Mini curso redes_computadores

2,858 views

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
2,858
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
289
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Mini curso redes_computadores

  1. 1. CURSO LIVRE Mini Curso de Redes de Computadores Prof. Eng. Igor Souza Email: igorjsouza@hotmail.com / igorjsouza@gmail.com
  2. 2. Apresentação & Expectativas
  3. 3. <ul><li>Este mini curso tem a finalidade de apresentar a o conceito de redes de computadores, as tecnologias de telecomunicação via cabeamento estruturado e sem fio (wireless) no padrão IEEE 802. </li></ul><ul><li>Terão noções básicas de protocolos de comunicação, tipos de cabeamento, dispositivos de redes, etc. </li></ul><ul><li>Dispositivos existentes no mercados e suas marcas , configuração e verifação de conectivade em sistemas operacionais Windows e Linux. </li></ul>
  4. 4. O que é Redes de Computadores!?
  5. 6. depósito Matriz Filial Fábrica
  6. 7. <ul><li>Uma  rede de computadores consiste em 2 ou mais computadores e outros dispositivos interligados entre si de modo a poderem compartilhar recursos físicos e lógicos , estes podem ser do tipo: dados, impressoras, mensagens (e-mails),entre outros. </li></ul><ul><li>A Internet é um amplo sistema de comunicação que conecta muitas redes de computadores. </li></ul>
  7. 9. <ul><li>Existem várias formas e recursos de vários equipamentos que podem ser interligados e compartilhados, mediante meios de acesso, protocolos e requisitos de segurança. </li></ul><ul><li>Os meios de comunicação podem ser: linhas telefônicas, cabo ou satélite ou comunicação sem fios. </li></ul>
  8. 11. Classificação
  9. 12. <ul><li>Segundo a Arquitetura de Rede: </li></ul><ul><ul><li>Arcnet (Attached Resource Computer Network); </li></ul></ul><ul><ul><li>Ethernet; </li></ul></ul><ul><ul><li>Token ring; </li></ul></ul><ul><ul><li>FDDI (Fiber Distributed Data Interface); </li></ul></ul><ul><ul><li>ISDN (Integrated Service Digital Network); </li></ul></ul><ul><ul><li>Frame Relay; </li></ul></ul><ul><ul><li>ATM (Asynchronous Transfer Mode); </li></ul></ul><ul><ul><li>X.25; </li></ul></ul><ul><ul><li>DSL (Digital Subscriber Line); </li></ul></ul>
  10. 13. <ul><li>Ethernet – Par Trançado </li></ul>FDDI – Fibra Óptica DSL Token Ring X.25
  11. 14. <ul><li>Segundo a extensão geográfica: </li></ul><ul><ul><li>SAN (Storage Area Network) </li></ul></ul><ul><ul><li>LAN (Local Area Network) </li></ul></ul><ul><ul><li>PAN (Personal Area Network) </li></ul></ul><ul><ul><li>MAN (Metropolitan Area Network) </li></ul></ul><ul><ul><li>WLAN (Wireless Local Area Network) </li></ul></ul><ul><ul><li>WMAN Wireless Metropolitan Area Network, é uma rede sem fio de maior alcance em relação a WLAN </li></ul></ul><ul><ul><li>WAN (Wide Area Network) </li></ul></ul><ul><ul><li>WWAN Wireless Wide Area Network, é uma rede sem fio de maior alcance em relação a WAN </li></ul></ul><ul><ul><li>RAN (Regional Area Network) </li></ul></ul><ul><ul><li>CAN (Campus Area Network) </li></ul></ul>
  12. 15. <ul><li>LAN </li></ul>WAN WLAN
  13. 17. <ul><li>Segundo a topologia: </li></ul><ul><ul><li>Rede em anel (Ring) </li></ul></ul><ul><ul><li>Rede em barramento (Bus) </li></ul></ul><ul><ul><li>Rede em estrela (Star) </li></ul></ul><ul><ul><li>Rede em malha (Mesh) </li></ul></ul><ul><ul><li>Rede em ponto-a-ponto </li></ul></ul>
  14. 18. <ul><li>Anel </li></ul>Barramento Estrela Ponto a Ponto Malha
  15. 19. <ul><li>Segundo o meio de transmissão: </li></ul><ul><ul><li>Rede por cabo </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Rede de Cabo coaxial </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Rede de Cabo de fibra óptica </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Rede de Cabo de par trançado </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Rede sem fios </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Rede por infravermelhos </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Rede por microondas </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Rede por rádio </li></ul></ul></ul>
  16. 20. Coaxial Fibra Óptica Par Trançado
  17. 21. Sem Fio (Wireless)
  18. 22. Dispositivos de Rede
  19. 23. Adaptadores de Rede ou Placa de Rede ou NIC
  20. 24. <ul><li>Placa de rede (também chamada adaptador de rede ou NIC) é um dispositivo de hardware responsável pela comunicação entre os computadores em uma rede . </li></ul><ul><li>A placa de rede é o hardware que permite aos computadores conversarem entre si através da rede. Sua função é controlar todo o envio e recebimento de dados através da rede. Cada arquitetura de rede exige um tipo específico de placa de rede; sendo as arquiteturas mais comuns a rede em anel Token Ring e a tipo Ethernet. </li></ul><ul><li>Além da arquitetura usada, as placas de rede à venda no mercado diferenciam-se também pela taxa de transmissão, cabos de rede suportados e barramento utilizado (On-Board, PCI, ISA ou Externa via USB). As placas de rede para Notebooks podem ser on-board ou PCMCIA. </li></ul>
  21. 25. <ul><li>Quanto à taxa de transmissão, temos placas Ethernet de 10 Mbps / 100 Mbps / 1000 Mbps e placas Token Ring de 4 Mbps e 16 Mbps. Como vimos no trecho anterior, devemos utilizar cabos adequados à velocidade da placa de rede. </li></ul><ul><li>Usando placas Ethernet de 10 Mbps, por exemplo, devemos utilizar cabos de par trançado de categoria 3 ou 5, ou então cabos coaxiais . Usando uma placa de 100 Mbps o requisito mínimo a nível de cabeamento são cabos de par trançado blindados nível 5. </li></ul>
  22. 26. Adaptador de rede sem fio Adaptador de rede Ethernet
  23. 27. Brigde (Ponte)
  24. 28. <ul><li>Bridge ou ponte  é o termo utilizado em informática para designar um dispositivo que liga duas ou mais redes informáticas que usam protocolos distintos ou iguais ou dois segmentos da mesma rede que usam o mesmo protocolo, por exemplo,  ethernet ou token ring . </li></ul><ul><li>Bridges servem para interligar duas redes, como por exemplo ligação de uma rede de um edificio com outro.Uma bridge é um segmento livre entre rede, entre o servidor e o cliente(tunel), possibilitando a cada usuário ter sua senha independente. </li></ul>
  25. 30. HUB (Concentrador)
  26. 31. <ul><li>Hub (do Inglês, &quot;transmitir&quot;) ou concentrador é o processo pelo qual se transmite ou difunde determinada informação, tendo como principal característica que a mesma informação está sendo enviada para muitos receptores ao mesmo tempo. </li></ul><ul><li>Este termo é utilizado em rádio, telecomunicações e em informática. </li></ul>
  27. 33. Switch (Comutador)
  28. 34. <ul><li>Comutador ou  switch  é um dispositivo utilizado em redes de computadores para reencaminhar módulos ( frames ) entre os diversos nós. </li></ul><ul><li>Possuem portas, assim como os concentradores ( hubs ) e a principal diferença entre um comutador e um concentrador, é que o comutador segmenta a rede internamente, sendo que a cada porta corresponde um domínio de colisão diferente, o que significa que não haverá colisões entre os pacotes de segmentos diferentes — ao contrário dos  concentradores , cujas portas partilham o mesmo domínio de colisão. </li></ul>
  29. 35. <ul><li>Outra importante diferença está relacionada à gestão da rede, com um switch gerenciável, podemos criar VLANS, deste modo a rede gerida será divida em menores segmentos. </li></ul>
  30. 37. Router (Roteador)
  31. 38. <ul><li>Roteador (do inglês  router , ou encaminhador) é um equipamento usado para fazer a comutação de protocolos, a comunicação entre diferentes redes de computadores provendo a comunicação entre computadores distantes entre si. </li></ul>
  32. 39. <ul><li>Roteadores são dispositivos que operam na camada 3 do modelo OSI de referência. </li></ul><ul><li>A principal característica desses equipamentos é selecionar a rota mais apropriada para encaminhar os pacotes recebidos. </li></ul><ul><li>Ou seja, escolher o melhor caminho disponível na rede para um determinado destino. </li></ul>
  33. 41. Alguns dos importantes fabricantes de dispositivos para rede de computadores
  34. 43. Equipamentos e Instrumentos de medida
  35. 45. Algumas definições importantes...
  36. 46. <ul><li>Grupo de Trabalho </li></ul><ul><li>É um pequeno grupo de computadores em rede que trabalham juntos sem a necessidade de administração centralizada e possuí as características de recursos, administração e autenticação de usuário focados e executados em cada computador pertencente ao grupo. </li></ul><ul><li>Cada micro tem seu próprio banco de dados SAM (Security Accounts Manager) que é o banco responsável pela segurança local das contas de usuário. </li></ul>
  37. 49. <ul><li>Dominio </li></ul><ul><li>É  um agrupamento lógico de computadores em rede que compartilham recursos em um banco de dados de segurança comum onde a administração e autenticação são centralizadas. </li></ul><ul><li>Existe um diretório onde todas as contas de usuário são armazenadas, este banco é chamado de Active Directory e um usuário precisa somente de uma conta para ter acesso ao mesmo e obter recursos compartilhados no domínio. </li></ul><ul><li>Os  domínios apresentam grande facilidade de administração e controle, e são expansíveis (escaláveis), podendo suportar desde pequenos grupos até milhares de estações. </li></ul>
  38. 52. <ul><li>Servidor </li></ul><ul><li>É um sistema de computação que fornece serviços a uma rede de computadores. Esses serviços podem ser de natureza diversa, como por exemplo, arquivos e correio eletrônico . </li></ul><ul><li>Os computadores que acessam os serviços de um servidor são chamados clientes. </li></ul>
  39. 53. <ul><li>As redes que utilizam servidores são do tipo cliente-servidor, utilizadas em redes de médio e grande porte (com muitas máquinas) e em redes onde a questão da segurança desempenha um papel de grande importância . </li></ul><ul><li>O termo servidor é largamente aplicado a computadores completos, embora um servidor possa equivaler a um software ou a partes de um sistema computacional, ou até mesmo a uma máquina que não seja necessariamente um computador. </li></ul>
  40. 55. Arquitetura TCP/IP
  41. 56. <ul><li>TCP/IP é um conjunto de protocolos de comunicação entre computadores em rede (também chamado de pilha de protocolos TCP/IP). Seu nome vem de dois protocolos: o TCP (Transmission Control Protocol - Protocolo de Controle de Transmissão) e o IP (Internet Protocol - Protocolo de Interconexão). </li></ul><ul><li>O conjunto de protocolos pode ser visto como um modelo de camadas, onde cada camada é responsável por um grupo de tarefas, fornecendo um conjunto de serviços bem definidos para o protocolo da camada superior. As camadas mais altas estão logicamente mais perto do usuário (chamada camada de aplicação) e lidam com dados mais abstratos, confiando em protocolos de camadas mais baixas para tarefas de menor nível de abstração. </li></ul>
  42. 58. Protocolos de Comunicação
  43. 59. IP – Internet Protocol (Protocolo de Internet)
  44. 60. <ul><li>IP - Internet Protocol (Protocolo de Internet) - é um protocolo usado entre duas ou mais máquinas em rede para encaminhamento dos dados e está localizada na camada de rede; encontrado na internet pública dos dias de hoje. É descrito no RFC 791 da IETF, que foi pela primeira vez publicado em Setembro de 1981; </li></ul><ul><li>Os dados numa rede IP são enviados em blocos referidos como pacotes ou datagramas. Oferece um serviço de datagramas não confiável, significa que a troca de pacotes é feito de forma mais simplificada; </li></ul><ul><li>Versões do protocolo: </li></ul><ul><ul><li>Versão 4 ou IPv4, tem endereçamento de origem e destino de 32 bits; </li></ul></ul><ul><ul><li>Versão 6 ou IPv6, tem endereçamento de origem e destino de 128 bits. </li></ul></ul>
  45. 61. <ul><li>Endereçamento define como os endereços IP dos hosts finais são atribuídos e como as subredes dos endereços de IP dos hosts são divididos e agrupados; </li></ul><ul><li>Encaminhamento IP é feito por todos os hosts, mas mais comumente por roteadores de rede, que tipicamente usam os protocolos IGP ( Interior Gateway Protocol ) ou EGP ( External Gateway Protocol ) para ajudar na leitura de datagramas IP que reencaminhem decisões através de IPs em redes ligadas. </li></ul>
  46. 62. <ul><li>Endereço IP – é um conjunto de números que representa o local de um determinado equipamento (normalmente computadores) em uma rede privada ou públic. Para facilitar o uso pelas pessoas, utiliza-se a forma de endereços de domínio, tal como www.sp.senac.br/barretos; </li></ul><ul><li>Cada endereço de domínio é convertido em um endereço IP pelo DNS ( Domain Name System - Sistema de Nomes de Domínios). Este processo de conversão é conhecido como resolução de nomes de domínio. Um endereço IP não identifica uma máquina individual, mas uma conexão à inter-rede. </li></ul>
  47. 63. <ul><li>Originalmente, o espaço do endereço IP foi dividido em poucas estruturas de tamanho fixo chamados de &quot;classes de endereço&quot;. As três principais são a classe A, classe B e classe C. Examinando os primeiros bits de um endereço, o software do IP consegue determinar rapidamente qual a classe, e logo, a estrutura do endereço. </li></ul>Classes dos Endereços IP Classe Faixa de endereços de IP Notação CIDR Número de Redes Número de IPs IPs por rede Classe A 10.0.0.0 – 10.255.255.255 10.0.0.0/8 126 16.777.215 16.777.216 Classe B 172.16.0.1 – 172.31.255.254 172.16.0.0/12 16.382 1.048.576 65 534 Classe C 192.168.0.0 – 192.168.255.255 192.168.0.0/16 2.091.150 65.535 256
  48. 64. Portas ou Serviços
  49. 65. <ul><li>Está associado a um serviço (camada aplicação)/ligação específica. Cada um dos intervenientes na conexão dispõe de uma porta associada a um valor de 16 bit que dificilmente será o mesmo do interlocutor; </li></ul><ul><li>Alguns serviços são tipicamente acessíveis em portas fixas, conhecidas como portas bem conhecidas , que são aqueles numerados do 1 ao 1023. Existem ainda duas gamas de portas, registradas e privadas ou dinâmicas, são atribuídas pela Internet Assigned Numbers Authority (IANA), tipicamente utilizados por processos com direitos de sistema. Nestas portas encontram-se os serviços triviais, como HTTP, SSH, FTP, etc; </li></ul><ul><li>A gama de portas privadas segue regras de atribuição específicas do sistema operativo e serve para abrir ligações a outras máquinas, como surfar na rede , por exemplo. </li></ul>
  50. 66. DHCP
  51. 67. <ul><li>DHCP Dynamic Host Configuration Protocol , é um protocolo de serviço TCP /IP que oferece configuração dinâmica de terminais, com concessão de endereços IP de host e outros parâmetros de configuração para clientes de rede; </li></ul>
  52. 68. <ul><li>O DHCP opera da seguinte forma: </li></ul><ul><ul><li>Um cliente envia um pacote UDP em broadcast (destinado a todas as máquinas) com um pedido DHCP </li></ul></ul><ul><ul><li>Os servidores DHCP que capturarem este pacote irão responder (se o cliente se enquadrar numa série de critérios — ver abaixo) com um pacote com configurações onde constará, pelo menos, um endereço IP, uma máscara de rede e outros dados opcionais, como o gateway, servidores de DNS, etc. </li></ul></ul><ul><li>Usa um modelo cliente-servidor, no qual o servidor DHCP mantém o gerenciamento centralizado dos endereços IP usados na rede. </li></ul>
  53. 69. <ul><li>O DHCP oferece três tipos de alocação de endereços IP: </li></ul><ul><ul><li>Atribuição manual -> existe uma tabela de associação entre o Endereço MAC do cliente (comparado através do pacote broadcast recebido) e o endereço IP (e restantes dados) a fornecer. Esta associação é feita manualmente pelo administrador de rede ; por conseguinte, apenas os clientes cujo MAC consta nesta lista poderão receber configurações desse servidor; </li></ul></ul><ul><ul><li>Atribuição automática -> o cliente obtém um endereço de um espaço de endereços possíveis, especificado pelo administrador. Geralmente não existe vínculo entre os vários MAC habilitados a esse espaço de endereços; </li></ul></ul><ul><ul><li>Atribuição dinâmica -> O único método que dispõe a reutilização dinâmica dos endereços. O administrador disponibiliza um espaço de endereços possíveis, e cada cliente terá o software TCP/IP da sua interface de rede configurados para requisitar um endereço por DHCP assim que a máquina arranque. A alocação utiliza um mecanismo de aluguel do endereço, caracterizado por um tempo de vida. Após a máquina se desligar, o tempo de vida naturalmente irá expirar, e da próxima vez que o cliente ligar, o endereço provavelmente será outro. </li></ul></ul>
  54. 70. Máscara de Sub-Rede
  55. 71. Sub-rede <ul><li>É uma divisão de uma rede de computadores. A divisão de uma rede grande em redes menores resulta num tráfego de rede reduzido, administração simplificada e melhor performance de rede. </li></ul><ul><li>Para criar sub-redes, qualquer máquina tem que ter uma máscara de sub-rede que define que parte do seu endereço IP será usado como identificador da sub-rede e como identificador do host. </li></ul>
  56. 72. <ul><li>Uma máscara de subrede também conhecida como subnet mask ou netmask é um número de 32 bits usada para separar em um IP a parte correspondente à rede pública, à subrede e aos hosts. </li></ul>Máscara de rede
  57. 73. <ul><li>Pode tanto significar o endereço lógico, ou seja o endereço da camada de rede – tal como o endereço IP, como o primeiro endereço (endereço base) de um endereço da faixa de endereços reservada a uma organização. </li></ul><ul><li>O endereço de rede é único e pode ser dinâmico ou estático. Este endereço permite ao dispositivo se comunicar com outros dispositivos conectados à rede. Para facilitar o roteamento os endereços são divididos em duas partes: </li></ul><ul><ul><li>endereço (número) da rede: que identifica toda a rede/subrede: o endereço de todos os nós de uma subrede começam com a mesma seqüência. </li></ul></ul><ul><ul><li>endereço (número) do host: que identifica uma ligação a uma máquina em particular ou uma interface desta rede. </li></ul></ul>Endereços de Rede e Endereços Lógicos
  58. 74. <ul><li>Consistem de endereços de 32 bits divididos em 4 octetos e uma máscara de subrede do mesmo tamanho. Há três tipos de redes &quot;classful&quot;: </li></ul>Classes IPv4 <ul><li>Uma rede “classful” é uma rede que possui uma máscara de rede 255.0.0.0, 255.255.0.0 ou 255.255.255.0. </li></ul>Classe Bits iniciais Início Fim Máscara de Subrede padrão Notação CIDR A 0 1.0.0.1 126.255.255.254 255.0.0.0 /8 B 10 128.0.0.1 191.255.255.254 255.255.0.0 /16 C 110 192.0.0.1 223.255.255.254 255.255.255.0 /24
  59. 75. Exemplo Endereço decimal Binário Endereço completo 192.168.5.10 11000000.10101000.00000101.00001010 Máscara da subrede 255.255.255.0 11111111.11111111.11111111.00000000 Porção da rede 192.168.5.0 11000000.10101000.00000101.00000000
  60. 76. Agora é partir para a prática!

×