Separatismo: caminho para o desenvolvimento ou panacéia? <ul><li>Eduardo José Monteiro da Costa </li></ul><ul><li>Doutor e...
 
 
 
Roteiro da Apresentação <ul><li>Principais características do Estado do Pará; </li></ul><ul><li>Causas do movimento separa...
Foco da Análise Estado do Pará Brasil Amazônia Legal Estado do Pará
<ul><ul><li>1,24 milhão de km² </li></ul></ul><ul><ul><li>14% do território nacional </li></ul></ul><ul><ul><li>2º maior e...
PRINCIPAIS EIXOS DE INTEGRAÇÃO Eixo Transamazônica Eixo Cuiabá-Santarém Eixo Calha Norte Eixo Araguaia-Tocantins Fonte: SE...
PIB, população e PIB per capita dos estados da Região Norte. Período: 2007  FONTE: IBGE, MDIC, SEPOF (2010) Estados PIB a ...
Balança Comercial dos estados  brasileiros. Classificação pelo saldo. Período: Janeiro a Dezembro de 2009 (US$ 1000 FOB) F...
Participação dos setores em relação ao PIB. Período: janeiro-dezembro 2007 FONTE: SEPOF (2010) Atividades Econômicas 2007 ...
Os dez principais produtos  exportados do estado do Pará. Período: janeiro-dezembro 2009 FONTE: MDIC, SECEX (2010) Ordem D...
Os dez países que mais importam do Pará. Período: janeiro-dezembro 2009 FONTE: MDIC, SECEX (2010) Ordem Descrição US$ F.O....
VANTAGEM  LOCACIONAL milhas náuticas Fonte: SEPROD-PA Rotterdam Florida Shangai Bel- VC 3.800 2.694 10.593 Santos 5.466 4....
Grandes  Potencialidades
Araguaia Fruticultura Turismo Grãos Pecuária Leiteira Baixo Amazonas Fruticultura Pesca Artesanal Turismo Grãos Fibra Mand...
Investimentos
PAC Infra-estrutura Logística BR-163 Fonte: Comitê Gestor do PAC BR-230 Eclusas de Tucuruí Porto de Vila do Conde Terminal...
Pavimentação da BR-163 TOTAL  DE RECURSOS – R$ 1.456 milhões Fonte: Comitê Gestor do PAC Intervenção Benefícios Gerados Pr...
Pavimentação da BR-230 -  Transamazônica TOTAL  DE RECURSOS – R$ 950 milhões Fonte: Comitê Gestor do PAC Intervenção Benef...
Eclusas de Tucuruí no rio Tocantins TOTAL  DE RECURSOS – R$ 548 milhões Fonte: Comitê Gestor do PAC Intervenção Benefícios...
PAC Infraestrutura Energética Infraestrutura Social e Urbana Tipo Subtipo Empreendimento Investimento  Previsto 2007-2010 ...
PAC Empreendimentos Regionais Tipo Subtipo Empreendimento UF Investimento  Previsto 2007-2010 (milhões)  Investimento  Apó...
Prolongamento da Ferrovia Norte-Sul até Belém TOTAL  DE RECURSOS – R$ 1,35 bilhões Fonte: Pará Ações Estruturante, 2007 In...
Porto do Espadarte TOTAL  DE RECURSOS – R$ 250 milhões Fonte: Pará Ações Estruturante, 2007 Intervenção Benefícios Gerados...
* Investimentos das mantenedoras. ** Investimentos das mantenedoras e outras empresas privadas. A Evolução dos Investiment...
INVESTIMENTOS NO PARÁ (2008-2012) Mantenedoras, outras empresas privadas e Obras do PAC Análise gráfica por região Análise...
Vale - Carajás 130 MTA Vale - Onça Puma  Vale - Cobre 118 Vale - Níquel Vermelho Vale - Logística EFC Vale - Serra Sul Alc...
OPORTUNIDADES DE EMPREGOS (2009-2012) 31% 22% Análise gráfica por região Análise gráfica por investimentos REGIÃO GERAÇÃO ...
Analisando outros aspectos
<ul><li>Concentração populacional </li></ul>Elaboração: SEIR/GeoPARÁ Fonte: IBGE/ Contagem Populacional - 2007 População T...
<ul><li>Baixa Densidade Demográfica </li></ul>Fonte: IBGE/ Contagem Populacional - 2007 Densidade Populacional do Estado –...
<ul><li>Antropização acelerada </li></ul>1992 2002
<ul><li>Restrições Ambientais </li></ul>Fonte: Macro-Zoneamento Econômico-Ecológico do Estado do Pará - 2005 Zona de Conso...
Fonte: Macro-zoneamento econômico-ecológico do Estado do Pará - 2005 <ul><li>Áreas utilizáveis </li></ul><ul><li>Total de ...
<ul><li>Baixo Índice de Desenvolvimento Humano </li></ul>PARÁ = 0,72 – 15º do país FONTE: PNUD (2010) Ranking  Estados IDH...
<ul><li>Baixo Índice de Desenvolvimento Humano </li></ul>PARÁ = 0,72 – 15º do país FONTE: PNUD
PIB 2005 (R$ milhões) FONTE:IBGE Elaboração: SEIR/GeoPARÁ Estado –  R$ 39,1 bilhões Elevada Desigualdade Regional
PIB PER CAPITA - 2005 (R$ 1,00) FONTE:IBGE Elaboração: SEIR/GeoPARÁ Estado –  R$ 5.616 Elevada Desigualdade Regional
VALOR ADICIONADO INDUSTRIAL 2004 (R$ milhões) Obs.: Sem grandes mineradoras FONTE:IBGE/SEPOF - 2004 Estado –  R$ 11,7 bilh...
VALOR ADICIONADO AGROPECUÁRIO 2004 (R$ milhões) FONTE:IBGE/ SEPOF - 2004 Estado –  R$ 7,3 bilhões Elevada Desigualdade Reg...
VALOR ADICIONADO TERCIÁRIO 2004 (R$ milhões) FONTE:IBGE/ SEPOF - 2004 Estado –  R$ 13 bilhões Elevada Desigualdade Regional
Aspectos Institucionais Frágeis ligações institucionais e parcerias entre entes federativos. Quadro histórico de desarticu...
Aspectos Institucionais <ul><li>Quadro histórico  de frágil diálogo do Governo do Estado com a sociedade civil organizada....
Aspectos Institucionais <ul><li>Quadro histórico de ausência de um pacto territorial em prol do desenvolvimento do Estado ...
Conseqüências <ul><ul><li>Características do Estado  Aspectos institucionais </li></ul></ul><ul><ul><li>Conseqüências: </l...
<ul><li>Por que separar? </li></ul>
<ul><li>Por que separar? </li></ul><ul><li>Distância do centro decisório; </li></ul><ul><li>Entraves e dificuldades da Ges...
<ul><li>A quem interessa o separatismo? </li></ul>
<ul><li>Questões para reflexão </li></ul><ul><li>Projeto capitaneado por interesses privados: </li></ul><ul><li>Governador...
<ul><li>Questões para reflexão </li></ul><ul><li>2. Falta de um estudo científico que aponte para a viabilidade da divisão...
<ul><li>Questões para reflexão </li></ul><ul><li>2. Falta de um estudo científico que aponte para a viabilidade da divisão...
<ul><li>Questões para reflexão </li></ul><ul><li>2. Falta de um estudo científico que aponte para a viabilidade da divisão...
<ul><li>Questões para reflexão </li></ul><ul><li>2. Falta de um estudo científico que aponte para a viabilidade da divisão...
<ul><li>Questões para reflexão </li></ul><ul><li>2. Falta de um estudo científico que aponte para a viabilidade da divisão...
<ul><li>Questões para reflexão </li></ul><ul><li>2. Falta de um estudo científico que aponte para a viabilidade da divisão...
<ul><li>Questões para reflexão </li></ul><ul><li>2. Falta de um estudo científico que aponte para a viabilidade da divisão...
Constatação <ul><li>Estamos perdendo o foco do que é fundamental para o desenvolvimento do estado do Pará! </li></ul>
Principais Desafios
Principais Desafios <ul><li>Não sermos ludibriados pelo  </li></ul><ul><li>ufanismo do crescimento. </li></ul>
Principais Desafios <ul><li>Elaboração de um Plano Estratégico para o Desenvolvimento do Estado do Pará </li></ul><ul><li>...
Principais Desafios <ul><li>Elaborar e Implementar Planos Regionais de Desenvolvimento </li></ul>
Principais Desafios <ul><li>Descer o planejamento para o nível operacional </li></ul>
Principais Desafios <ul><li>Fortalecer as instituições ligadas </li></ul><ul><li>a área de planejamento </li></ul>
Principais Desafios <ul><li>Fortalecer as instituições de pesquisa e demandar estudos e projetos com objetivo de subsidiar...
Principais Desafios <ul><li>Estreitar o relacionamento com as universidades  </li></ul>
Principais Desafios <ul><li>Avançar em aspectos relacionados a  </li></ul><ul><li>gestão de políticas públicas </li></ul>
Principais Desafios <ul><li>Dar maior celeridade as ações  </li></ul><ul><li>e diminuir os entraves burocráticos </li></ul>
Principais Desafios <ul><li>Em vez de separar em três por que não integrar as 12 regiões? </li></ul>
Principais Desafios <ul><li>Efetiva descentralização das políticas </li></ul><ul><li>Fundamental: Reforma Administrativa <...
Principais Desafios <ul><li>Articulação transescalar e intraescalar </li></ul><ul><li>Foco: território </li></ul>
Principais Desafios <ul><li>Fortalecer a capacidade de  </li></ul><ul><li>gestão dos Municípios </li></ul>
Principais Desafios <ul><li>Regularização Fundiária, Gestão Ambiental e Ordenamento Territorial </li></ul>
Principais Desafios <ul><li>Empregabilidade e movimentos demográficos </li></ul><ul><li>Obs.: Estimativas do IBGE apontam ...
Principais Desafios <ul><li>Desafios: </li></ul><ul><li>Verticalização da Produção; </li></ul><ul><li>Diversificação da ba...
Principais Desafios <ul><li>Lei Kandir, ICMS de energia e FPE </li></ul>
Principais Desafios <ul><li>UHE Belo Monte </li></ul>
Afirmativa: <ul><li>O separatismo não se combate com argumento, mas sim com fatos. Precisamos de um projeto de desenvolvim...
<ul><li>Muito Obrigado! </li></ul><ul><li>Eduardo José Monteiro da Costa </li></ul><ul><li>Correio eletrônico: ejmcosta@gm...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Palestra separatismo acp (16 05-11)

809 views

Published on

Eduardo Costa, Possui graduação em Ciências Econômicas pela UFPA (2000), Especialização em Teoria Econômica pelo Instituto Superior de Economia e Finanças da Fundação Getúlio Vargas do Rio de Janeiro (ISEF/FGV-RJ), Mestrado em Desenvolvimento Econômico pela Universidade Estadual de Campinas (2003) e Doutorado em Economia Aplicada pela Universidade Estadual de Campinas (2007). Atualmente é Professor Adjunto de Economia do Instituto de Ciências Sociais Aplicadas (ICSA/UFPA) e do Programa de Pós-Graduação em Economia da Universidade Federal do Pará (PPGE/UFPA). É o atual Presidente do Conselho Regional de Economia do Estado do Pará (CORECON-PA) e estudante do Curso de Licenciatura em Teologia do Seminário Teológico da Assembléia de Deus (SETAD). É Diretor Secretário da Frente em Defesa do Pará.

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
809
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
15
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Palestra separatismo acp (16 05-11)

  1. 1. Separatismo: caminho para o desenvolvimento ou panacéia? <ul><li>Eduardo José Monteiro da Costa </li></ul><ul><li>Doutor em Desenvolvimento Econômico pela Unicamp </li></ul><ul><li>Professor do Instituto de Ciências Sociais Aplicadas da UFPA </li></ul><ul><li>Professor do Programa de Pós-Graduação em Economia da UFPA </li></ul><ul><li>Presidente do Conselho Regional de Economia (CORECON-PA) </li></ul>Palestra Associação Comercial do Estado do Pará – 09/05/2011 Nome: Fone:
  2. 5. Roteiro da Apresentação <ul><li>Principais características do Estado do Pará; </li></ul><ul><li>Causas do movimento separatista; </li></ul><ul><li>Questões fundamentais para o debate. </li></ul>
  3. 6. Foco da Análise Estado do Pará Brasil Amazônia Legal Estado do Pará
  4. 7. <ul><ul><li>1,24 milhão de km² </li></ul></ul><ul><ul><li>14% do território nacional </li></ul></ul><ul><ul><li>2º maior estado brasileiro </li></ul></ul>Grande dimensão territorial
  5. 8. PRINCIPAIS EIXOS DE INTEGRAÇÃO Eixo Transamazônica Eixo Cuiabá-Santarém Eixo Calha Norte Eixo Araguaia-Tocantins Fonte: SEPROD-PA EIXO ARAGUAIA / TOCANTINS Formado pelos Corredores das Rodovias BR-158 – PA-150, BR-153, BR-222, BR-010, BR-316 e das Hidrovias Araguaia-Tocantins, Capim e Marajó Formado pelo Corredor da Rodovia BR-163 e Hidrovia Teles-Pires / Tapajós EIXO CUIABÁ / SANTARÉM EIXO DA TRANSAMAZÔNICA Formado pelo Corredor da Rodovia BR-230, Interliga os Eixos de Integração Araguaia/Tocantins e Cuiabá/Santarém Formado pelo Corredor da Rodovia PA-254 EIXO DA CALHA NORTE
  6. 9. PIB, população e PIB per capita dos estados da Região Norte. Período: 2007 FONTE: IBGE, MDIC, SEPOF (2010) Estados PIB a Preço de Mercado Corrente (R$ Milhões) População Residente (habitantes) PIB Per Capita a Preços Correntes (R$) Acre 5.761 655.478 8.789 Amapá 6.022 587.283 10.254 Amazonas 42.687 3.272.790 13.043 Pará 49.507 7.065.573 7.007 Rondônia 15.003 1.453.779 10.320 Roraima 4.169 395.766 10.534 Tocantins 11.094 1.243.582 8.921
  7. 10. Balança Comercial dos estados brasileiros. Classificação pelo saldo. Período: Janeiro a Dezembro de 2009 (US$ 1000 FOB) FONTE: MDIC, SECEX (2010) Ranking Estados Exportações Importações Saldo 1º Minas Gerais 19.518.566 7.350.299 12.168.267 2º Mato Grosso 8.495.148 792.395 7.702.753 3º Pará 8.345.255 794.334 7.550.921 4º Rio Grande do Sul 15.236.113 9.471.411 5.764.702 5º Bahia 7.010.800 4.612.736 2.398.064 6º Rio de Janeiro 13.519.419 11.640.179 1.879.240 7º Paraná 11.222.828 9.620.716 1.602.112 8º Espírito Santo 6.510.241 5.484.411 1.025.830 9º Goiás 3.614.964 2.852.730 762.234 10º Alagoas 824.053 112.403 711.650 11º Rondônia 391.236 166.354 224.882 12º Tocantins 280.218 127.574 152.644 13º Amapá 182.839 40.156 142.683 14º Rio Grande do Norte 258.104 149.868 108.236 15º Piauí 167.466 68.477 98.989 16º Acre 15.720 1.393 14.327 17º Roraima 12.686 10.069 2.617 18º Sergipe 60.730 153.318 -92.588 19º Ceará 1.080.166 1.230.384 -150.218 20º Paraíba 158.201 433.726 -275.525 21º Maranhão 1.232.814 1.993.739 -760.925 22º Santa Catarina 6.427.614 7.283.252 -855.638 23º Mato Grosso do Sul 1.785.385 2.688.714 -903.329 24º Distrito Federal 130.080 1.091.379 -961.299 25º Pernambuco 823.972 1.980.497 -1.156.525 26º Amazonas 883.866 6.940.417 -6.056.551 27º São Paulo 42.463.735 50.482.386 -8.018.651
  8. 11. Participação dos setores em relação ao PIB. Período: janeiro-dezembro 2007 FONTE: SEPOF (2010) Atividades Econômicas 2007 (R$ milhões) (%) Agropecuária 3.804 8,56 Agricultura e expl. Florestal 1.354 3,05 Pecuária e pesca 2.450 5,51 Indústria 13.780 30,99 Indústria extrativa mineral 2.852 6,41 Indústria de transformação 5.503 12,38 Construção 2.984 6,71 SIUP 2.441 5,49 Serviços 26.876 60,45 Comércio 5.803 13,05 Alojamento e Alimentação 722 1,62 Transportes 2.009 4,52 Serviços de informação 894 2,01 Intermediação financeira 1.397 3,14 Serv. Prest. às famílias 716 1,61 Serv. Prest. às empresas 1.308 2,94 Ativ. Imobiliárias e aluguel 4.631 10,42 Administração pública 8.162 18,36 Saúde e Educação 637 1,43 Serviços domésticos 597 1,34 Total 44.460 100,00
  9. 12. Os dez principais produtos exportados do estado do Pará. Período: janeiro-dezembro 2009 FONTE: MDIC, SECEX (2010) Ordem Descrição US$ F.O.B. Part.% Kg Líquido Total da área 8.345.255.133 100,00 99.458.734.568 Total dos principais produtos exportados 8.255.928.599 98,90 99.386.690.704 1º Minérios de ferro não aglomerados e seus conc. 3.813.252.018 45,69 85.148.550.000 2º Alumina calcinada 1.173.634.900 14,06 4.967.665.500 3º Alumínio não ligado em forma bruta 712.485.423 8,54 446.119.974 4º Outros minérios de cobre e seus concentrados 463.550.522 5,55 376.188.000 5º Outros bovinos vivos 409.598.806 4,91 248.567.306 6º Ferro fundido bruto não ligado, c/peso<=0,5% 347.652.793 4,17 1.038.268.000 7º Caulim 251.461.989 3,01 2.037.672.108 8º Outras madeiras perf. Etc., não coníferas 195.063.593 2,34 163.649.488 9º Outros minérios de manganês 163.920.794 1,96 1.356.916.711 10º Pasta quim. Madeira de n/coníf.a soda/sulfato, 123.031.251 1,47 319.220.224
  10. 13. Os dez países que mais importam do Pará. Período: janeiro-dezembro 2009 FONTE: MDIC, SECEX (2010) Ordem Descrição US$ F.O.B Part% Total da Área 8.345.255.133 100,00 Total dos dez principais países 6.613.418.534 79,24 1º China 2.622.234.419 31,42 2º Japão 896.567.927 10,74 3º Estados Unidos 624.206.872 7,48 4º Canadá 570.568.429 6,84 5º Coréia do Sul 384.640.739 4,61 6º Alemanha 370.705.968 4,44 7º Venezuela 367.567.014 4,4 8º Noruega 306.937.871 3,68 9º Bélgica 273.728.712 3,28 10º França 196.260.583 2,35 11º Demais países 1.731.836.599 20,76
  11. 14. VANTAGEM LOCACIONAL milhas náuticas Fonte: SEPROD-PA Rotterdam Florida Shangai Bel- VC 3.800 2.694 10.593 Santos 5.466 4.810 12.149
  12. 15. Grandes Potencialidades
  13. 16. Araguaia Fruticultura Turismo Grãos Pecuária Leiteira Baixo Amazonas Fruticultura Pesca Artesanal Turismo Grãos Fibra Mandioca Carajás Fruticultura Turismo Grãos Pecuária Leiteira Guamá Fruticultura Pesca Artesanal Turismo Grãos Fibra Mandioca Pecuária Leiteira Oleiro/Cerâmica Marajó Fruticultura Pesca Artesanal Turismo Pecuária Leiteira Oleiro/Cerâmica Mel Extrativismo (açaí) Metropolitana de Belém Turismo Oleiro/ Cerâmica Rio Caetés Pesca Artesanal Turismo Grãos Fibra Mandioca Mel Rio Capim Fruticultura Grãos Fibra Pecuária Leiteira Extrativismo Vegetal Mel Culturas Permanentes Tapajós Fruticultura Pesca Artesanal Turismo Grãos Extrativismo Vegetal Culturas Permanentes Tocantins Fruticultura Fibra Mandioca Oleiro Cerâmico Extrativismo Vegetal Mel Culturas Permanentes Extrativismo (Açaí) Xingú Pesca Artesanal Turismo Grãos Extrativismo Vegetal Culturas Permanentes Principais Vocações da Pequena Produção no Pará por Região de Integração Fonte: SEPROD-PA
  14. 17. Investimentos
  15. 18. PAC Infra-estrutura Logística BR-163 Fonte: Comitê Gestor do PAC BR-230 Eclusas de Tucuruí Porto de Vila do Conde Terminal Hidroviário - Santarém Empreendimentos Investimento Previsto 2007/ 2010 Porto de Vila do Conde R$ 42 milhões Terminal Hidroviário Santarém R$ 3 milhões Eclusas de Tucuruí R$ 548 milhões BR-230 R$ 950 milhões BR-163 R$ 1.456 milhões
  16. 19. Pavimentação da BR-163 TOTAL DE RECURSOS – R$ 1.456 milhões Fonte: Comitê Gestor do PAC Intervenção Benefícios Gerados Projeto Executivo Redução do custo de transporte, com a utilização de rota de menor extensão, além do atendimento à população lindeira. Div PA/MT – Entr BR-230 (pav. 640 km) Acesso Miritituba (pav. 32 km) Santarém – Rurópolis (pav. 102 km)
  17. 20. Pavimentação da BR-230 - Transamazônica TOTAL DE RECURSOS – R$ 950 milhões Fonte: Comitê Gestor do PAC Intervenção Benefícios Gerados Marabá – Altamira (pavim. 485 km) Atendimento às populações lindeiras e interiorização de processo de desenvolvimento, associados à função de corredor de integração Leste-Oeste. Altamira – Medicilândia (pavim. 94 km) Medicilândia – Rurópolis (pavim. 256 km) Acesso a Tucuruí–BR-422 (pavim. 74 km)
  18. 21. Eclusas de Tucuruí no rio Tocantins TOTAL DE RECURSOS – R$ 548 milhões Fonte: Comitê Gestor do PAC Intervenção Benefícios Gerados Conclusão da eclusa 1 Redução do custo de transporte, com a utilização do modal hidroviário, e viabilização de uma opção para escoamento das cargas originárias do Centro-Oeste, pelo porto de Vila do Conde, privilegiadamente localizado em relação aos mercados norte-americano, europeu e do Oriente Médio. Conclusão do canal intermediário Conclusão da eclusa 2 Equipamentos eletromecânicos
  19. 22. PAC Infraestrutura Energética Infraestrutura Social e Urbana Tipo Subtipo Empreendimento Investimento Previsto 2007-2010 (milhões) Investimento Após 2010 (milhões) Geração de Energia Elétrica EVTE - EIA - RIMA - Aproveitamentos Hidrelétricos Marabá 43 - São Luiz -PA 181 - Inventário Bacia do Rio Itacaiúnas 1.80 - Bacia do Rio Trombetas 10 - Usina Hidrelétrica Belo Monte 2.810 4.190 TOTAL 3.046 4.190 Fonte: Programa de Aceleração do Crescimento - PARÁ Tipo Subtipo Empreendimento Investimento Previsto 2007-2010 (milhões) Investimento Após 2010 (milhões) Luz para Todos Luz para Todos Universalização do Acesso à Energia Elétrica - PA 1.050 - TOTAL 1.050 - Fonte: Programa de Aceleração do Crescimento - PARÁ
  20. 23. PAC Empreendimentos Regionais Tipo Subtipo Empreendimento UF Investimento Previsto 2007-2010 (milhões) Investimento Após 2010 (milhões) Estágio Geração de Energia Elétrica Inventário Bacia do Rio Araguaia GO/ MT/ PA/ TO 10,20 - Ação Preparatória Bacia do Rio Jari AP/ PA 4,50 - Ação Preparatória Bacia do Rio Tapajós AM / PA 13,20 - Ação Preparatória Transmissão de Energia Elétrica Linha de Transmissão Interligação Norte - Sul III (até III) PA / TO 458,20 - Obra Interligação Tucuruí - Macapá - Manaus AM / AP / PA 2.267,00 1.133,00 Ação Preparatória TOTAL   2.753 1.133   Fonte: Programa de Aceleração do Crescimento - PARÁ
  21. 24. Prolongamento da Ferrovia Norte-Sul até Belém TOTAL DE RECURSOS – R$ 1,35 bilhões Fonte: Pará Ações Estruturante, 2007 Intervenção Benefícios Gerados Estudos de viabilidade Redução do custo de transporte para as cargas originárias do Centro-Oeste e viabilização de uma alternativa para a operação da Ferrovia Norte–Sul, além da opção atual da estrada de ferro Carajás até Itaqui Projeto básico Licenciamento ambiental Projeto executivo Realização das obras
  22. 25. Porto do Espadarte TOTAL DE RECURSOS – R$ 250 milhões Fonte: Pará Ações Estruturante, 2007 Intervenção Benefícios Gerados Estudos de viabilidade Redução do custo de transporte para as cargas originárias do Centro-Oeste e viabilização de uma alternativa Ferrovia Norte–Sul/Espadarte, em contraposição à opção atual da estrada de ferro Carajás–Itaqui. Projeto básico Licenciamento ambiental Projeto executivo Realização das obras
  23. 26. * Investimentos das mantenedoras. ** Investimentos das mantenedoras e outras empresas privadas. A Evolução dos Investimentos desde 2000
  24. 27. INVESTIMENTOS NO PARÁ (2008-2012) Mantenedoras, outras empresas privadas e Obras do PAC Análise gráfica por região Análise gráfica por investimentos 19% 56% 25% REGIÃO VALOR (US$ Bilhões) TOTAL (US$ Bilhões) Mantenedoras Outras empresas privadas Obras do PAC Pólo Grande Belém 4,8 5,9 4,6 15,3 Pólo Carajás 25,9 6,7 4,5 37,1 Pólo Tapajós 1,4 1,5 1,7 4,6 TOTAL 32,1 14,1 10,8 57,0
  25. 28. Vale - Carajás 130 MTA Vale - Onça Puma Vale - Cobre 118 Vale - Níquel Vermelho Vale - Logística EFC Vale - Serra Sul Alcoa – Juruti 1ª Fase Vale - CAP Alumina Vale - UTE Barcarena Vale - Projeto Bauxita III Vale - Siderúrgica Vale - Projeto Salobo I Vale - Projeto Salobo II MRN - Novas Minas MRN - Novas Minas Celpa - Luz para todos Vale - Serra Leste Usipar – Siderúrgica / Porto / Estaleiro Agropalma - Produtos diversos Terfron - Plataforma Multimodal RDP ( G.Holândes) - Logística / Est. Ferro / Porto LLX Logística - Porto / Barcas Min . Caraíba - Cobre Reinarda - Ouro Reinarda - Ferro Sinobras - Siderúrgica Rio Tinto - Bauxita Serabi / Eldorado / Verena - Ouro Anglo American - Cobre Avanco - Cobre PAC - Construção das 2 eclusas e do canal PAC - Construção da linha de transmissão PAC - Obras de hidrovia do Rio Tocantins PAC - Construção da linha de transmissão PAC – Manutenção da BR - 316 PAC - Construção do Pier 400 e da rampa roll - on roll - off PAC - Construção da Hidrelétrica PAC - Construção de terminais portuários PAC - Construção de terminais portuários PAC - Pavimentação da Transamazônica Rurópolis - Marabá Cia Brasileira de alumínio - Bauxita Tecominco - Níquel Xstrata - Níquel Xstrata - Cobre Gm4 Grupo Oportunity - Ferro Codelco - Ferro Codelco - Cobre Votorantim Metais - Níquel Aura Gold - Ouro Votorantim Metais - Niquel Estrela - Ferro Brazauro, Eldorado e Kinnross - Ouro VISÃO GERAL DOS INVESTIMENTOS PÚBLICOS, PRIVADOS E PROJETOS EM FASE DE PESQUISA E VIABILIDADE UHE Jatobá UHE Rio Tapajós UHE São Luiz do Tapajós UHE Cachoeira dos Patos UHE Cachoeira do Caí UHE Jamanxim UTE Vila do Conde UHE Marabá UHE Rio Itacaiunas Investimento das mantenedoras Investimento de outras empresas privadas Projetos em fase de pesquisa Obras do PAC Projetos em estudo de viabilidade Legenda          
  26. 29. OPORTUNIDADES DE EMPREGOS (2009-2012) 31% 22% Análise gráfica por região Análise gráfica por investimentos REGIÃO GERAÇÃO DE EMPREGOS TOTAL Mantenedoras Outras empresas privadas Obras do PAC Pólo Grande Belém 17.200 9.950 15.800 42.950 Pólo Carajás 36.600 13.400 16.500 66.500 Pólo Tapajós 4.600 4.300 5.600 14.500 TOTAL 58.400 27.650 37.900 123.950
  27. 30. Analisando outros aspectos
  28. 31. <ul><li>Concentração populacional </li></ul>Elaboração: SEIR/GeoPARÁ Fonte: IBGE/ Contagem Populacional - 2007 População Total do Estado – 7.070.867 hab.
  29. 32. <ul><li>Baixa Densidade Demográfica </li></ul>Fonte: IBGE/ Contagem Populacional - 2007 Densidade Populacional do Estado – 5,67 hab./km² Elaboração: SEIR/GeoPARÁ
  30. 33. <ul><li>Antropização acelerada </li></ul>1992 2002
  31. 34. <ul><li>Restrições Ambientais </li></ul>Fonte: Macro-Zoneamento Econômico-Ecológico do Estado do Pará - 2005 Zona de Consolidação das Atividades Produtivas + Recuperação + Expansão. Zona de Uso Sustentável Preservação Integral Legenda:
  32. 35. Fonte: Macro-zoneamento econômico-ecológico do Estado do Pará - 2005 <ul><li>Áreas utilizáveis </li></ul><ul><li>Total de áreas utilizáveis – 62% </li></ul>Zona de Consolidação das Atividades Produtivas + Recuperação + Expansão Zona de Uso Sustentável
  33. 36. <ul><li>Baixo Índice de Desenvolvimento Humano </li></ul>PARÁ = 0,72 – 15º do país FONTE: PNUD (2010) Ranking Estados IDH Ranking Estados IDH   Brasil 0,747 14º Rondônia 0,753 1º Distrito Federal 0,858 15º Pará 0,734 2º São Paulo 0,821 16º Amazonas 0,731 3º Rio Grande do Sul 0,818 17º Tocantins 0,730 4º Santa Catarina 0,817 18º Acre 0,729 5º Rio de Janeiro 0,811 19º Bahia 0,715 6º Paraná 0,795 20º Rio Grande do Norte 0,710 7º Mato Grosso do Sul 0,781 21º Sergipe 0,706 8º Minas Gerais 0,780 22º Ceará 0,698 9º Goiás 0,779 23º Pernambuco 0,691 10º Espírito Santo 0,778 24º Paraíba 0,685 11º Mato Grosso 0,775 25º Piauí 0,667 12º Amapá 0,755 26º Maranhão 0,655 13º Roraima 0,754 27º Alagoas 0,648
  34. 37. <ul><li>Baixo Índice de Desenvolvimento Humano </li></ul>PARÁ = 0,72 – 15º do país FONTE: PNUD
  35. 38. PIB 2005 (R$ milhões) FONTE:IBGE Elaboração: SEIR/GeoPARÁ Estado – R$ 39,1 bilhões Elevada Desigualdade Regional
  36. 39. PIB PER CAPITA - 2005 (R$ 1,00) FONTE:IBGE Elaboração: SEIR/GeoPARÁ Estado – R$ 5.616 Elevada Desigualdade Regional
  37. 40. VALOR ADICIONADO INDUSTRIAL 2004 (R$ milhões) Obs.: Sem grandes mineradoras FONTE:IBGE/SEPOF - 2004 Estado – R$ 11,7 bilhões Elevada Desigualdade Regional
  38. 41. VALOR ADICIONADO AGROPECUÁRIO 2004 (R$ milhões) FONTE:IBGE/ SEPOF - 2004 Estado – R$ 7,3 bilhões Elevada Desigualdade Regional
  39. 42. VALOR ADICIONADO TERCIÁRIO 2004 (R$ milhões) FONTE:IBGE/ SEPOF - 2004 Estado – R$ 13 bilhões Elevada Desigualdade Regional
  40. 43. Aspectos Institucionais Frágeis ligações institucionais e parcerias entre entes federativos. Quadro histórico de desarticulação político-institucional
  41. 44. Aspectos Institucionais <ul><li>Quadro histórico de frágil diálogo do Governo do Estado com a sociedade civil organizada. </li></ul>
  42. 45. Aspectos Institucionais <ul><li>Quadro histórico de ausência de um pacto territorial em prol do desenvolvimento do Estado do Pará. </li></ul>
  43. 46. Conseqüências <ul><ul><li>Características do Estado Aspectos institucionais </li></ul></ul><ul><ul><li>Conseqüências: </li></ul></ul><ul><ul><li>Desarticulação: física, comercial, produtiva e social; </li></ul></ul><ul><ul><li>Quadro de manutenção e agudização das desigualdades regionais; </li></ul></ul><ul><ul><li>Regiões à margem do desenvolvimento; </li></ul></ul><ul><ul><li>Ausência de políticas públicas articuladas e pactuadas. </li></ul></ul>Fortalecimento do Movimento Separatista
  44. 47. <ul><li>Por que separar? </li></ul>
  45. 48. <ul><li>Por que separar? </li></ul><ul><li>Distância do centro decisório; </li></ul><ul><li>Entraves e dificuldades da Gestão Pública; </li></ul><ul><li>Ausência física do poder público estadual em algumas regiões; </li></ul><ul><li>Falta de políticas públicas: adequadas, articuladas e pactuadas; </li></ul><ul><li>Desintegração econômica (produtiva, comercial e financeira), social e política; </li></ul><ul><li>Falta de um projeto de desenvolvimento para o estado e para as regiões; </li></ul><ul><li>Estados gigantescos são inviáveis do ponto de vista sócio-econômico e administrativo; </li></ul><ul><li>Questão de segurança nacional; </li></ul><ul><li>Sentimento de abandono; </li></ul><ul><li>Diversidade cultural; </li></ul><ul><li>A criação do Novo Estado servirá para solidificar a vigilância e a soberania, sobre as riquezas, proporcionando o desenvolvimento harmonioso do Brasil e gerando aproximadamente 200 mil empregos. </li></ul>
  46. 49. <ul><li>A quem interessa o separatismo? </li></ul>
  47. 50. <ul><li>Questões para reflexão </li></ul><ul><li>Projeto capitaneado por interesses privados: </li></ul><ul><li>Governador (1); </li></ul><ul><li>Senadores (3); </li></ul><ul><li>Deputados Federais (mínimo 8); </li></ul><ul><li>Órgãos da Administração Direta e Indireta; </li></ul><ul><li>Assembléia Legislativa; </li></ul><ul><li>Tribunal de Contas Estadual; </li></ul><ul><li>E a Vale? </li></ul><ul><li>Outros atores? </li></ul>
  48. 51. <ul><li>Questões para reflexão </li></ul><ul><li>2. Falta de um estudo científico que aponte para a viabilidade da divisão: </li></ul><ul><li>Tamanho não é sinônimo de desenvolvimento! </li></ul>
  49. 52. <ul><li>Questões para reflexão </li></ul><ul><li>2. Falta de um estudo científico que aponte para a viabilidade da divisão: </li></ul><ul><li>Qual será o custo efetivo da divisão? </li></ul>
  50. 53. <ul><li>Questões para reflexão </li></ul><ul><li>2. Falta de um estudo científico que aponte para a viabilidade da divisão: </li></ul><ul><li>Algumas áreas cinzas? Quem define a quem pertence? </li></ul>
  51. 54. <ul><li>Questões para reflexão </li></ul><ul><li>2. Falta de um estudo científico que aponte para a viabilidade da divisão: </li></ul><ul><li>Qual será a capacidade orçamentária e financeira dos novos estados e do estado remanescente (Pará)? </li></ul>
  52. 55. <ul><li>Questões para reflexão </li></ul><ul><li>2. Falta de um estudo científico que aponte para a viabilidade da divisão: </li></ul><ul><li>Qual será a capacidade de investimento dos estados? </li></ul><ul><li>Estudos do IPEA </li></ul><ul><li>Custos de Manutenção ano: </li></ul><ul><li>Carajás: R$ 2,9 bilhões </li></ul><ul><li>Tapajós: R$ 2,2 bilhões </li></ul><ul><li>Déficit: R$ 2,16 bilhões </li></ul><ul><li>Em 2008 a máquina pública consumiu 16% do PIB do estado do Pará de 58 bilhões de reais; </li></ul><ul><li>Tapajós: 51% </li></ul><ul><li>Carajás: 23% </li></ul><ul><li>Média nacional: 12,72% </li></ul>
  53. 56. <ul><li>Questões para reflexão </li></ul><ul><li>2. Falta de um estudo científico que aponte para a viabilidade da divisão: </li></ul><ul><li>Quem herdará a dívida do estado do Pará? </li></ul>
  54. 57. <ul><li>Questões para reflexão </li></ul><ul><li>2. Falta de um estudo científico que aponte para a viabilidade da divisão: </li></ul><ul><li>Será que há projetos de desenvolvimento dos novos estados envolvendo um planejamento estratégico? </li></ul>
  55. 58. Constatação <ul><li>Estamos perdendo o foco do que é fundamental para o desenvolvimento do estado do Pará! </li></ul>
  56. 59. Principais Desafios
  57. 60. Principais Desafios <ul><li>Não sermos ludibriados pelo </li></ul><ul><li>ufanismo do crescimento. </li></ul>
  58. 61. Principais Desafios <ul><li>Elaboração de um Plano Estratégico para o Desenvolvimento do Estado do Pará </li></ul><ul><li>Visão de Futuro! </li></ul>
  59. 62. Principais Desafios <ul><li>Elaborar e Implementar Planos Regionais de Desenvolvimento </li></ul>
  60. 63. Principais Desafios <ul><li>Descer o planejamento para o nível operacional </li></ul>
  61. 64. Principais Desafios <ul><li>Fortalecer as instituições ligadas </li></ul><ul><li>a área de planejamento </li></ul>
  62. 65. Principais Desafios <ul><li>Fortalecer as instituições de pesquisa e demandar estudos e projetos com objetivo de subsidiar políticas públicas </li></ul>
  63. 66. Principais Desafios <ul><li>Estreitar o relacionamento com as universidades </li></ul>
  64. 67. Principais Desafios <ul><li>Avançar em aspectos relacionados a </li></ul><ul><li>gestão de políticas públicas </li></ul>
  65. 68. Principais Desafios <ul><li>Dar maior celeridade as ações </li></ul><ul><li>e diminuir os entraves burocráticos </li></ul>
  66. 69. Principais Desafios <ul><li>Em vez de separar em três por que não integrar as 12 regiões? </li></ul>
  67. 70. Principais Desafios <ul><li>Efetiva descentralização das políticas </li></ul><ul><li>Fundamental: Reforma Administrativa </li></ul>
  68. 71. Principais Desafios <ul><li>Articulação transescalar e intraescalar </li></ul><ul><li>Foco: território </li></ul>
  69. 72. Principais Desafios <ul><li>Fortalecer a capacidade de </li></ul><ul><li>gestão dos Municípios </li></ul>
  70. 73. Principais Desafios <ul><li>Regularização Fundiária, Gestão Ambiental e Ordenamento Territorial </li></ul>
  71. 74. Principais Desafios <ul><li>Empregabilidade e movimentos demográficos </li></ul><ul><li>Obs.: Estimativas do IBGE apontam que nos próximos 4 anos cerca de 500 mil pessoas adentrarão ao estado do Pará na busca de melhores oportunidades e emprego. </li></ul>
  72. 75. Principais Desafios <ul><li>Desafios: </li></ul><ul><li>Verticalização da Produção; </li></ul><ul><li>Diversificação da base produtiva; </li></ul><ul><li>Sustentabilidade; </li></ul><ul><li>Internalização da renda; </li></ul><ul><li>Desenvolvimento de arranjos institucionais adequados - APL </li></ul>
  73. 76. Principais Desafios <ul><li>Lei Kandir, ICMS de energia e FPE </li></ul>
  74. 77. Principais Desafios <ul><li>UHE Belo Monte </li></ul>
  75. 78. Afirmativa: <ul><li>O separatismo não se combate com argumento, mas sim com fatos. Precisamos de um projeto de desenvolvimento estratégico para o estado do Pará! Precisamos de uma visão de futuro que nos dê unidade! </li></ul>
  76. 79. <ul><li>Muito Obrigado! </li></ul><ul><li>Eduardo José Monteiro da Costa </li></ul><ul><li>Correio eletrônico: ejmcosta@gmail.com </li></ul>

×