Revolução dos cravos

2,016 views

Published on

0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
2,016
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
31
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Revolução dos cravos

  1. 1. REVOLUÇÃODOS CRAVOS Disciplina: História DG.INFORMATIONS
  2. 2. ÍndiceIntrodução…………………………….3Desenvolvimento……………………...4Conclusão…………………………….10 2
  3. 3. IntroduçãoEste trabalho foi-me sugerido peloProfessor de História e têm comotema a revolução dos cravos-revolução que libertou Portugal deuma ditadura e das guerrascoloniais. Espero que gostem dotrabalho! 3
  4. 4. 25 DE ABRIL DE 1974 O levante militar do dia 25 de Abril de 1974 derrubou, num só dia, o regime político que vigorava em Portugal desde 1926, sem grande resistência das forças leais ao governo que cederam perante o movimento popular que rapidamente apoiou os militares. Este levante é conhecido por 25 de Abril ou Revolução dos Cravos. O levante foi conduzido pelos oficiais intermediários da hierarquia militar (o MFA), na sua maior parte capitães, que tinham participado na Guerra Colonial. Considera-se, em termos gerais, que esta revolução devolveu a liberdade ao povo português (denominando-se como "dia da Liberdade" ao feriado instituído em Portugal para comemorar a revolução). 4
  5. 5. Guerra Colonial Portugal passou por um período agitado que durou cerca de 2 anos, marcados pela luta entre a esquerda e a direita. Foram nacionalizadas as grandes empresas. Passado um ano realizaram-se eleições constituintes e foi instituída uma democracia parlamentar de tipo ocidental. A guerra colonial terminou e as colónias africanas tornaram-se autónomas antes do fim de 1975. 5
  6. 6. A Rádio da mudança À 0h20 do dia 25 de Abril de 1974, a Rádio Renascença, de Portugal, tocou uma música proibida: Grândola, Vila Morena, de Zeca Afonso. Era a senha para o início do movimento dos capitães, que ficou conhecido como a Revolução dos Cravos. Após 48 anos de ditadura, Portugal estava voltando a ter um regime democrático. 6
  7. 7. Programa dos 3D´s O movimento surge para os portugueses com um programa que se definia por três Ds: Democratização, Descolonização e Desenvolvimento. A revolta militar foi uma resultado dos 13 anos de guerra colonial, em que os portugueses defrontaram os movimentos de libertação nas suas colónias: Angola, Moçambique, Guiné-Bissau, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe e Timor Leste. 7
  8. 8.  A luta do povo português contra o fascismo e a guerra colonial tornou-se um poderoso movimento de massas, abrangendo praticamente todas as classes e setores da vida nacional. 8
  9. 9.  Foi talvez a mais linda festa política dos oito séculos da história de Portugal: a multidão, milhares de pessoas em estado de júbilo, dançava, cantava, chorava, sorria. E se abraçava, e abraçava os jovens soldados sem medo dos fuzis. E ocorreu então um caso extraordinário, até hoje sem explicação. Não se sabe como nem porquê, havia cravos vermelhos nas mãos do povo. Homens, mulheres e crianças de cravos nas mãos. Milhares de cravos. E o povo enfeitou de cravos os fuzis militares. E do povo a revolução ganhou nome: Revolução dos Cravos! 9
  10. 10. CONCLUSÃOO 25 de Abril é um dia para ficar na história pela feição exemplarcomo foi feita sem derrame de sangue e com o civismo de ambasas partes envolvidas, evitando o confronto entre as Forças Militares.A Revolução dos cravos não foi mais que uma negociação decedência de poderes entre o Marcelo Caetano e o General Spínolaque precedentemente tinha sido despedido em conjunto com oCosta Gomes dos cargos de Vice‐chefe e Chefe de Estado‐MaiorGeneral das Forças Armadas. Não é por acaso que MarceloCaetano impõe que o poder seja entregue ao general Spínola paraque o poder não tombasse na rua. 10

×