Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
Deisiane Lima¹, Deisy Nataly ¹, Erika Ribeiro¹, Isadora¹
Jéssica Castro ¹, Sheila Nascimento ¹, MARCOS ROSSI².
1 Discentes...
 São animais cnidários da classe Anthozoa,
que segregam um exoesqueleto
calcário ou de matéria orgânica, ao
contrário das...
esponjas
equinodermatas
crustáceos
tartarugas marinhas
moluscos
Das aproximadamente 48 000 espécies
reconhecidas de verteb...
 Fatores que interferem na distribuição
dos corais:
 Temperatura;
 Intensidade luminosa;
 Profundidade;
 Nutrientes e...
Barreira de Corais da Austrália
Barreira de Corais de Belize
 São animais cnidários simbiontes com zooxantelas que
constituem colônias fornecedora energia em troca de abrigo
e fixaçã...
 Algas unicelulares
 Vivem dentro das paredes
celulares de cada pólipo
SIMBIOSE
O pólipo recebe das zooxantelas os subpr...
•Podem ser continentais ou oceânicos;
•Existem 3 principais tipos de recifes:
1. Em franja
2. De barreira
3. Atóis
Reprodução Sexuada
Brotamento
 A maioria das espécies de coral que
constroem recifes desenvolve-se em
águas tropicais e subtropicais, mas podem
encontr...
 A maioria das espécies de corais formadoras de recifes
é endêmica de águas brasileiras . E contribuem na
formação de est...
 Este fenômeno é descrito genericamente como a perda
parcial ou total da pigmentação dos corais, podendo
envolver tanto a...
 O caranguejo peludo
de coral ("Cymo
melanodactylus")
ajuda a retardar o
branqueamento da
Grande Barreira de
Corais da Au...
 Os recifes de corais são ecossistemas
marinhos com uma grande
biodiversidade e com isso tem muita
importância tanto no a...
• Produção de alimento
• Proteção da costa
• Proteção climática
• Farmacologia
• Odontologia
• Medicina
• Indústria de cos...
 Os corais estão cercados por ameaças em escalas globais e locais
LOCAIS GLOBAIS
Desenvolvimento humano Altas temperatura...
Com a destruição dos recifes de corais causam além
das perturbações ecológicas (alterações na teia
alimentar, perda de hab...
 Criação e manutenção de parques
 Regulamentação e fiscalização da pesca
 Educação ambiental
 Turismo ecológico
 Gest...
• Particularmente, os corais são importantes
atrativos turísticos. Em muitas localidades, a
atividade turística tem aprese...
• Associados aos manguezais,representam fonte
de recursos pesqueiros para muitas
comunidades.
Entretanto, o desenvolviment...
 Pequena parte dos recifes brasileiros está protegida por meio
de Unidades de conservação, que são áreas protegidas por
l...
Parque Nacional Marinho de Abrolhos/BA
Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha/PE
Área de proteção ambiental
Tinhar...
Zelinda Margarida Andrade Nery Leão1,2,
Ruy Kenji Papa de Kikuchi & Marília de Dirceu Machado de Oliveira1
1Curso de Pós-G...
Levantamento de Dados Climáticos :
Internet: Equipe ORA/OSDPD/NOAA;
Aquisição dos dados de campo :
 Protocolo AGRRA(Se...
1. Acompanhamento da ocorrência de
branqueamento de corais.
Entre os anos de 1998 a 2005,com exceção da
região de Cabráli...
•Milepora
•Siderastrea spp
Millepora
ascicornis
M. braziliensis
M. nitida
Favia
gravida
F.
leptophylla
Madracis
decactis
Mussismilia
braziliensis
M. hispida
Montastraea
carvernosa
M. harttii
Porites
astreoides
P. branneri
Agaricia
agaricites
Biologia marinha - recife de corais
Biologia marinha - recife de corais
Biologia marinha - recife de corais
Biologia marinha - recife de corais
Biologia marinha - recife de corais
Biologia marinha - recife de corais
Biologia marinha - recife de corais
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Biologia marinha - recife de corais

10,571 views

Published on

Biologia marinha - recife de corais

  1. 1. Deisiane Lima¹, Deisy Nataly ¹, Erika Ribeiro¹, Isadora¹ Jéssica Castro ¹, Sheila Nascimento ¹, MARCOS ROSSI². 1 Discentes do curso de Ciências Biológicas do Centro Universitário Jorge Amado. 2 Docente da disciplina Biologia Marinha do curso de Ciências Biológicas do Centro Universitário Jorge Amado.
  2. 2.  São animais cnidários da classe Anthozoa, que segregam um exoesqueleto calcário ou de matéria orgânica, ao contrário das anêmonas do-mar que pertencem à mesma classe.  Os corais podem constituir colônias coloridas e podem formar recifes de grandes dimensões.  os recifes só se formam em águas claras, geralmente acima de 50 metros de profundidade. Classificação Reino: Animália Sub- reino: Metazoa Filo: Cnidaria Classe: Arithozoa
  3. 3. esponjas equinodermatas crustáceos tartarugas marinhas moluscos Das aproximadamente 48 000 espécies reconhecidas de vertebrados, mais de metade (24 600) são peixes. Destes, mais de 60 % vivem exclusivamente em ambientes marinhos. Apesar dos recifes de coral serem menos de 1 % da área total de oceanos do mundo, aproximadamente metade de todas as espécies conhecidas de peixes marinhos encontram-se concentrados nestas águas tropicais.
  4. 4.  Fatores que interferem na distribuição dos corais:  Temperatura;  Intensidade luminosa;  Profundidade;  Nutrientes em suspensão e correntes;
  5. 5. Barreira de Corais da Austrália Barreira de Corais de Belize
  6. 6.  São animais cnidários simbiontes com zooxantelas que constituem colônias fornecedora energia em troca de abrigo e fixação.  Cnidários pertencentes neste grupo: madreporários; mileporas e heliopora.  Classificados em dois tipos, os zooxantelados e azooxantelados  Carnívoros → zooplâncton
  7. 7.  Algas unicelulares  Vivem dentro das paredes celulares de cada pólipo SIMBIOSE O pólipo recebe das zooxantelas os subprodutos da fotossíntese e os transforma em proteínas, gorduras e carboidratos o pólipo abriga as zooxantelas e fornece o carbono, os nitratos e os fosfatos que as algas precisam para a fotossíntese
  8. 8. •Podem ser continentais ou oceânicos; •Existem 3 principais tipos de recifes: 1. Em franja 2. De barreira 3. Atóis
  9. 9. Reprodução Sexuada Brotamento
  10. 10.  A maioria das espécies de coral que constroem recifes desenvolve-se em águas tropicais e subtropicais, mas podem encontrar-se pequenas colônias de coral até em águas frias, como ao largo da Noruega. Recife do coral Lophelia pertusa. (Águas Frias)
  11. 11.  A maioria das espécies de corais formadoras de recifes é endêmica de águas brasileiras . E contribuem na formação de estruturas que não são encontradas em nenhuma outras parte do mundo. Siderastrea stellata Mussismilia harttii Meandrina braziliensis Favia leptophylla Mussismilia hispida Mussismilia braziliensis
  12. 12.  Este fenômeno é descrito genericamente como a perda parcial ou total da pigmentação dos corais, podendo envolver tanto a perda de pigmentos fossintéticos das zooxantelas, como a expulsão destas pelo coral hospedeiro  Leva os seres à morte por uma série de fato- res, como o aumento da temperatura do mar, poluição e acidificação dos oceanos
  13. 13.  O caranguejo peludo de coral ("Cymo melanodactylus") ajuda a retardar o branqueamento da Grande Barreira de Corais da Austrália. Segundo estudo da Universidade James Cook, da Austrália, o branqueamento é três vezes mais lento graças à espécie, apontada anteriormente como uma ameaça ao ecossistema marinho
  14. 14.  Os recifes de corais são ecossistemas marinhos com uma grande biodiversidade e com isso tem muita importância tanto no ambiente marinho quanto para a sustentabilidade econômica para o ser humano.  Os ambientes recifais necessitam de águas claras, limpas e quentes. No Brasil, estas condições são frequentes no Nordeste, sendo a região de Abrolhos (BA) o local de maior diversidade de espécies de corais.
  15. 15. • Produção de alimento • Proteção da costa • Proteção climática • Farmacologia • Odontologia • Medicina • Indústria de cosméticos • Economia • Lazer • Histórica e cultural
  16. 16.  Os corais estão cercados por ameaças em escalas globais e locais LOCAIS GLOBAIS Desenvolvimento humano Altas temperaturas Sedimentação resultante da erosão e desflorestamento Acidificação oceânica Despejo de esgoto Efeitos sinergéticos causam estresse fisiológico Carregamento de nutriente e eutrofização da corrida agrícola, Enfraquecendo os corais e deixando-os susceptíveis à infecção por patogenias Mineração e captura predatória de animais para comércio Pesca Atividades recreativas
  17. 17. Com a destruição dos recifes de corais causam além das perturbações ecológicas (alterações na teia alimentar, perda de habitats, extinção de espécies.) A destruição causa erosão costeira e uma série de problemas econômicos, tais como:  Diminuição na atividade turística,  Suprimentos alimentares  Soluções em medicamentos  Forte impacto negativo na economia de países-ilha.
  18. 18.  Criação e manutenção de parques  Regulamentação e fiscalização da pesca  Educação ambiental  Turismo ecológico  Gestão integrada dos ambientes recifais, envolvendo a comunidade.  Restauração de áreas degradadas “Acima de tudo, para que os recifes de corais sejam preservados, é preciso cuidar do meio ambiente como um todo.”
  19. 19. • Particularmente, os corais são importantes atrativos turísticos. Em muitas localidades, a atividade turística tem apresentado significativo crescimento, gerando renda e emprego e estão se tornando a principal atividade econômica.
  20. 20. • Associados aos manguezais,representam fonte de recursos pesqueiros para muitas comunidades. Entretanto, o desenvolvimento descontrolado do turismo, tem provocado excesso de demanda que acabam provocando a sua deterioração
  21. 21.  Pequena parte dos recifes brasileiros está protegida por meio de Unidades de conservação, que são áreas protegidas por lei , criadas com o objetivo de conservar a natureza. (Lei nº 9.985 (SNUC) de 18 de julho de 2000) Reserva Biológica do Atol das Rocas/RN Área de Proteção Ambiental da Baía de Todos os Santos/BA
  22. 22. Parque Nacional Marinho de Abrolhos/BA Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha/PE Área de proteção ambiental Tinharé - Boipeba
  23. 23. Zelinda Margarida Andrade Nery Leão1,2, Ruy Kenji Papa de Kikuchi & Marília de Dirceu Machado de Oliveira1 1Curso de Pós-Graduação em Geologia – CPGG, Universidade Federal da Bahia – UFBA, Rua Barão de Jeremoabo, s/n, Ondina, CEP 40170-115, Salvador, BA, Brasil 2Autor para correspondência: Zelinda Leão, e-mail: zelinda@ufba.br
  24. 24. Levantamento de Dados Climáticos : Internet: Equipe ORA/OSDPD/NOAA; Aquisição dos dados de campo :  Protocolo AGRRA(Senso visual ao longo do transéctos); Técnica do vídeo transécto.
  25. 25. 1. Acompanhamento da ocorrência de branqueamento de corais. Entre os anos de 1998 a 2005,com exceção da região de Cabrália,em todas as áreas de recifes de corais ao longo da costa ,foi verificada a presença de coral com grau de branqueamento seja ele “Fraco” ou “Forte”.
  26. 26. •Milepora •Siderastrea spp Millepora ascicornis M. braziliensis M. nitida
  27. 27. Favia gravida F. leptophylla Madracis decactis Mussismilia braziliensis M. hispida
  28. 28. Montastraea carvernosa M. harttii Porites astreoides P. branneri Agaricia agaricites

×