Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

EstratéGias De Aprendizagem1

3,471 views

Published on

Apresentação sobre Estratégias de Aprendizagem de Línguas

Published in: Education, Technology

EstratéGias De Aprendizagem1

  1. 1. ESTRATÉGIAS DE APRENDIZAGEM: Aprendendo a aprender Eliane Carolina de Oliveira
  2. 2. Estratégias de Aprendizagem <ul><li>“ Educação é algo executado por um professor perante uma classe. Este transmite informações para um grupo de aprendizes os quais estão todos dispostos e aptos a assimilá-lo.” (adaptado de Williams & Burden, 1997, p. 05) </li></ul>
  3. 3. O APRENDIZ… <ul><li>é um participante ativo no processo de aprendizagem; </li></ul><ul><li>faz uso de várias estratégias mentais com o objetivo de organizar o sistema da língua alvo. </li></ul>
  4. 4. O APRENDIZ… <ul><li>longe de ser passivo, constrói seu próprio entendimento das coisas. </li></ul><ul><li>Esse entendimento será único pois as atividades de aprendizagem serão abordadas segundo as estratégias individuais de cada um. </li></ul>
  5. 5. O APRENDIZ… <ul><li>não é um receptáculo vazio esperando para ser preenchido. </li></ul><ul><li>traz consigo suas necessidades pessoais, desejos, experiências de vida, conhecimento prévio, etc. </li></ul><ul><li>Se lhe forem dadas oportunidades, ele poderá tomar importantes decisões por sua própria conta, assumir responsabilidade pela sua própria aprendizagem e seguir em frente. </li></ul>
  6. 6. Estratégias de Aprendizagem <ul><li>PESQUISAS NA DÉCADA DE 70 </li></ul><ul><li>Rubin, 1975; Stern, 1975; Naiman et al., 1978 </li></ul>O BOM APRENDIZ DE LÍNGUAS Como as pessoas empreendem a tarefa de aprender algo? Por que algumas pessoas são mais eficientes que outras ao aprender? As características dos bons aprendizes podem ser ensinadas a aprendizes não tão bons? Quais são as características do bom aprendiz de língua?
  7. 7. <ul><li>Em termos gerais, o bom aprendiz e línguas é: </li></ul><ul><ul><li>a. auto-consciente; </li></ul></ul><ul><ul><li>b. curioso e tolerante; </li></ul></ul><ul><ul><li>c. auto-crítico; </li></ul></ul><ul><ul><li>d. realista; </li></ul></ul><ul><ul><li>e. disposto a experienciar; </li></ul></ul><ul><ul><li>f. envolvido ativamente; </li></ul></ul><ul><ul><li>g. organizado. </li></ul></ul>
  8. 8. Estratégias de Aprendizagem: aprender a aprender <ul><li>O objetivo de ensinar os alunos a aprender a aprender é levá-los a considerar os fatores que afetam seu processo de aprendizagem e descobrir as estratégias que eles já fazem uso, assim como informá-los e incentivá-los a fazerem uso de outras que se adequam ao seu estilo de aprender. </li></ul><ul><li>Chamar à sua atenção sobre o processo de aprendizagem de maneira que a ênfase seja em como aprender ao invés de o que aprender. </li></ul><ul><li>Learner training, therefore, aims to provide learners with the alternatives from which they can make informed choices about what , how , why , when and where they learn.” (Dickinson, 1992, p. 13) </li></ul><ul><li>O objetivo de ensinr os alunos a aprender a aprender é ajudar todos os alunos, especialmente aqueles que são menos eficientes, a se tornarem mais ativos e independentes no seu processo de aprendizagem. </li></ul>
  9. 9. Estratégias de Aprendizagem <ul><li>Exemplos: </li></ul><ul><li>Repetir as palavras várias vezes; </li></ul><ul><li>Ouvir atentamente para tentar distinguir as palavras; </li></ul><ul><li>Tentar descobrir as “regras” formando hipóteses sobre a língua; </li></ul><ul><li>Adivinhar o significado das palavras; </li></ul><ul><li>ensaiar na mente o que irá dizer; </li></ul><ul><li>pedir ao falante para repetir algo; </li></ul><ul><li>Fingir que entendeu para manter a conversação; </li></ul><ul><li>ESTRATÉGIAS </li></ul><ul><ul><li>Estratégias vs. Habilidades - </li></ul></ul>
  10. 10. Estratégias de Aprendizagem <ul><ul><li>Contribuem para o objetivo principal: competência comunicativa; </li></ul></ul><ul><ul><li>Faz com que os alunos se tornem mais auto-direcionados; </li></ul></ul><ul><ul><li>Expandem o papel do professor; </li></ul></ul><ul><ul><li>São orientadas para a resolução de um problema; </li></ul></ul><ul><ul><li>São ações específicas feitas pelos aprendizes; </li></ul></ul><ul><ul><li>Envolvem muitos aspectos dos estudantes, não apenas o cognitivo; </li></ul></ul><ul><ul><li>Auxiliam a aprendizagem de modo direto e indireto; </li></ul></ul><ul><ul><li>Não são sempre observáveis; </li></ul></ul><ul><ul><li>São geralmente conscientes; </li></ul></ul><ul><ul><li>Podem ser ensinadas; </li></ul></ul><ul><ul><li>São flexíveis; </li></ul></ul><ul><ul><li>São influenciadas por uma variedade de fatores. </li></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Oxford, 1990, p.9 </li></ul></ul></ul></ul>
  11. 11. Estratégias de Aprendizagem <ul><li>Rubin (1975) Distinção </li></ul><ul><ul><li>Estratégias que contribuem diretamente para a aprendizagem (Estratégias diretas) e </li></ul></ul><ul><ul><li>Estratégias que contribuem indiretamente para a aprendizagem (Estratégias indiretas) </li></ul></ul><ul><ul><li>Estratégias de Aprendizagem </li></ul></ul><ul><ul><li>1. Estratégias Cognitivas – dizem respeito aos processos mentais por meio dos quais os aprendizes adquirem conhecimento do sistema lingüístico. </li></ul></ul><ul><ul><li>2. Estratégias Metacognitivas - usadas para supervisionar, regular ou auto-direcionar a aprendizagem de língua. </li></ul></ul><ul><ul><li>Estratégias de Comunicação - usadas pelos aprendizes para promover a comunicação com os outros. </li></ul></ul><ul><ul><li>Estratégias Sociais – atividades utilizadas pelos aprendizes para aumentar sua exposição à língua. </li></ul></ul>
  12. 12. Estratégias de Aprendizagem (Oxford 1990) <ul><li>ESTRATÉGIAS DIRETAS </li></ul><ul><ul><li>Estratégias de Memória </li></ul></ul><ul><ul><li>Estratégias Cognitivas </li></ul></ul><ul><ul><li>Estratégias de Compensação </li></ul></ul><ul><li>ESTRATÉGIAS INDIRETAS </li></ul><ul><ul><li>Estratégias Metacognitivas </li></ul></ul><ul><ul><li>Estratégias Afectivas </li></ul></ul><ul><ul><li>Estratégias Sociais </li></ul></ul>
  13. 13. ESTRATÉGIAS DIRETAS <ul><li>Estratégias de Memória </li></ul><ul><ul><li>A. Criar elos mentais </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>1 - agrupar </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>2 – associar/elaborar </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>3 – colocar as palavras novas em um contexto </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>B. Utilizar imagens e sons </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>1 – usar a imaginação 2 – mapa semânitco </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>3 – usar palavras chave 4 – representar os sons na memória </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>C. Armazenar bem </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>1 – Revisão estruturada </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>D. Empregar ações </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>1 – fazer uso de resposta física ou de sentimento </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>2 – usar técnicas mecânicas </li></ul></ul></ul>
  14. 14. ESTRATÉGIAS DIRETAS <ul><li>Estratégias Cognitivas </li></ul><ul><ul><li>A. Praticar </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>1 - repetir </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>2 – praticar formalmente com o sistema de sons e a escrita </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>3 – reconhecer e usar fórmulas e padrões </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>4 - recombinar </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>5- praticar em ambiente natural </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>B. Receber e enviar mensagens </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>1 – “pegar” a idéia rapidamente </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>2 – usar recursos para enviar e receber mensagens </li></ul></ul></ul>
  15. 15. ESTRATÉGIAS DIRETAS <ul><li>Cognitive Strategies </li></ul><ul><ul><li>C. Analisar e Concluir </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>1 – concluir por meio de dedução </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>2 – analisar expressões </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>3 –analisar contrastivamente (entre línguas) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>4 - traduzir </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>5 - transferir </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>D. Criar embasamento para input e output </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>1 - anotar </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>2 - resumir </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>3 - destacar </li></ul></ul></ul>
  16. 16. ESTRATÉGIAS DIRETAS <ul><li>Estratégias de compensação </li></ul><ul><ul><li>A. Hipotetizar de forma inteligente </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>1 – usar pistas lingüísticas </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>2 – usar outras pistas </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>B. Superar limitações na escrita e na fala </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>1 – mudar para a língua nativa </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>2 – pedir ajuda </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>3 – usar mímica ou gestos </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>4 – evitar a comunicação parcialmente ou totalmente </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>5 – selecionar o tópico </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>6 – ajustar a mensagem </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>7 – criar palavras </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>8 – usar sinônimo </li></ul></ul></ul>
  17. 17. ESTRATÉGIAS INDIRETAS – Estratégias metacognitivas <ul><ul><li>A. Centralizando a aprendizagem </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>1 – relembrar e associar à conteúdos já aprendidos </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>2 – prestar atenção </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>3 – adiar a produção oral para concentra-se na compreensão oral </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>B. Planejando a aprendizagem </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>1 – investigar a aprendizagem de línguas </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>2 - organizar </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>3 – estabelecer metas e objetivos </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>4 – identificar o propósito da atividade ( de escrita, fala, leitura e/ou compreensão oral) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>5 – preparar-se para uma atividade </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>6 – procurar oportunidades de prática </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>C. Avaliando a aprendizagem </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>1 – auto-monitoramento </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>2 – auto-avaliação </li></ul></ul></ul>
  18. 18. ESTRATÉGIAS INDIRETAS – Estratégias afetivas <ul><ul><li>A. Diminuir a ansiedade </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>1 – utilizar relaxamento progressivo, respirando profundamente ou meditando </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>2 – utilizar música </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>3 – utilizar o riso </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>B. Encorajar a si mesmo </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>1 – elaborar afirmações positivas </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>2 – arriscar-se sensatamente </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>3 – recompensar-se </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>C. Tomar sua temperatura emocional </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>1 – ouvir seu próprio corpo </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>2 – utilisar uma lista de verificação </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>3 – escrever um diário de aprendizagem de língua </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>4 – discutir seus sentimento com outras pessoas </li></ul></ul></ul>
  19. 19. ESTRATÉGIAS INDIRETAS – Estratégias sociais <ul><li>- A. Fazer perguntas </li></ul><ul><ul><ul><li>1 – verificar e pedir esclarecimentos </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>2 – pedir para ser corrigido </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>B. Cooperar com os outros </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>1 – cooperar com os colegas </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>2 – colaborar com usuários proficientes da nova língua </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>C. Solidarizar-se com os outros </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>1 – desenvolver entendimento cultural </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>2 – conscientizar-se dos pensamentos e sentimentos dos outros </li></ul></ul></ul>
  20. 20. Aprender a Aprender <ul><li>Dickinson (1980) </li></ul><ul><ul><li>Alunos devem ser preparados do ponto de vista metodológico e psicológico; </li></ul></ul><ul><ul><li>Preparo psicológico é uma questão de persuadir o aluno de que ele pode e deve ter um papel mais ativo e independente; é mostrar que o professor está com ele no momento da aula, mas que há fontes extra-classe para obtenção de conhecimento; </li></ul></ul><ul><ul><li>Preparo Metodológico é feito por meio do ensino de técnicas/ estratégias de aprendizagem além de fornecer oportunidade de prática mais independente; </li></ul></ul>
  21. 21. Aprender a Aprender <ul><li>Alunos fracos assim como os alunos eficientes fazem uso de estratégias cognitivas (maneiras conscientes de lidar com as tarefas de aprendizagem). </li></ul><ul><li>O que distingue os fracos dos bons aprendizes é, parcialmente, uma questão de os últimos utilizarem as estratégias metacognitivas. (usadas para controlar o processo de aprendizagem) por exemplo: </li></ul><ul><ul><li>a. identificar a atividade; </li></ul></ul><ul><ul><li>b. selecionar a estratégia cognitiva apropriada; </li></ul></ul><ul><ul><li>c. monitorar o uso desta; </li></ul></ul><ul><ul><li>d. verificar se a atividade está completa e </li></ul></ul><ul><ul><li>e. avaliar a eficácia da aprendizagem. </li></ul></ul>
  22. 22. Aprender a |Aprender Brown and Palincsar (1982) <ul><ul><li>Aprendizes que sabem o que é uma </li></ul></ul><ul><ul><li>estratégia, para que e como ela é utilizada </li></ul></ul><ul><ul><li>e também que ela auxilia na realização das atividades de aprendizagem </li></ul></ul><ul><ul><li>(informed training) </li></ul></ul><ul><ul><li>VS. </li></ul></ul><ul><ul><li>Aprendizes que sabem o que é uma estratégia, mas não lhes disseram como ela pode ajuda-los (blind training). </li></ul></ul><ul><ul><li>Os que tiveram informed training fizeram uso mais eficiente da estratégias do que os que tiveram blind training . Entretanto, os alunos que tiveram a oportunidade de praticar o uso da estratégia e monitorar seus efeitos (auto-controle) tiveram um resultado melhor com a estratégia específica. </li></ul></ul>
  23. 23. Aprendendo a Aprender <ul><li>Gremmo (1998) </li></ul><ul><li>Questionar o modelo tradicional de ensino: a melhor maneira para os alunos aprenderem é se colocarem nas mãos de um expert que fornecerá o conhecimento e o know-how necessários para que eles melhorem o seu desempenho. </li></ul>
  24. 24. Aprendendo a Aprender <ul><li>professores não são mais os únicos capazes de fornecer prática lingüística: a televisão a cabo, a rede internet , os cassetes, CD-roms , self-access centres, dentre outros recursos; </li></ul><ul><li>necessidade de mudanças de foco do ensino mais centralizado no professor para um mais centrado nos alunos; </li></ul><ul><li>Estes devem assumir uma parcela maior de responsabilidade pela própria aprendizagem. </li></ul>
  25. 25. Aprendendo a Aprender <ul><li>ensina-se para que o indivíduo se torne capaz de aprender sem depender exclusivamente do professor. </li></ul><ul><li>O educador deve mudar o seu papel tradicional de “the authority from whom all knowledge flows” (Armanet & Obese-jecty, 1981, p.26) para o daquele que mediará e fornecerá os meios para o processo de autonomia dos aprendizes. </li></ul>
  26. 26. Aprendendo a Aprender <ul><li>Para assumir esse novo papel, o professor também deve ser “treinado”, isto é, não se deve assumir que o professor possui o conhecimento necessário para implementar o treinamento de aprendizes se eles não tiverem esse componente em cursos de formação. </li></ul>
  27. 27. ESTRATÉGIAS DE APRENDIZAGEM: Aprendendo a aprender Eliane Carolina de Oliveira

×