Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista
  44. 44. Urinálise Análise Microscópica Hemácias Dismórficas Contraste de Fase x Eletron micrografia Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista
  45. 45. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Hemácias dismórficas no sangue (hiperbilirrubinemia) Hemácias dismórficas na urina
  46. 46. Urinálise Análise Microscópica Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Hemácias dismórficas no sangue (Anemia falciforme) Hemácias dismórficas na urina
  47. 47. Urinálise Análise Microscópica Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista  Hematúria: Qual a implicação clínica de distinção de hematúria isomórfica ou dismórfica? Farley K & Birch DF, 1982 (Kidney Int, 21) Hemácias dismórficas Hematúria por doença glomerular Hemácias isomórficas Hematúria por doença urológica
  48. 48. Urinálise Análise Microscópica Avaliação da hematúria pela morfologia das hemácias Autor Doenças Glomerulares Doenças Urológicas Fasset et al. 1982 115/120 100/105 De Santo et al. 1987 81/84 82/87 Rath et al. 1990 86/100 20/22 Tomita et al. 1992 73/73 40/40 TOTAL 355/377 (94%) 242/254 (95%) Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista
  49. 49. Urinálise Análise Microscópica  Hematúria Dismórfica Fasset RG, Horgn BA, Mathew TH (Lancet, I, 1982) Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Hematúria > 80% glomerular hemácias dismórficas Hematúria > 80% não glomerular hemácias isomórficas
  50. 50. Urinálise Análise Microscópica  Hematúria Dismórfica Köhler H, Wandel E, Brunck B (Kidney Int, 40, 1991) Acantocitúria Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Marcador característico de hemorragia glomerular > 5% acantócitos
  51. 51. Urinálise Análise Microscópica CUIDADO Presença de pseudo-células G1 (acantócito) Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Eritrócito de origem não glomerular, com configuração de alvo, com aspecto de brotamento lateral, exterior, formado por massa de hemoglobina localizada na borda da célula. O mecanismo de formação é desconhecido (> centrifugação ?). NGUYEN GH. Urine citology in renal glomerular disease and value of G1 cells in the diagnosis of glomerular bleeding. Diag. Cytop., 2003
  52. 52. Urinálise Análise Microscópica  Coleta para pesquisa de dismorfismo eritrocitário  Segunda urina da manhã  Após assepsia da área genital  Desprezar o primeiro jato  Coletar o jato médio  Analisar no prazo de 1 a 2 horas após coleta  A amostra que não puder ser analisada neste prazo deve ser rejeitada Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista
  53. 53. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica  SIGNIFICADO CLÍNICO DA PRESENÇA DE HEMÁCIAS  Causas pré-renais: coagulopatias, terapia com anticoagulantes, anemia falciforme e hemoglobinopatias.  Causas renais glomerulares: glomerulonefrites agudas, glomerulonefrites crônicas, nefrite devido a lúpus e hematúria familiar benigna.  Causas renais não glomerulares: nefroesclerose, infarto renal, tuberculose renal, pielonefrite, rim policístico, nefrite intersticial, tumores, mal formações vasculares, traumatismo, necroses intersticiais, hematomas perirenais, abuso de analgésicos e nefropatias secundárias (irradiação, hipercalcemia, hiperuricemia).  Causas pós-renais: cálculos, tumores do trato urinário inferior, cistites, prostatites, epididimites, estenose da uretra, uretrites, hipertrofia da próstata, endometriose, exercícios físicos intensos e obstruções do fluxo urinário.
  54. 54. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica  Hematúria + proteinúria + cilindros hemáticos + hematúria dismórfica: origem glomerular  Hematúria sem estes elementos : origem urológica  Presença de coágulos: origem urológica  Contaminação por fluído menstrual SIGNIFICADO CLÍNICO DA PRESENÇA DE HEMÁCIAS
  55. 55. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica  Leucócitos: até 4 por campo
  56. 56. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica  Leucócito esterase Normal
  57. 57. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Leucócitos
  58. 58. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Aglomerado de Leucócitos
  59. 59. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Leucócitos: células de Steinheimer-Malbin “células cintilantes”
  60. 60. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica  SIGNIFICADO CLÍNICO DA PRESENÇA DE LEUCÓCITOS  A presença de mais de cinco leucócitos por campo é considerada anormal, é denominada piúria e indica inflamação no trato genitourinário. A piúria pode ser devida a infecção bacteriana; pode ser causada por doenças intrínsecas renais, como a glomerulonefrite, a nefrite lupóide e tumores, ou ainda por doenças do trato urinário inferior ou do trato genital.
  61. 61. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica  Presença de Linfócitos: Steinheimer-Malbin
  62. 62. Urinálise Análise Microscópica Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Doenças associadas • Nefrite intersticial aguda • Glomerulonefrite rapidamente progressiva •Prostatite aguda • Presença de Eosinófilos : May-Grünwald-Giemsa
  63. 63. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica  Células Epiteliais  São encontradas em praticamente todas as amostras urinárias, elas guarnecem o epitélio dos tratos urinário e genital e são eliminadas na urina devido a descamação ou esfoliação normal  Células epiteliais escamosas  Células do epitélio de transição  Células do epitélio renal  Corpos graxos ovais  VR = algumas (4 a 10)
  64. 64. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica  Células Epiteliais Escamosas
  65. 65. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Células Escamosas
  66. 66. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Células epiteliais escamosas cobertas com Gardnerella vaginalis Urinálise Análise Microscópica
  67. 67. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Células Epiteliais com Gardnerella vaginalis
  68. 68. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Células Epiteliais Escamosas e de Transição
  69. 69. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Células Epiteliais de Transição
  70. 70. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica  Células Epiteliais de Transição: Células caudadas
  71. 71. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Células de Transição
  72. 72. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica  Células Epiteliais Renais
  73. 73. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Túbulo Proximal Células Epiteliais Renais Urinálise Análise Microscópica
  74. 74. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Células Epiteliais Renais Túbulo Distal
  75. 75. Urinálise Análise Microscópica  Célula epitelial renal – Túbulo coletor Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista
  76. 76. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Células Epiteliais Renais A = Célula epitelial renal B = Leucócito
  77. 77. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica  Corpo Graxo Oval
  78. 78. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Corpo Graxo Oval
  79. 79. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Corpo Graxo Oval
  80. 80. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Macrófagos Urinálise Análise Microscópica
  81. 81. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica - “Célula chave”: vaginite cocobacilar por Gardnerella vaginalis – Células renais: >15 p/c ⇒ doença renal ativa, lesão tubular – Corpo graxo oval: lipidúria (síndrome nefrótica, nefropatia do diabetes mellitus e lupóide, envenenamento por mercúrio ou etilenoglicol)  SIGNIFICADO CLÍNICO DA PRESENÇA DE CÉLULAS EPITELIAIS
  82. 82. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica  Formação dos Cilindros
  83. 83. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica  Cilindros de hemácias dentro dos túbulos renais
  84. 84. Urinálise Análise Microscópica Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Cilindro apresentando desvio, mostrando a formação em túbulos confluentes
  85. 85. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica  Proteína Normal
  86. 86. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Luz tubular Membrana Basolateral Proteínas Péptides Lisossomos Célula do Túbulo Proximal Absorção P R O T E Í N A S Proteína de Tamm-Horsfall Luz tubular
  87. 87. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Tipos de Cilindros
  88. 88. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Cilindro Hialino
  89. 89. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista  Cilindro Hialino Urinálise Análise Microscópica
  90. 90. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Cilindro Hialino
  91. 91. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista  Cilindro Hemático Urinálise Análise Microscópica
  92. 92. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Cilindro Hemático
  93. 93. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Cilindro Hemático
  94. 94. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Cilindro Hemático
  95. 95. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Cilindro Hemático
  96. 96. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Cilindro Hemático
  97. 97. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista  Cilindro Leucocitário Urinálise Análise Microscópica
  98. 98. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Cilindro Leucocitário
  99. 99. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Cilindro Leucocitário
  100. 100. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Cilindro Leucocitário
  101. 101. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica
  102. 102. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista  Cilindro Epitelial Urinálise Análise Microscópica
  103. 103. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Cilindro Epitelial
  104. 104. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista  Evolução dos cilindros Urinálise Análise Microscópica Celular Granuloso Grosso Granuloso Fino Céreo
  105. 105. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Evolução dos cilindros
  106. 106. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista  Cilindro Granuloso Grosso Urinálise Análise Microscópica
  107. 107. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica  Cilindro Granuloso Fino
  108. 108. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Cilindro Céreo
  109. 109. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista  Cilindro Céreo Urinálise Análise Microscópica
  110. 110. Urinálise Análise Microscópica  Cilindro Céreo Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista
  111. 111. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista  Cilindro Gorduroso Urinálise Análise Microscópica
  112. 112. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Cilindro Gorduroso
  113. 113. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Cilindróide
  114. 114. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Cilindro misto
  115. 115. Urinálise Análise Microscópica Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Cilindro de bactérias Cilindro de leveduras
  116. 116. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Síndrome Nefrótica -Cilindros: -Hemático -Epiteliall -Granuloso grosso -Granuloso fino -Céreo -Hemácias -Normocíticas -Dismórficas -Leucócitos -Epitélio renal -Corpo graxo oval
  117. 117. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica – Hialino: normal até 2 cilindros (100 x) – Hemático: glomerulonefrite – Leucócitos: pielonefrite – Epiteliais: destruição, descamação epitélio tubular (glomerulonefrite, pielonefrite, infecções virais, exposição a nefrotóxicos) – Granulosos: desintegração cilindros celulares ⇒ estase urinária – Céreos: estase renal prolongada ⇒ insuficiência renal – Gordurosos: síndrome nefrótica (diabetes mellitus, degeneração renal, nefrotóxicos) SIGNIFICADO CLÍNICO DA PRESENÇA DOS CILINDROS:
  118. 118. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista  Cristais de reação ácida – Urato amorfo Urinálise Análise Microscópica
  119. 119. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Cristais de reação ácida – Ácido Úrico
  120. 120. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Cristais de reação ácida – Ácido Úrico
  121. 121. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Cristais de reação ácida – Ácido Hipúrico
  122. 122. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Cristais de reação ácida – Oxalato de cálcio
  123. 123. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Cristais de reação ácida – Oxalato de cálcio (dihidratado)
  124. 124. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Cristais de reação ácida – Oxalato de cálcio (monohidratado)
  125. 125. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Cristais de reação ácida – Oxalato de cálcio (monohidratado)
  126. 126. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Oxalato de cálcio
  127. 127. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Cristais Alcalinos – Fosfato amorfo
  128. 128. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Cristais Alcalinos – Fosfato triplo amoníaco-magnesiano
  129. 129. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Cristais Alcalinos – Fosfato triplo amoníaco-magnesiano se desenvolvendo Urinálise Análise Microscópica
  130. 130. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista  Cristais Alcalinos – Carbonato de Cálcio Urinálise Análise Microscópica
  131. 131. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Cristais Alcalinos – Biurato de amônio
  132. 132. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Cristais de origem metabólica Leucina Leucinose (MSUD): EIM, AR, 1/290.000 ↓α-cetoácido desidrogenase Leu, Isoleu, Val na urina/ Intoxicação
  133. 133. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista  Cristais de origem metabólica Urinálise Análise Microscópica Tirosina Tirosinemia hepato-renal: EIM, AR 1/120.000, ↓Fumarilacetoacetato hidrolase Insuficiência hepática e tubulopatia
  134. 134. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Cristais de origem metabólica Cistina Cistinúria: EIM, AR, 1/10.000 Reabsorção tubular alterada: Cys, Arg, Lys, Ort Lesão renal por cálculos de cys
  135. 135. Urinálise Análise Microscópica Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Deficiência em adeninafosforibosil transferase: EIM (1974) Formação de cristais de 2,8-DHA na urina Insuficiência renal aguda (26%); IRC (17%); cristalúria (96%)
  136. 136. Urinálise Análise Microscópica  Cristais de origem metabólica 2,8-dihidroxiadenina (2,8-DHA) Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Luz polarizadaLuz polarizada Precipitação intratubular de 2,8-DHA
  137. 137. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Cristais de origem metabólica Colesterol
  138. 138. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica  Bilirrubina Normal
  139. 139. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Sedimento corado pela Bilirrubina Cilindro epitelial Cristais de Bilirrubina
  140. 140. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista  Cristais de origem iatrogênica Urinálise Análise Microscópica
  141. 141. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Cristais de origem iatrogênica Urinálise Análise Microscópica Sulfadiazina
  142. 142. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Cristais de origem iatrogênica Sulfonamida Amoxicilina
  143. 143. Urinálise Análise Microscópica Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Cristais de origem iatrogênica Indinavir Aciclovir
  144. 144. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Contraste radiográfico Cristais de origem iatrogênica Urinálise Análise Microscópica
  145. 145. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Cilindros de cristais de oxalato de cálcio
  146. 146. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista  Muco Urinálise Análise Microscópica
  147. 147. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Muco
  148. 148. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica  Nitrito Flora Bacteriana Normal
  149. 149. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Flora Bacteriana
  150. 150. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista  Flora Bacteriana Urinálise Análise Microscópica
  151. 151. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Protoplasto
  152. 152. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Gotas de Gordura
  153. 153. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Gotas de Gordura Corpo Graxo Oval Cilindro Gorduroso
  154. 154. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica  Contaminantes e Artefatos Espermatozóides
  155. 155. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Espermatozóides
  156. 156. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Células e hifas leveduriformes com aspecto morfológico de Candida sp
  157. 157. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Células e hifas leveduriformes com aspecto morfológico de Candida sp
  158. 158. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista A = Hemácia crenada B = Célula leveduriforme C= Hemácia aspecto normal Urinálise Análise Microscópica
  159. 159. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Trichomonas vaginalis
  160. 160. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Trichomonas vaginalis
  161. 161. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Trichomonas vaginalis
  162. 162. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Ovos de parasitas Enterobius vermiculares Schistossoma haematobium
  163. 163. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Larvas de parasitas
  164. 164. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Lecane sp Tyrophagus putrescentiace Fêmea, ovos e filhote (ácaro)
  165. 165. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Fibras
  166. 166. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Esporos
  167. 167. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica  Grãos de amido
  168. 168. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica ?
  169. 169. Urinálise Análise Microscópica Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista
  170. 170. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica LIBERAÇÃO DO RESULTADO  Leucócitos e Hemácias: – Resultado por campo: registrar o número médio de elementos por campo, média de 10 campos, no aumento de 400x; – Resultado por mililitro: observar no mínimo 10 campos, calcular a média e expressar o número de elementos por mililitro, multiplicando por 5040; – Quando o campo microscópico estiver tomado por estes elementos, e não sendo possível visualizar outros, relatar como presença maciça. ABNT NBR 15268
  171. 171. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Células Epiteliais e Cilindros: identificar o tipo e registrar o número médio por campo no aumento de 100x, expressos conforme a seguir: – Raros: até 3 por campo – Alguns: de 4 a 10 por campo – Numerosos: acima de 10 por campo Expressão de Resultados: ABNT NBR 15268
  172. 172. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista  CILINDROS Urinálise Análise Microscópica 100x : encontrar e contar 400x : identificar
  173. 173. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Análise Microscópica Expressão de Resultados: ABNT NBR 15268  Citar a presença de: – Leveduras – Cristais (com identificação) – Trichomonas sp – Muco
  174. 174. Urinálise Controle de Qualidade  Programa de garantia de qualidade: – Monitoramento contínuo de cada aspecto de um processo; – Assegurando o mais elevado padrão de qualidade; – Estabelece a coordenação e a comunicação entre as partes envolvidas Paciente Laboratório Médico Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista
  175. 175. Urinálise Controle de Qualidade  Programa de Controle de Qualidade Imprescindível Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Garantir a confiabilidade dos resultados Certificação do Laboratório
  176. 176. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista  Controle de Qualidade  Interno  Externo Urinálise Controle de Qualidade
  177. 177. Urinálise Controle de Qualidade  Controle de Qualidade Interno: – Avaliação da PRECISÃO – Monitoração Sistemática  Pessoal  Instrumentos  Materiais  Outros fatores que possam afetar os resultados – Definida – Documentada – Estabelecer limites aceitáveis – Ações apropriadas: aceitar ou descartar resultados Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista
  178. 178. Urinálise Controle de Qualidade  Controle de Qualidade Externo: – Avaliação da EXATIDÃO e DESEMPENHO – Avalia o processo analítico desenvolvido no LAC PROGRAMAS DE CONTROLE EXTERNO DA QUALIDADE Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista
  179. 179. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista  Critérios de Aceitabilidade da Amostra – Volume insuficiente – Amostra inadequada – Contaminação visível – Preservação inadequada – Identificação incorreta – Frasco de coleta inadequado Urinálise Controle de Qualidade
  180. 180. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista  Preparo e Análise : Equipamentos Urinálise Controle de Qualidade Limpeza e desinfecção diárias Verificação semestral: Controle de tempo e temperatura Tacógrafo Verificação periódica: Partes ótica e mecânica
  181. 181. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista  Preparo e Análise – Rotinas  POP – Pessoal Técnico Capacitado – Disponibilização de Material Técnico atualizado: Livros, Atlas, Slides, Posters, Normas Técnicas Urinálise Controle de Qualidade
  182. 182. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista  Material de Laboratório Padronizado Urinálise Controle de Qualidade
  183. 183. Urinálise Controle de Qualidade  SEDIMENTOSCOPIA: – Análise da mesma amostra por mais de um analista e comparação de resultados; – Divisão da amostra na recepção , após homogeneização, identificação e comparação de resultados; – Repetição de exames de amostras ao acaso e comparação de resultados; – Envio da amostra a outro laboratório e comparação de resultados; – Utilização de Urina Controle Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Liquichek Urinalysis Control Bio-Rad
  184. 184. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista  não utilizar amostra de urina recém emitida;  utilização de frasco de coleta inadequado;  falta de homogeneização da amostra de urina; Urinálise Principais erros observados na execução da sedimentoscopia:
  185. 185. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista  utilização de procedimentos inadequados de centrifugação (tempo, rotação).  preparo incorreto do sedimento;  despreparo do analista. Urinálise
  186. 186. Curso de Aperfeiçoamento em Análises Clínicas/DACT/UFMGProfa. Jane Maciel Almeida Baptista Urinálise Referências Bibliográficas 1. ABNT NBR 15268:2005 2. Diagnóstica Bayer. Apostila Curso de Urinálise. 3. Dictionary. http://www.nlm.nih.gov/medlineplus 4. DION R. Le sédiment urinaire. http://www. sqbc. qc.ca/liens/index.htm 5. Disciplina de Bioquímica Clínica da Faculdade de Farmácia da UFMG. Apostila de Urinálise. 6. GRAFF SL. Analisis de Orina. Atlas Color. Editora Medica Panamericana, Buenos Aires, 1987. 222 p. 7. HABER MH, LINDNER LE. The surface ultrastructure of urinary casts. Amer. J. Clin. Pathol. v. 68, p. 547-552, 1977. 8. HAYHOE FGJ & FLEMANS RJ. Um Atlas Colorido de Citologia Hematológica. 2a . Edição. Livraria Editôra Artes Médicas Ltda. p. 233. 1990. 9. HOERR NL & OSOL A. Dicionário Médico Ilustrado Blakiston. Organização Andrei Editôra S/A. São Paulo. 1.104 p. [196-]. 10. LIMA AO e cols. Métodos de Laboratório Aplicados à Clínica. Guanabara Koogan. p. 393. 1969. 11. LINDNER LE, HABER MH. Hyaline casts in the urine: mechanism of formation and morphologic transformations. Amer. J. Clin. Pathol. v. 80, p. 347-352, 1983. 12. LINDNER LE, VACCA D e HABER MH. Identification and composition of types of granular urinary casts. Amer. J. Clin. Pathol. v. 80, p. 353-358, 1983. 13. MAZOUZ B, ALGAMOR M. False-positive microhematuria in dipsticks urinalysis caused by the presence of semen in urine. Clin. Biochem. v. 36 (3), p. 229-231, 2003. 14. Medical Encyclopedia. http://www.nlm.nih.gov/medlineplus 15. MENDES, MQ e LOPES, HJJ. Atualização em Bioquímica Clínica. Mai Editôra S.A., Belo Horizonte, 1a Edição, 1973. 16. MORIMOTO M, YANAI H, CHIBA H e MATSUNO K. Importance of midstream clean-catch technique for urinalyse, reconfirmed by urinary flow citometry. Clin. Chim. Acta. v. 333, p. 101-102, 2003. 17. ORPHANET - Inserm SC 11. http:www.orpha.net 18. RAYMOND JR e YAGER WE. Abnormal urine color: a differential diagnosis. Sout. Med. J. v. 81. p. 837-840, 1988. 19. SOLDIN SJ, RIFAI N, HICKS JMB. Biochemical basis of pediatric disease. AACC Press., Washington D.C., 2a . Edição, 1995. 684 p. 20. RINGSRUD KM e LINNE JJ. Urinalyses and body fluids: a color text and atlas. Mosby –Year Book Inc., Saint Louis, 1995. 336p. 21. STAPLETON, FB. Morphology of urinary red blood cells: a simple guide in localizing the site of hematuria, Pediat. Nephol. v. 34, p. 561-569, 1987. 22. STRASINGER, SK. Uroanálise e fluídos biológicos. Editorial Premier, São Paulo, 3a Edição, 2000, 233p. TOMITA M, KITAMOTO Y, NAKAYAMA M e SATO T. A new morphological classification of urinary erythrocytes for differential diagnosis of glomerular hematuria, Clin. Nephrol. v. 37, p. 84-89, 1992.

×