Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Questões sobre a auditoria às contas públicas

909 views

Published on

Pena é que haja visões religiosas sobre o tema. E com sistemas de crenças, o diálogo é impossível

Published in: Travel, Business
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Questões sobre a auditoria às contas públicas

  1. 1. Questões sobre a auditoria às contas públicas (depois da conferênciacom Eric Toussaint)Estive ontem a ouvir atenta e interessadamente o Eric Toussaint e, comoé óbvio, as conclusões que tirei corroboram o que venho dizendo por aí,particularmente em:http://www.slideshare.net/durgarrai/sobre-a-ideia-enganadora-da-auditoria-dvida 1 - Até hoje só se fizeram auditorias depois de mudança do poder e/ouapós forte mobilização popular (Argentina, Paraguai, Equador, Islândia)e, por “acaso” em países com soberania, moeda, política monetária,financeira e orçamental próprias;2 – Em Portugal não houve mudança no poder, não há mobilizaçãopopular para coisa alguma e não é de esperar quqlquer colaboraçãoda nomenklatura para suportar e fornecer dados aos “auditorescidadãos”… para não falar em pagar essa auditoria que não pode serfeita só com base em boas vontades mas, com conhecimentosprofundos nas áreas juridica, das finanças e da contabilidade pública;3 – Como o Toussaint respondeu a uma pergunta minha, onde não hámobilização, apoio ou interesse do poder político só é concebívelproceder às análises possíveis com os dados disponíveis, fazê-lo demodo sistemático e através de grupos vocacionados para o efeito, comdivulgação e mobilização das pessoas para perceberem einteressarem-se sobre as manobras dos gangs no poder;4 – Portanto, como sempre disse, não há condições técnicas para seproceder a uma auditoria5 – Para se proceder a uma necessária auditoria é preciso primeiromobilizar as pessoas com uma proposta forte do género “não pagamosesta dívida”, avançar com os dados disponíveis que levantem o véu dasua ilegitimidade, que evidenciem a corrupção que atravessa ospartidos do poder, para gerar movimento social que pressione epromova a queda deste poder que, sabemos bem quem serve;6 – Sem uma proposta política séria não há onde enquadrar umaauditoria. Descontextualizar politicamente uma auditoria é transformarum instrumento em objectivo. É coisa de principiantes da política comalgum deslumbramento por protagonismos recentes;7 – Lamento o desapontamento de alguns desses principiantes queforam convidar um homem credenciado que afinal, veio colocarclaramente a inviabilidade técnica de uma auditoria às contas públicasno actual contexto político e, sobretudo da luta política em Portugal
  2. 2. Junta-se em anexo ligações para as intervenções de Eric Toussaint eBoaventura Sousa Santos na referida Conferência realizada em Lisboa a30/6/2011http://www.facebook.com/l/JAQCIj7VmAQD9W-exxOHBikl4_PHlg5SZeePJYH3L_kSa9Q/www.youtube.com/watch?v=a4tpcCdlgJUhttp://www.youtube.com/watch?v=5BgzmtvhCE0http://www.youtube.com/watch?v=sShusloJ3i0&feature=channel_video_title

×