Ondas (2)

4,305 views

Published on

Outro material sobre Ondas, preparado pela Professora de Física, Mônica Gurgel, para os alunos da 9a. série do Colégio Espaço Aberto - Fortaleza - Ce

Published in: Technology, Education
0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
4,305
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
351
Actions
Shares
0
Downloads
84
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Ondas (2)

  1. 1. Ondas Profa. Mônica Gurgel
  2. 2. ONDULATÓRIA RELAÇÃO ENTRE FREQÜÊNCIA E PERÍODO. Vamos imaginar uma perturbação que percorreu um único comprimento de onda (n=1). Podemos ainda dizer que o tempo gasto para percorrer tal comprimento de onda foi de um período (Dt=T). Substituindo os dados na equação da freqüência, temos: f = 1/T
  3. 3. As unidades de frequência e período no sistema internacional são: Frequência (f) – hertz (Hz) Período (T) – segundos (s)
  4. 4. FENÔMENOS ONDULATÓRIOS A seguir veremos alguns fenômenos ondulatórios. A ressonância ocorre quando um sistema recebe energia numa frequência que coincide com uma das frequências de vibração do sistema.
  5. 5. A difração Ocorre quando uma onda contorna uma fenda ou um obstáculo. Este contorno se verifica quando a dimensão do obstáculo ou da fenda é da ordem ou menor que o comprimento de onda. Toda onda sofre difração.
  6. 6. A polarização Ocorre quando todos os pontos de um meio passam a vibrar em um único plano. Somente as ondas transversais podem ser polarizadas.
  7. 7. QUALIDADES FISIOLÓGICAS DO SOM Altura está relacionada à frequência do som. O som alto é um som agudo, de alta frequência. O som baixo é um som grave, de baixa frequência.
  8. 8. Intensidade Está relacionada à amplitude do som. O som forte tem intensidade elevada (volume elevado) e o som fraco tem baixa intensidade (baixo volume).
  9. 9. Timbre Está relacionado à forma de onda do som emitido. Permite ao ouvido diferir sons de mesma frequência e mesma intensidade, emitidos por instrumentos musicais diferentes.
  10. 10. EFEITO DOPPLER-FIZEAU O efeito Doppler-Fizeau ocorre devido ao movimento da fonte em relação ao observador ou do observador em relação à fonte ou de ambos. A frequência recebida pelo observador (aparente) é diferente da frequência emitida pela fonte (real). Quando observador e fonte se aproximam, a frequência recebida pelo observador (aparente) é maior que a frequência emitida pela fonte (real). Quando observador e fonte se afastam, a frequência recebida pelo observador (aparente) é menor que a frequência emitida pela fonte (real).
  11. 11. Instrumentos de cordas Nesses instrumentos, o som é produzido a partir de cordas, que quando acionadas provocam compressões e rarefações no ar, chamadas ondas sonoras. Também chamada de cordas vibrantes, as cordas dos instrumentos musicais, quando vibram produzem ondas transversais que, superpondo-se às refletidas nas extremidades, originam uma onda estacionária. O modo mais simples de vibração da corda caracteriza sua frequência Fundamental*, correspondente à vibração entre as extremidades de fixação da corda (nós) e um ponto médio. O segundo modo de vibração corresponde aos nós das extremidades e a um nó no ponto central. O terceiro modo corresponde a mais um nó entre os nós extremos, e assim, cada novo modo de vibração corresponde a mais um nó intermediário. A distância entre dois nós consecutivos corresponde a meio comprimento de onda e a frequência de oscilação é dada por , onde v é a velocidade da onda na corda. * http://www.brasilescola.com/fisica/a-fisica-os-intrumentos-musicais.htm
  12. 12. Instrumentos de sopro Os instrumentos de sopro são constituídos por tubos sonoros. Se você soprar dentro de uma garrafa de vidro, por exemplo, irá observar esta emitira um som. Isso acontece porque a coluna de ar dentro da garrafa entra em vibração emitindo uma onda sonora. A produção dessa onda em uma das extremidades é devida a um dispositivo denominado embocadura. A extremidade oposta à embocadura, pode ser aberta ou fechada dando origem a dois tipos de tubos sonoros, os abertos e os fechados. Nos tubos abertos a onda estacionária longitudinal que se forma apresenta um ventre em ambas as extremidades. O modo mais simples de vibração corresponde a um nó no ponto central do tubo. A cada novo modo de vibração, surge mais um nó intermediário. A distância entre dois ventres consecutivos é igual à metade do comprimento de onda.
  13. 13. TUBOS SONOROS ABERTOS
  14. 14. Nos tubos sonoros fechados a onda estacionária longitudinal, apresenta um ventre na extremidade da embocadura e um nó na extremidade fechada. Para cada modo de vibração existente, mantém-se o nó na extremidade fechada e aumenta-se um nó intermediário. A distância entre o ventre e o nó consecutivo corresponde a um quarto do comprimento de onda.
  15. 15. TUBOS SONOROS FECHADOS
  16. 16. TUBOS SONOROS
  17. 17. OBSERVAÇÃO Os instrumentos de percussão se comportam de maneira bem diferente dos demais. Os sons emitidos por eles podem ter suas origens das vibrações de membranas, hastes e superfícies metálicas, o que dificulta estabelecer um padrão de comportamento para eles.
  18. 18. Boa semana de AD4

×