Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
ESCOLA BÍBLICA

IGREJA EVANGÉLICA SEM FRONTEIRA

O LIVRO DE
CRISTO, O
RESPLENDOR DA
GLÓRIA DE DEUS
LIÇÃO
Lição 1: CRISTO, O RESPLENDOR
DA
GLÓRIA DE DEUS
TEXTO ÁUREO
“O qual, sendo o resplendor da sua glória, e a
expressa imagem...
Lição 1: CRISTO, O RESPLENDOR
DA
GLÓRIA DE DEUS
VERDADE PRÁTICA
A revelação de Deus aos homens teve sua plena
expressão at...
Lição 1: CRISTO, O RESPLENDOR
DA
GLÓRIA DE DEUS
LEITURA DIÁRIA

Sl 96.6 - Glória e majestade diante de Deus
Rm 11.36 - Gló...
Lição 1: CRISTO, O RESPLENDOR
DA
GLÓRIA DE DEUS
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE

Hebreus 1.1- 6
Lição 1: CRISTO, O RESPLENDOR
DA
GLÓRIA DE DEUS
PONTO DE CONTATO

Estudaremos a Epístola aos Hebreus que, entre
outros ass...
Lição 1: CRISTO, O RESPLENDOR
DA
GLÓRIA DE DEUS
OBJETIVOS

Após a lição, devemos estar aptos a:


Reconhecer que a revela...
Lição 1: CRISTO, O RESPLENDOR
DA
GLÓRIA DE DEUS
DEMONSTRANDO A SUPERIORIDADE DE
CRISTO
INTRODUÇÃO
A epístola aos Hebreus contém alguns enigmas. Não
esclarece quem foi seu autor; a quem foi realmente
destinada,...
INTRODUÇÃO
Martinho Lutero sugeriu que a carta poderia ter sido
escrita por Apolo (At 18.24). Quanto à data, os
estudiosos...
DEUS FALOU DE MODO
DEFINITIVO
1. A antiga revelação. No versículo primeiro, o
escritor assevera que, “antigamente”, Deus f...
DEUS FALOU DE MODO
DEFINITIVO
2. Deus falou de muitas
maneiras (v.1b). Nas páginas do
Antigo Testamento, vemos que
Deus nã...
DEUS FALOU DE MODO
DEFINITIVO
3. A última e definitiva revelação. Deus, “a nós falou-nos
nestes últimos dias pelo Filho” (...
DEUS FALOU DE MODO
DEFINITIVO
Os adeptos da “Nova Era” dizem
que virá a “Era de Aquários”, para
substituir o Cristianismo....
O PERFIL MAJESTOSO DE
CRISTO
1. Herdeiro de tudo e criador do mundo. No v.2, lemos que
Deus constituiu Jesus como “herdeir...
O PERFIL MAJESTOSO DE
CRISTO
2. Cristo, o resplendor da glória de Deus (v.3). Esta é uma
revelação da maior transcendência...
O PERFIL MAJESTOSO DE
CRISTO
5. Cristo, o Salvador, fez a purificação dos nossos
pecados (v.3). O escritor aos Hebreus rec...
CONCLUSÃO
Alegremo-nos por não servirmos a um
deus qualquer, produto da mente
humana, ou da necessidade de se
acreditar em...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Lição 1 Hebreus

1,938 views

Published on

Série de estudos sobre o livro de Hebreus, capítulo a capítulo, ministradas na Escola Bíblica em Igreja Evangélica Sem Fronteiras.

Published in: Spiritual
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Lição 1 Hebreus

  1. 1. ESCOLA BÍBLICA IGREJA EVANGÉLICA SEM FRONTEIRA O LIVRO DE
  2. 2. CRISTO, O RESPLENDOR DA GLÓRIA DE DEUS LIÇÃO
  3. 3. Lição 1: CRISTO, O RESPLENDOR DA GLÓRIA DE DEUS TEXTO ÁUREO “O qual, sendo o resplendor da sua glória, e a expressa imagem da sua pessoa, e sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder, havendo feito por si mesmo a purificação dos nossos pecados, assentou-se à destra da Majestade, nas alturas” (Hb 1.3).
  4. 4. Lição 1: CRISTO, O RESPLENDOR DA GLÓRIA DE DEUS VERDADE PRÁTICA A revelação de Deus aos homens teve sua plena expressão através de seu Filho, Jesus Cristo, não restando mais qualquer revelação sobre a sua vontade para com a humanidade.
  5. 5. Lição 1: CRISTO, O RESPLENDOR DA GLÓRIA DE DEUS LEITURA DIÁRIA Sl 96.6 - Glória e majestade diante de Deus Rm 11.36 - Glória a Cristo eternamente 2 Co 4.4 - Jesus, imagem e glória de Deus Ef 3.21- A Cristo, glória na igreja 1 Tm 3.16 - Jesus, recebido em glória Ap 4.11 - Jesus, digno de receber glória
  6. 6. Lição 1: CRISTO, O RESPLENDOR DA GLÓRIA DE DEUS LEITURA BÍBLICA EM CLASSE Hebreus 1.1- 6
  7. 7. Lição 1: CRISTO, O RESPLENDOR DA GLÓRIA DE DEUS PONTO DE CONTATO Estudaremos a Epístola aos Hebreus que, entre outros assuntos importantes, enfoca a pessoa de Cristo como “o resplendor da glória de Deus”. Sua superioridade é destacada de forma magistral: excede a Moisés, Arão, Melquisedeque, os profetas e os anjos. Ademais disso, o presente tratado, ao alertar os destinatários da carta quanto aos desvios e a apostasia, estabelece as bases da verdadeira
  8. 8. Lição 1: CRISTO, O RESPLENDOR DA GLÓRIA DE DEUS OBJETIVOS Após a lição, devemos estar aptos a:  Reconhecer que a revelação de Deus aos homens foi completada e definida em Jesus.  Distinguir as diferenças entre a antiga e a última revelação dadas por Deus.  Identificar as características da majestade de Cristo.
  9. 9. Lição 1: CRISTO, O RESPLENDOR DA GLÓRIA DE DEUS DEMONSTRANDO A SUPERIORIDADE DE CRISTO
  10. 10. INTRODUÇÃO A epístola aos Hebreus contém alguns enigmas. Não esclarece quem foi seu autor; a quem foi realmente destinada, nem a data em que foi escrita. No primeiro século, os chamados pais da Igreja não esclareceram tais detalhes. Clemente de Alexandria e Orígenes entenderam que Paulo escrevera Hebreus. No Século II, Tertuliano discordava da autoria paulina, e cria que Barnabé era o autor da epístola. Agostinho, de início, julgou que fosse Paulo mas, depois, afirmou que ela era anônima.
  11. 11. INTRODUÇÃO Martinho Lutero sugeriu que a carta poderia ter sido escrita por Apolo (At 18.24). Quanto à data, os estudiosos situam-na entre 68 a 70 d.C. Com relação aos destinatários da carta, Hebreus deve ter sido inicialmente dirigida a judeus helenistas convertidos ao Cristianismo. O propósito deste comentário não é discutir tais pormenores, pois a resposta só teremos no céu, quando nos encontrarmos com o escritor. É fundamental que nestas lições sobre a Epístola aos Hebreus, vejamos a pessoa de Jesus Cristo como o resplendor da glória de Deus, o Salvador perfeito.
  12. 12. DEUS FALOU DE MODO DEFINITIVO 1. A antiga revelação. No versículo primeiro, o escritor assevera que, “antigamente”, Deus falou “muitas vezes, e de muitas maneiras aos pais, pelos profetas”. Moisés foi um profeta especial. No Salmo 103.7, lemos: “Fez notórios seus caminhos a Moisés, e os seus feitos aos filhos de Israel”. Na galeria dos profetas, destacam-se Isaías, que recebeu a revelação do nascimento, vida, ministério, morte e ressurreição do Messias; Jeremias, Ezequiel, Daniel, Joel, Malaquias, e outros, foram instrumentos da revelação, não só para Israel, mas para a Igreja e para o mundo. (Ver 1 Pe 1.12.)
  13. 13. DEUS FALOU DE MODO DEFINITIVO 2. Deus falou de muitas maneiras (v.1b). Nas páginas do Antigo Testamento, vemos que Deus não falou de modo uniforme pelos profetas. A uns, como a Moisés, Ele falou direto, “cara a cara”; a outros, como Daniel, falou por sonhos; a Jonas, em voz audível, e por meio do vento, do mar e do peixe. Por esses meios, Deus se revelou de modo progressivo, nas diversas dispensações, até que chegasse “...a posteridade, a quem a
  14. 14. DEUS FALOU DE MODO DEFINITIVO 3. A última e definitiva revelação. Deus, “a nós falou-nos nestes últimos dias pelo Filho” (v.1b). Essa afirmação é fundamental para a fé cristã. Primeiro, porque Deus falou. Segundo, porque nos falou “pelo Filho”. A revelação pelos profetas foi divina e progressiva. Eles, com convicção, diziam: “Assim diz o Senhor” (Êx 5.1; Is 7.7; Jr 2.5; Ez 3.11). A revelação pelo Filho, Jesus, é divina e superior, visto ser conclusiva e definitiva. Em Hebreus, vemos a melhor e mais perfeita comunicação do Altíssimo. Ele, nestes “últimos dias”, falou pelo seu próprio Filho, de modo completo, direto e definitivo (cf. Lc 21.33; Mc 13.31). Os ímpios não entenderam esta revelação: os espíritas dizem
  15. 15. DEUS FALOU DE MODO DEFINITIVO Os adeptos da “Nova Era” dizem que virá a “Era de Aquários”, para substituir o Cristianismo. Com esse engodo, o Diabo engana os incrédulos, a fim de que sejam lançados no inferno (cf. Sl 9.17). Jesus é a última e definitiva revelação de Deus aos homens. Ele falou e está falado! “Cale-se diante dele toda a terra” (Habacuque 2.20). Nós cristãos, precisamos estar seguros, fundamentados na Palavra de Deus, para refutar toda e qualquer doutrina falsa, que apresente qualquer outra revelação
  16. 16. O PERFIL MAJESTOSO DE CRISTO 1. Herdeiro de tudo e criador do mundo. No v.2, lemos que Deus constituiu Jesus como “herdeiro de tudo e criador do mundo”. a) Todas as coisas foram feitas por Jesus. No evangelho segundo João (1.1), temos uma declaração profunda da divindade de Cristo, quando lemos: “Todas as coisas foram feitas por ele, e nada do que foi feito sem ele se fez”. Ele foi o agente de Deus na Criação, fazendo vir à luz as coisas criadas pelo poder do Espírito Santo. b) Todas as coisas foram feitas para Ele. Jesus teve do Pai a outorga para criar todas as coisas, e também para ser o herdeiro de todas as coisas criadas. Paulo, escrevendo aos Colossenses, diz: “Tudo foi criado por Ele e para Ele” (Cl
  17. 17. O PERFIL MAJESTOSO DE CRISTO 2. Cristo, o resplendor da glória de Deus (v.3). Esta é uma revelação da maior transcendência. No Antigo Testamento, Deus manifestou a sua glória, em certas ocasiões, de modo terrível e aterrador. 3. Cristo, “a expressa imagem” de Deus (v.3). Essa revelação, no texto, amplia a visão de Cristo, dada ao escritor. Mostra que Ele não é só o resplendor da glória de Deus, mas tem a mesma natureza, o mesmo caráter. 4. Cristo sustenta todas as coisas pela palavra do seu poder (v.3). Jesus é o agente da criação de Deus. Sua palavra criadora teve efeito não apenas imediato, mas transformou-se em lei, executada no momento em que, como Deus, Ele disse: “Haja luz”; “haja uma expansão...”; “façamos o homem...” (Gn 1.1-26). O poder da palavra de Deus foi tão grande, que sua eficácia continua por todos os séculos.
  18. 18. O PERFIL MAJESTOSO DE CRISTO 5. Cristo, o Salvador, fez a purificação dos nossos pecados (v.3). O escritor aos Hebreus recebeu a revelação da obra redentora de Cristo, como aquele que, pelo seu sangue, nos purifica de todo o pecado (cf. 1 Jo 1.7). 6. Assentado à direita de Deus (v.3). Nos antigos impérios e reinos, o lugar de honra era ao lado do monarca, ou do imperador. A comunicação sobre a posição de Cristo, quando elevado aos céus, evoca essa metáfora. Após sua ascensão, Jesus foi recebido à direita de Deus (Mc 16.19); Estêvão viu Jesus à destra de Deus, no momento de seu martírio (At 7.55)
  19. 19. CONCLUSÃO Alegremo-nos por não servirmos a um deus qualquer, produto da mente humana, ou da necessidade de se acreditar em algo ou em alguém superior, como os indígenas e outros povos tidos como primitivos. O nosso Deus é o excelso Criador. O nosso Cristo é o Verbo Divino, o Salvador, que, cumprida sua

×