Teoria Do Desenvolvimento Humano Uniube

101,778 views

Published on

Published in: Education
4 Comments
31 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
101,778
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
942
Actions
Shares
0
Downloads
2,433
Comments
4
Likes
31
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Teoria Do Desenvolvimento Humano Uniube

  1. 1. ASPECTOS DO DESENVOLVIMENTO HUMANO JEAN PIAGET VYGOTSKY
  2. 2. <ul><li>Vários fatores indissociados e em constante interação afetam todos os aspectos do desenvolvimento humano, são eles: </li></ul><ul><li>Hereditariedade: </li></ul><ul><li>  A carga genética estabelece o potencial do indivíduo, que pode ou não se desenvolver. </li></ul>FATORES QUE INFLUENCIAM O DESENVOLVIMENTO HUMANO
  3. 3. <ul><li>Crescimento orgânico: </li></ul><ul><li>Refere-se ao aspecto físico. </li></ul><ul><li>  Maturação neurofisiológica: </li></ul><ul><li>É o que torna possível determinado padrão de comportamento. </li></ul><ul><li>Meio: </li></ul><ul><li>O conjunto de influências e estimulações ambientais altera os padrões de comportamento do indivíduo. </li></ul>
  4. 4. ASPECTOS DO DESENVOLVIMENTO HUMANO <ul><li>O desenvolvimento humano deve ser entendido como uma globalidade, mas para efeito de estudo, tem sido abordado a partir de quatro aspectos básicos (todos os aspectos se relacionam permanentemente): </li></ul>
  5. 5. <ul><li>Aspecto físico-motor : refere-se ao crescimento orgânico, à maturação neurofisiológica, à capacidade de manipulação de objetos e de exercício do próprio corpo. EX: a criança leva a chupeta à boca ou consegue tomar a mamadeira sozinha, por volta dos 7 meses, porque já coordena os movimentos das mãos. </li></ul><ul><li>Aspecto intelectual: é a capacidade de pensamento, raciocínio. </li></ul><ul><li>EX: a criança de 2 anos que usa um cabo de vassoura para puxar um brinquedo que está embaixo de um móvel. </li></ul>
  6. 6. <ul><li>Aspecto afetivo-emocional: é o modo particular de o indivíduo integrar suas experiências. É o sentir. A sexualidade faz parte desse aspecto. </li></ul><ul><li>EX: a vergonha em algumas situações, o medo em outras, a alegria de rever um amigo. </li></ul><ul><li>Aspecto Social: é a maneira como o indivíduo reage diante das situações que envolvem outras pessoas. </li></ul><ul><li>Ex: em um grupo de crianças no parque, é possível observar algumas que espontaneamente buscam outras para brincar, e algumas que permanecem sozinhas. </li></ul>
  7. 7. <ul><li>Piaget acredita que o desenvolvimento humano se faz através de estágios, que se sucedem na mesma ordem em todos os indivíduos. </li></ul><ul><li>E todas as pessoas, desde que tenham um desenvolvimento normal, passam por estas fases, na mesma ordem, embora possam variar as idades. </li></ul><ul><li>Os principais períodos do desenvolvimento humano, segundo Piaget são: </li></ul><ul><li>Sensório-motor (0 – 2 anos); </li></ul><ul><li>Pré-operatório ( 2 – 7 anos); </li></ul><ul><li>Operações Concretas ( 7 a 11 ou 12 anos); </li></ul><ul><li>Operações Formais (11 ou 12 anos em diante </li></ul>
  8. 8. <ul><li>Período sensório-motor - 0 a 2 anos </li></ul><ul><li>Esse período diz respeito ao desenvolvimento do recém-nascido e do lactente. </li></ul><ul><li>É a fase em que predomina o desenvolvimento das percepções e dos movimentos. </li></ul><ul><li>A criança nesse período aprende a andar e a tomar alimentos sólidos. </li></ul><ul><li>Aprende a falar e a controlar o processo de eliminação de produtos excretórios. </li></ul>
  9. 9. <ul><li>Aprende a diferença básica entre os sexos e alcança estabilidade fisiológica. </li></ul><ul><li>Forma conceitos sobre a realidade física e social, aprende as formas básicas do relacionamento emocional e adquiri as bases de um sistema de valores. </li></ul><ul><li>Nesse período acontece a aquisição da linguagem articulada, cujo processo se completará no período pré-operacional; o desenvolvimento emocional, através do qual o indivíduo deixa de funcionar em nível puramente biológico e passa ao processo de socialização dos seus próprios atributos fisiológicos e a aquisição do senso moral, que permite ao indivíduo a formulação de um sistema de valores. </li></ul>
  10. 10. <ul><li>Período pré-operatório - 2 a 7 anos </li></ul><ul><li>Corresponde ao período pré-escolar, considerado a idade áurea da vida, pois é nesse período que o organismo se torna estruturalmente capacitado para o exercício de atividades psicológicas mais complexas, como o uso da linguagem articulada. </li></ul><ul><li>De acordo com Piaget, o período pré-operacional é dividido em dois estágios: de dois a quatro anos de idade (período simbólico), em que a criança se caracteriza pelo pensamento egocêntrico, e dos quatro aos sete anos (período intuitivo), em que ela se caracteriza pelo pensamento intuitivo. </li></ul>
  11. 11. <ul><li>A criança deste estágio: </li></ul><ul><li>É egocêntrica, centrada em si mesma, e não consegue se colocar, abstratamente, no lugar do outro. </li></ul><ul><li>Não aceita a idéia do acaso e tudo deve ter uma explicação (é fase dos &quot;por quês&quot;). </li></ul><ul><li>Já pode agir por simulação, &quot;como se&quot;. </li></ul><ul><li>Possui percepção global sem discriminar detalhes. </li></ul><ul><li>Deixa se levar pela aparência sem relacionar fatos. </li></ul>
  12. 12. <ul><li>Período das Operações Concretas - 8 a 11 anos </li></ul><ul><li>É a fase escolar. Nesta fase da vida, o crescimento físico é mais lento do que em fases anteriores, as diferenças resultantes do fator sexo começam a se acentuar mais nitidamente. </li></ul><ul><li>Neste estágio a criança desenvolve noções de tempo, espaço, velocidade, ordem, casualidade, sendo então capaz de relacionar diferentes aspectos e abstrair dados da realidade. </li></ul><ul><li>Apesar de não se limitar mais a uma representação imediata, depende do mundo concreto para abstrair. </li></ul>
  13. 13. <ul><li>Um aspecto importante neste estágio refere-se ao aparecimento da capacidade da criança de interiorizar as ações, ou seja, ela começa a realizar operações mentalmente e não mais apenas através de ações físicas típicas da inteligência sensório-motora. </li></ul><ul><li>EX: (se lhe perguntarem, por exemplo, qual é a vareta maior, entre várias, ela será capaz de responder acertadamente comparando-as mediante a ação mental, ou seja, sem precisar medi-las usando a ação física). </li></ul>
  14. 14. <ul><li>Período das Operações Formais </li></ul><ul><li>(12 anos em diante) </li></ul><ul><li>Nesta fase a criança, ampliando as capacidades conquistadas na fase anterior, já consegue raciocinar sobre hipóteses na medida em que ela é capaz de formar esquemas conceituais abstratos e através deles executar operações mentais dentro de princípios da lógica formal. </li></ul><ul><li>Com isso, a criança adquire &quot;capacidade de criticar os sistemas sociais e propor novos códigos de conduta: discute valores morais de seus pais e constrói os seus próprios (adquirindo, portanto, autonomia)&quot;. </li></ul>
  15. 15. <ul><li>De acordo com a tese piagetiana, ao atingir esta fase, o indivíduo adquire a sua forma final de equilíbrio , ou seja, ele consegue alcançar o padrão intelectual que persistirá durante a idade adulta. </li></ul><ul><li>Isso não quer dizer que ocorra uma estagnação das funções cognitivas, a partir do ápice adquirido na adolescência, esta será a forma predominante de raciocínio utilizada pelo adulto. </li></ul><ul><li>Seu desenvolvimento posterior consistirá numa ampliação de conhecimentos tanto em extensão como em profundidade, mas não na aquisição de novos modos de funcionamento mental. </li></ul>
  16. 16. VYGOTSKY Enfoque interacionista do desenvolvimento humano. <ul><li>Vygotsky (professor russo, socio-interacionista) que percebia o homem como um ser ativo, cidadão, com possibilidade de ser, conseqüência dessas relações advindas de fora (meio) para dentro (eu). </li></ul><ul><li>O desenvolvimento infantil é visto a partir de três aspectos: </li></ul><ul><li>Instrumental; </li></ul><ul><li>Cultural; </li></ul><ul><li>Histórico. </li></ul>
  17. 17. <ul><li>1- Aspecto instrumental: respondemos aos estímulos apresentados nos ambientes, como também alteramos e usamos suas modificações como instrumento de nosso comportamento. EX:(amarrar laço no dedo: lembrar algo importante). </li></ul><ul><li>2 - Aspecto Cultural: envolve os meios socialmente estruturados pelos quais a sociedade organiza os tipos de tarefa que a criança em crescimento enfrenta, e os tipos de instrumento, tanto mentais como físicos, de que a criança pequena dispõe para dominar aquelas tarefas, um dos instrumentos criados pela humanidade foi a linguagem, (por isso sua ênfase na linguagem e sua relação com o pensamento). </li></ul><ul><li>3 - Aspecto Histórico : funde-se com o cultural pois os instrumentos que o homem usa, para dominar seu ambiente e seu próprio comportamento, foram criados e modificados ao longo da história social da civilização. </li></ul>
  18. 18. <ul><li>PIAGET E VYGOTSKY - Diferenças e semelhanças   </li></ul><ul><li>É possível afirmar que tanto Piaget como Vygotsky concebem a criança como um ser ativo, atento, que constantemente cria hipóteses sobre o seu ambiente. </li></ul><ul><li>Há, no entanto, algumas diferenças na maneira de conceber o processo de desenvolvimento. : </li></ul><ul><li>A) QUANTO AO PAPEL DOS FATORES INTERNOS E EXTERNOS NO DESENVOLVIMENTO. </li></ul><ul><li>Piaget privilegia a maturação biológica; Vygotsky, o ambiente histórico-social, no entanto não fala e nem despreza a maturação. </li></ul><ul><li>B) QUANTO À CONSTRUÇÃO REAL. </li></ul><ul><li>Piaget acredita que os conhecimentos são elaborados espontaneamente pela criança, de acordo com o estágio de desenvolvimento em que esta se encontra; Vygotsky discorda de que a construção do conhecimento proceda do individual para o social, os adultos são modelos para as crianças. </li></ul>
  19. 19. <ul><li>C) QUANTO AO PAPEL DA APRENDIZAGEM. </li></ul><ul><li>Piaget acredita que a aprendizagem subordina-se ao desenvolvimento e tem pouco impacto sobre ele. Com isso, ele minimiza o papel da interação social. Vygotsky, ao contrário, postula que desenvolvimento e aprendizagem são processos que se influenciam reciprocamente, de modo que, quanto mais aprendizagem, mais desenvolvimento. </li></ul><ul><li>D) QUANTO AO PAPEL DA LINGUAGEM NO DESENVOLVIMENTO E Á RELAÇÃO ENTRE LINGUAGEM E PENSAMENTO. </li></ul><ul><li>Segundo Piaget, o pensamento aparece antes da linguagem, que apenas é uma das suas formas de expressão. </li></ul><ul><li>Já para Vygotsky, pensamento e linguagem são processos interdependentes, desde o início da vida. A aquisição da linguagem pela criança modifica suas funções mentais superiores: ela dá uma forma definida ao pensamento, possibilita o aparecimento da imaginação, o uso da memória e o planejamento da ação. Neste sentido, a linguagem, diferentemente daquilo que Piaget postula, sistematiza a experiência direta das crianças e por isso adquire uma função central no desenvolvimento cognitivo, reorganizando os processos que nele estão em andamento. </li></ul>
  20. 20. <ul><li>ALUNAS: </li></ul><ul><li>Eliane Aparecida de Almeida </li></ul><ul><li>Hendre Heveline de Oliveira </li></ul><ul><li>Karina Aparecida Martins </li></ul><ul><li>Renata Luciana Prado França </li></ul><ul><li>Simone Angélica de Paula </li></ul><ul><li>REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS </li></ul><ul><li>BOCK, Ana Mercês Bahia. Psicologias: uma introdução ao estudo da psicologia. 13 ed. São Paulo: Saraiva, 2002. </li></ul><ul><li>OLIVEIRA, Marta Khol de. Vygotsky: aprendizado e desenvolvimento: um processo sócio histórico. São Paulo: Scipione, 1997. (Pensamento e Ação no magistério) </li></ul>

×