0
AANNEEXXOO 0011
RREE LL AATTÓÓRRIIOO DDEE EESSTT ÁÁGGIIOO
1
UNIVERSIDADE PARANAENSE
CAMPUS FRANCISCO BELTRÃO
CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
RELATÓRIO DE ESTÁGIO
Servidores Virtuai...
2
UNIVERSIDADE PARANAENSE
SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
Servidores Virtuais
Diego Sandro Zilli
Estágio realizado na área de Redes...
3
SUMÁRIO
1 INTRODUÇÃO.......................................................................................................
4
1. INTRODUÇÃO
Em 2005 a Prefeitura Municipal de São Lourenço do Oeste passou por
muitas mudanças, onde trabalhava soment...
5
2. PRIMEIRA ETAPA – LEVANTAMENTO DE INFORMAÇOES
A Prefeitura Municipal de São Lourenço do Oeste possui um parque de
Info...
6
Figura 02: Foto dos cinco Servidores Físicos para outros serviços.
Esses 04 servidores IBM são usados para realizar o tr...
7
biblioteca pública municipal, existem 15 terminais utilizando o mesmo servidor
dos laboratórios, com a finalidade de dei...
8
3. SEGUNDA ETAPA – LEVANTAMENTO DE CUSTOS
Para que o projeto seja desenvolvido com sucesso a Prefeitura Municipal
de São...
9
PRODUTO COTADO/CONFIGURAÇÃO
Processador: Intel Quad-Core Xeon E5420
Cache de Processador (L2): 12MB
2 x Processador
Inte...
10
máquina desktop, para melhores testes, logo após será implementado no
servidor da IBM e colocado na rede da Prefeitura....
11
4. TERCEIRA ETAPA – IMPLANTAÇÃO DOS SERVIDORES
VIRTUAIS
Como estamos na época de eleição, o orçamento da Prefeitura Mun...
12
Para o funcionamento adequado do s s ervidores virtuais com as
máquinas da Prefeitura, postos de saúdes e colégios, a e...
13
Este tutorial está disponível no site do guia do hardware.
(http://www.guiadohardware.net/tutoriais/vmware-server/>)
4....
14
Using compiler "/usr/bin/gcc". Use environment variable CC to override.
What is the location of the directory of C head...
15
instalado de modo permanente em um servidor IBM, não fugindo dos padrões
da Prefeitura.
16
5. QUARTA ETAPA – CONFIGURAÇÃO
Os servidores da Prefeitura de São Lourenço do Oeste possuem todos
seus serviços concent...
17
- Processador: 02 núcleos.
Este servidor terá o t rabalho de: armazenar uma cópia do perfil dos
usuários, instalação do...
18
produtos para download no seu próprio site: www.betha.com.br, sendo
softwares pagos mensalmente.
Os programas usados da...
19
5.1.3 Banco de Dados.
Os bancos de dados serão usados para armazenar os dados dos
programas da Betha, sendo eles gerenc...
20
5.2.1 Perfil dos Usuários.
Terá o mesmo trabalho do servidor Windows, armazenar uma copia do
perfil do usuário, sendo e...
21
pasta, no qual servirá para a troca de arquivos pela rede, sendo de um modo
particular.
Outro compartilhamento será um ...
22
5.2.5 DNS.
Para a realização deste serviço foi usado um software livre, chamado de
BIND, onde ele será responsável pela...
23
6. QUINTA ETAPA – TESTES E DESEMPENHO.
Foram realizados os testes e desempenhos em um servidor provisório de
teste, dev...
24
0
0,5
1
1,5
2
Windows
Máquina Real
Máquina Virtual
Teste com a navegação de internet;
0
0,5
1
1,5
2
2,5
3
3,5
4
Interne...
25
possível, deixando com um melhor desempenho realizado pelos servidores
antigos.
7. CONCLUSÃO.
Se este projeto entra em ...
26
8. REFERÊNCIAS.
LAUREANO, Marcos Aurélio Pchek. Máquinas virtuais e emuladores. São
Paulo – SP: Novatec, 2006.
S e r v ...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Servidores Virtuais

449 views

Published on

Published in: Technology
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
449
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
18
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Servidores Virtuais

  1. 1. 0 AANNEEXXOO 0011 RREE LL AATTÓÓRRIIOO DDEE EESSTT ÁÁGGIIOO
  2. 2. 1 UNIVERSIDADE PARANAENSE CAMPUS FRANCISCO BELTRÃO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO RELATÓRIO DE ESTÁGIO Servidores Virtuais Área de concentração: REDES Diego Sandro Zilli São Lourenço do Oeste, novembro de 2008.
  3. 3. 2 UNIVERSIDADE PARANAENSE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Servidores Virtuais Diego Sandro Zilli Estágio realizado na área de Redes e supervisionado pelo professor Marcelo Riedi, submetido à Universidade Paranaense como parte dos requisitos para a obtenção do grau de Bacharel em Sistemas de Informação. Novembro de 2008.
  4. 4. 3 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO.................................................................................................... 4 2 PRIMEIRA ETAPA – LEVANTAMENTO DE INFORMAÇÕES.......................... 5 3 SEGUNDA ETAPA – LEVANTAMENTO DE CUSTOS..................................... 8 4 TERCEIRA ETAPA – IMPLANTAÇÃO DOS SERVIDORES VIRTUAIS........... 11 5 QUARTA ETAPA – CONFIGURAÇÃO.............................................................. 16 6 QUINTA ETAPA – TESTES E DESEMPENHO.................................................. 23 7 CONCLUSÃO..................................................................................................... 25 8 REFERÊNCIAS................................................................................................... 26
  5. 5. 4 1. INTRODUÇÃO Em 2005 a Prefeitura Municipal de São Lourenço do Oeste passou por muitas mudanças, onde trabalhava somente com um servidor, uma máquina de configuração muito baixa e de modelo muito inferior às utilizadas atualmente. Seu sistema de redes era muito complicado, tudo desorganizado e sem padronização. Agora está organizado em cabeamento estruturado, sendo assim não tendo a preocupação nesta parte da central. Com o grande crescimento das informações da Prefeitura depois desta evolução feita pela Tecnologia da Informação em 2005, o espaço físico na Central de Processamento de Dados começou a ficar pequeno, e o custo em cima de energia se tornou muito elevado. A solução apresentada neste projeto visa aplicar uma tecnologia moderna na Prefeitura de São Lourenço do Oeste, onde será realizada a troca dos servidores físicos que a Prefeitura possui, por servidores virtuais, os quais consumem menos energia e reduzem um espaço necessário na área de Tecnologia de Informação. Essa solução terá como base uma tecnologia, utilizada por muitas empresas, chamada de virtualização. Primeiro, será levantado o que a Prefeitura está utilizando como: servidores, ambiente da rede, softwares usados no dia-a-dia e configurações já padronizadas. A segunda etapa a ser realizada será consultada a contabilidade para ver se a Prefeitura terá recursos suficientes para a compra do servidor necessário para a implantação dos Servidores Virtuais. E por fim, fazer as configurações e testes necessários para que os usuários realizem um trabalho de bom rendimento.
  6. 6. 5 2. PRIMEIRA ETAPA – LEVANTAMENTO DE INFORMAÇOES A Prefeitura Municipal de São Lourenço do Oeste possui um parque de Informática muito desenvolvido e pouco visto em outras Prefeituras. Com um grupo de nove servidores físicos, sendo eles quatro IBM para serviços críticos e cinco máquinas desktops para outros serviços. Figura 01: Foto dos quatro Servidores Físicos da IBM para serviços críticos.
  7. 7. 6 Figura 02: Foto dos cinco Servidores Físicos para outros serviços. Esses 04 servidores IBM são usados para realizar o trabalho da Prefeitura, Postos de Saúde, Laboratórios de Informática e Banco de Dados. Os servidores da Prefeitura e dos Postos de Saúde possuem o sistema operacional Windows 2003 Server, e neles são armazenadas as informações pessoais de cada usuário do sistema, alem dos softwares utilizados por eles, contando que cerca de 200 usuários utilizam estes servidores. Os bancos de dados são armazenados em um servidor com sistema operacional Linux Debian, onde é um sistema seguro e estável. Já no servidor dos laboratórios de informática, é utilizado um sistema operacional próprio para os alunos, desenvolvido pelo MEC, que é o Linux Educacional, onde 03 laboratórios com 20 máquinas cada, num total de 60 terminais utilizam esse servidor para realização das aulas. Além disso, na
  8. 8. 7 biblioteca pública municipal, existem 15 terminais utilizando o mesmo servidor dos laboratórios, com a finalidade de deixar essas máquinas abertas ao público para realização de trabalhos ou pesquisas na internet. Os servidores de hardware genérico são 05, sendo: Firewall, com um sistema operacional Linux Debian e os pacotes Squid e Iptables, que servem para bloquear os acessos em sites proibidos, bate-papos e ataques de pessoas mal intencionadas. Também existem os servidores de E-mail, DNS e Web Sites, com o sistema operacional Linux Debian para disponibilizar informações por meio da internet. Os softwares que gerenciam esses serviços são: o Apache para gerenciamento de páginas web, MySql para banco de dados, Qmail para serviços de e-mail e o Bind que é o responsável pelo DNS que é a tradução de endereços IP's em nomes. Com esses servidores e estes serviços ativos é possível que a prefeitura tenha um controle completo de serviços providos na internet. Alguns servidores somente disponibilizam serviços para e rede interna como o DHCP, LTSP e Domínio, gerenciados pelo sistema operacional Linux Debian. Os softwares que gerenciam esses serviços são: Dhcpd3 para distribuição automática de IPs na rede interna, LTSP para gerenciamento de interfaces dos thin clients, e Samba com autenticação via LDAP para gerenciamento de arquivos e domínios. O trabalho do servidor LDAP será o armazenamento das senhas dos usuários e dos grupos, tendo o controle total sobre isso.
  9. 9. 8 3. SEGUNDA ETAPA – LEVANTAMENTO DE CUSTOS Para que o projeto seja desenvolvido com sucesso a Prefeitura Municipal de São Lourenço do Oeste terá a necessidade de adquirir um Servidor para estes serviços, onde nele será instalado um sistema operacional SUSE Linux Enterprise 10.3, homologada pela Vmware. Sobre os sistemas operacionais, será instalado um Windows 2003 Server Enterprise Edition, com 25 calls para Terminal Server, que custa em torno de 899,71 dólares, 1.900,00 reais, segundo o site de vendas royaldiscount, e um sistema operacional Linux Debian 4.0, de livre comercialização. Já o software usado no servidor físico será o Vmware ESX para 02 processadores, um software pago em um valor de 1.640,00 dólares, total aproximado em 4.000,00 reais. E como a Prefeitura possui um número grande de funcionários, e sistemas pesados, o servidor possuirá uma configuração que suporte esses fatores, pois ele terá que atender as necessidades do usuário, conforme os servidores antigos atendiam. Em primeiro momento será levantado quais os programas, banco de dados e espaço em disco que a prefeitura utiliza, pois estes serão os fatores que mais influenciarão na compra, por ser os recursos mais utilizados do servidor, onde oferecerão maior desempenho aos usuários. Também será consultada a contabilidade da prefeitura, para saber se há orçamento para esta aquisição, pois o servidor custará em torno de 32.000,00 reais, conforme o orçamento licitado de um servidor IBM System x3650 pela empresa CBA Informática de Chapecó – SC:
  10. 10. 9 PRODUTO COTADO/CONFIGURAÇÃO Processador: Intel Quad-Core Xeon E5420 Cache de Processador (L2): 12MB 2 x Processador Interface de Memória: PC2-5300 ECC DDR2 FBDIMM 667MHz Disco Máximo: 4500GB SATA / 1800GB SAS Interface de Disco: SATA / SAS Hot-Swap LFF Controladora: SAS Mídia Óptica: CDRW/DVD ROM Combo Drive Placa de Rede (Mbps): Dual Gigabit integrada Memória de Vídeo: 16MB Porta USB: 04 Fonte de Alimentação: Suporta 2ª Fonte (Redundante) Slot PCI Express (PCI-E): 2 Gabinete: Rack / 2U 02 IBM-XEON QC E5420 2.5GHZ/1333MHZ 02 IBM-FONTE REDUNDANTE X3650 835W 04 IBM-KIT MEMORIA 4GB (2 X 2GB) DDR2 05 IBM-DISCO 300GB 15K 3,5 HOT-SWAP SAS 01 IBM-HBA 4GBPS FC-SINGLE PORT PCI-E VALOR TOTAL R$ 32.000,00 (trinta e dois mil reais) Figura 03: Foto do Servidor Físico da IBM, modelo System x3650. Com a compra deste servidor, podemos começar a implantar os Servidores Virtuais, mas é claro tudo isso será instalado num primeiro momento em uma
  11. 11. 10 máquina desktop, para melhores testes, logo após será implementado no servidor da IBM e colocado na rede da Prefeitura. Sobre a comparação de custo entre máquinas reais X máquinas virtuais, o fator que influenciará é a quantidade de servidores reais instalados na Prefeitura. Uma comparação de custo sobre os servidores físicos X servidores virtuais da Prefeitura, podemos ver no quadro abaixo: Servidores Físicos QTD Modelo Serviço Valor (Estimado) 1 IBM Aplicativos Prefeitura R$ 30.000,00 2 IBM Aplicativos Saúde R$ 30.000,00 3 IBM Escolas R$ 15.000,00 4 IBM Banco de Dados R$ 30.000,00 5 P4 Firewall R$ 1.500,00 6 P4 E-Mail R$ 1.500,00 7 P4 DNS R$ 1.500,00 8 P4 WEB R$ 1.500,00 9 P4 DHCP - LTSP - LDAP R$ 1.500,00 Total: R$ 112.500,00 Servidores Virtuais QTD Modelo Serviço Valor (Estimado) 1 IBM Maquinas Virtuais R$ 32.000,00 Vmware ESX R$ 4.000,00 Total: R$ 36.000,00 Tendo assim os servidores virtuais em questão de lucro, uma ampla vantagem sobre os servidores virtuais.
  12. 12. 11 4. TERCEIRA ETAPA – IMPLANTAÇÃO DOS SERVIDORES VIRTUAIS Como estamos na época de eleição, o orçamento da Prefeitura Municipal de São Lourenço do Oeste não poderá ser gasto com equipamentos e outros fins, por razão de leis. Sendo assim, a implantação dos servidores virtuais não será instalada de modo permanente, e sim instalada em um servidor de testes, onde ele fará o mesmo trabalho do servidor IBM, que iria ser adquirido pela Prefeitura. Este servidor de demonstração e testes será um notebook da Sony, com um sistema operacional raiz SUSE, ENTERPRISE 10.1, e suas máquinas virtuais instaladas, sendo uma Linux Debian e outro Windows 2003 Server, onde este será apresentado para a Prefeitura de São Lourenço, com a seguinte configuração: - MODELO: VAIO VGN-CR420E/W - SONY - MEMORIA INTERNA: 3GB DDR2 667MHZ - PROCESSADOR: MOBILE DUAL CORE INTEL CORE2 DUO 2.1GHZ - SISTEMA OPERACIONAL: SUSE, ENTERPRISE 10.1 - HD: 250GB /5400RPM /8MB DE BUFFER /SATA Figura 04: Foto notebook Sony Vaio, o servidor de demonstração e testes.
  13. 13. 12 Para o funcionamento adequado do s s ervidores virtuais com as máquinas da Prefeitura, postos de saúdes e colégios, a estrutura do CPD também terá que exigir um padrão de instalação, com um bom cabeamento estruturado, um local com ar condicionado para o resfriamento dos servidores, além disso, uma equipe capaz de dar a manutenção necessária. No caso da Prefeitura Municipal de São Lourenço, possui esses requisitos para esse bom funcionamento. Figura 05: Foto do CDP da Prefeitura de São Lourenço do Oeste. Vamos ver agora como funciona a instalação e configuração do software de Virtualização, que seria o Vmware.
  14. 14. 13 Este tutorial está disponível no site do guia do hardware. (http://www.guiadohardware.net/tutoriais/vmware-server/>) 4.1 – Instalação do Vmware Para fazer a instalação do software de Virtualização foram usados os seguintes comandos: Instalar pacotes necessários # apt-get install build-essential linux-headers-$(uname -r) xinetd libx11-6 libxtst-dev libxt-dev libxrender-dev libxtst6 libxt6 libxrender1 libxi6 libdb3 gcc Baixando o software # wget http://download3.vmware.com/software/vmserver/VMware-server- 1.0.7-108231.tar.gz Instalando o software # tar -zxvf VMware-server-1.0.7-108231.tar.gz # cd vmware-server-distrib # ./vmware-install.pl Configuração do software Logo após a execução do arquivo de compilação, irá aparecer as seguintes perguntas de configurações: None of the pre-built vmmon modules for VMware Server is suitable for your running kernel. Do you want this program to try to build the vmmon module for your system (you need to have a C compiler installed on your system)? [yes]
  15. 15. 14 Using compiler "/usr/bin/gcc". Use environment variable CC to override. What is the location of the directory of C header files that match your running kernel? [/lib/modules/2.6.8-2-386/build/include] Aqui ele pergunta sobre os módulos do Kernel, confirmando a localização dos headers. Em caso de erros neste ponto, verifique a instalação dos headers. Sobre o gcc, ele foi instalado nos pacotes necessários. As próximas perguntas são sobre as interfaces de rede virtuais. Do you want networking for your virtual machines? (yes/no/help) [yes] Do you want to be able to use NAT networking in your virtual machines? (yes/no) [no] Do you want to be able to use host-only networking in your virtual machines? [no] Por padrão, o VMware oferece uma rede virtual em modo bridge (bridged network), onde as máquinas virtuais simplesmente acessam a rede, como se fossem máquinas separadas. Cada uma tem seu próprio IP, como se fossem vários servidores distintos. Caso seu servidor tenha mais de uma placa de rede, o instalador pergunta: Your computer has multiple ethernet network interfaces available: eth0, eth1. Which one do you want to bridge to vmnet0? [eth0] Aqui será definido o local de armazenamento das máquinas virtuais. In which directory do you want to keep your virtual machine files? [/var/lib/vmware/Virtual Machines] Depois de fornecer o código de registro, que você recebe via e-mail, a instalação está completa. Partir daí podemos iniciar a configuração dos servidores virtuais, em primeiro momento como já citado, em um servidor de testes, logo após será
  16. 16. 15 instalado de modo permanente em um servidor IBM, não fugindo dos padrões da Prefeitura.
  17. 17. 16 5. QUARTA ETAPA – CONFIGURAÇÃO Os servidores da Prefeitura de São Lourenço do Oeste possuem todos seus serviços concentrados em servidores físicos, sendo cada serviço instalado em uma máquina. Mas com a tecnologia da Virtualização, estes serviços serão instalados em um único servidor físico, com 2 máquinas virtuais, sendo um Windows 2003 Server e um Linux Debian 4.0. C o m o servidor raiz físico definido, essas máquinas virtuais serão instaladas primeiramente em um software, este software seria o Vmware Server 1.0.6. O sistema operacional que irá suportar o Vmware Server será um linux homologado pela Vmware, pois ele irá ter mais desempenho na hora do uso das máquinas virtuais, sendo ele um Suse Linux 10.3. Foram definidas algumas configurações básicas para a instalação desses servidores virtuais, como memória e espaço em disco, pois eles terão ter trabalhos diferentes na execução, um sendo mais exigido do que o outro. 5.1 Servidor Virtual – Windows 2003 Server. Na instalação do Servidor Windows 2003 Server, foi instanciada a seguinte configuração: - Memória: 1536 MB; - Espaço em Disco: 10,0 GB, pré alocado; - CD-ROM: Réplica do servidor real; - Placa de rede: Bridged, onde cada máquina tem seu próprio IP; - Som: Réplica do servidor real;
  18. 18. 17 - Processador: 02 núcleos. Este servidor terá o t rabalho de: armazenar uma cópia do perfil dos usuários, instalação dos programas e banco de dados. 5.1.1 Perfil dos Usuários. Cada usuário terá um perfil próprio para a sua sessão, onde ele estará sendo sincronizado com o servidor Linux, para melhor forma de segurança e controle. Esta sessão será de Terminal Server, sendo assim o usuário poderá ir a qualquer máquina desta rede, que seu perfil será o mesmo do último acesso. Além disso, para se tornar mais seguro ainda, cada usuário irá possuir sua própria senha, onde será hospedada em um domínio, controlado pelo administrador da rede. Na parte de segurança dos acessos no Windows 2003 Server, ele mesmo fará este trabalho, pois nele podemos definir qual diretório, programa, impressora, nível de acesso (administrador, usuário comum, usuário avançado, convidado e etc.) assim teremos um melhor controle na base Windows, não permitindo desta forma, que outro usuário entre no sistema e faça alterações no Windows. 5.1.2 Programas. Na Prefeitura todo o seu controle é feito por sistemas da Betha, uma empresa especializada em programas de Prefeituras. Eles disponibilizam seus
  19. 19. 18 produtos para download no seu próprio site: www.betha.com.br, sendo softwares pagos mensalmente. Os programas usados da Betha serão os seguintes: - Betha Controle Financeiro - Betha Compras - Betha Estoque - Betha Folha - Betha Frotas - Betha Legislação - Betha Patrimônio - Betha Planejamento - Betha Pluri Anual - Betha Proposta - Betha Protocolo - Betha Sapo - Betha Tesouraria - Betha Tributos - Betha L.R.F. Outros programas usados pelos usuários serão, o Microsoft Office 2003 e os componentes do Windows, como a Calculadora, Bloco de Notas, Internet Explorer e outros programas básicos.
  20. 20. 19 5.1.3 Banco de Dados. Os bancos de dados serão usados para armazenar os dados dos programas da Betha, sendo eles gerenciados pelo Sybase 9.0, um software comprado pela Prefeitura. Todo o gerenciamento de conexões dos sistemas é feito pelo administrador da rede, onde ele faz a configuração para o funcionamento e o usuário não poderá alterar em questão de segurança. 5.2 Servidor Virtual – Linux Debian 4.0. Na instalação do Linux Debian 4.0, foi instanciado a seguinte configuração: - Memória: 512 MB; - Espaço em Disco: 6,0 GB, pré alocado; - CD-ROM: Réplica do servidor real; - Placa de rede: Bridged, onde cada máquina tem seu próprio IP; - Som: Réplica do servidor real; - Processador: 02 núcleos. Este servidor terá o trabalho de: armazenar uma cópia do perfil dos usuários da prefeitura, disponibilizará um servidor de LDAP, servidor SAMBA, serviço de DHCP, serviço de DNS e um serviço de Firewall.
  21. 21. 20 5.2.1 Perfil dos Usuários. Terá o mesmo trabalho do servidor Windows, armazenar uma copia do perfil do usuário, sendo eles sincronizados simultaneamente. 5.2.2 LDAP. O servidor de LDAP terá o trabalho de criar os usuários do sistema Terminal Server da Prefeitura e armazenar os dados pessoais, como as senhas, onde será uma única senha para logar no sistema, acessar o e-mail e entrar na internet, facilitando assim a vida do usuário, sem ter três senhas diferentes para memorizar. Uma coisa importante que poderemos fazer no LDAP é a criação de grupos, nesses grupos vamos setar os usuários que pertencerão a cada um deles. Tendo esses grupos criados e definidos os usuários, podemos permitir ou negar o acesso aos Softwares, Impressoras, Terminal Server e Configuração do Sistema no Windows 2003 Server. Contudo a Prefeitura de São Lourenço do Oeste terá um sistema mais seguro e organizado na parte de Tecnologia da Informação. 5.2.3 SAMBA. O serviço SAMBA é responsável pelo compartilhamento dos arquivos e perfils dos usuários. Nele será feito um espaço chamado de Público, no qual cada usuário terá uma pasta com seu nome, onde somente ele terá o acesso a esta
  22. 22. 21 pasta, no qual servirá para a troca de arquivos pela rede, sendo de um modo particular. Outro compartilhamento será um de acesso a todos, chamados de Arquivos, que servirá para a troca de arquivos, mas de um modo geral, onde todos terão o acesso aos arquivos colocados neste local. Sobre os profiles dos usuários, o Samba define onde serão armazenadas e as configurações de permissão, no caso da Prefeitura todos os usuários serão armazenados em /home/profiles. Em questão de segurança serão restritos alguns tipos de extensões de arquivos como: .exe, .com, .src, .mp3 e .avi, onde algumas dessas extensões são vírus e outras são musicas e vídeos, no qual com acesso proibido pela política interna na Prefeitura. 5.2.4 DHCP. Este serviço terá somente o trabalho de distribuir o IPS da rede interna, sendo ele automaticamente ou fixo. Foi definido um IP fixo para o servidor Windows 2003 Server sendo ele 192.168.1.245, e amarrada por MAC, esta definição de IP fixo veio em questão que todos os usuários vão usar esta máquina para se conectar via Terminal Server. O restante das máquinas irá pegar IPS de modo automático, defino uma faixa entre 192.168.1.50 a 192.168.1.100.
  23. 23. 22 5.2.5 DNS. Para a realização deste serviço foi usado um software livre, chamado de BIND, onde ele será responsável pela tradução de IPS por nomes de servidores de internet. 5.2.6 FIREWALL. A Prefeitura de São Lourenço do Oeste possui muitos trabalhos que precisam ficar em sigilo, e para que isso seja realizado com sucesso devemos possuir um sistema de segurança muito bom e eficaz, e esta solução seria o desenvolvimento de um firewall para os bloqueios de páginas perigosas, acessos de máquinas estranhas de fora da prefeitura e arquivos mal intencionados. Mas como na tecnologia de informação moderna, muitos hackers trabalham com isso, e cada dia descobrem alguma fragilidade no sistema, sendo assim, este firewall não será de 100% de segurança, mas sempre se atualizando para deter as fragilidades dos sistemas e os intrusos. Sobre o uso do pacote que iremos utilizar para fazer este trabalho, seria o SQUID 3, onde ele será o responsável pelo bloqueio dos sites indesejáveis, palavras bloqueadas e extensões desconhecidas e perigosas. O sistema que será adotado é de modo transparente e sem autenticação, onde não é preciso habilitar um Proxy no navegador de internet, assim utilizando regras de Iptables para realizar este trabalho.
  24. 24. 23 6. QUINTA ETAPA – TESTES E DESEMPENHO. Foram realizados os testes e desempenhos em um servidor provisório de teste, devido ao problema das eleições em São Lourenço do Oeste. Os testes realizados foram os seguintes: Teste com a geração de relatórios dos sistemas; Teste com a navegação de internet; Teste do tempo de execução de arquivos; Teste de transferência de arquivos; Teste de páginas bloqueadas; Teste com a navegação no Windows; Comparação com o sistema antigo; Desempenho dos softwares; Desempenho do computador em geral; Alguns gráficos serão demonstrados a seguir, sobre testes e desempenhos em relação de tempo em segundos. Teste com a geração de relatórios dos sistemas; 0 0,5 1 1,5 2 2,5 3 3,5 4 Frotas Compras Estoque Máquina Real Máquina Virtual
  25. 25. 24 0 0,5 1 1,5 2 Windows Máquina Real Máquina Virtual Teste com a navegação de internet; 0 0,5 1 1,5 2 2,5 3 3,5 4 Internet Explorer Máquina Real Máquina Virtual Teste do tempo de execução de arquivos; 0 0,5 1 1,5 2 2,5 3 3,5 4 Calculadora Word Paint Máquina Real Máquina Virtual Teste do tempo de navegação no Windows; *Testes calculados em segundos. Com o resultado desses testes realizados vamos ter uma noção de onde que o problema está mais agravante, tentando assim resolve-lo o mais rápido
  26. 26. 25 possível, deixando com um melhor desempenho realizado pelos servidores antigos. 7. CONCLUSÃO. Se este projeto entra em vigor a Prefeitura de São Lourenço terá vantagens significativas na parte da Tecnologia da Informação, como a redução de gastos na energia e a redução de espaço na Central de Processamento de Dados, pois com somente um servidor físico será realizado o trabalho de todos os servidores que a Prefeitura possui, tendo assim um único ligado na energia e consumindo muito menos calor. Outro fator relevante que se conclui com esta tecnologia implantada, é a questão de upgrade das máquinas, sendo um fator muito fácil e barato de fazer, onde precisando um dia realizar um aumento de memória, processador ou HD, será somente implantado no servidor raiz, assim só redefinindo quanto de memória, processador e HD vai para cada máquina virtual. Conclui-se também que para ter a certeza que isso funcione, a Prefeitura exigiu referências, e no caso foram propostos exemplos de grandes empresas e órgão públicos, no caso a IBM conhecida mundialmente por ser nada mais do que a pioneira da informática, e a Prefeitura Municipal de São Paulo, uma das maiores Prefeituras do Brasil, onde elas substituiram seus servidores físicos por todos virtuais.
  27. 27. 26 8. REFERÊNCIAS. LAUREANO, Marcos Aurélio Pchek. Máquinas virtuais e emuladores. São Paulo – SP: Novatec, 2006. S e r v i d o r V i r t u a l . D i s p o n í v e l e m <http://www6.prefeitura.sp.gov.br/noticias/empresas_autarquias/prodam/2007/06/ 0004> Acessado em: 10 abr. 2008. M i c r o s o f t W i n d o w s 2 0 0 3 S e r v e r E n t e r p r i s e 2 5 C A L s em: <http://www.royaldiscount.com/wi20seenwi25.html> A c e s s a d o e m : 2 0 d e outubro 2008. D o w n l o a d V M w a r e S e r v e r ( f o r W i n d o w s a n d L i n u x s y s t e m s ) em: <http://register.vmware.com/content/download-107.html> Acessado em: 20 de outubro 2008. VMware Server e m : <http://www.guiadohardware.net/tutoriais/vmware-server/> Acessado em: 20 de outubro 2008. Buy Vmware Infrastructure Foundation em: <http://store.vmware.com/servlet/ControllerServlet?Action=DisplayPage&Env=BA SE&Locale=en_US&SiteID=vmware&id=ProductDetailsPage&productID=8358160 0> Acessado em: 20 de outubro 2008.

×