Redação

658 views

Published on

Apresentação sobre Redação Científica

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
658
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
32
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Redação

  1. 1. Escrevendo um artigo científico Elisa Brietzke Universidade Federal de São Paulo
  2. 2. TítuloDeixar claro do que se trata o estudo Objetivo: “Comparação dos níveis de BDNF entre portadores de TEPT com sintomas psicóticos e sem sintomas psicóticos.” Resultado: “Portadores de TEPT com psicose apresentam menores níveis de BDNF do que os portadores de TEPT sem sintomas psicóticos.” Questão de pesquisa: “Existe associação entre sintomas psicóticos e níveis de BDNF em portadores de TEPT?”
  3. 3. Potenciais problemas:3.Título não é atraente “Ausência de associação entre o polimorfismo dogene do fator de necrose tumoral-alfa e leishmaniose emindivíduos de uma região endêmica no Brasil”
  4. 4. Potenciais problemas:2. Muito vago“Neurotrofinas e transtorno bipolar”
  5. 5. Potenciais problemas:3. Muito restritivo “Diferenças na expressão do gene BRCA1 emmulheres com câncer de mama pré-menopáusico em usode TRH e sem história familiar”
  6. 6. Potenciais problemas:4. Uso de siglas não consagradas “ATF-2 interage com os fator de transcrição MafA,Pdx1 e Beta 2, ativando a secreção de insulina”
  7. 7. Potenciais problemas:4. Excesso de “criatividade”“Macrophages make me sick”“KasA, another brick in the mycobacterial cell wall”“Cytokines sing the blues: inflammation and thepathogenesis of depression”
  8. 8. ResumoA grande maioria dos seus leitores só vai ler oresumo!Esta deve ser a última parte do manuscrito a serescrita e a que você vai escrever com maiorcuidado.
  9. 9. Objective: The authors assessed whether clinical and psychosocial factors indepressed adolescents at baseline predict suicide attempts and nonsuicidalself-injury over 28 weeks of follow-up.Method: Participants were 164 adolescents with major depressive disordertaking part in the Adolescent Depression Antidepressants and PsychotherapyTrial (ADAPT). Clinical symptoms, family function, quality of current personalfriendships, and suicidal and nonsuicidal self-harm were assessed at baseline.Suicidal and nonsuicidal self-harm thoughts and behaviors were assessedduring 28 weeks of follow-up.Results: High suicidality, nonsuicidal self-injury, and poor family function atentry were significant independent predictors of suicide attempts over the 28weeks of follow-up. Nonsuicidal self-injury over the follow-up period wasindependently predicted by nonsuicidal self-injury, hopelessness, anxietydisorder, and being younger and female at entry.Conclusions: Both suicidal and nonsuicidal self-harm persisted in depressedadolescents receiving treatment in the ADAPT study. A history of nonsuicidalself-injury prior to treatment is a clinical marker for subsequent suicide attemptsand should be as carefully assessed in depressed youths as current suicidalintent and behavior
  10. 10. BACKGROUND: Mental health of pregnant and postpartum women is a topic widelydiscussed in scientific literature. During this period, women are going through majorchanges in physical, hormonal, psychological and social aspects, and thus become moresusceptible to psychic problems. The relationship between health and religiousness is alsoevident in the literature, however there are no studies examining this relationship amongpregnant women.OBJECTIVE: To investigate the relationship between religious practice, prevalence ofpsychiatric disorders, and alcohol use in pregnant women users of The Brazilian NationalHealth System in Juiz de Fora, Brazil.MATERIAL AND METHODS: This is a cross-sectional study, involving 260 pregnantwomen of Juiz de Fora. Data collection was performed in care centers for pregnant womenof the city, using a sociodemographic questionnaire (which included religious practice andreligious filiation), the Mini International Neuropsychiatric Interview (MINI), and Alcohol UseDisorders Identification Test (AUDIT).RESULTS: Most pregnant women practiced a religion (60.8%). Religious women show alower frequency (p < 0.05) of diagnoses of Major Depressive Episode with Melancholicfeatures, Hypomania episode, current Panic disorder with Agoraphobia, current SocialAnxiety disorder, and Post-traumatic stress disorder. In the diagnosis of abuse of one ormore psychoactive substances, there was a tendency to lower prevalence in the groups ofreligious women (p = 0,057).DISCUSSION: It was observed in this study, that the religious women tend to have lowerrates of mood disorders and anxiety disorders than pregnant women that do not practicetheir religion.
  11. 11. Introdução1. Expõe adequadamente o fundamento teórico da pesquisa.2. Introdução, importância de estudar a situação/doença, lacuna da literatura, o que este estudo tem que os estudos anteriores não tem.3. Hipótese de pesquisa4. Objetivos
  12. 12. Problemas mais comuns:3.Introdução muito longa4.Demorar muito para chegar na questão depesquisa.3. Não entender qual é o público-alvo4. Não priorizar a literatura realmente relevante.5. Não fornecer claramente uma justificativa parao estudo.6. Não citar hipótese/ objetivo
  13. 13. Metodologia◦ População em estudo◦ Desenho do estudo◦ Amostra◦ Procedimentos◦ Aspectos Éticos◦ Análise Estatística
  14. 14. Erros comuns◦ Seção muito curta, vaga ou pouco explicada◦ Desenho do estudo confuso◦ Tentar “maquiar” fragilidades◦ Procedimentos pouco explicados◦ Inclusão de variáveis que não se relacionam aos objetivos◦ Análise Estatística não segue objetivos◦ Juntar achados que não se relacionam◦ Misturar métodos com resultados
  15. 15. Resultados◦ Sumarizar os achados◦ Tabela 1 com características demográficas e clínicas da população estudada◦ Relatar sem discutir em detalhes os resultados encontrados◦ Usar tabela ou gráfico◦ Mencionar os testes estatísticos usados na análise
  16. 16. ResultadosErros comuns: - Duplicidade da informação: texto, tabela e gráfico. - Misturar resultados e discussão - Não mencionar os testes estatísticos utilizados - Interpretação errônea da estatística
  17. 17. TabelasMaior quantidade de informação que um gráfico.Gráfico não fica visualmente interessante ou factível.Quando o leitor ESPERA encontrar uma tabela (ex.: tabela1 com descrição da amostra).
  18. 18. GráficosQuantidade (se não envolver quantidades= Diagrama,Figura ou Fotografia)Mais intuitivo que textos e tabelas.Há um tipo para cada tipo de informação.Importante: gráficos são sempre acessórios!
  19. 19. Discussão◦ A hipótese foi confirmada ou rejeitada?◦ Os resultados são discutidos◦ Os resultados são comparados aos de outros trabalhos◦ Quais as limitações do trabalho? E seus pontos fortes?◦ É possível generalizar os dados do trabalho? Qual aplicação prática?
  20. 20. DiscussãoProblemas3.Muito curta4.Discute em uma ordem diferente da apresentação dosresultados (“pontes” com os resultados: “Os níveis maisbaixos do BDNF na mania sugerem ....”)5.Subestima limitações6.Não raciocina a respeito dos achados7.Não se posiciona
  21. 21. Escolha da Revista1. Escopo2. Audiência3. Fator de Impacto
  22. 22. FI= N de citações de artigos da revista N total de artigos publicadosLimitações: - Algumas revistas “inflam” o FI reduzindo o número de artigospublicados. - Alguns artigos serão citados apenas muitos anos mais tarde. - Acesso livre - Indexação em bases de dados - Revisão versus originais - Número médio de citações do assunto
  23. 23. http://theagenda.tvo.org/story/preventing-and-curing-m
  24. 24. Recomendações Gerais2.Cuidado com as palavras! - Termos ofensivos - Traduções incorretas - Siglas estranhas ou pouco usuais - Ortografia 2. Cuidado com as frases! - voz passiva - frases muito longas - ligação entre orações - ênfase na parte da frase que interessa 3. Cuidado com os parágrafos - parágrafos de uma frase só - fluxo lógico - subtítulos

×