Artefato PETIC dcomp v3

438 views

Published on

Artefato PETIC do DCOMP 2014 - 2016 realizado durante a disciplina Gestão da Informação Turma T1 2013.2 da UFS.

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
438
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
48
Actions
Shares
0
Downloads
4
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Artefato PETIC dcomp v3

  1. 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA - CCET DEPARTAMENTO DE COMPUTAÇÃO - DCOMP PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO DCOMP 2014-2016 ALINE MARIA DOS SANTOS EVELLYN MONAYZES MOTA DIEGO DOS SANTOS MAYNARD CARLOS ALBERTO SANTOS DE SOUZA MAYK WILLIANS SANTOS MENEZES SÃO CRISTÓVÃO – SE 2014
  2. 2. Equipe Projeto em Foco: ALINE MARIA DOS SANTOS EVELLYN MONAYZES MOTA DIEGO DOS SANTOS MAYNARD CARLOS ALBERTO MAYK WILLIANS SANTOS MENEZES GESTÃO DA INFORMAÇÃO PETIC DCOMP – UFS 2014-2016 Trabalho sobre o Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação do Departamento de Computação da Universidade Federal de Sergipe, realizado como forma de avaliação e desenvolvimento de conhecimentos da disciplina Gestão da Informação, do curso de Sistemas de Informação, ministrada pelo Prof. Dr. Rogério Patrício Chagas do Nascimento SÃO CRISTÓVÃO – SE 2014 2
  3. 3. SUMÁRIO 1. 2. 3. 4. 5. Apresentação Formal ......................................................................... Estado da Arte em TIC ....................................................................... Metodologia de Análise ...................................................................... Cenário Desejado de TIC ................................................................... Análise dos Processos ....................................................................... 5.1 Dados ........................................................................................... 5.2 Hardware ...................................................................................... 5.3 Software ....................................................................................... 5.4 Telecomunicação ......................................................................... 5.5 Pessoas ........................................................................................ 6. Gráficos de Importância e Mapas de Gantt ........................................ 4 7 9 11 11 12 14 17 18 22 24 7. Referências ......................................................................................... 31 3
  4. 4. 1. APRESENTAÇÃO FORMAL O Departamento de Computação (DCOMP) da Universidade Federal de Sergipe (UFS) é o responsável pelos cursos de Ciência da Computação (CC), Sistemas de Informação (SI), Engenharia da Computação (EC) e pelo Mestrado em Ciência da Computação. Tem como função principal graduar e especializar profissionais na área de computação. O DCOMP e seus professores possuem notoriedade por diversas conquistas. No Quadro1, abaixo, estão listadas algumas dessas conquistas. Em 2008 a Prof.ª Drª. Leila Silva foi contemplada com o edital da FAPITEC 06/2008, que tinha como objetivo a realização de Olimpíadas de Ciência no estado de Sergipe para melhorar o ensino nos níveis fundamental e médio, bem como identificar e estimular jovens talentos para carreiras científico-tecnológicas. Alguns dos jovens participantes desse projeto receberam medalhas na 11ª Olimpíada Brasileira de Informática. Em 2009 uma equipe do DCOMP, orientada pelo professor Thadeu Henrique e pela professora Leila Silva, conquistou uma vaga na final mundial da Maratona de Programação na China. Em 2012, o curso de Sistemas de Informação obteve nota 5, a nota máxima do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes(ENADE). Em 2012 o DCOMP firmou um acordo de cooperação internacional que possibilitou a alguns alunos do departamento cursar a graduação ou mestrado na Universidade de Montpellier II, na França. Em 2013, a Folha UOL realizou uma pesquisa na qual foi avaliado o quesito ensino de 616 Universidades publicas e privadas. Nessa pesquisa o curso de Ciências da Computação ficou em 91º lugar. Quadro 1: Conquistas do DCOMP. Fisicamente, o DCOMP está situado no campus chamado Cidade Universitária Prof. Aloísio Campos, na cidade de São Cristóvão, Sergipe. Até o final do ano de 2014, o DCOMP deverá receber um novo prédio departamental dentro desse mesmo campus que possibilitará, dentre outros objetivos, proporcionar um ambiente de estudos e trabalho que atenda adequadamente às necessidades de alunos, servidores e professores. 4
  5. 5. Na estrutura organizacional da UFS, o DCOMP encontra-se diretamente subordinado ao Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas (CCET). Como é possível visualizar na Figura1, abaixo. Figura 1: Estrutura Organizacional da UFS. Devido à própria estrutura da UFS, decisões do DCOMP que impliquem investimentos financeiros como, por exemplo, contratação de pessoal e aquisição de novos equipamentos, precisam ser aprovadas por outros departamentos, antes de serem postas em prática. O quadro de pessoal do DCOMP está descrito na Tabela 1 abaixo: Qtd 01 Cargo/Função Chefe de Departamento 03 Coordenadores de Curso 01 02 01 02 29 09 Assistente Administrativo Terceirizados Técnico de Informática Bolsistas Professores Efetivos Professores Substitutos Descrição Tomar decisões referentes ao DCOMP Coordenar seus respectivos cursos e auxiliar o Chefe do Departamento na tomada de decisões. Realizar as rotinas administrativas do DCOMP Responsável pelas ações de TIC do DCOMP Auxiliar nas atividades de TIC DCOMP Atuar nas áreas de ensino, pesquisa, extensão e outras atividades acadêmicas. Tabela 1: Quadro de Pessoal do DCOMP O DCOMP atende diretamente a mais de mil alunos vinculados a esse departamento. 5
  6. 6. O DCOMP tem como missões: 1. Promover Ensino Superior de excelência nos Cursos de Ciência da Computação, Engenharia da Computação, Sistemas de Informação e Mestrado em Ciência da Computação. 2. Realizar pesquisas de inovação que promovam desenvolvimento da Ciência da Computação. 3. Prover um ambiente que suporte as atividades de ensino, aprendizagem e pesquisa do seu corpo docente e discente. 4. Alcançar excelência internacional e domínio tecnológico com qualidade nos serviços prestados a sociedade. O departamento possui uma ampla lista de objetivos. A Tabela 2, que segue, mostra esses objetivos divididos por áreas de atuação do DCOMP. Área 1.Graduação 2.Pós-Graduação 3.Pesquisa 4.Engenharia de Software Objetivo Atingir os conceitos 4 e 5 no ENADE para os três cursos do departamento Promover a Internacionalização dos cursos do DCOMP Atualização de professores, alunos e técnicos do DCOMP Criação do ABC – Acervo Bibliográfico da Computação Ampliar o Programa de Monitoria Consolidação do Mestrado Implantação do Doutorado Incentivar publicações de qualidade Incentivar publicações em congressos e anais de eventos Instituir Gabinete de Projetos Acadêmicos Instituir Gabinete de Projetos CATI Divulgação da produção acadêmica local Participação no INES – Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia para Engenharia de Software Criação do Laboratório de Computação Ubíqua Criação do Laboratório de Inteligência Artificial Criação do Laboratório de Usabilidade Hospedar eventos de divulgação cientifica nacionais e regionais da SBC Colaboração em eventos internacionais Motivar parcerias e colaborações acadêmicas e científicas Nº 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 6
  7. 7. 5.Sociedade 6.Pessoal 7.Infraestrutura Atualização e manutenção do conteúdo do Site do DCOMP Publicação Catálogo DCOMP Publicação do Livro DCOMP Criação do Portfólio do DCOMP Promover a Olimpíada de Informática da SBC Promover a Maratona de Computação da SBC Promover o POSCOMP Propiciar ações de Inclusão Digital 20 Contratação de novos professores Contratação de estagiários Contratação de novos técnicos de nível médio e superior Garantir a integridade do novo prédio do DCOMP Aquisição contínua de máquinas para os laboratórios de graduação Manutenção contínua dos laboratórios de graduação Instituir Política de Segurança de Dados Criação de projetos de apoio à manutenção da infraestrutura e redes de computadores Adequar áreas de circulação comuns Instalação de projetores em todas os laboratórios 28 29 30 31 32 21 22 23 24 25 26 27 33 34 35 36 37 Tabela2: Objetivos organizacionais do DCOMP divididos por áreas de atuação do departamento 2. ESTADO DA ARTE EM TIC A seguir serão descritas algumas das tecnologias pesquisadas que poderão ser implementadas para solucionar problemas ou melhorar o funcionamento do DCOMP. MySQL: É um gerenciador de banco de dados de código aberto robusto e com excelente performance. Possui compatibilidade com as plataformas Linux, UNIX e Windows. Dropbox: Serviço gratuito de backup na nuvem, usando encriptação 256-bit AES e SSL. Com políticas de privacidade e capacidade de compartilhamento em grupo. Essa ferramenta leve e fácil torna-se uma alternativa bastante atraente para um uso geral. Computação em Nuvem: O armazenamento de dados é feito em serviços que poderão ser acessados de qualquer lugar do mundo, a qualquer 7
  8. 8. hora, não havendo necessidade de instalação de programas ou de armazenar dados. O acesso a programas, serviços e arquivos é remoto, através da Internet. Hangouts: Software gratuito que oferece serviços de chat e videoconferência podendo ser instalado também em smartphones. Com esse aplicativo faz-se possível a transmissão ao vivo de bancas de TCC e Mestrados pela comunidade. Comodo Internet Security: Suíte completa de segurança que oferece proteção contra vírus, trojans, worms, spywares etc. Possui um bom gerenciamento de recursos do sistema e sua interface gráfica é intuitiva. Ideal para o ambiente acadêmico. BrOffice: Suíte gratuita de Softwares para atividades de escritório, torna-se uma excelente alternativa para o meio acadêmico. Possui compatibilidade total com o Microsoft Office 2003 – 2013. Elementary OS Luna: Nova geração de sistemas operacionais baseados em Linux, gratuito, extremamente rápido e seguro. VOIP: Voz sobre IP, também chamada de VoIP (Voice over Internet Protocol), telefonia IP, telefonia Internet, telefonia em banda larga ou voz sobre banda larga é o roteamento de conversação humana usando a Internet ou qualquer outra rede de computadores baseada no Protocolo de Internet, tornando a transmissão de voz mais um dos serviços suportados pela rede de dados. Access Point (Ponto de Acesso): É um dispositivo em uma rede sem fio que realiza a interconexão entre todos os dispositivos móveis. Em geral se conecta a uma rede cabeada servindo de ponto de acesso para uma outra rede, como por exemplo a Internet. Metodologia Ágil: É um conjunto de metodologias de desenvolvimento de Software. O desenvolvimento ágil, assim como qualquer metodologia de desenvolvimento de Software, providencia uma estrutura conceitual para reger projetos de engenharia de Software. 8
  9. 9. Extreme Programming: Ou simplesmente XP, é uma metodologia ágil para equipes pequenas e médias e que irão desenvolver Software com requisitos vagos e em constante mudança. Para isso, adota a estratégia de constante acompanhamento e realização de vários pequenos ajustes durante o desenvolvimento de metodologia XP são: respeito. A Software. Os comunicação, partir desses cinco valores fundamentais simplicidade, feedback, valores, possui coragem como da e princípios básicos: feedback rápido, presumir simplicidade, mudanças incrementais, abraçar mudanças e trabalho de qualidade. Scrum: É um processo de desenvolvimento iterativo e incremental para gerenciamento de projetos e desenvolvimento ágil de Software. O Scrum possui seu foco no gerenciamento de projeto da organização onde é difícil planejar à frente. Mecanismos do Controle de Processo Empírico, onde ciclos de feedback constituem o núcleo da técnica de gerenciamento que são usadas em oposição ao tradicional gerenciamento de comando e controle Redes Sociais, estrutura social composta por pessoas ou organizações, conectadas por um ou vários tipos de relações, que partilham valores e objetivos comuns. Podem ser, por exemplo, redes de relacionamentos (Facebook, Twitter, Badoo), redes profissionais (LinkedIn), dentre outras, e permitem analisar a forma como as organizações desenvolvem a sua atividade ou como os indivíduos alcançam os seus objetivos OcoMon– Monitor de Ocorrências e Inventário de equipamentos de informática, sob a patente GNU/GPL, desenvolvido em PHP e banco de dados MySQL, código aberto, para quem deseja organizar seu sistema de patrimônio ou gerenciar problemas de informática numa empresa. 3. METODOLOGIA DE ANÁLISE No período letivo 2013.2, na disciplina Gestão de Informação, o Prof. Dr. Rogério Patrício Chagas do Nascimento, apresentou à turma T1 a Metodologia PETIC (Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação). Essa metodologia prevê a divisão das TIC em cinco grandes áreas: Dados, Hardware, Software, Telecomunicações e Pessoas. Essas áreas 9
  10. 10. devem ser analisadas conforme critérios estabelecidos na Metodologia PETIC e em seguida devem-se propor ações de criação/aquisição/melhoria/ manutenção de rotinas de trabalho, equipamentos, instalações físicas, etc. Essas ações visam melhorar o funcionamento da organização analisada. A turma foi dividida em equipes que deveriam utilizar esta metodologia para fazer o PETIC para os anos de 2014 a 2016 de uma organização escolhida pela equipe. A equipe Projeto em Foco escolheu o DCOMP para a elaboração de seu PETIC. Cada membro da equipe ficou responsável por uma das cinco áreas do PETIC. Foram realizadas reuniões com o técnico responsável pelas atividades de TIC do DCOMP, o Sr. George Frank Chagas Teles. Foi utilizado um catálogo suplementar contendo mais de cinquenta processos de TIC, divididos entre as cinco grandes áreas de TIC. Esses processos foram analisados de modo a definir o grau de maturidade e a importância de cada um deles no DCOMP. Na área de dados foi analisado o funcionamento do Banco de Dados, verificando se o mesmo atende às necessidades e aos objetivos do departamento. Além de avaliar a segurança dos dados, tanto em relação à encriptação como em realização de backups. Referente à área de Hardware foram analisadas as políticas de aquisição e dimensionamento de equipamentos. Foram verificados também quesitos relacionados à segurança e manutenção dos equipamentos. Na área de Software foram analisados os sistemas utilizados e/ou desenvolvidos pelo departamento juntamente com a política de licenciamento dos mesmos. Os processos de telecomunicações, rede e Internet foram analisados para verificar se os mesmos estavam auxiliando o andamento dos trabalhos realizados pelo departamento. Na gestão de Pessoas, as relações interpessoais, ergonomia e bem estar dos colaboradores no DCOMP foram os alvos da verificação Com base nas informações coletadas, a equipe Projeto em Foco, buscou soluções para a melhoria do cenário de TIC do DCOMP. O cenário encontrado e as ações propostas para melhoria serão descritos nos tópicos a seguir. 10
  11. 11. 4. CENÁRIO DESEJADO DE TIC O cenário encontrado no DCOMP em relação a TIC deixa a desejar em diversos aspectos. O que é um grande contraste se comparado à qualidade do ensino ofertado por este departamento. Muitos dos conhecimentos e técnicas disseminados pelo próprio DCOMP a seus alunos não estão sendo colocados em prática no funcionamento deste departamento. O desejado é que o DCOMP seja referência no uso de tecnologias e métodos de trabalho em TIC. O DCOMP deve prover um ambiente que suporte as atividades de ensino, aprendizagem e pesquisa com excelência e domínio tecnológico e garantir agilidade e qualidade nos serviços prestados à sociedade. 5. ANÁLISE DOS PROCESSOS Neste tópico serão detalhadas as cinco áreas analisadas na Metodologia PETIC: Dados, Hardware, Software, Telecomunicações e Pessoas. Serão mostrados o cenário atual e o desejado em cada área. Cada processo foi relacionado a um dos objetivos relacionados na Tabela 1 da seção 1 deste documento. Nos casos em que não há relação com um objetivo específico, foi definido como processo de suporte ao alcance dos objetivos organizacionais Os processos de TIC analisados serão apresentados em tabelas que relacionam o processo, sua maturidade e a qual objetivo organizacional ele está relacionado. É possível ver um exemplo na Tabela 3 abaixo. Dados Armazenamento Processo Administração do banco de dados Maturidade 3 Objetivos Suporte Tabela 3: Exemplo de uma tabela de processos na área de Dados. Também, para cada processo foi definido um grau de maturidade de acordo com os dados obtidos na análise. A maturidade de um processo é definida em uma escala de 0 a 4, como é possível ver na Figura 2 que segue. 11
  12. 12. Figura 2: Níveis de maturidade de processos 5.1 DADOS Atualmente o departamento possui um servidor de Banco de Dados que está sendo utilizado apenas como suporte para aulas práticas das disciplinas de Banco de Dados. Apenas os professores dessa disciplina possuem acesso ao Sistema Gerenciador de Banco de Dados (SGBD). O SGBD utilizado é o MySQL. O DCOMP não utiliza banco de dados para armazenar suas informações. Interessante ressaltar que existe espaço em disco e outras mídias para backup disponíveis no departamento. No entanto não é realizado nenhum tipo de backup, não sendo possível recuperar rapidamente as informações do DCOMP em caso de falhas no Hardware, por exemplo. A segurança no acesso aos dados deixa a desejar, já que não existe sistema de encriptação de dados. A Tabela 4, a seguir, mostra os processos de dados e suas respectivas maturidades. 12
  13. 13. Dados Sub. Área Armazenamento Segurança e Privacidade Maturidade 3 Objetivos Suporte 0 Suporte 1 3 Suporte Suporte 0 2 Suporte Suporte 0 Suporte Controle de acesso Logging Backup Processo Administração do banco de dados Unificação do Banco de Dados Disponibilidade do servidor Disposição de Discos Rígidos Política de backup Disposição de Mídias de Backup Encriptação de dados 3 3 Suporte Suporte Tabela 4: Processos de Dados Na Tabela 3 é possível perceber a falta de segurança e robustez nos processos da área de dados. Espera-se que o DCOMP possua as melhores ferramentas de dados no auxílio das atividades rotineiras. Para isso são necessárias algumas ações de melhoria nessa área. Essas ações estão descritas a seguir.  Dados 1 – Utilizar o SGBD nas atividades do DCOMP. Passar a utilizar o SGBD para armazenamento de dados do DCOMP e auxílio na tomada de decisões. Um exemplo de nova funcionalidade seria armazenar as tabelas de equivalências de disciplinas, o que hoje é feito de forma manual para gerar relatórios que auxiliem na hora de relacionar essas disciplinas. Uma das soluções apresentadas seria a implementação dessas funcionalidades através de projetos de colaboração entre alunos e professores, durante as disciplinas ministradas pelo DCOMP, como as de Banco de Dados e Programação. Essa seria uma forma de envolver os alunos nos projetos do departamento bem como dar a esses alunos uma oportunidade de colocar em prática os conhecimentos adquiridos durante as disciplinas. Caso isso não seja possível, solicitar junto ao departamento responsável o desenvolvimento dessas funcionalidades. 13
  14. 14.  Dados 2 – Realizar backups periódicos. Para evitar a perda de dados por conta de falhas de Hardware ou outros fatores, será implementada uma política de backup de dados no DCOMP. Deve ser realizado um backup semanalmente para os arquivos da secretaria e em período a ser determinado para o SGBD, compatível com as novas funcionalidades a serem implementadas. Os backups deverão ser feitos em nuvem, utilizando serviços gratuitos como o Dropbox. Para realizar esta atividade destaca-se o técnico em informática do DCOMP.  Dados 3 – Instalar serviço de encriptação de dados. Para assegurar o não vazamento de dados da organização, deve ser contratado um serviço de encriptação de dados. Este serviço pode utilizar qualquer um dos algoritmos de criptografia existentes, desde que garantam a segurança das informações. Como responsável por esta contratação destacase o chefe de departamento. O valor varia com o serviço contratado. 5.2 HARDWARE Os equipamentos existentes no DCOMP não são suficientes para atender bem os clientes (alunos) e funcionários (professores e administrativos), tanto em quantidade como em qualidade. Anualmente ingressam cerca de 200 alunos no departamento. Esses são divididos em turmas de 50 alunos. O ideal seria ter no mínimo 50 equipamentos em cada laboratório para atender os alunos, no entanto o departamento possui um número consideravelmente menor que esse em seus laboratórios. A política de aquisição é sob demanda. Ou seja, apenas quando muitos equipamentos estão inutilizados é que são feitas licitações para aquisição de novas máquinas ou outros equipamentos de laboratório. Além de possuir poucos equipamentos, não há uma boa distribuição desses para um melhor aproveitamento. O departamento não possui uma política de manutenção preventiva. Já a manutenção corretiva é feita com eficácia, mesmo sem possuir um Software de Help-Desk. 14
  15. 15. Ao verificar as instalações elétricas, constatou-se que elas oferecem risco tanto às pessoas quanto aos equipamentos. A Tabela 5, a seguir, mostra os processos de Hardware. Hardware Sub. Área Compras Processo Política de aquisição de equipamentos Alocação dos equipamentos Manutenção Segurança Maturidade 1 Objetivos 31, 32, 37 2 Dimensionamento da utilização do Hardware Manutenção preventiva Manutenção corretiva Redundância de Hardware Monitoração da utilização de Hardware Processo de recuperação de desastres Proteção contra falhas de energia Seguro de equipamento Rastreabilidade do equipamento * 1 31, 32, 33, 37 31, 33 0 3 0 1 31, 33, 35 31, 33, 35 31, 33, 35 31, 33, 35 0 31, 33, 35 0 31, 33 1 3 31, 33 31, 33 Tabela 5: Processos de Hardware. *Processo feito manualmente Na área de Hardware foi possível identificar diversas falhas no DCOMP. Por ser uma instituição de ensino que depende bastante de recursos computacionais, os processos relacionados a equipamentos de Hardware são essenciais para a realização dos trabalhos do DCOMP. Espera-se que o departamento possua equipamentos condizentes com a realidade computacional. Para que isso ocorra foram sugeridas as seguintes ações:  Hardware 1 – Adquirir novos equipamentos. Para melhor atender seus clientes (alunos) e assim alcançar seus objetivos, o DCOMP necessita de novos equipamentos para compor seus laboratórios. Para tanto o Chefe do departamento deve propor à reitoria abrir processo licitatório para aquisição de novos computadores e outros equipamentos de Hardware. Espera-se que em 2015, juntamente com as novas instalações, 15
  16. 16. esses equipamentos já estejam à disposição do DCOMP. O valor irá variar de acordo com a quantidade de equipamentos que será necessária para o novo prédio do DCOMP, informação que não foi disponibilizada. O valor médio para a aquisição por computador básico é de R$1.000,00.  Hardware 2 – Adquirir/Renovar Seguro de equipamentos. Para prevenir perdas em caso de falhas contra possíveis falhas dos equipamentos, deve ser garantido o seguro dos mesmos. Este seguro deve ter validade durante toda a vida útil do equipamento para o DCOMP. Um computador pessoal, por exemplo, deve ter seu seguro por até 5 anos, pois este é o tempo normal de utilização do mesmo pelo departamento. Esta tarefa é realizada durante a fase licitatória. O Chefe do DCOMP deve acompanhar de perto a realização das licitações para garantir a contratação desse seguro.  Hardware 3 – Adquirir gerador de energia. Deve ser adquirido um gerador que suporte a demanda do DCOMP. Para o atual prédio o gerador deve ter uma potência de 10 a 15 KVA (kilovoltampere). Ainda será necessário verificar a necessidade de potência para suportar as atividades no novo prédio do DCOMP. Espera-se que no segundo semestre de 2014 este gerador já tenha sido adquirido. O valor de um gerador varia entre R$7.000,00 a R$15.000,00.  Hardware 4 – Realizar manutenção preventiva. Deve ser feita, no mínimo, semestralmente. Destacam-se para esta atividade o técnico de informática e os bolsistas. O tempo estimado é de duas semanas a cada semestre.  Hardware 5 – Recuperar as instalações elétricas. Como parte integrante da UFS, o DCOMP tem acesso aos sistemas de abertura de chamados da instituição de ensino. Assim sendo, devem ser abertos chamados para regularizar as instalações elétricas do prédio atual. O técnico de informática do DCOMP deverá solicitar a recuperação das instalações elétricas. Espera-se que após abertos, os chamados sejam resolvidos no período de 1 a 2 meses. 16
  17. 17. 5.3 SOFTWARE Não existe uma organização no departamento que lide com o desenvolvimento de Softwares nem que dê algum suporte aos sistemas de informação do departamento. Mas existem professores que, junto com alunos ou bolsistas, desenvolvem ferramentas auxiliares para o departamento. As ferramentas utilizadas para apoio de ensino-aprendizagem são produtos do CPD (Centro de Processamento de Dados) da UFS. Assim como outros sistemas utilizados para gestão, que fazem parte dos Sistemas Integrados de Gestão (SIG), todos são produtos do CPD. O Software BrOffice é bastante utilizado na elaboração de documentos do DCOMP. A Tabela 6, abaixo, mostra os processos de Software. Software Sub. Área Requerimento de outras áreas Software de suporte para o Negocio Maturidade 0 Objetivos Suporte 3 Suporte 0 Suporte 3 0 1 Suporte Suporte Suporte 3 Subáreas 1, 2e3 Sistemas Integrados de Gestão Softwares Aplicativos para escritório Desenvolvimento de Softwares Suporte Processo Softwares para área de Telecomunicações Software para área de dados Software para área de Hardware Suporte a programas Software de Help-Desk Política de Licenciamento de Software Portal de Serviços Acadêmicos 3 Subáreas 1, 2e3 Suporte 3 1 Subáreas 1, 2 ,3 e 4 Tabela 6: Processos de Software. É necessário regularizar o licenciamento de Software. Para isso pode ser utilizado uma solução padrão já utilizada em outras instituições de ensino superior, a utilização de uma Política de Licenciamento de Software. As ações sugeridas para a área de Software são as que seguem: 17
  18. 18.  Software 1 – Restabelecer convênios de licenças de Softwares. De acordo com a Lei Nº 9.609, DE 19 de fevereiro de 1998, no Art. 9º: “O uso de programa de computador no País será objeto de contrato de licença”. Alguns Softwares proprietários utilizados no DCOMP estão com licenças expiradas Já existe um projeto no departamento que visa restabelecer essas licenças de Softwares. É necessário que a reitoria aprove esse projeto para legalizar os Softwares essenciais no desenvolvimento dos trabalhos do departamento. Espera-se que antes do final de 2014 essa atividade seja concluída.  Software 2 – Instalar Software Help-Desk. Como auxiliar das atividades de manutenção, um Software Help-Desk deve ser instalado no DCOMP. Existem algumas soluções gratuitas disponíveis, a sugestão seria a implantação do OcoMon, Software gratuito que permite além do gerenciamento de ocorrências o controle de inventário de equipamentos.  Software 3 – Desenvolver Softwares para o departamento. É indispensável a um departamento fomentador de ensinos referente à TIC (Tecnologias da Informação e Comunicação), o desenvolvimento de um ambiente de treinamento para a área na qual os alunos irão atuar. Isto não só eleva o nível de qualidade do ensino, como também pode ser usado para suprir as necessidades do próprio DCOMP. Destacamos para esta atividade os professores e alunos, principais colaboradores do departamento. Esta é uma atividade contínua, ou seja, não possui um prazo para conclusão. Porém, o tempo de desenvolvimento de um único Software pode variar entre 6 a 18 meses. 5.4 TELECOMUNICAÇÃO A manutenção da maioria dos processos de Telecomunicações está fora do controle do departamento. O acesso à Internet é totalmente dependente das políticas e restrições do CPD. As políticas de acesso não são amplamente divulgadas. 18
  19. 19. A Telefonia é controlada pelo PABX (do inglês, troca automática de ramais privados). Existe uma extensão para cada Centro da universidade. A extensão do CCET situa-se no DCOMP, porém esta não funciona. As placas de PABX queimaram devido ao superaquecimento, pois o ar condicionado da sala parou de funcionar e nunca foi trocado. Por conta disso os departamentos do CCET, inclusive o DCOMP, estão sem ramais telefônicos, dificultando a comunicação entre os departamentos e a prefeitura do campus. A comunicação entre professores e alunos se dá por meio de lista de discussão através do serviço de e-mail do Yahoo. Outra forma de comunicação é o e-mail da universidade, produto do CPD. Vale ressaltar que não existe um e-mail próprio do departamento. Também não existe um aplicativo para troca de mensagens instantâneas. A Tabela 7 abaixo mostra os processos de telecomunicações e suas maturidades. Telecomunicações Sub. Área Processo Voz Ramais telefônicos Serviço de Telefonia Móvel Serviço de Telefonia Fixa Serviço de VoIP Escrita Utilização de e-mail E-mail coorporativo Comunicadores Instantâneos Rede Internet Controle de Usuários Controle de acesso à arquivos e recursos Estrutura de Rede física Estrutura de rede sem fio Políticas de acesso à Internet Firewalls Dimensionamento de banda Política de Segurança Serviço de Proxy Disponibilidade do servidor Controle de Tráfego Maturidade 0 0 1 0 3 0 0 3 3 Objetivos Suporte Suporte Suporte Suporte Suporte Suporte 12, 17, 18,19, 20, 24, 25, 26 Suporte Suporte 1 1 3 Suporte Suporte Suporte 1 3 1 3 3 1 Suporte Suporte Suporte Suporte 20, 21, 22 Suporte Tabela 7: processos de telecomunicações 19
  20. 20. Deseja-se nesta área que o departamento tenha maior integração com a comunidade. A partir de um website, pode-se informar tanto a população quanto ao corpo docente e discente sobre as conquistas e projetos do DCOMP. A utilização de redes sociais também ajudaria na manutenção e divulgação de informações relevantes para a sociedade acadêmica do DCOMP. Por ser uma instituição de ensino, espera-se uma maior restrição quanto ao acesso à Internet, evitando sites que possam prejudicar o aprendizado dos alunos (como sites de jogos). Abaixo seguem as ações sugeridas para a área de telecomunicações.  Telecomunicações 1 – Consertar Ramais telefônicos É essencial que os ramais voltem a funcionar. Desta forma o trabalho dos gestores, não só do departamento de computação como dos demais departamentos afetados, possam se comunicar de forma ágil. Destaca-se o departamento do PABX para a substituição das placas queimadas. Cada placa custa por volta de R$150,00 a R$250,00. Espera-se que ainda do primeiro semestre de 2014 esta situação esteja resolvida.  Telecomunicações 2 – Instalar Firewall e Antivírus Para melhor segurança do DCOMP, um bom Firewall deve ser instalado. O Firewall trará proteção para a rede local do DCOMP, evitando softwares maliciosos que possam se aproveitar da rede, como worms e trojans. O software escolhido para esta atividade foi o Comodo Internet Security. Por ser uma ferramenta gratuita, possuir tradução em português e ser bem conceituado em testes de redes de médio porte. Dessa forma essa ferramenta torna-se uma boa solução de segurança de rede para o DCOMP. Espera-se que seja realizado no período de uma a duas semanas pelos bolsistas e pelo técnico do departamento.  Telecomunicações 3 – Divulgar as Políticas de Acesso e Segurança. Não é possível esperar que os usuários da rede da universidade, utilizada por todos do departamento, sigam as políticas de acesso se estas não forem amplamente divulgadas. Esta ação prevê a divulgação clara das políticas de segurança da universidade, juntamente com suas punições, que devem ser 20
  21. 21. aplicadas devidamente. Deverá ser um trabalho contínuo, realizado pelo CPD, replicado para todos os departamentos, inclusive o DCOMP. Deve-se realizar efetivamente no começo de cada período, colocando avisos claros em todos os laboratórios e quadros de avisos da universidade.  Telecomunicações 4 – Controlar o Tráfego de dados. O CPD da universidade é responsável pelo controle do tráfego da rede. Deve ser feito um melhor controle de tráfego e bloqueio de acesso a sites que possam sobrecarregar a rede como sites de downloads, torrents, sites de jogos e outros. Assim sendo, o CPD deverá restringir acesso a serviços que possam comprometer o desempenho da rede. Será um trabalho contínuo de monitoração.  Telecomunicações 5 – Desenvolver e manter o site do DCOMP O site do departamento poderá disponibilizar informações relevantes para a comunidade acadêmica e para a sociedade em geral. O desenvolvimento do site poderia ser realizado como projeto de curso, por exemplo, nas disciplinas de desenvolvimento web. O tempo estimado é de 6 a 12 meses para realizar essa tarefa. A manutenção do site deve ser contínua e DCOMP deverá garantíla.  Telecomunicações 6 – Implantar Comunicador Instantâneo e Rede Social. Para melhorar a comunicação entre funcionários e alunos, um aplicativo de troca de mensagens instantâneas deverá ser instalado nas máquinas e divulgado para funcionários e alunos. O aplicativo escolhido é o Hangouts do Google. Sua maior vantagem é a portabilidade. Pode ser utilizado tanto em computadores como em smartphones. Além de ser gratuito, possui a funcionalidade de apresentações ao vivo para o círculo social do Google+. Utilizando esta funcionalidade, as bancas de TCC e Mestrado poderão ser vistas por qualquer pessoa, desde que essas façam parte do círculo social do DCOMP, ajudando na divulgação dos trabalhos locais. O responsável por esta atividade será o técnico do DCOMP, que deverá, juntamente com o Chefe do 21
  22. 22. Departamento, divulgar e criar o perfil do DCOMP no Google+. Apenas um dia será suficiente para realizar esta atividade.  Telecomunicações 7 – Adquirir e Instalar Access Point. Deverá ser aberto processo licitatório para aquisição de Access Points que possibilitem o acesso à Internet via WiFi, obedecendo o padrão WiFi 802 G/N, das novas instalações do departamento. O protocolo de segurança utilizado será o WPA2. Para esta atividade destaca-se o chefe e o técnico do DCOMP. O tempo de trabalho para esta atividade começa desde o processo licitatório até a real implementação, que poderá levar até 6 meses. O valor de cada Access Point varia entre R$100,00 e R$800,00. 5.5 PESSOAS Apesar da grande evolução das TIC’s, o desenvolvimento do ser humano continua sendo fator fundamental para o funcionamento de qualquer organização. Para que ocorra um andamento ideal das atividades, é necessário pensar além das tecnologias utilizadas e focar no bem-estar e qualificação das pessoas envolvidas. Garantindo que os envolvidos nos processos tenham o conhecimento, habilidades e atitudes ideais é possível alcançar os objetivos esperados. A divisão de cargos e atribuições e o processo de recrutamento e seleção estão bem definidos e seguem as leis e normas que regem a instituição. Apesar disso não estão em um estado ideal uma vez que não é possível o pleno aproveitamento de talentos e o processo de seleção por concurso público. O Plano de Carreira permite apenas a progressão de níveis e salarial, mas não de função ou cargo. Em relação à quantidade de pessoal e horário de funcionamento do departamento para atendimento ao seu público alvo – professores e alunos do departamento – identificou-se a necessidade de ampliação. Tornando possível o atendimento durante todo o horário de funcionamento da UFS. As instalações físicas do DCOMP mostraram-se fora dos padrões e normas estabelecidos pelos órgãos competentes nos quesitos ergonomia, segurança e bem estar. 22
  23. 23. A Tabela 8 mostra a análise dos processos em gestão de pessoas. Gestão de Pessoas Sub. Área Processo Cargos Divisão clara de atribuições e responsabilidades Recrutamento/seleção Plano de carreira Integração entre setores Remuneração Liderança e Gestão de Equipe Conhecimento Política de treinamento /atualização Avaliação de desempenho Gerenciamento de talentos Incentivos a atualização profissional Bem estar Ergonomia das instalações Incentivos a manutenção da saúde Ambiente de colaboração Ambiente de confraternização Maturidade 3 Objetivos Suporte 3 3 3 3 3 Suporte Suporte Suporte Suporte Suporte 1 Suporte 3 0 1 Suporte Suporte Suporte 1 1 Suporte Suporte 3 2 Suporte Suporte Tabela 8: processos em gestão de pessoas No caso do DCOMP, no que se refere à área de pessoas, o Estado da Arte seria um ambiente de trabalho ergonomicamente adequado no qual haja pessoal em quantidade suficiente e com a qualificação necessária para a realização das tarefas de TIC do departamento. Para isso foram sugeridas algumas ações, conforme segue:  Pessoas 1 - Incentivar a Capacitação dos Funcionários. Criar políticas de incentivo e capacitação dos funcionários. Pleitear junto à universidade a oferta de cursos específicos para atender as necessidades do DCOMP. A esta tarefa destaca-se o técnico em informática juntamente com o Chefe do departamento para avaliação de como proceder. Pode ser analisada a possibilidade do funcionário de realizar os cursos pretendidos no mesmo horário de trabalho, de forma que complete as horas em outro dia ou horário combinado. 23
  24. 24.  Pessoas 2 – Realizar Confraternizações. Como a colaboração entre os funcionários são essenciais para o correto funcionamento da instituição. Realizar confraternizações periodicamente e em dias festivos, trará benefício a todos que fazem parte do DCOMP. Para cada confraternização, pode ser gasto até R$600,00 em comidas, bebidas e decorações, para um total de 50 pessoas.  Pessoas 3 – Atender as Normas de Ergonomia. Garantir que as novas instalações do DCOMP estejam de acordo com as NR10 e NR17 do Ministério do Trabalho. Realizar trabalho de fiscalização das obras e instalações do novo prédio. Adquirir novo mobiliário para atender os funcionários e alunos. Cabe ao Chefe do departamento, juntamente com a Prefeitura do Campus a fiscalização e aquisição do mobiliário.  Pessoas 4 – Contratar mais um técnico em informática. O aumento no número de alunos, a construção das novas instalações do DCOMP e outros fatores tem feito aumentar as demandas na área de TIC do departamento. Por isso faz-se necessária a contratação de mais um técnico de informática. As atribuições deste novo funcionário serão as mesmas do único técnico existente. O Chefe do DCOMP deverá informar essa necessidade do departamento ao setor competente para que seja feita essa contratação. Espera-se a contratação deste até o início de 2015. O valor desta atividade é o salário atual de um profissional desta área, R$2700,00 mensais. 6. GRÁFICOS DE IMPORTÂNCIA E MAPAS DE GANTT Para poder visualizar a importância de cada ação sugerida nas seções anteriores, foram elaborados os gráficos de Importância x Custo e o Mapa de Gantt para cada área analisada no PETIC Nos gráficos de Importância x Custo, no eixo vertical, é possível ver o grau de importância das ações. O grau varia em uma escala de 1 a 3 onde: 1 é pouco importante; 2 é importante e 3 é muito importante. No eixo horizontal, refere-se ao custo estimado de cada ação. 24
  25. 25. O Mapa de Gantt descreve de forma visual quando as atividades devem ser realizadas. Esse mapa possui várias informações úteis para o desenvolvimento das atividades. A prioridade das atividades foi dada de acordo com o custo e a importância delas para o DCOMP. Aquelas que podem ser realizadas de forma gratuita, ou melhor, utilizando os profissionais e recursos já existentes, devem ser concluídas o quanto antes. 6.1 DADOS A Figura 3, abaixo, mostra o gráfico Importância x Custo da área de Dados. Figura 3: Gráfico Importância x Custo - Área de Dados Legenda da Figura 3 D1 – Utilizar o SGBD nas atividades do DCOMP. D2 – Realizar backups periódicos. D3 – Instalar serviço de encriptação de dados. Na Figura 3, acima, se vê que a ação relacionada ao SGBD (D1) mostrou-se no grau 2, importante, e tem como custo apenas o tempo necessário para sua realização. A ação de backup (D2) tem custo inicial zero. Já a encriptação de dados (D3) tem custo entre R$500,00 e R$1.000,00. A Figura 4, abaixo, mostra o Mapa de Gantt da área de Dados. Figura 4: Mapa de Gantt - Área de Dados 25
  26. 26. Na Figura 4, Mapa de Gantt, verifica-se que todas as ações podem ser iniciadas e concluídas ainda no ano de 2014. A ação de backup deve ser realizada periodicamente. 6.2 HARDWARE A Figura 5, abaixo, mostra o gráfico Importância x Custo da área de Hardware. Figura 5: Gráfico Importância x Custo - Área de Hardware Legenda da Figura 5 H1 – Adquirir novos equipamentos. H2 – Adquirir/Renovar Seguro de equipamentos. H3 – Adquirir gerador de energia. H4 – Realizar manutenção preventiva. H5 – Recuperar as instalações elétricas. Na Figura 5, a ação de manutenção preventiva (H1) tem como custo apenas o tempo para a realização da ação. A recuperação das instalações elétricas não implica custo direto ao DCOMP e sim ao departamento de manutenção da UFS, que deverá fazer o levantamento dos custos. A aquisição de um gerador (H3) é muito importante e seu custo médio é de R$10.000,00. A aquisição de novos equipamentos (H1) com seguro de equipamentos (H2) ficam em torno de R$60.000,00 para 60 computadores. 26
  27. 27. A Figura 6, abaixo, mostra o Mapa de Gantt da área de Hardware. Figura 6: Mapa de Gantt - Área de Hardware Na Figura 6, Mapa de Gantt, a maioria das ações previstas tem sua conclusão no máximo no primeiro semestre de 2015. A ação de manutenção (H4) deverá ser realizada periodicamente. 6.3 SOFTWARE A Figura 7, abaixo, mostra o gráfico Importância x Custo da área de Software. Figura 7: Gráfico Importância x Custo - Área de Software Legenda da Figura 7 S1 – Restabelecer convênios de licenças de Softwares. S2 – Instalar Software Help-Desk. S3 – Desenvolver Softwares para o departamento. 27
  28. 28. Na Figura 7, é possível ver que as ações S2 e S3 podem ser implementadas com recursos já disponíveis. Somente a ação S1 implica em custos financeiros para sua implementação. A Figura 8, abaixo, mostra o Mapa de Gantt da área de Software. Figura 8: Mapa de Gantt - Área Software Na Figura 8 é possível ver que as atividades S1 e S2 devem ser iniciadas no segundo semestre de 2014 e a atividade S3 deverá ser algo de desenvolvimento contínuo. 6.4 TELECOMUNICAÇÕES A Figura 9, abaixo, mostra o gráfico Importância x Custo da área de Telecomunicações. Figura 9: Gráfico Importância x Custo Área de Telecomunicações Legenda da Figura 9 T1 – Consertar Ramais telefônicos T2 – Instalar Firewall e Anti-Vírus T3 – Divulgar as Políticas de Acesso e Segurança. T4 – Controlar o Tráfego de dados. T5 – Desenvolver e manter o site do DCOMP T6 – Implantar Comunicador Instantâneo e Rede Social. T7 – Adquirir e Instalar Acces Point. 28
  29. 29. Na Figura 9, é possível ver que quase todas as ações na área de Telecomunicação tem custo zero ou reduzido, com exceção da ação T7 que tem um custo entre R$500,00 e R$1.000,00. A Figura 10, abaixo, mostra o Mapa de Gantt da área de Telecomunicações. Figura 10: Mapa de Gantt - Área de Telecomunicações Na Figura 10 é possível ver que a maior parte das ações deve ser concluída ainda no ano de 2014. As ações T4 e T5 são de desenvolvimento contínuo. 6.5 PESSOAS A Figura 11, abaixo, mostra o gráfico Importância x Custo da área de Pessoas. Figura 11: Gráfico Importância x Custo- Área de Pessoas Legenda da Figura 11 P1 - Incentivar a Capacitação dos Funcionários. P2 – Realizar Confraternizações. P3 – Atender as Normas de Ergonomia. P4 – Contratar mais um técnico em informática. Na Figura 11, é possível ver que as ações com maior custo são também as mais importantes para o bom funcionamento do DCOMP. 29
  30. 30. A Figura 12, abaixo, mostra o Mapa de Gantt da área de Pessoas. Figura 12: Mapa de Gantt - Área de Pessoas Na Figura 12, é possível ver que as ações P1 e P2 são periódicas. As ações P3 e P4 devem ser concluídas até o início de 2015. 30
  31. 31. 7. REFERÊNCIAS Portal da Metodologia PETIC https://sites.google.com/a/dcomp.ufs.br/petic/material-de-referencia Portal do servidor UFS http://grh.ufs.br/pagina/programa-anual-capacita-1514.html Gestão de Pessoas em TIC http://www.efagundes.com/webcasts/Gestao_pessoas_em_TIC.htm Ministério do Trabalho e Emprego – Normas Regulamentadoras http://portal.mte.gov.br/legislacao/normas-regulamentadoras-1.htm Ocomon: Um sistema Help-Desk gratuíto e eficiente http://ocomonphp.sourceforge.net/ 31

×