Contabilidade de Custos - Classificação dos Custos - Parte 2

71,500 views

Published on

Published in: Education
2 Comments
47 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
71,500
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
10
Actions
Shares
0
Downloads
1,769
Comments
2
Likes
47
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Contabilidade de Custos - Classificação dos Custos - Parte 2

  1. 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSACENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE CCO 310 – CONTABILIDADE DE CUSTOS I 2- CLASSIFICAÇÃO DOS CUSTOS Profª. Patricia Juliana do Carmo patricia.carmo@ufv.br, 3899-1603 Sala 21
  2. 2. Os custos se classificam em: Diretos e Indiretos; Fixos e Variáveis; Primários e de Transformação.
  3. 3. DIRETOS E INDIRETOS Custos Diretos - Podem ser diretamente apropriados aos produtos, bastando haver uma medida de consumo (quilogramas, materiais consumidos, embalagens utilizadas, horas de mão de obra utilizadas).
  4. 4. DIRETOS E INDIRETOS Custos Indiretos -não apresentam condições de uma medida objetiva e qualquer tentativa de alocação tem de ser feita de maneira estimada e muitas vezes arbitrária (como aluguel, a supervisão, as chefias).
  5. 5. Custo Benefício Alguns custos têm características especiais.Por exemplo: Materiais de consumo - poderiam ser apropriadas diretamente, mas, dada sua irrelevância, verificou-se não valer a pena esse trabalho, muitas vezes a relação custo-benefício é desfavorável para itens de pequena importância- pregos. Energia elétrica- necessária a existência de um sistema de mensuração Depreciação: o próprio valor da depreciação como um todo é feito por estimativas e arbitrariamente fixado que chega a ser pouco útil na alocação direta.
  6. 6.  Cada vez que é necessário fazer uma estimativa para ratear, utilizar qualquer base de rateio para a apropriação, fica o custo incluído como indireto. Direta- gasto com pessoal que trabalha e atua diretamente sobre o produto queMão está sendo elaborado deObra Indireta- gasto com pessoal da chefia, supervisão ou ainda atividades que apesar de vinculadas a produção nada tem de aplicação direta sobre o produto.
  7. 7. Custos Fixos e Variáveis A mais importante que todas as demais classificações. Leva em consideração a relação entre o valor total de um custo e o volume de atividade numa unidade de tempo.
  8. 8. Custos Fixos e Variáveis Custos Variáveis - tem seu valor alterado diretamente em função das atividades da empresa. Quanto maior a produção, maiores serão os custos variáveis. Possuem uma característica interessante, são fixos em sua unitária.
  9. 9. Custos Fixos e Variáveis Custos Fixos -custos que, em determinado período de tempo e em certa capacidade instalada, não variam, qualquer que seja o volume de atividade da empresa. Existem mesmo que não haja a produção. São variados quando calculados unitariamente em função das economias de escala. Ex: Aluguéis e depreciação.
  10. 10.  Exercício: A Fábrica de Sorvetes Gelado LTDA, apresenta custos fixos anuais iguais a $ 40.000,00. Seus custos variáveis são iguais a $ 13,50 por caixa. Comumente, o preço de venda médio é igual a $ 22,00. Supondo produções de 10.000 e 20.000 caixas, calcule:a)o custo fixo total e unitário;b)o custo variável total e unitário;c)o custo total e unitário;d)as receitas totais;e)o lucro bruto total e o unitário.
  11. 11. CUSTEIO POR ABSORÇÃO Estoques absorvem TODOS os gastos PRODUTIVOS, inclusive os fixos.
  12. 12. Custeio por absorção Estoques absorvem os custos de produção Fixos Variáveis
  13. 13. As duas contabilidades Financeira Gerencial Receitas Receitas(-) Custos fixos (-) Custos var(-) Custos var (-) Desp var(=) Lucro bruto (=) Margem de contribuição(-) Desp fixas (-) Custos fixos (-) Desp var (-) Desp fixas(=) Lucro oper. (=) Lucro oper.
  14. 14. Custos Primários e Custos de Transformação Custo Primário- é a soma de matéria-prima com mão-de-obra direta. Não são a mesma coisa que custo direto.A embalagem é um custo direto, mas não primário.
  15. 15. Custos Primários e Custos de Transformação Custo de Transformação- Soma de todos os custos de produção, exceto os relativos a matéria – prima e outros eventuais adquiridos e empregados sem nenhuma modificação pela empresa (componentes adquiridos prontos, embalagens compradas prontas etc.).
  16. 16. Custos Primários e Custos de Transformação Custo de Transformação-Representam o valor do esforço da própria empresa no processo de elaboração de um determinado item . Ex: mão-de-obra direta e indireta, energia, materiais de consumo industrial, etc.)
  17. 17. Esquema Básico da Contabilidade de Custos  Para chegarmos ao custo de cada produto de forma mais real possível, devemos seguir alguns passos, veremos aqui, o esquema básico para se chegar a esses custos.  Um dos maiores problemas da Contabilidade de custos consiste na forma de transferir os custos indiretos aos produtos.  Processo denominado rateio.
  18. 18. Esquema Básico da Contabilidade de Custos  Devemos adotar algum critério de rateio, normalmente são adotados os critérios: horas-máquina, mão-de-obra direta, materiais diretos, entre outros.  Quando a empresa produz um único produto, a alocação dos custos indiretos é simples, transfere todos os custos diretamente para o produto.  Todavia, quando são mais de um, a aplicação de rateio torna-se necessária.
  19. 19. Esquema Básico da Contabilidade de Custos  Passos:  1º passo: separação entre custos e despesas;  2º passo: apropriação dos Custos Diretos diretamente aos produtos e serviços;  3º passo: rateio dos custos indiretos
  20. 20. EXEMPLO Suponhamos que estes sejam os gastos de determinado período da Empresa X: Comissão de vendedores R$ 80.000 Salários de Fabrica R$ 120.000 Matéria-prima consumida R$ 350.000 Salários da Administração R$ 90.000 Depreciação da Fábrica R$ 60.000 Seguros da Fábrica R$ 10.000 Despesas Financeiras R$ 50.000 Honorários da Diretoria R$ 40.000 Materiais Diversos – Fábrica R$ 15.000 Energia Elétrica - Fábrica R$ 85.000 Manutenção – Fábrica R$ 70.000 Despesas de Entrega R$ 45.000 Correios e Telefone R$ 5.000 Material de Consumo - Escritório R$ 5.000 Total gastos/abril R$ 1.025.000
  21. 21. 1º Passo: Separação entre custos e despesas Custos de Produção Salários de Fábrica R$120.000 Matéria-prima consumida R$ 350.000 Depreciação na Fábrica R$ 60.000 Seguros da Fábrica R$ 10.000 Materiais diversos – Fábrica R$ 15.000 Energia Elétrica – Fábrica R$ 85.000 Manutenção – Fábrica R$ 70.000 Total R$ 710.000
  22. 22. 1º Passo: Separação entre custos edespesas Despesa Administrativa  Salários da Administração R$ 90.000  Honorários da Diretoria R$ 40.000  Correios e telefones R$5.000  Material de consumo- Escritório R$ 5.000  Total R$ 140.000
  23. 23. 1º Passo: Separação entre custos edespesas Despesas de Vendas  Comissões de Vendedores R$ 80.000  Despesas de Entrega R$ 45.000  Total R$ 125.000  Despesas Financeiras R$ 50.000
  24. 24. 2º passo – apropriação dos custosdiretos  Suponhamos que a empresa produza três produtos diferentes, chamados A, B e C.  O passo seguinte a distribuição dos custos diretos aos três produtos.  Suponhamos, ainda, que além da matéria- prima, sejam custos diretos, parte da mão- de-obra e parte da energia elétrica.
  25. 25. 2º passo – apropriação dos custosdiretos  Quanto da matéria-prima utilizada iria para cada produto?  Para o consumo de matéria-prima, empresa mantém um sistema de requisições de tal forma a saber sempre para qual produto dói utilizado o material retirado do almoxarifado.  E a partir dessas requisições, podemos dizer que a distribuição é a seguinte:
  26. 26. 2º passo – apropriação dos custosdiretos Matéria-prima:  Produto A R$ 75.000  Produto B R$ 135.000  Produto C R$ 140.000  Total R$ 350.000
  27. 27. 2º passo – apropriação dos custosdiretos  E em relação a mão-de-obra, fica um pouco mais complexo, pois temos que dividir entre os custos diretos e indiretos.  A empresa mantém uma verificação de quais foram os operários que trabalharam em cada produto no mês e por quanto tempo. Conhecidos tais detalhes, foi possível calcular os valores os quais são:
  28. 28. 2º passo – apropriação dos custosdiretos Mão-de-obra: Indireta R$ 30.000 Direta  Produto A R$ 22.000  Produto B R$ 47.000  Produto C R$ 21.000 R$ 90.000 Total R$ 120.000
  29. 29. 2º passo – apropriação dos custos diretos  E a energia elétrica?  A verificação da energia elétrica é evidenciada que, após anotado o consumo na fabricação dos produtos durante o mês, R$45.000 são diretamente atribuídas e R$40.000 só alocáveis por critérios de rateio, já que existem medidores em apenas algumas máquinas. Energia Elétrica: Indireta R$ 40.000 Direta  Produto A R$ 18.000  Produto B R$ 20.000  Produto C R$ 7.000 R$ 45.000 Total R$ 85.000
  30. 30. Diretos Indiretos Total Produto A Produto B Produto CMatéria- 75.000 135.000 140.000 - 350.000 primaMão-de-obra 22.000 47.000 21.000 30.000 120.000Energia 18.000 20.000 7.000 40.000 85.000 ElétricaDepreciações - - - 60.000 60.000Seguros - - - 10.000 10.000Materiais - - - 15.000 15.000 diversosManutenção - - - 70.000 70.000Total 115.000 202.000 168.000 225.000 710.000
  31. 31. 3º passo – Apropriação dos custosindiretos  Existem várias formas de fazer esse rateio, a mais simplista seria a de alocar aos produtos A, B e C proporcionalmente ao que cada um já recebeu de custos diretos, esse critério é utilizado quando os custos diretos correspondem a grande porção dos custos totais.
  32. 32. 3º passo – Apropriação dos custos indiretos Custos diretos Custos Indiretos R$ % R$ % Total R$Produto A 115.000 23,71 53.351 23,71 168.351Produto B 202.000 41,65 93.711 41,65 295.711Produto C 168.000 34,64 77.983 34,64 245.938Total 485.000 100 225.000 100 710.000
  33. 33. Outro critério Suponhamos agora que resolvêssemos usar outro critério de rateio. Conhecendo o tempo de produção de cada um, pretende-se fazer a distribuição dos custos indiretos proporcionais a ele, e faz uso dos próprios valores reais de Mão-de-obra Direta, por ter sido esta calculada com base nesse mesmo tempo.
  34. 34. Mão-de-obra direta Custos Indiretos R$ % R$ %Produto 22.000 24,44% 55.000 24,44% AProduto 47.000 52,22% 117.500 52,22% BProduto 21.000 23,33% 52.500 23,33% CTotal 90.000 100% 225.000 100%
  35. 35. Custo Custo Total Direto IndiretoProduto A 115.000 55.000 170.000Produto B 202.000 117.500 319.500Produto C 168.000 52.500 220.500 Total 485.000 225.000 710.000
  36. 36.  Referências: MARTINS, Eliseu. Contabilidade de Custos. – 10 ed. - São Paulo: Atlas, 2010.( capítulos 4 e 5).

×