Natura

1,015 views

Published on

Aborda aspectos relativos a empresa de cosméticos Natura, sua linha Ekos e a utilização de matérias primas de origem da flora dos principais biomas brasileiros, em especial da Amazônia, contribuindo para a sustentabilidade.

Published in: Marketing
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Natura

  1. 1. Natura Linha Ekos
  2. 2. Comunidade
  3. 3.  A marca Natura Ekos possui um modelo pioneiro de fazer negócios de forma sustentável. Desenvolvemos produtos que ajudam a manter a floresta em pé, em parceria com 23 comunidades rurais*, envolvendo um total de 2.731 famílias*. São 14 ativos da biodiversidade brasileira, cujo fornecimento e repartição de benefícios já geraram recursos de mais de R$ 20 milhões. Dessa forma, Natura Ekos apoia o desenvolvimento social, o fortalecimento da economia, a inclusão social e a sustentabilidade ambiental de todas as comunidades envolvidas, construindo uma rede em que todo mundo ganha. Clique em algumas das comunidades parceiras da Natura para saber mais:  Fundada no ano 2000 e localizada ao sul da Bahia, a comunidade cultiva cacau orgânico em sistemas agroflorestais. A missão da cooperativa é o fomento à agricultura sustentável nas propriedades dos cooperados.  Esta comunidade do Pará é parceira no cultivo de priprioca e estoraque. O relacionamento entre Campo Limpo – Natura existe desde 2003, e com esta parceria a comunidade conseguiu desenvolver e incrementar sua produção sustentável.  Localizada no Pará, é a cooperativa pioneira no fornecimento para a linha Natura Ekos, que inovou nos padrões de qualidade para a venda de açaí orgânico.  Fica na Ilha de Cotijuba, próximo a Belém do Pará, cultiva priprioca e se orgulha de fazer parte do Movimento das Mulheres das Ilhas de Belém (MMIB), que busca novos referenciais socioeconômicos para a região e respeito à diversidade como base para a construção da cidadania e do desenvolvimento sustentável.  A cooperativa fica no município de Laranjal do Jari, no Amapá e é especialista em castanha-do-brasil e breu-branco. Nela trabalham 32 famílias, que têm na coleta e processamento da castanha sua principal atividade econômica.  A noroeste de Rondônia está a comunidade responsável pelo cupuaçu. Os agricultores da Reca recuperam áreas desmatadas da floresta com espécies locais, criando sistemas agroflorestais, que eles gostam de chamar de florestas de alimentos.  *Dados atualizados em Dezembro de 2011.
  4. 4. Matérias primas da biodiversidade brasileira  Os produtos da linha Natura Ekos buscam na biodiversidade brasileira as matérias-primas que compõem suas fórmulas. Assim, folhas, frutos, amêndoas, sementes e raízes da flora mais diversa do planeta passam a ser conhecidos como ativos, pois se tornam os principais ingredientes de shampoos, condicionadores, sabonetes, hidratantes, óleos e frescores do vasto portfólio da marca.  Mas não só isso. Através dos ativos de Natura Ekos, nos reconectamos com a natureza. Suas cores, sabores e aromas evocam a exuberância das matas e florestas e a diversidade de espécies de nosso país, cada uma com suas qualidades e virtudes únicas. Os ativos também contam histórias, falam de costumes nacionais, como o gosto por banhos diários e refrescantes, descrevem paisagens e biomas do Brasil, religam-nos às tradições orais do interior e narram a vida das populações que souberam preservar os tesouros naturais desse vasto território.  Aqui você conhece um pouco mais sobre a tradição de cada um dos 14 ativos da linha.  Rico em vitaminas, este fruto de rubros tons traz saúde para os povos da floresta. É sinônimo de alimentação, cuidado e sabor. O óleo de açaí contém um extrato aromático com propriedades emolientes e hidratantes para a pele.  A andiroba é conhecida como o “santo remédio da floresta”. De sua árvore, aproveitam-se casca, folhas e o óleo das sementes para diversos fins medicinais.  É uma resina de odor natural, agradável e fresco, que nasce do núcleo do tronco de uma árvore de mesmo nome, nativa da floresta Amazônica. Sua fragrância surpreende pelo frescor.
  5. 5.  Típico do Cerrado, tudo se aproveita desse fruto: caule, palha e polpa. A polpa do buriti é bastante utilizada na culinária para fazer doce, geléia, bolos e suco. Também é dela que se extrai um óleo avermelhado rico em betacaroteno.  Esse fruto é muito valorizado por suas sementes guardarem uma manteiga preciosa e exclusiva com propriedades excepcionais. O poder surpreendente de hidratação nesta polpa é popularmente reconhecido.  A tradição reserva às mulheres a função de ralar e espremer a castanha, transformando-a em um leite nutritivo que alimenta e fortalece as pessoas das comunidades da floresta. O óleo de castanha tem propriedades hidratantes e emolientes.  O cupuaçu é fonte primária na alimentação das populações locais. De sua polpa cremosa e de sabor exótico são feitos doces e suco, além de poder ser produzido um extrato aromático utilizado para perfumação.  Originário da África e cultivado do norte ao sudeste do Brasil, o estoraque se adapta a regiões ensolaradas e quentes.  Com sabor de ponta azeda e poder calmante, a polpa do maracujá serve como alimento, enquanto seu óleo, retirado das sementes, é utilizado em cosméticos de textura leve e fragrância refrescante.  Com grande poder de adstringência, o mate verde, originário da Mata Atlântica, mais exatamente da região Sul do País, promove uma suave sensação de frescor na pele.  Ricas em canais aromáticos, as folhas de pitanga são popularmente colocadas em cestos ou usadas em procissões para que seu perfume fresco contagie o ambiente.  É o principal ingrediente de um bom banho de cheiro. Seu óleo essencial é extraído da raiz, gerando uma pequena quantidade do líquido raro e de aroma único.
  6. 6. Biomas brasileiros  Segundo a definição do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o bioma é um conjunto de espécies animais e vegetais que vivem em formações vegetais vizinhas em um território que possui condições climáticas similares e história compartilhada de mudanças ambientais, o que resulta em uma diversidade biológica própria.  O bioma pode ser nomeado em função da vegetação predominante (caso da amazônia, cerrado e mata atlântica), relevo (pantanal), condições climáticas (exemplo da caatinga no semiárido nordestino) ou meio físico (bioma zonas costeira e marinha).  No mapa de biomas brasileiros, lançado pelo IBGE em 2004, um mesmo bioma contém paisagens distintas da vegetação dominante. É o caso dos campos e manchas de cerrado existentes na amazônia. Ao considerar ecossistemas distintos do predominante em um mesmo bioma, tenta-se mostrar que eles precisam ser tratados de maneira integrada. O que afeta um ecossistema provoca impactos em outros ecossistemas vizinhos, mesmo que o primeiro não seja a paisagem preponderante.
  7. 7. Amazônia  Com 4,2 milhões de quilômetros quadrados, a amazônia é o maior bioma brasileiro, representando 49% do território nacional. A vegetação dominante é a floresta amazônica, tropical úmida, com árvores de médio e grande porte que mantêm suas folhas o ano inteiro.  É por causa da amazônia que o Brasil ocupa a posição de país mais megadiverso. Só nesse bioma há quase 30 mil espécies de plantas, ou metade das espécies vegetais existentes no país e 20% das espécies de plantas da Terra. A fauna compreende 4.211 espécies, 80% das espécies animais do Brasil e 9% do total mundial. Sua rica fauna e flora comprovam a importância da amazônia para a conservação da biodiversidade no globo terrestre.  Outro serviço ambiental estratégico para o planeta é prestado na área climática. Boa parte das chuvas que caem nas regiões Centro- Oeste, Sudeste e Sul do Brasil e na Argentina, Paraguai e Uruguai tem origem no sistema de evaporação e transpiração das plantas e árvores amazônicas. A relação do bioma com o clima também ocorre na limpeza de dióxido de carbono (CO2) da atmosfera, contribuindo para atenuar o aquecimento global.  Da amazônia vêm dez ativos usados nos produtos Natura Ekos: açaí, andiroba, breu branco, cacau, castanha, cupuaçu, estoraque, maracujá, murumuru e priprioca.
  8. 8. Cerrado  O cerrado hospeda as nascentes dos principais rios brasileiros. Apenas essa informação já é suficiente para justificar a necessidade de conservação da vegetação, que retém no solo as águas das chuvas, ajudando na reposição de água nas nascentes. A cobertura vegetal também protege o solo das enxurradas.  O cerrado típico possui árvores baixas de troncos tortuosos e galhos retorcidos que se encontram esparsas em meio a arbustos e a um tapete de gramíneas. Profundas, as raízes das árvores atingem de 15 a 20 metros, condição que lhes permite absorver água do lençol freático e sobreviver na estação quente e seca.  Do cerrado vem um ativo usado nos produtos Natura Ekos: o buriti.
  9. 9. Mata Atlântica  A mata atlântica é um dos biomas com maior diversidade de espécies vegetais e animais do planeta. É, também, um dos que possui as mais elevadas taxas de endemismo (espécies que são exclusivas de um bioma). Ela esparrama- se por 17 Estados, do Rio Grande do Norte ao Rio Grande do Sul, acompanhando o litoral brasileiro, com diversos tipos de vegetação, clima, relevo, ecossistemas e fauna.  Calor intenso e chuvas volumosas favorecem o desenvolvimento de plantas e animais em abundância. Das cerca de 20 mil espécies de planta lá conhecidas, oito mil são endêmicas (40% do total). Entre árvores de destaque no bioma, estão o jequitibá-rosa, o pinheiro-do-paraná, o cedro, as figueiras, os ipês, a braúna e o pau-brasil.  Observando a fauna atlântica como um todo, a taxa de endemismo continua bastante elevada. Das 1.361 espécies animais, 567 habitam apenas no bioma atlântico, de acordo com o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).  Da mata atlântica vêm quatro ativos usados nos produtos Natura Ekos: cacau, capim-limão, maracujá e pitanga.
  10. 10. Caatinga  A vegetação da Caatinga adaptou-se ao clima semiárido do sertão nordestino (quente e seco) com arbustos e árvores baixas de folhas finas ou inexistentes, o que diminui a perda de água por evaporação. As chuvas são irregulares, tornando os rios intermitentes e pouco volumosos, e o solo, raso e pedregoso.  Apesar de ser o único bioma exclusivamente brasileiro, a caatinga não foi reconhecida como patrimônio nacional na Constituição promulgada em 1988, como ocorreu com a floresta amazônica, o pantanal, a mata atlântica e a zona costeira. É um dos biomas com menor proporção de áreas protegidas, 6% de sua área total.
  11. 11. Pampas  O único bioma brasileiro situado nos limites de um único Estado são os pampas, que ocupam a metade sul do Rio Grande do Sul, ou 63% do território gaúcho. Predomina no bioma a vegetação de campos, onde há muitos arbustos e gramíneas.  Por não ser uma formação florestal, os pampas não têm sido tratados como área prioritária para a conservação. Menos de 1% de seu território está protegido por Unidades de Conservação (UCs). A biodiversidade dos pampas tem declinado bastante desde o começo da década de 1970 em virtude da expansão acelerada da atividade agropecuária e, nos últimos anos, pelo plantio de eucalipto.  Dos pampas vem um ativo usado nos produtos Natura Ekos: o mate verde.
  12. 12. Pantanal  Estudo recente de um grupo de organizações não- governamentais apontou que perto de 15% de sua vegetação foi removida ou degradada, mas restam 85% de mata intacta. O dado foi um dos resultados do mapeamento da bacia do Alto Paraguai, onde está localizada a planície pantaneira, concluído em 2009 pelas organizações Avina, Conservação Internacional, Ecoa, SOS Mata Atlântica e WWF-Brasil.  Como seu solo é pobre e anualmente, durante a estação chuvosa, o bioma é pouco propício à agricultura comercial e à ocupação humana em larga escala. Uma das maiores áreas alagadas do planeta, o pantanal possui cerca de 140 mil quilômetros quadrados distribuídos em Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.
  13. 13. Zona Costeira e Marinha  Os oceanos desempenham papel fundamental no clima da Terra, ao absorver um quarto do gás carbônico lançado na atmosfera pela queima de carvão e derivados de petróleo na geração de energia e pela destruição das florestas. Sem isso, o efeito estufa seria muito mais intenso com impactos ainda mais danosos à vida na Terra.  Embora não constem no mapa de biomas do IBGE, organizações não-governamentais, cientistas e órgãos ambientais atuam nas zonas costeira e Marinha como se fossem um bioma. Sua área de 4,5 milhões de quilômetros quadrados equivale a mais de 50% do território brasileiro, o que levou a Marinha a chamá-la de Amazônia Azul.

×