Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
Resolução 39/14 - Conarq: 
DIRETRIZES PARA A IMPLEMENTAÇÃO 
DE REPOSITÓRIOS DIGITAIS 
CONFIÁVEIS DE DOCUMENTOS 
ARQUIVÍSTI...
Resolução n° 39/2014 
Elaboração da Câmara Técnica de Documentos 
Eletrônicos do Conarq – CTDE: 
Estabelece diretrizes par...
São integrantes do SINAR 
● Arquivo Nacional; 
● arquivos do Poder Executivo Federal; 
● arquivos do Poder Legislativo Fed...
● Os documentos digitais sofrem diversas 
ameaças decorrentes da fragilidade inerente 
aos objetos digitais, da facilidade...
Aplicação do Repositório 
● Alteração da Cadeia de custódia: 
○ Qualquer que sejam dos modelos internacionais de Gestão: 
...
● Fases Corrente e Intermediária: 
○ SIGAD; 
● Permanente, com a alteração da cadeia de 
custódia: 
○ Repositórios Arquiví...
Repositórios digitais 
Repositório digital é um ambiente de armazenamento e 
gerenciamento de materiais digitais. Esse amb...
RD de Docs. Arquivísticos 
Um repositório digital de documentos arquivísticos é um 
repositório digital que armazena e ger...
RD confiável 
Um repositório digital confiável é um repositório 
digital que é capaz de manter autênticos os materiais 
di...
RLG/OCLC, 2002, RD devem: 
● aceitar, em nome de seus depositantes, a responsabilidade pela manutenção dos materiais 
digi...
Preservação digital 
Conjunto de ações gerenciais e técnicas exigidas 
para superar as mudanças tecnológicas e a 
fragilid...
Estratégias de Preservação 
Digital, Ferreira, Hedstron, etc. 
● Refrescamento; 
● Migração; 
● Emulação; 
● Encapsulament...
OAIS 
O modelo de referência Open Archival 
Information System – OAIS – é um esquema 
conceitual que disciplina e orienta ...
Pacotes 
SIP – Pacote de Submissão de Informação 
Entregue pelo Produtor a um OAIS para construção de 
um ou mais AIP. 
AI...
Sete 
elementos 
básicos 
constituintes 
do 
documento 
arquivístico 
(Duranti):
Ciclo de vida dos documentos, as 3 idades, Lei 8.159 (Lei de Arquivos), a 12.527, a LAI de acesso à 
informação, Princípio...
ICA-AtoM 
ICA-AtoM é o acrônimo de 
Access to Memory. O projeto de 
software ICA-AtoM resulta de um 
esforço de colaboraçã...
ICA-AtoM versão DEMO ou 
Máquina Virtual ou Pendrive do 
Grupo CNPq 
● www.ica-atom.org 
● usuário: demo@example.com 
● se...
ICA-AtoM 
● Software Livre; 
● Grande comunidade; 
● Diversas instituições já utilizando; 
● Exportação e Importação pelo ...
Archivematica(CIA) 
Sistema de preservação digital que visa 
oferecer um ambiente integrado de 
ferramentas free e Open So...
Navegação PCD e Multinível 
● SIP submetido ao repositório (Metadados . 
CSV, ou METS, ou Dublin Core); 
● Archivematica g...
RODA - Repositório de Objetos 
Digitais Autênticos 
O RODA é o arquivo nacional digital em Portugal. Através deste sistema...
RODA - Vantagens
o RODA 
http://demo.roda-community.org/
SIGADs/ Repositórios/ Descrição 
Descrição arquivística: 
SepiaDES, ICA-AtoM (DIP), etc. 
Repositórios Digitais: ARCHIVEMA...
Conclusões 
● A adoção de políticas de Preservação Digital em Arquivos 
(organicidade, autenticidade); 
● Contemplação das...
Referências 1/2 
Arquivo Nacional. Conselho Nacional de Arquivos. Publicações digitais. Requisitos funcionais 
para sistem...
Referências 2/2 
mais em: documentosdigitais.blogspot.com 
Diretrizes do Preservador - A Preservação de Documentos Arquiví...
Obrigado 
Prof. Dr. Daniel Flores 
Líder dos Grupos de Pesquisa CNPq - UFSM: Ged/A e 
Patrimônio Documental Arquivístico 
...
Resolução 39/14 - Conarq:   DIRETRIZES PARA A IMPLEMENTAÇÃO DE REPOSITÓRIOS DIGITAIS  CONFIÁVEIS DE DOCUMENTOS ARQUIVÍSTIC...
Resolução 39/14 - Conarq:   DIRETRIZES PARA A IMPLEMENTAÇÃO DE REPOSITÓRIOS DIGITAIS  CONFIÁVEIS DE DOCUMENTOS ARQUIVÍSTIC...
Resolução 39/14 - Conarq:   DIRETRIZES PARA A IMPLEMENTAÇÃO DE REPOSITÓRIOS DIGITAIS  CONFIÁVEIS DE DOCUMENTOS ARQUIVÍSTIC...
Resolução 39/14 - Conarq:   DIRETRIZES PARA A IMPLEMENTAÇÃO DE REPOSITÓRIOS DIGITAIS  CONFIÁVEIS DE DOCUMENTOS ARQUIVÍSTIC...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Resolução 39/14 - Conarq: DIRETRIZES PARA A IMPLEMENTAÇÃO DE REPOSITÓRIOS DIGITAIS CONFIÁVEIS DE DOCUMENTOS ARQUIVÍSTICOSResolução 39 conarq diretrizes para a implementação de repositórios digitais confiáveis de documentos arquivístico

1,349 views

Published on

Resolução 39/14 - Conarq:
DIRETRIZES PARA A IMPLEMENTAÇÃO DE REPOSITÓRIOS DIGITAIS
CONFIÁVEIS DE DOCUMENTOS ARQUIVÍSTICOS

Mesa Redonda

Porto Alegre - RS, 31 de julho de 2014

Auditório do Arquivo Público do Estado do RS - APERS

Prof. Dr. Daniel Flores - UFSM

Published in: Education

Resolução 39/14 - Conarq: DIRETRIZES PARA A IMPLEMENTAÇÃO DE REPOSITÓRIOS DIGITAIS CONFIÁVEIS DE DOCUMENTOS ARQUIVÍSTICOSResolução 39 conarq diretrizes para a implementação de repositórios digitais confiáveis de documentos arquivístico

  1. 1. Resolução 39/14 - Conarq: DIRETRIZES PARA A IMPLEMENTAÇÃO DE REPOSITÓRIOS DIGITAIS CONFIÁVEIS DE DOCUMENTOS ARQUIVÍSTICOS Mesa Redonda Porto Alegre - RS, 31 de julho de 2014 Auditório do Arquivo Público do Estado do RS - APERS Prof. Dr. Daniel Flores - UFSM
  2. 2. Resolução n° 39/2014 Elaboração da Câmara Técnica de Documentos Eletrônicos do Conarq – CTDE: Estabelece diretrizes para a implementação de repositórios digitais confiáveis para a transferência e recolhimento de documentos arquivísticos digitais para instituições arquivísticas dos órgãos e entidades integrantes do Sistema Nacional de Arquivos – SINAR.
  3. 3. São integrantes do SINAR ● Arquivo Nacional; ● arquivos do Poder Executivo Federal; ● arquivos do Poder Legislativo Federal; ● arquivos do Poder Judiciário Federal; ● arquivos estaduais dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário; ● arquivos do Distrito Federal dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário; e ● arquivos municipais dos poderes Executivo e Legislativo. Podem, ainda, integrar o SINAR pessoas físicas e jurídicas de direito privado detentoras de arquivos, mediante convênio com um órgão central.
  4. 4. ● Os documentos digitais sofrem diversas ameaças decorrentes da fragilidade inerente aos objetos digitais, da facilidade de adulteração e da rápida obsolescência tecnológica; ● Os Repositórios Arquivísticos Digitais Confiáveis se constituem em uma solução técnica, metodológica e estrategicamente adequada para este desafio;
  5. 5. Aplicação do Repositório ● Alteração da Cadeia de custódia: ○ Qualquer que sejam dos modelos internacionais de Gestão: Europeu - administrativo (Archival), Anglo-saxão (Records Management - Lifecycle) ou Australiano (Records Continuum); ● O objeto de estudo da Arquivologia - Documento Arquivístico: ○ Espécie + Atividade; ○ Informação + Suporte; ● Elementos da Diplomática contemporânea: ○ Forma fixa; ○ Conteúdo estável; ○ Forma documental manifestada; ○ Forma documental armazenada; ○ vínculo arquivístico.
  6. 6. ● Fases Corrente e Intermediária: ○ SIGAD; ● Permanente, com a alteração da cadeia de custódia: ○ Repositórios Arquivísticos Digitais Confiáveis; ● Está na resolução: ○ A preservação dos documentos arquivísticos digitais, nas fases corrente, intermediária e permanente, deve estar associada a um repositório digital confiável. ○ Os arquivos devem dispor de repositórios digitais confiáveis para a gestão, a preservação e o acesso de documentos digitais.
  7. 7. Repositórios digitais Repositório digital é um ambiente de armazenamento e gerenciamento de materiais digitais. Esse ambiente constitui-se de uma solução informatizada em que os materiais são capturados, armazenados, preservados e acessados. Um repositório digital é, então, um complexo que apóia o gerenciamento dos materiais digitais, pelo tempo que for necessário, e é formado por elementos de hardware, software e metadados, bem como por uma infraestrutura organizacional e procedimentos normativos e técnicos.
  8. 8. RD de Docs. Arquivísticos Um repositório digital de documentos arquivísticos é um repositório digital que armazena e gerencia esses documentos, seja nas fases corrente e intermediária, seja na fase permanente. Como tal, esse repositório deve: ● gerenciar os documentos e metadados de acordo com as práticas e normas da Arquivologia, especificamente relacionadas à gestão documental, descrição arquivística multinível e preservação; e ● proteger as características do documento arquivístico, em especial a autenticidade (identidade e integridade) e a relação orgânica entre os documentos.
  9. 9. RD confiável Um repositório digital confiável é um repositório digital que é capaz de manter autênticos os materiais digitais, de preservá-los e prover acesso a eles pelo tempo necessário. Para cumprir essa missão deve estar de acordo com o relatório “Trusted Digital Repositories: attributes and responsibilities” (RLG/OCLC, 2002).
  10. 10. RLG/OCLC, 2002, RD devem: ● aceitar, em nome de seus depositantes, a responsabilidade pela manutenção dos materiais digitais; ● dispor de uma estrutura organizacional que apoie não somente a viabilidade de longo prazo dos próprios repositórios, mas também dos materiais digitais sob sua responsabilidade; ● demonstrar sustentabilidade econômica e transparência administrativa; ● projetar seus sistemas de acordo com convenções e padrões comumente aceitos, no sentido de assegurar, de forma contínua, a gestão, o acesso e a segurança dos materiais depositados; ● estabelecer metodologias para avaliação dos sistemas que considerem as expectativas de confiabilidade esperadas pela comunidade; ● considerar, para desempenhar suas responsabilidades de longo prazo, os depositários e os usuários de forma aberta e explícita; ● dispor de políticas, práticas e desempenho que possam ser auditáveis e mensuráveis; e ● observar os seguintes fatores relativos às responsabilidades organizacionais e de curadoria dos repositórios: escopo dos materiais depositados, gerenciamento do ciclo de vida e preservação, atuação junto a uma ampla gama de parceiros, questões legais relacionadas com a propriedade dos materiais armazenados e implicações financeiras.
  11. 11. Preservação digital Conjunto de ações gerenciais e técnicas exigidas para superar as mudanças tecnológicas e a fragilidade dos suportes, garantindo acesso e interpretação dos documentos digitais pelo tempo que for necessário.
  12. 12. Estratégias de Preservação Digital, Ferreira, Hedstron, etc. ● Refrescamento; ● Migração; ● Emulação; ● Encapsulamento; ● Pedra de Rosetta digital; ● Arqueologia digital; ● Conservação de hardware e software; ● Software Livre; ● Tecnologias livres, ou abertas como XML, HTML, PDF-a; ● Reprografia, etc;
  13. 13. OAIS O modelo de referência Open Archival Information System – OAIS – é um esquema conceitual que disciplina e orienta um sistema de arquivo dedicado à preservação e manutenção do acesso a informações digitais por longo prazo. ABNT - NBR 15.472/2007 (SAAI – SISTEMA ABERTO DE ARQUIVAMENTO DE INFORMAÇÃO).
  14. 14. Pacotes SIP – Pacote de Submissão de Informação Entregue pelo Produtor a um OAIS para construção de um ou mais AIP. AIP – Pacote de Arquivamento de Informação Pacote de informação que será objeto de preservação. DIP – Pacote de Disseminação de Informação Pacote de Informação derivado de um ou mais AIP, recebido pelo Consumidor em resposta a uma requisição dirigida ao OAIS.
  15. 15. Sete elementos básicos constituintes do documento arquivístico (Duranti):
  16. 16. Ciclo de vida dos documentos, as 3 idades, Lei 8.159 (Lei de Arquivos), a 12.527, a LAI de acesso à informação, Princípios Arquivísticos, Normas, Metodologias, sua epistemologia, etc CORRENTE (1ª idade documental) INTERMEDIÁRIO (2ª idade documental) PERMANENTE (3ª idade documental) valor secundário Destinação Final é o Recolhimento/ Preservação “Permanente” TTD Gestão considerando o e-ARQ Sistema: SIGAD Um ou vários sistemas, e pode conter sistemas de GED como ferramentas, garantindo controle do ciclo de vida, o cumprimento da destinação prevista e a manutenção da autenticidade e da relação orgânica. Repositório Arquivístico Digital Confiável: Corrente e Intermediário Repositório Arquivístico Digital Confiável: Permanente Pode utilizar Repositórios No permanente é estratégico, fundamental: Resolução n° 39/2014 Conarq, OAIS, TRAC, METS, PREMIS Plano de Classificação, Navegação multinível,
  17. 17. ICA-AtoM ICA-AtoM é o acrônimo de Access to Memory. O projeto de software ICA-AtoM resulta de um esforço de colaboração entre o ICA e alguns parceiros e patrocinadores (a UNESCO, a Escola de Arquivos de Amsterdam, o Banco Mundial, a Direção dos Arquivos da França, o Projeto Alouette Canadá e o Centro de Documentação dos Emirados Árabes Unidos). Destaques: - Total conformidade às normas do ICA; - Apoio para outras normas relacionadas, incluindo EAD, EAC, METS, MODS, Dublin Core; - Aplicação concebida inteiramente para ambiente web; - Interfaces multilingues; - Catálogo multi-institucional; - Interfaces com repositórios digitais. Requer Wamp ou Lamp. ICA-AtoM ou o Atom 2.0
  18. 18. ICA-AtoM versão DEMO ou Máquina Virtual ou Pendrive do Grupo CNPq ● www.ica-atom.org ● usuário: demo@example.com ● senha: demo
  19. 19. ICA-AtoM ● Software Livre; ● Grande comunidade; ● Diversas instituições já utilizando; ● Exportação e Importação pelo pesquisador, historiador, sociólogo, filósofo, etc. ● Conectado com Repositórios Digitais; ● Melhores práticas; ● Normas internacionais; ● Suporte; ● Escalabilidade.
  20. 20. Archivematica(CIA) Sistema de preservação digital que visa oferecer um ambiente integrado de ferramentas free e Open Source para capacitar o processamento de objetos digitais de acordo com o modelo funcional ISO-OAIS (14721); ● Pacote de Informação de Submissão (SIP) [enviada pelo produtor da informação ao arquivo]. ● Pacote de Informação de Armazenamento (AIP) [pacote de informação armazenado pelo arquivo]. ● Pacote de Informação de Disseminação (DIP) [pacote transferido para o usuário em resposta a uma solicitação].
  21. 21. Navegação PCD e Multinível ● SIP submetido ao repositório (Metadados . CSV, ou METS, ou Dublin Core); ● Archivematica gerando o: ○ DIP; ● para o AtoM (ICA-AtoM) ou o CONTENTdm ou Archivist Toolkit.
  22. 22. RODA - Repositório de Objetos Digitais Autênticos O RODA é o arquivo nacional digital em Portugal. Através deste sistema complexo a DGARQ - Direção Geral de Arquivos terá capacidade de incorporar documentos eletrônicos de forma controlada assegurando a sua gestão ao longo do tempo e a sua acessibilização aos usuários. Este projecto é desenvolvido pela DGARQ, contando com a colaboração informática da Universidade do Minho. A estratégia seguida foi o desenvolvimento progressivo de funcionalidades básicas e sólidas e ir progressivamente aumentando estas funcionalidades de forma a receber maiores tipologias de objetos digitais e futuramente, dar resposta e apoio direto a organizações que possuam objectos digitais mas não disponham de recursos especializados nesta área. O RODA foi construído tendo como base o OAIS (Open Archival Information System) e documentos técnicos produzidos no âmbito do projeto Interpares 2. A base do repositório RODA assenta na plataforma FEDORA. São utilizados vários esquemas de metainformação nomeadamente o EAD (Encoded Archival Description), PREMIS (PREservation Metadata: Implementation Strategies ), METS (Metadata Encoding and Transmission Standard), Z39.87. http://dgarq.gov.pt/servicos/arquivo-digital-roda/
  23. 23. RODA - Vantagens
  24. 24. o RODA http://demo.roda-community.org/
  25. 25. SIGADs/ Repositórios/ Descrição Descrição arquivística: SepiaDES, ICA-AtoM (DIP), etc. Repositórios Digitais: ARCHIVEMATICA e RODA (OAIS), PREMIS, METS, etc. Instrumentos de pesquisa: Guías, catálogos, inventários, Repertórios, Edições de Fontes, etc. LOCKSS, Cariniana, etc SIGAD (e-ARQ) Fases: Corrente e Intermediária
  26. 26. Conclusões ● A adoção de políticas de Preservação Digital em Arquivos (organicidade, autenticidade); ● Contemplação das Estratégias de Preservação, de forma múltipla (seja OFF ou via Repositório Digital), gerencial e técnica; ● Adoção das políticas de Software Livre, que levam consigo padrões abertos; ● Dos sistemas de Gestão: faltam muitos requisitos e-ARQ; ● Dos Repositórios Digitais: DSpace, Fedora e EPrints não contemplam os requisitos, todavia sim: Archivematica e RODA, Archivematica falta: Navegação pelo PCD e Multinível (hoje somente com AtoM ou ContentDM); ● Repositórios Digitais Confiáveis para Documentos Arquivísticos (Resolução n°39/2014 CONARQ - CTDE);
  27. 27. Referências 1/2 Arquivo Nacional. Conselho Nacional de Arquivos. Publicações digitais. Requisitos funcionais para sistema informatizado de gestão arquivística de documentos: e-ARQ Brasil. Dezembro, 2009. Disponível em: <http://www.conarq.arquivonacional.gov. br/media/publicacoes/earqmet/earqbrasilv1.1.pdf>. Acesso em: 09 ago. 2011. CCSDS. Consultative Committee for Space Data Systems. Reference Model for an Open Archival Information System (OAIS). Janeiro, 2002. Disponível em: <http://public.ccsds.org/publications/archive/650x0b1.pdf>. Acesso em: 09 ago. 2011. CTDE. Câmara Técnica de Documentos Eletrônicos do Conselho Nacional de Arquivos. Glossário de Documentos Arquivísticos Digitais. 2010. Disponível em: <http://www. documentoseletronicos.arquivonacional.gov. br/media/publicacoes/glossario/2010glossario_v5.1.pdf>. Acesso em: 09 ago. 2011. InterPARES. International Research on Permanent Authentic Records in Electronic Systems. Disponível em: <http://www.interpares.org>. Acesso em: 09 ago. 2011. Diretrizes do Produtor - A Elaboração e a Manutenção de Materiais Digitais: Diretrizes para Indivíduos Disponível em: http://www.interpares.org/display_file.cfm? doc=ip2_creator_guidelines_booklet--portuguese.pdf
  28. 28. Referências 2/2 mais em: documentosdigitais.blogspot.com Diretrizes do Preservador - A Preservação de Documentos Arquivísticos Digitais: Diretrizes para Organizações - http://www.interpares.org/display_file.cfm? doc=ip2_preserver_guidelines_booklet--portuguese.pdf RLG/NARA.Trustworthy repositories audit & certification. RLG, OCLC, Feb. 2007. Disponível em: <http://www.crl.edu/sites/default/files/attachments/pages/trac_0.pdf>. Acesso em 09 ago.2011. Sayão, L.F. Repositórios Digitais Confiáveis para a Preservação de Periódicos Eletrônicos Científicos. Ponto de Acesso, Salvador, V.4, n.3, p. 68-94, dez 2010 - www.pontodeacesso.ici. ufba.br Sayão, L.F. Uma Outra Face dos Metadados: Informações para a Gestão da Preservação Digital. CNEN - Rio de Janeiro - RJ - Enc. Bibli: R. Eletr. Bibliotecon. Ci. Inf., ISSN 1518-2924, Florianópolis, v. 15, n. 30, p.1-31, 2010. Thomaz, K. Repositórios digitais confiáveis e certificação. Arquivística,net, v.3. n.1, p.80-89, jan/jun. 2007. Disponível em: <http://www.arquivistica.net/ojs/include/getdoc.php? id=372&article=118&mode=pdf>. Acesso em: 09 ago. 2011.
  29. 29. Obrigado Prof. Dr. Daniel Flores Líder dos Grupos de Pesquisa CNPq - UFSM: Ged/A e Patrimônio Documental Arquivístico Membro da Câmara Técnica de Documentos Eletrônicos- CTDE-CONARQ http://documentosdigitais.blogspot.com

×