Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Modelo elaboracao tcc_monografia_2016

282 views

Published on

TCC

Published in: Marketing
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Modelo elaboracao tcc_monografia_2016

  1. 1. Campina Grande 2016 ANTONIO FRANKLIN DE MEDEIROS JUNIOR CARLOS EDUARDO DE BARROS FREIRE EDINALDO LOPES DA CRUZ LUCIANO WANDERLEY FARIAS FREITAS WELLINGTON DOUGLAS BABROZA DOS SANTOS SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PROGRAMAÇÃO DA FORMATURA DO CURSO DE ADS UTILIZANDO O SIE –SISTEMA DE INFORMAÇÃO ESTRATÉGICA
  2. 2. Campina Grande 2016 PROGRAMAÇÃO DA FORMATURA DO CURSO DE ADS UTILIZANDO O SIE – SISTEMA DE INFORMAÇÃO ESTRATÉGICA Trabalho de desenvolvimento do Estudo de Caso Programação da Formatura do Curso de ADS Utilizando o SIE- Sistema de Informação Estratégica, apresentado à Universidade Norte do Paraná - UNOPAR, como requisito para a obtenção de média bimestral nas disciplinas de Sistemas de Computação e Informação, Interação Humano-Computador, Segurança da Informação. Orientadores: Marco Ikuro Hisatomi; Merris Mozer Adriane Loper Claudiane R. Balan ANTONIO FRANKLIN DE MEDEIROS JUNIOR CARLOS EDUARDO DE BARROS FREIRE EDINALDO LOPES DA CRUZ LUCIANO WANDERLEY FARIAS FREITAS WELLINGTON DOUGLAS BABROZA DOS SANTOS
  3. 3. LISTA DE FIGURAS
  4. 4. LISTA DE TABELAS
  5. 5. SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO...........................................................................................................8 5.CONCLUSÃO.........................................................................................................26 REFERÊNCIAS..........................................................................................................27 ANEXOS....................................................................................................................29
  6. 6. 1 INTRODUÇÃO Na atualidade o mundo vive na era da informação, exigindo das organizações uma gestão estratégica eficiente, a qual pode ser facilitada pela utilização de recursos inteligentes oferecidos pela tecnologia de informação e sistemas de informação. A tecnologia da informação inovou o mundo dos negócios. Os processos empresariais precisam ser dotados de confiabilidade, eficiência e eficácia. A tecnologia da informação é utilizada para melhorar o desempenho das atividades da empresa, e por consequência apoiar os processos empresariais 1.1 OBJETIVO Tem-se como objetivo central no desenvolvimento deste trabalho, criar um protótipo de tela utilizando os conceitos de interface encontrados em IHC, para tanto será observado e analisado as características de design do ambiente cotidiano, isso é um modo de desenvolver uma sensibilidade ao mundo desenhado em que vivemos. Figura 1: Tela de Orçamento ( Protótipo) Fonte: Autor ( Sistema gálago) 8
  7. 7. 1.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS Trabalhar o conteúdo do eixo temático. Incentivar a interatividade entre os alunos. Auxiliar na aplicação dos conceitos estudados. Contextualizar uma situação do cotidiano. 1.3 JUSTIFICATIVA DE USO DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Dando sequência ao aprendizado, em Sistemas de Informações, Interação Humano-Computador, Segurança da Informação foi escolhido dois sistemas de Informação que servirá de base para o desenvolvimento desse trabalho: 1) Sistemas de Informações Estratégicas - SIE 2) Sistemas de Informação Gerencial - SIG 9
  8. 8. 2.DESENVOLVIMENTO O acesso à informação e a capacidade de, a partir desta, extrair e aplicar conhecimentos são vitais para uma empresa aumentar a capacidade de manter suas atividades comerciais e concorrer em um mercado sem fronteiras. As vantagens competitivas são agora obtidas através da utilização de redes de comunicação e sistemas de informação que interconectem empresas, clientes e fornecedores (Braga, 1996). Dentro de uma empresa, os sistemas de informação têm três papéis vitais: • suporte de seus processos e operações, auxiliando os indivíduos da administração operacional a executar e controlar as atividades de rotina da empresa; • suporte em suas estratégias em busca de vantagem competitiva, ajudando a monitorar e controlar os custos do trabalho e das tarefas e aplicando a tecnologia de informação aos produtos, serviços ou processos de negócios de uma empresa para ajudá-la a obter uma vantagem estratégica no mercado; • suporte no apoio às tomadas de decisões, fornecendo alternativas que facilitam a decisão final dos dirigentes e os auxiliam na resolução de problemas complexos. Luppi (2008) afirma que, devido à existência de diferentes interesses, especialidades e níveis em uma organização, são necessários diversos tipos de sistemas de informação, pois nenhum sistema individual pode atender todas as necessidades de uma empresa. E define quatro tipos principais de sistemas que atendem os diversos níveis organizacionais: - sistemas do nível operacional, que dão suporte a gerentes operacionais, tais como sistemas de controle de estoque, de faturamento; - sistemas do nível de conhecimento que envolvem as estações de trabalho e automação de escritório a fim de controlar o fluxo de documentos, tais como sistemas de correio eletrônico e gerenciamento de documentos; - sistemas do nível gerencial que atendem atividades de monitoração, controle, tomada de decisões e procedimentos administrativos dos gerentes médios, tais como sistemas de gestão de vendas, controle de inventário, orçamento anual, 10
  9. 9. análise de investimentos; e - sistemas de nível estratégico, que ajudam a gerência sênior a enfrentar questões e tendências, tanto no ambiente externo como interno a empresa, tais como análise de tendências de vendas, planejamento de operações a longo prazo, planejamento de curvas de lucro e investimento. Importante ressaltar que os componentes dos sistemas de informação são as pessoas que participam do processo de informação na empresa, as estruturas da empresa e suas informações, e as tecnologias de comunicação e informação. Esses componentes estão em um contexto mutável e dinâmico onde é gerada uma grande quantidade de informações interligadas por diversas técnicas e tecnologias. Para que todo esse contexto seja útil para a tomada de decisões, é necessário que os sistemas de informação tenham sido gerados no planejamento estratégico das empresas e tenham como principal foco o negócio da empresa. (Matsuda, 2001). Figura 2 – Sistemas de Informação Fonte: https://trabsi.files.wordpress.com/2011/05/sem-tc3adtulo.jpg 2.1 SIG – SISTEMAS DE INFORMAÇÕES ESTRATÉGICAS Nos cenários da era da informação é de vital importância compreender as melhores práticas e aplicações das áreas de sistemas de informação e tecnologia da informação nas empresas. O propósito básico da informação é o de habilitar a empresa a alcançar seus objetivos pelo uso eficiente dos recursos disponíveis, portanto, as informações podem decidir o futuro da organização. 11
  10. 10. Na corrida para atender às demandas do mercado, as empresas buscam soluções que as diferenciem aumentando a sua competitividade. Decisões rápidas e corretas são fundamentais para a empresa alcançar bons resultados. Faz- se necessário otimizar o planejamento e execução das atividades, sincronizar a cadeia de suprimentos e reduzir os custos operacionais para aumentar a satisfação dos seus clientes e a lucratividade do negócio. O Sistema de Informação Estratégica (SIE), apoia a alta diretoria filtrando as informações fundamentais e altamente estratégicas. Ele é utilizado para gerir a informação e assistir no processo de decisão estratégica. O SIE representa uma evolução dos Sistemas de Informação mediante a necessidade das empresas em aproveitar o máximo possível às informações recolhidas e processadas de forma a ganhar suas vantagens competitivas e redefinir os objetivos da empresa, reajustando-se às alterações ambientais. Num mundo globalizado, as organizações constantemente tentam realizar uma medição do seu nível de indicadores, levando em comparação um mercado ou um setor. Utilizam-se para obter estes dados muitas informações gráficas, amigáveis e normalmente on-line, onde se observa as particularidades de cada empresa e nível detalhado de cada informação. O monitoramento do ambiente através do SIE não implica necessariamente no uso de softwares sofisticados. O SIE é um conjunto de praticas e padrões para monitoração do ambiente e migração para uma base mais informatizada, que é a tendência natural devido ao grande volume de informações variáveis envolvidos na analise. É importante citar também, que o SIE coleta informações publicadas no ambiente interno e externo da empresa, dentro de um comportamento ético e moral. 2.1.1 As principais características e conceitos chaves do SIE: - Estabelecer objetivos estratégicos que possam melhorar a posição da organização, em oposição a objetivos genéricos, como o aumento de lucro ou redução de custos. - Avaliação da performance em termos dos objetivos estabelecidos e disponibilização da informação a quem toma as decisões estratégicas. 12
  11. 11. - Avaliação e gestão do capital intelectual, aptidões e experiência da força de trabalho das organizações. - Gestão baseada em Atividades, buscando avaliar clientes e projetos nos termos de seus custos e benefícios totais à organização. Muitas análises prévias da situação, podem ajudar os administradores na gestão de suas organizações, auxiliando a prevenções a eventos futuros. Fazendo com que diversas ações possam ser tomadas antes que estes eventos ocorram. Algumas desvantagens e obstáculos observados é uma forte dependência das empresas que fornecem o SIE, o Alto custo de um sistema de gestão sem beneficio semelhante, Aumento do controle sobre os processos e pessoas, gerando resistência do funcionário em seguir o novo método de trabalho, Integração dos departamentos da empresa. 2.2. SIG- SISTEMA DE INFORMAÇÃO GERENCIAL O sistema de informação gerencial dá suporte às funções de planejamento, controle e organização de uma empresa, fornecendo informações seguras e em tempo hábil para tomada de decisão. O sistema de informação gerencial é representado pelo conjunto de subsistemas, visualizados de forma integrada e capaz de gerar informações necessárias ao processo decisório. 2.2.1 Importância dos Sistemas de Informação Gerencial para as Empresas Tem-se dificuldade em avaliar quantitativamente os benefícios oferecidos por um sistema de informação gerencial, o sistema de informação gerencial pode, sob determinadas condições, trazer os seguintes benefícios para as empresas: • Redução dos custos das operações; • Melhoria no acesso às informações, proporcionando relatórios mais precisos e rápidos, com menor esforço; • Melhoria na produtividade; 13
  12. 12. 2.2.2 Aspectos que Fortalecem os Sistemas de Informação Gerencial nas Empresas Os sistemas de informação gerenciais são instrumentos para o processo decisório. Por conseqüência, para que a empresa possa usufruir as vantagens básicas dos Sistemas de Informação Gerenciais, é necessário, que alguns aspectos sejam observados. Entre estes podem ser citados: • O envolvimento da alta e média gestão; • A competência por parte das pessoas envolvidas com o SIG; • O uso de um plano mestre ou planejamento global; • A atenção específica ao fator humano da empresa; 3. CRIPTOGRAFIA Uma das partes importantes da segurança da informação chama-se criptografia, sendo hoje uma das técnicas mais seguras para trabalharmos com a informação. Dentro desta técnica dispomos de diversas formas de trabalho. A criptografia de dados é baseada em uma idéia simples e que existe há milhares de anos. Todos quando criança, costumavam brincar com mensagens codificadas, trocando uma letra por outra para transformar uma mensagem significativa em algo sem sentido. E é exatamente isso que os programas de criptografia fazem, embora de forma mais sofisticada. Na verdade, as técnicas modernas de criptografia são muito semelhantes à máquina Enigma dos militares alemães, uma máquina de escrever criptográfica que confundiu matemáticos ingleses, americanos e poloneses por cerca de 20 anos. A Enigma podia criptografar mensagens usando um esquema de tradução de caracteres diferente para cada letra na mensagem, tornando suas mensagens codificadas extremamente difíceis de serem descobertas. Os programas de criptografia tomam seus dados originais (conhecidos no mundo da criptografia como texto puro ou texto claro) e os convertem para um texto codificado ou criptograma. A nova informação parece não ter sentido algum, um amontoado de caracteres confusos. Qualquer um que se 14
  13. 13. depare com tais dados será incapaz de entendê-los se não tiver o mesmo programa e a chave de criptografia, um tipo de senha para codificação. Os programas de criptografia usam algoritmos matemáticos relativamente simples combinandos com uma chave fornecida pelo usuário. Os algoritmos e as chaves são aplicados aos dados várias vezes para converter os dados para um formato que não pode ser descriptografado sem saber os algoritmos e a chave. Há vários tipos de técnicas de criptografia. As duas formas principais são substituição e criptograma de transposição. Substituição: Troca-se o alfabeto por um outro (ou vários outros) -Atacado por frequência de caracteres Transposição: Embaralha-se as letras da mensagem seguindo certo padrão -Detectado pela frequência dos caracteres e procurando o padrão usado Na prática, usava-se uma mistura dos dois. Figura 3 – Cifra de Substituição Código de Cesar com chave 3 Fonte: http://s.glbimg.com/po/tt/f/original/2012/06/21/codigo-cesar.png Figura 4 – Tipos de Criptografia 15
  14. 14. Fonte:http://www.dsc.ufcg.edu.br/~pet/jornal/abril2014/images/materias/historia_da_ computacao/img5.png - Criptografia Simétrica - Mesma chave usada na codificação e na decodificação. - Criptografia Assimétrica - Chaves diferentes. 3.1 CÓDIGO DE CESAR Do grego “kryptós”, escondido, e “gráphein”, escrita, a criptografia foi desenvolvida para que dois indivíduos possam se comunicar de forma segura. Assim, a criptografia consiste em cifrar a informação enviada pelo remetente de forma que, caso esta informação seja interceptada por algum intruso, ele não seja capaz de entendê-la. O conceito de criptografia é antigo – existem relatos de hieroglifos não convencionais encontrados em túmulos de faraós, o que parece ter sido para confundir os leitores, mais do que cifrar uma mensagem. De qualquer forma não é preciso voltar tanto, conta-se que o próprio Júlio César utilizava um código nas mensagens enviadas a seus generais. O Código de César, como ficou conhecido era um sistema simples de substituição, no qual cada letra da mensagem original era trocada pela letra que se situa três posições à sua frente. Desta forma, a letra A era trocada por D, B por E, e assim por diante. Na prática, qualquer código que substitua uma letra por outra deslocada de uma 16
  15. 15. distância fixa é considerado um Código de César. Como o alfabeto possui 26 letras, é possível cifrar a mensagem de 26 maneiras diferentes segundo este código, onde uma delas (a de deslocamento zero) deixa a mensagem cifrada igual à original. Exemplo: Figura 5 – Código de Cesar com chave 26 Fonte:Intenet 3.1.1 Decifrando chave 6 Não se sabe o quão efetivo era o Código de César naquela época, mas uma vez que muitos de seus inimigos eram analfabetos e outros não conheciam sua língua, acredita-se que o código passava um mínimo de segurança. Agora suponha que uma das mensagens de César tenha sido interceptada e que o inimigo saiba sua língua. Se ele não souber que tipo de codificação foi usada, fica bastante difícil decifrar a mensagem. Mas se por algum motivo ele desconfiar que foi utilizado o Código de César, sem saber qual o valor do deslocamento, fica bem fácil decifrar a mensagem. Uma vez que existem apenas 26 valores para o deslocamento (25 se for excluído o deslocamento nulo), o inimigo poderia fazer uso da força bruta sem muitas dificuldades. Suponha que a mensagem cifrada seja “Fyfhfw”. Uma boa maneira de decifrar a mensagem por força bruta seria escrever o alfabeto embaixo de cada letra da mensagem, na vertical, cada coluna começando por cada letra da mensagem: Figura 6 – Código de Cesar com chave 6 17
  16. 16. Fonte:Internet Feito isso, basta analisar as linhas e ver qual que possui algum sentido. Claramente o código foi feito com deslocamento de 5 posições e a mensagem é “Atacar”. 3.1.2 Cifra monoalfabética Uma forma de melhoria do código de César seria, ao invés de trocar cada letra segundo um deslocamento fixo, trocar cada letra por qualquer outra, sem seguir nenhum padrão - este é o princípio da cifra monoalfabética. A seguir temos um exemplo desta cifra: Figura 7 – Código de Cesar com chave 26 Fonte: Intenet Desta forma, existem 26! combinações (permutação de 26 letras) possíveis. Contudo, nem todas essas combinações seriam úteis (os casos em que muitas das letras são cifradas por elas mesmas), mas claramente esta cifra inviabiliza o uso da força bruta (manual) para a obtenção da mensagem original. 3.1.3 Decifrando Para decifrar a mensagem, seria necessário uma técnica mais elaborada, como no caso da análise estatística da linguagem. Poderia-se comparar as letras mais freqüentes na mensagem com as letras mais freqüentes na linguagem utilizada para escrevê-la. No caso da mensagem ser muita curta, o uso desta técnica ficaria debilitado. Se por algum motivo, o intruso souber que certas palavras estão presentes na mensagem (os nomes do remente e do destinatário por exemplo), ele poderia ser capaz de achar sem tantas dificuldades as substituições correspondentes às letras dessas palavras. Sendo assim, as combinções possíveis seriam reduzidas de forma significativa, podendo até viabilizar o uso força bruta a partir daí. 18
  17. 17. 3.2 CRIPTOGRAFIA SIMÉTRICA A criptografia simétrica usa a mesma chave tanto para criptografar como para descriptografar dados. Os algoritmos que são usados para a criptografia simétrica são mais simples do que os algoritmos usados na criptografia assimétrica. Em função desses algoritmos mais simples, e porque a mesma chave é usada tanto para criptografar como para descriptografar dados, a criptografia simétrica é muito mais rápida que a criptografia assimétrica. Portanto, a criptografia simétrica é adequada à criptografia e à descriptografia de uma grande quantidade de dados. Uma das principais desvantagens da criptografia simétrica é o uso da mesma chave tanto para criptografar como para descriptografar os dados. Por isso, todas as partes que enviam e recebem os dados devem conhecer ou ter acesso à chave de criptografia. Esse requisito cria um problema de gerenciamento de segurança e problemas de gerenciamento de chave que uma organização deve considerar em seu ambiente. Um problema de gerenciamento de segurança existe porque a organização deve enviar essa chave de criptografia a todos que requisitarem acesso aos dados criptografados. Os problemas de gerenciamento de chaves que uma organização deve considerar incluem a geração, a distribuição, o backup, a nova geração e o ciclo de vida da chave. A criptografia simétrica fornece autorização para dados criptografados. Por exemplo, ao usar a criptografia simétrica, uma organização pode estar razoavelmente certa de que apenas as pessoas autorizadas a acessar a chave de criptografia compartilhada podem descriptografar o texto codificado. No entanto, a criptografia simétrica não fornece não-repúdio. Por exemplo, em um cenário em que vários grupos têm acesso à chave de criptografia compartilhada, a criptografia simétrica não pode confirmar o grupo específico que envia os dados. Os algoritmos de criptografia usados na criptografia simétrica incluem o seguinte: RC2 (128 bits) 3DES (Triple Data Encryption Standard, Padrão triplo de criptografia de dados) AES (Padrão de criptografia avançada) 3.3 CRIPTOGRAFIA ASSIMÉTRICA 19
  18. 18. A criptografia assimétrica usa duas chaves diferentes, porém matematicamente relacionadas, para criptografar e descriptografar dados. Essas chaves são conhecidas como chaves privadas e chaves públicas. Em conjunto, essas chaves são conhecidas como par de chaves. A criptografia assimétrica é considerada mais segura do que a criptografia simétrica, porque a chave usada para criptografar os dados é diferente da que é usada para descriptografá-los. Contudo, como a criptografia assimétrica usa algoritmos mais complexos do que a simétrica, e como a criptografia assimétrica usa um par de chaves, o processo de criptografia é muito mais lento quando uma organização usa a criptografia assimétrica do que quando usa a simétrica. Com a criptografia assimétrica, somente uma parte mantém a chave privada. Essa parte é conhecida como o assunto. Todas as outras partes podem acessar a chave pública. Os dados criptografadas por meio da chave pública só podem ser descriptografados com o uso da chave privada. Por outro lado, os dados criptografados por meio da chave privada só podem ser descriptografados com o uso da chave pública. Por conseguinte, esse tipo de criptografia fornece confidencialidade e não-repúdio. Uma organização pode usar esse tipo de criptografia para fornecer autorização, usando a chave pública para criptografar dados. Essa chave é disponibilizada publicamente. Desse modo, qualquer um pode criptografar os dados. No entanto, como apenas o assunto mantém a chave privada, a organização pode estar razoavelmente certa de que apenas o destinatário pretendido pode descriptografar e exibir os dados criptografados. Uma organização pode usar esse tipo de criptografia para fornecer autenticação, usando a chave privada para criptografar dados. Apenas o assunto mantém essa chave. No entanto, todos podem descriptografar os dados porque a chave pública que descriptografa esses dados é disponibilizada publicamente. Conseqüentemente, se o destinatário pode descriptografar esses dados por meio da chave pública, pode estar razoavelmente certo de que apenas o assunto criptografou os dados. Os algoritmos de criptografia usados na criptografia assimétrica incluem o seguinte: Acordo de chaves de Diffie-Hellman RSA (Rivest-Shamir-Adleman) DSA (Algoritmo de assinatura digital) 20
  19. 19. 4. CENÁRIO PORPOSTO: “PROGRAMAÇÃO DA FORMATURA DO CURSO DE ADS” 4.1 COMISSÃO DE FORMATURA Presidente: Antonio Franklin de Medeiros Junior (0136398706) Vice-Presidente: Carlos Eduardo de Barros Freire (0135307806) Secretário: Edinaldo Lopes da Cruz (0139877206) Tesoureiro: Luciano Wanderley Farias Freitas (0138446206) 2º. Tesoureiro: Wellington Douglas Barboza dos Santos (0102702107) 4.2 DADOS BANCÁRIOS Foi aberta uma conta corrente no Banco Sicred (coperativa 178 – Camina Grande - PB) para o lançamento dos títulos e aplicação do saldo disponível. O custo negociado foi de R$ 8,00 de taxa mensal de manutenção de conta e de R$ 2,00 por título emitido (menor taxa conseguida entre os bancos pesquisados). Quadro 1 – Lista de Alunos Formandos Matricula Nome 0136398706 Antonio Franklin de Medeiros Junior 0135307806 Carlos Eduardo de Barros Freire 0139877206 Edinaldo Lopes da Cruz 0138446206 Luciano Wanderley Farias Freitas 0102702107 Wellington Douglas Barboza dos Santos 0136398706 Fabio Jr do Nascimento 0135307806 Jean Marcel de Miranda 0139877206 Hugo Saso Martins 0138446206 Alex Alves Garcia 0102702107 Antonio Marcos Soares Bailao Fonte: Autor Tabela 1 – Planilha de Controle de Pagamentos de Mensalidade Matricula Nome Mensalidade Valor Pago 013639870 6 Antonio Franklin de Medeiros Junior 120,00 x 36 parcelas 4.320,00 013530780 6 Carlos Eduardo de Barros Freire 120,00 x 36 parcelas 4.320,00 013987720 6 Edinaldo Lopes da Cruz 120,00 x 36 parcelas 4.320,00 013844620 6 Luciano Wanderley Farias Freitas 120,00 x 36 parcelas 4.320,00 010270210 7 Wellington Douglas Barboza dos Santos 120,00 x 36 parcelas 4.320,00 21
  20. 20. 013639870 6 Fabio Jr do Nascimento 120,00 x 36 parcelas 4.320,00 013530780 6 Jean Marcel de Miranda 120,00 x 36 parcelas 4.320,00 013987720 6 Hugo Saso Martins 120,00 x 36 parcelas 4.320,00 013844620 6 Alex Alves Garcia 120,00 x 36 parcelas 4.320,00 010270210 7 Antonio Marcos Soares Bailao 120,00 x 36 parcelas 4.320,00 TOTAL R$ 43.200,00 Fonte: Autor Quadro 2 - Histórico das Atividades Data Descrição do evento/atividade Valor arrecadado 01/01/2016 Rifão de Uma Tv 32 polegadas, Doada pelo Armazém Paraíba, Foram vendidos 500 cupons para sorteio, cada um valendo R$ 10,00 (Dez Reais) R$ 5.000,00 30/03/2016 Festa com Banda e Feijoada para arrecadação de valores com venda de ingressos e comidas como Feijoada, Churrasco, Etc. Foi faturado com venda de ingressos e comidas o Valor liquido já descontando todas as depesas o Valor de R$ 4.500,00 R$ 4.500,00 05/04/2016 Pedido de patrocínio no comercio Local para a venda de agua mineral nos sinais de transito, foram doado 50 fardos de agua mineral pelo preço unitário de R$ 12,00 cada fardo R$ 600,00 10/05/2016 Bingo de uma Bicicleta, doada pelo Lojas Carajás, Foram vendido 500 cartelas nos valor de R$ 5,00 cada uma totalizando o valor Liquido de R$ 2.500,00 R$ 2.500,00 20/05/2016 Festa da Calorada, evento que foi arrecadado um a valor de 2.500,00 com venda de ingressos e comidas R$ 2.500,00 TOTAL ARRECADO R$ R$ 15.100,00 Fonte: Autor Tabela 2 - Planilha Despesas com 03 Orçamentos Empresa/Fornecedor material Quantidade valor Luiza Motta Destaque Aluguel de Beca Aluguel de Beca 1 1 80,00 90,00 22
  21. 21. Loque Festas Aluguel de Beca 1 95,00 Gráfica Marcone Grafica Genius Grafica Agenda Convite de Formatura Convite de Formatura Convite de Formatura 50 50 50 500,00 550,00 590,00 Floricultura Roseane Florista Flor da Terra Floricultura Floricultura Floricultura 1 1 1 120,00 130,00 150,00 Fonte: Autor 4.3 EMPRESAS VENCEDORA ORÇAMENTOS COM MENOR PREÇO Empresa/Fornecedor material Quantidade valor Luiza Motta Aluguel de Beca 1 80,00 Gráfica Marcone Convite de Formatura 50 500,00 Floricultura Roseane Floricultura 1 120,00 4.4 EMPRESA CONTRATADA Feito uma pesquisa de mercado com relação aos preços praticados foi escolhido a empresa Destaque Formaturas e Eventos Localizada no Endereço: R. Elias Asfora, 66, Campina Grande - PB, 58400-255, (83) 3341-2316 4.5 LOCAL DA COLAÇÃO DE GRAU Foi escolhido o Colégio Imaculada Conceição (Damas), por possuir um Auditório com boa estrutura física e localização, seu Endereço: Praça da Bandeira, 23 - Centro, Campina Grande - PB, 58400-085 Figura 8: Auditório Colégio Imaculada Conceição (Damas) 23
  22. 22. Fonte: Internet 4.6 PROFESSORES HOMENAGEADOS Os professores homenageados são: Aline Tavares Costa Marco Ikuro Hisatomi Merris Mozer Adriane Loper Figura 9 – Local para a festa de formatura ( Vista Panoramica) 24
  23. 23. Fonte:Internet Figura 10 – Local para a festa de formatura ( Vista Interna) Fonte:Internet 25
  24. 24. 5.CONCLUSÃO A utilização de tecnologias de última geração e a melhor prática em software possibilita a construção e aplicações superiores em prazos bastante agressivos, capazes de atender desde pequenos a grandes volumes de utilização. O sucesso é garantido pela velocidade em que as informações são assimiladas e pela rapidez em que são tomadas as decisões. Neste contexto, as empresas têm como grande aliado os sistemas de informação gerencial, os quais proporcionam benefícios significativos na gestão da empresa viabilizando a geração de relatórios de apoio ao processo decisório. Quando a empresa tem uma estrutura organizacional sólida, um futuro traçado, e sabe utilizar os recursos oferecidos pela Tecnologia de Informação e sistemas de informação, o sistema de informação gerencial só tem a agregar benefícios à gestão empresarial na tomada de decisões. O sistema de informação gerencial possibilita fazer um acompanhamento das rotinas econômico-financeiras, proporcionando um panorama seguro da organização e uma melhor alocação de investimentos, constituindo um grande diferencial para a empresa. Garantindo, também, o gerenciamento das informações para geração de relatórios rápidos e precisos, tornando mais ágil desta forma o processo de tomada de decisões. Os sistemas de informação gerenciais fortalecem o plano de atuação das empresas. A geração de informações rápidas, precisas e principalmente úteis para o processo de tomada de decisão garante uma estruturação de gestão diferenciada, resultando em vantagem competitiva sobre as demais empresas . 26
  25. 25. REFERÊNCIAS Braga, Ascenção. A gestão da informação, 1996. Disponível em <http://www.ipv.pt/millenium/19_arq1.htm> Acessado em 27 de julho de 2008 Luppi, Iria. Tipos de Sistemas de Informação na empresa. Disponível em < http://www.oficinadanet.com.br/artigo/738/tipos_de_sistemas_de_informacao_na_em presa> Acesso em 24 de julho de 2008 Morais, Everson Matias de Interação Humano-Computador/; Adriane Aparecida Loper – Londrina: UNOPAR, 2014.160 p Matsuda, Kelcy. Análise e Projeto de Sistemas. Disponível em < http://sites.mpc.com.br/gberaldo/Teoria%20dos%20sistemas.pdf> Acesso em 24 de julho de 2008 Perini, Luis Claudio. Gestão de Sistemas de Informação/Luis Claudio Perirni, Bruno Cezar Scaramuzza, Nadia Brunetta – São Paulo: Pearson Pretence Hall. 2010. https://trabsi.files.wordpress.com/2011/05/sem-tc3adtulo.jpg http://www.gta.ufrj.br/grad/10_1/aes/index_files/Page1294.htm https://sites.google.com/site/formaturadireitoparanavai/documentos/modelo-contrato http://www.gta.ufrj.br/grad/07_1/ass-dig/TiposdeCriptografia.html https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2007/11/16/diferencas-entre-chaves- simetrica-e-assimetrica-para-criptografia/ Alves, J.A. e Silva, Firmino. ERP e CRM Da empresa a e-empresa – soluções de informações reais para empresas globais, 2000, Edições Centro Atlântico, Portugal Freitas, Hermes. Inforganização – A era pós-informática. 1996. Disponível em < http://www.freitas-associados.com.br/freitas/?cc=1> Acessado em 27 de julho de 2008 Piropo, B. Computadores I: Dados e informações, julho 2005. Disponível em http://www.forumpcs.com.br/coluna.php?b=119903> Acesso em 27 de julho de 2008 Ribeiro, Tiara. Interatividade na Era Digital: Tecnologia Extensora do Homem, setembro 2005. Disponível em < http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/famecos/article/viewFile/870/657> Acesso em 27 de julho de 2008 27
  26. 26. WIKIPÉDIA. Sistema de Informação. Disponível em: < http://pt.wikipedia.org/wiki/Sistemas_de_informa %C3%A7%C3%A3o#Outras_defini.C3.A7.C3.B5es> Acesso em 24 de julho de 2008 KROENKE, DAVID M.SARAIVA ,EDITORA SARAIVA SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - UMA VISÃO EXECUTIVA - 2ª ED. 2010 Mattos, 28
  27. 27. ANEXOS ANEXO A - Manual da Formatura ANEXO B – Contrato Individual de Adesão e Compromisso 29
  28. 28. ANEXO A - Manual da Formatura Organizar uma formatura não é tarefa fácil. Estaremos cuidando do dinheiro de outras pessoas, e não será pouco dinheiro. O objetivo da formatura deve ser sempre proporcionar o melhor evento possível para todos os formandos, gastando o mínimo possível. Porem, com a FormaturasWeb esta tarefa grandiosa poderá ser realizada de uma maneira simples e relativamente fácil. Siga os tópicos abaixo e boa Formatura! 1- A comissão: A comissão de formatura é o grupo de pessoas que representará as vontades da turma e exercera as atividades em nome de todos os Formandos. 2- Integrantes: Uma comissão deve possuir vários integrantes, cada um com sua função. Estes são: .: Presidente: Toma decisões gerais, pesquisa valores, entra em contato com fornecedores, transmite as decisões para os formandos. Em suma, coordena todas as ações da comissão. .: Vice Presidente: Na falta do presidente, este assume seu cargo. .: Tesoureiro: No mínimo dois. São eles que irão efetuar pagamentos, cobrar mensalidades, fazer o demonstrativo de gastos e ganhos e definir valores .: Escrivão Ou Secretario: Registrara as decisões tomadas em reuniões para que sempre haja prova das decisões. .: Eventos: Integrantes que organizarão festas, eventos, rifas, etc a fim de arrecadar fundos. 3- O Estatuto Social Uma vez definido quem serão os integrantes da comissão, deve-se estabelecer as regras gerais da comissão, sendo todas redigidas em um documento chamado Estatuto. Este pode ser gerado respondendo às perguntas do gerador automático da formaturasweb localizado em http://www.formaturasweb.com.br/estatuto.asp Este documento aborda os principais aspectos para uma comissão de formatura, podendo ser editado a fim de atender a necessidades especificas de sua formatura. Leia com atenção o documento gerado e adicione o que achar necessário. 30
  29. 29. 3. A Forma da Comissão A comissão age como uma empresa. Portanto, quem assina contratos, paga contas, e até mesmo a conta no banco estará vinculada a Comissão, e não aos presidentes ou integrantes da comissão. Para tanto, é necessário criar uma pessoa jurídica (A Comissão). Isto pode ser feito através de um contador, por um valor que varia entre 500 e 1000 reais. Não se engane: vale a pena pagar tais valores para evitar maiores problemas. 4 - A arrecadação de Capital: A arrecadação é realizada normalmente de duas Formas: .: cobrança de parcelas mensais .: realização de eventos. A cobrança de parcelas mensais é praticamente obrigatória, uma vez que a realização de eventos normalmente não consegue cobrir todos os custos da formatura. Mas surge uma dúvida: Quanto cobrar? O site formaturasweb lhe fornece todas as ferramentas para calcular as parcelas a serem cobradas. Basta saber a data da formatura, quantidade de alunos se formando e quantidade de capital a ser arrecadado. Se você não souber nenhuma dessas informações, o site pode lhe sugerir um valor baseado nos valores pagos por outras comissões de formatura, até que as informações acima citadas sejam definidas. O site também pode lhe dizer para quanto se deve ajustar uma parcela a fim de se atingir determinada meta. Estabelecem-se as metas e o site automaticamente calcula os valores necessários para atingir tais metas. Simples assim. 5 - Controlando Despesas e Receitas. Os tesoureiros têm a responsabilidade de publicar mensalmente um documento contendo todos os gastos e ganhos da formatura. Este documento é chamado de Fluxo de Caixa. O site formaturasweb oferece a ferramenta ideal para este controle. Basta lançar no site os pagamentos efetuados e os valores recebidos e o site se encarrega de fazer um balanço e gerar um documento pronto para ser impresso e 31
  30. 30. publicado. Este documento fica também disponível para todos os formandos consultarem 24 horas por dia. O site também pode lhe informar do impacto que Ganhos ou Despesas tem sobre as metas. Se houver um ganho significativo, o site lhe dirá quanto pode ser diminuído o valor da Parcela. Se houver uma despesa significativa o site lhe dirá quanto deve ser aumentado o valor da Parcela para que as metas sejam atingidas. 6-Controlando Pagamentos, Juros e Multas Também Cabe aos tesoureiros controlar as dividas e pagamentos de cada formando, aplicando multa e juros quando necessário. Este controle deve ser feito mensalmente e cabe à comissão de formatura informar os pagamentos efetuados no fluxo de caixa tratado no tópico anterior, bem como informar sempre que requerido qual o status atual da dívida do formando para com a Comissão de Formatura. Com o site FormaturasWeb este controle fica extremamente fácil. Basta inserir no site os pagamentos exatamente da forma como ocorreram e o site se encarrega de calcular juros, multa e informar ao usuário qual sua dívida atual. Também é possível gerar relatórios consolidados das dívidas de todos os formandos em documento pronto para impressão. 6- Assembléias: Todas as decisões Administrativas da comissão devem ter aprovação em assembléia. Apos a aprovação e necessário reduzir em ata o que foi decidido e esta ata deve ser assinada pelo presidente da comissão de formatura. Estas assembléias podem ser realizadas on-line através do site FormaturasWeb. Basta estabelecer as opções e o tempo de votação. Uma vez terminada a assembléia, o site emite a Ata pronta para ser assinada pelo presidente da comissão. Isto promove a real participação dos formandos nas assembléias, que em geral quando realizadas em hora e local especificado não contam com a presença de muitos formandos. Tal situação pode gerar discussões sobre a validade da decisão. 32
  31. 31. Opiniões, perguntas, discussões sobre os temas da assembléia podem ser realizadas através do Fórum do site, onde todos podem postar suas opiniões livremente, de uma maneira em que todas as opiniões são registradas e visualizadas por todos os interessados, evitando confusões. 1.3 7- MANTENDO A ORDEM Depois de definidas as regras para a formatura (no estatuto e nas atas), cabe à Comissão seguir as regras aplicá-las de forma rígida! Não tenha medo de desligar um aluno que não paga da comissão, não ceda a pressões para mudar algo decidido em assembléia e não se envergonhe em cobrar dívidas dos formandos. Enfim: Aproveite a oportunidade para aprender tudo que puder e tenha uma 33
  32. 32. ANEXO B – Contrato Individual de Adesão e Compromisso CONTRATO INDIVIDUAL DE ADESÃO E COMPROMISSO Por este instrumento particular de contrato de prestação de serviço, de um lado COMISSÃO DE FORMATURA do: CURSO: DIREITO INSTITUIÇÃO: UNIPAR CIDADE: PARANAVAI ANO DE CONCLUSÃO: 2014/2015 E do outro o (a) Sr.(a) ___________________________________________________________________ ___ RG: ___________________ CPF: ___________________ Residente à: ______________________________ __________________ Nº. __________ Complemento: _____________ Bairro: ________________________ Cep: _____________ Cidade:________________Estado:___________ Tel. Res.:_______________________ Tel. Com.:__________________ Cel.: _____________________ E-mail: ____________________________, aluno regularmente matriculado neste curso, doravante denominado FORMANDO, têm entre si justos e contratados o seguinte: Cláusula Primeira: DO OBJETIVO 1.1. O objetivo do pressente contrato é a regulamentação da individual participação pelo FORMANDO no CONTRATO DE ORGANIZAÇÃO DE EVENTOS DE FORMATURA, que define as condições e responsabilidades para este fim, que foi firmado entre a os representantes oficiais da COMISSÃO DE FORMATURA da turma a que o FORMANDO participa, para a produção e organização dos eventos nele discriminados. 1.2.O formando reconhece a PARANÁ FORMATURAS como contratada pela COMISSÃO DE FORMATURA para assessorar no planejamento, na organização e na coordenação dos eventos relativos à sua formatura, e também mediar a arrecadação de fundos entre os formandos, principalmente conforme aqui for definido, de maneira a viabilizar a realização dos eventos da sua formatura. 1.3.O FORMANDO reconhece a COMISSÃO DE FORMATURA como sua única e legítima representante para tratar de assuntos relacionados à sua Formatura e, neste ato, outorga aos mesmos poderes suficientes para representá-lo em todos e quaisquer atos celebrados para realização das festividades. Cláusula Segunda: DO PREÇO E FORMA DE PAGAMENTO Para que seja efetivada sua adesão à formatura, o FORMANDO compromete-se a pagar à COMISSÃO DE FORMATURA à quantia de R$3.152,94 (TRES MIL, CENTO E CINQUENTA E DOIS REAIS E NOVENTA E QUATRO CENTAVOS) que poderá ser pago da seguinte forma: R$1.300,00 (MIL E TREZENTOS REAIS) a ser pago com arrecadação de rifas e/ou promoções e a diferença R$1.852,94 (MIL, OITOCENTOS E CINQUENTA E DOIS REAIS E NOVENTA E QUATRO CENTAVOS) em 41 (QUARENTA E UMA) parcelas de R$54,30 (CINQUENTA E QUATRO REAIS E TRINTA CENTAVOS) COM VENCIMENTO TODO DIA (____) DE CADA MÊS. 34
  33. 33. OUTRA OPÇÃO: ___________________________________________________________________ _ ___________________________________________________________________ _________________ 2.2.A data limite para quitação do Contrato de Adesão será 30 (TRINTA) dias antes do evento, sendo o valor do contrato corrigido pela poupança até sua total quitação. 2.3.O formando declara ciência que fica acrescido o valor de R$2,00 (DOIS REAIS) por parcela, referente à taxa administrativa (correio, cobranças financeiras,...). 2.4.Para quem optar em realizar o pagamento no final, deverá estar efetuando pagamento de 30% (TRINTA POR CENTO) do valor do Contrato de Adesão, sendo emitida uma duplicata da diferença a qual somente será devolvida para o FORMANDO com a quitação do mesmo, sendo o saldo devedor corrigido pela poupança até a quitação do mesmo, salvo se a COMISSÃO DE FORMATURA autorizar o pagamento total no final. 2.5.Para quem quiser aderir posteriormente será cobrado valor do dia. 2.6.O FORMANDO obriga-se ao pagamento total das quantias especificadas na cláusula segunda deste contrato individual de adesão à formatura no que se refere a sua quota-parte. As parcelas com pagamentos em atraso ficam acrescidas de multa contratual de R$5,00 (CINCO REAIS) e R$0,50 (CINQÜENTA CENTAVOS) de juros de mora ao dia. 2.7.Os valores citados na cláusula segunda foram calculados com base no número mínimo de 30 formandos pagantes participantes dos eventos. Caso o número de adesão de formandos pagantes e participantes previsto neste contrato não seja alcançado, a COMISSÃO DE FORMATURA, após entendimento prévio, poderá aumentar o valor das parcelas dos formandos remanescentes. De forma a compensar o débito eventualmente existente, uma vez que o custo individual a ser pago pelo formando a foi calculado dividindo-se o custo total deste contrato pelo número de formandos pagantes participantes dos eventos ora contratados. 2.8.Caso o número de formandos participantes do evento ultrapasse o número previsto em contrato fica a critério da COMISSÃO DE FORMATURA o destino do percentual fixo disponível de cada contrato extra que compreende (banda, salão, decoração, mestre de cerimônias, ...) ficando retido o valor variável que compreende (buffet, recepção, segurança, ecad, ...). Cláusula Terceira: DOS DIREITOS E OBRIGAÇÕES 3.1.O FORMANDO declara-se ciente de que, quando eventualmente a COMISSÃO DE FORMATURA tiver a obrigação de locar em nome da/ou para a COMISSÃO DE FORMATURA, pessoas, objetos, locais ou itens, cujas datas já estiverem compromissadas com terceiros, obrigar-se-á a marcar novas datas, quantas forem necessárias, até que a solicitação possa ser atendida. 3.2.A disposição das mesas dos formandos tanto no jantar quanto no baile, ficará sob responsabilidade da COMISSÃO DE FORMATURA, que deverá passar o mapa das mesas com 03 (TRÊS) dias de antecedência para que o FORNECEDOR efetue a organização do salão. 3.3.Quaisquer divergências sobre a posição / quantidade de lugares das mesas deverão ser resolvidas entre os formandos e a COMISSÃO DE FORMATURA. 3.4.O FORMANDO e a COMISSÃO DE FORMATURA declaram estar cientes que toda responsabilidade de música para entrada dos formandos, montagem do 35
  34. 34. cerimonial, trajes para festa e normas de segurança do evento são de total responsabilidade dos mesmos. Cláusula Quarta: DAS COMUNICAÇÕES 4.1.Os FORMANDOS serão avisados com antecedência de 10 (DEZ) dias sobre a data, local e horário para serem fotografados, para o convite de luxo, pôster da turma e marcadores de mesa que necessita da foto dos mesmos. O FORMANDO que não comparecer isentará a empresa COMISSÃO DE FORMATURA E FORNECEDOR de qualquer responsabilidade: a) Declara estar ciente que sua foto não constará no convite de luxo, constando somente o seu nome; b) O formando que aderir a formatura após a realização das fotos de turma e de grupo, declara estar ciente de que sua foto não constará no convite, foto de turma e marcadores de mesa constando somente o seu nome. Cláusula Quinta: DA RESCISÃO E MULTA CONTRATUAL 5.1.A rescisão do contrato individual de ADESÃO a FORMATURA em qualquer hipótese, somente ocorrerá mediante a prévia solicitação do formando por escrito, com anuência da COMISSÃO DE FORMATURA, respeitando-se os créditos e multas compensatórias a seguir estipuladas. 5.2.Se a rescisão se der por óbito 100% (CEM POR CENTO) de devolução do dinheiro, reprovação do curso desde que devidamente comprovados 50% (CINQÜENTA POR CENTO) de devolução do dinheiro, dos valores efetivamente pagos pelo formando. 5.3.Fica estabelecido que em caso de desistência deverá ser encaminhado solicitação por escrito com assinatura de todos os formandos participantes deste contrato. 5.4.Fica estabelecida uma multa no valor de 50% (cinqüenta por cento) do valor do contrato, mais eventuais perdas e danos causados em decorrência do mesmo para rescisão sem justa causa. 5.5.Qualquer desistência somente será aceita com anuência de todos os formandos participantes sendo que se ocorrer no período que antecede 120 (cento e vinte) dias antes do evento fica a critério dos demais formandos a devolução do valor já pago, sendo neste caso realizado rateio entre os formandos remanescentes para cobrir a referido valor. Após este período fica estabelecido uma multa de 100% (CEM POR CENTO) com a finalidade de não prejudicar os demais formandos. 5.6.O FORMANDO que desejar desistir da formatura poderá fazê-lo, mediante cessão de direitos a outro formando, que queira participar e não tenha assinado o Contrato Individual de Adesão a Formatura sem a aplicação das penalidades previstas acima. Cláusula Sexta: DO CONHECIMENTO PRÉVIO 6.1.O FORMANDO declara-se solidário ao Contrato de Prestação de Serviço e outras avencas firmadas entre a respectiva COMISSÃO DE FORMATURA e FORNECEDORES, declarando-se conhecedor de todas as suas cláusulas e concordando com o teor das mesmas e sua plenitude. 6.2.O formando declara estar ciente que deverá deixar um cheque caução para realização do jantar e baile de formatura e outro eventos que for necessário a utilização do mesmo. 6.3.Ao firmar este contrato, as PARTES declaram ter obtido todas as informações a respeito de seu conteúdo, bem como facultou a sua leitura antecipada, a fim de dar aos interessados pleno conhecimento dos seus termos e condições. Cláusula Sétima: DO FORO 36
  35. 35. 7.1.Fica eleito o Fórum da comarca de PARANAVAI-PR para nele serem dirimidas todas e quaisquer questões oriundas do presente Instrumento, sendo que o faltoso pagará todas as despesas e custas que houver no processo. E, por assim estarem justos e contratados, firmam o presente instrumento, em duas vias de igual teor e forma, comprometendo-se a fazê-lo valer em quaisquer circunstâncias. Paranavaí, _______ de _______________________ de __________. ___________________________ _____________________________ FORMANDO COMISSAO DE FORMATURA Testemunhas: _____________________________________ NOME: CPF: RG: _____________________________________ NOME: CPF: RG: 37

×