Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
 
Constituído desde 2000, tem como principal objetivo monitorar e avaliar o Plano Nacional de Enfrentamento à Violência Sexu...
Sua constituição é plural _ sociedade civil, governo e terceiro setor. Se faz representar nos estados da federação através...
PLANO NACIONAL DE ENFRENTAMENTOÀ VIOLÊNCIA SEXUAL CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES <ul><li>Eixos Estratégicos:  </li></ul><u...
<ul><li>Reconhecimento e respeito do governo federal e organismos internacionais do papel do Comitê; </li></ul><ul><li>Ins...
Destinação de recursos para ações das redes estaduais de enfrentamento a violência sexual; Membro efetivo na organização d...
<ul><li>Falta construção conjunta nas definições de políticas públicas; </li></ul><ul><li>Reconhecimento dos atores do SGD...
<ul><li>Acompanhar sistematicamente os encaminhamentos deliberados em assembléias pelo excesso de demandas nos estados; </...
<ul><li>Articular com outras redes de proteção, principalmente movimentos de mulheres e LGBTT; </li></ul><ul><li>Que atore...
<ul><li>Que as redes de proteção a criança e adolescente no enfrentamento a violência sexual sejam consideradas de forma i...
E-mail [email_address] Telefone 0xx61-33478524 Márcia Cristine P. Oliveira Associação Curumins xx.85.88025364 [email_addre...
“ Saudações  infanto-juvenis”
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Comitê Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual Contra Crianças e Adolescentes

2,032 views

Published on

Audiência Pública da Frente Parlamentar de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente de Sergipe. Assembleia Legislativa de Sergipe, Aracaju, 14 de maio de 2010. (Apresentação exibida por Márcia Cristine, articuladora do Comitê Nacional/região NE de Enfrentamento à Violência Sexual Contra Crianças e Adolescentes).

Published in: News & Politics

Comitê Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual Contra Crianças e Adolescentes

  1. 2. Constituído desde 2000, tem como principal objetivo monitorar e avaliar o Plano Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes, aprovado em 2000 pelo CONANDA
  2. 3. Sua constituição é plural _ sociedade civil, governo e terceiro setor. Se faz representar nos estados da federação através dos Fóruns ou Comitês Estaduais, e se organiza para atuação com foco nacional, regional e estadual.
  3. 4. PLANO NACIONAL DE ENFRENTAMENTOÀ VIOLÊNCIA SEXUAL CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES <ul><li>Eixos Estratégicos: </li></ul><ul><li>Análise da Situação </li></ul><ul><li>Defesa e Responsabilização </li></ul><ul><li>Atendimento </li></ul><ul><li>Protagonismo Infanto-Juvenil </li></ul><ul><li>Mobilização e Articulação </li></ul><ul><li>Prevenção </li></ul>
  4. 5. <ul><li>Reconhecimento e respeito do governo federal e organismos internacionais do papel do Comitê; </li></ul><ul><li>Inserção na pauta nacional do tema DIREITOS SEXUAIS COMO DIREITOS HUMANOS; </li></ul><ul><li>Descentralização das discussões chegando aos municípios; </li></ul><ul><li>Inserção de adolescentes e jovens na construção e monitoramento de políticas públicas no enfrentamento a violência sexual contra crianças e adolescentes; </li></ul><ul><li>Projeto Juventude e Ação; </li></ul>PRINCIPAIS AVANÇOS
  5. 6. Destinação de recursos para ações das redes estaduais de enfrentamento a violência sexual; Membro efetivo na organização do III Congresso Mundial; Avaliação e revisão do Plano Nacional de Enfrentamento a Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes; Ampliação de programas de promoção, proteção e defesa de direitos no enfrentamento a violência sexual de crianças e adolescentes; Campanha 18 de Maio Continuação
  6. 7. <ul><li>Falta construção conjunta nas definições de políticas públicas; </li></ul><ul><li>Reconhecimento dos atores do SGDH que adolescentes são capazes de participar ativamente na proposição e monitoramento de políticas publicas; </li></ul><ul><li>Encontros sistemáticos das representações do Comitê; </li></ul>DIFICULDADES
  7. 8. <ul><li>Acompanhar sistematicamente os encaminhamentos deliberados em assembléias pelo excesso de demandas nos estados; </li></ul><ul><li>A demora na liberação de recursos para desenvolvimento de controle social; </li></ul><ul><li>A liberação de recursos por parte dos CEDCAS para o controle social desenvolvido pelas redes de enfrentamento. </li></ul>Continuação
  8. 9. <ul><li>Articular com outras redes de proteção, principalmente movimentos de mulheres e LGBTT; </li></ul><ul><li>Que atores do SGDH reconheçam crianças e adolescentes como sujeitos importantes no enfrentamento a violência sexual contra crianças e adolescentes; </li></ul>DESAFIOS
  9. 10. <ul><li>Que as redes de proteção a criança e adolescente no enfrentamento a violência sexual sejam consideradas de forma integral na implantação das políticas publicas; </li></ul><ul><li>Articulação permanente das entidades nacionais e internacionais de enfrentamento a violência sexual contra crianças e adolescentes do III Congresso Mundial. </li></ul>Continuação
  10. 11. E-mail [email_address] Telefone 0xx61-33478524 Márcia Cristine P. Oliveira Associação Curumins xx.85.88025364 [email_address]
  11. 12. “ Saudações infanto-juvenis”

×