02. Dinâmica das Relações Interpessoais: Motivação

33,107 views

Published on

Published in: Education
2 Comments
14 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
33,107
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
6,683
Actions
Shares
0
Downloads
576
Comments
2
Likes
14
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

02. Dinâmica das Relações Interpessoais: Motivação

  1. 1. Motivação Matéria: Dinâmica das Relações Interpessoais Debora Miceli Versão: 1.1 - Jul/2014
  2. 2. O que é Motivação? “A motivação está associada a um processo responsável pela intensidade, pela direção e pela persistência dos esforços de uma pessoa orientados para o alcance de determinado propósito.” ROBINS (1999) apud BERGUE (2010)
  3. 3. Comportamento Humano Estímulos (interno e externo Orientação a objetivos Finalidade – não aleatório Comportamento Humano
  4. 4. Ciclo Motivacional Equilíbrio interno Estimulo ou incentivo Necessidade Tensão Satisfação ou Frustação Comportamento ou ação
  5. 5. Hierarquia das Necessidades: Maslow Necessidades de autorrealização: ser tudo o que se pode ser... Autocontrole e autonomia. Necessidades de estima: como a pessoa se vê, autoconfiança, status e consideração. Necessidades sociais: aceitação, participação social, troca. Necessidades de segurança: proteção contra ameaça ou perigo (real ou imaginário). Necessidades fisiológicas: alimentação, sono e repouso, abrigo e outras... CHIAVENATO, 2011 – P. 309 - ADAPTADO Necessidades Secundárias Necessidades Primárias
  6. 6. Hierarquia das Necessidades: Maslow Necessidades de autorrealização (desafios) Necessidades de estima (reconhecimento) Necessidades sociais (interação com equipe, clientes) Necessidades de segurança (estabilidade, condições seguras) Necessidades fisiológicas (jornada de trabalho razoável, condições físicas apropriadas) CHIAVENATO, 2011 – P. 309 - ADAPTADO Necessidades Secundárias Necessidades Primárias
  7. 7. Fatores motivacionais e higiênicos: Herzberg • O trabalho em si • Realização • Reconhecimento • Progresso profissional • Responsabilidade Fatores motivacionais: conteúdo do cargo (como a pessoa se sente em relação ao cargo) Presença: motiva Ausência: neutro • Condições de trabalho • Administração da empresa • Salário • Relações com o supervisor • Benefícios e serviços sociais Fatores higiênicos: contexto do cargo (como a pessoa se sente em relação à empresa) Presença: neutro Ausência: desmotiva CHIAVENATO, 2011 – P. 311 - ADAPTADO
  8. 8. Herzberg: Satisfação e Insatisfação Satisfação: conteúdo do cargo (fatores motivacionais) Insatisfação: fatores do contexto – ambientais, gestão e colegas (fatores higiênicos)
  9. 9. Teoria X e Teoria Y: McGregor Teoria X • Abordagem tradicional • As pessoas são preguiçosas, evitam o trabalho e responsabilidades – precisam ser controladas. Inovações: descentralização de decisões, ampliação do cargo, autoavaliação de desempenho. Teoria Y • Abordagem moderna • As pessoas são esforçadas, gostam de ocupar-se, consideram o trabalho algo natural, aceitam responsabilidade – conseguem autodirigir-se.
  10. 10. Teoria da Expectativa: Victor Vroom Vroom Desejo de objetivos individuais: expectativa Produtividade x alcance de objetivos: recompensa Capacidade de influenciar seu nível de produtividade expectativa x recompensa
  11. 11. Teoria da Expectação: Lawler Esforço • Causa – começo... Dinheiro • O dinheiro como meio... Necessidades satisfeitas • Fim
  12. 12. Teoria da Motivação: Archer Fatores de satisfação (atendem à necessidade) Ex.: água Fatores motivadores (necessidades) Ex.: sede
  13. 13. Valores: Rokeach Valores Valores terminais: fim Valores instrumentais: meios Atitudes Cognitivo: certo ou errado Afetivo Comportamental: intenção
  14. 14. Teoria das Necessidades Soc. Adquiridas: McClelland Realização: obter algo Afiliação: estabelecer relacionamento Poder: desejo de controlar os outros
  15. 15. Teoria da Equidade: J. Stacy Adams As pessoas tendem a fazer comparações entre o desempenho delas e do grupo bem como a remuneração recebida proporcional aos esforços. Quando um colaborador que se esforça bastante descobre que recebe menos que um colega que não trabalha tanto assim, o colaborador esforçado tende a reduzir seus esforços.
  16. 16. Teoria do Reforço: Skinner Esta teoria trata que o gerente precisa reforçar comportamentos desejáveis por meio de reforços positivos e desencorajar comportamentos desagradáveis utilizando-se de reforços negativos. + Feedbacks para Elogio, recompensa, promoção melhoria, repreensão e em casos extremos advertências e demissões -
  17. 17. Como motivar pessoas? Segundo ROBBINS (2012), para que um líder motive seus colaboradores é preciso estar atento a alguns fatores: • Os colaboradores são diferentes e essas diferenças precisam ser levadas em consideração; • Os objetivos devem ser estabelecidos de forma clara e devem ser desafiadores; • O feedback é fundamental – saber se está caminhando rumo aos objetivos esperados ou se está se distanciando deles; • Dar abertura aos colaboradores para que participem de tomadas de decisão que os afetem pode motivá-los; • As recompensas devem ser proporcionais ao desempenho; • A justiça e a equidade devem estar presentes no sistema de recompensa.
  18. 18. Bibliografia: • BERGUE, Sandro Trescastro. Comportamento Organizacional – Florianópolis: Departamento de Ciências da Administração / UFSC; [Brasília] : CAPES : UAB, 2010. • CHIAVENATO, Idalberto. Gestão de Pessoas. 3ª Ed. Rio de Janeiro: Campus, 2009 • CHIAVENATO, Idalberto. Recursos Humanos. 9ª Ed. Rio de Janeiro: Campus, 2009 • ROBBINS, Stephen P. Comportamento Organizacional. São Paulo: Prentice Hall, 2002.

×