Successfully reported this slideshow.

Antologia espiritual

1,078 views

Published on

  • Be the first to comment

Antologia espiritual

  1. 1. ANTOLOGIAESPIRITUAL José Carlos de Figueiredo 1
  2. 2. Aos meus ProtetoresEspirituais que considero osverdadeiros inspiradores dascrônicas, e, aos meus amigosno plano físico queprocederam aoenriquecimento gráfico e artefinal desse pequenocompêndio, deixo aquiconsignado o testemunho daminha profunda gratidãopor sua sensibilidade,inteligência e amorosidade. O AUTOR 2
  3. 3. O autor da presentepublicação abre mão deeventuais e possíveis DireitosAutorais, revertendo-se osmesmos para as EntidadesFilantrópicas ouEspiritualistas que venhameventualmente a publicá-la,não autorizando a reproduçãototal ou parcial por qualqueroutra Organização que não assupra-citadas. PREFACIO 3
  4. 4. Imaginemos uma palestraou exposição, sobre temas metafísicosou espiritualistas, dada por umexcelente orador ou professor. Na platéia, existirão osseguintes ouvintes dentre osespectadores:0 1- O Evoluído e Espiritualizado.02- O Curioso e Inteligente.03- O Buscador bem intencionado.04- O atrasado espiritualmente. Por melhor que seja odesempenho e o conhecimento doexpositor, as reações ao final dapalestra serão as seguintes:Ouvinte 01: sairá frustrado por nãoter ouvido nada do que já não soubesse. Ouvinte 02: achará o tema curioso epassível de ser considerado. Ouvinte 03: sairá impressionado epossivelmente passará a considerarseriamente o que ouviu, se aquilo queouviu estiver dentro do seu padrãovibratório. 4
  5. 5. Porém, em pouco tempo esquecerá amaior parte do que foi exposto napalestra se não procurar doravante umaprofundamento maior. Ouvinte 04: terá achado que oexpositor é um fanático religioso,alienado ou interesseiro.RESUMO Em se tratando de ensinamentosmetafísicos, espirituais outranscendentais, ninguém consegueensinar nada para ninguém.Não há expositor, livro ou PPSpossível, que nos consiga fazerrealmente despertar espiritualmente. O máximo que se consegueé uma curiosidade bem intencionada eprodutiva, focada na mente concreta,e não, na mente abstrata. Conhecer verdades, nãoespiritualiza ninguém. O processo éinverso, ou seja, com a espiritualizaçãopaulatina é que passamos a nosafinizar com essas mesmas verdades. 5
  6. 6. SOLUÇÃO Só a meditação, só o recolhimento,ensinados via de regra pelos Budistas,pelos Monges e pelos Yoguis é que nospossibilitam vivenciar alguma coisa emtermos de metafísica, espiritualismo ouconhecimento transcendental. Possivelmente, aprendertudo o que foi exposto na hipotéticapalestra citada, sem que estivéssemospresentes à mesma; ou em qualquerlivro sublime, sem que tenhamossequer aberto aquele livro sublime! Prezado Leitor, Espero sinceramente, queas Crônicas deste pequeno compêndio,consigam chegar até o âmago dos seusarquétipos milenares, para que vocêsimplesmente reabra tudo que já existenos seus Diretórios Espirituais. José Carlos de Figueiredo 6
  7. 7. INTRODUÇÃO 1953- Igreja Matriz de Nossa Senhora das Dores no bairro Rio Comprido na Cidade do Rio de Janeiro. Em uma bela manhã, para lá sedirige um menino, absolutamente puro,para dar início ao Curso Preparatóriopara a sua 1ª Comunhão. No referido curso, o enfoquelogicamente, era a vida de Jesus. Foi um choque para o garoto, tomarconhecimento da suprema bondadedaquele Homem e logo em seguida,saber que o mesmo fora assassinado daforma mais brutal possível. O menino terminou o curso, realizousua 1ª Comunhão, mas ficou um poucodiferente: continuou a sua vida comocriança ,brincando, estudando,sonhando. Porém, sempre que podia,voltava àquela Igreja somente quandoela estava absolutamente vazia eficava absorto, pensando na vida e namorte daquele Homem; pensando como 7
  8. 8. outros homens tiveram a coragem defazer aquilo com Ele! O tempo passou. Porém a necessidade derecolhimento e abstração tornou-seuma rotina, como se fora a hora derecarregar as baterias paracontinuar a lutar. Por sinal, a luta do garoto houveracomeçado bem cedo, pois não puderaconhecer seu pai falecido quando ogaroto acabara de nascer e perderasua mãe quando ainda adolescente. Todos esses fatos só serviram paratornar o então jovem adulto cada vezmais introspectivo e meditativo. Até que um dia, vivenciou um sonhodurante uma noite; sonho este queacelerou ainda mais sua necessidadede recolhimento e introspecção . Sonhou ele, que se encontrava numaoutra existência, num futuro jábastante longínquo da atual vida. Foi chamado então à presença deum superior que lhe comunicara apermissão concedida para visitar o seupróprio passado. 8
  9. 9. Eis que de repente, o mesmo se vêenvolvido por um turbilhão, girando,como se estivesse no epicentro de umciclone. Quando tudo serenou, ele se viudentro de um cemitério que pôdeidentificar como sendo o Cemitério deSão João Batista no Rio de Janeiro. Começou então instintivamente, aprocurar por uma determinadasepultura, até que, depois de algumtempo, conseguiu localizá-la. Para sua surpresa, na lápide dotúmulo havia a foto de um homemjovem e saudável com um semblantesereno e que não era outro senão elemesmo!!! Passada a surpresa, aflorou umsentimento nostálgico de muitasaudade daquela vida vivida, muitocarinho pela imagem da foto e tudoparecia fazer parte de um passado jámuito distante. 9
  10. 10. Em seguida, a foto começou a sedissolver e o turbilhão novamente oenvolveu, forçando seu retorno para ofuturo. Será que foi um sonho? Será que foi uma vivência? Será que foi um ensinamento? Um aviso, para que não se deixasse envolver em demasia com o passado, mesmo que fosse um passado que trazia suaves recordações? Assim intuí que deveria interpretar. Devemos guardar com carinho todas as nossas boas recordações, tirar lições de todas as nossas experiências desagradáveis, não nos preocuparmos com o futuro, porquanto ele é absolutamente imprevisível e viver intensamente o presente, de uma forma saudável , integrada e de profundo amor por tudo que contenha vida. 10
  11. 11. As crônicas a seguir relatadas,foram todas conseqüência de momentosde abstração e introspecção do autor. Foram elaboradas em momentos emque ele se permitia um afloramento dogaroto do passado. Eu tive o cuidado de preservá-lo emmim mesmo. É ele quem me dá forças; É ele quem me inspira. É nele que eu me refugio.... Prezado leitor, Tente de vez em quando, afloraro garoto ou a garota que vocêtambém já foi. Ele ou ela , existem dentro devocê! Dê uma chance a eles! Você verá que fica bem mais fácilviver....... José Carlos de Figueiredo 11
  12. 12. Um dia, num futuro aindamuito distante, perdido no limiar dotempo, haverá uma estrela. Estarão reunidos nessaestrela, todos os que amamos,observando um ínfimo e distanteplanetinha azulado que hoje échamado de “Terra”. E então, milagrosamente,estaremos sentindo uma saudadeimensa de uma vida vivida numpassado já muito distante. Uma saudade que incluainclusive, os momentos difíceis,poisestaremos conscientes que essesmomentos na verdade, não foramassim tão difíceis. Eles foram simplesmenteparte da renovação, inevitável enecessária dessa coisa maravilhosachamada “Vida”. A partir de agora, quandoolhar para o céu, tente imaginar ondepossa estar essa estrelinha, antevendodesde já esse maravilhoso reencontrofuturo!” 12
  13. 13. SUMÁRIOTÍTULO PÁGINAOS FOGUETES FLEX ----------------------------------------------------- 14A SUBLIME SUBIDA------------------------------------------------------- 17A GRANADA SEM PINO------------------------------------------------ 21KRAKATOA - A OESTE DE JAVA---------------------------------- 28TRANSCEPTORES HUMANOS----------------------------------------- 36O PLANETINHA AZULADO-------------------------------------------- 41O SIMPÓSIO DOS BICHOS--------------------------------------------- 45MERGULHADORES ESPIRITUAIS---------------------------------- 49REDE BÚDDHICA---------------------------------------------------------- 52CIENCIA DO SOBRENATURAL-------------------------------------- 59CRISTÃOS: SERÁ QUE SOMOS?-------------------------------------- 62ALMA GÊMEA-------------------------------------------------------------- 68ATAVISMO : A GENÉTICA DA ALMA---------------------------- 71O VELÓRIO------------------------------------------------------------------ 77DESTINO E LIVRE ARBÍTRIO-------------------------------------- 79OS CORPOS------------------------------------------------------------------ 83REGRESSÃO DE MEMÓRIA------------------------------------------ 87OS TROVÕES DE TUPÃ------------------------------------------------ 94UMBANDA-------------------------------------------------------------------- 100HOLISMO---------------------------------------------------------------------- 103OS HOMENS – CABIDE ------------------------------------------------- 106O “CULT” DA PARANORMALIDADE---------------------------- 110 13
  14. 14. OS FOGUETES FLEX Todos os Seres estão sempre evoluindo, sempre intentando instintivamente uma ascensão. Poderão ocorrer quedas; seguidas,entretanto, de um soerguer, de umanova luta ascensória. Poderá ocorrer também umaestagnação, um acomodamento ilusórioinerente à própria ignorância. O Nosso Pai nos colocou, entretanto,´´foguetes`` de grande poder depropulsão que ficam à nossa disposiçãopara serem ligados se assim odesejarmos. Os ´´motores`` desses foguetesutilizam via de regra alguns tipos decombustível que, misturados a nossocritério, possibilitam maior ou menorpoder de explosão permitindo aascensão em maior ou menorvelocidade. O primeiro combustível se chama´´Conhecimento``. O segundo se chama´´Amor``. 14
  15. 15. Se esses dois combustíveis foremcorretamente misturados, transformar-se-ão em um terceiro combustível dealtíssima octanagem, chamado de:´´Sabedoria``. Se insistirmos entretanto em mantero nosso foguete inativo com os tanquesdesprovidos de ´´Conhecimento`` e´´Amor`` e contidos de combustíveisdanosos, Nosso Pai nos abastececoercitivamente de um quarto tipo decombustível poderoso, sob nossosprotestos, chamado: ´´DOR``. Infelizmente, para a maioria de nós,Seres Humanos, ainda bastanteatrasados, essa tem sido a providenciamais adotada peo Pai. Além dos citados combustíveis,existem dois aditivos de altíssimaqualidade que contribuem sobremaneirapara o bom desempenho do foguete eque nos estão via de regra disponíveis:esses aditivos são conhecidos pelosnomes de: ´´Curiosidade`` e´´Insatisfação``. 15
  16. 16. Cada pessoa utiliza todos essescombustíveis e aditivos em diferentesdosagens, e de diferentes maneiras,possibilitando variados desempenhosde seus foguetes até a chegadadefinitiva ao Pai. José Carlos de Figueiredo 16
  17. 17. A SUBLIME SUBIDA Quem somos nós, de ondeviemos, para onde iremos? O eterno questionamento....... Vamos pensar num singelo copod’água mineral gaseificada. Vamos também transformar o temporelativo de alguns minutos deobservância desse copo, para aprojeção de alguns milhares de anos. Agora, vamos pensar nas minúsculasbolhas de gás que começam a seformar no fundo do copo. Prosseguindo, vamos nos transmutarmentalmente em uma das pequeninasbolhas que ainda estão presas no fundodo copo, como se nós mesmos fôssemosuma delas:.... somos minúsculas bolhasde gás à semelhança de espíritosembrionários à espera deindividualização...... Milhares de séculos se passaram e,finalmente, a pequenina bolhaavolumou-se e conseguiu desprender-sedo fundo do copo (individualizou-se) ,iniciando uma lenta ascensão, umaSublime Subida, intentando chegar à 17
  18. 18. superfície, quando então, fundir-se-ácom a Essência Divina. E essa milenar subida, como seprocede? Vamos dividi-la em trêsfases. Na primeira delas, iniciada após odesprendimento, somos simples,atrasados e ignorantes. Mas, já somosamados por nosso Pai, embora nãosaibamos nada sobre esse Pai. Outros milhares de séculos sepassam e alcançamos uma segunda fase,quando despertamos para a constataçãoda existência desse Pai. Passamos então a nos jactar de umpretenso conhecimento da RealNatureza Divina, e, em conseqüência,passamos a sentir pelas bolhinhas quenos estão abaixo, um repente dedesprezo “por sua inferioridade”! Porestarem as mesmas ainda, “cheias dedefeitos”!!!!! Em função dessa pretensasuperioridade, passamos a sentirnecessidade de amparar os que nosestão abaixo, por achar que “é nossodever”, que “é nossa obrigação”!Sentimos orgulho da nossabenemerência e da nossa abnegação!!! 18
  19. 19. Mas, a roda do tempo continua agirar........ Muitos séculos se passaram e aterceira e última fase acontece. Tornamo-nos perquiridores epassamos a nos interessar não só pelanatureza do Criador, mas, também, pornossa própria natureza e realconstituição. Descobrimo-nos surpresos eestupefatos, ao constatar que osinúmeros defeitos que só víamos nosoutros, existem principal eabundantemente em nós mesmos!!!! O choque é grande, mas é benéfico:passamos a ascender em maiorvelocidade, em função do alijamento decargas já agora desnecessárias, taiscomo; soberba, orgulho, vaidade,tirania, arrogância, preconceito etc.. E o que é mais importante,continuaremos a estender as nossasmãos ao companheiro que nos estáabaixo, porém, não mais por obrigaçãoou dever, e sim, por amor e porfraternidade. 19
  20. 20. Encerremos nossa transmutaçãomental nas pequeninas bolhas de gás evoltemos a ser nós mesmos. Observemos pela última vez o copode água, detendo-nos principalmente ,nas inúmeras bolhas que estãochegando à superfície. E, então, pensaremos num futurodistante, perdido no limiar do tempo,quando também nós, estaremos nosfundindo com a Divindade Suprema. E analisemos, conjeturemos comrigor, sobre a nossa própria posiçãona Sublime Subida. Com humildade e isenção,poderemos então localizar algumahumilde bolha de gás que noscorresponda na escala evolutiva,principalmente, se considerarmossobre a nossa atual postura.... “aoestendermos nossas mãos”! José Carlos de Figueiredo 20
  21. 21. A GRANADA SEM PINO Há alguns meses passados, osórgãos de imprensa da nossa mui leal equerida Cidade de São Sebastião do Riode Janeiro, publicaram reportagemsobre um assalto a banco ocorrido nocentro (infelizmente mais um dentretantos) , onde os assaltantes na hora dafuga, lançaram uma granada na porta dobanco e que, por sorte dos que ali seencontravam, não detonou. Foi então chamado um policialespecializado para desativar o artefato. Chegando próximo a granada, opolicial sentou-se em frente à mesmaem “posição de lótus” e quedou-seconcentrado em profunda abstração,assim permanecendo por longo tempo. Provavelmente, reunia o bomhomem, energia das mais variadasespécies que o deixassem apto aexecutar a dificílima tarefa a eleconfiada: energia mental, por exemplo,que o mantivesse em perfeita calma. 21
  22. 22. Energia espiritual que o amparasse einspirasse a agir corretamente e;energia física que lhe permitisse nãoesmorecer diante do enorme desgaste orgânico- metabólico. E assim permaneceu o bomhomem estático diante da granada. Esse fato singelo e ao mesmotempo terrivelmente dramático será quenão serve de parâmetro paraconjeturarmos sobre a nossa própriapostura diante da vida? Vejamos: Sabemos que a humanidade passapor um momento crucial da suahistória. As vicissitudes tanto a nívelmundial quanto a nível pessoal estãoaumentando assustadoramente. Aspessoas estão aturdidas, estarrecidas eperplexas diante das mudançasdrásticas por que passa o planeta. Nãoexiste uma guerra mundial dividindo omundo em dois blocos, mas existe umaguerra mundial se considerarmos quenos últimos tempos eclodiram eeclodem conflitos localizados nos mais 22
  23. 23. variados países, ceifando milhares devidas. A fome grassa, principalmente nocontinente africano, e, também, nonordeste brasileiro fazendo com que oschamados filmes de terror sejamconsiderados coisa de criança, tal acrueza com que são mostradas peloscorrespondentes de imprensa, cenas dasmais tristes possível. De uma maneira geral, as pessoasestão reagindo diante dessa conjunturade duas maneiras distintas: os maisponderados e esclarecidos procuramestudar o fenômeno aprofundando-se emgeo-política, sociologia, psicologia,espiritualismo etc. Os menos esclarecidos, entretanto,estão tendendo para um niilismo, paraum negativismo, para uma descrençaabsoluta e total em tudo que seja puro ehonesto preferindo viver a vida daforma mais sôfrega possível, achandoque nada faz sentido, que a vida é umacaso e que o melhor é viverintensamente custe o que custar, no 23
  24. 24. temor de serem destruídos a qualquermomento. Os fins justificam os meios, segundoeles, criando com isso um efeito cascatado mal; um círculo vicioso que só pioraas coisas. Todos, porém, sejam os esclarecidosou os demais, passarão por ummomento crucial em suas vidas, umacontecimento inexorável que osatingirá a todos: a morte física! Nesse momento grave de nossasvidas, os menos esclarecidos estarãocorrendo um sério risco: se estiveremcertos na presunção do nada, emdecorrência da morte física, nãopoderão sequer sabê-lo, dado que aextinção terá sido total. Se estiverem, entretanto errados,descobrir-se-ão ainda vivos, mesmo quea contrapartida física tenhasucumbido! Convenhamos, optar por semelhantepostura é o mesmo que estar diante deuma granada sem pino. Morrer edescobrir estupefato que não morreutotalmente é um caminho sem volta! É uma verdadeira explosãoespiritual! É a apresentação de uma 24
  25. 25. fatura imprevista, que obriga osemeador à inexorável colheita! Por tudo isso, sejam quais forem osnossos problemas, os nossos conceitos,preconceitos, crenças e convicções,vale a pena um pouquinho de humildadee racionalidade para pesquisarmos sobreo porquê da vida. Mesmo que sejamos ateusempedernidos, nada impede queestudemos e que pesquisemos sobretudo na vida, de preferência, abstraindo-nos de conotações místicas oureligiosas. Um dos maiores homens que jápassou pela terra, ALBERT EINSTEIN,não seguindo religião alguma, emborasendo de origem judaica, afirmavaperemptoriamente ter conseguido acomprovação por meios científicos daexistência de DEUS, o que o induziu,não a seguir determinada religião, esim, a uma religiosidade cósmica, a umsentimento de profundo amor por tudoque contivesse vida. Pense amigo, pense muito! 25
  26. 26. Olhe tudo! Olhe as estrelas!Pesquise a vida! Pesquise a morte!Pesquise a sua alegria, pesquise a suatristeza!!! Sinta a delícia de uma brisa frescano seu rosto, mas respeite o ciclone quemata. A brisa é cálida, o ciclone émortífero. Porém, depois dele, redundauma renovação, um ressurgir, umreconstruir. Observe o orvalho acariciando umarosa. Mas respeite a tempestade que irádestruir essa mesma rosa. Depois datempestade, porém, naquele mesmosolo, vicejarão várias outras rosasainda mais exuberantes que aprimeira! Tire lições enfim, de tudo na vida. Tire lições dos seus mais graveserros porque será através deles que vocêse redimirá. Não se condene jamais poresses erros! Tire lições do quotidiano da vida.Até mesmo da cena patética de umpolicial de uma cidade grande, sentado 26
  27. 27. diante de uma granada que poderáexplodir a qualquer momento! Finalizando, cumpre esclarecer queo fato narrado foi verídico. Aconteceu na cidade do Rio deJaneiro e teve um final feliz: o policial,depois de profunda abstração e análise,depois de se sentir abastecido de toda aenergia de que necessitava, desativou agranada salvando a si mesmo e a todosque nele confiavam. José Carlos de Figueiredo 27
  28. 28. KRAKATOA – A OESTE DE JAVA Krakatoa, pequena ilha daIndonésia situada no Mar de Java.Nesta pequena ilha, no ano de 1883, ovulcão conhecido como Perbuatan,entrou em violenta erupção, tendoceifado milhares de vidas dentre oshabitantes do local. Como dezenas de outros vulcõesexistentes no mundo, o Perbuatanprovocou uma tragédia semprecedentes, dizimando grande parteda vida na Ilha de Krakatoa. Vulcões, via de regra possuemmagnitude e beleza impressionantes eassustadoras. Sente-se perfeitamente apresença de Deus quando observamosestupefatos a grandiosidade de umaerupção vulcânica de grandeintensidade. Mas e o estrago que causam? E asvidas ceifadas? Qual será a lógica doCriador em sua manifestação? Lógica obviamente existe. 28
  29. 29. Nós, Seres Humanos, é que nãotemos a capacidade e a evoluçãonecessárias para o entendimento de talfenômeno e de suas, em princípio,trágicas conseqüências. Podemos no máximo idealizarconjecturas como seja a de um karmacoletivo que tenha atingido toda apopulação da ilha. A palavra karma por sua vez,conota purgação de mazelas e aconseqüente purificação dos atingidos,o que, em última instância,significaria um grande passo nacaminhada para a evolução espiritual. Concluímos então, que ocorreu umgrande e aparente mal que redundouna verdade, em um grande bem. Daí aabrangência do velho ditado popular :“Deus escreve certo, através de linhastortas”! Vamos enfocar agora, uma tragédiaa nível individual: uma pessoa adulta,de excelente aparência, excelentesaúde, boa situação financeira, amadopor seus familiares e amigos,possuidora de moral ilibada, grande 29
  30. 30. caráter e bondade. Essa pessoa vem asofrer um acidente que a deixaincapaz. Há poucos anos passados, a mídiadivulgou acidente ocorrido com umfamoso artista de cinema que sofreuuma queda tornando-se paralítico parao resto da vida; pessoa esta, quepossuía as características pessoaisacima citadas. Por ironia do destino, oprotagonista em questão tornou-sefamoso por personificar um igualmentefamoso herói das HQ que tinha poderese habilidades físicas sobre-humanas( Christoffer Reeve – o Super-Homem ). Novamente nos vemos numimpasse: como entender a lógica doCriador ao atingir tão drasticamenteuma pessoa desse tipo? Como estaria a cabeça dessapessoa? Será que ela possuía tirocínio,amadurecimento e sabedoria que apossibilitasse entender corretamente oque a atingiu? 30
  31. 31. Cremos que sim. O PAI com toda acerteza não apresentaria semelhantefatura para quem não tivesse o preparoespiritual necessário para entender arazão da cobrança. Provavelmente, o nosso amigorecentemente falecido, intuía que otérmino do seu sofrimento se dariacom a entrada em um plano mais sutil,com um corpo mais sutil que lhepermitisse inclusive, proezasinfinitamente maiores que aquelasque o seu personagem de herói das HQvivenciava. Aí está novamente o exemplo deum grande e aparente mal que redundana verdade em um grande bem! E a competência da aplicação deremédios tão amargos e dolorosos? E se alguém na face da terra,interpretar que infligindo males aosseus semelhantes, estaria na verdadelhes fazendo um grande bem, dentroda ótica de que, queimando karmas, aspessoas estão na verdade sebeneficiando? 31
  32. 32. Resposta: a competência para aaplicação de remédios amargos éprerrogativa exclusiva do Senhor!!! Ninguém, absolutamente ninguém,tem o direito de arrogar-serepresentante de Deus para causarsofrimento gratuito ao próximo, sob aalegação de que estará em verdadebeneficiando seu semelhante com aconseqüente purgação de suas dívidas. Entretanto, nossos atos, nossasatitudes não se manifestam apenaspelas ações. A omissão também éaltamente comprometedora. Aquele que se eximir de ajudar seussemelhantes sob a alegação de que talajuda estaria cerceando sua evolução,porquanto não ocorreria o remissivosofrimento, também estaria praticandouma invasão da Sagrada Seara! Esse tipo de conceito, se pertinentefosse, tiraria o sentido, por exemplo,até da medicina, porquanto na medidaem que se curam mazelas e doenças,esse curar, esse recuperar, redundamem bem estar e felicidade descartandopadecimentos! 32
  33. 33. Nosso PAI a tudo vê. Se ainda não estiver no tempocerto dessa intentada recuperação,nossas sadias medidas se farão inócuase a purgação do irmão endividado comtoda a certeza recidivará! Estaremos entretanto com aconsciência tranqüila: fizemos a nossaparte! Da mesma forma, qualquer outraajuda, mesmo sendo de ordemmaterial, também é pertinente,também se faz obrigatória! E, na mesma proporção, se essaajuda ainda não estiver prevista nomerecimento do nosso irmão, suasdificuldades ressurgirão de maneiranatural em seu próprio benefício. E a nossa boa intenção em prestaro socorro? Devemos achar queperdemos tempo? Devemos achar queperdemos dinheiro? Não procede o temor, porquantoremissão e purificação não sãoprerrogativas de quem as estápassando. 33
  34. 34. Na medida em que praticamos obem e damos Amor ao Próximo,também estamos nos redimindo epurificando, mesmo que a nossatentativa não tenha logrado o almejadosucesso! É lógico que deva haver bom sensoe coerência para aquilatarmos quempossa estar recebendo o nosso auxílio. Paternalismo estéril que deturpa eacomoda o irmão que foi ajudado, sóservirá na verdade para retardar o seuavanço em direção à Senda. O Criador brindou-nos comalgumas qualidades tais comointeligência, bom senso, intuição e atémesmo sensibilidade mediúnica. Com isso, se tentarmos, com toda acerteza teremos a possibilidade deinferir, de descobrir, quem estejarealmente necessitando de nossoauxílio, de nosso amor, de nossabenemerência. 34
  35. 35. Não nascemos na Ilha de Krakatoa. Se lá estivéssemos, entretanto,poderíamos nos encontrar na situaçãode vítimas diretas da erupção ou,então, na condição de socorristas dosvitimados. Sob nenhuma hipótese contudo,teríamos o direito de permanecer nacondição de meros espectadores, naconfortável posição de a tudo assistir,alegando que “Não tem nada a vercom aquilo”! (?) “Se o pessoal estásofrendo, com certeza bem omerece!!”( ? ). Temos muito a ver sim!!! Estamos todos nesse mesmo barcochamado “Terra”, onde somosapenas humildes marinheiros!!! O Comandante Supremo do barco éque detém a prerrogativa única eexclusiva de tomar e determinar asmedidas adequadas. Decisões estas, que irão redimir esalvar não só os que amparam econfortam, mas, também, os queanseiam por socorro. José Carlos de Figueiredo 35
  36. 36. TRANSCEPTORES HUMANOSTodos nós, Seres Humanos, somosverdadeiros Transceptores de AltaFreqüência.Estamos eternamente transmitindo erecebendo sinais telepaticamente, sejameles de natureza espiritual ou denatureza emocional. O simples fato de nos tornarmosconscientes dessa realidade, traz umaconseqüência imediata e indubitável:aperfeiçoa a nossa aparelhagem. Na RECEPÇÃO: passamos a sentircom maior clareza e intensidade todasas vibrações à nossa volta, tornandofacilmente identificáveis quaisquerfreqüências, tais como: simpatia,antipatia, inveja, despeito, amor,bondade, fraternidade, solidariedadeetc. Na TRANSMISSÃO: passamos aemitir um sinal forte, limpo e filtrado,fazendo com que todos que estejam ànossa volta consigam capta-lo, mesmoque não possuam um bom aparelhoreceptor. 36
  37. 37. Esse fato gera uma responsabilidademuito grande, fazendo-nos evitarsentimentos negativos que venhamoseventualmente a nutrir por nossossemelhantes, porquanto seriamfacilmente identificáveis. Portanto, um Transceptoraperfeiçoado, possibilita-nos a defesacontra iniqüidades e maldades, aomesmo tempo em que nos induz adeixarmos de ser iníquos e maldosos. Concluindo: a pessoa que possua umTransceptor ajustado e aperfeiçoadopara potências de alto nível, não poderájamais ser enganada ou iludida porninguém ao mesmo tempo em que terá aoportunidade de exercitar a mais purademonstração de caridade, na medidaem que emita permanentemente,sentimentos elevados para todos osSeres Vivos. Um aspecto entretanto, de sumagravidade, deve ser enfocado: atrasoespiritual, nem sempre significa baixacapacidade intelectiva!!! Inteligência, não é exclusividade deespíritos evoluídos. 37
  38. 38. Aquelas entidades que sãonormalmente denominadas de “magosnegros”, são simplesmente espíritosainda atrasados moralmente, mas queatravés de sua aguçada inteligência,conseguem o domínio de leis sutis danatureza, intentando resultadosegoísticos e deturpados em benefíciopróprio ou de terceiros que lhessolicitem favores. Quantos líderes mundiais, nãoretrata a história universal, sobre acapacidade intelectual que possuíam eque, infelizmente, só a usavam em seupróprio benefício, sem que seimportassem em ceifar milhões de vidashumanas para poder simplesmentesatisfazer seu ego megalomaníaco. Esse tipo de pessoa, via de regratambém possui um aparelho transceptoraperfeiçoado, visto que conseguemanipular por vezes, a vontade demilhões de Seres através do seucarisma e de sua capacidade depersuasão. Não nos cabe entrar em divagaçõessobre o porquê de Seres iníquos edegenerados possuírem poderes, nema razão de sua existência. 38
  39. 39. Nós, humanos, somosinfinitamente pequenos paraarrogarmo-nos entendedores dapertinência dos Desígnios do Criador. Podermos e devemos entretanto,pesquisar sobre bondade, sobreamorosidade e, sobre inteligênciavoltada para o Bem. E aí sim, vale a pena aproximarmo-nos daqueles que possuemTransceptores tão aperfeiçoados queconseguem realizar por exemplo, curasmilagrosas, tão somente pelo poder desua vontade pessoal, tão somente porsua presença; pessoas que infundemalegria natural e espontânea ondequer que estejam. Seria pretensioso acharmos quesimplesmente poderemos nos tornarassim da noite para o dia. Evolução e Sublimação sãoprocessos lentos que talveztranscendam inúmeras existências atéque consigamos nos aproximar de umarazoável depuração. Isso não invalida, entretanto, anossa vontade em melhorarpaulatinamente. O simples desejo de 39
  40. 40. depuração nos possibilita sintonia econtato com Seres possuidores deTransceptores elevados e com amagnitude de suas presenças. Independe todavia, essacaracterística, de beleza física, posiçãosocial ou qualquer outro aspecto via deregra ditado pela nossa imperfeitacapacidade conceitual. Por vezes, pessoas extremamentehumildes possuem luz intensa! Procure observar Pessoas!!! Ame Pessoas indistintamente!!!! E de repente, quando você menosesperar, estará captando umatransmissão de altíssimo nível, o quelhe possibilitará uma sentimento debem estar e de gratificação que ficaráindelevelmente marcado na suamemória. José Carlos de Figueiredo 40
  41. 41. O PLANETINHA AZULADO Desde os primórdios da humanidade,que o céu fascina os homens. Quandoestamos sozinhos, no meio de umafloresta, olhando para o firmamentonuma noite límpida de céu estrelado,sentimos uma nostalgia muito grande;uma saudade muito grande de algumacoisa indefinível! A dedução mais viável disso seria:não somos daqui. Mas precisamos estaraqui, precisamos trabalhar aqui,precisamos nos depurar aqui. Com um pouquinho de jeito dá atépara ser feliz enquanto estamos aqui. Se um ornitólogo, louco porpassarinhos, colocasse dentro de umviveiro, à noite em completa escuridão,várias espécies de passarinhos (dezenasdelas), com certeza, antes do alvorecer,todos os da mesma espécie estariamjuntinhos no mesmo poleiro por puraatração genética! É assim no plano espiritual: aquelesque se afinizam, aqueles que têm amesma idade sideral, reencontrar-se-ãoapós a morte física! 41
  42. 42. Os que já são bastante "idosos",provavelmente poderão estar juntosem um local bem bonito. E o que seria "idosos"? Milhares devidas vividas que possibilitemconsiderável conhecimento,considerável capacidade de interagir,considerável capacidade de amar!!!! Esse local bem bonito, com certezanão será uma nuvem com anjinhostocando harpa para sempre (seria umtédio!). Poderá ser, entretanto, um lugarventuroso, onde possamos estartemporariamente até reiniciarmos nossaluta, nossa participação no esquemaevolutivo sideral. E as pessoas que não são nada disso?Aquelas pessoas que ainda cometemmaledicências, atrocidades, equívocose desatinos? Para essas pessoas, também haveráum local de reencontro com os seusafins. Caso sejamos atrasados, rudes,ignorantes, degenerados, teremos acompanhia de pessoas também assim!Porém, igualmente, não será definitivo. 42
  43. 43. Logicamente para esses, não seráum local interessante. Também lápermanecerão por algum tempo (temposideral indefinido com sensação deeternidade). E também poderão de lá sair um diae voltar a trabalhar, para que possamse consertar, se redimir, se depurar. E aí, o local de trabalho, para todos(evoluídos e não evoluídos), será oproblemático planetinha azuladoconhecido como "Terra"! E é por essa razão que o planetinha étão heterogêneo. Aqui tem de tudo:tem inteligente, tem não inteligente,tem amoroso, tem rancoroso, temsaudável, tem não saudável, tematrasado, tem mediano, tem bonito, temfeio, tem simpático, tem antipático.Tem gênio do bem...tem gênio domal!! Infelizmente, em função do nossonível evolutivo ainda bastanterudimentar, é que nos cabe a estadia emlocal tão complicado. Resumo: no Nosso Lar no planoespiritual, teremos a alegria de desfrutar 43
  44. 44. da venturosa companhia dos que nossão iguais, se já formos medianamenteadiantados. Mas, aqui em baixo, no planetinha,devemos ficar obrigatoriamente, nacompanhia daqueles a quem somosvinculados karmicamente, sejam mausou sejam bondosos, para que,paulatinamente, desfaçamos antigasrixas, antigas desavenças, antigasmágoas. Dá pra ser feliz assim? Dá! Se a gente tentar se integrardireitinho, não magoar ninguém eajudar quem esteja pior que a gentepelo grau dos dissabores ou pelo grau dedesconhecimento espiritual, até que dápara a gente tocar o barco com relativasatisfação, até a hora de voltar paracasa, no ocaso de cada estada aqui noplanetinha.Espero de coração, que um dia, nós quejá nos amamos, possamos todos nosrever em um local bem bonito eluminoso lá na nossa verdadeira casa. Até lá!José Carlos de Figueiredo 44
  45. 45. O SIMPÓSIO DOS BICHOS Vamos imaginar uma fábula? Um simpósio na floresta com oseguinte tema: Gastronomia eNutricionismo. Foram convidados diversosexpositores renomados que teriamtodos, o direito de colocar suas opiniõese convicções. Sendo uma fábula, pressupõe-seque os bichos tivessem o dom dapalavra, da oratória e da inteligência. Foram chamados: primeiramenteo Prof. Urubu acompanhado da suasecretaria Dona Hiena.Demonstrou o Prof. Urubu que amelhor maneira de se conseguir saúde,seria pela ingestão de proteínas jádecompostas. Em seguida foi dada a palavra parao Prof. Tigre, acompanhado da sua fielsecretaria Dona Onça. 45
  46. 46. O Prof. Tigre contestou com veemênciaas colocações do seu iminente colegaUrubu. Em seguida, foi dada a palavra aoProf. Gato, acompanhado da suaassistente Dona Garça.Declarou enfaticamente o Prof. Gato,que a única alimentação realmentesaudável está nos peixes! Na seqüencia, foi dada a palavraao Prof. Beija Flor, acompanhado dasua melhor estagiária, Dona Abelha.Enfatizou veementemente o Prof. BeijaFlor que a fonte da saúde plena, estáno néctar das flores. O simpósio prosseguiu, comvários outros expositores que fizeram asmais variadas colocações sem que,infelizmente, tenha havido umconsenso final.E todos voltaram frustrados para assuas casas, fazendo sérias críticas aosdemais...... 46
  47. 47. Este também é, o maiorproblema das inúmeras Religiões,mesmo aquelas que pregam o bem comtoda a pureza. Normalmente, pessoas filiadas aqualquer credo ou religião, estão nomesmo nível evolutivo, é, por essemotivo que elas são e estão afinizadasentre si. O que essas pessoas propalam eacreditam é saudável, tem fundamentoe verdade, mas somente para aquelepadrão vibratório. Dentro desse contexto, aReligião é boa e verdadeira. Mas não édefinitiva na busca da VerdadeAbsoluta. E ainda sofre a rejeição, o preconceito ea discriminação das demais Religiões! A maneira mais sensata,prudente e coerente de vivermosportanto, está em um único e simplesproceder: 47
  48. 48. AMOR POR TUDO QUECONTENHA VIDA, INCLUINDO A SÍMESMO. Dentro dessa filosofia,vamos imaginar uma pessoa que nãoprofesse religião alguma, nem tenhaqualquer conhecimento esotérico oumístico em consonância com o contextocultural e humano onde possa e ternascido. Tudo isso, não impedeentretanto, que possa ser alguémimbuído de profundo amor por seussemelhantes. Com certeza, uma pessoaassim, desprovida de qualquer possívelintenção de bons resultados para simesma, é extremamente amada peloGrande Pai e, também, com certeza,entrará em um Sub Plano Espiritual deGrande Luz, tão logo deixe esse nossoenvoltório perecível, conhecido como:Corpo Físico. ´´ Homens são como flores, cujaspétalas, de constituição diferente, não podemapresentar o mesmo colorido, o mesmo perfumenem igual desabrochar`` José Carlos de Figueiredo 48
  49. 49. MERGULHADORES ESPIRITUAISProfissão: Mergulhador.Especialidade: Mergulho a grandesprofundidades para salvamento eresgate. Eis aqui uma das mais penosasprofissões do mundo moderno. As grandes profundezassubmarinas são absolutamenteincompatíveis com a higidêz doorganismo humano, exigindo para a suahabilitação um exaustivo preparo físicoe técnico As grandes descidas se fazempenosas e lentas, na proporção em que oretorno também deva ser lento,evitando-se os danos fatais de umadescompressão acelerada. Nos planos espirituais ocorresituação semelhante a esta. As grandes escolas de ocultismo emetafísica afirmam que no chamadoplano astral, a região contígua àsuperfície terrena é considerada umaverdadeira região abissal, hiper-saturada, hiper-comprimida e densa. 49
  50. 50. Seus habitantes, à semelhança doshabitantes das profundezas submarinas,possuem uma compleição espiritualadequada e adaptada ao meio hostil eprimitivo em que vivem. Em conseqüência, espíritos de altalinhagem e evolução, necessitamadaptar-se para uma eventual descidaaté a camada astral inerente ao orbeterráqueo. Não nos iludamos portanto, compretensas ´´Entidades Espirituais`` quese identificam através de incorporaçõese psicografias mediúnicas, dizendo-seeste ou aquele grande mentor espiritual. Poderá ser verdade; mas é improvávelque seja.É como declara a velha canção : ___“Aquele que diz sou, não é!Porque quem é mesmo, nãodiz!!!!”Viria a pergunta : ___ E os nossos“Anjos da Guarda” ? Nossos Anjos da Guarda são via deregra, Entidades de nível evolutivoaproximado ao nosso. 50
  51. 51. Normalmente velhos amigos ouentes queridos a quem foi permitida amissão de nos proteger, em função deseu comprovado amor e afinidade pornós. Não possuem por conseguinte,“vistosas asas nem tocam harpasentados em maravilhosas nuvensbrancas!!!”. Finalizando e corroborando acolocação do tema, afirmam comunanimidade as grandes escolasespiritualistas, sobre o longo descensovibratório por que passou o Cristo atéchegar a uma humilde manjedoura emBelém, em missão de salvamento eresgate de toda a humanidadeterrestre. José Carlos de Figueiredo 51
  52. 52. REDE BÚDDHICA Na década de 60, ocorreu umfenômeno a nível mundial dedespertamento de novas gerações, paraas coisas da espiritualidade. Seitas, confrarias, gurus,misticismo, esoterismo, psicodelismo,tudo era uma busca frenética para sechegar ao Criador. Infelizmente, no rastro de tudo queseja bom, sempre existe o nocivo,almejando tirar proveito. Nesse contexto, surgiu umpsicotrópico alucinógeno conhecidocomo LSD, (ácido lisérgico), queprometia “viagens” para outros planos,induzindo seus usuários a estadosalterados de consciência. O que não se alertava entretanto,era sobre os efeitos colaterais noorganismo, decorrentes do uso de taldroga: disfunções cerebraisirreversíveis, dependência, letargia,depressão e uma série de conseqüênciassociais para o usuário desavisado.Todos pagaram um preço muito altopara concretizar suas “viagens”. 52
  53. 53. Enriquecendo a explanação,passamos a transcrever um pequenotrecho do livro “A Libertação pelo Yoga”de Caio Miranda: “ Entre cada chackra etérico e oseu correspondente astral, existe umatela de finíssima textura que barra alivre passagem das vibrações astrais.Essa tela funciona como verdadeirofiltro, impedindo que as vibraçõesgrosseiras, provenientes do planokamásico, passem ao chakra etérico e ,conseqüentemente, ao sistema nervosoe à consciência física. A natureza dessa tela vai seaperfeiçoando a medida em que oindivíduo evolve espiritualmente. Umhomem altamente espiritualizado, atem formada de matéria do último emais alto sub plano astral, de maneiraque é impossível passar através delaqualquer vibração oriunda dos sub-planos mais grosseiros daquele plano.Os homens comuns têm-na constituídade material astral condicionado peloseu karma. Isso explica a mediunidadenata, pois existem indivíduos que já 53
  54. 54. nascem com a faculdade de percebersucessos astrais absolutamenteimperceptíveis aos outros homens. Essa tela denomina-se RedeBúddhica e é uma das portas que anatureza conserva fechadas. Abri-lassem que o indivíduo seja karmicamenteum médium, constitui erro quaseirreparável. Também alcoolismo e o tabagismoinveterados trazem como conseqüência,o entorpecimento da rede búddhica,que se vê relegada à situação de nãomais poder filtrar as vibrações astrais.Os entorpecentes de toda a naturezatêm efeito semelhante, deixando osviciados em situação de contatoimediato com a realidade astral. Com odesenvolvimento do vício, tanto oetilista como o tabagista outoxicômano, terminam com terríveisalucinações, que nada mais significamdo que o trato direto com os seres maisbaixos do mundo de Kama. A mediunidade natural entretanto,é um ônus kármico intimamente ligadoà textura da tela búddhica emdeterminados chakras. São portas que 54
  55. 55. a natureza em princípio, quer manterfechadas, mas que, por ações indevidase contrárias à lei Divina, ficaramabertas em algumas pessoas,sujeitando-as a um contato maisestreito com o mundo astral, vivendoexperiências que as façam melhorarfuturamente”. ------------------------------------------------------------------- Estipula uma lei da física, que naeletricidade, pólos opostos se atraem epólos semelhantes se repudiam. No plano astral ocorre o inverso, ouseja: tudo que é semelhante se atrai,tudo que é oposto se repudia. Isso significa, que no referido plano,existem camadas, sub-planos, regiõesetc, onde coabitam as entidadesafinizadas. Por conseguinte, espíritos que jápossuem um razoável nível de evolução,desfrutam de uma região para onde nãotêm acesso, os que ainda estejamatrasados. 55
  56. 56. Logicamente, quem ainda não temconsciência plena de sua própriacondição kármica e se aventura a umlocal absolutamente desconhecido,corre um risco bastante sério de tersurpresas absolutamente desagradáveis. Infelizmente, foi o que aconteceucom a maioria dos “viajantes”desavisados. O impacto, a nível psicológico, daslembranças das experiências malvividas, encheu as clínicas psiquiátricasna década de 60, onde os diagnósticosvia de regra descartavam obviamente ahipótese de “desdobramento astral”,optando por diagnósticos objetivos depsicoses lesivas, decorrentes do usoindevido de drogas, o que é umaverdade; porém, uma verdadeincompleta. Nas coisas da espiritualidade, éconsiderado falta gravíssima, abrirportas que a natureza achou por bemserem mantidas fechadas! 56
  57. 57. Quando essas portas, por leviandade,curiosidade ou qualquer outro interessepouco recomendável, são abertasindevidamente, não há retorno! Continuarão abertas para sempre,deixando a pessoa totalmente à mercêde experiências e contatos indesejáveisque poderão gerar sérios problemas. Logicamente, os dirigentes, líderes,gurus ou seja lá o que for, dasorganizações que promovem taisdesenvolvimentos, atrairão para si,toda a responsabilidade dos danos quepoderão causar aos seus “alunos”;responsabilidade essa, igual ou maiorque a responsabilidade do traficanteque dissemina drogas alucinógenas parasonhadores alienados. Vamos usar a lógica e o bom senso:para todos nós, existe uma viagemprogramada pelo Pai. É UMA VIAGEMDEFINITIVA! Quando Ele determina que chegou ahora de partirmos, não tem jeito:TEMOS QUE IR! 57
  58. 58. Se não sabemos, nem quando, nempara onde vamos, é prudente quefaçamos por onde, possa ser um localalvissareiro, um local agradável eluminoso. Devemos para tanto, manter nossabagagem sempre arrumada! Os objetos mais indicados paraserem colocados portanto na nossamala seriam: sacolas de prudência, latasde bom senso, kits de honestidade eprincipalmente, muitos pacotes deamor ao próximo! Fique tranqüilo amigo, não tente“dar um pulinho até lá para sabercomo é que é”! Imagine que deva ser muito bonito efaça por onde que seja realmente muitobonito. Com toda a certeza, você terá omerecimento para que assim aconteça. José Carlos de Figueiredo 58
  59. 59. CIÊNCIA DO SOBRENATURAL Vem se tornando fato corriqueiro, o relato de Comandantes de aeronaves comerciais ou militares, sobre o aparecimento de objetos voadores não identificados ( ovnis ) , não só dentro do seu campo de percepção visual, como também no registro das aparelhagens eletrônicas de suas aeronaves, o que descarta a possibilidade de alegação de possíveis e temporárias alucinações visuais não só de tripulantes como de passageiros a bordo. Fato interessante é o de queesses objetos vistos pelos pilotos eregistrados nos painéis de bordo,realizem manobras aéreasabsolutamente incompatíveis com asleis de aerodinâmica até agoraconhecidas e que regem o vôo de aviões,foguetes, mísseis, balões e etc. Fato interessante também, é orelato do desaparecimento abrupto 59
  60. 60. desses objetos como que de repente, sedesmaterializassem! Consideremos a hipótese de queo grande Mestre ALBERT EINSTEINainda estivesse entre nós. Como explicaria ele esses fatos?Lembremo-nos da época em que ele deuà humanidade a Teoria da Relatividadeque tanta comoção causou pelo impactodas afirmações nela contidas. Afirmações por exemplo, de que aluz não avança em linha reta pelaimensidão sideral, porque o espaço emrealidade é curvo!!! Temos certeza absoluta de que o grande gênio chegaria sem dúvida alguma às explicações que são dadas pelas grandes escolas herméticas de ocultismo que sempre afirmaram a existência de dimensões outras além daquelas já conhecidas. Cremos assim, que tudo aquilo queé atualmente considerado como“sobrenatural”, não passa na verdade,de um natural que a ciência ortodoxaainda não conseguiu decifrar. E quando tudo isso acontecer?Será que os homens tenderão a se 60
  61. 61. tornar frios, arrogantes e desprovidosde sentimentos religiosos? Este é o grande temor da maioria das religiões quando insistem em manter desinformados os seus seguidores, cometendo assim, terrível erro de avaliação. E a maior prova disso, é oprofundo sentimento de religiosidadeque se faz presente nas grandes escolasocultistas e que também eracaracterística inata do grande gênio dafísica que citamos acima: o grandemestre Albert Einstein. Homem possuidor de profundasconcepções filosóficas sobre a origem douniverso e que deixou-nos em suasanotações, uma frase que se tornoucélebre por sua profundidade: ___ “Sustento que o sentimentoreligioso cósmico é o mais forte enobre incitamento à pesquisacientífica!” José Carlos de Figueiredo 61
  62. 62. CRISTÃOS: SERÁ QUE SOMOS? Há muitos e muitos anos, passoupela terra um Homem diferente detodos.Era um homem de feições perfeitas etinha um olhar de tal formamagnetizante e amoroso, que somenteas crianças e os animais ousavam olha-lo de frente. E quando o faziam, sentiamuma atração tão forte que dele nãoqueriam mais se separar. Um dia, estava o nosso Homemsozinho em uma praça, escrevendopalavras na areia, quando de repente,surge uma turba ensandecidaperseguindo uma desesperada mulher. Sem que a mesma atinasse arazão, ei-la prostrando-se aos pésdaquele desconhecido, implorando-lhesocorro, sentindo, intuindo, que aliestaria a sua salvação! A turba, também sem atinarporque, deteve-se estupefacta emprofundo silencio sem coragem deprosseguir em seus intentos homicidas. 62
  63. 63. O Homem continuavaimperturbável a escrever estranhaspalavras na areia, para que o ventoposteriormente carregasse; palavras quetodos talvez, não pudessem vir a lersem assombro. Mas, os acusadores atrevidosnão se afastaram, querendo lapidar amulher.Então, o Homem erguendo-se, olhou-osvagarosamente, um a um, ....nosolhos..... e na alma.... e falou:____ “Aquele que estiver sem pecado,atire-lhe a primeira pedra!” As terríveis palavras causaramprofundo impacto: cada um delesreviveu suas traições, as suas secretas erecentes fornicações. Os mais velhos saíram emprimeiro lugar e pouco a pouco, sem seolharem nas faces, afastaram-se edispersaram-se todos. Na praça, restaram apenas oincrível Homem e a mulher que nãoconseguia levantar os olhos, porquesabia que só restara ali o Inocente, o 63
  64. 64. único que tinha realmente o direito delhe atirar as pedras homicidas.____ “Mulher, onde estão os teusacusadores? Ninguém te condenou?Também eu não te condeno. Vai e não peques mais!” Pela primeira vez a mulherteve a coragem de olhar de frente o seuLibertador.Não compreendia bem o que ouvia.Quem seria pois aquele Homem tãodiferente de todos que até entãohouvera conhecido, que condenara opecado mais perdoava ao pecador? Queria lhe fazer perguntas,murmurar agradecimentos, mas,quedou-se muda sob profunda emoção. O Homem então, voltou aescrever no pó da praça de cabeça baixacom os cabelos brilhantes refulgindo soba luz do sol. Alguns anos depois, o Homemque não permitia imolações, deixou-seimolar num testemunho de Profundo eDivino Amor pela humanidade. 64
  65. 65. Mas o que Ele entãopropugnava ? Está sendo cumprido? Colocava o Sublime Mestre porexemplo, que não permitíssemos sabera nossa mão esquerda, o que fizesse anossa mão direita, ou como coloca obelíssimo brocardo espiritualista: “A verdadeira caridade é como oorvalho da noite, cai sem ruído!!!” Não é bem isso que vemos hoje.O conceito foi deturpado e o que o quevale atualmente é: “A propaganda é a alma donegócio”. Caridade agora é marketing.Dá Ibope!!!”Ou então:__ “Estou prestes a desencarnar! Voufazer uma grande doação! Sereilembrado para sempre. Sentar-me-ei aolado do Senhor”!Ou ainda:___ “Preciso fazer caridade. Sou muitoendividado. Não o farei todavia poramor ao meu semelhante e sim, paragarantir o meu lugarzinho no céu!” 65
  66. 66. Prosseguindo, vemos hojeinúmeras facções religiosas “Cristãs”,com seus líderes empavonados eorgulhosos, via de regra propugnandoque é preciso liderar com mão de ferro,com disciplina rigorosa. É precisoesmagar dissidências, divergências,dissonâncias. É preciso mostrar “quem é quemanda”!!! Em suma: arrogam-se o direito a eles´´outorgado``(?) de atirar a primeirapedra!!!!Quando foi que o Mestre ensinou taisbarbaridades? Ninguém sabe!!!!!!!! Poderíamos prosseguiranalisando cada ensinamento deixadopelo Grande Peregrino e veríamos quecada um deles e todos eles, não são viade regra obedecidos a contento pornenhum de nós!Essa constatação não pode entretanto,ser entendida como uma condenação,mesmo porque o Mestre também nãocondenaria. 66
  67. 67. Uma postura entretanto se fazurgente: humildade!... Humildade de nos reconhecermosfalíveis, facciosos, maculados,minúsculos! Conhecer verdades, nãoespiritualiza ninguém. Ao contrário, a espiritualizaçãopaulatina e gradativa é que nos leva auma afinização com essas mesmasverdades!!! E aí sim, não agiremos mais paratirar proveito ou para aplacar a nossapatológica vaidade. Passaremos a agir por Amor.Um Amor que ainda não conhecemos,um Amor que ainda não sabemos dar. Quando finalmente esse diachegar, aí sim, poderemos afirmar decabeça erguida: ____ “Somos Cristãos !” José Carlos de Figueiredo 67
  68. 68. ALMA GÊMEA Se um Ornitólogo, apaixonadopor passarinhos, resolvesse, à noite,colocar em um grande viveiro,totalmente às escuras, uma grandequantidade de pássaros das maisvariadas espécies, tomando o cuidadode incluir exemplares de mesmaespécie, pela manha, veria surpreso,que todos os que fossem das mesmasespécies, estariam juntinhos emmesmos poleiros. Com os Seres Humanosacontece a mesma coisa; estamossempre à procura daqueles que nossejam afinizados espiritualmente. Aquilo que chamamos de´´Almas Gêmeas`` , na realidade nãoexiste, da mesma forma que nãoexistem pessoas que possamapresentar as mesmas impressõesdigitais. O que existe, são almas emaproximadíssima sintonia espiritual eque, por isso, se sentem atraídas umaspelas outras. 68
  69. 69. Isso ocorre não só em almassuperiores, como também em almas depessoas ainda primitivas. Os homens das cavernas,quando se apaixonavam, sequestravama sua amada e se amavam, talvez, daforma mais rudimentar possível. Até mesmo entre os animaisocorre algo parecido: vamos imaginarum leão e uma leoa apaixonados?É rosnado pra cá, rosnado pra lá,patada pra cá, patada pra lá, atéchegarem nos ´´finalmente``. Voltando aos pássaros, nessainteração, a relação e a paixão é bemmais elevada, sutil e amorosa. Seres Humanos já adiantadosespiritualmente, quando se apaixonam,sentem um carinho e uma ternuraimensa pelo seu amado ou amada,prolongando a sua relação econvivência até mesmo em vidasfuturas. 69
  70. 70. Por razões kármicas, nemsempre logramos achar emdeterminada encarnação a nossa´´Alma Gêmea``. O que não invalida afelicidade e o bem estar de termosamigos e parentes que também jáestejam bem próximos de nós emtermos de afinidade espiritual. Por tudo isso, independente doencontro de ´´Alma Gêmea``, devemoscuidar muito bem das nossas amizadespuras e profundas. Está nelas, a grande chance depodermos nos sentir felizes nessacurtíssima estada e temporada aqui noplanetinha tão problemático...... Jose Carlos de Figueiredo 70
  71. 71. ATAVISMO – A GENÉTICA DA ALMA Todos nós, Seres Humanos,estamos condicionados a váriosatavismos herdados de vidas passadasperdidas no limiar do tempo. Um dos atavismos é apropensão à violência, quando oshomens das cavernas resolviam asmínimas questões pela força bruta. Um outro atavismo é o dapoligamia. Esses mesmos homens das cavernastinham por direito possuir váriasesposas. Tudo isso existe ainda nosnossos arquétipos cósmicos. Felizmente, esses arquétipos,esses registros atávicos vão seesmaecendo e perdendo a suaintensidade na medida em quereencarnamos e nos sublimamos. O grande problema é adiversidade evolutiva, a diversidadeespiritual entre os Seres Humanos. Existem pouquíssimossublimados e bastante buscadores . 71
  72. 72. Alguns buscadores sinceros e um outrotanto, de buscadores simplesmentecuriosos ou vaidosos do saber. A maioria dos buscadoresentretanto, já têm controle sobre suastendências atávicas e não se deixa levarou entregar a devaneios ou intentosdestrutivos. E, finalmente, existe ainda umaquantidade imensa de espíritos emgrande atraso, que ainda sentem oprazer e a propensão a atitudes que,via de regra, já são consideradasimpróprias e inadequadas socialmente. Dentro do nosso atavismogenético espiritual, acontece ainda comgrande incidência, a conduta depessoas de bom nível social e culturalque se deixam levar por suastendências primitivas e acabam via deregra por destruir bons casamentos emdecorrência de atitudes impensadas. Como julgar esses homens,que são produto de si mesmos em seupassado remoto? Que são produto de si mesmos dentrode uma sociedade permissiva? 72
  73. 73. Que são produto de si mesmos seconsideramos a sua infantilidadeespiritual? Como julgá-los, se o próprioMestre foi taxativo: NÃO JULGUEISPARA NÃO SERDES JULGADOS. Todas as correntes filosóficassadias já aceitam os conceitos dekarma, ou seja, todos nós estamosindelevelmente atrelados àsconseqüências de nossos atos. É castigo? Não!!!! É Lei!!!!!´´A DOR FAZ O HOMEM PENSAR, O PENSAMENTOTORNA O HOMEM SÁBIO. E A SABEDORIA, ABRE OCAMINHO DO CÉU``. Por tudo isso, todo aquele quedestrói seu lar e sua família, é naverdade alguém que deverá passar porsituações kármicas bastante aflitivasque têm por finalidade única a suaprópria sublimação. Dentro das condições geológicas egeofísicas do planeta, está se tornandocada vez mais difícil a sobrevivênciasadia dos Seres Humanos. Se atinarmos para o fato de queuma criança só consegue chegar à 73
  74. 74. idade adulta se tiver tomado umas vintevacinas, no mínimo, podemos concluirque já somos biônicos artificiais. Se atinarmos também para algunstextos do Antigo Testamento que falamsobre a idade cronológica dos homensantigos citando idades de 300 anos oumais, podemos conjecturar que talvezseja verdadeiro que o nosso ciclobiológico possa ser realmente dealgumas centenas de anos. Infelizmente não é o que ocorremais. E, aos oitenta e poucos anos, jásomos pessoas provectas, atingidas poruma senectude precoce e indelével.Voltemos então ao tema principal daexposição. Imaginemos um cidadão deboa aparência, de bom nível social, debom nível cultural, de boa família e quetenha se deixado levar por tendênciasatávicas desaconselháveis. Em curtíssimo espaço de tempo,toda aquela boa aparência se esvai. 74
  75. 75. E esse homem, se vê, de repente, àsportas de um acontecimento inexorável:a morte física! Como ficará então a cabeça dessehomem que se vê destruídofisicamente, prestes a passar por umfato grave, e cheio de dúvidas sobre oque lhe aguarda realmente? E o que é pior: via de regra cheio deremorsos pelos erros cometidos semqualquer chance de consertá-los? Uma situação infinitamente pior doque a situação do companheiro ou dacompanheira que foi vítima dos seusdesmandos! Mas, o conserto acontecerá. Via de regra pelo retorno aqui para oproblemático planetinha azulado, ondelaços familiares kármicos voltam areunir vítimas e vitimantes em ummesmo país, em um mesmo lar. Por tudo isso, quem estáno momento, na condição de vitimado,deve ter muita cautela nosjulgamentos. Viemos todos de muitolonge...... Trazemos todos umcurrículo akásico extenso, com milharesde páginas. 75
  76. 76. E, ainda temos milhares devidas pela frente........... José Carlos deFigueiredo O VELÓRIO Era uma vez, uma lagarta que viviafeliz no distante país do faz de conta,cercada de amigos. 76
  77. 77. I Inesperadamente esta lagarta veio afalecer sendo então colocada em um pequenocaixão, onde todos a velaram cheios deconsternação e tristeza pela dor da separação. Aqueles que a velavam, em seualheamento, pouca atenção prestavam, a umavistosa borboleta que voejava por sobre ocaixão, tentando sem sucesso, alertar a todossobre o que realmente ocorrera, tentando emvão, dissuadi-los da ilusão do presumido fimde quem lhes era tão querido. Quem sabe sejamos nós Seres Humanos,quais as lagartas que não morrem, e sim,transmutam-se? Quem sabe talvez, possamos num diapróximo ou remoto, vivenciar nossa própriatransmutação, também num misto de surpresae gratificação por nos descobrirmos qual alagarta em um corpo mais sutil, etéreo eluminoso que o atual? Por hipótese, acreditemos que realmenteseja assim, tomando o cuidado de abstrairmo-nos de qualquer conotação filosófico-religiosa.Q Atentemos para as vantagens. Em crendo, perderemos de imediato omedo de morrer e, em conseqüência,passaremos a viver mais tranqüilos, na certezade um porvir em planos melhores, na 77
  78. 78. expectativa de um possível reencontro comaqueles que nos eram caros e que se foramantes de nós. E se tudo não passar de um sonho, deuma quimera? Dirão os céticos: ___ “Fábulas são fábulas e a morte físicaé realmente o fim de tudo!” Ainda assim, vale a pena acreditar emnossa subsistência própria morte, porque seestivermos realmente equivocados, estaremoslivres da dor da desilusão e do desencanto,porque quem acaba totalmente, não estásujeito a qualquer pensamento, sentimentoou sensação! Tal risco, entretanto, correm os céticos e materialistas, caso se descubram vivos depois da morte, ao tomarem consciência que consumiram toda uma vida laborando em erro grave e irreversível!!! José Carlos de Figueiredo DESTINO E LIVRE ARBÍTRIO Um pequeno planeta, pertencente ao sistema de uma pequena estrela; estrela esta, pertencente a uma pequena 78
  79. 79. galáxia que por sua vez é parte de umuniverso contido de milhões de galáxias. Neste pequeno planeta vivemosnós, Seres Humanos; orgulhosos,impávidos e vaidosos de nossa condiçãode ´´Seres Superiores Pensantes``. Mas, quem seremos nós realmente?Porque somos tão diferentes uns dosoutros? Porque ricos e pobres, sadios eenfermos, sábios e aparvalhados, felizese desesperados? Porque a existência de uns poucos,totalmente iluminados, donos de seusdestinos, plenos de sabedoria e bondade,em contraste com um turbilhão imensode seres na mais completa indigência eatraso espiritual? Existe um ponto em comum entre asgrandes correntes filosófico-religiosas,quando afirmam ser este, um mundode expiação e provas. Dentro da nossa sociedade, quetipo de instituição retrataria com maiorfidelidade, essa conotação de expiaçãoe provas? 79
  80. 80. Cremos, serem os presídios e aspenitenciárias as instituições que maisse aproximam de tal assertiva, senãovejamos: Quem personificaria o imensouniverso de desafortunados senão osapenados, totalmente desprovidos deseu livre arbítrio, no que tange à suapermanência em semelhante local? Pensemos igualmente, em todaa imensa equipe de pessoas quetrabalham em uma penitenciária, taiscomo: médicos, cozinheiros, psicólogos,enfermeiros, guardas, diretores,serventes, assistentes sociais etc. Essas pessoas, na maioria dasvezes, têm o seu livre arbítrio bastantelimitado no que concerne `a opção detrabalho em semelhante local.A maioria o faz por necessidade detrabalho e de sobrevivência, não estandoporém, guindados à humilhante situaçãodos apenados, cuja obrigação de alipermanecer, cerceia e anulacompletamente o seu livre arbítrio. Parece-nos portanto, não passaro planeta terra de uma imensa 80
  81. 81. penitenciária: vivem aqui algunsiluminados, totalmente depurados,senhores de seus destinos e de seu livrearbítrio, amparando e orientando umcontingente imenso de pessoastrabalhando e progredindo, nascendo,morrendo, renascendo, como se fossemos funcionários de um presídio quediariamente retornam para o aconchegode seus lares, onde recuperam suasenergias para o reinicio da jornada nodia seguinte . Pensemos agora naquelesinternos que embora na condição deapenados, já possuem um quantum debondade e discernimento em seuscorações, o que lhes possibilitaconceituar satisfatoriamente sobre a suamisteriosa passagem pela“penitenciária’’ Terra. Para estes, é dada a paz deespírito imprescindível para suportarema dureza da prova até a chegadatranqüila ao dia da conclusão da pena. Talvez retornem um dia aolocal. Porém, não mais na condição deapenados e sim, na condição detrabalhadores, com a função precípua de 81
  82. 82. labor e ascensão paulatina até acondição de senhores de seus destinos. Por tudo isso deixemos de ladoo nosso orgulho, nossa impavidez,nossa falácia e vaidade e olhemos para ofirmamento em uma noite de céulímpido, intuindo que a nossaverdadeira casa não é aqui .Almejando o dia do retorno ao nossoverdadeiro lar. Não sentindo desprezoentretanto, pelos que ainda terão longaspenas a cumprir. Quem sabe se assim, nãopoderemos inverter um dia a nossacondição atual de observadores dofirmamento, quando então, num pontoinfinitamente distante no universo,pudermos observar o pequenino planetaazulado e nos lembrarmos com umaponta de nostalgia e saudade, dasprovas que por lá passamos esobrepujamos. José Carlos deFigueiredo OS CORPOS 82
  83. 83. Vamos imaginar uma pessoasaudável; um jovem, adulto, fazendo suacorrida matinal em um grande bosqueou uma praia virgem onde o ar épuríssimo. Logicamente, esse jovem estaráfazendo um grande bem para o seuCorpo Físico em função da atividaderealizada. Estará também, fazendo umgrande bem pra o seu Corpo Etérico, ouVital, ou também conhecido comoDuplo-Etérico, em função da absorçãoda energia prãnica proveniente do arpuro da floresta ou do mar. Mas, o nosso amigo estávivenciando dois problemas de ordememocional;problemas esses, tipicamentevoltados para o seu Corpo Astral. Primeiro problema: estáprofundamente apaixonado por umacausa, um projeto, ou até mesmo pelanamorada o que faz com que ele vivaemoções ininterruptas e bastanteintensas. Segundo problema:infelizmente, ele tem o vício do 83
  84. 84. tabagismo, que também afetaintensamente o seu corpo emocional,porquanto a ânsia constante pelocigarro não o deixa nem um instante. Mas, o nosso amigo,também está vivenciando um terceiroproblema;dessa vez, focado no seu Corpo MentalConcreto.Ou seja, irá brevemente se submeter aum rigoroso concurso, onde todas asmatérias pertinentes, têm que serrepassadas a cada momento em suacabeça, para que ele possa obter sucessonas provas, o que não deixa de sertambém, um grande consumo de energiaque atinge principalmente, o seu CorpoVital, em função do grande desgasteorgânico metabólico. E, então, o nosso amigo,passa a conjecturar, a filosofar sobretoda essa realidade na qual ele viveatualmente. Ou seja, ele meditasobre a moça, objeto do seu amor. Ele medita sobre as medidasque ele possa vir a tomar sobre a sua 84
  85. 85. dependência emocional e metabólica aocigarro; terá que procurar um Psicólogopara livrá-lo da dependência emocional;terá que procurar um Médico que olivrará da intoxicação metabólicadecorrente do vício. Mas, ele medita tambémsobre a sua realização profissional emsendo aprovado no concurso. E, finalmente, ele meditasobre a beleza do local onde ele está seexercitando na natureza, se sentindograto ao Grande Pai. Todas essas meditações,estão focadas, não no nosso CorpoMental Concreto, e sim, no nosso CorpoMental Abstrato. E, para finalizar, todasessas vivências, experiências e emoções,só são possíveis, por possuirmos umúltimo corpo, conhecido comoBúddhico, ou Espiritual. Por toda essa maravilhosacomplexidade que nos caracteriza como 85
  86. 86. Seres Humanos, é que fica clara aOrientação dada pelo Sublime Mestre,quando declara: ___ ´´ Não julgueis,para não serdes julgados, pois namesma medida em que julgardes,também sereis julgados ``. José Carlos de Figueiredo 86
  87. 87. REGRESSÃO DE MEMÓRIA É noite. Na floresta, em volta de umpequeno caixão, choram os entesqueridos de uma lagarta que acabara defalecer, lamentando-se da morte de suacompanheira: ___ “Triste fim é o nosso !” dizia umdeles. ___ “Depois de tantas lutas, depois detantos sonhos, eis que tudo terminaassim, de maneira tão abrupta e semsentido.Não vale a pena viver, se não temosesperança nenhuma de um porvir, deum subsistir, de um recomeçar!” E assim, mantinham-se todos tristese quedados de amargura sem ao menosnotar a presença de um estranho novelório. Um estranho que não lhes falava amesma língua e que insistia em voejarsobre suas cabeças como a desejar sernotado, ser observado, ser ouvido! Era uma linda borboleta, alegre porsua condição de liberdade de locomoção 87
  88. 88. aérea e triste por não poder transmitira todos que ali se encontravam, arealidade de que o corpo que ali jazia,era na verdade um mero invólucro de simesma, que se transmutara de um serpesado e rastejante, num outro ser maisleve, colorido e gracioso. Não é assim que a maioria de nós,seres humanos impávidos, orgulhosos earrogantes costuma proceder? Quando perdemos um entequerido , também não nos sentimosestupefatos e até mesmo revoltados coma perda dolorosa de alguém que tantoamávamos? E por que tanto sofrimento? A razão é simples, una e inconteste:IGNORÂNCIA! Desconhecimento de verdadesmaiores, de realidades sutis que asvezes estão muito mais perto de nósdo que possamos imaginar. Talvez até mesmo voejando porsobre nossas cabeças sem que ousemosobservar o que ulula de transparência,sem que estejamos entretantosintonizados nessa realidade. O nosso Criador nos deu qualidadesque nos diferenciam de todos os outros 88
  89. 89. seres viventes: nos deu inteligência,capacidade de inferir, de concluir, deconjeturar, de elocubrar e de elaborarconceitos. Infelizmente, a maioria dos sereshumanos ainda não se deu conta de suaspróprias capacidades e insiste em julgar,em somente fazer uso de seus sentidosfísicos, perdendo oportunidadesmaravilhosas de descobrir muito sobresi mesmos. Quando passamos a nos preocuparcom o nosso destino, quando passamosa observar com maior atenção ofirmamento, o nascimento, a morte, asventuras e as vicissitudes,intuitivamente passamos a acreditarque preexistíamos ao nosso nascimentoe que subsistiremos à nossa própriamorte. E nessa hora então, terá sido dado opasso inicial de uma longa busca quecertamente nos levará a um estado deserenidade, por passarmos a sentir quena verdade, somos quais lagartas quenão morrem jamais. Que se transmutam e continuam asua caminhada em condições outras. 89
  90. 90. Chegando nesse estágio, estaremospreparados para uma incursão em nossopróprio interior, buscando no passado,explicações coerentes para o nossopresente e tirando ilações para o nossofuturo. Existem inúmeros recursos,inúmeras escolas de sabedoriadisponíveis para que possamosdesenvolver nossas potencialidades enosso saber latente adormecido. Dentre estas ciências, sobressai-se aREGRESSÃO DE MEMÓRIA, onde éfacultado às pessoas imbuídas do desejode se conhecer, fazer um mergulho emseu passado inconsciente, onde essemergulho poderá ultrapassar inclusive,a nossa atual existência física. É óbvio que semelhanteprocedimento deverá ser levado a efeitosob todos os cuidados possíveis emonitorado por profissionais altamenteidôneos e preparados, não só acadêmica,como moralmente, demonstrandoclaramente serem pessoasespiritualmente elevadas. 90
  91. 91. A contrapartida do paciente,também deverá ser levada emconsideração. Um histórico prévio das condiçõesmorais e mentais do candidato àregressão, deverá ser rigorosamenteobservado. Um laudo psicoterápicocomprovando a higidêz e a estabilidadepsicológica do paciente, é indispensávelporquanto é fácil de se deduzir que oconhecimento de duras verdades erealidades, nem sempre serárecomendado se não possuirmos onecessário preparo e escopo para essasduras verdades e realidades. O custo benefício poderá seraltamente desfavorável. Ou como diz asabedoria popular, “O remédio poderá setornar pior que a doença”! O candidato por sua vez, antes de seaproximar de qualquer escola, entidade,terapia ou associação, deverá se cercarde todos os cuidados possíveis,porquanto, infelizmente, a quantidadede pessoas mal intencionadas egananciosas que procura tirar partidodas vicissitudes e fragilidades alheias,está aumentando assustadoramente, oque contribui para o lamentável 91
  92. 92. descrédito de grande parte dahumanidade, no que concerne aoconhecimento do supra-sensível, dometafísico ou do paranormal. Por tudo isso, fica óbvio que aregressão de memória é uma práticaextremamente séria, recomendávelsomente para determinadas situaçõessob rigorosa análise prévia, ondeleviandade é considerada faltagravíssima que poderá acarretarconseqüências irreversíveis eextremamente danosas. Superados todos os óbices, tomadastodas as precauções, cremos que aspessoas que venham a se submeter auma regressão de memória só terão alucrar, porquanto poderão vir acompreender o porquê de tantosconflitos em seu seio familiar ou atémesmo em sua vida profissional,fazendo com que o seu porvir possa vir aser mais venturoso e mais consciente. Talvez assim, em um futuro próximoou remoto, possam os velórios não sódas lagartas como dos seres humanos, 92
  93. 93. se tornarem menos sofridos e dolorosos,porquanto os que ficam, estarão serenoscom o destino dos que se foram e os quese foram, estarão confortados em saberque os que ficaram estão cientes de queum dia, todos se reencontrarão emparagens mais felizes. José Carlos de Figueiredo 93
  94. 94. OS TROVÕES DE TUPÃ É noite.... Na densa floresta distante da civilização, a atmosfera se faz pesada prenunciando a iminente tormenta. O vento sibila cortante provocando um sinistro movimento na copa das milenares árvores. Os animais estão estranhamente quietos como que antevendo o perigo no ar. Ao longe, muito longe, o miado de uma pantera solitária soa como o exórdio de um clarim determinando silêncio. Na pequena taba indígena,todos se mantém encolhidos e solenesem suas ocas. As mães apertam emseus abraços de amor os seus pequenosrebentos enquanto os guerreiros ao seulado quedam-se em profunda abstração. Somente uma pessoa na triboousa levantar os olhos: o Pajé que emestado de oração profunda, aguarda aManifestação Divina. Eis que de repente, os trovões seiniciam, levando a todos, animais e 94
  95. 95. humanos, a cerrar os olhos como sesentissem indignos de observar amagnitude da presença do Ser Supremo. O Pajé levanta os braços e iniciasolene as súplicas de auxílio e piedadedo Criador em manifestação. A cadapedido, mais os trovões se fazem sentircomo se fossem as respostas esperadasaos anseios da tribo. Lágrimas copiosas vindas do céu emforma de chuva torrencial juntam-se àslágrimas do Pajé, absolutamente segurode que conseguiu um contatoinsofismável com o Grande Pai que vivena Grande Morada. Em algum tempo a chuva diminui etodos então se tranqüilizam eadormecem no verdadeiro sono dosjustos e inocentes. Sempre deixou claro o GrandeMestre Jesus, que os preferidos do Paieram justamente os puros, osdeserdados, os simples, as crianças e osanimais. Com toda a certeza, os habitantes deuma grande floresta virgem em seu 95
  96. 96. estado primitivo, todos os seushabitantes, indígenas, fauna e flora, sãoos preferidos desse Pai, em função desua simplicidade, de sua essência,pureza e submissão. E com toda a certeza também, fenômenos da natureza em uma grande floresta virgem não têm somente a conotação de uma manifestação meteorológica. Existe uma Divindade, uma sobrenaturalidade que dá aos habitantes da mata a certeza de que são amados e protegidos por Algo ou Alguém que não podem ver mas que conseguem sentir em seus corações.Convenhamos: seria plausível, seriamoralmente justo, seria ético, seriadecente, que nós, “civilizados”,destruíssemos a Pureza Crística dessesirmãos e disséssemos à eles que tudonão passa de um fenômeno elétrico danatureza? Seria monstruoso! Seriaimperdoável! Seria uma blasfêmia!Seria uma mentira ! 96
  97. 97. Os homens são diferentes, os Seressão diferentes, as percepções sãodiferentes e, portanto, a interpretaçãoda Manifestação Divina tem que seradequada a essas diferenças. Daí o respeito que devemos terinclusive, por pessoas que não têmnenhum credo e que não professamnenhuma religião e que por vezes, sãopessoas boníssimas que vivem uma vidatotalmente voltada para os seussemelhantes da maneira mais naturalpossível. São espontâneos, não visamresultados, não procuram vínculos comas suas ações, e nem procuram´´garantir o seu lugarzinho no céu”! Vamos tentar imaginar o dia dofalecimento de uma pessoa dessas: comtoda a certeza será um dia de muitatristeza dentre seus entes queridos,dentre todas as pessoas de suasrelações. Mas, será também um dia de festano plano espiritual pelo retorno de umquerido companheiro, pelo retorno dealguém de há muito esperado. 97
  98. 98. Mas e a falta de informações dessapessoa porquanto ela nunca se dedicoua estudos transcendentais, filosóficos emetafísicos? Cremos ser um problema de somenosimportância que será rapidamentesuperado em função da latenteespiritualidade que essa pessoa sempredemonstrou. Acreditamos também, com toda acerteza, que o Grande Mestre Jesus aesse tipo de pessoa se referia, quandonos passou a maravilhosa parábola do“filho pródigo”. Religiões, portanto, também têm asua relatividade, passando inclusive a setornar nocivas, na medida em quecomeçam a se combater e secompartimentar, discriminando erepudiando todos aqueles que nãocomungam de seus dogmas, com acerteza doentia e tendenciosa de que oPai só aceitará a seu lado, aqueles quesigam os parâmetros por elaspropugnados. Amigo, 98
  99. 99. Existe uma Grande Montanha noMundo Espiritual. Montanha dedificílimo acesso, conhecida como“Montanha da Santidade”. Para se alcançar o topo dessaMontanha, existem diversos caminhos,diversas trilhas e numerosas escarpas. Toda ela, entretanto, está cercadapor um imenso vale que todos terãoobrigatoriamente que transpor : é o“Vale da Humildade”! Se um dia, prezado leitor, vocêestiver dentro de uma grande florestavirgem e os trovões e relâmpagos sefizerem presentes, aproveite a raraoportunidade e viva intensamente aReligiosidade do momento. Temos certeza absoluta que avivência dessa Religiosidade, desseêxtase, já existe arquivada em seusregistros genéticos, em seus arquétiposespirituais perdidos no limiar dotempo.... Você só fará recordar...... Jose Carlos de Figueiredo 99
  100. 100. UMBANDA Existe uma passagem muito tristena Historia do Brasil : a escravidão. Os brancosportugueses, em parceria com africanosdegenerados, aprisionavam outrosafricanos nas diversas tribos e oscolocavam nos chamados naviosnegreiros e os traziam para o Brasil.Nesses navios eram colocadas famíliasinteiras e eles faziam aquela longaviagem da África para as costas doBrasil sob penosas condições. Chegando ao Brasil, osque sobreviviam à viagem, eramvendidos como mercadoria para osgrandes fazendeiros que por sua vez ostratavam sob o regime de escravidão daforma mais cruel possível. Muitos e muitos anos se passaram atéque as Leis Brasileiras viessem a aboliroficialmente a escravidão. 100
  101. 101. É lógico que tudo issoredundou em karma,um triste karmacoletivo que atinge o Brasil até hoje deforma bastante violenta. Aqueles Espíritos quesofreram as crueldades da escravidão,bem como os seus algozes, continuamentrelaçados karmicamente aqui nonosso país. Entretanto, aqueles povosafricanos, originalmente em seu país deorigem, tinham a sua cultura, a sua fé ea sua crença. Mas eles tinham também osseus Protetores Espirituais que osajudavam a suportar tamanha dor. Hoje, a grande maioriadeles já possui Grande Luz e trabalhamnormalmente nos Planos Espirituaisamparando os que ainda têmnecessidade kármica de reencarnar aquino Brasil. Infelizmente, os que aindasofrem espiritualmente com aslembranças passadas dos males sofridose, por atraso espiritual, sentem granderancor, são aqueles que acabamtendendo para a marginalidade.Que difícil julgá-los não é mesmo. 101
  102. 102. Na sua cultura pura lá naÁfrica, eles tinham rituais religiosos degrande beleza e pureza.E é essa beleza e pureza, que elespreservam em seus rituais hoje e quevem a se chamar de Umbanda. Como todo Brasileiro,sabemos possuir antecedentesespirituais kármicos atrelados a todoesse triste passado. E é por isso, que sentimosprofundo respeito pela Umbanda e pelosseus Guias Espirituais de Grande Luz. O que nos cativa demaisneles, é a bondade que demonstram,junto com uma humildade imensa! Um dia, num futuro aindabastante distante, finalmente essedoloroso karma coletivo do Brasil estaráextinto. Até lá, só nos restatrabalhar e dar amor. José Carlos de Figueiredo 102
  103. 103. HOLISMO Holismo é a tendência que se supõe seja própria do universo, de sintetizar unidades em totalidades rigorosamente organizadas. Significa uma visão não fragmentada do real, em que as situações, as sensações, os sentimentos, a razão e a intuição se equilibram, se reforçam e se controlam reciprocamente, permitindo ao homem uma consciência plena a cada momento de todos os fatores envolvidos em cada situação ou evento, produzindo assim, decisões certas, nos momentos exatos, com sabedoria e amor espontâneos, a partir de valores éticos de respeito à vida sob todas as formas. Semelhante postura pode e deveser adotada tanto na medicina quantonas casa de atendimento espiritual ,senão vejamos. Uma pessoa por exemplo queapresente características de umapatologia psicótica maníaco -depressiva: se essa pessoa procurar um 103
  104. 104. clínico psiquiatra ortodoxo, terá o seuatendimento moldado em umdirecionamento estritamente científico,sem que seja considerado um possívelproblema de natureza espiritual externao que poderia levar a diagnósticoserrôneos, causando prejuízosirreparáveis ao paciente. Em contrapartida, se essa mesmapessoa tivesse procurado auxílio emuma casa de atendimento espiritualista:uma conclusão precipitada de queestivesse havendo a influência de umapossível entidade obsessora , quando naverdade se tratasse de uma patologiaestritamente neurológica que devesseser tratada clinicamente, tambémacarretaria prejuízos irreparáveis a essepaciente. Concluímos portanto, que se fazimprescindível uma interação holísticaentre a medicina ortodoxa e aterapêutica espiritualista, porquanto oSer Humano contém não só uma partefísica ( material ), como também umaparte espiritual (imaterial ), formandoum sistema interdependente. 104
  105. 105. Auguramos que neste terceiromilênio, possam as faculdades demedicina incluir em seus currículos,cadeiras de medicina espiritualista paraa correta formação de seus profissionaise, ao mesmo tempo, que todas as casasespiritualistas idôneas, invistam cadavez mais no conhecimento da fisiologiahumana, em paralelo aos estudosespiritualistas. Temos absoluta certeza que aotornar realidade essa interaçãoholística, gozarão os Seres Humanos deuma saúde física mental e espiritual emníveis bem mais elevados, e quem sabe,fazendo com que hospitais, hospícios emanicômios passem a ser locais bemmenos freqüentados. José Carlos de Figueiredo 105
  106. 106. OS HOMENS – CABIDE É noite. Estamos longe da civilização........ Longe das cidades, longe dasluzes, longe do burburinho. Aatmosfera é límpida, o ar é puro e oúnico som audível é o som do própriosilêncio. Você olha para o céu e não vêaquele céu urbano. Você vê um outrocéu, contido de miríades de estrelas: Cintilantes,..coloridas,..pulsantes......! Tímidas,.. esplendorosas.....! Fugazes..fugidias...fúlgidas.....! Estáticas,.....cadentes,......misteriosas,..... Divinas......! Você leitor, com toda a certeza, jápassou por esta experiência e ela deveter sido marcante em sua vida, e,mesmo que, involuntariamente, vocêentrou em abstração, enlevo ealheamento. 106

×