Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Modalidades avaliativas pareceres descritivos-2013 - cópia

33,085 views

Published on

  • Be the first to comment

Modalidades avaliativas pareceres descritivos-2013 - cópia

  1. 1. MODALIDADES AVALIATIVAS-ELABORAÇÃO DE PARECERES DESCRITIVOS, NOS ANOS INICIAIS E... Eloí de Oliveira Batista Coordenadora Pedagógica EEEF.Cândido Genro e UNOPAR- Universidade Norte do Paraná ESPECIALISTA EM LITERATURA E EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA
  2. 2. AVALIAÇÃO EMANCIPATÓRIA   Se constitui num processo, numa trajetória de conhecimentos construídos, considerando todos os elementos do processo: professor/ alunos/ contexto; “ A EDUCAÇÃO NUNCA FEZ TANTA FALTA.” ( DEMO )
  3. 3. AVALIAÇÃO # ATRIBUIR NOTAS   Ao falarmos em avaliação emancipatória ela nos remete a avaliação de currículos e de políticas educacionais ( SAUL, 1988), mas nela estão implícitas algumas questões que pode-se levar para o campo da avaliação da aprendizagem no processo emancipatório do sujeito, no diálogo : reflexão-ação-reflexão. AVALIAR É DIFERENTE DE DAR NOTAS
  4. 4. OUTRAS CONCEPÇÕES- AVALIAR X APRENDIZAGEM Avaliação como ―promoção, como acesso a um patamar superior de aprendizagem, de acesso a um nível qualitativamente superior de conhecimento e de vida‖ diferentemente, de promoção automática de ano a ano de ensino. JUSSARA HOFFMANN, 2011.  Superar o caráter classificatório...  A serviço da aprendizagem, p/ melhoria da ação pedagógica visando a promoção moral e intelectual dos alunos.  Favorecer a evolução da trajetória do educando... 
  5. 5. COMO? --intersubjetiva  --interativa  --dialogal  --relações interpessoais  --projetos coletivo  AVALIAÇÃO # PESQUISA AVALIAR: ação, serve para coleta de dados, colocar o conhecimento a serviço da alteração; PESQUISAR: coleta de informações, análise e compreensão de dados
  6. 6. OUTRO OLHAR...  ― A medida que se concebe a avaliação como compromisso de FUTURO o olhar para trás deixa de ser explicativo ou comprobatório e transformase em ponto de partida para AÇÃO pedagógica‖. (Hoffmann, 2002)  A serviço da promoção social.  ―Processo de encontro e confronto, trocas de mensagens, interativo, dialógico,‖ ... entre professor e aluno para concretização de patamares sempre superiores.
  7. 7. FUNÇÃO DA AVALIAÇÃO-PROCESSO    DIAGNOSTICAR ACOMPANHAR CLASSIFICAR RECUPERAR ―Estudos paralelos de recuperação são inerentes a uma prática avaliativa mediadora, com a intenção de subsidiar, provocar, promover a evolução do aluno em todas as áreas do seu desenvolvimento‖ e não repetições de explicações e ou de conteúdos. Hoffmann, 2011, p.24 
  8. 8. MODALIDADES DIAGNÓSTICA  MEDIADORA  FORMATIVA  SOMATIVA...  ― É PRECISO UM OLHAR PROFUNDO ÀS MÚLTIPLAS DIMENSÕES DE APRENDIZAGEM QUE LHES CONSTITUEM A BASE. ―...CONSCIÊNCIA ACERCA DA FINALIDADE DO PROCESSO AVALIATIVO.‖ Hoffmann
  9. 9. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Como aprender os objetivos?  Coerência entre a proposição e o instrumento;  Capacidade de comunicar e expressar;  Capacidade de apreender o sentido do texto, de usar estratégias, manifestar opiniões, escrever textos, respeitar normas gramaticais...  Usar linguagem oral;  Resolver situação-problema, com os recursos disponíveis; 
  10. 10. DILEMAS E DESAFIOS  O dilema maior é que não há como ensinar a FAZER AVALIAÇÃO. Esse processo DEVE ser construído a partir da compreensão que o professor tem da avaliação classificatória.  ―Esse caminho precisa ser construído, pelo confronto de ideias, repensando e discutindo em conjunto, valores, princípios, metodologias‖ Hoffmann,2002  Essa compreensão que vai revelar alteração nas ações, nas práticas, na reflexão e no uso que se faz dos instrumento de avaliação.
  11. 11. INSTRUMENTOS  Estabelecer situações concretas de atividades que tenham coerência com o estabelecido no Plano de Estudo do Ano ( Currículo );  Experiências diversificadas e diferenciadas. Trabalho individual, em grupo, provas, testes, relatos, produções textuais, descrições de experiência... Situação inicial ( avaliação diagnóstica);  Instrumentos para avaliação constantemente... ( aval. Mediadora);  TAREFAS: segundo Hoffmann, as tarefas são propostas que integram diferentes formas de expressão do conhecimento e envolve a habilidade do estudantes estar reorganizando o conhecimento internalizado ;  Avaliação do processo de ensino para reflexão;( Aval. Formativa); PORTFÓLIO E PARECER DESCRITIVO
  12. 12. VYGOTSKI- CONCEPÇÕES  ― aluno atribui sentidos próprios às informações, a partir de experiências e aprendizagens anteriores, gerando para si, novos conhecimentos-( interação social);‖ PIAGET  ― o sujeito constroi a si mesmo em processo de interação dialética com o meio sociocultural.‖   Ambos: ―é a mediação do pensamento‖ , no entendimento do aluno.
  13. 13. COMO FAZER:  PORTFÓLIO: # documento individualizado do processo de aprendizagem, organizado com propósitos definidos a partir dos objetivos, do nível de ensino, do ano... # Relação entre ação/desempenho = AVANÇOS # Meio para avaliar capacidades/conhecimentos específicos. # Reflexão da prática educativa, centrada no aluno e no processo de aprendizagem.
  14. 14. CONFRONTAR/ DADOS  Um portfólio torna-se significativo pelas intenções de quem o organiza. Não há sentido em coletar dados para mostrá-los aos pais ou como instrumento burocrático. Ele precisa construir-se em um conjunto de dados que expresse avanços, mudanças conceituais, novos jeitos de pensar e de fazer, alusivos à progressão do estudante. Essa ―coleção‖ irá expressar, implicitamente, o valor conferido pelo professor a cada um desses momentos. Reúnemse expressões de sentido do aluno que servem para subsidiar e complementar a análise de sua progressão. ( HOFFMANN, 2005, p. 133)
  15. 15. ORGANIZAÇÃO DE DADOS Pasta onde se arquivam variados instrumentos aplicados(TAREFAS DIVERSIFICADAS/DIFERENCIADAS) para confrontar avanços e necessidades, verificando o que o estudante aprendeu, seu progresso, constatando, depois de certo tempo, a aprendizagem significativa ou não. Ocorre; ―É preciso oferecer tarefas diversificadas, recheadas de oportunidades de reflexão, buscas, pesquisas, resoluções de problemas– compromisso com o avanço.
  16. 16. EDUCAÇÃO @.COM         A EDUCAÇÃO mediada pelas tecnologias contribui para diversificar as experiências na construção de ideias. Na visão dialética, ―mediação se dá pela antítese, pelo confronto‖ Mobilização Experiência- interação Expressão Webquest Blog facebook
  17. 17. REGISTROS  ―Instrumentos de avaliação são portanto, registros de diferentes natureza. Ora o aluno é levado a fazer os registros, expressando o conhecimento em tarefas, testes, desenhos, trabalhos e outros instrumentos elaborados pelo professor. Ora é o professor quem registra o que observou do aluno, fazendo apontamentos.‖ Hoffmann
  18. 18. PARECER DESCRITIVO: REDAÇÃO DO PROFESSOR: # Relação entre os ‗objetivos‘ da aprendizagem e o critério que se estabelece para expressar o desempenho desejado, no ano em que está cursando. (direitos de aprendizagem); # Relatório personalizado com base no desempenho, em relação aos conhecimentos culturais e processuais construídos pelo aluno.( CURRÍCULO DA ESCOLA) #Deve expressar o desempenho da criança com base no Plano de Estudo desenvolvido, no trimestre ou... # Articule os saberes teóricos e práticos, sirva para mapear avanços no processo de aprendizagem do aluno realizadas em diversas e variadas oportunidades.
  19. 19. PARECER/NOTA/CONCEITO Descrição escrita sobre avanços e faltas—segundo os objetivos da disciplina expressando as habilidades e competências construídas.  HELENA CÔRTES- (PUC) , afirma que ―antes de implantar o sistema do parecer descritivo é discutir os critérios de avaliação.‖  PARECER- conceito explicado; expressa os conceitos construídos– acompanhamento do processo, feito pelo aluno, um olhar interdisciplinar/transdisciplinar.
  20. 20. IMPORTANTE: DIREÇÃO: para frente, FUTURO  Favorecer a evolução da trajetória e estabelecer novas formas de planejamento.  Faz leitura positiva da ação pedagógica do professor, do processo  Serve de mudança na ação pedagógica da escola, do professor visando promoção moral e intelectual dos alunos. 
  21. 21. FORMAS DE ORGANIZAÇÃO DA ESCOLA   Em qualquer regime curricular estabelecido visa o acompanhamento, a complementaridade, os avanços de um ano para outro ou de ciclos de estudos, na progressão, respeitando o ritmo, o interesse e a necessidade, mas o foco é a aprendizagem máxima possível, EM QUALQUER NÍVEL DE ENSINO... REVER REGIMENTOS Estudos e PPP, Planos de
  22. 22. CONSELHOS  DE CLASSE PARA: Analisar a atuação docente e a aprendizagem dos alunos numa relação de parceria, coletiva, dialógica, para dessa discussão surgir um novo olhar para as práticas pedagógicas—metodologias para avaliação formativa, mediadora, EMANCIPATÓRIA.
  23. 23. INSTRUMENTOS DE REGISTROS  O problema não é trocar NOTA/CONCEITO...  Ou PARECER DESCRITIVO, o problema é como se chegou a ele ( PARECER).  Há necessidade de avaliar o processo e estabelecer uma interpretação do que foi estabelecido como critérios para expressar a caminhada percorrida– os avanços do estudante.
  24. 24. CRITÉRIO PARA ELABORAÇÃO DOS PARECERES  Estabelecer as habilidades, com base no Plano de Estudos, no tempo em que estava previsto, de acordo com a etapa ou nível de ensino em que se encontra. EX.: 1º TRIMESTRE  Lê e compreende textos , identificando diferentes gêneros. SIM ( ) EM DESENVOLVIMENTO ( ) NÃO ( ) É capaz de resolver uma situação- problema efetuando o cálculo coerente. SIM ( ) EM PARTE ( ) NÃO ( ) Participa de atividades em grupos diversificados, envolvendo-se na atividade de maneira socialmente aceitável... 
  25. 25. ELABORAÇÃO: QUANDO??? No início do ano letivo....para os 3 trimestres.????  Por trimestres...???  De acordo com a discussão dos professores, coordenadores, orientadores....e PPP da escola e Plano de Estudos do ANO.   O IMPORTANTE NESSE PROCESSO É QUE EXPRESSE E OU MAPEIE O PROCESSO DE CRESCIMENTO DOS ESTUDANTES NA CAMINHADA -CONSIDERANDO QUE PROGRESSÃO NÃO SE CONFUNDA COM PROMOÇÃO AUTOMÁTICA DE ANO PARA ANO.
  26. 26. AVALIAR PARA PROMOVER ― o primeiro passo do processo ensino deve consistir em avaliar conhecimentos e as possibilidades aprendizagem do grupo, antes realizar a atividade de leitura escrita.‖ ( conhecimentos prévios);  de os de de e Avaliação: que se refere ao nível de construção do sistema alfabético no qual a criança se encontra;( pré-silábico, silábico, silábicoalfabético, alfabético... Ortográfico )????
  27. 27. POR QUÊ? Descreve dados relevantes para subsidiar novas ações;  Recolhe dados qualitativos, analíticos, sobre o desempenho no decorrer do processo para busca de complementaridade;  Tarefas pensadas, confiáveis, coerentes com a necessidade;  Adequadas ao nível do conhecimento e interpretação do aluno;  Sirvam para FUTURO, novo planejamento;  Não incentive somente memorização;  Mapeie a expressão do processo; 
  28. 28. AVALIAÇÃO CONTÍNUA ―conjunto de elementos integrados em cada atividade que começam no planejamento, são ajustadas no transcurso, registradas em instrumentos práticos‖ e finalizados quando se sistematizam uma etapa do processo;  = EXPRESSÃO  Uma Avaliação útil deve ser contínua e descritiva  ( qual o nível de competência do aluno?)” 
  29. 29. CORREA,1995: ―A AVALIAÇÃO EM SUA PRIMEIRA FINALIDADE, DEVE CONTRIBUIR PARA O APRIMORAMENTO DE SEU SABER‖  ―Numa concepção formativa da avaliação, não se trata apenas de avaliar o nível de aprendizagem, o professor deve avaliar, seu próprio processo de ensino e a atividade que realiza‖, para poder intervir, mudar o caminho e buscar outras estratégias;
  30. 30. MODALIDADES ORGANIZATIVAS Objetiva estabelecer a coerência entre as atividades de sala de aula ( ensino) com as atividades avaliativas; METODOLOGIAS: Como? Sequência Didática  Projetos  Atividades Permanentes; Portfólios, produções... 
  31. 31. AVALIAÇÃO FORMATIVA  descrição do grau de competência da criança: em que progrediu? Em que necessita melhorar? Que ajuda precisa? Variados e diversificados instrumentos ao longo do trimestre Uma diversidade de atividades: situação-problema. Perrenoud # escutar, falar, ler e escrever; # textos de diferentes gêneros; # exposições, debates, canto, recitações, silêncio... # em diferentes momentos: individual, no grupo... 
  32. 32. PARA PERRENOUD, 1993  Aprender/ensinar  ―A aprendizagem nunca é linear, precede por ensaios, por tentativas e erros, hipóteses, recuos e avanços; um indivíduo aprenderá melhor se seu meio envolvente for capaz de lhe dar RESPOSTAS E REGULAÇÕES SOB DIVERSAS FORMAS.‖
  33. 33. AVALIAÇÃO MEDIADORA  Avaliação que faz a mediação no processo de construção de conhecimentos.  Diálogo.  Aluno e professor se comunicando.  Percepção se o aluno está apreendendo o conteúdo?
  34. 34. AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA  FEITA ANTES DE INICIAR QUALQUER PROCESSO DE ENSINO. A partir dos objetivos claros, num momento novo, de descoberta e possibilidade de novas aprendizagens, dinâmica.  Após a correção, seja discutida com os alunos para resolver problemas.  Para novas estratégias de ensino.
  35. 35. AVALIAÇÃO INICIA NO PLANEJAMENTO Decisão sobre o que fazer, o que planejar objetivos fazer isto ou aquilo?? com que  Quais os objetivos da aprendizagem (PE) do Ano.  Que conteúdos avaliar (Currículo ?)  Avaliação tem registro constante...É ética, pautada em valores...
  36. 36. REFERÊNCIAS Resumo de ideias do livro: ―ESCREVER E LER‖, de *Lluís Maruny Curto * Maribel M. Morillo * Manuel M. Teixidó, assessorados por Ana Teberosky HOFFMANN, Jussara. Avaliar para promover: as setas do caminho. Mediação. 2011. e OUTROS Livros. www.artmed.com.br VASCONCELOS, Celso. 2000. http://eduqueetransforme.blogspot.com Registros: loibatista@hotmail.com http://batista2008.blogspot.com INTERNET VAGULA, Edilaine. UNOPAR.

×