Aula 9 e 10

1,150 views

Published on

Aula EETAD OS EVANGELHOS

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Aula 9 e 10

  1. 1. João (Ιωάννης –IoánÍs) O Evangelho Segundo João - (cont.) Escola de Educação Teológica das Assembléia de Deus Monitor: Pb Edílson J. Sousa Email: edilsonmaestro@gmail.com
  2. 2. O Vale do CédronO Vale do Cédron (em hebraico: , emárabe: , "escuro") é um vale próximo deJerusalém, descrito pela Bíblia como tendo grandesignificado. Também é chamado de Vale daTorrente do Cédron, devido a um fluxo continuode correntes de águas por ocasião de enchenterepentina nos meses de inverno chuvosos.Atualmente o nome dado à sua parte inferior, Uádien-Nar ou Wadi al-Joz ("uádi de fogo"), indica queé quente e seco na maior parte do tempo.
  3. 3. • O Vale do Cédron se estende ao longo do murooriental de Jerusalém, separando o Monte deTemplo do Monte das Oliveiras. Continua ao lestepelo Deserto da Judéia, em direção ao Mar Morto.O assentamento israelense de Kedar está situadonum cume sobre o vale. O bairro de Wadi al-Jozrecebe o nome de árabe do vale.• O Vale é o local de muitos túmulos judaicos,inclusive o Pilar de Absalão, a tumba de BeneHezir, e o Túmulo de Zacarias. Certa vez, a águada Fonte de Giom fluiu pelo vale, mas foi desviadapelo Túnel de Ezequias para prover água aJerusalém. Atualmente permanece sem água mesmo no inverno.
  4. 4. • Escatologia do Vale do CédronDevido a eventos ocorridos durante o período do Rei Jeosafá, de Judá,o vale da torrente do Cédron também passou a ser profeticamentechamado de Vale de Jeosafá ou “baixada de Jeosafá”– EmekYehoshafat (em hebraico: ), que significa "O vale onde Deusjulgará" (Vale do Julgamento). - (Joel 3:12).Surgem na Escatologiajudaica profecias que incluem o retorno do Profeta Elias, seguido pelachegada do Messias (Judaísmo), e também a guerra de Gog e Magoge Juízo Final. De acordo com as profecias, na guerra de Gog e Magog,haveria coalizões das nações pagãs que juntariam forças contra Israel.Israel seria subjugado e conquistado. Depois dos gentios finalmenteatacarem Israel, Deus começaria o Julgamento. E salvaria Israel elutaria "com doenças, chuva, fogo e pedras" contra todas as naçõespagãs que se fixaram para destruir o seu povo escolhido.
  5. 5. • Outras passagens bíblicasDe acordo com as Escrituras Hebraicas, o Rei o David correu a pé pelovale durante a rebelião de Absalão (2 Samuel 15:14, 23, 30) . Deacordo com as Escrituras Gregas Cristãs , Jesus cruzou o valealgumas vezes, viajando entre Jerusalém e Betânia. (João 18:1)Exemplos de versículos da Bíblia relacionados ao Vale do Cédron:II Samuel 15:23: "Toda a terra chorava em alta voz, enquanto todo opovo passava; e o rei atravessou o ribeiro de Cedrom (Vale daTorrente do Cédron), e todo o povo caminhava na direção dodeserto."Evangelho de João 18:1:"Tendo Jesus dito isto, saiu com seus discípulospara o outro lado do ribeiro de Cedrom(Vale da Torrente do Cédron) , onde havia um jardim, e com eles ali entrou."
  6. 6. LEGIÃO ROMANALEGIÃO, do latim legione e do grego λεγιώνCorpo do antigo exército romano constituído de infantaria e cavalaria.Corpo ou divisão de exército: &Figurativamente: Ajuntamento de pessoas, multidão.NOTA: 1 <uma> LEGIÃO ROMANA era composta de 6 <seis> milsoldados preparados para combates a cavalo <CAVALARIA> e nochão <INFANTARIA>.A Legião era sub-dividida em 10 <dez> COORTES <uma coortecorrespondia a 600 <seiscentos> soldados taeeeembém sub-divididosem 6 <seis> CENTÚRIAS, isto é, cem soldados comandados por 1centurião>. As CENTÚRIAS eram sub-divididas em 10 <dez>DECÚRIAS que equivaliam a um grupo de 10 militares.
  7. 7. 6000 Soldados para prender JesusA Legião Romana é a mais conhecida e poderosadas forças de combate que já existiram na fase daterra. É designado como o primeiro exércitoprofissional, organizado e disciplinado do mundo,que revolucionou a arte da guerra! O exércitoAtual é seu discípulo! A Legião Romana existiupara defender o império e assegurar asobrevivência de um povo!4 Jesus, sabendo tudo o que lhe ia acontecer,saiu e lhes perguntou: “A quem vocês estãoprocurando?” 5 “A Jesus de Nazaré”, responderam eles.“Sou eu”, disse Jesus. (E Judas, o traidor, estava com eles.)6 Quando Jesus disse: “Sou eu”, eles recuaram e caíram porterra. Jo 18.4-6 – Sl 27.2
  8. 8. Três classes de gente: Jo 18.121. A coorte - a tropa de soldados romanos2. O tribuno - oficial ou magistrado3. Os servos - dos sacerdotes v.12 Assim, o destacamento de Os passos da prisão: soldados com o seu comandantea) Jesus apresenta-se ao inimigo - v.5 e os guardas dos judeus prenderamb) Revela sua majestade - v.6 Jesus. Amarraram-noc) Cuida dos seus - v.8d) Repara o erro de Pedro v.11 (Lc 22.51)e) Submete-se á vontade do Paif) Entrega-se aos “soldados”
  9. 9. O Julgamento de Cisto Processou –se Em 6 partes:  3 eclesiásticas e 3 civil • Entre 0hs e 7hs da Manha de 6 feira Jesus foi preso no Final da noite de uma quinta-feira que antecedia a Páscoa dos hebreus.E começaram a acusá-lo, dizendo: “Encontramos estehomem subvertendo a nossanação. Ele proíbe o pagamento deimposto a César e se declara elepróprio o Cristo, um rei”.
  10. 10. Acusação - ProcessoAs Três partes do processo eclesiástico:1. Perante Anás - v.3 (filho de sete, nomeado sumosacerdote por Quirínio em 7 d.C e deposto em 15 ou 23 d.C) perdeu ocargo não o poder. Seus 5 filhos exerceram o cargo como também seu genro, Caifás (peq. Dic. Bíb.) 2. Perante Caifás - v.24 - Sumo Sacerdote em Jerusalém por 18 anos (18 a 36 d.C.), Caifás não apenas presidiu o Sinédrio judeu na época de Jesus como participou da primeira perseguição aos cristãos descritos no livro de Atos 4:5-22.
  11. 11. 3. Perante o Sinédrio - Mt 26.59-63; Mc 14.55-61 SinédrioO Sanhedrin ou Sinédrio (do hebraico ; συνέδριον synedrion,em grego, "assembleia sentada", donde "assembleia") é o nome dadoà associação de 23 juízes que a Lei judaica ordena existir em cadacidade. O Grande Sanhedrin era uma assembleia de juízes judeusque constituía a corte e legislativo supremos da antiga Israel. O Grande Sinédrio incluía um chefe ou príncipe (Nasi), um sumo-sacerdote (Cohen Gadol), um Av Beit Din (o segundo membro emimportância) e outros 69 integrantes que se sentavam em semi-círculo.Antes da destruição de Jerusalém em 70 d.C., o Grande Sinédrioreunia-se no Templo durante o dia, exceto antes dos festivais e doSábado.
  12. 12. O Sanhedrin foi dissolvido em 358 d.e.C. , e desde entãodiversas tentativas de restabelecimento foram tentadas. EmOutubro de 2004, um grupo de rabinos representantes dediversas comunidades de Israel reestabeleceram o Sanhedrin.O Talmud identifica duas classes de cortes de Rabinoschamadas Sinédrio, o Grande Sinédrio e o Sinédrio Menor.Cada cidade poderia ter seu próprio Sinédrio Menor de 23juízes, mas poderia haver somente um Grande Sinédrio de 71juízes, que também funcionava como Suprema Corte,julgando apelações dos casos dos Sinédrios Menores. No uso corrente, o termo "Sinédrio" costuma referir-se ao Grande Sinédrio.
  13. 13. A fim de esclarecer certos detalhes, o Sumo Sacerdote era osacerdote principal ou chefe dos sacerdotes judeus. Depois da volta docativeiro da Babilônia e, sobretudo, na época dos macabeus, quando aJudéia teve períodos de independência nacional, o Sumo Sacerdoteexerceu a chefia política da nação junto com a direção religiosa.Quando a Palestina caiu sob a jurisdição romana, o Sumo Sacerdoteviu de novo limitada a sua autoridade somente ao aspecto religioso. Assuas funções estão estabelecidas nos livros de Êxodo e Levítico.Também era o presidente do Sinédrio nos tempos do NT.O Sinédrioera o tribunal supremo dos judeus, integrado pelos Sumo Sacerdotes(os que exerciam a função e os já retirados), os anciãos e os mestresda Lei (estes últimos geralmente fariseus). Totalizando 71 membros,incluindo o seu presidente, cargo que costumava exercer o SumoSacerdote em exercício. ¹
  14. 14. No capítulo 11 do livro João a partir do verso 47, vemos o ápice destapreocupação quando os "principais sacerdotes e os fariseus"convocam o Sinédrio e disparam a pergunta: "Que estamosfazendo, uma vez que este homem opera muitos sinais?" A popularidade de Jesus que aumentava exponencialmenteproveniente de seus milagres e ensinamentos trouxe um problema aosquais sacerdotes e fariseus não esperavam: o temor de terem ocontrole que exerciam sobre o povo e a influência política abalados. A partir dos versos 49 e 50, Caifás, o Sumo Sacerdotepresidente do Sinédrio, dispara a idéia que melhor seria morrer umúnico homem para o "bem estar da nação" ao invés de "perecer toda anação". Note a hipocrisia quando tratam isso como um problema desegurança nacional ao invés de exporem isso como um ataque diretoao sistema religioso criado e desenvolvido por eles. E assim o verso 53diz: "Desde aquele dia, resolveram matá-lo.“ cf. Mc 14. 53 62,63
  15. 15. Marcos 14. 53vv61 Mas Jesus permaneceu emsilêncio e nada respondeu.Outravez o sumo sacerdote lheperguntou: “Você é o Cristo, o Filhodo Deus Bendito?” 62 “Sou”, disseJesus. “E vereis o Filho do homemassentado à direita do Poderosovindo com as nuvens do céu.”63 O sumo sacerdote, rasgando aspróprias vestes, perguntou: “Por que Cristo perante Caifásprecisamos de mais testemunhas?64 Vocês ouviram a blasfêmia. Que Ele é acusado de blasfêmia, um crime punível com a morte.acham?”Todos o julgaram digno demorte.
  16. 16. LEI MOSAICA (HEBR. OU JUDAICA) PROCESSO DE JESUS A traição era banida. Foi através da traição de Judas que oTraição suposto acusado foi apresentado. Não era prevista a Prisão Jesus foi procurado e preso ilegalmente Prisão Preventiva, somente a Prisão a noite, sem qualquer mandado de em Flagrante Delito. prisão. Previa investigação e Não existiu qualquer investigação.Investiga acusação, sendo necessário gao ter conhecimento do crime que lhe era atribuído O interrogatório era previsto Houve interrogatório ilegal por AnásInterrog no Tribunal. (já não era Sumo-Sacerdote do atório Sinédrio). A confissão era proibida, O presidente do Tribunal – Caifás -Confissa porém se associada a duas vendo o tumulto entre os conselheiros o testemunhas formavam as resolveu interrogar Jesus (pela ordem provas. hebraica era obrigatório responder sob juramento de testemunho).
  17. 17. Testemunh Imprescindível, no mínimo, duas Foram aliciadas 08 testemunhas, as testemunhas desde que não porém tão contraditórias que os houvesse contradição. membros do Tribunal a dispensaram, sendo convocadas Os chefes dos sacerdotes e todo o mais duas que também não foram Conselho Superior estavam concordes. procurando alguma acusação falsa contra Jesus a fim de o condenar à morte. Mt 26.59Julgadores Os membros do Tribunal tinham Foram convocados com urgência que ser notificados oficialmente. no meio da noite, e ainda, somente àqueles que já tinham se reunido sobre a prisão de Jesus.Impedimen Havia proibição de que qualquer Os membros do Tribunal eram tos parente amigo ou inimigo do inimigos. acusado o julgasse.
  18. 18. Nos dias nefastos era proibido A prisão e julgamento de CristoJulgamento qualquer prisão ou julgamento. foram na véspera da sábado de Páscoa. As assembléias e Comissões dos No julgamento de Cristo foi Tribunais tinham datas oficiais desrespeitado as exigënciasRito para julgar, sempre segundas e legais ocorrendo na sexta-feira. quintas feiras. Para o tipo de crime Pôncio Pilatos julgou-se (BLASFÊMIA) atribuído a incompetente em ratione Jesus o Tribunal dos Setenta- materiae (crime de blasfêmia) eCompetënci Sinédrio era o competente. ratione loci (Cristo sublevava o a povo, ensinando-o domicílio diversos - Nazaré na Galiléia) e passa para Herodes (Governador da Galiléia) que também não vê culpa.
  19. 19. Em crimes de pena capital o O Julgamento de Jesus foi aPrazo julgamento que condenasse não menos de 24 horas. poderia ser concluído no mesmo dia. Era preciso para caracterizar a Caifás pergunta a Jesus – És oTipificacao Blasfêmia que Cristo Cristo, o Filho de Deus? – e ele pronunciasse a palavra DEUS. respondeu - Em verdade vos digo: doravante vereis o filho do homem sentado à direita do Todo Poderoso. Quando o veredicto é unânime Concluído esse interrogatórioVeredicto pela condenação resulta em por unanimidade proferiram o absolvição. *** veredicto: É réu de morte. Para os crimes capitais o A pena foi de morte, porém oPena Tribunal poderia infligir quatro Sinédrio não tinha competência tipos de pena de morte: para executá-la. Somente o lapidação, abrasamento, Governador – Procurador decapitação e Pôncio Pilatos é quem tinha o estrangulamento. poder.
  20. 20. Quando o veredicto é unânime pela condenaçãoresulta em absolvição. *** Se os sacerdotes apresentassem Jesus como um homemcondenado por blasfêmia com o depoimento de apenas duastestemunhas que não concordaram entre si, Pilatos reverteria overedicto. Se eles apresentassem Jesus como alguémcondenado por sua própria confissão, Pilatos tambémdispensaria o veredicto. E, é claro, se eles informassem queJesus havia sido condenado por votação unânime, Pilatosentraria com um veredicto de absolvição. Então, os maliciosos sacerdotes apresentaram Jesus a Pilatossob uma nova acusação que eles inventaram naquele momento:traição contra César. "Havemos achado este, pervertendo a nossa nação", disserameles, "proibindo dar o tributo a César, e dizendo que ele mesmo éCristo, o rei.“ Lc 23.2
  21. 21. DADOS ESPECIAIS DA PRISÃO, MORTE E RESSURREIÇÃO DE JESUS• Na Sexta-feira, às 09;00 hs. da manhã, o Senhor foi pregado na cruz, morrendo às 15:00 hs., isto é, às 3 hs. da tarde.• Ainda dentro da Sexta-feira, O Salvador foi retirado da cruz e sepultado imediatamente. Isto é, da cruz para a sepultura.As Seis Horas de Sofrimento dede Jesus Divididas na Cruz: De 09 às 12 hs. Jesus Cristo foi tentado e sofreuunicamente com os homens. Mc.15:25.De 12 às 15 hs. Jesus Cristo foi tentado e sofreuunicamente com os espíritos malígnos das trevas.Mt.27:45-46; Salmo 22:12-13.
  22. 22. Semana Santa (Semana da Paixão)Domingo: Entrada Triunfal em Jerusalém - Mt 21; Mc 11; Lc 19; Jo 12 Dorme em Bethânia - Mc 11.112ª Feira II Purificação do templo - Mt 21; Mc 11; Lc 19; Entrevista dos Gregos com Jesus - Jo 12.20-36 A figueira Infrutífera. Mt 21; Mc 113ª Feira – Controvérsias no Templo Desafiada a autoridade de Cristo - Mt 21.; Mc 11; Lc 20 Três perguntas ardilosas - Mt 22; Mc 12; Lc 20; Jesus desafia os lideres – Mt 22 e 23; Mc 12; Lc 20 e 21;
  23. 23. 3ª Feira – Controvérsias no Templo (cont.) Outros discurso de Jesus - Jo 12.20 Sermão da Montanha - Mt 24-25; Mc 13; Lc 214ª Feira - Jesus descansou em Bethânia Mt 26; Mc 14 Lc 22; Jo 12 - (JUDAS TRAI JESUS )5ª Feira - (dia da Páscoa) Preparação para Ceia - Mt 26; Mc 14; Lc 22. Jesus Celebra a páscoa Lava os pés dos discípulos - Jo 13 Predita a traição de Judas - Mt 26; Mc 14; Lc 22; Jo 13 ... Finaliza com Jo 17
  24. 24. 6ª Feira - Meia Noite ás 2hs Getsemani: Oração, traição, prisão e abandono- Mt 26; Mc 14; Mc 22; Lc 22; Jo 18 Julgamento Religioso:☞ Anás “Sumo sacerdote emérito” - Jo 18☞ Caifás “sumo sacerdote em ação” - Mt 26; Mc 14; Lc 22; Jo 18 Negação de Pedro (os 4 ev.) No Sinédrio: formalmente condenado - Mt 27; Mc 15; Lc 22 Suicidio de Judas – Mt 27
  25. 25.  Julgamento Político:☞ Pilatos - Mt 27; Mc 15; Lc 23; Jo 18☞ Herodes - Lc 23☞ Pilatos - Mt 27; Mc 15; Lc 23; Jo 18 Zombaria dos Soldados - Mt e Mc Do fórum ao Calvário - Mt 27; Mc 15; Lc 23; Jo 19 Crucificação Morte SepultamentoSABADO: Morto - A guarda do sepulcro Mt 27.62-63Domingo: Ressurreição Mt 28; Mc 16; Lc 24; Jo 20
  26. 26. Dia da Morte de JesusMc 15.42 - Era o Dia da Preparação, isto é, a véspera do sábado,Mt. 27.62, 63 - No dia seguinte, isto é, no sábado, os chefes dossacerdotes e os fariseus dirigiram-se a Pilatos 63 e disseram: “Senhor,lembramos que, enquanto ainda estava vivo, aquele impostor disse:„Depois de três dias ressuscitarei‟.Lc 23. 50,56 - Era o Dia da Preparação, e estava para começar o sábado. V 54 – cf v56Jo 19. 31 - Era o Dia da Preparação e o dia seguinte seria umsábado especialmente sagrado. Como não queriam que os corpospermanecessem na cruz durante o sábado, os judeus pediram aPilatos que mandasse quebrar as pernas dos crucificados e retirar oscorpos.
  27. 27. Mateus 12:40: “Pois, como Jonas esteve três dias e três noites noventre da baleia, assim estará o Filho do homem três dias e três noitesno seio da terra.” cf Mc 8.311º argumento - Uma vez que Jesus esteve na sepultura parte dasexta-feira, todo o sábado e parte do domingo, podemos considerar queesteve na sepultura por três dias.Mateus 16:21 e Lucas 9:22 ensinam que Jesus ressuscitariaao terceiro dia, por isso, Ele não precisaria permanecer na sepultura porcompletos três dias e noites.2º argumento - A opinião a respeito da quarta-feira comoo dia da crucificação
  28. 28. Após o primeiro (o que ocorreu na noite da crucificação,Mc 15:42; Lc 23:52-54) as mulheres compraramespeciarias – fizeram a compra após o sábado (Mr 16:1).A visão sobre a quarta-feira diz que este “Sábado” era aPáscoa (veja Levítico 16:29-31; 23:24-32, 39, onde serefere como sábado dias santos que não eramnecessariamente o sétimo dia da semana).O segundo sábado daquela semana era o sábadonormal. Note que em Lucas 23:56, as mulheres quehaviam comprado as especiarias após o primeiro sábadoretornaram e prepararam as especiarias e ungüentos, edepois “... no sábado repousaram, conforme omandamento” (Lucas 23:56).
  29. 29. Elas não poderiam ter comprado as especiarias após o sábado, ouprepará-las antes do sábado, a não ser que houvesse dois sábados.Com esta visão de dois sábados, se Cristo foi crucificado na quinta-feira, então o sábado sagrado (a Páscoa) teria começado na quinta-feira ao pôr-do-sol e terminado na sexta-feira também ao pôr-do-sol –ao iniciar o sábado semanal. Comprando as especiarias após oprimeiro sábado (Páscoa) teria significado que as compraram nosábado e que estariam descumprindo o sábado. Por este motivo, estavisão afirma que a única explicação que não viola o relato bíblico dasmulheres com as especiarias e não se choca com uma compreensãoliteral de Mateus 12:40, é que Cristo foi crucificado na quarta-feira. Osábado que era o dia sagrado (Páscoa) ocorreu em uma quinta-feira,as mulheres compraram as especiarias (depois disso) na sexta-feira,retornaram e as prepararam no mesmo dia, e depois descansaram nosábado, o sábado semanal, tendo depois trazido as especiarias àsepultura no domingo cedo.
  30. 30. Ele foi sepultado perto do pôr-do-sol na quarta-feira, quecomeçou na quinta-feira no calendário judaico. Usando umcalendário judaico,temos: a) quinta-feira à noite (primeira noite), o dia de quinta-feira (primeiro dia), b) sexta-feira à noite (segunda noite), o dia de sexta-feira (segundo dia), c) sábado à noite (terceira noite), o dia de sábado (terceiro dia).Ele ressurgiu, a Bíblia diz que foi antes do nascer do sol no domingo(João 20:1, Maria Madalena veio “de madrugada, sendo ainda escuro”, ea pedra havia sido deslocada, e ela, encontrando Pedro, disse: “levaramo Senhor do sepulcro”) de modo que Ele pode ter ressuscitado bemcedo, logo depois do pôr-do-sol sábado à noite, que começou noprimeiro dia da semana dos judeus.
  31. 31. Obs. - Em Mt 28:1, o grego seria traduzido: “no final dosshabats” – [shabatS é] uma palavra no plural –observando que houve mais do que um sábado na semanaanterior. O primeiro dia da Festa dos PãesÁzimos também era considerado como “shabat” (Lv 23:67). Esta festa é celebrada em Nissan 15, o dia após a Páscoa(Lv 23:5-6). Jesus foi crucificado na Páscoa e Marcos 15:42-43 observa que José de Arimatéia desejada tirar o corpo deCristo da cruz antes que o shabat começasse.Se a Páscoa, o 14º dia de Nissan, caísse mais cedo nasemana, o 15º teria sido algum dia antes de sábado (oShabat semanal). “Quando os shabats tiverem passado”seria, claro, domingo (na realidade, sábado após o pôr dosol), de acordo com a festa das Primícias (Algunsdefendem a crucificação numa quinta-feira por base similar).
  32. 32. João 12:1 menciona que Jesus viajou a Betânia seis dias antes daPáscoa. Os dias hebraicos são contados de pôr do sol a pôr do sol,assim, cada “dia” começa no pôr do sol da tarde anterior. Esses seisperíodos tarde-até-manhã são importantes para nossa compreensãode todas as festas do Antigo Testamento, particularmente as festas dePáscoa, dos Pães Ázimos, e das Primícias.DIA UM – SEXTA FEIRA – 9º de NissanSabemos por Lucas 19:1 e Marcos 10:46 que Jesus estava em Jericó,antes de viajar para Bethânia. Jesus teria que estar em Bethânia antesde começar o pôr do sol de sexta feira, já que o pôr do sol de Shabatestaria começando e viagem de longa distância não era permitida noShabat. DIA DOIS – SÁBADO (pôr do sol de Sexta até pôr do solde Sábado) – O 10º dia de Nissan"No dia seguinte muitas pessoas que vieram para a festa,quando ouviram que Jesus estava chegando a Jerusalém,pegaram ramos de palmeiras e foram se encontrar com Elee gritavam Hosana! Bendito é o Rei de Israel que veio emnome do Senhor.”- João 12:12-13.
  33. 33. DIA TRÊS - DOMINGO (pôr do sol de Sábado ao pôr do sol de Domingo) – O 11º dia de NissanDIA QUATRO – SEGUNDA FEIRA (pôr do sol de domingo ao pôr do sol de Segunda feira) – O 12º dia de Nissan Um dia quieto em Betânia – Mt 26:2-6 (passado na casa de Simão o Leproso)DIA CINCO – TERÇA FEIRA (pôr do sol de segunda-feira ao pôr do sol de terça-feira) - O 13º dia de Nissan
  34. 34. DIA SEIS – QUARTA FEIRA (pôr do sol deterça-feira ao pôr do sol de quarta-feira) – O 14º dia deNissanAcontece a Última Ceia na refeição de Páscoa (Lc 22:15- 20, João 13:17).Ele lavou os pés deles.- Foi preso no Jardim após a traição de Judas.- Após vários interrogatórios foi espancado e finalmente crucificado na quarta feira à tarde.- Os preparativos para o enterro foram feiras antes do pôr do sol (Mc15:42-43).
  35. 35. Os Fatos Finais da Vida de JesusA Crucificação - Ανασταύρωσις - AnastavrosisA crucificação tratava-se de um ato deextermínio de marginais capaz de levar oréu a sofrimentos além daquilo que apessoa podia suportar.O réu, inclusive,agonizante na cruz, após longas horas desofrimento, costumava morrer apenasdepois de ter as duas pernas quebradaspelas autoridades. Esse tipo de execuçãofoi criado pelos persas 600 anos a.C.
  36. 36. Os Passos da CrucificaçãoUm buraco, previamente aberto no solo rochoso, de cercade 55 a 60 centímetros, era preparado para manter a cruzem posição vertical e ajustada.A cruz, posteriormente, eraestendida sobre a rocha, quando o réu deitava-se sobre amesma para ser pregado através das mãos e dos pés.A cruz era levantada, erguida em posição vertical porvários homens que lançavam-na dentro do buracopreviamente aberto no solo. ESSE MOMENTO ERAACOMPANHADO DE GRANDE SOFRIMENTO DO RÉU,FACE À TREPIDAÇÃO DA CRUZ DENTRO DO BURACO. Era quase impossível ao réu esconder as lágrimas,gemidos ou brados de dor.
  37. 37. O Tumulo VazioO Tumulo Ocupado_ Velas e imagens
  38. 38. Sl 22.18 - Eles repartem entre si as minhas roupas e fazem sorteio da minha túnica.Porque Jesus morreu antes dos outros dois crucificados?O caráter judicial de Sua morte.. Era deveras essencial que Cristo não sofresse morte natural, nem acidental,e que não morresse pelas mãos de um assassino, mas sob sentença judicial.Ele tinha que ser contado com os transgressores e condenado comocriminosos. Além disso, Deus dispôs providencialmente que o Mediadorfosse julgado e sentenciado por um juiz romano. Os romanos tinham talentopara a lei e a justiça, e representavam o poder judicial mais
  39. 39. Aparição de Cristo 1. A Maria Madalena 2. Aos discipulos – sem tomé 3. Aos discipulos – 8 dia após – com Tome 4. Aos 7 discipulos – Jo 21- pescandoJesus Cristo – Após a Ressurreição – Manifesta-SEaos Discípulos e Alimenta-SE de um Pedaço de Peixee Um Favo de Mel - Lc 24:36-43Como explicar esse evento, se Jesus Cristo, agora, encontrava-SE 100% espírito, ou seja, em corpo unicamente espiritual?
  40. 40. • 1. PRIMEIRO: Não existe registro bíblico de que as criaturas espirituais alimentam-se como se fossem pessoas naturais. A natureza dos seres espirituais é sobrenatural e os exclui dos gêneros alimentícios.• SEGUNDO: No entanto, na Θεουάνεια <APARIÇÃO DA DIVINDADE = “Manifestação da Divindade em algum lugar, acontecimento ou pessoa” – “O Anjo do Senhor”> de Gn 18 deparamo-nos com o inédito fato de seres espirituais alimentando-se como se fossem pessoas naturais – Jz 2:1-5.• Gn 18:1-8. Estamos na cidade de Hebrom <Gn 13:18>.• Três pessoas celestiais, consequentemente, sobrenaturais, alimentam-se diante de Abraão, que não teve dúvida em reconhecer numa dessas três pessoas O próprio Senhor (Θεουάνεια).
  41. 41. • NOTA: As raras vezes em que a Bíblia menciona pessoas sobrenaturais se alimentando são o resultado de concessão extraordinária de autorização dada por Deus, por propósitos específicos de identificação. As raríssimas exceções apenas glorificam a Deus pelo Seu extraordinário poder, mas não acompanham a natureza dos anjos.• TERCEIRO: Jesus, o próprio Criador Onipotente, alimentou-SE sentado a uma mesa junto a Seus discípulos. Afinal, Ele é O Criador. O próprio Jesus, revelou em Mt 28:18>>> “É me dado todo o poder no Céu e na TERRA”.
  42. 42. Pregar bem e com eficácia Ensinar Objetivos Proporcionar o conhecimentoprincípios de etiqueta da dos vários tipos de ministerial homilética sermões Organizar e estruturar o sermão que irá pregar

×