Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Visita De Estudo Museu da Água

2,373 views

Published on

Visita de Estudo, no dia 28 de Março de 2009, ao Museu da Água - Mãe d'Água, nas Amoreiras e ao Museu Vieira da Silva...

Published in: Business, Technology
  • Be the first to comment

Visita De Estudo Museu da Água

  1. 1. Escola Secundária de Seomara da Costa Primo Mãe D'Água Amoreiras Ano lectivo 2008/2009 E.S.S.C.P. Projectado e construído para receber e distribuir as águas aduzidas pelo Aqueduto das Águas Livres, o Reservatório da Mãe Visita de Estudo d'Água das Amoreiras ficou concluído em 1834. Componente essencial do Formandos: abastecimento urbano de água, foi concebido pelo arquitecto húngaro Carlos Mardel. De - Alexandra Valente linhas arquitectónicas de uma sobriedade - Germânia Vicente invulgar, a construção assenta sobre um - Luís Saraiva envazamento elevado em relação às ruas - João Oliveira circundantes e onde, no interior, surge a - Clementina Nunes cascata e a Arca d'Água com 7,5 metros de - Carlos Ramalhinho profundidade e uma capacidade rondando os - Josefa Neto 5 500 m3. Mãe d’Água Professores: Amoreiras Aqueduto das Águas Livres e Mãe d’Água - Augusta Nogueira - Alfredo Garcia - Dulce Marinho - José Leal - Lídia Dias - Lurdes Henriques - Maria João Costa Data: 28 de Março de 2009. Hora: 9:30/12:30 horas. Organizadores: Local: Estação de Metro da Falagueira. • Augusta Nogueira EFA Secundário: Sociedade, Tecnologia e Ciência • Alfredo Garcia Turma: EFA S 1A
  2. 2. O CICLO URBANO DA ÁGUA O desenvolvimento da sociedade levou a um aumento das necessidades de distribuição de água para as populações e a um consequente aumento da necessidade de rejeição das águas residuais produzidas. Estas necessidades são satisfeitas através dos serviços de águas que, juntamente com os serviços de resíduos sólidos urbanos, fazem parte dos serviços de saneamento básico O Aqueduto das Águas Livres ergue-se sobre o vale de Alcântara, na cidade de Lisboa, em Portugal. PRINCIPAIS ETAPAS DOS SERVIÇOS DAS Considerado como um dos locais mais bonitos de ÁGUAS E RESÍDUOS: Lisboa na actualidade, a construção de um Um sistema de abastecimento de água é um aqueduto para levar água à cidade deu, a D. João V conjunto de infra-estruturas e equipamentos (1706-1750), a oportunidade para satisfazer a sua interligados, que têm como função fornecer paixão pelas construções grandiosas, uma vez que água para consumo humano, em quantidade a única área de Lisboa que tinha água era o bairro da Alfama. e qualidade adequadas, de modo a satisfazer as exigências estabelecidas na legislação O projecto foi custeado com a receita de uma taxa nacional aplicável. sobre a carne, o vinho, o azeite e outros produtos alimentares. Apesar de só ter sido concluído no século XIX, em 1748 já atendia a função de fornecer água à cidade. Um sistema de abastecimento de água é constituído pelos seguintes órgãos: Na primeira fase da sua construção, até à chegada a Lisboa em 1748, contou com a participação de - captação, Características arquitectos e engenheiros militares famosos, - estação elevatória, nomeadamente António Canevari (italiano), Manoel A sua conduta principal apresenta a extensão de Azevedo Fortes, Silva Pais, Manuel da Maia, - posto de cloragem ou estação de de 19 quilómetros, embora o comprimento total, Custódio Vieira (autor da arcaria sobre o vale de tratamento de água (ETA), incluindo os canais secundários, seja de 58 Alcântara) e Carlos Mardel (húngaro). Manuel da quilómetros. A sua parte mais conhecida são os 35 Maia e Carlos Mardel haveriam de ter, após o - Adutora, arcos sobre o vale, o mais alto dos quais mede 65 grande terramoto de 1755, um papel crucial na metros de altura. - reservatório e rede de distribuição (rede de reconstrução da Baixa Pombalina. abastecimento). Na extremidade do aqueduto, a Mãe d’Água das O caminho público por cima do aqueduto, esteve Amoreiras é uma espécie de castelo que outrora fechado desde 1853, em parte devido aos crimes serviu como reservatório. O desenho original, de praticados por Diogo Alves, um criminoso que 1745, foi do arquitecto Carlos Mardel. Completado lançava as suas vítimas do alto dos arcos e que foi em 1834, tornou-se num popular local de encontro o último decapitado da História de Portugal. para os monarcas e as suas amantes. Actualmente Actualmente é possível fazer um passeio guiado esse espaço, requalificado como Museu da Água, é por cima dos mesmos. Também é possível, Rua Elias Garcia. 329 utilizado para exposições de arte, desfiles de moda 2700-323 Amadora ocasionalmente, visitar o reservatório da Mãe 21 498 59 90 e outros eventos. d’Água.

×