Apresentação cap2

323 views

Published on

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Apresentação cap2

  1. 1. Capitulogestão da Inovação nas empresas A 2 Capítulo 2 A GESTÃO DA INOVAÇÃO NAS EMPRESASQualidade e InovaçãoEngenharia de Materiais - UFSC 1
  2. 2. nas empresas A gestão da Inovação Capítulo 2 Qual o perfil das empresas inovadoras? São aquelas com mais de 30% de seu faturamento advindo de produtos ou serviços lançados há menos de cinco anos, segundo uma convenção internacional.Qualidade e InovaçãoEngenharia de Materiais - UFSC 2
  3. 3. nas empresas A gestão da Inovação Capítulo 2 Perfil das empresas brasileiras inovadoras Segundo pesquisa realizada pelo DPP no período de 1998 a 2000 A pesquisa relaciona: • Orientação exportadora, • Tamanho, • Estrutura societária, • Intensidade do fator produtivo, • Grau de oportunidade tecnológica, • Origem do capital,Qualidade e InovaçãoEngenharia de Materiais - UFSC 3
  4. 4. Resultados nas empresas A gestão da Inovação Capítulo 2 Em relação às empresas inovadoras, algumas características ficam evidentes:  Maior tamanho,  Origem estrangeira de capital,  Pertencem à grupos empresariais,  Grau de tecnologia alto,  Exportadoras contínuas ou ocasionaisQualidade e InovaçãoEngenharia de Materiais - UFSC 4
  5. 5. nas empresas A gestão da Inovação Capítulo 2 De quem é a responsabilidade de inovar? A responsabilidade é de todos: daalta gerência aos departamentosoperacionais. O desafio é fazer todos assumirem ocompromisso com a prática real dainovação.Qualidade e InovaçãoEngenharia de Materiais - UFSC 5
  6. 6. Publicação de um artigo da Exame, nas empresas A gestão da Inovação Capítulo 2 escrito por Gary Hamel “ O nó que estrangula a inovação fica quase sempre no topo da hierarquia. Uma empresa treinada para olhar para o alto em busca de pistas sobre o caminho a seguir mais adiante é uma organização em que a maioria das pessoas renunciou à responsabilidade de inovar.”Qualidade e InovaçãoEngenharia de Materiais - UFSC 6
  7. 7. Como convencer os executivos da nas empresas A gestão da Inovação Capítulo 2necessidade de investir em inovação? Só existe uma saída: teimosia, teimosia e teimosia. Ainda segundo Gary Hamel: “Ouço executivos discorrerem sobre as virtudes da padronização. Contudo, padronização perfeita e morte são a mesma coisa. A variedade é a chave.”Qualidade e InovaçãoEngenharia de Materiais - UFSC 7
  8. 8. Qual o impacto da inovação na nas empresas A gestão da Inovação Capítulo 2 produtividade das empresas? O impacto vai depender da velocidade que as pessoas absorverão o processo de inovaçcão: quanto maior ela for, mais rapidamente a produtividade tende a aumentar na companhia.Qualidade e InovaçãoEngenharia de Materiais - UFSC 8
  9. 9. Já existe modelos de nas empresas A gestão da Inovação Capítulo 2 inovações quepodem ser seguidos? Sim, mas é melhor desenvolver um modelo que se adapte a sua empresa.Qualidade e InovaçãoEngenharia de Materiais - UFSC 9
  10. 10. É possível provocar a inovação ou nas empresas A gestão da Inovação Capítulo 2 ela acontece por acaso? As duas situações são possíveis e até mesmo comuns.- Poucas inovações surgem de um lampejo de gênio (Peter Drucker)- A maior parte das inovações e bem sucedidas são conscientes e intencionalde oportunidades- Segundo Drucker a inovação acontece de 4 formas:- por fatos inesperados, por incongruências, pela necessidade ou por mudançasno setor ou mercado- No ambiente externo mais 3 fontes de oportunidades- mudanças demográficas, mudanças de percepção e novos conhecimentos- Empresas que inovam (focam a criatividade das pessoas, melhores talentos,integra times e setores)- Uma vez provocada a inovação fica mais fácil que outras apareçamnaturalmente em outras ocasiões- Ex.: (como o cozinheiro)Qualidade e InovaçãoEngenharia de Materiais - UFSC 10
  11. 11. Como uma empresa pode nas empresas A gestão da Inovação Capítulo 2 induzir à inovação? Estimulando as pessoas, o tempo todo, a indagarem e a serem criativas. - Incorporando a rotina dos funcionários a geração constante de idéias e a cultura de aprendizado - Dar uma visão global do negócio para que as pessoas trabalhem pelos resultados da organização - Processos criativos em grupos ajudam os funcionários para uma busca constante pela inovação - Reunir pessoa talentosas em torno de uma missão - Ex.: melhorar o relacionamento com os clientes para ser aportados novos pontos de vista e com isso as pessoas criam um hábito de solucionar problemas que os próprios clientes ainda não manifestaramQualidade e InovaçãoEngenharia de Materiais - UFSC 11
  12. 12. É possível classificar as inovações para nas empresas A gestão da Inovação Capítulo 2 definir os investimentos? Sim. Evite alocar todo o investimento de risco numa única inovação.- Foi criada uma metodologia pela prof. Rosabeth Moss Kanter paraclassificar as inovações- Atualmente esta metodologia vem sendo usada por empresas do mundotodo- Baseado no formato de pirâmide e dividida em 3 níves- No topo, poucos projetos sendo estes os mais importantes e comprevisão de gerar excelentes resultados- No meio, projetos em fase experimental. 20% ou 30% produzirãofrutos- Na base, ficam os projetos de inovações incrementais que ocorrem portoda empresaQualidade e InovaçãoEngenharia de Materiais - UFSC 12
  13. 13. Qual o melhor momento nas empresas A gestão da Inovação Capítulo 2 para inovar? Agora. Na crise ou no êxito, inovar sempre é recomendável.- Inovar antes que a concorrência comece a roubar sua participação no mercado(concorrência de multinacionais e tecnologias que você ainda não tem)- Ex.: Intel (manteve os investimentos em pesquisa mesmo admitindo falta decapital risco poderia prejudicar projetos inovadores enquanto que seuconcorrentes reduziram custo com P&D)- Prof. Balaji Chakravarthy lista quatro conselhos para fazer uma revoluçãopermanente- não seja um conservador teimoso, mude as regras do jogo do mercadorepentinamente, nunca imite por muito tempo e tenha coragem de tornarobsoleta sua galinha dos ovos de ouro- Empresas que detém monopólio em algum setor não tendem a sofrer pressãopara inovar. Ex.: Microsoft (windows, aperfeiçoamento pode ser constantemais dificilmente surgem mudanças revolucionárias. Qualidade e Inovação Engenharia de Materiais - UFSC 13
  14. 14. nas empresas A gestão da Inovação Capítulo 2Qualidade e InovaçãoEngenharia de Materiais - UFSC 14
  15. 15. Como uma empresa em crise nas empresas A gestão da Inovação Capítulo 2 pode pensar em inovar? ``Uma solução criativa pode ser o fator determinante para garantir a sobrevivência da companhia.`` Quando não há nada a perder, as pessoas inevitavelmente exploram mais a própria criatividade  esforço coletivo Em 2002 Tom Peters  Compara a Inovação na crise e a guerra – é nas precárias condições do campo de batalha, lidando com corpos dilacerados, que o cirurgião encontra as soluções mais criativas ABNT  crise  mudou o modelo de gestão Na relação com associados Na otimização de processos Na terceirização de atividades Numa liderança forte Visitas aos sites aumentaram e faturamento por funcionário R$ 8mil R$ 10mil mensais, crescendo o número de associados 22%.Qualidade e InovaçãoEngenharia de Materiais - UFSC 15
  16. 16. nas empresas A gestão da Inovação Capítulo 2 O que fazer: imitar ou inovar? ``Inovar sempre. Em alguns casos, no entanto, a imitação pode ser usada como bom ponto de partida.`` As companhias brasileiras, em geral têm o hábito de copiar modelos de sucesso de outras organizações. A compra de royalties e licenças passou de R$ 200 milhões em 1992 para R$ 3,5 bilhões em 2001. Imitação castra a capacidade das pessoas de inovar e atrofia o desejo do novo. Linsu Kim  professor coreano  Samsung, LG, Hyundai  usaram a imitação para difundir mais rapidamente o aprendizado do pessoal nas áreas de engenharia, design, tecnologia e P&D. Imitação não basta para se tornar competidora. As companhias mais competitivas, que tinham arraigada em sua competências internas, sempre acabavam saindo na frente.Qualidade e InovaçãoEngenharia de Materiais - UFSC 16
  17. 17. O que é o conceito nas empresas A gestão da Inovação Capítulo 2 empresa - espelho? ``É um modelo que permite a uma companhia enxergar melhor suas próprias estratégias.`` Companhias asiáticas para evitar a imitação criaram ``empresa- espelho``. Um grupo temporário forma uma empresa virtual que avalia o mercado, lideranças e regras de competição, preparando protótipos de produtos, serviços ou de estratégias criando uma companhia do zero  curto prazo para avaliar as fraquezas da empresa real. Ataque da concorrência virtual  pessoas em estado de atenção constante  Rever estratégias e planos de ação. O isolamento de um grupo de trabalho garante independência de ação e experimentação.Qualidade e InovaçãoEngenharia de Materiais - UFSC 17
  18. 18. nas empresas A gestão da Inovação Capítulo 2 É possível inovar continuamente? ``Mais do que possível, é preciso inovar sempre.`` Inovação Atividade natural da companhia James Collins e Jerry Porras autores do best seller Feitas para Durar - Práticas bem-sucedidas de empresas visionárias  escolheriam a 3M como empresa na continuidade do sucesso para os próximos 50 ou 100 anos  inovação constante desde o século 20  mas de 50mil produtos e muitos líderes globais. Bill Gates da Microsoft  lançar produtos menores e mais humildes  relógios que monitora comportamento das ações da bolsa, chaveiros e até ímãs de geladeira.Qualidade e InovaçãoEngenharia de Materiais - UFSC 18
  19. 19. Como escolher as melhores nas empresas A gestão da Inovação Capítulo 2 idéias para investir? ``O potencial de uma nova idéia pode ser medido pela confiança que as pessoas depositam nela.`` Gerar muitas idéias  extrair qualidade  retorno financeiro  Maturação da idéia  quanto menor o tempo de desenvolvimento de protótipos e teste, mais rápido se decide entre continuar ou parar o projeto.  Condições de produção  Necessidade de gente especializada  Proteção pelo instrumento da patente  Resposta do mercado Brasilata – 61% de idéias aprovadas e Implementadas - 30 patentes – R$ 170milhões em 2002Qualidade e InovaçãoEngenharia de Materiais - UFSC 19
  20. 20. Que práticas de inovação as empresas nas empresas A gestão da Inovação Capítulo 2Adotam para se manter competitivas? As empresas ainda não têm uma abordagem estruturada de práticas de inovação O vácuo que existe entre o discurso e a prática. Os líderes das organizações ainda não têm um modelo claro e bem desenvolvidoQualidade e InovaçãoEngenharia de Materiais - UFSC 20
  21. 21. nas empresas A gestão da Inovação Capítulo 2 As Empresas precisam investir para inovar? É possível sem muito recursos. Mas as empresas que deseja implantar uma cultura de inovação terá que reservar recursos para implementar idéias e processos ou então para investir em pesquisaQualidade e InovaçãoEngenharia de Materiais - UFSC 21
  22. 22. nas empresas A gestão da Inovação Capítulo 2 Como avaliar os resultados das inovações? •Aprendizagem •Conteúdo •Valor •Comportamento •Espírito empreendedorQualidade e InovaçãoEngenharia de Materiais - UFSC 22
  23. 23. O que mais inibe a inovação? nas empresas A gestão da Inovação Capítulo 2 •Aspectos comportamentais: critica e punição •Aspectos gerenciais; projeto anterior que não deu certo, corte de pessoal, novas matérias primas, incidentes e tempo de maturação. •Aspectos conjunturais; indefinição política e econômica.Qualidade e InovaçãoEngenharia de Materiais - UFSC 23
  24. 24. nas empresas A gestão da Inovação Capítulo 2 Limitar a discussão de inovação a invenções e tecnologias é tão equivocado quanto imaginar que a empresa só crescerá se inovar seu produto. Swatch – Suiça – Nicholas Hayek Casos BMW – Munique – novas competências tecnológicas. The Body Shop – Brighton – Anita RoddickQualidade e InovaçãoEngenharia de Materiais - UFSC 24
  25. 25. nas empresas A gestão da Inovação Capítulo 2 ... Acadêmicos Ana Paula, Laurence, Kerly e BodnarQualidade e InovaçãoEngenharia de Materiais - UFSC 25

×