Escola Secundária Dr. Francisco Fernandes Lopes Biblioteca Escolar  Centro de Recursos Educativos
<ul><li>“ Então julgas-te ti próprio - respondeu o rei. É o mais difícil de tudo. É muito mais difícil julgarmo-nos a nós ...
Conceitos. Objectivos <ul><li>O Programa da Rede de Bibliotecas Escolares desenvolveu um Modelo de Avaliação para as Bibli...
A Avaliação da Biblioteca permite…… <ul><li>Aferir o impacto que as actividades realizadas pela e com a Biblioteca vão ten...
Como fazemos? Como sabemos? O que vamos fazer agora ?
Em suma, a avaliação… <ul><li>permite ver o que está a ser bem feito e o que é preciso melhorar; </li></ul><ul><li>não pre...
Estrutura do Modelo Domínios/ Subdomínios Indicadores Factores Críticos  de Sucesso Recolha de  Evidências Acções para  Me...
Domínios e Subdomínios a avaliar <ul><li>A. Apoio ao Desenvolvimento Curricular </li></ul><ul><li>A.1. Articulação curricu...
<ul><li>Este quatro domínios representam as áreas essenciais para que a Biblioteca cumpra, de forma efectiva, os pressupos...
Evidências <ul><li>O modelo baseia-se no conceito da evidência. </li></ul><ul><li>A valorização da BE não pode basear-se e...
Envolvimento dos diferentes tipos de utilizadores <ul><li>Equipa da Biblioteca: </li></ul><ul><li>Promotora, desde o prime...
Envolvimento dos diferentes tipos de utilizadores <ul><li>Professores e alunos :  </li></ul><ul><li>Divulgação, (Bibliotec...
Impacto esperado no trabalho dos  professores <ul><li>Tomada de consciência da necessidade de trabalhar articuladamente co...
Impacto esperado no trabalho e aprendizagens dos  alunos <ul><li>Maior procura, facilidade e eficácia na utilização dos re...
Impacto esperado na…   Biblioteca <ul><li>Capacidade de crescer e melhorar através da recolha sistemática de evidências. <...
Comunicação e integração dos resultados no relatório de avaliação da escola <ul><li>A auto-avaliação da Biblioteca deverá ...
<ul><li>2007-2008 - Domínio D  -  Gestão da Biblioteca </li></ul><ul><li>2008-2009 – Domínio A –  Apoio ao Desenvolvimento...
Domínio B – Leitura e Literacia 2009-2010
Motivo da escolha   <ul><li>A competência da leitura é uma competência chave no currículo escolar e na sociedade de inform...
<ul><li>Importa, pois, avaliar se as actividades e as estratégias desenvolvidas têm sido ou não adequadas para a promoção ...
Aplicação dos questionários <ul><li>Amostra   </li></ul><ul><li>8% dos alunos de todos os anos de escolaridade, rapazes e ...
“  Estimular o prazer de ler é pois a pedra de toque do esforço pedagógico que procura desenvolver a literacia. E é também...
Evidências/ Instrumentos de recolha   <ul><li>Análise documental: </li></ul><ul><ul><li>Plano de Acção da Biblioteca </li>...
Cronograma da Auto-Avaliação X Conclusão do relatório e planificação do plano de melhoria.  Comunicação dos resultados. X ...
<ul><li>Equipa da Biblioteca Escolar </li></ul><ul><li>Dezembro 2009 </li></ul>
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

avaliacao_esffl_BE_2009-2010

780 views

Published on

Published in: Education
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

avaliacao_esffl_BE_2009-2010

  1. 1. Escola Secundária Dr. Francisco Fernandes Lopes Biblioteca Escolar Centro de Recursos Educativos
  2. 2. <ul><li>“ Então julgas-te ti próprio - respondeu o rei. É o mais difícil de tudo. É muito mais difícil julgarmo-nos a nós próprios do que aos outros. Se conseguires julgar-te bem a ti próprio, és um autêntico sábio” </li></ul><ul><li>(Saint- Exupery, O Principezinho) </li></ul>
  3. 3. Conceitos. Objectivos <ul><li>O Programa da Rede de Bibliotecas Escolares desenvolveu um Modelo de Avaliação para as Bibliotecas Escolares, com o objectivo de proporcionar às escolas/ bibliotecas um instrumento que lhes permita identificar as áreas de sucesso e aquelas que, por apresentarem resultados menores, requerem maior investimento, determinando, nalguns casos, uma inflexão das práticas. </li></ul>
  4. 4. A Avaliação da Biblioteca permite…… <ul><li>Aferir o impacto que as actividades realizadas pela e com a Biblioteca vão tendo no processo de ensino aprendizagem, bem como o grau de eficiência dos serviços prestados e de satisfação dos utilizadores da Biblioteca. </li></ul><ul><li>Identificar os pontos fortes e fracos da Biblioteca. </li></ul><ul><li>Reforçar o papel da BE na escola e o seu contributo para as aprendizagens e sucesso dos alunos. </li></ul><ul><li>Traçar um plano de acção com vista à melhoria das suas práticas e serviços. </li></ul>
  5. 5. Como fazemos? Como sabemos? O que vamos fazer agora ?
  6. 6. Em suma, a avaliação… <ul><li>permite ver o que está a ser bem feito e o que é preciso melhorar; </li></ul><ul><li>não pretende avaliar o desempenho do coordenador; </li></ul><ul><li>deverá mobilizar toda a escola. </li></ul>
  7. 7. Estrutura do Modelo Domínios/ Subdomínios Indicadores Factores Críticos de Sucesso Recolha de Evidências Acções para Melhoria/Exemplos
  8. 8. Domínios e Subdomínios a avaliar <ul><li>A. Apoio ao Desenvolvimento Curricular </li></ul><ul><li>A.1. Articulação curricular da BE com as estruturas de coordenação educativa e supervisão pedagógica e os docentes </li></ul><ul><li>A.2. Desenvolvimento das literacias da informação, tecnológica e digital </li></ul><ul><li>B. Leitura e Literacia </li></ul><ul><li>C. Projectos, Parcerias e Actividades Livres e de Abertura à Comunidade </li></ul><ul><li>C.1. Apoio a actividades livres, extra-curriculares e de enriquecimento curricular </li></ul><ul><li>C.2. Projectos e parcerias </li></ul><ul><li>D. Gestão da Biblioteca Escolar </li></ul><ul><li>D.1. Articulação da BE com a Escola/ Agrupamento. Acesso e serviços prestados pela BE </li></ul><ul><li>D.2. Condições humanas e materiais para a prestação dos serviços </li></ul><ul><li>D.3. Gestão da colecção/da informação </li></ul>
  9. 9. <ul><li>Este quatro domínios representam as áreas essenciais para que a Biblioteca cumpra, de forma efectiva, os pressupostos e objectivos que suportam a sua acção no processo educativo. </li></ul><ul><li>Anualmente será seleccionado um domínio a ser objecto de avaliação, completando-se o ciclo ao fim de quatro anos. </li></ul>
  10. 10. Evidências <ul><li>O modelo baseia-se no conceito da evidência. </li></ul><ul><li>A valorização da BE não pode basear-se em impressões mais ou menos subjectivas, mas sim na análise de evidências cuja quantidade e qualidade não deixem dúvidas na comunidade educativa e confiram valor e importância às actividades desenvolvidas. </li></ul>
  11. 11. Envolvimento dos diferentes tipos de utilizadores <ul><li>Equipa da Biblioteca: </li></ul><ul><li>Promotora, desde o primeiro momento, do </li></ul><ul><li>processo de auto-avaliação. </li></ul><ul><li>Director: </li></ul><ul><li>Líder coadjuvante de todo o processo. </li></ul>
  12. 12. Envolvimento dos diferentes tipos de utilizadores <ul><li>Professores e alunos : </li></ul><ul><li>Divulgação, (Biblioteca, página da BE), questionários e registos de observação. </li></ul><ul><li>Conselho Pedagógico e Conselho Geral : </li></ul><ul><li>Comunicação do domínio a avaliar e da calendarização do processo, análise do relatório final e discussão do Plano de Melhoria. </li></ul><ul><li>Comunidade educativa: </li></ul><ul><li>Divulgação dos resultados. </li></ul>
  13. 13. Impacto esperado no trabalho dos professores <ul><li>Tomada de consciência da necessidade de trabalhar articuladamente com a BE a bem do sucesso educativo. </li></ul><ul><li>Incorporação da Biblioteca e seus recursos nas suas práticas lectivas. </li></ul>
  14. 14. Impacto esperado no trabalho e aprendizagens dos alunos <ul><li>Maior procura, facilidade e eficácia na utilização dos recursos da BE </li></ul><ul><li>Maior autonomia no seu trabalho </li></ul><ul><li>Melhoria da competência da leitura </li></ul><ul><li>Melhoria das literacias digitais e da informação </li></ul>Sucesso educativo
  15. 15. Impacto esperado na… Biblioteca <ul><li>Capacidade de crescer e melhorar através da recolha sistemática de evidências. </li></ul><ul><li>Estabelecimento de linhas orientadoras de acção articuladas com a estratégia da escola. </li></ul><ul><li>Aumento da frequência da BE por parte de todos os membros da comunidade educativa. </li></ul>
  16. 16. Comunicação e integração dos resultados no relatório de avaliação da escola <ul><li>A auto-avaliação da Biblioteca deverá estar intimamente ligada a qualquer processo de avaliação da escola. </li></ul><ul><li>O relatório de avaliação da BE deve integrar o relatório de avaliação interna da escola. </li></ul><ul><li>O impacto da BE na escola deverá ser mencionado no relatório final de avaliação externa da escola. </li></ul>
  17. 17. <ul><li>2007-2008 - Domínio D - Gestão da Biblioteca </li></ul><ul><li>2008-2009 – Domínio A – Apoio ao Desenvolvimento Curricular </li></ul>Domínios avaliados
  18. 18. Domínio B – Leitura e Literacia 2009-2010
  19. 19. Motivo da escolha <ul><li>A competência da leitura é uma competência chave no currículo escolar e na sociedade de informação em que vivemos, uma vez que se relaciona e interliga com muitas outras competências na constituição do saber. </li></ul><ul><li>A leitura envolve, deste modo, todas as áreas de conhecimento e a Biblioteca Escolar assume aqui um papel importante, como centro de recursos e como dinamizadora de diversas actividades conducentes à promoção da leitura e da literacia. </li></ul>
  20. 20. <ul><li>Importa, pois, avaliar se as actividades e as estratégias desenvolvidas têm sido ou não adequadas para a promoção da leitura e aferir o impacto que este trabalho tem tido nas atitudes e competências dos alunos, no âmbito da leitura e das literacias. </li></ul>
  21. 21. Aplicação dos questionários <ul><li>Amostra </li></ul><ul><li>8% dos alunos de todos os anos de escolaridade, rapazes e raparigas, várias nacionalidades e alunos com necessidades educativas especiais. </li></ul><ul><li>20% dos professores, dos mais antigos aos mais novos e de todos os Departamentos Curriculares. </li></ul>
  22. 22. “ Estimular o prazer de ler é pois a pedra de toque do esforço pedagógico que procura desenvolver a literacia. E é também o ponto fulcral da actividade das BE’s.” ( in Leitura, Literacia e Bibliotecas Escolares - Isabel Alçada)
  23. 23. Evidências/ Instrumentos de recolha <ul><li>Análise documental: </li></ul><ul><ul><li>Plano de Acção da Biblioteca </li></ul></ul><ul><ul><li>Plano Anual de Actividades da Biblioteca </li></ul></ul><ul><ul><li>Projecto Educativo de Escola </li></ul></ul><ul><ul><li>Projectos Curriculares de Turma </li></ul></ul><ul><ul><li>Dossiês temáticos </li></ul></ul><ul><ul><li>Registos de reuniões /contactos </li></ul></ul><ul><ul><li>Registos de actividades/projectos </li></ul></ul><ul><ul><li>Materiais produzidos e editados </li></ul></ul><ul><ul><li>Trabalhos realizados pelos alunos </li></ul></ul><ul><li>Grelha de observação de competências </li></ul><ul><ul><li>Observação de utilização da BE (O3/O4) </li></ul></ul><ul><li>Dados estatísticos </li></ul><ul><ul><li>Estatísticas de utilização da BE : estatísticas de requisição e uso de recursos relacionados com a leitura, mapa de utilização diária dos computadores; mapa da frequência das turmas com professor, observação de utilização da BE </li></ul></ul><ul><li>Questionários: </li></ul><ul><ul><li>Questionário aos professores (QD2) </li></ul></ul><ul><ul><li>Questionário aos alunos (QA)2 </li></ul></ul>
  24. 24. Cronograma da Auto-Avaliação X Conclusão do relatório e planificação do plano de melhoria. Comunicação dos resultados. X Início da elaboração do relatório e da ficha de perfil da BE X Tratamento de dados X X X X X X Apl icação dos instrumentos X Divulgação do modelo na escola, escolha do domínio e definição da amostra Jul Jun Mai Abr Ma. Fev Jan Dez Etapas do Processo
  25. 25. <ul><li>Equipa da Biblioteca Escolar </li></ul><ul><li>Dezembro 2009 </li></ul>

×