Secas e Cheias

13,515 views

Published on

Published in: Technology, Education
0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
13,515
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
210
Actions
Shares
0
Downloads
262
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Secas e Cheias

  1. 1. Secas e Cheias<br />
  2. 2. A seca é uma catástrofe natural com características diferentes das outras catástrofes. <br />- Ocorrem principalmente, devido à escassez de água/ insuficiência de precipitação. Associa-se à reduzida precipitação numa determinada região por um período de tempo muito grande.<br />Secas<br />
  3. 3. Secas<br />As secas, podem durar vários anos… Com efeitos devastadores, principalmente na agricultura. Quando estas, são muito prolongadas, os solos degradam-se (ficam ressequidos e poeirentos), sendo facilmente arrastados pelo vento.<br />Esta catástrofe, distingue-se das outras, por o seu aparecimento acontecer de uma forma mais insignificante. A sua progressão verifica-se de forma mais lenta. A ocorrência arrasta-se por um maior período de tempo, onde pode atingir extensões superficiais muito maiores. A sua recuperação processar-se de um modo ainda mais lento.<br />
  4. 4. Secas - continuação<br />A vegetação vai desaparecendo também. Assim, os efeitos das secas prolongam-se para além da sua duração contribuindo para o avanço da desertificação.<br />perda da capacidade produtiva dos ecossistemas<br />
  5. 5. Secas - continuação<br />As causas das secas, são algo difícil de encontrar por isso estas catástrofes são pouco previsíveis mas afectam muitas regiões do mundo.<br /> - Nas regiões de clima tropical seco, onde durante vários anos estação seca pode ser muita prolongada e a húmida, curta. Com fracas precipitações. <br /> - Nas regiões das latitudes médias, sobretudo nas áreas onde os ventos marítimos não chegam. <br />
  6. 6. Secas- continuação<br /><ul><li>O Alentejo é a região portuguesa mais afectada por períodos de seca, como quase todo o sul e interior da Península Ibérica. Os valores de precipitação em períodos normais, são mais baixos do que no restante do território, e os rios têm caudais mais fracos e regulares. Assim, a construção de infra-estruturas para armazenar a água e de sistemas de rega é extremamente importante.</li></ul>O Alentejo vai mudar?<br />Curiosidade:<br />A barragem do Alqueva é um sonho tornado realizado realidade para a população <br />
  7. 7. O que é uma cheia?<br /> - As cheias são fenómenos naturais extremos e temporários. São provocadas principalmente por precipitações moderadas, num longo período de tempo, ou elevada precipitação num curto período de tempo. <br />- Este excesso de precipitação/ chuva faz aumentar o caudal dos rios, originando inundações. Nalgumas partes do globo as cheias podem dever-se também ao derretimento de calotes de gelo.<br />Cheias<br />
  8. 8. Cheias<br />As cheias podem ainda ser causadas pela rotura de barragens, associadas (ou não) a fenómenos meteorológicos desfavoráveis. As cheias induzidas por estes acidentes são geralmente de propagação muito rápida.<br />Resultam das cheias, grandes prejuízos, nomeadamente, perda de vidas e bens. Pode levar à destruição completa de explorações agrícolas e agro-pecuárias, etc. <br />
  9. 9. Cheias - continuação<br />Quanto tempo pode durar uma cheia?<br />- O tempo necessário de ocorrer uma cheia, depende das características da bacia hidrográfica do rio. <br /> Principalmente as bacias de pequena dimensão apresentam, condições para que uma cheia se forme e propague rapidamente(em muito poucas horas).<br />Pelo contrário, em bacias de grandes dimensões, demoram mais tempo a instalar-se, permitindo um aviso mais atempado às populações. Demoram também mais tempo a desaparecer, podendo demorar vários dias.<br /> <br />
  10. 10. Cheias- continuação<br />Curiosidade:<br />Será que podemos prevenir uma cheia?<br />Sim, normalmente, é possível prever uma cheia (através de/das observações meteorológicas), assim, avisando atempadamente as populações através dos meios de comunicação social (jornais, rádio, televisão). Contudo, em casos de inundação súbita, provocada por precipitações intensas e repentinas, associadas a instabilidades atmosféricas de difícil previsão, nem sempre é possível que a população seja alertada com a devida antecipação. <br />
  11. 11. Cheias<br /> <br /> <br />
  12. 12. Trabalho realizado por:<br />Ana Rita Rogado, nº2<br />8ºB<br />Ângela Vieira, nº4<br />Tiago Fernandes, nº23<br />William Tavares, nº24<br />

×