Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Controles internos

102,649 views

Published on

  • Be the first to comment

Controles internos

  1. 1. CONTROLES INTERNOS Ms Karla Carioca
  2. 2. CONHECENDO O PROFESSORKarla Jeanny Falcão Carioca Mestre em Controladoria pela Universidade Federal do Ceará (UFC), com MBA em Gestão de Negócios de Energia Elétrica pela Fundação Getulio Vargas (FGV) e Bacharel em Ciências Contábeis pela Universidade Estadual do Ceará (UECE). Professora universitária de Graduação e Pós-Graduação. Palestrante e Instrutora de cursos com enfoque em Contabilidade Internacional, Governança Corporativa e Controles Internos. Sócia-Diretora da Dominus Auditoria, Consultoria e Treinamentos. Possui 14 anos de experiência na área de contabilidade, sendo 9 anos de experiência em normas internacionais de contabilidade e controles internos. Ms Karla Carioca
  3. 3. CONCEITOSOs controles internos são os conhecimentos, políticas, procedimentos e métodosorganizados para gerenciar os riscos e as oportunidades relacionadas ao ambienteexterno, às pessoas, à informação e comunicação e aos processos utilizados para atingiros objetivos estratégicos das empresas e de suas áreas de negócios. (Baraldi)Compreende o plano de organização e o conjunto integrado de método eprocedimentos adotados pela entidade na proteção do seu patrimônio, promoção daconfiabilidade e tempestividade dos seus registros e demonstrações contábeis, e da suaeficácia operacional (CFC)Uma forte estrutura de controles internos pode ajudar sua companhia a: tomar melhores decisões operacionais e obter informações mais pontuais; conquistar (ou reconquistar) a confiança dos investidores; evitar a evasão de recursos; cumprir leis e regulamentos aplicáveis; obter vantagem competitiva através de operações dinâmicas. (Deloitte) Ms Karla Carioca
  4. 4. OBJETIVOSCom o envolvimento de grandes empresas em escândalosadministrativos e financeiros foi provocado um grande abalo nomercado e evidenciou o sempre presente risco de fraudesA consequência disto foi um grande salto na necessidade dedivulgação e transparência nas empresasPode-se esperar que o controle interno forneça apenassegurança razoável, e não segurança absoluta Ms Karla Carioca
  5. 5. IMPORTÂNCIA Salvaguardar os ativos Desenvolvimento do negócioInformações tempestivas e corretas sobre o resultado das operações Cumprir com os objetivos traçados Ms Karla Carioca
  6. 6. RISCOS Variáveis que alteram o valor RISCOS DE de um instrumento MERCADO financeiro Risco: decorre da incerteza inerente ao conjunto de possíveis Perda resultante de processosconsequências (ganhos e RISCOS internos, pessoas e sistemas OPERACIONAIS inadequadosperdas) que resultam de decisões tomadas diariamente pela Atividades nas quais o êxito organização RISCOS DE depende de cumprimento pela CRÉDITO outra parte, emitente ou tomador Ms Karla Carioca
  7. 7. RESPOSTAS AOS RISCOSEvitar Riscos – exemplo: controles automatizados inibidorescom eficácia altíssima, como os controles contra violações doambiente de tecnologia da informação, que obrigatoriamentedevem buscar eficácia de 100%Reduzir Riscos – exemplo: controles para prevenir erros dentrode limites aceitáveis, como revisão e análise para verificar setodas as transações relevantes foram classificadasadequadamente Ms Karla Carioca
  8. 8. RESPOSTAS AOS RISCOSCompartilhar/transferir Riscos – exemplo: segurar bens edireitos contra riscos diversos, como seguro contra incêndio noprédio da fábrica, seguro da carga transportadaAceitar Riscos – Após verificar a probabilidade e impacto dosriscos e considerar a tolerância de riscos da empresa e o custodas três ações acima, a administração define o limite deexposição a riscos aceitável Ms Karla Carioca
  9. 9. TOLERÂNCIA AOS RISCOSAusência de Controles Controles em Excesso Controles Adequados Riscos Riscos Controles + Tolerância à Riscos Controles + Tolerância Riscos à Riscos Controles + Tolerância à Riscos Exposição a Exposição a Controles Riscos Custos Internos Inaceitáveis Excessivos Eficientes Ms Karla Carioca
  10. 10. TIPOS DE CONTROLESAdministrativos: procedimentos relacionados às operações daempresa, por exemplo, a exigência da empresa que todos osfuncionários realizem treinamento de segurançaContábeis: procedimentos relacionados à salvaguarda dosativos e garantia de que os registros, os saldos das contascontábeis e os relatórios financeiros são confiáveis, porexemplo, o controle patrimonial e identificação dos bens daempresa Ms Karla Carioca
  11. 11. TIPOS DE CONTROLESPreventivo: Executados no início do processo. Previnem oacontecimento de erros ou irregularidades e minimizam osriscos na fonte. Controle pró-ativo.Detectivo: Executados ao longo do processo. Detectam errosque são difíceis de definir ou prever. Controle reativo.Qual possui maior eficácia? PREVENTIVO Ms Karla Carioca
  12. 12. TIPOS DE CONTROLESAutomatizado: Controles executados por sistemasautomatizados, não dependendo de julgamentos pessoais. Paragarantir sua consistência, precisão e tempestividade, é precisoter um sistema seguro e confiávelManual: Controles manuais executados por pessoasQual possui maior eficácia? AUTOMATIZADO Ms Karla Carioca
  13. 13. ATIVIDADES BÁSICAS DE CONTROLESegurança e proteção dos ativos e arquivos de informação Documentação e registros adequados Segregação de funções Procedimentos adequados de autorização Verificações independentes Ms Karla Carioca
  14. 14. AMBIENTE DE CONTROLEPrincípios éticos de retidão e de integridade moral, dosindivíduos e da organizaçãoEstrutura organizacional adequada para as realizações denegóciosComprometimento com a competência e a eficiênciaFormação de uma cultura organizacionalEstilo e atitude exemplar dos administradoresPolíticas e práticas adequadas de RHSistemas adequadosGerenciamento Ms Karla Carioca
  15. 15. DÚVIDAS?PERGUNTAS? Ms Karla Carioca
  16. 16. REFERÊNCIASPASSOS, E. Ética nas Organizações. São Paulo: Atlas,2004SÁ, A.L. Ética Profissional. São Paulo: Atlas, 2012FORTES, J.C. Manual do Contabilista. São Paulo: Saraiva,2010DIAS, S. V. S. Manual de controles internos. São Paulo:Atlas, 2010Conselho Regional de Contabilidade – Ceará disponívelem www.crc-ce.rg.brConselho Federal de Contabilidade – disponível emwww.cfc.org.br Ms Karla Carioca
  17. 17. karlacarioca@dominusauditoria.com.br (85) 3224-6393

×